Papa adverte contra os falsos profetas e o espírito do Anticristo: contra eles, humildade e serviço.

Por Religion en Libertad | Tradução: Fratres in Unum.com Na missa de terça-feira, 7 de janeiro, na residência Santa Marta, o Papa Francisco pregou sobre o discernimento dos espíritos, para distinguir se uma ideia ou impulso vem de Deus ou do “espírito do Anticristo”.

Desenvolvendo o texto da carta do Apóstolo João, Francisco salientou um critério chave de discernimento para evitar falsas profecias e sinais: comprovar que se aproximem de Deus mediante a humildade e o serviço.

Conhecer o nosso próprio coração

O Papa desenvolveu sua homilia partindo da exortação de São João: “Permaneçam no Senhor”. Um “conselho de vida”, disse, que João repete de modo “quase obsessivo”.

O Apóstolo indica “uma das atitudes do cristão que quer permanecer no Senhor: conhecer o que acontece no próprio coração”.

Por isso, ele encoraja a não darmos crédito a qualquer espírito, mas sim pormos “à prova os espíritos”.

É necessário saber “discernir os espíritos”, discernir se uma coisa nos faz “permanecer no Senhor ou nos afasta Dele”.

“O nosso coração sempre tem desejos, ânsias, pensamentos”. Porém, “eles são do Senhor ou alguns deles não afastam do Senhor?” É aqui que o Apóstolo João nos exorta a “pôr a prova” o que pensamos ou desejamos, salienta o Papa.

“Se esses pensamentos seguem na linha do Senhor, assim tudo bem, caso contrário… Ponham à prova os espíritos para saber se provêm de Deus, porque muitos falsos profetas vieram a este mundo. Profetas ou profecias ou propostas: “Tenho vontade de fazer isso!”. Porém, isso não te leva ao Senhor, te afasta Dele. Por isso é necessário a vigilância. O cristão é um homem ou uma mulher que sabe vigiar seu coração. E tantas vezes nosso coração, com tantas coisas que vão e vêm, parece um mercado do bairro: de tudo, você encontras de tudo ali… É, não! Devemos provar- isso é do Senhor e isso não – para permanecermos no Senhor”

O critério: a humildade e o serviço

Qual é então o critério para entender se uma coisa vem de Cristo ou do anticristo?

São João, afirmou o Papa, tem uma ideia clara, “simples”.

“Cada espírito que reconhece Jesus Cristo, encarnado, é de Deus. Cada espírito que não reconhece Jesus Cristo não é de Deus: é o espírito do anticristo”. Porém, o que significa então “reconhecer que o Verbo se encarnou?” Quer dizer “reconhecer o caminho de Jesus Cristo”, reconhecer que Ele, “sendo Deus se abaixou, se humilhou” até a “morte de cruz”:

“Aquele é o caminho de Jesus Cristo: o rebaixar-se, a humildade, também a humilhação. Se um pensamento, se um desejo te leva sobre o caminho da humildade, do rebaixar-se, de serviço aos outros, é de Jesus. Porém, se te leva ao caminho da suficiência, da vaidade, do orgulho, ao caminho do pensamento abstrato, não é de Jesus”.

Um exemplo: as tentações do deserto

O Papa deu um exemplo vivido pelo mesmíssimo Jesus: as tentações do deserto.

“Pensemos nas tentações de Jesus no deserto: as três propostas que o demônio faz a Jesus são propostas que queriam afastá-lo daquele caminho, o caminho do serviço, da humildade, da humilhação, da caridade. Porém, a caridade feita com a vida, Não? Jesus disse que não às três tentações : Não, este não é o meu caminho!”

O Papa convidou a todos os presentes a pensarem justamente sobre o que acontece em nossos corações. Aquilo que pensamos e o que queremos, a avaliar os espíritos. Eu ponho a prova o que penso, o que quero, o que desejo ou aceito tudo?”.

“Tantas vezes, nosso coração é um caminho, todos passam por ali… Pôr a prova. E escolher sempre as coisas que vem de Deus? Sé, quais são as que vêm de Deus? Conheço o verdadeiro critério para discernir meus pensamentos, meus desejos? Pensemos nisso e não nos esqueçamos que o critério é a Encarnação do Verbo. O Verbo veio em carne: Isso é Jesus Cristo!”

E o Papa insistiu no exemplo de Cristo: “Jesus Cristo que se fez homem, Deus se fez homem, se rebaixou, se humilhou por amor. Para servir a todos nós. E o Apóstolo João nos conceda esta graça de conhecer o que acontece em nosso coração e ter a sabedoria de discernir o que vê, de Deus e o que não vem de Deus”.

Tags:

16 Comentários to “Papa adverte contra os falsos profetas e o espírito do Anticristo: contra eles, humildade e serviço.”

  1. “Qual é então o critério para entender se uma coisa vem de Cristo ou do anticristo?
    São João, afirmou o Papa, tem uma ideia clara, “simples”.
    “Cada espírito que reconhece Jesus Cristo, encarnado, é de Deus. Cada espírito que não reconhece Jesus Cristo não é de Deus: é o espírito do anticristo”. Porém, o que significa então “reconhecer que o Verbo se encarnou?” Quer dizer “reconhecer o caminho de Jesus Cristo”, reconhecer que Ele, “sendo Deus se abaixou, se humilhou” até a “morte de cruz””

    Falou lindo, mas falar isso pra um Católico é pregar para o coral. Eu quero ver ele falar a mesma coisa é para os Judeus, agora na sua próxima viagem a Israel. Quero ver ele repetir essas mesmas palavras pra esses “anticristos” que ele tanto elogia e abraça nesses encontros ecumênicos!!
    Bergoglio se define a si mesmo quando diz que seu coração parece um “mercado de bairro”:
    _E tantas vezes nosso coração, com tantas coisas que vão e vêm, parece um mercado do bairro: de tudo, você encontras de tudo ali…

    “E esta é a causa dos males que estou a sofrer. Todavia, não me envergonho, porque sei em Quem coloquei a minha fé, e estou certo de que Ele tem poder para guardar o meu depósito até àquele Dia.” ( II Timoteo1-12)

  2. Essa está boa!, de fato temos mesmo que tomar cuidado com os falsos profetas!
    É sempre bom lembrar que o lobo também têm cheiro de ovelha, principalmente quando vem comendo várias…

    “Acautelai-vos, porém, dos falsos profetas, que vêm até vós vestidos como ovelhas, mas, interiormente, são lobos devoradores” Mateus 7:15

  3. Humildade e serviço

    humildade: com confessionário pode ser atingida, santificando o confessor (querido confessor, sua bênção! kkk) Ok

    serviço: só se for o serviço do turíbulo!

  4. Os primeiros falsos profetas que deveriam ser condenados são os judeus e os hereges anglicanos, maaaaaas… Esqueci de que são os queridinhos protegidos do Papa.

  5. Nas quatro publicações acima fiquei constrangido com o ataque destas pessoas ao Papa! Jesus veio para toda a humanidade, assim não há queridinhos do Papa e sim irmãos que ainda não encontraram a JESUS CRISTO nosso SENHOR! Quem O encontrou deve levedar a massa entre nós católicos que possuímos o Depósito da Fé, para com o testemunho evangelizar aos outros. Pelo visto muitos católicos ainda não encontraram a CRISTO, pois dirigir-se assim ao seu Vigário na Terra é prova de arrogância e falta de humildade. Meu e nosso “DEUS” perdoe-os, não sabem o que dizem! O Amor Caridade é isto, é ver o diferente e aceitá-lo e ajudá-lo a converter-se pelo Espírito do testemunho. A nós o mantermo-nos na Fé, nunca nos esquecendo que a quem mais foi dado, mais será cobrado… Divino ESPÍRITO SANTO iluminai-nos! Amém!

    • Ethewaldo, Salve Maria!!!

      Às vezes me assusta também a forma como proferimos certas palavras por aqui. Mas se me permite, as colocações aqui todas tem fundamento: quando o Papa fará uma poderosa Homilia, de forma a trazer serenidade, de forma a trazer firmeza para o seu povo? Repare que tão escandaloso quanto um ataque ao Papa, é o fato de ele nos prevenir contra os falsos profetas, e ele mesmo andar junto de alguns!!! De mais a mais, o Papa é nosso Líder e Chefe, mas não é infalível, portanto devemos orar por ele, devemos nos alegrar por ele, mas corrigir com severidade quando vemos atitudes que podem destoar da mensagem genuína do Evangelho. Por fim: “ver o diferente e aceitá-lo”? Quando e onde Jesus disse isso nos Evangelhos? “Converter-se pelo Espírito do testemunho”? Muito cuidado com a visão romântica de Nosso Senhor, pode impedi-lo de ter a visão verdadeira Dele!!!

      Louvado Seja Nosso Senhor Jesus Cristo!!!

  6. Então Francisco é humilde e está a serviço de todos, e os outros papas, principalmente os de antes do Vaticano II, estavam todos errados, portanto…

    Mas São João não queria falar do anticristo em si nas suas cartas; ele queria prevenir os cristãos dos gnósticos, que negavam a divindade de Cristo. As cartas de São João confirmavam sua evangelização e condenavam as heresias.

    As cartas sobre a vinda do anticristo são algumas de São Paulo, de São Pedro e de São Judas. Até porque somente dizer que Jesus é o Senhor não salva ninguém, antes condena quem sabe que Jesus é Deus e não O obedece. Logo São João não iria contrariar o que está no Evangelho: Nem todo o que disser: “Senhor! Senhor!” entrará no Reino dos Céus, mas aquele que fizer a vontade de Deus. (São Mateus 7, 21)

    Por isso acho oportuno lembrar este texto de São Paulo: “Ninguém de modo algum vos engane. Porque primeiro deve vir a apostasia, e deve manifestar-se o homem da iniquidade, o filho da perdição, o adversário, aquele que se levanta contra tudo o que é divino e sagrado, a ponto de tomar lugar no templo de Deus, e apresentar-se como se fosse Deus.” (II Tessalonicenses 2, 3-4) Qual é o templo de Deus senão a Igreja de Deus? quem teria coragem de se apresentar como se fosse Deus, desdizer tudo o que os Doutores, Santos e Papas disseram por 2 mil anos e mostrar uma doutrina diferente, inventada, como se fosse a única verdade, diferente da antiga, condescendente com o mal, senão o anticristo?

    Disseram que o anticristo em tudo seria como Cristo, mas levando ao caminho contrário, da perdição. Se Cristo teve um precursor, São João Batista; o anticristo também terá um. Mas como São João Batista, que era Elias que veio e ninguém o conheceu (São Mateus 17,12), o precursor do anticristo deve vir e ninguém perceberá. A não ser que eu esteja certo em meu pensamento, o que não quero estar, porque penso que, como João Batista foi precursor de Cristo e o maior dos Profetas, animado pelo Espírito Santo, que sempre falou pelos Profetas, e pregava um batismo com água para a penitência, e convinha que ele diminuísse para que Cristo crescesse e batizasse com o Espírito e redimisse os pecados dos penitentes; virá também um precursor do anticristo, que será maior que todos os falsos profetas, e será animado pelo espírito do maligno – aquele que armou uma revolução no Céu, que como uma serpente fez Eva cair, que tentou Caim a matar Abel, que fez a humanidade degradar tanto a ponto de Deus destruir todo o mundo com o dilúvio, aquele que fez os fariseus tomarem forma de homens piedosos por fora mas terríveis por dentro – e abrirá o caminho do anticristo.

    Pelo que disse acima, penso que esse precursor já veio e foi Lutero, porque João Batista foi maior que todos os Profetas, e Lutero foi pior que todos os hereges e cismáticos, que por soberba não suportou servir à Igreja de Cristo, e inventou outra, feita para que ele pudesse ser o seu próprio papa, papa de um simulacro de igreja que é o vigário do anticristo, que levasse muitos ao inferno com um evangelho diferente do verdadeiro, que todos podem fazer o que quiser com ele. Por isso penso em Lutero como o anunciador do anticristo, porque muito mais grave que os cismas das Igrejas do Oriente, as seitas protestantes são em tudo revolucionárias contra a Igreja Católica, como satanás é contra Deus. E no final dos tempos, o anticristo, segundo São Paulo, tomaria o templo de Deus, e segundo Nossa Senhora em La Salette, a Igreja Católica Romana, o templo de Deus, se tornará a sede do anticristo, em Roma uma meretriz, uma igreja moderna como seguindo a revolução francesa, que ignora o sangue derramado dos Mártires, contaminaria muitas multidões, segundo o Apocalipse.

    Queira Deus que Francisco não seja o anticristo, mas suas ações me fazem pensar que é ele, por suas atitudes arbitrárias, más com os fiéis à Tradição e benevolentes com os inimigos, e que cativa muitos, como escreveu o grande Apóstolo: “A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar. Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro. Desse modo, serão julgados e condenados todos os que não deram crédito à verdade, mas consentiram no mal.” (II Tessalonicenses 2, 9-12) Mas Nossa Senhora disse que depois de tribulações seu Imaculado Coração triunfará, e São Paulo também disse: “Nota bem o seguinte: nos últimos dias haverá um período difícil. Os homens se tornarão egoístas, avarentos, fanfarrões, soberbos, rebeldes aos pais, ingratos, malvados, desalmados, desleais, caluniadores, devassos, cruéis, inimigos dos bons, traidores, insolentes, cegos de orgulho, amigos dos prazeres e não de Deus, ostentarão a aparência de piedade, mas desdenharão a realidade. Dessa gente, afasta-te! Deles fazem parte os que se insinuam jeitosamente pelas casas e enfeitiçam mulherzinhas carregadas de pecados, atormentadas por toda espécie de paixões, sempre a aprender sem nunca chegar ao conhecimento da verdade. Como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes homens de coração pervertido, reprovados na fé, tentam resistir à verdade. Mas não irão longe, porque será manifesta a todos a sua insensatez, como o foi a daqueles dois.” (II Timóteo 3, 1-9)

    Rezemos o Santo Rosário e peçamos à Mãe de Deus para que Francisco abandone esse populismo que, disfarçado de coisa boa, leva a ruína a muitos que se perdem no mal!

    (Talvez tenha sido imprudente e precipitado em minhas afirmações e meu comentário não seja aprovado. Entendo.)

  7. Serviço? Qualquer paróquia ativista alinhada à TL e sem devoção pode fazê-lo. Seria melhor substituir serviço por caridade (pois nem todo serviço é caridade, mas toda caridade é um bom serviço).

    Humildade? Qualquer um pode alegar ser humilde – só Deus para saber se é humildade mesmo ou show midiático. A verdadeira humildade é testada até à cruz da obediência a Deus. Há alguém bom nisso?

    Desejo ao Papa e aos seus Cardeais uma boa jornada de trabalho – a História verá os frutos mais tarde.

  8. “Serviço” é uma palavra que na espiritualidade cristã é cheia de humildade, de obediência e de caridade, acima de tudo. Deveríamos estar a “serviço” do Papa, as palavras e a vontade do Papa, nosso Superior, deveriam ser para nós o que a notícia é para a mídia. Deveriam ser para nós o que o ouro é para o avarento. Se todos nós fôssemos humildes, isso é, se não quiséssemos nos colocar acima de nossos superiores o mundo todo já seria cristão, mas enquanto nos opomos a servir, isto é, a obedecer com alegria, seremos um obstáculo ao triunfo do Imaculado Coração de Nossa Senhora. Rezemos, pois, o Rosário, como pediu Nossa Senhora, é o caminho da humildade. Jesus que veio em carne. Ora, não acreditaram em Jesus. Era verdadeiro Deus aquele que eles tinham certeza que era simples homem. Atualmente Jesus vem no Papa, está no Papa, e fala pelo Papa: “e sobre ti (=tua pregação, teu magistério) edificarei a minha Igreja…”. Ora, não acreditamos devidamente em nosso Papa. No entanto é verdadeiro Papa, santo e extremamente ortodoxo, o “homem vestido de branco”(cf.Ap.), que os ventos da incredulidade ou da dúvida se esforçam por afirmar o contrário. Francisco é o Papa que levará a Igreja a fazer o que fez o “bom samaritano”: praticar a caridade e a misericórdia.

  9. Na verdade, não consegui bem entender essa homilia. Achei-a muito confusa. Certamente o defeito está no meu intelecto. De qualquer modo, acho preferível e mais proveitoso ler no original as palavras de São João, bem mais simples e compreensíveis, além de muito santas.

  10. Eu também entendia que a primeira interpretação dos “Anti-Cristos” em São João eram os que perseguiam os Cristãos já na época, a saber: os Judeus e o poder temporal e religioso, expressado na Roma Pagã dos Imperadores. De maneira análoga, podemos estender à todos os reinos e potestades desse mundo que odeia Cristo e seus seguidores.

    O Anti-Cristo será judeu, da tribo de dã e se sentará no “trono como um Deus”. Ele irá reconstruir o Templo de Jerusalém e será adorado pelos Judeus, os falsos-Cristãos, os reinos da terra, o poder econômico e político. Quem saber ele não será um falso Papa, eleito de modo ilegítimo e Roma se tornará a sede do Anti-Cristo?

  11. “,,,comprovar que se aproximem de Deus mediante a humildade e o serviço”.

    A profecia é um dom que esta muito além de ser comprovada pela aproximação de Deus com humildade e o serviço. Dom Bosco era um profeta, quando profetizou ao Rei da Itália que membros de sua família iriam morrer, não era a aproximação de Deus através da humildade e do serviço que estavam em jogo, mas a palavra proferida. No caso de Dom Bosco, reconhecidamente profeta, a palavra se cumpriu, mas no caso de outros, ela não se cumpre. Para ser um profeta não basta aproximar-se de Deus, é preciso estar com ele, pois o profeta fala em nome de Deus.

    Pontuo que a profecia é um dos temas do encontro das CEB’s. Na mensagem que ele destinou a elas, falou em um “maior conhecimento da palavra de Deus” e das “CEB’s levarem a profecia do novo céu e da nova terra”. Em primeiro lugar, os protestantes a 5 séculos buscam um maior conhecimento da palavra de Deus e não conhecem Deus. Em segundo, a profecia do “novo céu e da nova terra” se cumprirá apenas quando se consumarem todas as coisas de nossa fé. Algumas perguntas:

    O que é o dom de profecia para Francisco?

    As CEB’s passam pelo crivo do critério Bergogliano?

    Por ultimo, Satanás pode se transfigurar em anjo de luz, portanto, pode fazer o papel de próximo a Deus, de humildade e de serviço, mas tudo isso em função de enganar. O que ele não pode fazer é dizer a verdade. Mas se as CEB’s se aproximam de Deus através de humildade e do serviço, quem é o Deus de que está falando Francisco?

  12. Penso que o papa Francisco deveria dar nomes aos bois. Exemplificando: a denominada Nova Ordem Mundial-NOW, Sionismo, ou Estado Policial global, consiste num plano para submeter todas as nações do mundo sob a tutela dum governo único totalitário controlado por banqueiros judeus sionistas (“sinagoga de Satanás”, filhos da tribo de Dã, excluída do povo de Deus – Apocalipse). Algumas pessoas discutem sobre como se desenvolve esta agenda, apoiada pelo CFR, ONU, OTAN, Bilderberg e o G8, liderados pela mafia bancária da família Rothschild, incluindo os governos fantoches de Inglaterra, Estados Unidos e Israel, principalmente, com os seus Bancos Centrais e “reservas federais”, mas muitas pessoas sabem, sem a mínima margem de dúvidas, que a “Nova Ordem Mundial” significa o fim da liberdade e dos Direitos Humanos a nível planetário.
    E no Brasil, os banqueiros judeus Safra estão financiando o PT.

  13. Eu fico impressionado com o protestantismo dentro da Igreja Católica , acusar o papa de antiCristo é uma aberração. O papa meus caros para o verdadeiro católico é sim o Vigario de Cristo na Terra. Quem está contra o papa também está contra Cristo. Ele foi eleito pelos Cardeais reunidos em um conclave, quem o escolheu foi o Espírito Santo, como pode leigos querer ser mais que o papa? Pode ser o pior dos papas, mas jamais um leigo poderá julga-lo.
    Se eu creio que a Igreja é conduzida pelo Espirito Santo o que temerei? Homens de pouca fé.

  14. De que adianta dizer algo e fazer o contràrio do que se disse? Quando Francisco veio ao Brasil foi visitar os protestantes ditos evangélicos. Se ele diz condenar os falsos profetas e falsos cristos por que lhes deu a graça da presença papal causando confusão na população brasileira tão analfabeta da Fé catòlica?

  15. Senhores, eu sou um conservador. Mais, sou até reacionário. Não gosto do que se seguiu ao Vaticano II.

    Só sei que no dia em que conjecturas me levarem a maldizer o Santo Padre, neste dia eu devo parar, enfiar a minha cabeça debaixo do cobertor e orar muito pra ser iluminado pelo Espírito Santo, pra ser consolado por Maria.

    Se a ovelha não vai para onde seu pastor a leva, por que ela está no rebanho? É hora de confiar em Deus, na Sua Providência. Sem por isso deixar de lutar pelo que se acha certo, por uma liturgia correta, reverente. Se o bispo dá mau conselho, é ouvir respeitosamente e fazer a coisa certa.

    Mas vejam, uma coisa é trabalhar com o que a gente tem, é tentar amorosamente ser luz pra essa Igreja que parece andar perdida, para nossos irmãos que não conhecem o tesouro… tudo na medida exigida por nossa estatura e responsabilidades, ou seja, por nosso lugar no Corpo de Cristo. Outra coisa é condenar irmãos que não foram anatemizados por quem é competente para fazê-lo, e, como se diz por aí, “voltar o relógio”.

    Porque nós podemos pegar o que deu errado e tentar melhorar, mas não podemos desfazer o que deu errado. Mas poderia ter sido evitado, não é? Teve gente na hierarquia que errou, por culpa ou por dolo. Mas senhores, destes Deus cuida. Porque vocês sabem que a justiça Dele é infalível, mas vocês confiam nisso? Se confiam, não há porque ficar desesperado com a CNBB, com o Concílio, e com essa coisa toda. Mas ai, podemos dizer, tanta gente se perdeu por causa de um pastor ruim! De fato é lamentável, da mesma forma que muita gente se perdeu por causa do pecado de um homem, lá atrás. Mas Deus sabe dessas coisas, e Ele é perfeitamente justo.

    E a ira do homem não é a justiça de Deus!

    Escutem, vou dizer a prece que fiz a Maria esses dias. Disse pra ela que temo pela Igreja. Que se houver algo que eu possa fazer, ela me ilumine pra eu fazê-lo. Mas que seguirei sendo fiel, e obedecendo, porque é isso que me cabe. Não é covardia minha não, é confiança. Porque se coisa errada foi feita, virá à luz, e a humildade exige que aceitemos que nós poderemos não ver esse dia. Até lá o que me cabe, como leigo, é tentar separar o joio do trigo. E claro, orar pela Igreja – orem, com confiança, para que os nossos bispos continuem fazendo o que fazem corretamente, e fujam do que fazem de errado.