Francisco fala em Roma, Burke fala nos EUA.

Por Il Foglio | Tradução: Fratres in Unum.com –  Se não fosse o longo colóquio do Papa Francisco com a “Civiltà Cattolica”, a entrevista do Cardeal Raymond Leo Burke, Prefeito do Supremo Tribunal da Assinatura Apostólica, haveria de ficar escondida nas páginas do períodico mensal “Catholic Servant”, impresso em Minneapolis, e seria facilmente esquecida. Principalmente, depois de Francisco ter declarado que algumas questões e certos princípios inegociáveis não deveriam se tornar prioridades no ministério dos sacerdotes, devendo apenas ser pregados em contextos específicos, pois a posição da Igreja já é bastante conhecida. Palavras que na América, onde está alinhavada a batalha, inclusive política, da ala conversavora do episcopado, hoje guiado por Timothy Dolan, surpreenderam.

Cardeal Burke.
Cardeal Burke.

Por isso publicamos hoje esta entrevista e damos ampla cobertura ao que disse o Cardeal Burke, enquanto a milhares de quilômetros de distância, em sua suíte papal na Casa Santa Marta, Bergoglio lembrava que “uma pastoral missionária não pode estar obcecada com a transmissão desarticulada de uma multiplicidade de doutrinas a serem impostas com insistência”. Além de falar sobre o Summorum Pontiticum e a participação dos fiéis católicos na Missa, o Cardeal Burke dedica amplo espaço à tríade contracepção, aborto e casamento gay. Não tem medo de falar sobre “a alarmante rapidez com que se está implementando a agenda homossexual”, fato que “deve despertar a todos nós e nos deixar alarmados quanto ao futuro da nação” [referindo-se aos EUA]. Sobre isso, acrescenta o Cardeal: “estamos diante de um engano, de uma mentira sobre os aspectos mais fundamentais de nossa natureza humana, da sexualidade humana, que nos define [como tais]”.

Mentiras que só podem “vir de Satanás”, diz o Cardeal e antigo arcebispo de Saint-Louis. “É uma situação diabólica que visa destruir os indivíduos, as famílias e finalmente a nossa nação. É o mal imperante, logo, como resultado de uma cultura de morte, uma cultura contra a vida e contra a família que já existe há tempos”. E a culpa, a responsabilidade máxima do colapso “é dos católicos”, diz Burke.

“Não combatemos adequadamente, porque não nos foi ensinada a nossa fé católica, sobretudo na profundidade necessária para enfrentar esses graves males do nosso tempo. É uma falência da catequese, seja a catequese das crianças, seja a dos jovens, que é realizada nos últimos 50 anos. É necessária uma atenção muito mais radical, e posso dizer isso porque fui bispo de duas dioceses diferentes”. O resultado da catequese superficial dos últimos 50 anos “é que muitos eleitores adultos apoiam políticos com posições imorais, porque não conhecem a sua fé católica e o seu ensinamento sobre a questão da atração pelo mesmo sexo e sobre a desordem intrínseca das relações sexuais entre duas pessoas do mesmo sexo. Isso porque – acrescenta — tais pessoas não estão em condições de defender a fé católica”.

O fundamental por determinar a situação corrente foi “a exaltação da virtude da tolerância, falsamente concebida como a virtude que se sobrepõe a todas as outras virtudes”, disse Burke. Em outras palavras, explica, “deveríamos tolerar outras pessoas em suas ações imorais, a ponto até de parecer que apoiamos a moral equivocada. A tolerância é uma virtude, mas certamente não é a principal, que é a caridade. E caridade é falar da verdade, especialmente da verdade sobre a vida humana e a sexualidade humana. Enquanto nós amamos o indivíduo, nós desejamos somente o melhor para aqueles que sofrem de uma inclinação que os leva a se envolverem em relações sexuais com uma pessoa do mesmo sexo. Nós devemos condenar estas ações, porque estão em desacordo com a própria natureza, como Deus nos criou. É preciso dizer, nota o cardeal prefeito, um basta “ao falso sentido de diálogo que se infiltrou também na Igreja. Não é possível reconhecer publicamente aqueles que apoiam violações abertas à lei moral, nem render a eles quaisquer tipos de honras. Isto é um escândalo, uma contradição, um erro”.

Destaques nossos.

33 comentários sobre “Francisco fala em Roma, Burke fala nos EUA.

  1. Uma aula de ortodoxia. Um gigante o Card. Burke! Com a saída do Card. Piacenza é um dos últimos bastiões católicos na cúria romana. Rezo para que resista!

    Curtir

  2. O que Deus quer de nós quando permitiu que Bergoglio fosse o Papa?
    Qual nossa responsabilidade nessa tempestade que se abate sobre o Papado?
    Por que o Cardel Burke não foi o escolhido?
    São essas algumas das questões que pairam sobre aqueles católicos que ainda perseveram na fé..
    Peçamos a Deus que nos dê conforto e paciência para esperar o fim da tormenta.

    Curtir

    1. Me recuso a ter de ler uma afronta dessas ao Papa!!!
      Como pode duvidar da índole do Papa Francisco?!
      Se ele está ali é por q Deus o escolheu para que estivesse ali!
      Sei que o Papa não é perfeito, até mesmo por que ninguém é, mas creio eu que Deus o escolheu para o Papado por que realmente é necessário termos como Papa uma pessoa muito humilde não só no coração mas tmb nas atitudes, alguém que olhasse para aquele mero soldado que faz sua escolta, alguém que se importasse verdadeiramente com aquele que está largado na rua, aquele que está no hospital já sem acreditar na própria vida, sem esperança de viver…
      O que acabo de dizer não está indo de contra aos outros Papas, mas que o Papa Francisco por ter esse carisma, faz mais por essas pessoas…
      Não sou “puxa saco” do Papa Francisco… só sei reconhecer um homem escolhido por Deus, e que tem muuuuuito mais fé que cada um de nós que estamos aqui nessa page…
      E nem sou simpatizante da TL, pelo contrário sou totalmente contra a TL, e sou até bastante conservador, algumas vezes até me sinto velho para o mundo atual…
      Não deem ouvidos a o que a Mídia fala, ela distorce a fala do Papa…

      Curtir

  3. Mais um que vai ser chutado pra escanteio em breve. Espero que resista e não se silencie. O papa é grande mas a Igreja é maior!

    Curtir

  4. As palavras – e o mea culpa, que é de todos nós – do Cardeal Burke, exprimem o pensamento que se espera de um purpurado católico. Subseqüentemente, devemos esperar reações na mesma linha da Hierarquia norteamericana, envolvida neste ambiente de agressões constantes à Moral e à Verdade.
    Ainda entendo que o Espírito Santo está velando pela Santa Igreja; mas que perpassa, aqui e acolá, frêmitos de desesperança e incredulidade . . .

    Curtir

  5. E ainda há quem diga que só se gosta do Burke porque “ele costuma usar metros e metros de renda.” Me pergunto quantos bispos, ou até mesmo quantos cardeais, pensam como Burke. Para onde será que vão mandar ele em breve?

    Curtir

  6. Rezemos pelo Cardeal, é o último na Cúria em quem podemos confiar. Não há mais ninguém! Temo que Francisco virá defenestrá-lo como fez com Piacenza.

    Curtir

  7. Bravo Cardeal Burke! Viva! Eis o que precisamos ouvir dos nossos pastores: a verdade, a verdade, a verdade! Fazer o que Jesus disse diante de Pilatos: “Vim dar testemunho da Verdade!” Fora da Verdade, não há Caridade! Deus seja sempre louvado!

    Curtir

  8. Grande sacerdote!
    Destemido e verdadeiro.
    Burke deveria ser o Papa.
    Quem dera que a maior parte dos bispos fossem assim.

    Curtir

  9. “A tolerância é uma virtude, mas certamente não é a principal, que é a caridade. E caridade é falar da verdade, especialmente da verdade sobre a vida humana e a sexualidade humana.” Sábias palavras do Cardeal Burke, que Deus o proteja.
    Sancta Mater Dei, orai pro nobis.

    Curtir

  10. Excelente entrevista. Mas o Papa é Francisco e Sua Santidade disse o que disse. E agora? A obediência ao Sumo Pontífice nos obriga a aceitar o erro doutrinário? O que podemos fazer além de rezar o rosário pelo triunfo do Imaculado Coração da Virgem Maria?

    Curtir

  11. Este cardeal seria um bom Papa da Santa Igreja Católica! O que ele disse só pode ter sido guiado pelo Espírito Santo, e o disse sem medo das reações do mundo corrompido pelo maligno.

    Rezemos pelo nosso Papa Francisco, para que ele perceba e defenda somente o desígnio de Deus e não o desejo dos homens; também rezemos para não sermos tentados pelo inimigo ou para termos força contra a tentação e não abandonarmos a nossa fé na Igreja!

    Infelizmente essa entrevista não irá repercutir no mundo, porque seu conteúdo é verdadeiro pois vem do Espírito Santo. Poderiam divulgar mais nas redes sociais quem as utilizarem.

    Curtir

  12. Se o episcopado americano, um dos poucos entre as grandes nações católicas liderado por uma maioria esmagadora de bispos conservadores (Burke, Dolan, Wuerl, Gomez, O’Malley…), e que certamente foi o grande fiador do pontificado de Bergoglio, começar a “dar para trás”, temo pelo estado da Igreja nos próximos anos. Pior do que um pontífice ora meio brilhante, ora absolutamente perdido, seria, sem exclusão deste fato, uma guerra fratricida silenciosa. Para um Papa que prometia suturar as divisões, aplainar as diferenças e reunir a Igreja sob a autoridade no amor, as coisas estão indo para um caminho bem diverso. Só não vê quem não quer: cada gesto “torto” de Francisco aprofunda o ressentimento daqueles católicos com os quais ele não parece muito afeito. Sem querer ensinar o Papa a pontificar, mas creio que cabe a ele mensurar melhor suas palavras e atitudes, com vistas à real universalidade da Igreja. Um dia desses foi o cardeal Dolan, agora o cardeal Burke, e certamente há muitos outros em silêncio que não estão gostando dos rumos recentes do atual pontificado.

    Curtir

  13. Letra por letra; palavra por palavra; frase por frase; paragrafo por paragrafo. A citação do Cardeal Burke, é a descrição exata dos acontecimentos, lá nos Estados Unidos, no mundo e aqui no Brasil.

    Curtir

    1. Exato!

      Sem a restauração da devoção e da catequese tradicionais (combatidas ferrenhamente pelo clero modernista “neo-anglicano”), nada de catolicismo!

      Curtir

  14. Faço minhas as palavras do leitor Jerônimo, integralmente. Acho que a Igreja está para enfrentar a pior tempestade da sua história. O trono de Pedro ocupado por alguém que despreza tudo o que se refere à tradição e ao Papado; que com um pauperismo sem sentido, faz uma crítica silenciosa a todos os grandes Pontifices que o antecederam; que está se cercando de pessoas despreparadas e que irão aplaudi-lo na sua ação devastadora, como já faz a mídia…

    Curtir

  15. “Mentiras que só podem “vir de Satanás”, diz o Cardeal e antigo arcebispo de Saint-Louis. “É uma situação diabólica que visa destruir os indivíduos, as famílias e finalmente a nossa nação. É o mal imperante, logo, como resultado de uma cultura de morte, uma cultura contra a vida e contra a família que já existe há tempos”. E a culpa, a responsabilidade máxima do colapso “é dos católicos”, diz Burke.

    “Não combatemos adequadamente, porque não nos foi ensinada a nossa fé católica, sobretudo na profundidade necessária para enfrentar esses graves males do nosso tempo. É uma falência da catequese, seja a catequese das crianças, seja a dos jovens, que é realizada nos últimos 50 anos.”…

    Alguém em sã consciência pode negar essa fala do cardeal? Alguém que conhece o colapso que se encontra a catequese nas nossas Paróquias e Dioceses pode negar essa REALIDADE trágica?
    Como negar essa fala do cardeal quando nossa catequese está agonizando nos milhares de subsídios ( palavra do dia) que são produzidos pelas centenas de comissões e subcomissões da máquina esmagadora que possui a CNBB…

    Nossos jovens saem da catequese para fazerem a primeira comunhão sem saber ao menos o elementar da Fé Católica, são Crismados e, a maioria, nunca mais pisam na Igreja, voltam para casar ou dentro de um caixão, quando voltam…

    Contra os fatos não há argumentos. O cardeal Burke, ao contrário do Papa, não tenta tapar o sol com a peneira, não tenta agradar a imprensa, aos teólogos, aos padrecos e Bispos adeptos da linha da tl maldita que colocaram a Igreja nessa situação calamitosa aqui na América Latina. A Europa agoniza por causa do ateísmo prático; a A. Latina agoniza por causa da tl maldita e sórdida…

    “uma pastoral missionária não pode estar obcecada com a transmissão desarticulada de uma multiplicidade de doutrinas a serem impostas com insistência”. (…)

    Misericórdia!!! Um Papa falar isso??? Parece que o Papa está querendo mostrar, contra toda realidade, que esses pontos já são pacíficos e aceitos pela Igreja, falo Igreja referindo-me mais a hierarquia, porque os leigos, na grande maioria, são enganados e manipulados por padres mal formados e, às vezes, maldosos em relação à Doutrina, sabem o que o Magistério prega, mas, ignoram propositadamente, riem e debocham dos documentos magisteriais.

    Como já foi dito acima, parece que o cardeal assinou sua sentença de morte, mas, a Igreja tem 2000 anos, Francisco passará, o cardeal passará, nós passaremos, Nosso Senhor e sua Santa Igreja permanecerão até o fim dos tempos, e mais, a Igreja já passou por crises talvez… talvez… piores que esta, e sempre venceu e vencerá porque é DIVINA.

    RAINHA DE MÃE DE FÁTIMA rogai por nós, conservai o cardeal Burke no seu posto e concedei cada vez mais coragem a ele e a outros hierarcas para que não temam nem pactuem com o mal através de seus atos, e iluminai o Papa Francisco para que perceba que a Igreja não está na primavera tão apregoada que ele pensa está…

    Curtir

  16. Falar a verdade hoje em dia é ser herói. O mundo e principalmente a Igreja está precisando urgentemente de Homens assim……..

    Curtir

  17. Grande Cardeal Raymondo Leo Burke! Que falta nos faz bons pastores! Estamos perdidos, guiados por cegos e cercados de católicos conservados mornos como salgadinhos em estufa de boteco, parecem bonitos e apetitosos, mas na verdade são substratos de cultura do micróbio da corrupção do alimento. Santa Maria, Mãe de Deus, rogai pelo Cardeal Burke, que permaneça forte na defesa da nossa Fé. São Miguel Arcanjo, Príncipe das Milícias Celestes, defenda os poucos Pastores nos quais ainda podemos confiar. Que Deus ilumine o Papa Francisco! Suas falas trazem uma grande angústia.

    Curtir

  18. Seja lá o que o povo “sente” por aí,
    o Cardeal Burke não sente.
    Os bispos da FSSPX não sentem…
    Dom Lefebvre e Dom Mayer não sentiram…
    Dom Ranjith não sente…
    Padre Michael Rodrigues e muitos outros
    também não “sentem”…

    Mas como será que punirão o estimado Cardeal Burke por
    não “sentir com a Igreja”?

    Vão força-lo a ter aulas de bom mocismo, poesia
    e “análises de conjuntura” com a CNBB?
    Transferirão Dom Steiner para perto dele?
    Farão ele dizer 50 vezes: “não houve ruptura no pós-concílio”
    “não houve ruptura no pós-concílio”
    “não houve ruptura no pós-concílio”?
    O mandarão ler, na íntegra e de uma só vez, o “Documento de
    Aparecida”?

    Terríveis punições, sem dúvida…
    Mas creio que a única coisa que realmente o preocupa são
    as palavras do Apóstolo:

    “Ai de mim se não Evangelizar”.

    Curtir

  19. Pio XII ensinou que Nosso Senhor – “em circunstâncias particularmente graves – faz surgir no seio da Igreja homens e mulheres de santidade assinalada, que sejam de exemplo aos outros fiéis, para incremento do seu corpo místico”.

    Vejam o texto da CARTA ENCÍCLICA, MYSTICI CORPORIS:

    “Mas nosso divino Salvador governa e dirige também por si mesmo e diretamente a sociedade que fundou; pois que ele reina nas inteligências e corações dos homens e dobra e compele a seu beneplácito as vontades ainda mais rebeldes. “O coração do rei está na mão do Senhor; incliná-lo-á para onde quiser” (Pr 21,1). Com este governo interno ele, qual “pastor e bispo das nossas almas” (cf. 1Pd 2,25) não só tem cuidado de cada um em particular, mas também de toda a Igreja; tanto quando ilumina e fortalece os sagrados pastores para que fel e frutuosamente se desempenhem de seus ofícios, como quando – em circunstâncias particularmente graves – faz surgir no seio da Igreja homens e mulheres de santidade assinalada, que sejam de exemplo aos outros fiéis, para incremento do seu corpo místico. Acresce ainda que Cristo do céu vela sempre com particular amor pela sua esposa intemerata, que labuta neste terrestre exílio; e quando a vê em perigo, ou por si mesmo, ou pelos seus anjos (cf. At 8,26; 9,119; 10,1-7; 12,3-10), ou por aquela que invocamos como auxílio dos cristãos, e pelos outros celestes protetores, salva-a das ondas procelosas e, serenado e abonançado o mar, consola-a com aquela paz “que supera toda a inteligência” (Fl 4,7).”

    Assim, amigos, se o Cardeal silenciar-se, as comunidades tradicionais igualmente sucumbirem, DEUS enviará Seus Santos Anjos ou mesmo a Virgem MARIA. Mas jamais estaremos só.

    In CHRISTO,
    Allan.

    Curtir

  20. AlexCarval, vai ler a Bíblia! Por acaso São Paulo não chamou a atenção de São Pedro?

    AlexCarval, vai ler a vida dos Santos! Por acaso Santa Catarina de Sena não chamou a atenção do Papa da época?

    Ler não faz mal!

    Curtir

Os comentários estão desativados.