Fidelidade partidária: Nota sobre PLC 3/2013 enviada antecipadamente para “apreciação” da Presidente Dilma. Quanta delicadeza!

Por Manoel Gonzaga Castro – Fratres in Unum.com | Uma certa numerária do Opus Dei, militante pró-vida e membro da Comissão de Bioética da CNBB, tem se destacado ultimamente por conta do bom mocismo que infesta alguns meios católicos.

Desta vez, ela se aventura em defender a posição supostamente neutra e equilibrada, mas, na realidade, poncio pilatiana, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil.

Otton von Bismarck, grande perseguidor da Igreja, dizia que “quanto menos o povo souber como são feitas as salsichas e as leis, mais tranquilo dormirá”. Ou seja: leis são como salsichas, é melhor não saber como são feitas. Todavia, uma discussão em que essa senhora participava, em um grupo no Facebook, escancarou os métodos dos católicos mornos que buscam uma posição de acomodação entre o certo e o errado, o vício e a virtude, sutilmente amordaçando outras lideranças em sua atuação (como buscou fazer a Comissão para a Vida e a Família, da CNBB, com um comunicado, que circula atualmente por email e nas redes sociais, aos órgãos que lhe são subordinados).

Até a manhã deste dia 16 de julho de 2013, você, caro leitor, não conhece o posicionamento oficial da CNBB. Aparentemente, Roma pega fogo enquanto Nero toca a sua harpa. A Presidente da República tem até o próximo dia 2 para vetar ou sancionar o projeto. Nós já conhecemos o enredo: poucos dias antes de vermos o leite derramado, a CNBB publicará uma notinha diplomática. Tudo parece ser muito sincronizado… E, de fato, é!

Em vez de manifestar oportunamente o posicionamento católico e aproveitar a ocasião da vinda do Papa ao Brasil, em que dificilmente o governo tomaria medida tão impopular, o que faz a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil? Aos nossos olhos, ela dorme. Mas, discretamente, atua. A distinta membro da Comissão de Bioética nos conta:

cnbb1

Isso mesmo, caro leitor: a Conferência Episcopal brasileira considera pouco delicado se pronunciar antes de apresentar o seu pleito à Presidente da República! Antes de se posicionar perante católicos, sociedade em geral e, sobretudo, perante Deus, a CNBB encaminha “a sua demanda” para conhecimento prévio (ou seria para receber o nihil obstat?) do Sr. Gilberto Carvalho, seu interlocutor junto à Mandatária.

O inimigo, em vez de combatido e neutralizado em seus intentos, é afagado. Ao invés de ser tratado pelo que efetivamente é — inimigo –, recebe as delicadezas dispensadas a parceiros de causa, tratamento reservado reciprocamente por politiqueiros. Afinal, senhores, a causa de Deus deve ser defendida com unhas e dentes, custe o que custar, ou pode ser objeto de politicagem e de respeito humano?

Embora alguns considerem “justo, certo e verdadeiro que uma mulher receba atendimento médico e drogas anti-DST”, principalmente com um projeto votado em 8 de março, dia internacional da mulher — que delicadeza! –, não resta evidente a verdadeira sanha do governo federal em impor o aborto no Brasil? A má intenção explicitada por manobras tortuosas, na calada da noite, com projetos aprovados a toque de caixa, não demonstraria nada mais que uma bela preocupação para com a saúde das mulheres, pelo que o projeto precisaria só de alguns pequenos ajustes? Ora, senhores! Não sejam idiotas úteis!

A defesa do veto parcial, com mudanças pontuais que deixariam intacto todo o corpo de uma norma propositalmente mal redigida, elaborada com o objetivo de se tirar conclusões muito mais amplas no futuro, é querer deixar se enganar por quem já mostrou claramente a que veio. Enveredar-se por esse caminho não seria senão uma patente demonstração de ingenuidade ou de… cumplicidade.

A nobre membro da Comissão de Bioética da CNBB considera “despropositado um pedido de veto total”, porque a “presidente jamais fará isso”. “A política é a arte do possível”, frase daquele mesmo Otto von Bismarck que ela costuma repetir frequentemente. Bem diversamente, o Papa João Paulo II qualificava a atuação política como a “múltipla e variada acção económica, social, legislativa, administrativa e cultural, destinada a promover orgânica e institucionalmente o bem comum” (Exort. Apost. Christifideles laici, n. 42).

Como recordava o grande Dom Manoel Pestana Filho — considerado por alguns como “radical” demais –, citando o Cardeal Pie, “há uma prudência que nos mata”. E sempre repetia o velho bispo da outrora feliz Anápolis: “O senhor não nos pede a vitória, mas a luta”. Por isso, CNBB, perdoe os fiéis se eles têm pensamentos “pouco delicados” para com a sua atuação. Os católicos brasileiros só querem que os senhores façam política conforme a definição de João Paulo II, não politicagem segundo Bismarck.

Como não se recordar da célebre frase de Santo Ezequiel Moreno, sempre estampada neste blog?  “Muitos dos que se dizem católicos ajudam os «revolucionários». São esses, sempre «moderados», que estimam a «tranquilidade pública» como o bem supremo. Esses católicos tolerantes, condescendentes, brandos, doces, amáveis ao extremo com os maçons e furiosos inimigos de Jesus Cristo, guardam todo seu mau humor para os que gritam «Viva a Religião!» e a defendem sofrendo contínuas penalidades e expondo suas vidas. Para eles, esses últimos são «exagerados e imprudentes, que tudo comprometem com prejuízo dos interesses da Igreja»”.

É preciso reconhecer pura e simplesmente que estamos em guerra e que o inimigo deve ser combatido, não acariciado!

53 Responses to “Fidelidade partidária: Nota sobre PLC 3/2013 enviada antecipadamente para “apreciação” da Presidente Dilma. Quanta delicadeza!”

  1. Eu fui advertido sem mais e nem menos – com que direito eu não sei – por um supernumerário e um numerário do Opus Dei há cerca de duas semanas numa reunião que “meus métodos contra a imoralidade são ostensivos demais” e que “carregar uma Cruz no peito ofende as pessoas, portanto, eu não deveria usar”. Tratávamos diretamente sobre aborto, pecados públicos, despudores. Ora, com quem acharam que estavam falando? Com um membro do Opus Dei? Não senhores!

    A todo custo querem cativar sem ofender as pessoas com sinais da fé. Isso é o Opus Dei, isso é o que eles são, buscam a todo custo costurar as coisas, querem fazer a imagem do Opus Dei, ficarem “bem na foto”. Só granfino participa das reuniões, que ninguém sabe onde fica! Seus colégios e escolas não tem nomes católicos, vivem se escondendo, vivem tentando agradar a todos e SÃO PROIBIDOS, todos eles, homens e mulheres, de usarem símbolos externos, porque pode ofender!

    Não sabia desse debate dessa mulher do Opus Dei e Pe. Lodi, mas em vista das referências no texto, desconfio de quem seja. Típico demais no Opus Dei, os quais passei a desprezar. Ousar replicar o Pe. Lodi? Ah, faça-me o favor seus arrogantes!

  2. Amo, com todo meu coração, São Josemaria. Acho que, se estivesse vivo, sentiria vergonha de seus filhos hoje. São Josemaria Escrivá, rogai por nós!

  3. Vivemos os dias da batalha final. Antes, os inimigos batiam na Igreja que compacta se defendia bravamente. Desde que o demônio decidiu que era hora de atacar por dentro e nossos outrora impávidos pastores iniciaram a ser convertidos na apostasia, na heresia e no satanismo, estamos sofrendo como nunca antes na história.

    A verdade é que hoje nossos bispos e presbíteros não mais acreditam na salvação. Eles se converteram ao protestantismo, mesmo que alguns nem saibam disso. O que explica que a nossa Missa seja tal e qual a celebração luterana? O que explica os ultrajes ao Corpo e ao Sangue de Nosso Senhor como os do arcebispo de Cuiabá? O que explica que hoje em dia o único prelado que usa hábito talar (por enquanto) é o Papa? O que explica que nosso Sumo Pontífice não mais assine (nem em sua encíclica!!!) com o “pp” após Franciscus? O que explica que nosso Papa faça traduzir para o português todas as falas que faria em latim (como solicitado por Papa Bento) na JMJ? O que explica as bandas de rock nas Missas, os padres Fábio de Melo, Marcelo Rossi e outras aberrações? O que explica o silêncio da CNBB nas questões de fé e de ética que interessam nossa Salvação e o seu estardalhaço patético nas questões que interessam apenas o grande cão? Como explicar que um frei franciscano (de jeans e camiseta) tenha que dito que eles distribuem preservativos pois estão integrados “no sistema de assistência social do estado” e portanto devem obedecer as regras do jogo???

    Essa vontade de atingir o ecumenismo a todo custo nada mais é do que o reflexo da mais total apostasia. Trata-se de um ecumenismo mundano que prescinde da figura de Deus Pai Todo Poderoso. É uma heresia terrível que se instalou no coração da Igreja de Cristo! É um câncer que não destruirá a Igreja (pois Cristo nos prometeu isso) mas está levando milhões e milhões de almas ao inferno! Talvez nunca antes na história da Salvação tantas almas foram perdidas como agora…

    Somente a oração e os sacrifícios intensos, juntamente com a ação corajosa dos poucos mas sempre crescentes grupos tradicionalistas podem aplacar a ira de Nosso Senhor e reverter essa perdição sem fim de almas. Que Deus nos ajude!

  4. Temos, infiltrados em nosso exército, agentes do exército inimigo que consultam os seus mestres antes de saber que decisão tática tomar. Isto é gravíssimo senhores, isto é gravíssimo! O MUNDO precisa saber disso. Traduzam esta mensagem para in inglês e espalhem isso.

  5. Caros,

    Me entristeceu e deixou muito preocupado a leitura desse artigo e do comentário do sr. Eduardo Gregoriano.
    Não porque concordo com os senhores, mas pelo contrário…
    Não sou membro do(a?) Opus Dei mas conheço a “certa numerária” a quem o autor do artigo (que acho que esqueceu de colocar o nome) se refere. Tenho grande admiração a essa senhora que a anos combate ferozmente o aborto inclusive dentro da Universidade de Brasília. Acompanho seu trabalho e o que posso dizer é que não conheço ninguém mais combativo e verdadeiramente comprometido com a defesa da vida. Afirmar que ela cria “entraves na defesa da vida” é, no mínimo desonestidade.
    O Pe. Lodi é sem dúvida alguma um dos sacerdotes que mais age em favor da vida no nosso país. No entanto, não consigo compartilhar a visão de que tudo o que ele diga é incontestável (“Ousar replicar o Pe. Lodi? Ah, faça-me o favor seus arrogantes!”)… Enfim.. “seus arrogantes”?
    Peço humildemente que parem de ser feitos comentários e veiculados artigos que mostram uma visão totalmente parcial e de nada acrescentam. Afinal, em que se colaborou com a defesa da vida? O que parece é um artigo feito para difamar uma pessoa e duas instituições. Isso fica bastante claro…
    Não percamos tempo com isso! Lutemos contra o verdadeiro inimigo.

  6. Cabe a nós, católicos tomar uma atitude.
    Sugiro um movimento coordenado de envio de emails e ligações a CNBB exigindo explicações.
    Sugiro também que distribuamos panfletos nas saídas das missas de nossas paróquias, explicando o problema e pedindo ligações e emails cobrando a CNBB.

    Já que esses senhores mais temem a opinião pública do que a Deus, façamos um escândalo.

  7. Temos que imitar a delicadeza do PT, assim como do ex Ministro Serra, aue facilitou o assassinato de bebês indefesos: antes de provocar cada aborto, por despedaçamento cruel, cruento, sanguinolento, ou dolorossímos envenenamento com citotec ou o que seja, eles recomendam: dirija algumas palavras de conforto à pessoa humana prestes a ser assassinada, peça sua compreensão e colaboraçào, seja delicado e, em seguida, mate-a.Se insistir em nascer, seja delicado e torça-lhe o pescoço, ou fure-lhe o crânio.Bem Aventurados somos nós, que vivemos neste mundo abençoado de inclusão, gentileza, respeito às diferenças( ainda não total: falta compreender e incluir os necrófilos, os direitistas, os fundamentalistas, os Tridentinos, os da São Pio X, os que comungam de joelhos, os apodados de homofóbicos e sexistas, os que não dizem”é isto aí cara, legal!”, ou expressões mais atuais, os que não comprendem “famílias”de dois bichas e uma vítima “adotada”, mas chegaremos lá.Chegará o dia em que os “iluminados”colocarão flores nos túmulos de todos os fundamentalistas e conservadores, assim como dos homofóbicos e não esquerdistas). Eu acredito, embora não esteja lá para verificar, que este festival de arrogância, perversidade, heresia,insensibilidade, subserviência que assola a Igreja Católica A.Romana visível, passará, como passam as tempestades.Mas, enquanto dura, lutemos com humildade, fé e coragem.Alguns podem nào acreditar, mas ninguém conhece algum ancião vivo com cento e trinta anos de idade.Mesmo jovens de oitenta anos não são tão encontráveis. Todos morremos, menos “a guarda avançada profética” progressita, TLista ou, simplesmente, os infiltrados de boa ou má fé.E aí, com Platão, descobrirão: o verdadeiro filósofo não trabalha senão para morrer. Mortos, terão todas as questões existenciais resolvidas( com calor ou não), de uma forma ou de outra mas, seguramente, sem oportunidade de retorno para consertar erros.

  8. É doloroso dizer, mas possivelmente vivamos os mais árduos e difíceis tempos de toda a história da Santa Igreja. Uma terrível época em que se descortina, infiltrada nas fileiras da Igreja, tanta gente que pareça o que não é, enquanto ao mesmo tempo, é o que não parece … Mas não temamos, pois tudo virá a descoberto e será passado a limpo. Aí teremos então, enfim, o joio definitivamente separado do trigo.
    Uns como bons frutos colocados aos pés do Cordeiro e outros destinados à fornalha dos réprobos…

    Virgem do Carmo, rogai por nós !

  9. O bom mocismo reina na Igreja do Brasil, mesmo na Opus Dei, ao que tudo indica. Contudo, não se esqueçam que nos EUA é diferente: é justamente a Opus Dei quem mais luta pela vida e dá a cara à tapa. Aqui tudo é mais difícil!!

    Quanto a CNBB,não é novidade nada. Essa entidade civil não representa os Católicos. São os Bispos locais quem podem fazer isso. É sabido desde há muito que a fidelidade deles é ao Partido dos Trabalhadores, não à Cristo!

    A peregrina que acolhi em minha casa para a JMJ é leiga consagrada, médica com mestrado em Bioética. Estou mostrando para ela a triste situação da Igreja Católica no Brasil, e ela – que mora na Alemanha -,afirma que ainda estamos bem. Pois lá os Jesuítas destruiram muita coisa, os teólogos são malucos e a Igreja vazia. É, não tá fácil pra ninguém…rsrsrsrs.

  10. Talvez o segredo do sucesso eleitoral do PT seja este: agregar um grande número de militâncias, que individualmente são minoria do eleitorado, mas na somatória representam um grande percentual:
    1) gaysista 2) feminista/abortista 3) pela liberação das drogas 4) quilombola 5) indigenista 6) estudantil (UNE, etc.) 7) reforma agrária 8) sindicalismo trabalhista. Some esta infinidade de movimentos com os benefiários dos programas assistencialistas, e temos o resultado : 10 anos no poder… O que a oposição (?) pode fazer? Fácil: conquistar um poderoso grupo militante informal, chamado MCC – Maioria Cristã Conservadora- que se opõe a tudo aquilo que está aí em cima…

  11. Desde o início a Obra de São Josémaria Escrivá foi incompreendida e perseguida porque os católicos não conseguem entender que o OPUS DEI não age em bloco. A missão do OPUS DEI é dar formação sólida para que membros, colaboradores e amigos sejam bons católicos no meio do mundo. É possível ver dentro do OPUS DEI pessoas de diferentes orientações políticas, pessoas que discordam em inúmeros pontos justamente porque são discutíveis e lícitos. Se um membro do OPUS DEI tem uma conduta anticatólica ela deve ser repreendida pela sua má conduta; sua associação a prelazia não garante infalibilidade. Neste exato momento, Dom Keller, que é membro da OPUS DEI, já se pronunciou heróicamente, como uma das únicas vozes do clero brasileiro, contra o PLC 03/2013, o que justamente mostra que no OPUS DEI não há ação em bloco. No OPUS DEI ninguém vai usar um broche, um uniforme, um distintivo, cada qual deve ser fermento no meio do mundo pelo seu modo de agir, e não porque usa algum artefato exterior, santificando as realidades ordinárias da vida comum, como um leigo que busca a santidade e o cumprimento da vontade de Deus em suas tarefas comuns. Enquanto não se entende o valor formativo do OPUS DEI e a sua missão de acordo com os estatutos aprovados pela Sé, vai se continuar gritando contra ela pelos motivos mais equivocados possíveis.

  12. Ora, se o reino dos céus é para os violentos, porque estão alisando as artimanhas do inimigo? CNBB, decida logo de que lado quer ficar.

  13. Pois é Felipe Melo, um comportamento individual de todos! Mas, que tal não fazermos da caixa de comentários uma caixa de diálogo e entrarmos no assunto aborto, CNBB, PresidentA da Comissão da CNBB etc? Vamos falar de Opus Dei noutro momento, meu comentário foi inoportuno.

  14. É bom lembrar que o silêncio da Presidente implica em sanção do PLC. O veto tem de ser formal.

  15. “Carregar uma Cruz no peito ofende as pessoas” + “portanto não deveria usar” = RESPEITO HUMANO.

  16. Sr. Eduardo Gregoriano,

    Para além de suas discordâncias com a forma de se expressar dos membros da Opus Dei, ou de sua espiritualidade, permita-me chamar sua atenção para o fato de que tanto a Numerária acima citada quanto o Pe. Lodi tem uma longa lista de serviços em favor da causa pró-vida no Brasil.

    Este “fogo amigo” que ocorre nas fileiras pró-vida é extremamente prejudicial ao movimento. Antes de sermos propagadores do incêndio, deveríamos procurar entender o que, de fato, está ocorrendo e trabalhar pela atuação conjunta, ou, seremos mais do que Nero tocando a harpa. Os inimigos já são muitos…

    Quanto à Obra em si, sugiro-lhe ler os escritos de São JoséMaria Escrivá para não cair em julgamento precipitado sobre aquilo que é recomendável ou não aos seus membros. Acusar a Prelazia de sectarismo social é pura difamação, sem fundamento na realidade, além de ser uma infantilidade acusar a todos os seus integrantes de conformismo.

    Basta pesquisar na página da Opus Deis e solicitar o endereço de seus centros, cujas meditações estão abertas a todos. Na verdade, seu comentário, ao estilo Dan Brown, apenas segue a linha da grande mídia, de desavisada e precipitada a portadora de ignorância, embora vencível pela boa vontade.

    Interessante é que, aos olhos do “mundo”, a Opus Dei é tida como bastião da severidade e do tradicionalismo católico. Portanto, não vejamos bom-mocismo em tudo, sob pena de transformar em lema pessoal a máxima adaptada ao egocentrismo: “quem não pensa como eu está contra mim”.

    Por fim, interessante é o trecho de seu comentário: “Ousar replicar o Pe. Lodi? Ah, faça-me o favor seus arrogantes!” Não sabia que o bom Padre, agora, detinha a infalibilidade em seus pronunciamentos, a ponto de tornar herético o opositor no debate. Quem é o arrogante?

  17. Boa tarde, Eduardo.
    Não sou e nunca fui membro do Opus Dei, mas tenho alguns amigos que o são. Nunca fui informado (e acredito que nem eles) que TODOS são proibidos de usarem símbnolos externos relativos à fé católica. Tanto que estes meus amigos todos usam um crucifixo. E olha que eu moro talvez no estado mais anti-católico do Brasil. Aliás, em um post anterior, foi citado, talvez, o melhor bispo que exista por esta Terra de Santa Cruz. Bispo este, ligado à Opus.
    Como disse, não sou membro e nem pretendo ser, mas generalizar algo que não é geral (embora você cite e grife a palavra TODOS) não é justo. Não pretendo defender a Opus Dei, até porque não sou membro, nem advogado. Só acho que é justo fazer esta observação: talvez TODOS os membros que você conheça não usem símbolos externos da fé. Talvez TODOS os membros que você conheça só queiram ficar bem na foto. Talvez TODOS os membros que você conheça sejam “granfinos”. Mas de TODOS os membros da Opus Dei que eu conheço, nenhum deles é nada do que citas acima. Todos usam símblos externos de fé, todos defendem a fé (inclusive saindo às ruas para defendê-la e não ficando apenas em blogs como, infelizmente muitos dos ditos tradicionalistas), todos são pessoas simples, 3 trabalhadores como eu e um seminarista, filho de um grande amigo meu, que hoje é aposentado, mas viveu a vida inteira dentro de uma fábrica de calçados. E posso te garantir que não é nada granfino ser operário em uma fábrica de calçados.

  18. SergioNavarro, além de Dom Keller, o cardeal Ranjith de Colombo, Sri Lanka, é também membro do Opus Dei (supernumerário) – fato que a maioria dos seus admiradores ignora completamente…

  19. Discordo. É melhor a CNBB falar com a presidente e ela vetar do que ir para o embate, no qual não ganharemos nada. Não gosto nem um pouco da CNBB, mas, a política é assim. Melhor já saber o resultado do que atirar no escuro, brigando contra quem pode nos ajudar.

  20. Mostrar a carta para o governo antes de torná-la pública traz a possibilidade de o governo chegar a um acordo pelo veto por medo de uma publicação? Algo como “veja a carta que tenho preparada. Estou lhe mostrando antes para que você a aprove, ok? Assim você não se desgasta e eu consigo o veto que quero”. Não posso negar que é uma estratégia. Pode dar certo, ou não.

    Esquecendo o histórico da CNBB eu apostaria nisso como uma possibilidade. Pensando nas ligações entre CNBB e PT eu prefiro não comentar. Me tranquiliza saber que a comissão é formada por pessoas ligadas à causa pró-vida e não por quadros de aspones da CNBB.

    Sei quem é a militante pró-vida de quem o texto fala. É uma das pessoas que mais faz na luta contra o aborto atualmente no Brasil. Não é uma teóloga designada para atuar em uma comissão da CNBB simplesmente porque a CNBB precisa de alguém lá. É alguém que se destacou na militância pró-vida e que por isso mesmo foi chamada para fazer parte dessa comissão. Se ela (o grupo) está apostando na estratégia errada, não sei. Mas não é uma pessoa que cria entraves na defesa da vida, nem uma puxa-saco do governo. Achei o texto maledicente, não porque fez a crítica da estratégia adotada (ninguém nesse mundo está acima de críticas), mas pela forma como falou dos envolvidos.

    A nós fica a pergunta (inclusive àqueles críticos mais radicais): o que vale mais, demonstrar oposição acirrada e ter menor chance de se ter êxito, ou agir mais politicamente (com aparência menos heroica e correndo o risco de ser visto como acomodado) e aumentar as chances de sucesso? Considero que o norte nesse caso é o resultado. O difícil é ter certeza sobre o que nos aproximará mais do sucesso.

  21. Prática moderada e política? Ora, se a CNBB colocar no seu site “Católicos não votem na Dilma se ela aprovar o PLC 03/2013”, a Suprema Burra Mandatária Dilma veta no mesmo dia o PLC!

    Tem que trucar na cara, que Dilma arrega!

    Mas, como disse o artigo: tudo é muito bem articulado!

  22. ELES NÃO DESCOBREM – OU NÃO QUEREM – O MOTIVO PELO QUAL A IGREJA ESTÁ SENDO PERSEGUIDA: POR CAUSA DAS VERDADES DA FÉ!
    Hoje em dia há um movimento SATANISTA dentro da Igreja de supostos católicos, para não “ofenderem” os outros, preferem se quadrar no POLITICAMENTE CORRETO; sacrificam até mesmo as verdades da fé, como se existisse “em cima do muro” na fé católica, sim, mas quem se julga nessa posição está com o inimigo, garantidamente.
    Nesse caso não existe pois neutralidade!

  23. André C.A.

    Ir pedir o VETO PARCIAL não é obter êxito, nem aqui nem na China!

    Ou esta lei é vetada TOTALMENTE ou a vitória é dos abortistas

  24. Dom Keller é Opus Dei e pede o veto total. Que tal deixarmos a Opus Dei de fora?
    Não vejo nada de mais em encaminhar a carta com o pedido de veto diretamente à Dilma antes de lançar qualquer manifesto midiático… Isso se chama relacionamento institucional, e há protocolos. O que não quer dizer que não se deva condenar o que deve ser condenado, criticar o que deve ser criticado. Eu particularmente sou pelo veto total, mas acho injusto o tom das críticas que tenho ouvido.

  25. Fernanda,

    Por quê? Não saiu na nota da CNBB em que consistiria esse veto parcial. Realmente pedir um veto parcial sem especificar o que se deseja que seja vetado é inútil, mas deixando o ponto claro, não entendi o motivo de um veto parcial ser inútil.

  26. Este blog traz as palavras de um advogado que afirma que o movimento Brasil sem Aborto está aparelhado pelo PT: http://contra-o-aborto.blogspot.com.br/2013/07/omissao-egos-e-enganacao-o-avanco-do.html

    Alguém tem mais informação? O advogado assina e põe até seu número da OAB. Pergunta: procede a informação?

  27. Acho que quem está se tornando o “inimigo” da Igreja no Brasil, são aqueles que deveriam ser seus pastores. Quando pastores se portam como lobos, lobos são!

  28. Amigos, esta tal numeraria – que jogou um balde de água fria no movimento pró-vida – está no covil em que merece estar, onde seja: na CNBB. Nós leigos sem o apoio da Hierarquia, infelizmente, é que temos que arregaçar as mangas e fazer algo para que o aborto não seja institucionalmente aprovado nesse país. Esses bispos, salva raras exceções, não prestam pra nada. Absolutamente nada! Ajudam muito quando não atrapalham!

  29. Maria Tereza,.concordaria contigo se estivéssemos num período normal de relações com o governo no entanto estamos em guerra. O PT já demonstrou claramente o que quer esse tipo de delicadeza só dá quem realmente quer ser enganado.

  30. FRATRES;
    Uma vez mais pergunto: mas para quê tanto espanto?
    A Cãoferrância episcaopau NUNCA, JAMAIS irá atacar seu braço político! Não se esqueçam, caros FRATRES, o PT nasceu nas sacristias da tchurma da teologia da libertação, a elite da CNB do B.
    Quanto ao silêncio, ou melhor à “diplomacia pilatiana” é bem típica desses senhores, os Sucessores do Apóstolo Iscariotes, uma vez que o conluio com os “poderes desse mundo” é algo marcante nessa gente.
    Em relação ao aborto e ao posicionamento da cãoferrância e de seus “cupinchas”, ah, não levem em consideração. Essa gente apóstata quer na verdade é se dar bem com o mundo, como disse acima, sabiamente nosso FRATER Eduardo Gregoriano, “sair bem na foto”.
    Portanto, diante de tantos possíveis problemas, a tchurminha dos Sucessores do Apóstolo Iscariotes, estão mostrando sua bela “diplomacia pilatiana”.
    Ah, esse negócio de luta, de “coragem” não é algo que as Excelências entendam.
    Quanto a nós, que Guardamos a Fé, rezemos e nos formemos, pois somos o “pequeno resto” que já predisseram os Profetas Isaías e Jeremias…
    Deixemos esses apóstatas e seus congêneres onde estão, para que um dia, no Juízo Final, o Divino Salvador, Justo Juiz, possa dizer-lhes:
    “Afastai-vos de mim! Não os conheço!”
    Diante de mais uma cena de covardia, que em palavras bem delicadas podemos dizer “respeito humano”, faço aquela perguntinha básica (e incômoda):
    ESSA IGREJA CONCILIAR É SÉRIA?
    Rezemos.

  31. FRATRES;
    Ainda que sabendo que os comentários não se referem a prelazias, prelaturas, movimentos, de base, movimentos de alturas e seus congêneres, só há uma expressão, num bom e saboroso italiano que pode resumir o assunto:
    “Tutti bouna gente!”

  32. PORÇO PARA QUE O PAPA FRANCISCO CHAME À ATENÇÃO A APÁTICA CNBB!
    Um de seus fundadores foi o marxista D Hélder e alguns que se mantiveram na CNBB seguiam seu ritmo pró comunistas, temos mais alguns de seus discípulos até hoje que prmanecem nesse posicionamento em favor das ideologias marxistas favoráveis ao aborto.
    Seria hora, agora, de toda a CNBB estar exigindo que toda a sociedade se posicionasse contra qualquer atentado às leis de Deus, como o aborto, pedofilia, etc., mas parece que existe uma banda vermelha dentro dela que manda e desmanda e seria alinhada com os comunistas do PT.
    Que vexame essa antecipada “delicadeza de apreciação”; será que a CNBB avalizaria apenas o que a presidenta achasse “politicamente correto” e não teria opinião formada?

  33. Depois do Padre morto na Síria…
    Depois de ver o Santo Padre defender esses mesmos “muçulmanos”…
    Depois de tudo isso, CNBB pra mim vira pó!
    Isso não me espanta mais…

  34. Há muito tempo que o clero corrupto vem utilizando a boa virtude da obediência dos leigos católicos contra a própria Igreja. Penso que antes da popularização da Internet, dos blogs e sites católicos a eficácia da atuação desses traidores era bem maior.
    Com a maior articulação dos leigos católicos através dos meios eletrônicos a CNBB vem perdendo força.
    Não estão lidando mais com ovelhas excessivamente dóceis que não sabem discernir entre ordens: legais e ilegais, ortodoxas e heterodoxas, morais e imorais. Além do mais, a crescente consciência entre os leigos do verdadeiro patamar hierárquico da CNBB vem atrapalhando e muitos os planos desses pobres senhores.
    Eu mesmo, não dou nenhuma importância, além daquela que se deve estritamente ter, a essa Conferência brasileira de bispos. Na verdade quase nem levo em consideração as suas orientações heterodoxas e isso, sem NENHUM peso na consciência, sei dos meus direitos e sei a quem devo ouvir e obedecer.
    Aquele tempo de obediência cega já passou, e essa nova postura mais esclarecida dos leigos serve tanto para os desmandos de uma conferência de Bispos, quanto para um Bispo em particular ou Padre.
    E hoje, sinceramente, senhores, sabemos qual é a verdadeiras intenções dessas conferências episcopais mundo a fora.
    Acredito mesmo que, devido ao estado atual crise católica, mais importante que uma conferência de Bispos, precisamos de uma CONFERÊNCIA DE LEIGOS para dar publicidade mais geral ao combate às ideias revolucionárias defendida vergonhosamente por parte de um clero organizado que age de má fé.

  35. “Deus não nos pede a vitória, mas a luta”.
    Então, gente, pelo amor de Deus parem de brigar com os outros tradicionalistas e foquem no inimigo comum. Aquele que sem nenhuma desculpa quer mesmo o contrário de Deus e luta contra ele conscientemente. No mais somos todos falhos e pecadores, tenhamos misericórdia uns com os outros que sofremos pelas mesmas causas e buscamos a Verdade e a Vontade divina ainda que de maneiras mais ou menos acertadas.

  36. Caro Ferreti – se me permite sair do tema – é impressionante a quantidade de simpatizantes do Opus Dei que lêem seu blog. Basta ver o número do ranking de “likes” em relação aos comentários que defendem a prelazia e os “dislikes” nos comentários que criticam.

  37. Há dois pontos que a meu ver estão sendo misturados nessa história:

    1) Mandar o comunicado para avaliação da presidência antes de comunicá-lo para a mídia (isso independe de se optar por veto total ou parcial);
    2) A opção da CNBB de pedir um veto parcial ao invés de um veto total (isso independe da atitude da CNBB em mandar a nota para apreciação da presidência antes de divulgá-la).

    São duas coisas distintas e uma poderia ocorrer sem a outra, embora de fato tenham ocorrido as duas. É possível concordar com uma, com nenhuma ou com ambas.

    Pelo que entendi no texto, a senhora citada defendeu a posição da CNBB em mandar o comunicado para a presidência antes de divulgá-lo e essa postagem do Fratres discorre sobre isso. A questão do veto parcial foi tratada em outra postagem ( a anterior, se não me engano). Nos comentários alguns leitores estão falando do veto total, falando sobre o Opus Dei (obs: não sou do Opus Dei), já vi em redes sociais grupos falando que essa militante pró-vida é quem aconselha os bispos da CNBB a serem mornos (???) e indicar o link desse texto para “provar” isso. Enfim, confusão atrás de confusão. É bom, conveniente, prudente e alcança melhores resultados que sempre estejamos atendo àquilo que lemos.

  38. Minha opinião sobre o assunto ainda não está definida. Em relação ao ponto 1 eu não veria nada demais, não fosse o histórico da CNBB. Em relação ao ponto 2 eu optaria por um veto total, mas não digo que o veto parcial é de todo errado porque não sei se quem pede por ele indicou aquilo que deveria ser vetado (se não indiciou, realmente é uma estratégia fracassada).

  39. CNBB, tome vergonha na cara ! Posicione-se publicamente contra o PLC 03 de 2013 ! Lute para que ele não seja sancionado pela presidente ! Façam o que Jesus faria !

  40. Muitos católicos aqui não perceberam que quando tivermos que nos levantarmos para enfrentar os nossos inimigos, entre esses inimigos está a CNB do B.

  41. O inimigo age e faz muitas vítimas. Muitos defendem o aborto com unhas e dentes pensando mesmo que estão fazendo o certo, o prudente, o mais inteligente no mundo atual. São as vítimas dos militantes do inimigo, do opositor, que espalharam direitinho e sutilmente o pensamento do Diabo a ponto de enraizá-lo nas pessoas mais suscetíveis.

    Devemos rezar muito para que Deus nos dê força e resistência contra as tentações que vêm de Satanás. E, óbvio, também rezar muito pelos nossos pastores e governantes para que Deus os mostre seu chamado e eles o vejam e passem a viver alicerçados nele.

    Ficamos indignados com uma notícia destas, mas é assim que o mundo dos homens paga aos cristãos, para os que seguem a Lei do Deus Criador: com aborto, banalização da vida, do amor, do irmão ser humano também; destruição da criação no geral; uma revolta contra a “opressão de Deus sobre os fracos(tudo)”. Por isso e porque este “não é mais o mundo de Deus, mas dos homens que fazem homens e leis universais e ‘verdadeiras’ agora” que devemos morrer para ele para que possamos ressuscitar onde realmente vale a pena, no Reino de Deus, como disse o Nosso Senhor.

    Que a Santíssima Virgem Maria rogue por nós, e que Deus Todo-Poderoso e misericordioso tenha compaixão de seus filhos adotivos. E que mesmo com tudo de ruim acontecendo à nossa volta, possamos continuar alegres por crer em Cristo, porque com Ele, que já derrotou Satanás, nós já temos a chance da salvação! Amém

  42. Pouco delicado é matar bebês no ventre materno.

  43. Parece-me oportuno o trecho, muitíssimo correto por sinal, ao meu ver, da Encíclica Humanae Vitae, do Papa Paulo VI. Nele, o papa falou sobre as consequências dos meios de restrição à natalidade e, por isso mesmo, também do aborto. Embora a população brasileira ainda não seja favorável ao aborto, ela está infelizmente desinformada sobre esse projeto malignamente disfarçado de defesa da mulher violentada, muito por parte da mídia abortista e anticatólica, e também outra parte por concupiscência mesmo, suponho, vontade de fazer o errado como se fosse certo – neste ponto falo dos que querem o aborto.

    Segue a parte 17 da carta encíclica:

    Graves conseqüências dos métodos de regulação artificial da natalidade

    Os homens retos poderão convencer-se ainda mais da fundamentação da doutrina da Igreja neste campo, se quiserem refletir nas conseqüências dos métodos da regulação artificial da natalidade. Considerem, antes de mais, o caminho amplo e fácil que tais métodos abririam à infidelidade conjugal e à degradação da moralidade. Não é preciso ter muita experiência para conhecer a fraqueza humana e para compreender que os homens – os jovens especialmente, tão vulneráveis neste ponto – precisam de estímulo para serem fiéis à lei moral e não se lhes deve proporcionar qualquer meio fácil para eles eludirem a sua observância. É ainda de recear que o homem, habituando-se ao uso das práticas anticoncepcionais, acabe por perder o respeito pela mulher e, sem se preocupar mais com o equilíbrio físico e psicológico dela, chegue a considerá-la como simples instrumento de prazer egoísta e não mais como a sua companheira, respeitada e amada.

