Cardeal Lehmann critica aumento das celebrações no “Rito Tridentino”.

Colônia (KNA). Por ocasião do “Congresso Eucarístico” dos católicos alemães em Colônia, o Cardeal Karl Lehmann, de Mainz, voltou a se manifestar contra o aumento das celebrações da missa em latim no “Rito Tridentino”.

“Tenho a impressão de que todo o entusiasmo pelo latim tem muito a ver com prestígio e falsas pretensões de uma suposta elite cultural”, disse o Bispo de Mainz ao “Kölner Stadt-Anzeiger. Ele sempre considerou essas motivações com mais ceticismo, disse o Cardeal.

[…] Em sua opinião “uma sobreposição mais forte das duas formas litúrgicas hoje em dia não é útil, também porque não cresce a partir de baixo”, disse Lehman. “A tendência está mais na direção da Missa renovada”.

31 comentários sobre “Cardeal Lehmann critica aumento das celebrações no “Rito Tridentino”.

  1. “… também porque não cresce a partir de baixo.”
    Nisto ele tem razão, o pedido pelas missas tridentinas crescem a partir do alto, ou melhor do Alto.

    Curtir

  2. Abordagem espiritual?? Nula! Abordagem cultural?? Burra! A postura dele é de um analista de mercado do Goldmann Sachs. Manda ele mudar de “profissão”, pois, como “cardeal”, ele tá tentando manipular os “consumidores” de missas.

    Curtir

  3. Não cresce a partir de baixo? Cresce de onde? Da Cúria? Do Sacro Colégio de Cardeais? Eu e as pessoas que conheço que freqüentam a Missa Gregoriana (adotei o adjetivo “gregoriano” no lugar de “tridentino” após ler o seguinte artigo http://chiesaepostconcilio.blogspot.it/2013/05/sr-maria-francesca-petrillo-fi-le.html#more) foram à Missa levadas pela busca de Deus, da sacralidade, do respeito à nossa fé e da presença de Nosso Senhor! Todas as Missas Gregorianas que já freqüentei, no Brasil e fora, estavam cheias de pessoas de todas as classes e tipos, todas cheias de piedade e amor por Nosso Senhor. Já as Missas Paulo VI que vejo por aí…

    Curtir

  4. Pelo menos ficou claro o aumento das celebrações da Missa Tridentina;
    com ou sem dor de cotovelo… Viva a Missa Tridentina!!!

    Curtir

  5. Lehmann deixa claro sua verve modernista : ““uma sobreposição mais forte das duas formas litúrgicas hoje em dia não é útil, também porque não cresce a partir de baixo”.

    A ordem da liturgia na concepção modernista deve vir de dentro do homem , das profundezas de sua consciência.Mas a visão do dogma católico é outra : a ordem vem liturgia vem de cima , do alto, é estabelecida em cima da revelação e das inspirações do Espírito Santo ao sagrado magistério.A revolta dele contra o elitismo do latim é risível: sim o latim é uma língua separada para o culto a Deus , não pode ser a língua do povo.

    Curtir

  6. A missa no rito tridentino é elitista só na cabeça desses prelados e de outras pessoas de mente envelhecida. Na verdade, hoje, sobretudo nos EUA e na Europa, há um grande retorno às tradições da Igreja e também a tudo o que está relacionada às raízes da sociedade judaico-cristã, inclusive o latim. O latim não deve ser usado como empedimento à missa tridentina. Até mesmo grupos que não têm nada a ver com cristianismo, fãs de Herry Potter, por exemplo, gostam de latim!

    Curtir

  7. Se me permitem, gostaria de frisar que o latim não deve ser tido como empencilho à missa tridentina, muito menos como elitista! Da própria terra do Cardeal Lehmann vem o exemplo:

    “O estudo do latim está em alta nas escolas da Alemanha. O idioma de Ovídio é a terceira língua estrangeira mais estudada no país, atrás apenas do inglês e do francês. Cerca de 800 mil jovens alemães aprendem latim.

    […]

    “Schindler diz ainda que as aulas de latim oferecem uma grande ajuda para as crianças de famílias imigrantes. Ela cita um recente estudo da Universidade Humboldt, de Berlim, que afirma que a matéria tem uma grande força de integração. “Quando um estudante turco aprende latim, ele recebe também essa abordagem analítica do idioma, uma abordagem que o ajuda a aprender outras idiomas”, diz Schindler.”

    Excertos do artigo: Latim volta a ser popular nas escolas e universidades da Alemanha

    http://www.dw.de/latim-volta-a-ser-popular-nas-escolas-e-universidades-da-alemanha/a-16246030

    Curtir

  8. Mais um exemplo de como o latim está na moda, é popular e não tem nada de eletista!

    Latin Surges in Popularity/ O Latim Ressurge com popularidade

    “When high school teacher Sarah Roach takes attendance, she routinely notices that she has more students in her classroom than the number who are technically enrolled in Latin courses she teaches. They’re not lost or sneaking into her classroom to visit friends. The extra half-dozen students are coming for the Latin.

