O “catolicismo adulto” de um herege atrevido de Mariana, MG.

Divulgamos a seguir o inacreditável artigo divulgado pela página oficial da Arquidiocese de Mariana, MG. O que esse infeliz sacerdote faz na Igreja Católica, senão trabalhar por sua destruição? Vade Retro, Satana! 

Vale recordar que o Arcebispo da Primaz de Minas Gerais, Dom Geraldo Lyrio Rocha, foi, há poucos anos, Presidente da CNBB.

* * *

Pequenas mudanças, sentido profundo

Por Pe. José Antonio de Oliveira

Artigo divulgado no site da Arquidiocese de Mariana.

Artigo divulgado no site da Arquidiocese de Mariana.

Escreva sua história pelas suas próprias mãos”, diz o compositor e cantor Zé Geraldo. E o papa Francisco, em sua exortação sobre a alegria do Evangelho, nos convida a ser mais ousados e criativos, abandonando a posição cômoda de dizer: “foi sempre assim” (EG, 33).

Embora Francisco se refira à evangelização, penso que o recado vale para a vida em geral.

Por isso, quero aproveitar o início de ano novo, tempo de recomeço e de mudanças, para oferecer algumas dicas, de modo especial aos irmãos e irmãs católicos. É que, no campo da fé, há sempre a tentação de se parar na tradição, no que sempre existiu; acomodar-se no que já está pronto.

Falo de algumas experiências que tenho feito, que podem servir de exemplo, embora não tenha a pretensão de ser modelo e referência pra ninguém.

Muitos católicos ainda fazem cada dia, sobretudo no início das orações, o “pelo sinal”. Traçam a cruz com o dedo polegar na testa, na boca e no peito, dizendo: “Pelo sinal da Santa Cruz, livrai-nos, Deus, nosso Senhor, dos nossos inimigos”. Particularmente, não vejo sentido algum nessa oração. Não sei se é pretensão, mas acho que não tenho inimigos. E se tiver, isso faz parte da vida. Eles nos ajudam a rever nossas atitudes e exercitar o perdão. Por isso, ao começar o dia ou uma prece, costumo traçar uma cruz na testa dizendo: Senhor, ilumina a minha mente, pra que eu tenha bons pensamentos! Faço a cruz no peito dizendo: ilumina o meu coração, pra que eu tenha bons sentimentos! E na boca: abençoa a minha boca, pra que eu possa dizer sempre palavras boas!

Pode-se também usar a sugestão do Ofício Divino: “Estes lábios meus vem abrir, Senhor! Cante esta minha boca sempre o teu louvor”.

Me perdoem os devotos, mas também não gosto muito de rezar a “Salve Rainha”. Aprendi isso com papai. Acho uma oração muito pessimista: “A vós bradamos os degregados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas”. Não me considero um “degredado filho de Eva”, mas um filho muito querido, muito amado de Deus. Nem vivo gemendo e chorando num vale de lágrimas. Vivo feliz e lutando, num mundo lindo, cheio de gente boa, que Deus me ofereceu como presente. Claro que não posso ser insensível a tanta gente que sofre, mas penso que importante é a solidariedade, e não a lamentação.

Ao rezar o terço, normalmente as pessoas usam aquela jaculatória: Ó meu Jesus, perdoai-nos; livrai-nos do fogo do inferno…”. Não gosto! Ficar pensando em fogo é muito esquisito. Inferno é ausência de Deus, ausência do amor, não encontrar sentido para a vida. E Jesus já deu a vida pra nos livrar do mal. Fez a parte dele e ainda nos acompanha com sua bênção, sua Palavra, sua graça. O resto é com a gente. Sugiro então que se troque essa jaculatória por outra bem mais evangélica e positiva: “Jesus, manso e humilde de coração, fazei meu coração semelhante ao vosso!”

Quando o padre, ou diácono, proclama o Evangelho na celebração, o Missal Romano propõe que, no final, se diga: “pelas palavras do Santo Evangelho sejam perdoados os nossos pecados”. Nunca disse isso. No meu modo de entender, o Evangelho é a Boa Notícia de Pai, anúncio da alegria da Salvação, a proposta do Reino, a revelação de Deus, convocação para a vida nova. Ora, reduzir toda essa riqueza à função de perdoar pecados é muita pobreza. Não faz sentido! Ainda mais que o pedido de perdão é feito no Ato Penitencial. Não precisa repetir.

Na introdução ao Prefácio, o presidente tem um diálogo com a assembleia, onde ele convida o povo a dar graças a Deus, e o povo responde: “É nosso dever e nossa salvação”. E o presidente continua: “Na verdade, é nosso dever dar-vos graças…”. Embora a expressão “dever” aqui tenha um sentido mais ameno, parece não ser muito feliz. Prefiro dizer: é nosso PRAZER dar-vos graças. De fato, é um prazer poder cantar as glórias de Deus e bendizê-lo por todas as graças e bênçãos que nos proporciona. A Oração Eucarística V, composta para o Brasil, mais precisamente para o IX Congresso Eucarístico de Manaus, usa uma expressão bem mais bonita: “É justo e nos faz todos ser mais santos/ louvar a vós, ó Pai, no mundo inteiro”.

Esses são apenas alguns exemplos de como precisamos prestar mais atenção naquilo que fazemos e falamos, evitando a mesmice, a simples repetição, e procurando dar mais sentido à nossa oração. Que a prece não venha simplesmente da cabeça, mas sobretudo do coração. Pequenas alterações podem expressar mudanças bem mais profundas.

zeantonioliveira@hotmail.com – 8 janeiro, 2014

* * *

Não deixe de manifestar o seu repúdio às pretensiosas “dicas” do herege de Mariana, preferencialmente por telefone ou fax:

DOM GERALDO LYRIO ROCHA, Arcebispo de Mariana – MG
Praça Dr. Gomes Freire, 200 – Centro – Caixa Postal 13
35.420-000 – MARIANA – MG
Telefones: (31) 3557-1259 e (31) 3557-1103
Fax: (31) 3557-1103
Email: domgeraldo@terra.com.br

NUNCIATURA APOSTÓLICA

Excelência Reverendíssima Dom Giovanni D’Aniello, Núncio Apostólico
Av. das Nações, Quadra 801 Lt. 01/ CEP 70401-900 Brasília – DF
Cx. Postal 0153 Cep 70359-916 Brasília – DF
Fones: (61) 3223 – 0794 ou 3223-0916
Fax: (61) 3224 – 9365
E-mail: nunapost@solar.com.br

SECRETARIA DE ESTADO DA SANTA SÉ:

Excelência Reverendíssima Dom Pietro Parolin
Palazzo Apostolico Vaticano
00120 Città Del Vaticano – ROMA
Tel. 06.6988-3438 Fax: 06.6988-5088
1ª Seção Tel. 06.6988-3014
2ª Seção Tel. 06.6988-5364
e-mail: vati026@relstat-segstat.vavati023@genaff-segstat.va ; vati032@relstat-segstat.va

CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ

Excelência Reverendíssima Dom Gerhard Ludwig Müller
Palazzo del Sant’Uffizio, 00120 Città del Vaticano
E-mail: cdf@cfaith.va – Tel. 06.6988-3438 Fax: 06.6988-5088

CONGREGAÇÃO PARA O CLERO

Excelência Reverendíssima Dom Beniamino Stella:
Piazza Pio XII, 3 00193 – Città del Vaticano – ROMA
Tel: (003906) 69884151, fax: (003906) 69884845
Email: clero@cclergy.va (Secretário)

SUPREMO TRIBUNAL DA ASSINATURA APOSTÓLICA

Eminência Reverendíssima Dom Raymond Cardeal Leo Burke.
Piazza della Cancelleria, 1 – 00186 ROMA
Tel. 06.6988-7520 Fax: 06.6988-7553

CONGREGAZIONE PER IL CULTO DIVINO E LA DISCIPLINA DEI SACRAMENTI

Eminência Reverendíssima Dom Antonio Cardeal Cañizares Llovera, Prefeito desta egrégia Congregação, Palazzo delle Congregazioni
Piazza Pio XII, 10
00120 CITTÀ DEL VATICANO – Santa Sede – Tel. 06-6988-4316 Fax: 06-6969-3499
e-mail: cultidiv@ccdds.vavpr-sacramenti@ccdds.va

110 Comentários to “O “catolicismo adulto” de um herege atrevido de Mariana, MG.”

  1. Já enviei e-mail a todos os contactos (incluindo ao referido padre) há cerca de duas semanas, quando me deparei com o inacreditável texto.

    Sem qualquer resposta até hoje…

    • Muito triste ler tudo isso a respeiro desse padre…

      Cada vez mais tenho certeza: os piores inimigos da Igreja estão dentro dela mesma.

    • …já que esse padre está no embalo de corrigir DEUS em tudo; André vamos pedir pra ele tirar a cruz,as imagens,melhor ainda tira a eucaristia,poe bala no lugar e chiclet.
      Porque esse padre teve estudo e formação doutrinal para ser padre,ele tá certo,errados estão todos os santos que lutaram seculos para manter a tradição.

  2. Satanás deve estar de férias com tanta gente fazendo o trabalho dele

  3. Estamos perto do fim meus caros. Todos os sinais o demonstram. Estejamos preparados. Que a Quaresma que se aproxima nos seja ocasião para profundas orações e penitências. Que Nosso Senhor nos ajude. A Igreja está tomada por demônios e endemoniados como esse padre que perdeu a Fé. Rezemos por ele, pois a sua talvez sincera vocação deve ter sido corrompida em seminários ruins, em ambientes eclesiásticos viciados e em pastorais equivocadas. Rezemos, ofereçamos penitências e peçamos que Deus nos dê a Graça de termos cada vez mais Missas em rito tridentino, para que o Santo Sacrifício oferecido de forma digna possa aplacar a ira de Nosso Pai contra seus filhos indignos.

  4. É o diabo disfarçado de sacerdote. Alguém duvida?

    Ri de tristeza quando ele citou a parte da oração que fala sobre os inimigos. Qualquer católico sabe que a oração quer dizer dos inimigos espirituais, como diz a oração em Efésios: não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os seres espirituais que estão nos ares.

    Será que ele vai sugerir que mudem a Bíblia também!? hahahahahahhaha

    Simplesmente uma piada de muito mau gosto este artigo. Ridículo!

    • Ricardo não é piada, é tragico…pra não falar desesperador.
      O André coitado tá esperando uma resposta do bispo da diocese (muita pacienciaaaa)
      Eu digo que o bispo esta na maior das confraternizações com esse padre.
      É muita inocencia esperar alguma coisa de gente que pessa assim como estes que dizem ser “padres”
      Não sabem realmente o significado desta vocação.

  5. O Inimigo já o convenceu que não existe ou com ele fez as pazes…

    Quanto otimismo renascentista! O mesmo dos protestantes? Os próprios que, para evitar a “mesmice”, criaram milhares de formas de praticar tantas outras milhares de formas e conteúdos de crer?

    Se não fosse um filho amado, nem precisaria rezar porque não seria atendido. Não teve a humildade de se ver pecador (mesmo assim amado) e necessitado da graça divina e da intercessão dos santos. Se não chora e geme sob o peso dos pecados, parecerá mais um fariseu do que um publicano arrependido.

    Terá de pedir muito para ser manso e humilde como Cristo. Com tanta rebeldia e presunção (ainda está em dúvida), nunca aceitará o jugo leve do Salvador

    Frutos do Vat II: cada qual faz seu próprio concílio individual e faz as coisas à sua maneira, professando um falso testemunho ao rezar o Credo. É o triunfo do anti-Syllabus e da prostituta babilônica.

  6. Nossa…este sacerdote está na Igreja e não entendeu nada…Quando vejo essas sugestões de quem não É nem ESTÁ na Igreja não me escandalizo, mas ler isso que este sacerdote sugeriu dói viu…!

  7. Isso é absolutamente deplorável! Como alguém tem coragem de publicar isso? É, triste constatação, o retrato de grande parte da Igreja em nosso país, bem imagino as coisas que não são publicadas. O que mais não se dirá por aí?
    Gente assim, que demonstra nem fé católica ter mais, é tolerada e tem seus textos veiculados por um órgão eclesiástico oficial, como é a página da Arquidiocese de Mariana, enquanto outros, por defenderem a fé da Igreja, são banidos em nome de uma não sei que obediência e submissão.
    Vejamos alguns elementos do malfadado texto:
    a) “acho que não tenho inimigos” – ou o sujeito não crê mais na existência do demônio (o que acho mais provável no contexto da Igreja que está no Brasil) ou, se crê, não o tem por inimigo (será amigo? Valha-me Deus!);
    b) “não me considero um degredado filho de Eva” – Pelágio tampouco se considerava tal, negando qualquer influência do pecado dos primeiros pais sobre nós. Bem que Francisco, que tanto fala sobre o pelagianismo, poderia enquadrar esse sacerdote! Será que esse padre, ao menos, percebe a miséria de sua própria natureza? Ou se acha um super-homem?
    c) “fogo é esquisito” – será que esse senhor estudou a expressão metafórica da linguagem? Será que parou para pensar o que esse “fogo” significa? Ele mesmo a usa: quando pede que Jesus faça o seu coração semelhante ao d’Ele próprio. Ou será que ele pensa num transplante de coração?
    d) ah, o pior de tudo: “o Missal Romano propõe que se diga…” – não, padre, desculpe-me: Vossa Reverência está rotundamente enganado. O Missal Romano não propõe coisa alguma, ele PRESCREVE que se diga! O clérigo que não o faz, não é um criativo, mas um desobediente, rebelde, que se apropria da liturgia e a modifica a seu bel-prazer, como o próprio Vaticano II condenou que se fizesse.
    Não estranha, por outro lado, que alguém para quem a condição humana é pouco menos que o céu sobre a terra, alguém que pelo visto nem crê no pecado original, não goste de ficar repetindo ou “ache sem sentido”, o pedido de perdão. Santo Agostinho, pelo contrário, reconhecia no “perdoai-nos as nossas ofensas” o hino da Cidade de Deus! Que distância!
    e) idem para “é nosso prazer” – naturalmente esse padre nunca leu o tratado da virtude de religião, em que Santo Tomás a reconhece subordinada à justiça (dar a cada um o que é devido). Ora, Reverendo, a Deus é devido (portanto, é dever nosso) um culto de adoração e de louvor. Que a graça torne esse dever um prazer, isso é outra coisa.
    Por fim, se alguma consideração esse padre tiver por Bento XVI e pelo seu magistério, não custa lembrar aqui o ensinamento dele sobre as palavras da liturgia: nós entramos no nós da Igreja e rezamos com as palavras dela. A liturgia não é uma apropriação do culto à minha medida, mas um entrar na dinâmica da vida da Igreja, o que me é possível fazer a partir de suas próprias palavras. Para quem se acha acima de toda fraqueza, de todo pecado, isso talvez seja de difícil compreensão.
    Qual o seu dever, padre? Explicar a liturgia, os seus termos, os seus gestos ao povo (o que subentende a sua própria formação), e não modificá-la segundo o seu achismo, dando ao povo manjar envenenado, em vez de alimento de vida eterna.

  8. Não fosse a introdução acrescida pelo Fratres, juraria que o texto em comento fosse uma sátira – a exemplo daqueles fabulosos vídeos do “Theater of the World Inc.” inspirados na obra de G.K. Chesterton, como este: http://www.youtube.com/watch?v=2boPY9GqoO8

  9. Vou destacar apenas um comentário infeliz deste padre: achar que não tem inimigos soa para mim em negar a existência do Diabo. A existência do Diabo é verdade de fé e sabemos o que significa negar uma só verdade de fé (tanto que o Fratres dá nome aos bois e chama o padre de herege). Na minha opinião, uma dos problemas atuais é precisamente não dar nome aos bois na tentativa do politicamente correto. Nossa sociedade evita falar no Diabo e muita gente nem mais acredita que existe. Até no atual Rito do Batismo se evita falar em Diabo ou Satanás. No Exorcismo do Rito do Batismo a fórmula mais usada diz: “Para conduzir estas crianças no caminho de Jesus, vocês renunciam às ilusões deste mundo e às tentações do espírito maligno?”. Eu prefiro a:fórmula: “Renunciais a Satanás e a todas as suas obras e seduções?”, que ainda pode ser usada. Enfim, se Jesus tivesse sido politicamente correto, possivelmente não teria morrido na cruz, não teria ressuscitado e vã seria nossa fé. Como morreu na cruz, ressuscitou e como cristãos devemos ser outro Cristo, não devemos ser politicamente corretos.

  10. Vou me reportar apenas ao “pelo sinal”. Ensina a Igreja que nós temos três inimigos e um deles é o demônio. Se o Pe José Antônio presume não ter inimigos, então, ele acha que o demônio é seu amigo? ou eu devo admitir que ele não conhece a doutrina da Igreja? Veja que presunção. Ele diz que Deus deu as pessoas de presente a ele.

  11. O pior é que não parece maldade. O problema não é o padre, é quem (não) o ensinou.

    Seria melhor que alguém escrevesse uma carta aberta pra ele.

    Explicando (não dialogando, rs) tim tim por tim tim que todos temos sim pelo menos dois grandes inimigos – nosso coração endurecido e o Inimigo e suas legiões. Lembrá-lo que Cristo não saía por aí pedindo pro Pai ensinar pra ele “bons sentimentos” e “palavras boas”.

    Que o padre, enfim, incorre num vício comum nesses tempos de Hollywood e gurus da nova era, que é o sentimentalismo e que ele não tem nem ideia de como a vida espiritual dele seria enriquecida se ele pedisse aquele importante dom do Espírito Santo que é o TEMOR.

    Que Deus o ilumine.

    • Como não parece maldade? Enquanto aprendia, o problema talvez não fosse o padre. Mas agora que aprendeu, o problema é sim o padre. O padre anda espalhando o mal que aprendeu. E que mal!! Miseráveis!

  12. Tempos atrás, ao saber das peripécias doutrinarias do Pe José Antônio, escrevi a ele comentando acerca de seus relativistas procedimentos, porém, até ao momento não recebi resposta.
    Mais um exemplar para se colocar no santuario da DITADURA DO RELATIVISMO, ser entronizado e ter sua imagem levada por seus fieis e pedir sua intercessão.
    Em B Horizonte há um exemplar parecido, recentemente em evidencia na mídia: Pe Claudio van Balen, cujos seguidores de suas heresias agrediram dentro da igreja outros fieis por aquele horário ser do frei-proprietário van Balen, impedindo outra celebração que não a dele naquele horario, lá agora conhecidos como “black blocs católicos” e nessa religião pode casar 2 vezes, receber a S Comunhão, sem problemas e muito mais.
    O que se pode concluir é que as profecias de N Senhora do Bom Sucesso e outras nesse sentido estão literalmente sendo cumpridas; casos como desse relativista estão se tornando mais frequentes.
    Oportunamente Satã poderia agradecer a ele e a semelhantes, se não se converterem, dando-lhes um local de destaque em seu reino por serem os grandes colaboradores de sua causa de arrebanhamento de almas.

  13. “Não sei se é pretensão…” é padre é ela sim, tenha certeza, em cada linha do que foi escrito ela abundou jocosamente.

  14. Olhando na ótica do Direito o que o padre fez?… ele foi antiético. Não ha necessidade de enviar uma queixa dessa para os departamentos da Santa Sé, Eles tem muitos outros problemas para cuidar. Seguindo o Direito, deve-se agir primeiramente na 1ª estância jurídica eclesiástica. O bispo da diocese em que o padre tem “uso de Ordem” , deve chama-lo e adverti-lo verbalmente e faze-lo se retratar publicamente por meio do jornal da diocese ou site.

    Ao ler o texto nota-se que ele tem uma visão ultra progressista das orações tradicionais da Igreja. Ele pode até não gostar do texto, porém não vi heresia nem apostasia. Volto a dizer foi uma posição antiética da parte dele por ser um sacerdote e católico (é claro). Muitas opiniões particulares devem ser guardadas em nossas mentes para evitar constrangimentos futuros e possíveis advertências.

  15. Encaminhei para esse padre o email abaixo. Duvido que a Arquidiocese de Mariana tomará alguma providência.

    Muito prezado Pe José Antônio de Oliveira,

    “Haverá um tempo em que não suportarão mais a sã doutrina.” (II Tim 4, 3)

    1. Eu não tenho dúvidas de que caminhamos para a apostasia final que a Igreja fará antes do retorno de Cristo.

    Vocês, entusiastas do modernismo, da TdL, falam sempre para observarmos os “sinais dos tempos”, e qualquer crente que tenha o mínimo de conhecimento no conteúdo da Fé, deve já ter notado isso: caminhamos para a apostasia final. Alguns membros da Igreja, cada dia mais querem estar de mãos dadas com o “príncipe deste mundo”.

    Enquanto isso, vemos um besteirol de artigos excitando ao “novo”, ao “moderno”, ao “diferente”. Para esses autores, como o senhor – caro padre -, tudo o que é ortodoxo e tradicional, é “velho”, “antiquado”, “ineficiente”.

    2. Confesso que não tenho o costume de rezar o “Pelo sinal”, mas, às vezes que o rezo “Pelo sinal da Santa Cruz, livrai-nos, Deus, nosso Senhor, dos nossos inimigos”, peço para que o Senhor me livre dos Inimigos “espalhados pelos ares”. O que nos diz o apóstolo em Efésios 6, 10-12?

    “Pois não é contra homens de carne e sangue que temos de lutar, mas contra os principados e potestades, contra os príncipes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal (espalhadas) nos ares.”

    Quanto a sugestão do senhor, dou-lhe outra: use a Oração da Igreja, a Liturgia das Horas, que no invitatório reza “Abri os meus lábios, ó Senhor./ E minha boca anunciará vosso louvor” (Sl 50, 17). Mas para quem não suporta algo mais “ortodoxo”, tem que rezar o “Ofício Divino das Comunidades”. Não é padre?

    3. Penso que uma das mais belas antífonas marianas (e que gosto muito de cantá-la no gregoriano) é a Salve Regina. Me identifico muito com ela.

    “Me perdoem os devotos, mas também não gosto muito de rezar a “Salve Rainha”. Aprendi isso com papai. Acho uma oração muito pessimista: “A vós bradamos os degregados filhos de Eva. A vós suspiramos, gemendo e chorando neste vale de lágrimas”. Não me considero um “degredado filho de Eva”, mas um filho muito querido, muito amado de Deus. Nem vivo gemendo e chorando num vale de lágrimas. Vivo feliz e lutando, num mundo lindo, cheio de gente boa, que Deus me ofereceu como presente. Claro que não posso ser insensível a tanta gente que sofre, mas penso que importante é a solidariedade, e não a lamentação.”

    Realmente o senhor deve viver “feliz e lutando, num mundo lindo” e talvez cor-de-rosa, onde Alice caminha de um lado para o outro.

    Eu não padre, vivo na cidade de São Paulo. Vejo cada coisa por aqui…

    Padre, a esmagadora maioria aqui na cidade de São Paulo, não tem empregada doméstica para lavar a roupa, cozinhar, limpar a casa; não tem carro com o tanque cheio para aproveitar bastante; não tem celular e computador; nem outras mordomias que o clero possui, e que talvez o senhor as tenham. (Conheço vários padres, e sei como “lutam”…. quanta luta…. quanto sofrimento. rsrsrsrsrsrs)

    Como me disse pessoalmente um certo Bispo: muito padres entram para a Igreja atrás de 5 “C”s: Casa, Carro, Comida, Computador e Celular; e depois ele complementou: outros vão atrás do 6º “C”, o que não convém replicar neste email, mas o senhor deve saber do que falo. (rsrsrsrs)

    Com muita piedade e devoção rezo a Nossa Senhora; me dirijo suspirando a ela, gemendo e chorando neste vale de lagrímas (“Ad te suspiramus, gementes et flentes in hac lacrimarum valle.”).

    Eu não tenho dúvida de que este mundo é um “lacrimarum valle”.

    Quanta miséria material, moral e espiritual. Quanto sofrimento físico.

    Aqui em São Paulo a gente vê de tudo: seres humanos tratados como lixo; violência em excesso; indiferença para com as pessoas; pessoas perdidas no vício do sexo e das drogas; trabalhadores que sofrem horrores ao usar um ônibus, um metrô; trabalhadores que gastam 2 horas para ir ao trabalho e 3 horas para voltar para casa em condições sub-humanas com um desrespeito total.

    Ou então, um trabalhador tem que trabalhar na insegurança, podendo ser demitido a qualquer hora, ou aguentando um chefe/patrão lhe exaurindo a paciência. Certamente padre, o senhor não sabe o que é estar desempregado, o que é procurar um emprego… Coisas que as pessoas normais vivem.

    Por isso o senhor para o senhor “vive feliz e lutando, num mundo lindo”.

    Realmente os bairros periféricos e as favelas, assim como as cidades suburbanas de São Paulo são tão lindas… E a Igreja católica tem uma presença tão forte nesses lugares, padre… dá até gosto.

    Quase não se vê igrejas evangélicas nessas regiões… quase não se vê….

    Quase não se vê poucas!!! A Igreja católica quase não existe nessas regiões. Encontra-se às centenas Igreja evangélicas nessas regiões.

    Eu sempre repito que A IGREJA FEZ OPÇÃO PREFERENCIAL PELOS POBRES, MAS OS POBRES NÃO FIZERAM OPÇÃO PELA IGREJA.

    Os pobres não fizeram, padre, opção por essa Igreja onde tudo é “moderno”, “novo”; Os pobres não fizeram opção pela Igreja dos Sindicatos, do PT, do marxismo.

    4. Inferno-pecado.

    São palavras que não existem no vocábulo dos padre modernistas, não é padre?!

    As duas verdades andam juntas. Eu não quero “pagar pra ver”. Fico com o ensinamento tradicional da Igreja a respeito deste binômio.

    Nem vou gastar minha digitação decorrendo sobre este assunto.

    5. Enfim, padre. Venha aqui para São Paulo; convido o senhor a fazer algo de útil: ao invés de ficar escrevendo artigos com divagações e bobagens, convido o senhor a trabalhar e arrumar o que fazer.

    Abraço,

    Alexandre Antunes

    • Excelente carta Alexandre Antunes. Conheço este padre pois há alguns anos atrás passou uma semana de férias na fazenda da minha avó e eu estava lá. Foi formado na Teologia da Libertação. A Diocese de Mariana infelizmente está muito ruim. Os padres são cada vez mais TL e estão esperançosos que o Papa Francisco faça uma revolução na Igreja. Antes era uma diocese tradicional, mas a infeliz TL contaminou tudo. Não vai adiantar mandar carta para o Bispo porque ele comunga das ideias deste padre.

  16. E, por esse artigo, não é difícil imaginar que esse sacerdote também não goste de dizer o “SEJA FEITA A VOSSA VONTADE” do Pai-Nosso que Jesus nos ensinou…

  17. Enviei o email abaixo, ao arcebispo.

    Exmo Dom Geraldo Lyrio Rocha
    Arcebispo Metropolitano de Mariana,

    Paz do Senhor!

    Faço minhas as palavras do adagio “Nem tudo o que reluz é ouro”.

    O senhor sempre me passou a imagem de que era um bispo competente e zeloso para a causa da fé. Ao menos na aparência o senhor parece ser um bispo íntegro, respeitoso.

    Faz algum tempo que venho me questionando: como esse senhor íntegro, competente e zeloso, permite que no site de sua arquidiocese, um tal padre chamado José Antônio de Oliveira escreva tanta bobagem?

    Concluí: se ele permite é porque ele concorda. Se ele concorda com tanta heterodoxia, então ele não é ortodoxo, portanto, é um sepulcro caiado: tem uma aparência sóbria, zelosa, mas no fundo, no fundo, pertence a essa caterva, de inimigos da fé tradicional da Igreja.

    Com os meus mais sinceros desapontamentos,

    Alexandre Antunes

  18. Profundamente triste com tudo isso. Como se alargam os hereges, crescidos nos ambientes relativistas, em que grassou a omissão dos que estavam ordenados a defender a sã doutrina. Rezo sempre a cada aula sobre a “História do Cristianismo”, a Salve Rainha, com meus catequizandos, começo a catequese sempre com a “Salve Rainha”, que reconhece Nossa Senhora Rainha do céu, e que apesar deste vale de lágrimas em que estamos, sim, temos a esperança de que a nossa Mãe querida, esperança nossa e nossa advogada, que neste vale de lágrimas é a quem volvemos ao Seu olhar misericordioso e suplicamos para que faça chegar as nossas orações ao Seu Filho, Nosso Senhor Jesus Cristo, bradando: “Senhor, salva-nos outra vez!”

  19. Simplesmente inacreditável.
    Deboche. Escárnio.
    Se no meu trabalho eu ousasse “dar dicas” sobre as leis, decretos e toda a legislação que eu devo cumprir, com tamanha falta de vergonha na cara, seria demitido a bem do serviço público. Isso depois de responder a um processo administrativo disciplinar.
    Agora, esse padre…vai ficar assim?
    Onde está a CNBB? O senhor Arcebispo? Mais: onde está a comunidade, paróquia ou capela que abriga esse padre?
    Onde estudou esse padre? Quem foram seus professores? Se formos fundo nessas perguntas, acharemos as respostas para os absurdos porque isso é veneno que se destila, prova-se e vende-se nos seminários.
    Não digo que é o fruto do modernismo. Nada disso! Isso é tão descarado que já se trata de pós-modernismo, um verdadeiro upgrade da miséria moral que atingiu nosso clero.
    Agora é só aguardar o(s) próximo(s) artigo(s) do(s) herege(s) de plantão da vez, até porque acredito que não vai parar somente nisso.

  20. O melhor título para esta nova heresia seria:
    O “catolicismo ADÚLTERO” de um herege atrevido de Mariana, MG.
    Realmente, estamos vivendo as páginas do último livro da Sagrada Escritura: Apocalipse de São João. Principalmente o capítulo 12, quando relata a perseguição dos filhos da “Antiga Serpente” ou “do Dragão Vermelho”, a terça parte das estrelas do Céu (sacerdotes apóstatas), querendo devorar a mulher vestida do Sol (Nossa Senhora), grávida e com dores de parto (Sinais dos Tempos que anunciam a Segunda Vinda de Jesus)…
    Como é atual a mensagem bíblica:
    “E viu-se um grande sinal no céu: uma mulher vestida do sol, tendo a lua debaixo dos seus pés, e uma coroa de doze estrelas sobre a sua cabeça.
    E estava grávida, e com dores de parto, e gritava com ânsias de dar à luz.
    E viu-se outro sinal no céu; e eis que era um grande dragão vermelho, que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas.
    E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho.
    E deu à luz um filho homem que há de reger todas as nações com vara de ferro; e o seu filho foi arrebatado para Deus e para o seu trono.
    E a mulher fugiu para o deserto, onde já tinha lugar preparado por Deus, para que ali fosse alimentada durante mil duzentos e sessenta dias” (Apocalipse 12:1-6).
    Um novo cisma da Igreja, atualmente camuflado e silencioso, em breve será REVELADO. Um novo Rasgão na Túnica Única será observado a olho nu.
    Tristes tempos.

  21. Fui dar uma olhada na página principal do site da Arquidiocese de Mariana e achei mais este artigo de mais este herege, em que faz (como sacerdote) apologia aos pecados capitais: http://www.arqmariana.com.br/?p=31405

  22. Satanás deve estar de férias com tanta gente fazendo o trabalho dele (2)
    DIAS PIORES ESTÃO POR VIR.

  23. É, agora sim o que estava oculto está sendo descoberto. Talvez seria isso a causa de tantos temas mundanos na campanha da fraternidade, pelo amor de Deus. Jesus morreu na cruz para nos salvar e vamos ficar olhando tema de meio ambiente? Tá certo que sim, mas fora da Via Sacra, lá é pra lembrar que Deus desceu a terra e deu sua vida por nós para nos salvar! Quer amor maior que isso? Eu não vou rezar essas campanhas mais, a não ser que venha algum tema realmente santo como: A Santidade nos tempos atuais ou Devemos ser Santos. É triste ver o que estão fazendo, então “padre” porque São Miguel existe? Pra ficar de férias no céu? E La Salette e Fátima não falam do Inferno e do demônio. O problema está no alto a colina mesmo, não há discussão mais. E eu continuarei rezando por São Bento e São Miguel porque muitas pessoas que se aproximam mais de Deus já sofreram tentações pesadas do demônio, se duvidarem olhem a estória de Padre Pio e outros Santos. Sim, se sofrermos essas tentações devemos rezar a de São Miguel e de São Bento e aspergir o quarto. Porque meus amigos, o mal sabe que agora é a última chance dele atacar as pessoas de Deus, então preparem-se, ele vai atacar. E quanto a esse Padre:

    A Cruz sagrada seja minha luz
    Não seja o Dragão o meu Guia
    Retira-te Satanás
    Nunca me aconselhes coisas vãs
    É o mau que tu me ofereces
    Bebe tu mesmo teus venenos!

  24. E dá-lhe TL com sua reinterpretações doentias. Eis aí mais um fruto amargo do CV II.

  25. Faltou ao referido sacerdote dizer que quanto Jesus fala do inferno ele não deixa de falar de fogo, da Geena, onde se queimava o lixo… Claro, talvez para ele isso também seja inatual e demasiado influenciado pelo espírito da época. Mas obviamente o autor do texto está acima de tudo isso, muito longe do “espírito do nosso tempo”…

    P. S.: Adorei a frase do Luís: “Satanás deve estar de férias com tanta gente fazendo o trabalho dele”.

  26. Existe outros textos desse padre que também são lamentáveis, o mais puro modernismo, a mais descarada prática da apostasia, e publicados no site de uma arquidiocese, para todos verem. Então ou o bispo não lê o site de sua própria diocese, ou concorda com o que é escrito nele.

    Como alguém pode negar da forma mais perigosa possível, a dissimulada e um tanto cortês, Verdades de Fé Católica e esse alguém não ser um herege, senão já um apóstata? Ele contraria o que a Igreja sempre disse inspirada pelo Espírito Santo, e o faz de forma tão jubilosa e educada, que dá raiva, só não tanta quanto saber que ele não vai ser punido pela igreja do Vaticano II.

  27. Satanás deve estar de férias com tanta gente fazendo o trabalho dele ! Não! Não esta de férias, Nestes últimos 50 anos aposentaram ele, os modernistas acharam ele muito bom para o plano de destruição da igreja, hoje em dia tem gente mais diabólica que o próprio capeta, por isso o aposentaram.

  28. Caríssimos Fratres isso ainda é pouco diante daquilo que tenho presenciado a muito tempo por essas terras de Minas. A heresia e a apostasia anda livre por aqui. Convido vocês a darem um passeio por várias dioceses de MG pra ver e comprovar a decadência do catolicismo e o crescimento das igrejas protestantes, por culpa desses hereges. Dia desses numa paroquia da minha diocese que é vizinha de Mariana, um padre queimou incenso aromático (daqueles usados em religioes orientais) dentro da Igreja, sim pasmem, e ainda colocou o vaso em cima do altar. Fora os absurdos que ja presenciei em confissões, ensinamentos contrários a doutrina católica.

    Salvem Minas Gerais!

  29. Padre,com todo respeito,porque o senhor não cai fora da Igreja?
    Para esse seu humanismo safado ha vagas na Maçonaria.

  30. Não se escandalizem ainda, minha gente!
    Este padre escreveu muito mais loucuras no site da Arquidiocese de Mariana do que vocês possam imaginar! Confiram mais algumas:

    Neste artigo ele afirma que “não gosta muito” da expressão dogmática que afirma que a Santa Virgem Maria é Mãe de Deus: http://www.arqmariana.com.br/?p=19944

    Neste outro ele reafirma uma heresia de Alfred Loisy, condenada por S. Pio X, e que veio à tona com uma recente declaração do pe. Fábio de Melo: http://www.arqmariana.com.br/?p=31295

    Neste aqui ele defende o PT durante a campanha eleitoral, censurando os cristãos verdadeiros que estavam expondo a ideologia perversa e abortista deste partido: http://www.arqmariana.com.br/?p=9471

    Neste artigo ele defende a licitude das relações homossexuais: http://www.arqmariana.com.br/?p=14002

    Continuem enviando emails para o bispo local pra ver se ele acorda e impede que essas sandices sejam publicadas no site oficial da arquidiocese!

    • Esse pseudo padre consegue ser ainda mais herético que o herege Lutero.Maldito conciliábulo modernista de Metz!!

      Eu denuncio também e podem me censurar, podem me xingar mas não me calarei.

      Parabéns pelo comentário Jeronimo!!

  31. Eu sequer perco meu tempo escrevendo para outros Modernistas que mantém esses lobos como pastores pois enquanto Roma pega fogo, Nero toca harpa e deixa que o Corpo de Bombeiros seja comandado por incendiários.
    O que podemos fazer é justamente o que fez o passarinho da fábula :

    Certa vez uma floresta estava sendo tomada por um terrível incêndio, que queimava plantas, árvores deixando os animais apavorados.
    No meio da fuga, um elefante olhando para o alto, reparou que um pequeno pássaro voava ao encontro das chamas e voltava rápido na direção do lago.
    O elefante, intrigado, parou de correr e ficou observando mais atento o que o pássaro fazia. E então percebeu que o objetivo daquele pequeno pássaro era tentar apagar o incêndio, apesar de só poder carregar um pouquinho de água em seu bico.
    Surpreso, mas nada fazendo para ajudar, o elefante debochando do pássaro, perguntou:
    – Você está pensando que com esse pouquinho de água que carrega no seu bico vai conseguir apagar essas imensas chamas? Você não vê que isso não está ajudado em nada?
    Antes de voltar ao que estava fazendo, o determinado pássaro respondeu para o elefante:
    -Penso que sua tromba cheia de água valeria por milhares das minhas viagens, mas o que te sobra de tamanho, te falta em coragem… e, se o que faço valerá a pena, não sei. Só sei que para mim, o mais importante é que estou fazendo a minha parte!

    Esses bispos covardes se comportam exatamente como o elefante! Não fazem nada e ainda criticam e perseguem quem ousa fazer.
    No momento atual, temos que continuar fazendo o trabalho do passarinho, denunciando e agindo exatamente ao contrario do que eles esperam: reafirmando nossa fé no Credo da Igreja, esvaziando suas celebrações sacrílegas, não contribuindo financeiramente com eles, alertando os demais fiéis sobre suas heresias e nos agarrando cada dia mais à Tradição da Igreja.
    Santo Agostinho já dizia que Deus ao permitir que os homens maus proliferem, tem dois objetivos: ou convertê-los ou fazer com que os bons sejam testados, pois se tivermos vida fácil corremos o risco de nos tornarmos mornos.
    Esse padre herege é outra cria da teologia marxista que o leva a ver como fé “ideologizada” qualquer coisa que tenha cheiro de ortodoxia. Dom Boaventura Klopenburg ja havia denunciado:

    “O trabalho de desbloqueio das consciências nas massas populares cristãs, tal como pretendem fazer os promotores da Teologia da Libertação, é assombrosamente superficial, se opõe a toda a Tradição recebida dos Apóstolos e desconhece a natureza do homem e suas leis. Verdade é, que segundo eles, falar de leis naturais, já seria “ideologizar”. Mas é porque são intelectualmente esquisofrênicos ( já que incapazes de entender a distinção entre dualidade e dualismo, vêem e denunciam dicotomias por toda a parte) e teologicamente paranóicos ( pois se sentem constantemente acossados pelo fantasma da ideologização). O bacilo marxista os intoxicou e os deixou completamente enfermos”.( Igreja Popular- Dom Boaventura Klopenburg- Editora Agir 1983)

  32. Atendendo ao solicitado (e muito bem solicitado) no pórtico desta triste notícia, tomo a liberdade de reproduzir abaixo o e-mail que acabei de mandar a Dom Geraldo, Arcebispo de Mariana:

    “Dom Geraldo:

    Para lhe ser sincero, não tenho esperança que este e-mail seja aberto por Vossa Reverendíssima. Menos ainda que seja lido; e, definitivamente, menos ainda que possa surtir algum efeito, porque se há algo que não surte efeito na Igreja de hoje são as advertências de sempre.

    E, não tenho esperança, pois faço uma crítica; e o objeto dela foi publicado no jornal da Arquidiocese de Mariana, que é a Primaz mineira. Então não tem como o senhor não saber do artigo publicado por um subalterno, o padre José Antonio de Oliveira.

    Note bem, Excelência Reverendíssima, sou apenas um católico. Nada mais do que isto. Sequer cursei Filosofia e Teologia, ainda as laicas, que direi das voltadas ao Sacerdócio!

    O padre tira os “inimigos” na oração “Em nome do Pai”. Mas, no meu incipiente devocional, sempre aprendi que os “inimigos” são os oponentes de Deus, que é o Sumo Bem e que tudo fez perfeitamente, conforme Gênesis, 1, 25; sempre aprendi que nossos inimigos são o Diabo, o Mundo e a Carne.

    Nos meus tempos de menino atrasado da roça, ouvia com prazer o Hino da Congregação Mariana, e meus ouvidos tiniam de satisfação quando escutavam: “Tu nos proteges, Ó Mãe Potente, Contra a inimiga e cruel serpente./ De mil soldados, não teme a espada, Quem pugna à Sombra da Imaculada!”

    Mas, a Serpente, Inimiga por excelência (“porei inimizade entre tua descendência e a dela”, conforme Gn,3), não lhe provoca nenhuma reflexão. Jesus foi tentado pelo Inimigo, mas ao Padre José, este não lhe atenaza inimigo algum! Nem o Diabo é inimigo dele? E ao lado do Diabo, nem o Mundo e nem a Carne.

    Segundo ele, a “Salve Rainha” é uma oração pessimista. Onde já se viu os fiéis dizerem “vale de lágrimas”? Aqui, segundo ele, não tem nada de lágrimas, de negativo. Que oração mais escura é esta? Não é à toa que o pai do reformador também já se encalistrava com ela. Bendita esta “dica”!

    Então eu perguntaria: estamos diante de um sacerdote católico, que vê na vida eterna o galardão último e querido de todos os viventes, ou pensa ele que a vida é vivida aqui mesmo? É um padre ou uma Testemunha de Jeová?

    Sim, porque até onde eu sei, são os discípulos de Russell que pregam a herança terrena, pois os eleitos já são contados, medidos e concertados: 144.000.

    O padre José Antonio não se considera um “degredado filho de Eva”, razão pela qual reprocha esta passagem, pois é filho muito querido de Deus. Será mesmo, padre? Será que somos todos, indistintamente, filhos queridos de Deus ou somos meras criaturas de Deus?

    Consta que indagado sobre a ressurreição, com qual marido a mulher ficaria na outra vida depois de ter sobrevivido a sete, Jesus teria dito: “As pessoas deste mundo se casam. Contudo, as que são julgadas dignas de ter parte naquele mundo e na ressurreição dos mortos, lá não se casam. E já não podem morrer outra vez, porque são iguais aos anjos e filhos de Deus, sendo participantes da ressurreição” (Lc, 20, 34-36).

    Pelo que meus iletrados olhos leem e enxergam, o mero fato de se viver não quer dizer tudo. É preciso que além deste vale de lágrimas (menos para o padre, que seria o único homem cabalmente feliz), possamos ser contados entre os feixes de trigo, possamos estar entre as ovelhas, sejamos admitidos à direita de Jesus quando deixarmos este mundo.

    Não são todos os dignos de ter parte “naquele mundo” e na ressurreição. Se o padre pensa que a vida se encerra neste mundo “cheio de gente boa” onde ele vive “feliz e lutando”, mundo que Deus lhe “ofereceu como presente”, penso honestamente que sua “dica” ficaria muito bem para um agnóstico, para um ateu rematado, nunca para um padre ordenado.

    Também não “gosta do fogo do inferno”. Ele não gosta, mas não explica como o inferno aparece em várias passagens da Bíblia. Em como Jesus nos orienta, nos dirige, nos aconselha a evitá-lo de qualquer maneira. De como nos incita a não sermos jogados fora, onde haverá choro e ranger de dentes, num fogo que não se apaga (Mt, 13, 42).

    Penso que não seja “esquisito” pensar em fogo. Esquisito é viver todas as horas do dia neste completo hedonismo em que vivemos. Em que a simples menção de inferno, de dificuldades, de julgamento, é afastada com um muxoxo: “não gosto”.

    Ele não gostar, tudo bem, problema dele cair na vala. Mas guiará seu rebanho para a mesma sorte? Esta “dica” não me parece muito razoável. Menos ainda para a Sé, que abona esses conselhos perigosos!

    Ademais, quem ignora o Inferno são os espíritas. Os asseclas de Alan Kardec, por crerem em sucessivas reencarnações até a completa purgação, dispensam o Inferno. Penso que um padre não pode ser espírita.

    Também critica a oração do Missal onde propõe que os nossos pecados sejam perdoados pelas palavras do Santo Evangelho. Para quê, se no “confiteor” já se fez a oração? Para que reduzir toda a “riqueza do Evangelho” no perdão dos pecados? Então a “dica” é outra: silenciar e não repetir absolutamente nada.

    Todavia, indago, atônito com a sabedoria dessas “dicas” feitas para um “catolicismo adulto”: se não for para o perdão dos pecados, alcançado também pelo Sacramento da Confissão, para que, afinal de contas, vivemos? Se a “riqueza do Evangelho” não contiver, explícita e implicitamente a remissão de nossas faltas, como haveremos de ressuscitar? Como entraremos no céu e participaremos da Igreja Gloriosa manchados pelo pecado? Como restituiremos nossa condição primeira antes da Queda, se não lavados da nódoa? Não sei como resolver esta questão, para mim complicadíssima.

    Quando encerra a Santa Missa ouvimos que é “nosso dever e nossa salvação” dar Graças a Deus. Mas o padre não vê sentido nisso e substitui o “dever” pelo “prazer”. É um “prazer”, segundo ele, dar Graças a Deus.

    De todos os males, este me parece (quem sou eu???) o menor, mas enseja algumas especulações, também: se tudo que temos, se nem um cabelo cai de nossa cabeça sem que seja a vontade de Deus, se por Ele vivemos, nos movemos e somos, muito mais do que um festivo “prazer” temos um rigoroso e centrado “dever” de dar-Lhe graças para a nossa própria salvação.

    Se o fazemos com prazer, obviamente será muito melhor. Mas o prazer não nos livra do dever, penso eu.

    Encerra conclamando mais atenção no que rezamos, no que falamos, diz que devemos evitar a “mesmice, a simples repetição”, procurando dar “mais sentido à nossa oração”. “Que a prece não venha simplesmente da cabeça, mas sobretudo do coração”, diz.

    Eu, como já estou cansado de ouvir e ler essas mesmíssimas palavras nas bocas e letras dos evangélicos que não “rezam”, mas “oram”, nem me apego mais a essas cantilenas – elas sim, repetitivas ao enjoo –, mas volvo meu coração e minha mente para aquela terrível hora do Getsêmani, onde Jesus pediu aos discípulos que dormiam (bem menos do que nós!!) para que despertassem e rezassem. Se a “dica” de São Marcos não estiver errada, Ele “afastou-se de novo e rezou, repetindo as mesmas palavras” (Mc, 14, 39).

    Não sei se o sentido dessas “pequenas mudanças” é “profundo” como quer o inovador do Ofício divino. Como já disse, não sou teólogo. Mas, fico preocupado, porque são essas “pequenas mudanças” que vão transformando as coisas e nosso tempo.

    De mudança em mudança estamos cada dia mais perto do precipício. E, certamente mais longe de Deus, porque quanto mais as coisas mudam, em velocidade e em teor, mais se afastam de Deus, que é imutável por excelência.

    Se Deus não muda, será justo que o padre mineiro, que a Arquidiocese de Mariana, que a Sé de Roma mudem?

    Eis aí uma reflexão que também me parece, se não profunda, pelo menos preocupante!

    Pedindo perdão pela insolência, peço

    Sua benção, em nome de Jesus e Maria.

    João Cirilo

  33. Depois dessa mais que necessário fazermos sempre o Pelo Sinal da Santa Cruz, livrai-nos Deus Nosso Senhor dos nosso inimigos.

  34. E as autoridades vaticanas dizem que a Igreja nunca esteve tão bem…

  35. Pupilo de Dom Luciano Mendes de Almeida? o qual, segundo consta, convidava o leonardo Boff para fazer preleções em seminários quando ao Boff tinha sido imposto o silêncio obsequioso pela Santa Sé.

  36. “Hoje, depois de um século de empulhamentos e do triunfal aggiornamento trazido por uma apoteose de equívocos, querem nos inculcar a amolecida idéia de um cristianismo sem combate, sem inimigos e, por via de conseqüência, sem necessidade do Sinal da Cruz.” Gustavo Corção.

    Fonte: http://permanencia.org.br/drupal/node/517

  37. “remédio em demasia mata. Até amor em excesso sufoca. Veneno na dose certa é remédio. O que é considerado pecado capital, na dose certa, na hora certa, pode proporcionar qualidade de vida.”…

    “Nunca a Igreja esteve tão bem”…

    Pensamento inteligente: “Satanás deve estar de férias com tanta gente fazendo o trabalho dele”.

    Doce coração de Maria, sede nossa salvação!

  38. Dois post atrás o frates noticiou o assassinato de dois sacerdotes na Venezuela. No Brasil o crime organizado atirou fogo em um ônibus e por mais que a mãe suplicasse, os bandidos atearam fogo em sua filha de 5 anos.

    Quanto ao inferno, passo a palavra a Santa Faustina Kowalska da qual o inferno existe e como é grande a sua extensão:

    http://devotosdamisericordiadivina.blogspot.com.br/2012/07/o-inferno-existe-e-como-e-grande-sua.html

  39. “Ai do mundo, por causa dos escândalos. Porque é mister que venham escândalos, mas ai daquele homem por quem o escândalo vem…” {Mateus18. 7,8}
    Misericórdia Senhor desses seus ungidos Sacerdotes Padre Fabio, Frei Claudio e Pe. José Antonio de Oliveira.
    Paz e Bem!

  40. É impressionante, as balbúrdias e hipocrisias estão saindo do armário, atores, atrizes, cantores, esportistas em geral, estão se revelando homossexuais, perderam o medo!!!. E agora os padres estão se revelando também??? Estão se mostrando como é “bom” pensar diferente da Igreja, desafiando a Sã Doutrina de Nosso Senhor??? Não é só a fumaça de satanás que penetrou na Santa Igreja, mas o próprio disfarçado………. TEMPUS FACIÉNDI, DÓMINE, DISSIPAVÉRUNT LEGEM TUAM : É tempo de agir , Senhor, lançaram por terra a vossa Lei.(Ps, 118, 126).

  41. ‘Pequenas alterações podem expressar mudanças bem mais profundas’…, sim, ele está certo: vide, por exemplo, os estudos que denotam o caráter protestantizante / heretizante da missa nova feitos pelos Cardeais Ottaviani e Bacci, assim como os de Arnaldo Vidigal Xavier da Silveira.

    Aliás, esse padreco é o portador da típica doença espiritual almejada pelos mentores do cvii: o Liberalismo, heresia condenada por Pio IX na Quanta Cura e no Syllabus.

    Viva o novo pentecostes ( sic )…

    Salve Maria.

  42. Quase me esqueci:

    Salve, Regina, Mater misericórdie, vita dulcedo et spes nostra, salve!; ad te clamámos, éxules filii Evae, ad te suspiramos, geméntes et flentes, in hac lacrymárum valle; Eia, ergo, advocáta nostra, illos tuos misericórdes óculos ad nos converte; et Jesum, benedictum fructum ventris tui nobis, post hoc exílium, ostende; Ó clemens, ó pia, ó dulcis Virgo Maria!

    Ora pro nobis, Sancta Dei Génetrix,
    Ut digni efficiámur promissiónibus Christi.

  43. Puxa, fiquei com água na boca, esperando as correções criativas, mais bonitas e atuais que ele iria fazer ao PAI NOSSO. Já pensou?! é bem legal a idéia dele, né? depois poderíamos passar pros Salmos, e, em seguida para os Evangelhos. Tem tanta coisa lá pra mudar, né. Eu tenho ótimas idéias. Quando tiver tempo vou compartilhar com o padre José Antonio de Oliveira, certamente vai enriquecer muito seu ministério.

  44. Em resumo, “Narciso acha feio tudo o que não é espelho”

  45. Acabo de enviar meu e-mail de protesto ao Dom Geraldo. Esse homem não é mais católico. Ele deveria imediatamente ser suspensa e proibido de ensinar, sobretudo o Catecismo. Depois voltar para os bancos do Catecismo, humildemente, e começar a aprender tudo de novo. Enquanto isso, o mundo pratica blasfêmias como a peça imunda Jesus Cristo Super Star que está sendo patrocinada pelo Ministério da Cultura. Eu já participei de um protesto em http://www.defendojesus.com.br Acho que os Srs. deveriam participar.

  46. Fratres caríssimos, depois da eleição do Papa Francisco não sinto a mínima vontade de enviar e-mails com as denúncias. Creio que chegamos ao fundo do poço, corrijam-me se estiver errado!

  47. Vivo minha fé baseada nas verdades que me ensinaram nas aulas de catecismo, lá pelos idos de 1945. Será que o Pe. não aprendeu aprendeu o catecismo?

  48. Meus caros, por que se escandalizam? Depois do que já vimos até agora, isto seria ao menos, previsível.

    Este padre é qualquer coisa menos padre.

    O pior é que os fiéis a ele subordinados, são qualquer coisa menos fiéis.

    Acho mais útil que informar aos progressistas da Vatica , catequizar os mais jovens para serem católicos de verdade; o que é raro hoje em dia.

    O nome dele já está na lama.

    Diga adeus, padre, à reputação.

    Pax

  49. É desse “catolicismo adulto” do padre Zé Tonho que eu fugi; foi a essa religiãozinha bonitinha, alegre e feliz dos ursinhos carinhosos sem dor, morte e inferno que renunciamos eu e todos os jovens que aderiram à “modinha da Tradição” aludida pelo Papa Francisco. É toda essa pseudo-ternura pastoral de “deus é dez” que atira as almas nas seitas e no ateísmo.

  50. Aproveito o ensejo para aconselhar aos caríssimos leitores e comentaristas deste conceituado site “Fratres in Unum” que leiam e meditem o livro de Santo Afonso Maria de Ligório: GLÓRIAS DE MARIA SANTÍSSIMA.
    Oxalá seja só impressão minha: parece que, no atual pontificado, os hereges não têm tido receio de vomitar suas heresias, mas o fazem com o maior descaramento e audácia.
    É bom aqui lembrar a bem-aventurança de Nosso Senhor Jesus Cristo: “Bem-aventurados os que choram porque serão consolados”. Os modernistas nunca estiveram tão bem dentro da Igreja!!! Mas ai dos tradicionalistas ou mesmo dos meros conservadores. Que o digam os caríssimos frades Franciscanos da Imaculada!
    Faz muito bem à alma ouvir a Salve Regina em Gregoriano e também no Barroco Mineiro de Mesquita.
    Caríssimos, rezemos o Sinal da Cruz e a Salve Rainha com muita devoção!

  51. O padre está apenas alertando para outras ideologizações de que Dom Rifan e o Papa Francisco não lembraram: a ideologização do sinal da cruz, do Salve Rainha etc.

  52. Se na sua paróquia tem padres que dizem e rezam (?) assim, o melhor que vc pode fazer:
    -materialmente: não contribuir com NADA, nem um só real para a paróquia, enquanto não houver mudança,
    -espiritualmente: rezar pela conversão do Padre,
    E não ir nas Missas deles. Missa desse tipo não obriga ninguém a ir.

  53. Ele podia mudar algumas pasaagens do Evangelho também – tem umas partes tããão duras….

  54. Email enviado!

    Fiquem com Deus.

  55. Eu como filho desta Arquidiocese sinto-me entristecido por tamanha afronta ao Sacrifício da Missa e à algumas orações devocionais da nossa Igreja. Eu no meu pensar, se ele acha que tudo isto e um tipo dde besteira, porque não larga o Sacerdócio. Leva os outros a pecar com esse tipo de pensamento escroto que ele tem. Como cristãos devemos considerar ainda a dignidade que ele tem através da Igreja: ser um Sacerdote. Mas como cada um de nós ele é simplesmente digno de repúdio e pena. Aonde está o Arcebispo Metropolitano de nossa Arquidiocese, porque ainda não foram tomadas as devidas medidas de resolução do problema. Oremus

  56. Se quiserem mandar mensagens para o facebook do controverso padre José Antonio, ei-lo: https://www.facebook.com/joseantonio.oliveira.90

  57. A esses senhores apenas uma pergunta: já avisaram com todas as letras aos católicos – cuja vocês fé vocês desprezam tanto que a mudam a bel prazer – que vocês desprezam a fé católica?

  58. Quanta bobagem. Um monte de heresias e blasfêmias!

  59. Caríssimos irmãos,

    Lembrei agora um artigo recente do FratresInUnum datado em 12 deste mês com o título “Este ministério deve ser cumprido igualmente sofrendo e rezando!”. Nele o autor ao conversar com um ex-seminarista ouve certa frase deplorável, a qual resume o porquê das coisas.

    “Um seminarista havia me procurado para dizer que estava deixando o seminário. Com tristeza falei que ele era um talento promissor, e lhe indaguei; “Você chegou a ler, a estudar, a fundo, o Catecismo da Igreja Católica?” Ao que ele me respondeu: “Não li, acho muito complicado. A Igreja precisa de menos doutrina e ser mais povo!” Até hoje, sinceramente, nunca entendi essa resposta. Semanas depois ele estava comissionado no gabinete de um parlamentar do PT.”

    (vide https://fratresinunum.com/2014/02/12/este-ministerio-deve-ser-cumprido-igualmente-sofrendo-e-rezando/ )

    Em resumo, não conhecem a Doutrina e acham-se no direito de alterá-la. Ora, o Demônio também quer que Deus mude. A Doutrina e a Tradição existem pela contínua ação do Espírito Santo. Desejar a sucessiva mudança da Doutrina ‒ ou achar-se no direito de pisar na Tradição, ainda que disfarçado de simplicidades e falsas humildades ‒ é trabalhar para o Demônio; porque, ao desejar isso, nega-se ao mesmo tempo a ação do Espírito Santo na Igreja.

    Como diria S. Paulo, “se alguém — ainda que nós mesmos ou um anjo do céu — vos anunciar um evangelho diferente do que vos anunciamos, seja anátema”.

    Irônica e lamentavelmente, tenho de concordar com o comentário do Luís, “Satanás deve estar de férias com tanta gente fazendo o trabalho dele”.

    Um dia abençoado a todos.
    Per christum Dóminum nostrum.

  60. Desculpem as pessoas que nao entenden espanhol, mas acho que este texto mostra bem o mal que sofre este padre.

    UNA CARTA DEL DIABLO A SU SOBRINO:TENER HORROR A LO MISMO DE SIEMPRE

    “Mi querido Orugario:

    El verdadero inconveniente del grupo en que vive tu paciente es que es meramente cristiano. Todos tienen intereses individuales, claro,pero su lazo de unión sigue siendo el mero cristianismo. Lo que nos conviene, si es que los hombres se hacen cristianos,es mantenerles en el estado de ánimo que yo llamo “el cristianismo y…”.Ya sabes: el cristianismo y la Crisis, el cristianismo y la Nueva Psicología, el cristianismo y el Nuevo Orden, el cristianismo y la Fe Curadora, el cristianismo y la Investigación Psiquica, el cristianismo y el Vegetarianismo, el cristianismo y la Reforma Ortográfica. Si han de ser cristianos, que al menos sean cristianos con una diferencia. Sustituir la fe misma por alguna moda de tonalidad cristiana. y trabajar sobre su horror a Lo Mismo de Siempre.

    El horror a Lo Mismo de Siempre es una de las pasiones más valiosas que hemos producido en el corazón humano :una fuente sin fin de herejías en lo religioso, de locuras en los consejos, de infidelidad en el matrimonio, de inconstancia la amistad.”

    (Cartas del diablo a su sobrino,Editorial Andrés Bello,p.120)

  61. Bom dia! Sou uma fiel, não ligada a pastorais , nem outro serviço para a igreja. Há algum tempo, por intermédio de um amigo, comecei a acompanhar as idéias, traduzidas através des textos do sacerdote José Antonio. Compreendi que se trata de uma pessoa culta, aberta as idéias do cotidiano ,porém com seu espectro sob ela. É um sacerdote, por isso merece respeito , é uma pessoa sensível, livre e principalmente humana, pois trata de suas angústias e outros sentimentos com verdade , chegando ao ponto de escrever sobre um período o qual ficou internado e tudo e que envolvia esse momento, a gratidão, era o pano de fundo.Os textos são fortes, abertos, sinceros,poéticos até, mas de um olhar além, próprio de quem tem coragem de abrir a alma, sem preocupar com reservas. Meus Senhores, a humanidade das pessoas é aquilo que o fiel mais se identifica nas paróquias, na vida cotidiana, no correr de nossas lutas. O divino de Deus, a Santa Igreja nos orienta e nos leva com muita dignidade sim, com os sacramentos, com os ritos, com as pastorais, mas também queremos aprender da igreja , ser homem sob o olhar de Deus. O sacerdote José Antonio tem feito muito bem a muitos, com seu jeito simples e sincero, as pessoas que o seguem e que o amam, compreendem o que ele fala,não deixam de rezar a oração Salve Rainha , apenas respeitam sua opinião. A poesia no seu jeito de falar, revela como se deve olhar o outro,avançando a mediocridade do julgamento. Muito obrigada pelo espaço e pelo respeito a minha opinião . Sou da Arquidiocese de Montes Claros e amo a minha Igreja Católica, gracas a Deus. Carla.

    • Carla, graça e paz.

      Normalmente as opiniões pessoais, seja elas quais forem, devem ser ditas pessoalmente numa reunião informal. Jamais num fórum específico para comunicação oficial da nossa amada Igreja Católica. O sacerdote faz um juramento e precisa cumprí-lo.

  62. Gente, acho que não podemos julgar alguem sem antes conhecê-lo(a), sua cultura, seus costumes, sua criação, seu jeito de ser. Zé antonio é de boa indole e bem dedicado ao ministério. Só coloca a opinião dele e há liberdade de expressão para isso. Só diz que não gosta muito de algumas expressões que, de fato, foram usadas na composição de algumas orações num determinado tempo que hoje já não respondem mais. ele não incita ninguem a pensar como ele. Simplesmente diz o que pensa. Vamos respeitar? Escrevam direto a ele. tem o e-mail lá em baixo. ele vai gostar de se comunicar com vcs. Abçs.
    Pe. Gledson Eduardo

    • Caríssimo Pe Gledson, gostaria de saber qual a sua opinião sobre epsódio do Fr Van Balen ? A sua Benção.

      Mauro Cesar Carvalho
      ENS-Brasil

    • Pe Gledson Eduardo,

      Ele “só coloca a opinião dele”… Só que a opinião dele é totalmente a contrária, a estabelecida pelo “patrão”.
      Seria o mesmo caso, se eu publicasse num blog que sou contrário ao Código de Conduta da empresa em que trabalho; que sou contrário às Metas e Diretrizes estabelecidas pelo presidente da empresa; que sou contrário à Missão e Valores da empresa, etc, etc…
      Só que infelizmente, na Igreja “vale tudo”, não é padre???

    • Padre a sua benção,como muita humildade digo que no momento as noticias voam com a velocidade da internet.
      O que o Sr. esta vendo agora é a indignação contra a casa de DEUS.
      O Pe Antonio, ele é formador de opinião por mais que ele não queira deformar as “orações católicas por sinal conseguidas com muitas lagrimas,sangue e sofrimento” não se deve jamais proclamar o pecado em alto e “bom som” – não sei se me fiz entender – o que ele pensa,guarda pra ele.
      Nós só queremos a missa que sempre foi a missa – SÓ ISSO. nada mais.
      Doutrina Católica tem que ser na risca,com autoridade,com respeito.
      Nós católicos não estamos mais com tempo e vantagem sobre as outras religiões o nosso tempo agora deve ser gasto pra salvarmos a nossa Igreja Católica Apostólica Romana,das mãos de pessoas que “acham” que seria melhor assim. – este tipo de pessoa que diz “acho que ficaria melhor assim” nada mais estão;que brincar ou ensaiar com aquilo que somente tem uma função para a qual foi criada.
      Ex. eu vou pentear o meu cabelo eu uso um pente, e não uma panela.
      Chega!!! o concilio ecumenico vaticano II – teve o seu tempo e os seus frutos estão aí – DISSIPAÇÃO.
      Igreja – Missa tridentina
      Padre – Batina.
      Eucaristia – O Pe. que deve manusear para que o fíel possa recebe-lá.
      Musicas – Canto gregoriano.
      Altar – na parede da Igreja com o Santissímo e não mesa eucaristica.
      …tem mais mas não dá tempo,conforme eu falei,o meu tempo acabou – a todos Salve Maria.

    • Pe. Gledson,

      Sua mensagem é sintomática. Não apenas pelo apoio ao padre em questão, mas por aquilo que o senhor aponta como (supostamente) óbvio e que de óbvio não tem nada, sendo – no mínimo – discutível. Vejamos alguns trechos:

      “Só coloca a opinião dele e há liberdade de expressão para isso.”

      Liberdade de expressão é um valor (questionável, mas não e esse o ponto da discussão) da sociedade para ser exercido em sociedade. Isso não impede que as instituições cobrem decoro daqueles que pertencem a ela por livre e espontânea vontade. Ninguém é obrigado a ser padre, nem a ser católico.

      “Só diz que não gosta muito de algumas expressões que, de fato, foram usadas na composição de algumas orações num determinado tempo que hoje já não respondem mais.”

      É, tipo tudo que caracteriza a fé católica. Sua maneira de colocar sugere que concorda com ele.

      “ele não incita ninguem a pensar como ele.”

      O que é incitar alguém a pensar como ele, já que o senhor considera que proferir esses pensamentos em suas homilias e em foruns públicos em nome da Igreja não é incitar?

      “Simplesmente diz o que pensa. Vamos respeitar?”

      Qualquer um pode dizer o que quiser. Em qualquer meio, profissão ou instituição os membros que falam em nome dela são expulsos ou demitidos quando proferem outro tipo princípios. Em alguns casos são processados por falsidade ou estelionato, pois vende gato por lebre (quem vai a ele vai esperando ouvir doutrina da Igreja que diz pertencer).

      Como eu disse antes, sua mensagem é sintomática de que essa mentalidade é muitíssimo difundida. É uma vergonha que os leigos tenham que chamar atenção dos padres.

    • Cristo quando foi discutir com os fariseus não permitiu “liberdade de expressão”, mas sim que seguisse a Sua Palavra.

  63. Realmente, estamos próximos do cumprimento da profecia de La Salette:

    “Roma perderá a fé e se tornará a sede do Anticristo”.

    A cúpula da Igreja, conf. previsão de Fátima (3º segredo não divulgado), está contaminada com o câncer da MODERNIDADE (que constitui a “síntese de todas as heresias”, segundo o papa Pio X), em virtude da omissão dos pastores. Tais tumores malignos invadiram as células (comunidades cristãs), tecidos (Igrejas) e órgãos (CNBB, Pastoral da Terra…), e espalhou-se (metástase) para outras regiões do corpo místico de Cristo (hieraquia), que é a Sua Igreja. Somente uma parte mínima deste corpo será preservada da contaminação (Metástase), cujos remédios espirituais são: oração, jejum, penitência, confissão, desagravo às ofensas contra o Sagrado Coração de Jesus e ao Imaculado Coração de Maria, rosário.

    Não tenham dúvidas, haverá em breve um NOVO RASGÃO NA TÚNICA SEM COSTURA (NOVO CISMA na Igreja), atualmente silencioso e camuflado, virá à tona. Aliás, a “Antiga Serpete” vem formando o seu exército de sacerdotes apóstatas (pedófilos, adúlteros…) que combaterão os filhos da “Mulher vestida de Sol”. A batalha já começou. Que cada católico se arme com armadura do cristão. A guerra é espiritual no primeiro momento, mas na sequência virá a perseguição contra os verdadeiros seguidores de Cristo. Nuvens pesadas aproximam contra a Terra e tempestades começam a formar. Preparemo-nos com oração e vigilância, pois a “cada dia basta o seu mal”.

    Nota: Jesus sempre foi perseguido pelos doutores da lei e e sumos sacerdotes do Templo de Jerusalém.

    Bento XVI é um profeta, ao revelar:

    – “Maior perseguição à Igreja” não vem de “inimigos de fora, mas nasce do pecado da Igreja”. No avião que o transportava até Portugal, o Papa falou com os jornalistas presentes sobre os casos de pedofilia que têm abalado a Igreja Católica em todo o mundo.

    “A Igreja tem uma profunda necessidade de reaprender a penitência, de aceitar a purificação, implorar perdão”, disse Bento XVI, que se referiu também à “necessidade da justiça” neste processo. Tendo como pano de fundo a profecia sobre os sofrimentos do Papa, que foi revelada na terceira parte do Segredo de Fátima, no ano 2000, Bento XVI sublinhou que os mesmos não apenas provocados por pessoas “fora” da Igreja.

    “Os ataques ao papa e à Igreja não vêm só de fora, os sofrimentos da Igreja vêm do seu próprio interior, do pecado que existe na Igreja”, declarou.

    Bento XVI confessou o seu sofrimento perante esta situação, que surge agora de uma forma “verdadeiramente aterradora”. Para o Papa, os membros da Igreja devem estar “prontos” para os “ataques do mal”, externos e internos, mas deixa uma palavra de esperança para os fiéis.

    “As forças do bem estão presentes e, no final, o Senhor é mais forte do que o mal”, afirmou, sublinhando que “a bondade de Deus é a última palavra da história.

    Vem Senhor Jesus!

  64. Agora fica a dúvida se o bispo não viu isso, ou ele não faz nada.

  65. Li parte do arquivo da St. Sebastians Angels e tremo até os ossos. Como manter a serenidade?? É uma dimensão de maldade que me era inconcebível!!! Senhor tende piedade de nóse dá nos força pra não desesperar!!!!!

  66. Além de todos esses absurdos, tem uma questão importante, que ninguém comentou: ” ao rezar o terço, normalmente as pessoas usam aquela jaculatória: “Ó meu Jesus, perdoai-nos; livrai-nos do fogo do inferno…Não gosto! “.
    Quero lembrar que, quem ensinou essa jaculatória foi Nossa Senhora de Fátima aos três pastorinhos, e pediu a eles que rezassem.Será que podemos desprezar e discordar de uma oração que a Mãe de Deus ensina?
    Jesus o que está acontecendo com o nossos padres?
    Sinto muito.
    Perdoa-lhes eles não sabem o que falam…

  67. Pe. Gledson Eduardo. Sua bênção.

    Gostaria de dizer uma coisa, já que o senhor é padre e talvez amigo do padre em questão, ao qual não vou escrever pois não acredito que leria minha mensagem, e já deve ter recebido outras melhores às quais eu nada poderia acrescentar.

    Pe. Gledson, os fieis não querem e não precisam das opiniões pessoais dos sacerdotes, eles precisam é da fé da Igreja, dos ensinamentos da Igreja, dos conselhos da Igreja. E daquilo que qualquer sacerdote pela graça de estado tem condições de oferecer… em nome de Deus e da Igreja. Só a Igreja Católica tem isso a dar e é isso que procuramos nela, se assim não fosse, qualquer uma servia.

    O problema desse seu amigo é que ele fala suas proprias opiniões e gostos, o que não teria direito de fazer já que representa Outro. Não acrescenta nada alem de uma forte ideia de relativismo, de questionamento a tudo que forma a historia da nossa fé. Nós tambem temos nossas proprias opiniões disparatadas e mesmo a elas procuramos não seguir, mas sim a do Mestre e de Sua Igreja, pois “os pensamentos do homem são vento” como diz o salmo, e a primeira coisa que devemos renunciar pra seguir a Cristo são nossas vontades e opiniões pessoais.

    Nós esperamos dos sacerdotes, não suas opiniões e gostos, não suas novidades criativas, mas uma provada vivência interior e aprofundados conhecimentos de fé.
    Eu como leiga li documentos importantes da Igreja, li a trilogia Jesus de Nazaré, de Bento XVI , e não entendo um sacerdote que não tenha tempo pra isso. Digo isso porque SEI que se tivesse lido pelo menos esses ultimos escritos do Papa emérito, seu amigo não teria falado tantas bogagens como falou.

    Até entendo que nos ultimos anos (50 , segundo alguns) a formação dos padres foi fraquíssima no certo e fortíssima no errado, e agora, mesmo os bem intecionados, não tem muito que oferecer de bom. Mas nós precisamos espernear pra fazer-vos ver isso, e procurar correr atras do prejuízo, o que não é nada impossivel, já que muitos padres estão percebendo isso, especialmente os mais jovens.

    Que tal se o senhor fizesse isso também, por si e por seu amigo?

  68. Eu sempre me vejo como um tipo de pecador, diria até que meio empedernido, porque é aquela coisa… a gente acha que o que faz de errado não seja pecado… por isso mesmo procuro passar o tempo todo pensando em Deus, rezando de tudo o que me lembro, o dia todo, e antes de deitar, e assim que acordo, e sempre pedindo forças a Deus, para superar minhas fraquezas, pedindo perdão, pedindo Sua Misericórdia, implorando sempre para a Mãe de todas as misericórdias, continuando a pedir forças… rezando especialmente a Salve Rainha que, sem dúvida alguma, deve ser, para o católico, a maior oração de todas depois do Credo, tudo com o objetivo de evitar, por ver tanta miséria e falta de Deus à minha volta, mendigos, gente suja, bando de mulambentos, viciados em crack por todos os cantos, esquinas e calçadas, gente apodrecida em vida – e eu mesmo correndo esse risco – e sacerdotes dessa espécie herética, atirando-se a si próprios e conduzindo seu rebanho direto para o inferno, repito, imploro a Deus e sua Santíssima e Sempre Virgem Mãe, e me persigno a maior parte do dia, até mesmo com água benta, com o objetivo de evitar passar a eternidade toda sofrendo os horrores do inferno, junto desse tipo de gente… esse pensamento me apavora… que Deus tenha misericórdia de todos nós e acabe logo com esse sofrimento…

  69. Antes quando eu lia algo do tipo sempre me irava, me irritava. Hoje não, hoje eu sinto paz. E sabe por que? Porque a verdade incomoda, incomoda e muitos não a aceitam. Infelizmente vemos bispos like Pilatos, padres like Judas. Mas Deus é grande. E perdoem dizer, mas ele não gosta de pensar no inferno, que Jesus perdoe a todos e leve todas as almas para o céu, sinceramente não quero ver esse homem queimando no fogo por conta da arrogância e da ignorância. Quanto ao senhor Pe. Gledson Eduardo, só lhe peço que nos mostre uma única frase de oração que não nos cabe hoje. Pois se no caso essas citadas pelo seu confrade não serve para esse mundo destruído pela ausência de Deus, eu definitivamente não sei quais servem então. In Iesus.

  70. “Quando porém vier o Filho do homem, porventura achará fé na terra? (Lucas 18:8).

    Tenho sérias dúvidas, principalmente em relação à Igreja no Brasil, antiga Terra de Santa Cruz.

  71. E como anda o voto de castidade na arquidiocese de Mariana-MG? Com a palavra os pastores…

  72. Que horror!!!!…….estamos nos “fins-dos-tempos”……..cercados de…..L O B O S!!!!

    CUIDADO!!!!!….”esse” aí, é outro……..LOBO!!! não é Pastor, ….não! Afastem-se, urgente, dele!

    Socorro, JESUS!!!! Há muitos LOBOS no Rebanho!!!!…….Socorro!!!

    MARANATHA!

  73. ALÔ,alô,alô! ….. LUIS!

    CONCORDO contigo! Genial! Há muita gente fazendo o trabalho do Satanás, pois o mesmo, realmente está…….de férias!

    CONCORDO, com essa tua idéia, LUÍS!!! PARABÉNS! é isso, aí.

  74. Olha, meus amores, vamos por partes, porque depois daqui não vou ficar mais perdendo tempo discutindo com vocês, uma vez que já ficou claro que não vamos chegar a lugar nenhum, certo? Cada um continuará pensando do jeito que acha que deve e vamos nos respeitar assim, ok? Afinal, nos intitulamos “fratres”, certo? Imagina se não fôssemos? Rs!
    Pois bem, geralmente nos sites nós encontramos links logo na parte de cima, dizendo a finalidade da página, quem criou, onde estão, a quem nos dirigimos para contato, etc, etc. Nesse site senti falta disso. Na verdade, ele foi criado por quem? São padres, freiras, leigos, ateus, cristãos, pagãos, umbandistas…. Gostaria de saber a procedência do site. Podem fazer isso no meu e-mail pessoal. gledsoneduardo@yahoo.com.br. Se não puderem se identificar pra todos. Fica uma coisa esquisita porque nem as pessoas que fazem suas postagens dá pra saber se são reais. Podem ser todas fictícias. E isso não me dá segurança.
    Como meu comentário gerou alguns posteriores (o que eu não esperava, uma vez que não era alvo de nada), vou aqui tecer os comentários pertinentes.
    Mauro Cesar, não tenho opinião formada sobre o caso do Frei Claudio, porque não conheço a história a fundo. Mas nunca julgo de princípio. Se houve algum erro, penso que alguma atitude já pudesse ter sido tomada antes. As reportagens dizem que tem 44 anos que ele está lá e é assim? Por que só agora esse rebuliço todo? Não entendi.
    Não sei a quem vc se refere quando diz “patrão”, Alexandre Antunes. Seria lícito comparar a Igreja a uma empresa qualquer? Também não sei.
    Não Alexandre Marcos Rodrigues, vc não se fez entender… No lado direito da página tem uns links: Missa Tridentina na Brasil, Lugares… Qdo vc clica lá aparece Montes Claros/MG, uma das cidades de Minas onde se celebra a tal missa e meu nome está lá. Eu sou um dos poucos que celebro a Missa Tridentina junto a Pe. Henrique, já de mais idade, porque ninguém por aqui quer prestar esse serviço. Não vejo problema na tradição. Uso batina, canto gregoriano. Mas também não dá pra negar o Vaticano II né? ”Vocês devem fazer isso sem deixar aquilo”, diria Jesus aos fariseus. Celebro pros tridentinos, pra Renovação Carismática, Pros quilombolas, Missas afros, sertenejas,… não vejo problema nisso, respeito todos eles que estão na Igreja. Alguns tipos de celebração não são meu estilo de jeito nenhum. Mas não vou ficar criando caso por causa disso.
    Na verdade não me sinto no direito de chamar a atenção de nenhum leigo, André C.A. Afinal, somos todos “fratres in unum”, não é mesmo? Não há maior nem menor. Alias, no dizer de Jesus, “quem quiser ser o maior seja o menor de todos”. Não sei o que o Pe. José Antônio diz em suas homilias. Mas o fato é que ele tem a opinião dele, vc tem a sua, eu tenho a minha, certo? Com tanto que estejamos com Jesus, o mundo não vai acabar por opiniões diferentes, como alguns dizem que isso seria o “fim dos tempos”. Mas uma coisa me deixa pensativo: Vêem os comentários: Quantas vezes a Palavra Doutrina e Documentos e pouquíssimas vezes menção à Sagrada Escritura? Quantas vezes o nome do Papa e quase nada o Nome de Jesus? Muitas vezes o nome Igreja e pouquíssimas o Reino de Deus? Talvez seria melhor se voltássemos à Igreja das catacumbas ou dos Atos dos Apóstolos, não? Parece que estamos tornando o essencial secundário e o secundário essencial. É a inversão de valores do mundo moderno.
    Volto a dizer que estou falando com conhecimento de causa: Conheço Pe. José Antõnio e sei que é um padre muito dedicado e fiel ao seu Ministério e àquele que o chamou. Ele foi meu professor de liturgia no seminário, e nem por isso ninguém ficou desvirtuado. Prova disso e que até uso batina e celebro a missa tridentina. Lembro-me de uma vez ele ter dito que aprendeu que a intolerância é o pecado dos ignorantes.
    Pode ser que em empresas os empregados sejam demitidos, mas isso compete a algum de nós? Ele tem bispo não é pra isso? O que algum de nós tem a ver com isso? Ou com que direito metemos nossa colher de pau onde não fomos chamados? Claro que o bispo tem conhecimento. E se acreditamos na Igreja, devemos acreditar também que ele sabe o que faz, certo?
    Nenhuma das orações que temos é dogma de fé, certo? Podemos nos sentir confortáveis rezando-as ou não, isso é normal. Podemos também rezar espontaneamente, sem fórmulas prontas. Isso é fato e não é pecado. Alias, gostaria que o papa decretasse um dogma de fé hoje para ver como seria sua receptividade pela sociedade de católicos atuais. E se aqueles que não seguissem “anátema sit”, teríamos gente demais excomungada por ai.
    O que nós temos é que deixar de ser hipócritas, meus amores. Gostamos muitas vezes de normas para os outros cumprirem, Dom Aloísio Vitral nos disse isso num retiro certa vez. Falamos que o outro é herege, etc etc, não digno do ministério, pior dos cristãos (como se fosse). Mas quantos de nós também não somos dignos da Eucaristia por nosso modo de tratar o outro? Nenhum comentário foi respeitoso ou teve a intenção de ajudar Pe. José Antõnio. Ao contrario, só condenações, condenações, condenações. No que isso ajuda? Se alguém conhece sua vida e seu ministério de fato, manifeste-se aqui por favor, para dizer que tem direito de falar alguma coisa. Quantas de nossas próprias mães já fizeram ligadura de trompas e comungam do mesmo jeito? Quantas usam métodos contraceptivos e fazem da mesma forma. E nós levantando a voz pra condenar quem a gente nem conhece? Ah! Gente! Pelo amor de Deus!!!
    Teresa diz que se mandasse uma msg ao pe. José AntÕnio ele não leria. Te digo que leria sim e lhe responderia com todo apreço, querida. Eu é que acho que o site não deve publicar esse meu texto na íntegra, mas vamos ver né? Vc diz que os fiéis querem os ensinamentos da Igreja, os conselhos da Igreja, a fé da Igreja? Não seriam os ensinamentos, os conselhos e a fé de Jesus? Pra isso temos a Biblia que é o livro maior. E nenhuma das orações referidas exceto o pai nosso foram compostas por Jesus ou são bíblicas. Entaõ….
    Emanoel até tocou num assunto nada a ver com o tema: como iria o voto de castidade na Diocese de Mariana… Acho que isso não seria nem da sua conta nem da minha, né? Cada qual tem sua consciência e dará conta dela diante de Deus (é o que esperamos). Não nos cabe, pois, julgar, enquanto estamos aqui. O julgamento é próprio de quem não é Fratrer, né?
    Agora, se alguém for tecer comentários (sobretudo por mal interpretação ou interpretação de conveniência), se este texto for publicado na integra, já digo que num vou continuar discutindo aqui não ta? São irredutíveis de um lado contra irredutíveis de outro. Rs! Não chegaríamos a lugar nenhum. Mas quem quiser pode me escrever o e-mail pessoal que coloquei lá em cima.
    Ah! E pra quem queira falar ao meu bispo, já que vcs gostam de contatos, vou deixar o endereço aqui pra poupar trabalho pra vcs, ok?

    Arquidiocese de Montes Claros-MG
    Dom José Alberto Moura, CSS – Arcebispo Metropolitano
    Rua Januária, 371 – Centro – Montes Claros – MG CEP 39.400-486 Tel: (38) 3222-9434.

    Desculpem-me o sincericídio, mas se não gostarem de mim….
    Que tal fazer um protesto (tá na moda agora né?) kkk
    Bjinhos nos corações de vcs, seus fratres lindos…
    Até um dia…

  75. Mas num sentido outro, vejam que vocês (não sei quem sao os donos do site) são bem contra o papa e contra a CNBB, pelo visto né? Fazem confusão porque o papa quer usar passaporte argentino (mas ele é argentino, qual o problema?) e porque ta preparando encíclica sobre ecologia. Um comentário chega a dizer que “o papa é o fim do mundo”. Mas como fieis não estamos na obrogação de viver a comunhão com ele? Não foi indicado pelo Espírito Santo, como reza a doutrina? Entaão estamos blasfemando contra o Espírito Santo, (o punico pecado que não tem perdão, segundo a Escritura)? Como é isso? Sinceramente não entendo o sentido dessa fraternidade que vcs querem propor.
    O papa é o papa e ponto final, não é não?
    Se ele quiser usar passaporte Indiano ele pode, Se quiser receber um grupo de umbandistas ele pode, Se quiser deixar de usar a batina amanha ele pode, Se quiser revogar a lei do celibato ele pode. Se quiser ir morar na periferia de roma ele pode, se quiser decretar que a missa volte a ser em latim ele pode, se quiser anular o vaticano II ele pode (?). Não cabe a nós o assentimento somente como fieis à Igreja e ao seu pastor supremo?
    No fim das contas fica o seguinte: o que temos nós a ver com isso? com o que o papa faz? Que dia vamos entender que ele é maior que nós?
    O mesmo acontece com qualquer um que escreve aqui. Desculpem-me, mas a maioria dos comentários de vcs são pejorativos e discriminativos (será que só esses são aprovados?). Eu mesmo acho um absurdo eu ter que passar por aprovação de quem nem sei quem é (é certamente é menor que eu hierarquicamente) pra ter meu comentário colocado ou não neste site. Francamente! Não acho que os comentários aqui colocados ajudam em alguma coisa, ao contrário, devem gerar é mais discórdia e divisão (ou sejam são dia-bólicos).
    Quanto a mim, se vier algum outro comentário dirigido ao meu nome neste post, peço que junto me enviem também as contas para que possa pagar. Porque, no mínimo, devo estar devendo alguma coisa pra quem se sente no direito de me julgar e ofender sem nem me conhecer né?
    Pode mandar no meu e-mail pessoal que deixei la em cima viu?
    Bjinhos de novo…
    Com fraternidade e comunhão
    Gledson Eduardo (cristão servidor, isso basta)

    • Acredito que o fundamentalismo e a intolerância religiosa seja um grande mal.

      Sempre que lembro da cena em que Jesus diz: “…atire a primeira pedra quem…”. Penso antes de julgar e condenar (as vezes julgo e condeno…esqueço).

      Hoje procuro me colocar no lugar do outro antes de qualquer coisa, não é fácil, mas vale a pena.

      Gosto muito de uma frase do Frei Leonardo Boff: “Nosso desafio não é o de criar cristãos, mas de criar pessoas honestas, humanas, solidárias, compassivas, respeitosas das naturezas dos outros. Se conseguirmos isso é o sonho de Jesus realizado.”

      Acredito, também, que seja um desafio nós, poder discordar com amor.

      Sou leigo (neófito) nos assuntos teológicos. Mas a cada dia aprendo um pouco com todos vocês. (Fratres in unum).

  76. Ele está cansado de ser padre. Dona Clotilde diria: É VC SATANÁS??

  77. Para o Pe. Gledson Eduardo se você for progressista pode fazer o que quiser, mas se for Católico, Apostólico Romano deve obedecer a autoridade eclesíastica até no erro, então não é licito resistir como São Paulo resistiu perante São Pedro.

    O relativismo do Pe. Gledson não vale para os Franciscanos da Imaculada por exemplo.

  78. Eu gostaria de ter forças o suficiente para furtar-me à curiosidade de ler a longa resposta do Revmo. Padre Gledson Eduardo, mas vejo que cederei à tentação após meu expediente de trabalho. Um tratado de respeito humano eivado de nés e finalizado com a assinatura “cristão servidor, isso basta“. Estamos precisando de sacerdotes católicos. De “cristãos servidores” servindo a interesses escusos à Igreja já estamos fartos.

  79. Prezado Décio, espero que muito em breve deixe de ler o herege Leonardo Boff e se intere da São Doutrina expressada por Santo Afonso de Ligório e São Pio X.

    Salve Maria!

  80. Embora tenha sérias dúvidas sobre o fato de pe. Glederson Eduardo ser mesmo padre, eu gostaria de pedir aos comentaristas que não sejam muito duros com ele. Pois se ele for mesmo padre está completamente desviado da verdade e esse site pode ajudá-lo… se continuar a ler, ainda que de vez em quando. Mas se ficar muito ofendido talvez não o faça mais, o que seria uma pena, pra ele e pra Igreja. Peço que escrevam sim, com caridade e verdade como costumam fazer.

    Não fique aborrecido com minha dúvida sobre seu sacerdócio, pe. Glederson, até porque vc também duvidou do Fratres, né, e de todos os comentaristas. Mas caso seja mesmo padre, eu gostaria de dizer mais uma coisinha:
    “os fiéis querem os ensinamentos da Igreja, os conselhos da Igreja, a fé da Igreja… Não seriam os ensinamentos, os conselhos e a fé de Jesus? Pra isso temos a Biblia que é o livro maior. “.
    Desculpe, padre, mas nós queremos a Igreja, pois sem ela não teríamos porquê acreditar em Jesus, nem na Bíblia, pois é ela que nos dá ambos. Quem lhe garante que a Bíblia é palavra de Deus? quem lhe garante que não podemos mudar o Pai Nosso, quem lhe garante que foi Jesus mesmo que o inventou? hoje em dia existem teólogos que negam a veracidade da bíblia, a divindade de Cristo, a realidade dos milagres e até a ressurreição. E isso nos púlpitos e seminários católicos, e não só em conversa privada. Se nós continuamos a crer nessas coisas é porque a Igreja nos ensina assim. E portanto, é nela que acreditamos, antes mesmo de acreditar em Jesus. Talvez seja por isso que aqui no Fratres se fala tanto em documentos, em Papa, em doutrina e pouco em Reino de Deus (principalmente c/ esse novo sentido que é dado nos ultimos tempos). É porque contestamos não aos que contestam a Deus (pois ninguem faz isso de cara limpa) mas aos que contestam a Igreja de Cristo. E perseguindo a ela perseguem indiretamente a Ele (“quem vos persegue a mim persegue”).
    Quanto a julgar e condenar, olha… os leitores do Fratres e o proprio Fratres, são católicos e amam sua Igreja. Eu sei que voce deve estar acostumado com outros tipos de católicos, os tipos que ouvem o padre como se fosse o proprio Deus, às vezes, outras vezes ouvem como se fosse o coleguinha da escola.
    Aqui não é assim, viu. A Igreja que amamos, obedecemos e seguimos é invisível, o que se vê nela são instrumentos humanos livres e nem sempre fiéis a ela e a Deus. E brigamos sabe porque? porque “o zelo de Sua casa nos devora”, e é dever de todo cristão zelar pela Igreja da qual é pedra viva.
    Deus tem o direito de esperar isso de nós.

  81. Caríssimo Pe. Gledson Eduardo, paz e bem!

    A sua bênção, padre!

    “Sem sacerdote não existe EUCARISTIA, e sem eucaristia não existe IGREJA”

    Inicialmente, lamento informá-lo de que não sou fictício, nem ”pagão”, muito menos “umbandista”, como vc sugeriu acima. Sou um simples leigo chamado Renato A. Assis CI 959.876 SSP-DF que, a exemplo de João Batista, sou uma voz que clama no deserto. Você está agora mais seguro ou necessita de outras informações para possíveis confirmações. Então, vamos lá:
    Sou católico apostólico romano, casado com Beatriz, tenho um filho chamado Gabriel, resido em Belo Horizonte-MG. Há anos, consagrei-me inteiramente à Virgem Maria (pelo método de São Luís Maria Grignion de Montfort), portanto, sou escravo de Maria. Em Belo Horizonte, rezo o rosário todos os sábados na Catedral de Boa Viagem (9:00 h). Você está convidado quando passar pela capital mineira. Aliás, nos últimos 4 anos ininterruptos de oração do rosário (quatro terços) em frente à imagem de Nossa Senhora de Fátima (catedral da Boa Viagem-BH), NUNCA presenciei a presença de um Sacerdote, bispo ou cardeal, religioso ou freira. Sua presença, portanto, será bem-vinda com a gente. Você será o nosso convidado especial da Diocese mineira de Montes Claros a participar deste momento de oração. E como Montes Claros precisa de orações (terremotos frequentes, violência epidêmica…). Caro Pe. Gledson, queremos transformar BH na capital do Rosário! Nota: hoje, BH como vc deve saber, é a capital dos barzinhos.
    Mais. Em BH frequento o grupo da Verdadeira Vida em Deus (Vassula Ryden), na Paróquia de Nossa Senhora do Pilar (bairro Grajaú), toda a quinta-feira (às 20:00h). Ademais, na segunda feira de cada mês, frequento o Opus Dei de BH. Sou sócio da Canção Nova e assinante do site do Pe. Paulo Ricardo. Sou dizimista das seguintes paróquias (favor entrar em contato com a secretaria paroquial e indagar sobre o dízimo):
    – Paróquia Santa Teresinha do menino Jesus da Santa Face ( Pe. Antônio Damásio Rêgo Filho);
    – Paróquia São José ( Pe. Dejair Roberto de Rossi);
    – Paróquia Santo Antônio (Guanambi-BA – pe. Rafael).
    Também sou padrinho de seminaristas dos Arautos do Evangelho. Também fazemos um trabalho social na favela da Serra, de BH “Beth Myriam” (Casas de Maria), distribuindo diariamente centenas de refeições para pessoas carente. Aliás, frequento a Paróquia de Santa Teresinha do Menino Jesus em Belo Horizonte (qq dúvida, entre em contato com o nosso pároco: Pe. Damásio). Nos meus momentos de “folga”, gosto de postar alguns comentários que reputo interessantes em prol do reino de Deus, além de enviar cartas criticando algumas situações contrárias ao Evangelho (recentemente, recebi uma carta-resposta do Embaixador de Israel no Brasil, Sr RAFAEL ELDAD, bem como uma resposta da ombudsman do jornal Folha de São Paulo acerca da reportagem: “Bento, o arregão”), dentre outras. Outrora, recebi um convite especial do então arcebispo de Aparecida do Norte, Dom Raymundo Damasceno Assis, para o seu consistório em Roma (20/11/2010). Viajei para Roma e participei ativamente da programação prevista pelo Vaticano.

    Qto ao frei frei Cláudio Van Balen, utilizamos há anos a Correção Fraterna:
    “Se teu irmão tiver pecado contra ti, vai e repreende-o entre ti e ele somente; se te ouvir, terás ganho teu irmão. Se não te escutar, toma contigo uma ou duas pessoas, a fim de que toda a questão se resolva pela decisão de duas ou três testemunhas. Se recusa ouvi-las, dize-o à Igreja. E se recusar ouvir também a Igreja, seja ele para ti como um pagão e um publicano. Em verdade vos digo: tudo o que ligardes sobre a Terra será ligado no Céu, e tudo o que desligardes sobre a Terra será também desligado no Céu. Digo-vos ainda isto: se dois de vós se unirem sobre a Terra para pedir, seja o que for, consegui-lo-ão de meu Pai que está nos Céus. Porque onde dois ou três estão reunidos em Meu nome, aí estou Eu no meio deles” (Mt 18, 15-20).
    Deixo para vc a conclusão se ele é ou não um herege:
    – Nega a concepção Virginal de Maria;
    – Põe em dúvida o caráter real da Ressurreição de Cristo;
    – É contra o culto à Maria;
    – Negação da presença real de Jesus na Eucaristia;
    – É favorável ao aborto (cultura da morte);
    – Nega, por fim, a existência do INFERNO e do DEMõNIO.
    – Curso de noivos levado a cabo pelo frei Cláudio: defende o aborto e o divórcio;
    – Ironicamente, em plena paróquia dedicada à Nossa Senhora do Carmo, os títulos marianos e até dogmas, como o da Mãe de Deus, são combatidos ou vistos com reservas. Trata-se de um reducionismo que leva a ver em Maria apenas o seu lado “mulher” (à moda feminista).
    – Criaram uma liturgia paralela que procurou eliminar da oração eucarística qq referência à Presença Real de Jesus nas espécies consagradas. Ao questionar tal deformação da oração eucarística, eles responderam que a minha teologia ainda era do “tempo da magia”.

    E, qto a você, Pe. Gledson Eduardo, o que tem feito da vida. Conte-nos a sua caminhada. “Lembre-se: você também é Igreja” (CF 1964), ok?

    Fico aguardando suas informações, combinado?!?
    Saudações Cristãs,

    RENATO AGUIAR DE ASSIS
    (31) 9209-4467
    Por motivos de me encontrar ameaçado de morte em virtude da minha profissão, omiti o meu endereço. Mesmo assim, o senhor sempre será bem-vindo à minha residência, coloco-me inteiramente à sua disposição qdo visitar a capital dos mineiros.

    Com cópia para o seu e-mail: pessoal. gledsoneduardo@yahoo.com.br.

  82. Agradeço seu comentário, Renato. Não sei da situação de frei claudio. A unica coisa que coloquei é porque ele esta ai ha tanto tempo e nunca foi feito nada da parte de quem é de direito? agora talvez seja tarde. Eu ja morei em BH, vire e mexe estou por ai. conheço também guanambi/BA. Agradeço o convite. Responderei quando chegar seu texto em meu e-mail pessoal ok/ Abçs
    Gledson Eduardo

  83. Li todos os comentários e os últimos me chamaram a atenção. Fiquei a imaginar Jesus falando com os seus discípulos sobre os fariseus e Herodes: “não se preocupem, eles só colocam a opinião deles e há liberdade de expressão para isso…”… triste para não dizer cômico… foi-se o tempo em que os sacerdotes eram melhor formados…

  84. “Nenhuma das orações que temos é dogma de fé”. Nem aquela que foi ensinada por aquele que é razão de nossa fé???

  85. O “padre” José Antonio segue ninguém menos que Genésio Boff no face… tá tudo explicado…

  86. “Se, porém, eles pelas obras profanam a fé e não se escondem, cobertos de vergonha, debaixo da terra, por que se irritam contra nós, que condenamos com palavras o que eles manifestam com ações?”
    (São João Crisóstomo).

  87. Toda escolha que fazemos no decorrer da nossa vida, implica, antes de mais nada, conhecer a fundo ao que ela se propõe. Assim também é no quesito religião.Não posso professar algo se não conheço verdadeiramente. Muito preocupante esses ” atalhos” que tão levianamente encontramos pelo caminho. Essa polêmica gerada em consequência de um infeliz comentário sobre o modo de pensar solitário da pessoa em questão,provocou toda essa indignação. Acredito que muitas das vezes,não devemos externar o nosso pensamento, sobretudo, quando esse mesmo pensamento, possa ser interpretado como desrespeito a uma coletividade. Quem tem por princípio podar os ramos de uma árvore, por achar que eles incomodam, pode ficar sem a sua sombra tão necessária…

  88. Minas Gerais talvez seja o maior reduto da Teologia da Libertação no Brasil. Basta lembrar que frei Betto, Padre João Batista Libânio são de lá. É interessante como um estado que tem um povo bastante conservador, possa estar tomado por esses maus católicos. A Igreja em Minas perdeu a vitalidade.

  89. Para os que esperavam uma resposta do professor Felipe Aquino sobre esse artigo…assista o vídeo: