Francisco em Aparecida.

Breve resumo: Missa celebrada com sobriedade, toda em português. O latim só apareceu no Panis Angelicum na hora da comunhão. Ao lado de cânticos populares tradicionais, como Virgem Mãe Aparecida, somos brindados ao fim com um hino cheio de chavões marxistas “Cantando da América a libertação“…

Os leitores podem deixar suas impressões na caixa de comentários.

Leia a homilia do Papa aqui.

Tags:

42 Comentários to “Francisco em Aparecida.”

  1. Que cruz é aquela no altar?????

  2. Monsenhor Guido envelhceu 20 anos em 4 meses.

  3. Não é O Papa que escolhe as musicas.

  4. É uma cruz nada católica, e feia mesmo. O altar além de feio e pobre muito pouco estimado, em nada se parece com um altar o qual preparado com muito pouca devoção ao Seu Senhor. Deus tenha misericórdia. Como é que os bispos permitem uma coisa daquela?! Me dá uma tristeza olhar para aquilo, que Deus me perdoe! :(

  5. Tem fotos que eu não sei se é para rir ou se para chorar…

  6. Percebi que depois da comunhão o santo padre queria se concentrar para fazer sua reflexão e cantavam uma música e ele olhou com um olhar ‘bravo’, e aí fizeram silêncio. Rezemos pelo Santo Padre, que Deus o ilumine. Amém. Deixo também essa reportagem do The economist:

    http://www.economist.com/news/international/21568357-its-trendy-be-traditionalist-catholic-church-traditionalist-avant-garde

    Recomendo que deem uma olhada.

  7. Foi uma bela homilia! Como sempre, simples e profunda. Citou até o Papa Bento XVI (“os haters piram”).

  8. Se fosse o papa que escolhesse as músicas, certamente seriam piores ainda.

  9. No momento final da despedida, no adro da Basílica, logo após o Papa ter dito : “__ Até 2017, quando estarei de volta aqui…” Houve uma cena estranha demais: Dom Raymundo Damasceno, dirigindo uma fala a sua Santidade, que por estar já fora do púlpito onde se achava o microfone, não ficou tão perfeitamente audível na transmissão, mas cujas imagens as câmeras puderam flagrar bem, mostrando a maneira grosseiramente desrespeitosa com que este prelado, presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, se dirigiu ao Sumo Pontífice : Simplesmente com o dedo em riste e tudo. Seja lá o que for que ele tenha dito ao Papa, mesmo que possivelmente tenha sido até algo amistoso relacionado ao retorno de Sua Santidade à Aparecida em 2017, aquela maneira como ele o fez, ali com o dedo em riste, não deixa de causar sensível indignação ao mesmo tempo em que transparece a completa falta de reverência desta autoridade máxima do Episcopado Brasileiro para com o sucessor de Pedro. Muito doloroso …

  10. No geral, diria que foi uma celebração digna. Longe da enorme beleza e sacralidade da Missa Tridentina, mas também longe das Missas circenses que já vi num vídeo serem celebradas nesse Santuário do Mundo.
    Ainda estamos bem longe da reforma da reforma na liturgia querida por S.S. Bento XVI, e esses pormenores que bem repararam nas fotos são certamente pontos a corrigir.

  11. Realmente CADU SINDONA, quando olhei as primeiras imagens e o vídeo ao vivo, pensei a mesma coisa!
    Os sites especializados em liturgia, sobretudo os blogs, já ignoram por completo o pontificado de Francisco. Podem reparar, por exemplo, o New Liturgical Movement que rarissimamente publica um post com referência a uma missa de Francisco. Na página principal, hoje, há referências à Bento XVI.
    Francisco não é um porta-voz da reforma da reforma, mas retrocede simplesmente à reforma (1969).
    O Papa é o grande referencial litúrgico e com Bento XVI os católicos tinham “munição” para argumentar em usas dioceses ou paróquias, coibindo erros e abusos. Esse tempo acabou. Isso reforça a confusão esquizofrênica na Igreja, a instabilidade na qual vivemos o dia a dia.

  12. Legal Ferreti, ainda nao tinha conhecimento. ‘Eis que o Sol esta voltando a brilhar’. Graças a Deus.

  13. Vi na missa, pela tv, ao fundo, atrás do Papa, Agnaldo Timóteo. Vi também no site guia de Aparecida que foram selecionados para participar da missa Elba Ramalho, Joanna, Neguinho da Beija-Flor, Renato Teixeira e Sérgio Reis. O critério para seleção dos “ilustres” era ser católico e devoto de Nossa Senhora. Deus é quem perscruta os corações, e ama a retidão (1Cr 29,17), não sou eu que perscruto os corações, mas me pergunto: como é essa devoção sem conversão? Não perscruto os corações, mas como é que o Neguinho da Beija-Flor canta no ‘Tributo a Nossa Senhora à espera do Papa’, e ano que vem está puxando samba na Marquês de Sapucaí?

    No Evangelho, Maria ordena: “fazei tudo o que ele vos disser”. Não tenho como sondar os corações dos “ilustres” convidados, mas eles obedecem à ordem de Maria ou apenas a têm como um amuleto pendurado no pescoço?

    E aqueles católicos que dedicam uma vida inteira ao serviço da paróquia? Aqueles que rezam o terço diariamente (não que eu reze, sou vencido muitas vezes pelo cansaço ou tempo mal administrado)?

    Preciso apenas entender, como é essa comunhão sem conversão, dos rabinos presentes na missa. Dos líderes protestantes e de outras religiões.

    Preciso apenas ouvir, da Igreja, do Concílio Vaticano II, como é esse procedimento de dialogar com os assassinos do Pe. François Murad, cuja memória sequer foi lembrada na missa (claro que ele pode ter sido vítima de extremistas, e não podemos generalizar e dizer que todos os muçulmanos são assim. Mas foi mártir, porque morreu por ser Cristão).

    Preciso ouvir, do Vaticano II, como é celebrar um culto ecumênico, com a participação de pessoas que sequer acreditam na Presença Real de Cristo no Santíssimo Sacramento.

    São apenas coisas difíceis de entender, e que se mostram como desafios à Igreja de Cristo hoje, mas que trarão conseqüências para a salvação das almas.

    Que nós tenhamos discernimento, sempre na obediência, sempre na fidelidade, sempre na caridade.
    Que o Espírito Santo inspire o Papa. Que o Esposo encontre sua Igreja toda gloriosa, sem mácula, sem ruga, sem qualquer outro defeito semelhante, mas santa e irrepreensível (Ef 5,27).

  14. “Monsenhor Guido envelheceu 20 anos em 4 meses”. [2] Muito bom!ehehe

  15. O Papa Francisco fala de uma forma que todos compreendem, e fala realmente de Deus. Eu gosto dele por isso e por ele ser humilde, mas se ele restaurasse a liturgia, seria muito melhor compreendido, além de ele e todo mundo professar corretamente a fé em Cristo.

    Pelo jeito popular dele, se restaurasse a liturgia(voltasse com a liturgia antiga e atualizá-la aos tempos de hoje, mas sem feri-la), as pessoas entenderiam e seguiriam melhor às mensagens que o papa tem a mostrar e principalmente se aproximariam mais das de Cristo.

  16. O Cálice desenhado por Claudio Pastro é de chorar de tristeza.

  17. Que cátedra era aquela meu Deus? E aquele cálice? Aqueles paramentos (tanto os da abertura da JMJ quanto os de hj em Aparecida)? Tudo de péssimo gosto! Penso que simplicidade não é sinônimo de mau gosto… Sobriedade em paramentos litúrgicos tem limitee..

  18. A julgar pelo nível trágico da liturgia do Santuário Nacional, pouparam-nos de coisa muito pior. Temia por um circo “pontifício”. Mas essa gente vil sabe enfiar a viola no saco…Tudo foi celebrado com bastante sobriedade e, ao que parece, o próprio Papa deu um “carão” aos violeiros mais afoitos. O que não deixa de ser desprezível, o Papa tendo que retificar o serviço litúrgico do Santuário que o recebe. A lamentar pela presença artística do sr. Cláudio PASTO, e suas obras de péssimo gosto, que certamente empobreceram a liturgia. Mas já era esperado. No frigir dos ovos, a liturgia da celebração saiu quase incólume do “espírito de Aparecida”, o primo pobre e TL do “espírito do Concílio”.

    Certamente os pontos baixos da celebração podem ser perfeitamente creditados à presença impenitente e desleixada do cardeal Damasceno, que deixou o Santuário de Aparecida bater no fundo do poço. Que Deus queira vê-lo o quanto antes longe de Aparecida. Nem dom Lorscheider deixou as coisas descerem a tal ponto.

  19. A comunhão sob duas espécies dos sacerdotes que concelebravam afastados do altar foi na mão e não está adequada para impedir profanação.

    O Papa celebra com respeito, ao contrário de muitos que celebram de forma atrevida e abusada. A postura do Papa inspira piedade. Ele tem um comportamento mortificado.

    Como toda Missa Nova, não possui momento nenhum de silêncio para oração pessoal.

    Como toda Missa Nova, blablá de cá, blablá de lá o tempo todo. Todo mundo é como robô, só pode rezar o que está previamente definido. O povo é atentado durante todo o tempo da celebração a falar alguma coisa alto.

    Não suporto o tempo das duas primeiras leituras feitas pelo laicato. Tive que cortar o áudio.

    Gostei da maioria dos cânticos.

    ———————————————————————–

    Com relação à homilia,

    Acho que o Papa está desde o Discurso no Palácio da Guanabara insistindo em VALORES DURADOUROS. Ele falou de MEMÓRIA DE UM POVO. Não está se referindo apenas a dogmas e moral irreformável.

    Para quem está esperando que ele veio fazer revolução, condenar a igreja arcaica e consagrar a igreja carismática, como um vaticanista foi citado na Notícias Terra, Francisco está decepcionando.

  20. Completando o último comentário meu: se o Papa Francisco, por ser popular, restaurasse a liturgia antiga com as atualizações necessárias sem distorcê-la, as pessoas o ouviriam melhor e mais gente atenderia a essa volta à liturgia e ao cumprimento correto da proferição da fé na Igreja. Ele PODERIA usar sua popularidade para pôr as pessoas no caminho certo da Igreja.

    Mas lógico que eu só estou supondo. Pelo jeito do papa, ele nunca voltaria com a Missa Tridentina como a forma única ordinária….

  21. Pelo menos colocaram uma “cruz”, ou algo parecido com uma cruz, no altar. Para Aparecida é um grande avanço….

    Parece que pelo menos nas suas celebrações o Papa Francisco continua com uma cruz e velas na sua frente no altar, como Bento XVI, que as reintroduziu nas celebrações. Mas acho que é mais por causa do Mons. Guido Marini….

  22. Papa Francisco prometeu voltar em 2017 e o Papa Bento XVI insinuou, em 2010, que o Imaculado Conceição de Nossa Senhora irá triunfar até 2017. Que esses quatro anos passem rápido, se Deus quiser.

  23. FRATRES;
    Mas para quê tanto espanto?
    Foi uma “celebração” digna dos conciliaristas…
    Parece que o papa possui uma devoção à Virgem Negra, a Senhor da Conceição Aparecida, nossa Rainha e Padroeira. Isso é bom, ao menos tem um grande “carinho” pela Mãe de Deus e nossa.
    Quanto ao serviço religioso, bem, nada mais a dizer.
    Em relação aos “vasos sagrados” e à “Basílica Nova”, realmente ridículos. Os vasos sagrados não são simples, mas simplórios (que é muito pior), porém, custaram muito caro, de “pobreza franciscana”, não tem nada.
    Ademais, o autor, um artista plástico, ligado à espiritualidade beneditina, nada tem a ver com os ideias franciscanos ou mesmo jesuíticos.
    O artista prima pelo mau gosto e por uma “estética piscinesca”, uma vez que a azulejaria na Basílica, e as cores azuis, lembram uma piscina.
    Deve ser algo referente ao mergulho profundo que faz a igreja conciliar, “buscando suas origens no fundo dos rios”…
    Por isso que ficaram sem oxigenação, e sua liturgia, com seus objetos sacros, suas músicas e seus “artistas” sejam tão aguados…
    Talvez por essa razão, a maioria dos romeiros, grande parte deles gente simples, prefiram sempre a “Basílica Velha”.
    Como me disse um dia uma paciente que lá esteve no mês de maio deste ano:
    “A ‘Basílica Nova’ é muito grande, ficou toda azulzinha. É grandona e muito cheia de coisa, a gente vai lá ver a Imagem Milagrosa, mas rezar o terço e tirar foto, a gente ainda prefere a ‘Basílica Velha’, tem mais jeito de Igreja.”
    E esta boa senhora, nunca fez nenhum curso de Teologia, Belas Artes, ou mesmo “Educação Artísitca”.
    É apenas o bom e velho senso comum, nem chegaria a ser aquilo que em Teologia se chama de “sensum fidelium”, mas sim, o gosto pelas coisas simples e belas que elevam a alma a Deus, tal qual a “Basílica Velha”.
    Melhor toda essa gente conciliarista ir para o fundo de sua piscina e ficar por lá, onde farão companhia para tudo aquilo que fica parado nas curvas dos rios.
    E dá-lhes o cinquentão vitaminado!
    E a Juventude e Mundanismo Juntos comemorando mais e mais…
    Com todo frio e chuva, nada melhor que o piscinão do cãocílio para esfriar os ânimos!
    Rir para não chorar!

  24. Por comparação: Se num navio, a tripulação comete seguidos erros, então é dever do capitão dar as ordens, e a ordenar a nave para a rota certa. Não, apenas, olhar com expressão “feia”.

  25. FRATRES;
    Faltou dizer o que deixou-nos mais espantados ainda: os elogios baratos na CN aos “irmãos evangélicos”.
    Onde o apresentador, em meio a uma chuva fria, conversando com um padre de camisa clerical romana, preta, mas calça jeans (mais um dos “santos de calças jeans”) e um outro senhor, que só demonstrava que era padre, pelo anel de tucum e o linguajar marxista/populista, onde todos elogiavam os “Evangélicos”, que oram e amam a igreja (conciliar)… Amam mesmo! Caso não fosse essa neo igreja mambembe, eles nunca teriam crescido tanto, ganhado tanto dinheiro e pervertido tantas almas!
    Parabéns CN!
    O jovem padre de calça jeans, com o cabelinho cheio de gel, dizendo ser o “embaixador da comunidade CN junto aos evangélicos”, cheio de charme, dizendo que acha lindo “bispos impondo as mãos em pastores e pastores impondo as mãos e orando pelos bispos” (devem ser os bispos da igrejola que ele faz parte – ou as serpentes mitradas já se deram a esse desplante? Acredito que não, uma vez que a maioria delas, das excelências, parece não crer em nada, a não ser no dinheirinho das contribuições e no “bom-mocismo”)
    Lá na eternidade o deu$ Baal vai recompensá-los por tantas alma$ que vocês lhe ofereceram!
    Dá-me alma$$$!
    Não é mesmo?
    Lá no submundo de Baal, vocês poderão “celebrar” com lindos apetrechos, seus cálices moderninhos, suas âmbulas descoladas, seus artistas e show men’s, o encontro final e definitivo com o pai do concílio e do ecumenismo: Lúcifer, o parlapatão!
    Lá no inferno vocês e toda a sua maldita igrejola poderão, enfim, urrar: tamu junto!

  26. Correto o sobrenome do sr Claudio Pasto. Deve estar de acordo com o que ele come…

  27. Assisti a missa pelo site do Vaticano. De fato, por parte do Santo Padre não há do que se falar. Mas se tratando do nosso povo e clero… O solo do orgão antes do início da Missa estava lindo. Infelizmente, tem aquele puxador de escola de samba que mesmo com a procissão de entrada se dirigindo ao Altar, não cala a boca. Um detalhe que não se deve deixar passar, é que o clero brasileiro insiste com estas saudações, como se a Santa Missa fosse uma solenidade civil, fazendo verdadeiras homilias antes do Ato penitencial. O Papa a comando do Monsenhor Guido, parou assim que subiu os degraus do presbitério e recebeu a saudação antes mesmo de incensar o altar. Fiquei muito feliz com isso. Mostra quão esta prática aqui adotada é tão errada e elimina totalmente do contexto da Santa Missa este tipo de discurso desnecessário, já que oportunidades não faltam para se dizer o que o Cardeal tanto gaguejou. Ademais, que arranjo beneditino triste, que Cálice terrível da besta Pastro, fiquei com medo na hora que Sua Santidade foi comungar do preciosíssimo Sangue de Nosso Senhor, que este derramasse pelas laterais da boca do cálice maior que o rosto do Santo Padre. Também foi visível a total falta de costume dos brasileiros em fazer silêncio já que o mesmo puxador de escola de samba precisou pedir silêncio após a homilia para o que ele chamou de reflexão pessoal, o por aqui desconhecido silêncio orante. O canto final foi totalmente impróprio. No geral foi bom, mas ainda há graves detalhes que nem mesmo o magno mestre de cerimônias conseguiu reverter. Aproveito para externar o meu descontentamento com a assim chamada Missa de abertura, mas que leia-se show do criança esperança. Inacreditável que permitiram efeitos de luzes durante a Missa. Por quê o Agnus Dei cantado em italiano e não em latim? Há uma aversão tão grande à língua mãe e oficial da Igreja, que até a logística digamos assim ficou comprometida, já que após as leituras, por exemplo, executadas em idiomas diferentes, houve confusão em como e o que responder. O que poderia ter sido simplificado se em todas o fim fosse “Verbum Domini”. Por fim, critico a concepção que os responsáveis pela música tem de salmos. Não sei para que tanta gritaria. Tanto em Aparecida como na melodia pentecostal em Copacabana. Em Aparecida a mulher precisava tomar fôlego a cada palavra para apresentar sua quase performasse de soprano, já em Copacabana, não faltou grito nem altura. Faltou apenas um outro no microfone, berrando:”Amém, sim Jesus!, ô Glória…” e estas outras expressões que me arrepiam até a alma. Moral da história: Faltam aos brasileiros, sobretudo, a busca de experimentar os sinais da presença de Deus, que só conseguem serem percebidos por nós, quando nossa humanidade é deixada de lado, e conseguimos calar o nosso coração para ouvir Sua voz.

  28. Penso que serão assim as missas em qualquer lugar que o papa Francisco esteja: conforme o “rito cultural” do local.

    Lembro-me de “Mamma mia!(https://fratresinunum.com/2013/07/08/oh-my-god/)

    Quanto ao Monsenhor Guido, para mim, parece figura fora do quadro, ou seja, fica completamente deslocado das missas do Papa Francisco; para não dizer, também; desolado.
    Agora, talvez ele esteja experimentando um pouco da minha insatisfação e angustia quanto ao rito novo.
    Ele mesmo defendeu como próprio o rito pós 62 muitas vezes. Admitia apenas que houvesse certos ajustes. Agora pode ser que saiba bem o porquê das reclamações feitas a Roma dos achincalhes missais decorrentes da reforma litúrgica que ocorrem no Brasil e em outros países. Está sentindo na pele, como eu – admito que sinto. Há pouco tempo Monsenhor Guido dizia:

    conf.: https://fratresinunum.com/2010/10/07/mons-guido-marini-%e2%80%9ca-atuacao-pratica-da-reforma-depois-do-vaticano-ii-nao-esta-sempre%c2%a0feliz%e2%80%9d/#comments

  29. Duas impressões que tive:
    1 – A grande devoção à Maria vai contra a tese que o Santo Padre é ecumênico. Queria muito saber o que ele disse ao pé do ouvido do pr Luterano que estava lá ao fim da missa (ou era anglicano?).
    2 – Ele não é revolucionário em relação a liturgia. Lembremos que é jesuíta.

  30. Prezados, os absurdos que se ouve na TV Aparecida, são verdadeiras ofensas a Virgem Maria. Ontem foi um Padre que dizia por que o Papa não realizava um encontro ecumênico, e hoje foi o Padre Josafa falando com muita satisfação acerca da Teologia da Libertação…..É uma heresia atrás da outra. Como dizia o Santo Padre Pio X:
    “”A Igreja desde sempre “luta”, não dialoga -, “defende”, não entrega – o tesouro da fé que Deus lhe confiou, e protege os fiéis do veneno dos hereges (S. Pio X).””

    “”O verdadeiro ecumenismo, a verdadeira caridade com os que estão no erro, é mostrar-lhes a verdade plena, e rezar por eles – não “com” eles – para que se convertam à verdadeira fé…(S. Pio X).”””

    Eis que não há nada encoberto que não se revele.

    Rezemos e peçamos a Virgem Maria que proteja a Santa Igreja desses hereges.

  31. Não sei se perceberam, mas o papa quase não conseguir beber o Precisos Sangue de Cristo. Na hora da consagração, ele deveria ter dito: “Este é o balde do meu sangue…”. Sinceramente, era o que parecia um balde…

  32. Hoje é um dia que os neocons estão em silêncio, viram que Francisco gosta é mesmo desse ambiente das celebrações festivas, o papa se sente livre, nem mesmo paramentado tem o trabalho de se conter. Na moderna basílica de aparecida, sem aquela moldura tradicional proporcionada pelo Vaticano, que parece cegar aos tolos, já não é possível mais fazer comparações e ligações com a Missa tradicional e dizer que é a reforma da reforma etc…

  33. FRATRES;
    A devoção do papa à Virgem Negra, Nossa Senhora da Conceição Aparecida foi demonstrada pelo carinho que ele teve com a belíssima imagem que recebeu de presente, como a beijou.
    Bom sinal, afinal “servus Mariae nunquam peribit!”*, como já ensinava São Bernardo de Claraval.
    Mas, cá entre nós, o “piscinão do Pastro” é pra lá de horrível!
    Ainda mais com aquele “serviço de altar”, só Deus para ter piedade!
    Mas, como me disse um amigo, o “cálice-balde” está dentro do “contexto piscinesco” de sua “arte”…
    Êta mau gosto!
    Rir, para não chorar…

    *O servo de Maria nunca perece.

  34. Vi pela tv do restaurante e a apresentadora do jornal local mal conseguia falar quando o Papa chegou do lado de fora da Basílica. Este péssimo humor dos tradicionalistas e essa adrenalina altíssima ainda vai fazer muitos perderem a alma: embalagens sem conteúdo.

  35. Que Deus ilumine o Papa Francisco pois ele por ser Pedro está rodeado de muitos lobos em pele de cordeiro querendo acabar com a Igreja,ele é muito carismático mas que saudades de Bento XVI.

  36. Nossa… Quanta insatisfação, penso que eu esteja lendo os ministros da Igreja Católica, não vi Escola de Samba, o que vi, foram pessoas emocionadas, nervosas, e fazendo aquilo que puderam fazer naquele momento, o seu melhor! Aliás o Sumo Sacerdote Papa Francisco, prega o humildade e o missal diz que o altar deve ser simples.

  37. Misericordia…. Que Missa! Nem sei o que comentar… O coro mais desafinado que tudo, uma polifonia mal feita e cansativa, nem um gregoriano, etc… Os Vasos sagrados tao horriveis quanto disfuncionais, o Papa nao sabia como tomar o calice… tudo bem “brasileiro” (que me desculpem os sacerdotes e fieis que se esforçam por um liturgia pura e digna) … Mas eu esperava isso mesmo de Aparecida, no Rio quem sabe seja diferente, ja que os Padres que se encargaram das questoes liturgicas me pareceram mais cultos…

    Bento, que saudade!!!!! Obrigado Papa Bento por tudo que fizestes pela Liturgia!

  38. Felipe Leão. Na transmissão ouvi o comentário de um padre muito interessante: que Francisco tinha optado, diferente de Bento XVI, por trajes e instrumentos mais simplórios, os quais, como você mesmo apontou, custaram muito caro. Bento XVI, por outro lado, optou por usar no seu dia a dia e na Jornada de Madrid por trajes e instrumentos que já existiam, não mandou fazer nada novo, pegou os existentes ajustou e utilizou normalmente.

    Aí o padre faz a seguinte pergunta: “O que é mais simples (simplório) e economico, mandar fazer toda a indumentária nova ou utilizar as que já existem?”

    Realmente, é algo a se pensar!

  39. Duas impressões que tive:

    1 – A devoção à SSª Virgem Maria vai a favor do ecumenismo-sincretismo por ser semalhante a dos luteranos/anglicanos tradicionais. E o quê talvez ele tenha dito ao protestante ao “pé do ouvido” do pseudo pr protestante foi somos irmão em cristo. Do contrário teria dito em voz alta para todos.

    2 – É certo que ele não é revolucionário em relação à liturgia. Nota-se isso quando aceita o rito escrachado do Brasil e por ter estudado em colégios jesuítas onde se ensinava o melhor de catolicismo no periodo dos seus estudos, isto é, de 1946 a 1962 e hoje, infelizmente, praticamente as ordens religiosas estão todas desvirtuadas das regras e espiritualidades de seus fundadores, bem como, seus discipulos.

  40. A lembrar que os paramentos usados por S.S., bem como os vasos foram confeccionados especialmente para esta data. Impressionante! Mas, por outro lado, todos perceberam o presente que o Santo Padre ofereceu ao Santuário? Um cálice. Católico. Quem sabe em 2017, quando ele prometeu voltar, eles não utilizem o presente do próprio papa… Já seria um milagre!