    Quando a professora Sara Roach vai para o seu turno em uma escola de ensino médio, cotidianamente ela percebe que ela tem mais alunos em sua classe do que aqueles que estão matriculados em suas turmas de latim. E eles não estão perdidos nem como penetras dentro da sua sala para se encontrarem com seus amigos. A meia dúzia de alunos a mais em sua sala estão lá por causa do latim.

    Roach, 54, has taught Latin at Highland School in Warrenton, Va., for 25 years and has seen interest in the ancient language grow steadily throughout her tenure. When she first began, Roach taught a few students in a single class. Now she teaches 80 students, in classes geared toward a range of skill levels.

    Roach, 54, ensina Latim na Escola Highland em Warrenton, Vírginia, há 25 anos e tem visto o interesse pela antiga língua crescer sem parar ao longo da sua carreira de professora. Quando ela começou [a ensinar latim], ela ensinava para poucos alunos em uma única turma. Agora ela dá aulas para 80 alunos, em classes divididas em níveis de conhecimento.)

    Though it is often considered a dead language, Latin is alive and flourishing in high school classrooms across the country. In the past 10 years, the number of students taking the National Latin Exam has risen by 30,000 to about 135,000, while the number of students taking the Advanced Placement Latin exams has nearly doubled. Some say the resurgence is linked to increased interest in SAT preparation and Latin’s ability to help students succeed on the test’s verbal section, while others believe young adults’ obsession with Harry Potter and his Latin spells are driving the trend.”

    (Embora seja comumente considerado uma língua morta, o latim continua vivo e está florescendo nas salas de ensino médio por todo país [no caso, EUA.] Nos último 10 anos, o número de alunos fazendo o Exame Nacional de Latim (National Latin Exam) cresceu de 30.000 para 135.000, enquanto o número de estudantes fazendo o exame de nível avançado em latim (Advanced Placement Latin) quase que dobrou. Alguns dizem que o ressurgimento do latim está relacionado ao crescente interesse pela preparação para o SAT [Scholastic Aptitude Test. É o equivalente ao nosso vestibular, ou seja um teste de ingresso na Universidade.], pois o domínio do latim ajuda a ter bom êxito nas provas orais. Outros também acreditam que a obsessão dos adultos por Harry Poter e seus feitiços em latim tem determinado a moda do latim.”

    Curtir

  9. Eu dei alguns exemplos da popularidade do latim como refutação do argumento de que a missa deve ser rezada em latim apenas para eruditos que entendem o latim. É o tipo de argumento que não convence mais!

    Curtir

  10. Pois é eminência, mesmo com todo o boicote, pressões, resistências e sabotagens do episcopado alemão, notoriamente uma das conferencias episcopais mais ferrenhamente contrárias à MISSA DE SEMPRE, a ” viradeira ” está aí e prossegue a todo vapor. Agora, se há algo com que indubitavelmente temos de concordar com o senhor, com toda certeza há de ser em relação ao fato de que uma sobreposição mais forte das duas formas litúrgicas não venha a ser mesmo nada útil. Realmente não resta a menor duvida de que esta dicotomia não deva mesmo perdurar. Então, para se chegar ao consenso de qual das duas formas precise enfim ser superada, importa realmente pesar, qual delas mais bem tem feito às almas… Será mesmo o ” novus ordo ” ?! O que está em jogo, vai muitíssimo além de uma ” tendência ” . De modo algum se pode minimizar esta questão analisando-a sob um prisma de uma mera ” tendência ” , pois o aumento das celebrações da MISSA DE SEMPRE é nada mais que o PREVALECIMENTO DA VERDADE e não simplesmente uma tendência. Venha de cima para baixo, ou de baixo para cima, a VERDADE há de prevalecer ( doa a quem doer ) !

    Curtir

  11. O que pode ter aumentado é o número de formas extraordinárias e bizarras do rito romano ordinário. Como a forma do rito tridentino não muda, a que realmente cresce é o esta. A outra apenas se divide, com uns querendo aeróbica, outros querendo orixás.

    Curtir

  12. O chefe dos hereges alemães bafeja, destila o seu veneno… Dele certamente não se poderia esperar menos que mal estar diante da missa tridentina, mas, ao menos, eu contaria com um pouco mais de compromisso, ainda que aparente, com a verdade. Trata-se de uma mentira grosseira, maligna e atroz afirmar que o movimento pela missa tridentina “não cresce de baixo”. Muito pelo contrário, se dependesse tão somente da maioria dos bispos, a missa tridentina já teria sido varrida do mapa. É a força e a presença dos leigos que tem ajudado a preservar esse tesouro vivo da Igreja às invectivas cruéis que almejam a sua destruição. A bem da verdade que os frutos começam a florescer cada vez mais notavelmente no clero, uma vez que o ritmo de vocações tradicionais é muito maior do que o ritmo de vocações de seminários corrompidos pelo programa modernista. E cada vez mais bispos, antes reticentes com relação ao rito, começam a abrir seus corações para acolher as comunidades tradicionalistas, afinal, é visível a pungência da vida desses grupos, sobretudo a fidelidade. Em um mar de mornidão espiritual, essas comunidades tradicionais tão reluzentes começam

    Não, “cardeal” Lehmann (com aspas, pois se existe algum bispo que não faz jus a púrpura que ostenta é vossa eminência), a missa tridentina aponta para o futuro, pois ela tem os pés bem fincados no passado de fé, que forniu a alma de milhares e milhares de santos, bem como outros tantos milhões e milhões de fieis que se encontram hoje juntos do Pai. A missa tridentina que é a missa de Santo Antônio, de São Francisco, de Santa Rita de Cássia, de São Bernardo de Claraval, de Santo Agostinho, de São Gregório Magno, de São Pio V, de São Pio de Pietralcina, de Santa Bernadete Soubirous, de São João da Cruz, de Santa Teresinha, de São Pedro de Alcântara, de São Vicente de Paulo, de São João Maria Vianney…

    Agora, com que “missa” eu fico? A missa de tantos e tantos santos ou a “missa renovada” do cardeal Lehmman?

    O Espírito Santo não cansa de desafiar o povo de Deus, mas ele indica que o caminho a seguir é o “caminho de sempre”.

    Curtir

  13. Quer despertar a fúria da inquisição dos progressistas, – sim a inquisição progressista funciona a pleno vapor – quebre o HUNANIMISMO.

    Pegue na mão você não tem mão, esta é a frase proferida por um padre aos gritos, que todos os presentes ouviram, quando distribuía a Comunhão, Este fato aconteceu já faz alguns anos.

    Curtir

  14. Ele ja viu as missas afro ou a procissão circense da basílica de aparecida ? pelo ‘tipinho’ dele imagino que vá gostar

    Curtir

  15. Esse cardeal deve ser meio pancado da ideias, eu prefiro 1000 vezes a Missa no Rito Tridentino do que no Rito Normal, espere eu ser Padre quero rezar sempre a Santa Missa no Rito Tridentino. Claro que a Missa no Rito Ordinário e válida e irei celebrá-la, mas ao minimo uma vez por semana na minha Paróquia se Deus me conceder a Graça do Sacerdócio e que este seja Santo. Não adoremos a Deus com gritarias e palmas e com ofensa litúrgicas. Dizia o Próprio Paulo VI “Nos pequenos detalhes da liturgia é aonde demonstramos grandes gestos de amor”. E o mundo hoje, os Padre, Bispos, etc. Nenhum zela pela liturgia, querendo fazer sempre a sua liturgia e não a de Deus.

    Curtir

  16. Sou professor de ciências. Um aluno de 6ª série nesse ano, após tomar conhecimento que eu fui seminarista, me perguntou se eu estudei latim no seminário. Disse-lhe que sim, um pouco. Em seguida ele veio me perguntar se eu não daria algumas aulas para ele, pois acha a língua bonita. Esse aluno sequer assistiu alguma vez na vida uma missa em latim. Concluo que o Espírito Santo está agindo silenciosamente e indicando o rumo das coisas.

    Curtir

  17. Salvo engando, foi ele quem “sugeriu” a renúncia do beato João Paulo II do papado, por ocasião de sua doença. Como resposta, João Paulo II o nomeou cardeal da santa Igreja. Que bela lição para todos nós. Senhor, fazei-nos instrumento de Vossa paz, e que todos os nossos inimigos, não desejamos nenhum mal ou miséria, mas que possam assistir de pé a nossa vitória! Amém.

    Curtir

  18. Defendo a missa mais tradicional possível: sentados ao redor de uma mesa, como Jesus a instituiu. Claro, isto não é possível, pois são centenas de pessoas em cada missa. Particularmente não vejo sentido em rezarmos a missa em latim, uma vez que nem é a língua mais tradicional. Se fosse ser tradicional, tinha de ser na língua em que Jesus celebrou. Penso que a missa deva ser na língua dos fiéis, seguindo São Paulo – “fiz-me tudo para todos, para, a qualquer custo, salvar alguns”.

    No entanto, entendo que a Igreja deveria dar todo o apoio a quem deseja celebrar no rito tridentino. Faz bem às pessoas que gostam deste rito? Isto as leva a uma maior comunhão com Deus? Então vamos respeitá-las e apoiá-las.

    Curtir

  19. Coitados dos que “não gostam” (=odeiam) o rito tradicional porque latim é coisa de gente inteligente, talvez por isso que o demônio é esperto e os leigos católicos viraram um bando de burros e ignorantes – aliás a palavra leigo que era para designar o católico não religioso hoje é sinonimo de ignorante..

    Outrossim, os que não gostam do latim e preferem a língua pátria e não a da Igreja seguem o padre martinho lutero e com ele estão in secula seculorum.

    Curtir

Os comentários estão desativados.