    Pense-se ainda seriamente na arma perigosa que se viria a pôr nas mãos de autoridades públicas, pouco preocupadas com exigências morais. Quem poderia reprovar a um governo o fato de ele aplicar à solução dos problemas da coletividade aquilo que viesse a ser reconhecido como lícito aos cônjuges para a solução de um problema familiar? Quem impediria os governantes de favorecerem e até mesmo de imporem às suas populações, se o julgassem necessário, o método de contracepção que eles reputassem mais eficaz? Deste modo, os homens, querendo evitar dificuldades individuais, familiares, ou sociais, que se verificam na observância da lei divina, acabariam por deixar à mercê da intervenção das autoridades públicas o setor mais pessoal e mais reservado da intimidade conjugal.

    Portanto, se não se quer expor ao arbítrio dos homens a missão de gerar a vida, devem-se reconhecer necessariamente limites intransponíveis no domínio do homem sobre o próprio corpo e as suas funções; limites que a nenhum homem, seja ele simples cidadão privado, ou investido de autoridade, é lícito ultrapassar. E esses mesmos limites não podem ser determinados senão pelo respeito devido à integridade do organismo humano e das suas funções naturais, segundo os princípios acima recordados e segundo a reta inteligência do “princípio de totalidade”, ilustrado pelo nosso predecessor Pio XII. ”

    Se somos católicos e portanto crente em Cristo, rejeitamos qualquer forma de violação à lei natural da vida e à moral da Igreja. Espero que os bispos da CNBB e a presidente Dilma lembrem-se disto quando forem falar sobre qual religião praticam.

    Que Deus nos ajude, como sabemos que Ele vai!

  44. Essa lei será lembrada nas eleições se alertarmos a todos os cristãos sobre o programa de morte do PT, já que nossos párocos e bispos, ao invés de promoverem uma campanha da fraternidade que nos alerte sobre essa política nazi-fascista abortista, preferem ativismos inexequíveis verdes ou vermelhos.

    Antes disso, porém, pressão total contra a Dilma e a mídia, prometendo boicotar programas da TV [já nem assisto mesmo] e seus patrocinadores se a imprensa continuar a promover essa agenda através de noticiários sobre estupros [usados para fazer a cabeça do povão a favor dessa lei maldita].

    CNBB diabólica!

  45. A todos que lerem este artigo acima publicado e que, porventura, se depararem com este comentário, dois questionamentos:

    1- Quando tomarei alguma resolução prática acerca das questões candentes do Catolicismo nesta Terra de Santa Cruz?!

    2- Até quando eu Católicos irei insistir com a CNBB e afins ( como o Opus Dei ), que não representam os interesses de Deus, da Igreja e os meus e, antes, são ( salvo exceções ) instrumentos da franco-maçonaria?!

    Nunca é demais lembrar que as mazelas que padecemos hoje cresceram sob a barba desses mesmos grupos e instituições que hoje estão aí, dizendo representar os nossos interesses.

    Salve Maria.

  46. Por que não colocar o nome da numerária se vocês tem tanta certeza do que ela faz e que é errado???
    Se for quem eu conheço não posso crer no que está escrito, tendo em vista que já a vi defender a vida em várias oportunidades, além disso, crer que uma pessoa – LEIGA – vai ter essa ingerência toda sobre os bispos que devem saber mais do que ela é quase inacreditável.

    Os bispos não são bestas, nem burros e sabem muito bem o que a Igreja defende, se não o fazem claramente é porque não o querem, como vemos acontecer rotineiramente nas nossas Igrejas com os sacerdotes/bispos, e não porque uma pessoa – leiga – diz que é errado.
    Continuo não crendo nessa história.

  47. Mas será o benedito??????precisamos de mais Padres Paulo Ricardo!!!!!!!!mandem tirar 100.000 xerox dele.
    .Assim com este tipo de mornisses nossas crianças vão ser cada vez mais assassinadas(porque isso já ocorre sem que a lei permita)imagine o governo incentivando…e depois disso vem o comunismo assumido, depoois seremos todos caçados e presos e sabe-se lá mais o que…inclusive os bispos da CNBB ,pobres deles se pensarem o contrário.

  48. Se no México, por causa da não manifestação dos bispos, aquele rapaz ficou endemoninhado, imagina quando esse PLC for sancionado… Nosso Senhor fará questão de na JMJ demonstrar ao mundo sua ira contra este pecado, contra este CRIME HEDIONDO, a sua ira sobre a terra…

    Mãe querida… Mãe que gerou a Vida… Mãe da Igreja e única esperança para os homens, livrai-nos da MALDIÇÃO DO ABORTO!

  49. Rafael Bassoli ,
    O que explica todos os disparates que você citou é unica e simplesmente a ação do demonio dentro da igreja … sob os aplausos de nossos presbiteros, bispos, cardeais, etc … entre nosso clero pouco há de cristão hoje em dia.

  50. Grazi,

    Nossos bispos nao são bestas nem burros como você bem lembrou… salvo alguns poucos que ainda são cristãos a maioria é mesmo mal-intencionado e são instrumentos das trevas para desconstrução da Igreja … como nos alertou Dom Marcel Lefebvre.

  51. Devemos combater com firmeza o aborto e seus promotores inclusive a Presidente Dilma e as feministas que merecem a morte e o inferno!

Trackbacks

%d blogueiros gostam disto: