O ecumenismo de São Maximiliano Maria Kolbe.

São Maximiliano Maria Kolbe.

São Maximiliano Maria Kolbe.

“Não há maior inimigo da Imaculada e de Seu Reinado que o ecumenismo de hoje, o qual todo Cavaleiro [da Imaculada] deve não só combater, mas também neutralizar, por uma ação diametralmente oposta e, finalmente, destruir” (S. Maximiliano Maria Kolbe). 

Créditos: A Catholic Life

17 Comentários to “O ecumenismo de São Maximiliano Maria Kolbe.”

  1. Que bom é ver esse testemunho de meu grande padroeiro. Vivemos num tempo em que nem mesmo os santos canonizados são modelos irrepreensíveis de ortodoxia da fé.

  2. Glorioso São Maximiliano Maria Kolbe, e todos os GLORIOSOS VERDADEIROS SANTOS DE DEUS, rogai por nós ! ! !

  3. Que sorte que São Kolbe já morreu, assassinado em Auschwitz em 1941, assim não precisa ver as barbaridades do ecumenismo de 2013 mas principalmente que os cavaleiros da Imaculada de hoje não combatem com ações diametralmente opostas!!!

  4. Santo dos nossos tempos. Tão atual, tão necessário!

  5. O que diria São Maximiliano Maria Kolbe sobre o ecumenismo pregado pelo Vaticano II? Que diria o mesmo sobre Assis?

  6. São Kolbe criou a milicia da imaculada depois quando estava em Roma no ano de 1917 e viu os maçons desfilando com um estandarte em que lucifer esmagava São Miguel.

    São Kolbe era franciscano e combateu a judaico-maçonaria e quando Hitler e Stalin invadiram a Polonia em stembro de 1939 as tropas nazistas prenderam Kolbe e o levaram para Auchwitz onde foi martirizado em 1941.

  7. Bom filme…. para refletir sobre a que nos leva (ou levara) o ecumenismo…

  8. Ou seja, o ecumenismo mal entendido não é ‘criatura’ do Concílio Vaticano II.

  9. Nem adianta deizer au o santo falou isto. Sempre dirão que o mesmo se expressou desta forma pelo ocntexto e mentalidade da epoca.

  10. Já admirava São Maximiliano Maria Kolbe, depois que li isso minha admiração por ele é maior agora!

  11. Eu gostaria de pedir desculpas por chamarmos os protestantes (luteranos, calvinistas, anglicanos e etc) de cristãos, …. “E eu lhes digo que o protestantismo não é cristianismo puro, nem cristianismo de espécie alguma; é pseudocristianismo, um cristianismo falso. Nem sequer tem os protestantes direito de se chamarem cristãos” – Padre Amando Adriano Lochu, S.J.
    “Essa doutrina, que em suas variações é mãe de todas as heresias, a mesma das sociedades secretas e da Franco Maçonaria em todas as suas facções, a mesma dos filósofos iluministas, dos cátaros e albigenses, dos pedreiros arquitetos que, finalmente, já bem adiantados em sua agenda de imposição da governança global (a do anticristo) astutamente hoje nos impõem goela abaixo a “constituição universal” da Nova Ordem Mundial descaradamente anticristã”.- A. José G. C.
    “O protestantismo é inimigo jurado da nossa Santa Religião. Nega os dogmas mais santos: o Santo Sacrifício da Missa, a Confissão, a Comunhão, a maior parte dos sacramentos, a existência do purgatório, a instituição Divina da Igreja, a autoridade do Papa, a legitimidade do culto dos santos…Não discutamos com protestantes, não vamos ao seu culto, nem por curiosidade. Não leiamos suas bíblias, seus folhetos. É pecado mortal ter consigo uma bíblia protestante. Tudo isso expõe nossa fé a naufragar”. – Pe. Guilherme Vaessen
    “O protestantismo é como uma nuvem negra que rapidamente cobre todo o brilho do sol. Sabeis, pois, que uma nuvem não é mais grandiosa que o sol, e que ela não o cobre para sempre. A nuvem passa pelo sol, assim como o protestantismo passará perante a Igreja, sem lhe causar dano algum, pois o que não provém do céu jamais poderá vencer o próprio céu…“Não sabeis que o protestantismo também possui um fundador sobrenatural? Sabeis agora, trata-se de um anjo, e seu nome é Lúcifer”.” – São Padre Pio
    “Eu seria louco se deixasse a Igreja Católica e voltasse ao reino da escravidão protestante”. – Cardeal Newman

  12. Eis um santo católico que obedece Jesus até no seu falar: sim é sim e não é não.
    Toda vez que fazem lembrança de algum santo católico de antigamente, me vem à cabeça: como faz falta hoje santos assim! Toda vez!

  13. O que ele quis dizer com “Ecumenismo de Hoje”? Nada a ver com o Ecumenismo do Vaticano II. Aliás esse santo foi tão ecumênico no sentido que lhe confere o Vaticano II que morreu por um infiel judeu.

    • S. Maximiliano não morreu por um “infiel judeu”. Ele deu a sua vida pelo soldado polonês Franciszek Gajowniczek, católico.

  14. Oi, Sr. Francisco de Mello e Silva
    Tudo bem?
    Faz tempo que o senhor não aparece por aqui, hein!
    Quer dizer, então, Sr. Francisco de Mello e Silva, que o ecumenismo praticado no tempo de São Maximiliano Maria Kolbe não é o mesmo ecumenismo defendido pelo Concílio Vaticano II?
    São, então, dois ecumenismos diferentes?
    Como é que é isso? O senhor poderia explicar?
    Poderia apresentar provas dessa sua afirmação?
    E que tem a ver o ecumenismo do Vaticano II com o fato de São Maximiliano ter-se oferecido para morrer no lugar de um homem nao-catolico? São Maximiliano fez ecumenismo ao praticar esse ato? Como?
    O senhor poderia explicar isso tambem?

    • Muita coisa é pinçada dos escritos do santo para defender ou atacar posições A, B ou C. E ele publicou prolificamente. O fato é que foi beatificado por Paulo VI e canonizado por seu conterrâneo JPII. Certamente este último não concordaria que o ecumenismo seria o “maior inimigo da Imaculada e de seu Reinado” e com outras afirmações que aparecem cá e lá, pois foi como papa um promotor do ecumenismo. Várias controvérsias apareceram na época da canonização e depois, mas nada que merecesse se sobrepor ao valor de seu ato extremo de doação, que nos deu um dos grandes mártires do século XX.

%d blogueiros gostam disto: