Surpreso.

Da edição de ontem de Il Foglio (tradução: Fratres in Unum.com): No dia de Natal, ele completou oitenta anos — comemorados com a irrupção de uma ativista do Femen fazendo topless na Catedral de Colónia, enquanto celebrava missa — e “no mais tardar, no final de fevereiro”, deixará, após 25 anos, o governo da grande diocese da Renânia Setentrional.

Cardeal Joachim Meisner.

Cardeal Joachim Meisner.

Antes das saudações, no entanto, o Cardeal Joachim Meisner quis advertir o seu superior imediato, o Papa, de que não se envolvesse demais em disputas com o mundo. Não o fez por meio da imprensa ou por carta entregue na Casa Santa Marta, mas em pessoa. Um encontro olho a olho no qual “pude falar livremente ao Santo Padre sobre muitas coisas”, disse Meisner à rádio pública alemã. “Disse-lhe que seus pronunciamentos em forma de entrevistas e declarações breves deixa muitas perguntas sem respostas, que, pelo contrário, deveriam ser explicadas de modo mais amplo”. Francisco, acrescentou o prelado, “ficou surpreso e me pediu para lhe dar alguns exemplos. E eu falei acerca do que ele disse durante a viagem de volta de avião do Rio para Roma”. Ponto sensível, as frases sobre a readmissão dos divorciados recasados aos sacramentos, a comunhão primeiramente. Falar muito misericórdia de é também perigoso: “Arrisca-se cobrir com essa palavra todas as falhas humanas”. Nesse ponto — declarou ainda o arcebispo de Colônia — o Papa “respondeu de modo muito enérgico que ele é filho da igreja e não disse nada senão reafirmar os ensinamentos da Igreja”. A misericórdia, esclareceu Francisco no encontro com Meisner, “deve corresponder à verdade ou não pode ser definida como misericórdia”. Ademais, se houver qualquer questão teológica pendente , “há a Congregação para a Doutrina da Fé”, acrescentou Bergoglio. Assim, para dúvidas ou questões específicas, há Dom Gerhard Müller, o guardião da ortodoxia, colocado aí por Joseph Ratzinger e o primeiro monsenhor da cúria a ser confirmado por seu sucessor.

* * *

[Atualização – 3 de janeiro de 2014, às 8:36] Um gentil leitor nos envia sua tradução de excertos da entrevista veiculada em espanhol por Info Católica:

–(…) Os temas família e matrimônio são atuais, o debate sobre os divorciados que voltaram a casar parece dividir a Igreja na Alemanha. Qual é sua posição?

–Caro senhor Liminski, em todo momento, a Igreja, especialmente os bispos junto com o Papa têm o dever de dar o exemplo, diante dos homens, de obediência à Palavra de Deus. Os bispos também compartilham com o Papa o Magistério. Mas sempre cum Petro et sub Petro, isto é, com Pedro e sob Pedro. Assim, que qualquer dissenso entre o ensinamento do Papa e o do bispo é teoricamente inadmissível. Deixe-me acrescentar algo mais: desde tempos imemoriais a Igreja está convencida de que a unidade de Cristo com sua Igreja, que é o seu corpo, é normativa também para o matrimônio. E o apóstolo Paulo o disse explicitamente: «O matrimônio é um mistério profundo. Eu me refiro a Cristo e à Igreja». E Cristo disse então, logicamente, que o que Deus uniu, não o separe o homem. A isto não há realmente nada mais a acrescentar. Pode você pensar talvez que isto eu lanço como um tiro. É que todos os dias me vejo confrontado com estas questões e por isso sua pergunta não era nova para mim.

–Esta não é a mesma posição, idêntica, que a de seu colega Zollitsch. Ele chama a uma maior integração na vida comunitária, também uma integração das pessoas divorciadas. E crê que em Roma também haveria diferentes opiniões sobre isso. Desse modo a opinião da CDF, não seria, portanto, mais importante que as outras. Então, o que é que está valendo?

–Sr. Liminski, escute por uma vez a um velho bispo. Em minha última visita ao Papa Francisco pude falar muito francamente com o Santo Padre sobre todos os temas. E também lhe disse que quando fala em forma de entrevistas e breves discursos ficam algumas perguntas abertas, que para os não iniciados deveriam na realidade explicar-se melhor. O Papa me olhou fixamente e me disse para lhe mencionar um exemplo.

E minha resposta foi então que em seu regresso do Rio a Roma, enquanto viajava no avião, mencionou-se a ele o problema dos divorciados que voltaram a se casar. Então o Papa simplesmente me respondeu: «os divorciados podem comungar, mas não os divorciados casados novamente. Na Igreja Ortodoxa se pode casar duas vezes». Até aqui sua declaração.

Logo falou da misericórdia que, contudo, em meu modo de ver, e assim lhe disse, neste país sempre se interpreta como um substituto de todas as possíveis faltas do homem. E o Papa me respondeu muito enérgico que era um filho da Igreja Católica, e que ele não disse outra coisa que o que a Igreja ensina. E a misericórdia deve ser idêntica à verdade, caso contrário não merece o nome de misericórdia.

E, ademais, ele me disse expressamente que quando certas questões teológicas se mantêm abertas, então a importante Congregação para a Doutrina da Fé está aí, para esclarecer e formular detalhadamente. Também deve-se pensar que antes do Concílio o próprio Papa era o prefeito desta congregação, e ela é, na ordem curial, a que está no primeiro lugar, hoje como antes. Não se pode falar do Prefeito como se fosse um cidadão particular, somente porque ele anteriormente foi membro da Conferência Episcopal (alemã).

–Agora o Papa iniciou uma consulta de opinião acerca da família, do matrimônio e da moral sexual diante do Sínodo do próximo outono. E para Colônia já há resultados. Assim se observa que em relação ao povo as coisas vão de modo diferente que em Roma. A Igreja não deveria, deve, adaptar-se?

–Também disse com antecipação que a Igreja tem que adaptar-se à Palavra de Deus e não à opinião das pessoas. Devemos, como Igreja, conhecer a opinião das pessoas, para depois proclamar a Palavra de Deus em função disto. Mas adaptar-se do modo que você pergunta não é uma categoria do Evangelho. É surpreendente que, por exemplo, a Igreja Evangélica Luterana, com seu documento de tomada de posição sobre a temática da sexualidade, se tenha alinhado totalmente com o chamado espírito dos tempos nos assuntos da sexualidade. E como se encontra a situação da Igreja Evangélica Luterana?  Ouvi dizer que os números de abandono da igreja luterana são ainda mais altos que os nossos. De maneira que, em última instância, este êxodo não pode dever-se à questão da sexualidade.

–O ZdK (comitê central dos católicos alemães) o vê um pouco diferente. O Presidente Glück advoga por adaptar-se e integrar plenamente os divorciados que voltaram a casar, isto é, admiti-los também na Eucaristia. O ZdK quer casar-se com o espírito dos tempos, se poderia dizer. Aí desertam unidades inteiras dos exércitos cristãos. Não tem medo do isolamento?

–Bem, não conheço o medo do isolamento. Na escola primária, na Turíngia, eu era o único aluno católico. E sempre estava no meio e não me deixava isolar. A missão do ZdK é fazer visível e efetivo o Evangelho nas dimensões do secular, quer dizer, no mundo. E aqui, este grêmio deve se fazer realmente, com seriedade, a pergunta: mantiveram-se fiéis a sua missão e vocação?

E formula você, neste contexto, a pergunta de se eu hei de temer um certo isolamento? O que eu tenho é autêntica preocupação pelas pessoas que deformam como lhes convêm sua própria fé ao invés de aceitá-la respeitosamente como o próprio Cristo nos confiou. Isto não traz nenhuma solução. No século IV, por causa da heresia dos arianos, se dizia que da noite para o dia, a Igreja havia se tornado ariana. Mas isso não ficou assim. Converteu-se em católica de novo. E por isso, por hostis que sejam os números, não me assustam. Devo dizer que simplesmente devemos nos perguntar o que Deus quer.
E a Igreja sabe desde há 2.000 anos que o que Deus uniu o homem não pode separar. Outra questão diferente é a de se todos os matrimônios são realmente válidos. Se deveria haver critérios novos que permitissem determinar se um matrimônio não ocorreu realmente e não é válido. Mas essa é outra questão. Aí não se trata da admissão dos divorciados que voltaram a casar à Santa Comunhão.

33 Responses to “Surpreso.”

  1. Femen?? essa praga não acaba?

  2. Graças a Deus um cardeal já está se manifestando ao Papa sobre suas peripécias em menos de um ano de pontificado. Pela resposta de Sua Santidade, só posso imaginar que Francisco é bastante ingênuo e otimista.

  3. Essa reportagem do Il Foglio não está boa. Meisner não disse que o Papa “ficou surpreso”, disse que o Papa “o olhou fixamente e pediu um exemplo”. E, além disso, a reportagem omitiu a frase mais interessante, que, segundo o Cardeal Meisner, foi dita pelo Papa: “os divorciados podem comungar, mas não os divorciados que voltaram a se casar”.

    Aqui se pode ler a entrevista completa em espanhol: http://infocatolica.com/?t=noticia&cod=19531

    • Fernando, estamos em recesso e só nos foi possível traduzir o excerto da matéria de Il Foglio. Podendo, traduza os trechos interessantes da íntegra e nos envie, por gentileza. Publicaremos com gosto.

  4. Concordo que a Femen é uma praga, mas parabenizo o Cardeal pela correção fraterna feita ao Santo Padre (já estava na hora de algum fazer isso). Ademais, acho, que as palavras de Francisco sinalizam que ele vai insistir nas palavras ambíguas e confusas, sem falar que a misericórdia que ele tem espalhado não se corresponde em nada com as verdades da Fé e dos Costumes, ao contrário, é uma misericórdia que tem semado confusão e soa como sinal verde para o pecado. Parece que a “misericórdia de Francisco” fica só na órbita da intenção.

  5. To falando… falta UM BRAÇO para ajudar o Papa!

  6. Pelo que entendi o Papa não gostou muito de ser alertado pelo Cardeal, não mostrou tanta humildade assim, coisa que ele prega muito e tenta demonstrar aos fiéis.
    Realmente o Cardeal Meisner tem total razão no que disse.
    Papa Francisco no mínimo é ingênuo e escorrega demais nas coisas que diz. Um Papa que quando ainda cardeal em Buenos Aires ajoelhou para um pastor quando estava a passar, em um encontro entre católicos e protestantes. (A quem duvida é fácil de achar no google).
    Não sou sede vacantista, mas que saudade da seriedade e respeito de Bento XVI. E que o Papa Francisco preocupa, isso preocupa.
    Do jeito que andam os seminários por ai, dá até medo dos novos sacerdotes, futuros bispos, cardeais e Papa que possam surgir.
    Oremos pela igreja.

  7. Problema do actual Papa é que Bergoglio ainda não interiorizou que é Papa. Dou um exemplo, quando casei tive um problema no casamento. Porquê? Porque não tinha interiorizado que passei a ser homem casado e então queria ser solteiro no casamento. Ter a mesma liberdade de solteiro, as mesmas atitudes, etc. Ora, graças a Deus, consegui perceber que já não era mais o Ludgero solteiro, mas era o Ludgero casado e o casamento correu bem e ainda corre. Com Bergoglio passa-se o mesmo. Ele quer ser “solteiro no casamento”. Por isso, rezemos pelo Papa para ele perceber que já não é Bergoglio. É Papa.

  8. Claro que o Cardeal Joachim Meisner está correto em falar sobre os divorciados. Agora eu não entendo por que ele não bateu direto nas palavras de Francisco sobre os homossexuais e o aborto.

    Essas palavras foram as mais desastrosas e ambíguas.

  9. Para ser curto e grosso: só os ingênuos acham Francisco ingênuo, valeu a advertência do Cardeal.

  10. Dom Gerhard Müller guardião da ortodoxia??? hahahahaha parece até piada.

  11. Não se pode falar só da misericórdia de Deus para um povo sem doutrina. “Porque a sua misericórdia e a sua ira estão perto uma da outra, e Ele olha para os pecadores na sua ira”. Eclo, 5,7. “E não digas: A misericórdia do Senhor é grande, Ele se compadecerá da multidão dos meus pecados”. Eclo 5,6

    São Paulo não era Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé e mesmo assim o Papa (São Pedro) aceitou a correção feita por ele (São Paulo). Com todo o respeito que é devido a um Sumo Pontífice, ao meu ver, a julgar pelo texto acima, ele não demonstrou humildade ao ouvir a observação feita pelo Cardeal Joachim. E veja, um Cardeal é um conselheiro do Papa.

  12. O cardeal Meisner é tagarela, mas agora eu estou de acordo com ele, o Papa se expõe e expõe a Igreja demasiadamente quando prefere esses meios “informais” de comunicação do que as vias tradicionalmente mais seguras. No mais, espero que Colônia venha a ter um bispo à altura das grandes tradições católicas da Renânia.

  13. Este Papa se contradiz e incorre em hipocrisia mui facilmente. Na primeira das entrevistas o mesmo pontífice declarou-se enfadado pelo número de denúncias de falta de ortodoxia que chegavam à CDF, aconselhando que as conferências episcopais punam a heresia, e agora ele vem dar de leão magno e apontar seu bastião da fé para os piedosos escandalizados?

    Não sei quem foi pior, se Bento XVI com seu tradicionalismo light conciliar ou Francisco com seu populismo esculhambativo…

  14. O cardeal fez bem em ajudar o santo padre. Uma conversa aberta e fraterna, esclarecedora.
    Pelo menos não atacou o Santo Padre como fez Dom Fellay, bispo sem comunhão com a Santa Sé.
    Como falou o Santo Padre, temos a congregação da doutrina da fé; onde Dom Muller esclareceu vários pontos sobre o primado do papa, tambem sobre a comunhão que os não casados não terão acesso, e que as conferencias episcopais não serão independentes, pois Roma é o centro, e o papa é o Sucessor de Pedro, mas ninguém destacou esta entrevista. O ponto mais comentado foi quando ele disse que os bispo de Dom Levreve não tinham mais a excomunhão canônica, que isto é verdade; mas que permanecia a excomunhão sacramental, pois os mesmos nunca voltaram para Roma, e dificilmente voltarão, pois o orgulho pisado lhes tomou o coração e a razão.
    Roma locuta, causa finita.

    • O caso da excomunhão de Dom Lefebvre e dos bispos da FSSPX, não foi por causa de orgulho pisado, e sim por que queriam continuar celebrando a tradição dos apóstolos, santos e mártires da Igreja, que vinha sendo ensinada durante 2 mil anos, e que de repente, no concílio Vaticano II, que foi a maior catástrofe na história da igreja, tudo foi apagado e construída uma outra igreja, modernista, “adaptada aos tempos modernos”, como as pessoas dizem. Acredito que a existência da FSSPX, é uma das razões pelas quais Nosso Senhor ainda não mandou o castigo previsto em Fátima.

  15. Caríssimos irmãos, a atitude do Cardeal Joachim Meisner parece uma atitude completamente normal e própria de um cardeal da Santa Igreja que conhece bem o seu dever, sabe o que significa colegialidade e mantem um profundo zelo e amor tanto pelo Santo Padre o Papa quanto pela Mãe Igreja, a qual deve defender com vida e o sangue, não é atoa que se veste de vermelho. As atitudes do Santo Padre o Papa, são sim distintas e parecem antes de tudo bem próprias de sua personalidade, não creio que queira mal a Santa igreja que conduz, menos ainda que seja áspero com os que com ele compartilha do zelo e solicitude pela Igreja. Além do mais gostaria que citassem se há e podem provar alguma atitude do mesmo que fere a Sagrada Doutrina ou a Tradição da Igreja ou ainda que desrespeite o Sagrado magistério. Quanto a nós o nosso dever é permanecermos bem unidos a Pedro e o legítimo Sucessor de Pedro em nosso Tempo se chama Francisco. Por favor não haja entre as mesmas atitudes da Mídia Pagã sensacionalizante e mal informada ávida por Ibope; não haja também, a postura dos que pouco sabendo seguem opinando e julgando disseminando a discórdia, Isso se chama fofoca, faz muito mal e é grave pecado. Irmãos recordemos do Evangelho de Nosso Senhor que nos alerta: “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído. Toda cidade, toda casa dividida contra si mesma não pode subsistir.” (Mt 12, 25). Amemos a Igreja, defendamos a Igreja, Lutemos pela Igreja, Forte sinal de Deus em nosso tempo, não sejamos elemento de divisão e nem Cristãos acovardados, afinal esse nome designou os mártires e não merece ser dado a qualquer um! Deus abençoe a todos!!!

  16. AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH. Dom Müller?!?!?!?! Guardião da Fé?!?!?!?!!?!?!?!?!!
    Santidade, vós não fechastes o ano de 2013 com uma pérola, mas abristes o de 2014 com uma que vale pro ano todo.
    2014 promete!!!!!!!

  17. Alguém precisava falar alguma coisa, Cardeal Meisner agiu muito bem, tinha que dar um freio nas frases de efeito do Sumo Pontífice, que confundem muita gente. Sua santidade fala da Congregação Para a doutrina da Fé como se fosse a maior guardiã da fé católica, antes fosse assim.
    O bispo que atualmente faz o papel de Grande Inquisidor, Gerhard Müller, é extremamente simpático á hereges como Gustavo Gutiérrez.
    Nos tempos da Suprema e Sacra Congregação da Inquisição Universal, tempos em que verdadeiramente se cuidava da fé católica através do Index Librorum Prohibitorum, e através dos tribunais exterminadores de hereges, isso seria impensável. Que falta fazem as fogueiras.

  18. Uma pessoa no auge de seus 77 anos e ocupando a posição de Papa , não tem o direito de ser ingênuo. Podemos admirar a ingenuidade de uma criança por exemplo, mas quando o papa é ingênuo isso não é admirável, mas sim algo preocupante.

  19. “se houver qualquer questão teológica pendente , “há a Congregação para a Doutrina da Fé”,”…Ora a CDF é sujeita ao Papa : quem tem que dar esclarecimentos sobre o que Francisco diz é Francisco e não a CDF. Ele sim possui o poder pleno não a CDF. O Papa parece adotar a visão de que ele é só um coordenador mais nada….” Assim, para dúvidas ou questões específicas, há Dom Gerhard Müller, o guardião da ortodoxia, colocado aí por Joseph Ratzinger e o primeiro monsenhor da cúria a ser confirmado por seu sucessor.”…Ou seja para que nada seja resolvido há Muller. Chamá-lo guardião da ortodoxia soa como provocação.

  20. Caríssimos, devemos estar sempre implorando a Nosso Senhor Jesus Cristo que nos faça humildes, que nos dê as virtudes morais cardeais e também os dons do Divino Espírito Santo! Se os nossos “olhos” na Santa Igreja são trevas, como poderemos caminhar na verdade e com segurança? A fumaça de Satanás mais do que na época de Paulo VI invade a casa de Deus. Se fosse possível, a Santa Igreja, pelo andar da carruagem, daqui a 10 anos estaria tão demolida que seria impossível reconhecê-la. Mas não esqueçamos a Santa Madre Igreja, Una, Santa, Católica e Apostólica é divina. Mas Deus quer que cada um de nós faça a sua parte. Santa Maria, Mãe da Igreja, rogai por nós!

  21. «A marca mais evidente da ira de Deus e o mais terrível castigo que Ele pode infligir ao mundo se manifesta quando Ele permite que seu povo caia nas mãos de clérigos que são sacerdotes mais no nome do que de fato, sacerdotes que praticam a crueldade de lobos rapaces ao invés da caridade e o afeto de pastores devotos.
    Quando Deus permite tais coisas, isso é uma prova positiva que que Deus está profundamente indignado. Por isso Ele grita incessantemente aos cristãos: “Voltai filhos rebeldes…e vos darei pastores segundo Meu coração” (Jer 3. 14-15). Assim as anomalias nas vidas dos sacerdotes constituem um açoite sobre o povo como consequência de seus pecados» ( São João Eudes- O Sacerdote, sua dignidade e obrigações)

    Portanto, ao invés de ficar procurando dar desculpas para os crimes e abominações do clero Católico temos que cair na real de que estamos sob um castigo terrível. E quem está sob um castigo não fica rindo, fazendo gracejos, se comportando feito débil mental. É preciso encarar o problema com seriedade e humildade, reconhecendo as falhas e pecados que nos fizeram merecer tão terrível castigo que são os impostores que por hora usurpam postos de autoridade na Igreja de Cristo, pregando heresias, dando mau exemplo, adulterando a doutrina dos Apóstolos, causando escândalos e pavimentando o caminho do inferno pra tantas almas descuidadas.
    Não há o que esperar desses cegos e guias de cegos. Nosso auxílio está no nome do Senhor que fez o céu e a terra: 2 de janeiro comemoramos a Festa do Santissimo Nome de Jesus. Precisamos nos voltar pra Igreja Triunfante, para os Santos que estão na glória e pedir deles iluminação e inspiração. E finalmente, não nos esqueçamos da Cruzada do Rosário pois temos de Nossa Senhora a promessa: O meu imaculado coração triunfará.

  22. Unamo-nos ao Cardeal Meisner. Escrevamos cartas(na impossibilidade de fazer pessoalmente) ao ao Papa Francisco advertindo-a fraternalmente pelo bem da Santa Igreja.

  23. PARABÉNS GERCIONE! CONCORDO com você, mais uma vez! Estamos debaixo de uma grande Tribulação Eclesial!….Oremos!

  24. Para ser curta e grossa: só os ingênuos acham Francisco ingênuo, valeu a advertência do Cardeal. (2)

  25. A minha confiança está na proteção que Jesus Cristo colocou sobre a Sua Igreja quando nomeou São Pedro como o responsável por apascentar as ovelhas de Seu rebanho. A sucessão deve seguir a linha segundo a Tradição Apostólica e a unidade é o ponto central da vida da Igreja na caminhada. Jesus pediu isso ao Pai, mas as coisas parecem não caminhar bem assim. 50 anos do CV II, 50 Anos da SC e quando cá, no chão das CEB as coisas vão se ajeitando para manter a unidade, lá, no alto da hierarquia parece que ela não existe. Que será que Jesus pensa disso? Seu rebanho sendo diminuido, com tantas ovelhas perdidas… gente pulando de porta em porta, procurando cura, libertação e tantas outras coisas demonstrando que perderam a verdadeira fé adquirida dentro da liturgia, quando o Senhor se entrega em adoração ao Pai e nós somos chamados a fazermos o mesmo, com Cristo, por Cristo e em Cristo. Quanto desvio; quanto mal ensinamento; quanta falta de ensinamento contrariando o que o CV II colocou para enriquecimento da fé, unidade da Igreja, glorificação do nome de Deus e santificação dos fiéis. Parece que a batalha não é mais no céu, nem na terra; ela ocorre atualmente dentro da Igreja, que deve lutar para se manter firme como Esposa de Cristo, para não venha a se perder.

