Dom Celso Marchiori, de Apucarana, PR: Outro bispo rompe o silêncio contra “chaga horrorosa que é o aborto”.

NĂO MATARÁS O INOCENTE …” – Ex 23,7

Por Dom Celso Antonio Marchiori 

Bispo diocesano de Apucarana, PR

Enquanto a população saía às ruas para pedir o fim da corrupção na política e melhores condições de vida, no Congresso Nacional era votada a ‘toque de caixa’ a proposta da deputada Iara Bernardi (PT-SP), que trata do atendimento obrigatório e integral de pessoas em situação de violência sexual.

O projeto de lei aprovado e que está nas mãos da presidente Dilma Rousseff para sanção, tem como pano de fundo a legalização do aborto no Brasil. Por mais que se queira dizer o contrário, o próprio texto da lei deixa clara a possibilidade de por fim a vida do feto em qualquer hospital credenciado pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

O texto fala em “profilaxia” da gravidez. O sinônimo de profilaxia é prevenção, ou seja, ato ou efeito de prevenir. Outro ponto indicativo da legalização do aborto é considerar “violência sexual qualquer forma de atividade sexual não consentida”. Não é sequer necessária a realização de exames para constatar a suposta violência sexual. Isto significa que a mulher, ao descobrir uma gravidez indesejada, pode procurar um hospital e pedir a profilaxia da gravidez e terá que ser atendida.

Não seria esta a prática do aborto? Não seria esta uma ação de por fim a uma vida, no caso do feto ainda em formação?

Não se deve esquecer o posicionamento da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) contra o aborto: “O drama vivido pela mulher por causa de uma gravidez indesejada ou por circunstâncias que lhe dificultam sustentar a gravidez pode levá-la ao desespero e à dolorosa decisão de abortar. No entanto, é um equívoco pensar que o aborto seja a solução”.

É preciso lembrar que a lei maior do País, a Constituição Federal, em seu artigo 1º, afirma que a República Federativa do Brasil tem como um de seus fundamentos a dignidade da pessoa humana. E, no seu artigo 5º, garante a inviolabilidade do direito à vida. O inalienável direito à vida de todo o indivíduo humano inocente é um elemento constitutivo da sociedade civil e a toda a sociedade.

A atitude do Governo Federal e dos parlamentares que lhe dão sustentação no Parlamento é criminosa e caminha em direção oposta a defesa da vida. Tenho comigo que a legalização do aborto, mesmo que não às claras, é uma saída mais barata, pois a defesa da vida envolve investimentos na saúde da mulher e da criança.

Faço minha as palavras de Dom Antônio Carlos Rossi Keller, bispo da Diocese de Frederico Westphalen: “O aparente respeito à legalidade que tal encaminhamento deste iníquo projeto de lei possa estar seguindo tropeça em uma única e definitiva verdade, como nos diz o bem aventurado Papa João Paulo II, na Evangelium Vitae: “Reivindicar o direito ao aborto, ao infanticídio, à eutanásia, e reconhecê-lo legalmente, equivale a atribuir à liberdade humana um significado perverso e iníquo: o significado de um poder absoluto sobre os outros e contra os outros. Mas isto é a morte da verdadeira liberdade”.

Vejam que a Igreja – e nela atuo como pastor na Diocese de Apucarana – tem posição clara e indiscutível em defesa da vida. Tenho a lembrar que a vida humana deve ser respeitada e protegida de maneira absoluta a partir do momento da concepção. Desde o primeiro momento de sua existência, ao ser humano devem ser reconhecidos os seus direitos de pessoa, entre os quais o direito inviolável de todo ser inocente á vida. (Cf. Catecismo da Igreja Católica, 2270).

Desde o Século I a Igreja condena o aborto. Esta prática é gravemente contrária à lei moral, obra da Sabedoria Divina: “Não matarás o embrião por aborto e não farás perecer o recém-nascido”. Assim, sob a ótica da Lei Moral, a cooperação formal para um aborto constitui uma falta grave, incorrendo em excomunhão em sentença já promulgada (Cf. Catecismo da Igreja Católica, 2272).

A sociedade, como dito acima, é defensora da vida e em favor dela (vida) deve se erguer. O silêncio diante da decisão do Parlamento e que está nas mãos da Presidente da República deve ser quebrado.

É preciso lembrar que a presidente Dilma Rousseff assumiu um compromisso com o povo brasileiro, durante as eleições de 2010, de que não legalizaria o aborto no país. Necessário agora, mais do que nunca, que a população cobre do Governo a defesa da vida e vete todos os artigos desse projeto falacioso e mal intencionado.

Não se deve silenciar diante de tal situação, pois pelo egocentrismo de alguns está-se legalizando o aborto. Mas é preciso defender a vida, como especifica o documento Donum vitae: “No momento em que uma lei positiva priva uma categoria de seres humanos da proteção que a legislação civil lhes deve dar, o Estado nega a igualdade de todos perante a lei. Quando o Estado não coloca sua força a serviço dos direitos de todos os cidadãos, particularmente dos mais fracos, os próprios fundamentos de um estado de direito estão ameaçados …”.

Esta é uma situação real e precisa ser rechaçada por todos os cidadãos, independente de credos religiosos.

Por outro lado, nós, católicos, tendo Deus como Senhor da vida e como ponto de convergência de tudo, não devemos nos esquecer que entre os direitos fundamentais da pessoa estão o direito à vida e à integridade física de todo o ser humano, desde a concepção até a morte.

Reafirmo que na defesa da vida – desde a concepção até a morte – precisamos entender que a legalização do aborto é uma saída menos custosa ao Governo, pois garantir a vida – da mulher e da criança – requer investimentos em profissionais de saúde, clínicas, hospitais, medicamentos, assistência social. Ao aprovar o aborto – não de forma explicita na lei – o parlamento e o Governo, através do Ministério da Saúde, pretende evitar mais despesas para o já combalido orçamento público.

É inegável que a legalização da prática criminosa do aborto (mesmo estando implícito na proposta da deputada Iara Bernardi), contraria os preceitos da Igreja. Arrancar o feto do útero da mulher é um crime. Um ser indefeso é assassinado, sob a tênue luz de uma suposta legalidade. Este feto, com poucas semanas de gestação, é filho de Deus e sua concepção é abençoada. Na leitura de Jeremias (1–5), vemos que “antes que no seio fosses formado, eu já te conhecia; antes de teu nascimento, eu já te havia consagrado”.

Negar a este ser indefeso o direito a vida, sob pretexto de uma profilaxia da gravidez, é caminhar em contrário ao que prega Jesus, especificamente no quinto mandamento – “Não matarás o inocente nem o justo, porque não absolverei o culpado” (Ex 23,7). Nele é nítido que o assassino e os que cooperam voluntariamente com o assassinato do inocente cometem um pecado que clama ao céu por vingança. Este mesmo mandamento proíbe que se faça algo com a intenção de provocar indiretamente a morte de uma pessoa.

A Congregação para a Doutrina da Fé publicou em 1987 o documento Donum vitae, uma Instrução sobre o respeito à vida humana nascente e a dignidade da procriação. Estabelece o documento que os direitos inalienáveis da pessoa devem ser reconhecidos e respeitados pela sociedade civil e pela autoridade política. Os direitos do homem pertencem à natureza humana e são inerentes à pessoa em razão do ato criador do qual esta se origina. Reafirmo que entre estes direitos fundamentais é preciso citar o direito à vida e à integridade física de todo ser humano, desde a concepção até a morte.

Pode parecer redundante repisar estas questões – concepção e morte. Mas este é o cerne da questão. É inaceitável que o poder público, através dos parlamentares e da presidente Dilma Rousseff, sinta-se no direito de legislar sobre tão fundamental direito, que é a vida. É legitimar o genocídio, é assegurar o assassinato de um indefeso, no caso o feto, com poucas semanas de vida.

A lei aprovada, caríssimos, é nefasta e merece ser rejeitada por todos os que creem em um Deus misericordioso, que ama seus filhos e quer todos sob seu abrigo. Deus que quer o direito a vida respeitado pela sociedade.

Assim sendo, clamo aos católicos e todos os irmãos e irmãs de outras comunidades cristãs e religiosas, contrários ao aborto no Brasil, que se dediquem a oração, suplicando ao Senhor da Vida e Vida em Plenitude, que afaste de nós, seus filhos, esta chaga horrorosa que é o aborto.

24 Comentários to “Dom Celso Marchiori, de Apucarana, PR: Outro bispo rompe o silêncio contra “chaga horrorosa que é o aborto”.”

  1. A Diocese de Apucarana é também, uma das poucas do Paraná(conheço apenas duas) que tem Missa Tridentina rezada pelo Pe. José Roberto Resende.

  2. Que outras mitras e báculos se ergam e as vozes de nossos pastores se façam ouvir.

  3. Eu li numa reportagem do jornal O Globo que a profilaxia da gravidez é a pílula do dia seguinte.

    Logo: pílula do dia seguinte = aborto

    fonte: http://oglobo.globo.com/pais/bancada-religiosa-pressiona-dilma-por-proposta-9048471

  4. Parabéns, Dom Celso!!!! Estamos precisando que mais bispos façam como o senhor e Dom Rossi Keller. São poucos que ousam contrariar o governo petista e dizer as coisas como precisam ser ditas clara e publicamente, mas esses poucos nos enchem de consolo e esperança.

  5. Como brasileiro Cristão Católico, assino com letras de sangue; é o momento de nos exprimirmos baseados nas Sagradas Escrituras, faz parte de Ação+orar, Ação+adorar.
    Acreditar, ter Fé, ser seguidor da Verdade que é JESUS CRISTO, nos constrange a ir, enfrentar no amor Ágape toda e qualquer afronta ao DEUS TRINO ADORADO, que cremos, seguimos; somos conduzidos carinhosamente sempre, ELE nos ama gente querida, que queremos mais…

  6. Palmas a Dom Celso. Gostei da objetividade, principalmente quando ele fala: É inegável que a legalização da prática criminosa do aborto (mesmo estando implícito na proposta da deputada Iara Bernardi), contraria os preceitos da Igreja. Arrancar o feto do útero da mulher é um crime. Um ser indefeso é assassinado, sob a tênue luz de uma suposta legalidade. Só escorregou um pouquinho quando chama os fetos de filhos de Deus. Uma vez que ainda não são batizados são só criaturas, mas de qualquer modo, glória a Deus porque o bispo rejeitou o bom-mocismo maldito que corre nas veias do clero do Brasil e disse a verdade.

  7. Sou da Diocese de Apucarana e fico sempre contente com as ações de Dom Celso.
    Ele sempre enfrenta os erros e não tem medo de falar a verdade.

    Como o Messias informou, ele fomentou a Missa Tridentina através do Reverendíssimo Padre Rezende, inclusive participando da mesma.

    Excelência, Deus lhe abençoe!

    Em nome dos pequeninos e indefesos

  8. Parabéns, Dom Celso…!!!

  9. O posicionamento de alguns bispos e o silêncio da CNBB só evidencia o quanto ela é dispensável, uma vez que não faz parte da estrutura da Igreja e, na maioria das vezes, infiel à Igreja e ao Evangelho!

  10. Merece todo louvor o pronunciamento de Dom Celso Marchiori! Demonstrou com as leis no Brasil são a favor da vida e não da morte!

    A propósito da dignidade da vida humana, desde a sua concepção, gostaria de citar a mensagem do Papa Francisco ao Dia pela Vida (Day for Life) a se realizar na Escócia, Inglaterra e País de Gales:

    “Calling to mind the teaching of Saint Irenaeus that the glory of God is seen in a living human being, the Holy Father encourages all of you to let the light of that glory shine so brightly that everyone may come to recognise the inestimable value of all human life. Even the weakest and most vulnerable, the sick, the old, the unborn and the poor, are masterpieces of God’s creation, made in his own image, destined to live for ever, and deserving of the utmost reverence and respect. […]”

    “Recordando o ensinamento de Santo Irineu de que a glória de Deus é vista no ser humano com vida, o Santo Padre encoraja a cada um de nós a deixar que essa glória resplandeça tão fulgurantemente que cada venha a reconhecer o inestimável valor da vida humana. Mesmo os mais fracos e os mais vulneráveis, os doentes, os idosos, os não nascidos e os pobres são obras de arte da criação de Deus, feitos à Sua própria imagem, destinados à vida eterna, e merecedores da máxima reverência e respeito.”

    Fonte:
    http://en.radiovaticana.va/news/2013/07/17/pope_francis:_all_life_has_inestimable_value/en1-711052

  11. +pax! Obrigado Dom Celso. Felizes são os filhos das Dioceses de Apucarana e de Frederico Westphalen pelos pastores que N.S. Jesus concedeu a eles!

  12. Felicitações a Dom Celso! Como é bom ver um bispo assumindo a cruz de Cristo, sem preocupação em ter que agradar ninguém senão a Deus.

  13. Faltou dizer para:
    -boicotar o PT e seus aliados corruPTos nas próximas eleições;
    -escrever milhões de cartas e e-mails para Brasília em tom duro e assertivo;
    -fazer marchas contra o aborto diante das sedes dos poderes públicos (palácios dos poderes executivo, legislativo e judiciário), aliás, lideradas pelos próprios Bispos e pelo clero local.

  14. Notícia muito boa! Que mais bispos imitem o exemplo de Dom Antônio Carlos Rossi Keller e agora de Dom Celso Marchiori! Especialmente peço a Deus que se mostre a todos os responsáveis pela CNBB para que esta conferência toda também se manifeste contra a abominação que é o aborto, sem medo de “guerra política”!

  15. Bravo, Leão de Apucarana!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Bravo, Leão de Westphalen!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Na Alemanha nazista, destacou-se o Beato Von Galen, o Leão de Münster, que atacou com força o regime de Hitler e suas prática eugênicas.
    Se os atuais Bispos brasileiros estivessem naquela época, seriam coniventes com a cultura da morte hitleriana.

  16. Amigos, é mais do que hora de os leigos, junto com alguns setores do clero, organizarem-se em torno de uma associação que represente DE FATO a fé Católica nesse país.

    Ao invés de aguardarmos resmungando que a CNBB isso ou aquilo, é melhor nos organizarmos nós mesmos.

    Já que a CNBB não nos representa há muito tempo, tratemos de conseguir meios de sermos ouvidos ao menos nestas questões tão gritantes.

    “Se te calares agora, o socorro e a libertação virão aos judeus de outra parte; mas tu e a casa de teu pai perecereis. E quem sabe se não foi para essas circunstâncias que chegaste à realeza.”

  17. Ainda bem que há Bispos como eles! A CNBB é uma vergonha!

  18. Os claros, frontais e lúcidos depoimentos de Dom Keller e Dom Celso, adquirem ainda maior relevância quando confrontados com a tibieza vergonhosa da CNBB.

  19. Posicionamento claro e ortodoxo de Dom Marchiori, Bispo e Pastor!

    E os demais Bispos Brasileiros, nada dirão?
    Estariam ocupados demais
    promovendo a instrução dos fiéis segundo os
    ensinamentos Tradicionais da Igreja,
    aplicando o Summorum Pontificum de Bento XVI e
    providenciando a verdadeira realização da Sacrosanctum Concilium
    nas Missas Novus Ordo?

    Quem nos dera..

  20. Terminei de ler o livro A Guerra dos Cristeros e no final tem uns textos escritos pelo Beato Anacleto González Flores (fiquei fã dele) e se estivesse vivo ia pagar geral para a frouxidão dos Católicos de hoje.
    É uma vergonha a falta de organização em que os Católicos Brasileiros vivem. Neste blogue, vários leitores já oferecem dinheiro para uma ação católica e cadê que aparecem as pessoas para meter a mão na massa?
    Se nós nos organizássemos, muito bispos iam sair da zona do medo e mostrar a cara!

  21. Uma voz que se levanta no silêncio dos que gritam “Barrabás”. Em defesa das vítimas inocentes.

  22. Deixo meus parabêns a Dom Celso pelas suas palavras.

    Fiquem com Deus.

  23. Irmãos na FÉ. Atentemos para existência de dois lados da moeda.
    Sempre terá, como gregos e troianos mesmo.
    Uns fazem audaciosamente, outros ficam aguardando um líder, quem fale, exponha-se
    verdadeiramente…
    Bem, agora temos um “líder” forte agindo entre nós, momento criado por ELE, para Ele e Sua Glória…
    Parece que saímos de traz da moita…!
    Lembremos quando Apostolo Paulo foi morto, a fuga dos Apostolo e o imediato crescimento da Igreja de Cristo, porque houve fuga e dispersão.
    Assim é hoje ainda, estamos “INDO À FRENTE…” COM AUDÁCIA, CORAGEM, PERSEVERANÇA.
    Não percamos essa oportunidade dos acontecimentos, não houve, criado com segundas intenções o manifesto popular???
    Agora é a hora de DEUS, Seu Reino e Sua Justiça, o resto nos virá por Acréscimo= VITÓRIA CONTRA O ABORTO.
    Atentemos para o escondido, que pela orar+ação em Espirito e Verdade fica Iluminado no escuro tenebroso da mentira.

  24. Dom Celso, fico feliz em telo como bispo, na minha humilde pequenez declaro total apoio a vossa excelência, que a visita do Santo Padre ao Brasil possa despertar todos os cristãos adormecidos para se pronunciarem contra o aborto. A nossa proteção esta no nome do Senhor.