  26. Lembrem-se! O papa é um jesuíta de 77 anos. Não existem jesuítas tolos, assim como não há analfabetos que leem “Os Lusíadas” e se encantam com Camões! E a idade dele não é a de uma criança de 7 anos, mas de alguém que tem 11 vezes o número do início da idade da razão!

  27. O comentário de Gercione Lima (02-01-2014 – 05:26 pm) discerniu bem a real situação e apontou para a solução. Só mesmo a oração pode amenizar os castigos que, provavelmente, se agravarão ainda mais. Vigiai e orai, disse o Senhor.

  28. Jayme Sobrinho, você está parecendo aqueles cientistas ingênuos que foram pra Antártida estudar os efeitos do Aquecimento Global sobre as camadas de gelo no continente e acabaram se tornando reféns de sua própria estupidez. Em pleno verão no hemisfério Sul ficaram presos no mar congelado por mais de uma semana e depois de fracassadas tentativas de resgate por navios que não conseguiam quebrar o gelo precisaram ser resgatados hoje por um helicóptero.
    Será que nem assim aprenderam a lição e continuarão firmes no propósito de validar e divulgar a mentira? Essa é a história que se repete com os defensores do Vaticano II.
    Pois aqui vai o helicóptero que vai resgatar-lhe desse deserto gelado causado pelo famigerado Vaticano II: a verdadeira Tradição Católica. O Conciliábulo Vaticano II nunca proporcionou enriquecimento da fé, unidade da Igreja, glorificação do nome de Deus e muito menos a santificação dos fiéis. Muito pelo contrário!

  29. Eu recomendo muito a leitura desse artigo:

    Francisco e a ternura de mão única:

    http://www.christeeleyson.com/2014/01/francisco-e-ternura-de-mao-unica.html

    Leiam. É muito bom. É do blog italiano Opportune importune, que eu tomei conhecimento via corrispondenza romana. Visitando o blog eu acabei encontrando o mencionado artigo com um comentário de um brasileiro solicitando a tradução. Eu acessei o perfil dessa pessoa e descobri seu blog com a respectiva tradução.

  30. Pelo que deduzi desse texto, pareceu-me que o papa Francisco não muito receptivo ao “Chamado á atenção” do Cardeal Meisner – muito oportuno, ao invés de falar mal pela mídia, preferiu recomendar-lhe diretamente – e ele apelou para outros lados, em caso de dúvidas sobre seus pronunciamentos, como o cardeal Muller e a CDF, a qual poderia, como sucedeu no Vaticano II, estar infiltrada de maçons/comunistas e protestantes para deturparem os pronunciamentos do papa Francisco e aumentar a desconfiança entre os católicos.
    Isso geraria o seguinte quadro: os tradicionais ficariam (E ESTÃO) desapontados e os modernistas sempre insaciaveis, querendo mais e mais avanços, até chegar à plena DITADURA DO RELATIVISMO, objetivo final, o shake das religiões numa universal, a pretendida da New Age…
    Consulte o grande exorcista pe Gabrielle Amorth sobre o que tem havido nos bastidores do Vaticano a toda força há tempos, das forças do Além e terrenas…
    Quanto ao novo papa quando ainda cardeal que se ajoelhou para receber benção de pastor protestante foi noticiado no La Nacion, um evento ecumênico com a presença de evangélicos pentecostais e católicos carismáticos (AMBOS IGUAIZINHOS, ENTRE ESSES SABEMOS O QUE ROLA, COM AS ENTIDADES BAIXANDO DURANTE O CULTO, COMO JÁ VI EM CARISMÁTICOS), em 15/03/2013, em que o então cardeal Bergoglio participou, ajoelhou e recebeu oração e bênção de um pastor protestante.
    O texto da notícia diz que “o momento mais emocionante foi a recepção dada ao cardeal Jorge Bergoglio, que liderou uma breve saudação e perguntou, como de costume, se poderiam orar por ele. Os pastores o levaram a sério, e o cardeal se ajoelhou e pediu a todos os presentes que orassem.

Trackbacks