“Juntos decidimos”.

Francisco: “o Papa não é uma ‘estrela’ e nem um super-homem”

Cidade do Vaticano (RV) – Papa Francisco concedeu uma entrevista ao jornal italiano Corriere della Sera, falando sobre os temas e os aspectos mais salientes de seu primeiro ano como Pontífice.

Em uma longa conversa, a 360 graus, na Casa Santa Marta, Francisco dedica espaço ao Papa Emérito: “Bento XVI não é uma estátua de um museu, é uma instituição”; “não estávamos acostumados a um Emérito e talvez haja outros”; “juntos decidimos que participasse da vida da Igreja”, explica Francisco.

Em meio a muitas referências pessoais e sobre o governo da Igreja, diz “gostar de estar com as pessoas”, “não gostar de interpretações ideológicas”; e que “definir o Papa um ‘super-homem’ é ofensivo, porque o Papa é um homem normal, que ri, chora, tem amigos e dorme tranquilo”.

Afirma que os abusos contra menores são ‘feridas profundíssimas’; que “a Igreja fez muito, seguindo o caminho aberto por Bento XVI”, que “é talvez a única instituição pública que agiu com transparência e responsabilidade, mas é também a única a ser atacada”.

Sobre os divorciados, o Pontífice reafirma que toda decisão será fruto de reflexão profunda; que o matrimônio é entre homem e mulher, e que as uniões civis são pactos de convivência de várias naturezas. “É preciso analisar os casos em sua diversidade”. Falando do papel da mulher na Igreja e de sua promoção, Francisco repete que “não só deve estar mais presente nos lugares de decisão”, mas que “a Igreja é feminina desde sua origem, o princípio mariano a guia, ao lado do petrino”, e que está sendo aprofundado um estudo teologal sobre o tema.

Frisando que a doutrina da Igreja não muda, Francisco admite que é preciso aprofundar, mas ressalva que “os valores são valores”. O Pontífice se refere também às relações ecumênicas e internacionais, citando uma troca de cartas com o Presidente chinês Xi Jinping; mencionando a próxima viagem à Terra Santa; um acordo de inter-comunhão com os ortodoxos. “O caminho para a unidade significa caminhar e trabalhar juntos”.

* * *

A íntegra da entrevista pode ser lida aqui. Traduções de trechos relevantes são bem-vindas. A seguir, excertos disponibilizados por IHU:

“O Papa emérito não é uma estátua num museu. É uma instituição. Não estávamos habituados. Há sessanta ou setenta anos, o bispo emérito não existia. Veio depois do Concílio. Hoje é uma instituição. A mesma coisa deve acontecer para o Papa emérito. Bento é o primeiro e talvez haverá outros. Não o sabemos. (…) Alguns queriam que ele se retirasse para um mosteiro beneditino longe do Vaticano. Tenho pensado nos avós que com a sua sabedoria, os seus conselhos dão força à família e não merecem terminar numa casa de repouso”.

*

“Gosto de estar entre as pessoas, junto de quem sofre, andar nas paróquias. Não gosto das interpretações ideológicas, uma certa mitologia do papa Francisco. Quando se diz, por exemplo, que eu saio de noite do Vaticano para dar de comer aos moradores de rua na via Ottaviano. Nunca pensei nisto. Sigmund Freud dizia,se não me engano, que em toda ideologização há uma agressão. Pintar o Papa como uma espécie de superman, uma espécie de ‘star’, me parece ofensivo. O Papa é um homem que ri, chora, dorme tranquilo e tem amigos como todos. Uma pessoa normal”.

*

“Eu não sou um especialista em bioética. Temo que qualquer frase minha possa estar equivocada”.

Tags:

9 Comentários to ““Juntos decidimos”.”

  1. Interessante ele resssaltar que, por não ser um especialista em bioética, qualquer frase dele por de estar equivocada…

  2. “Sigmund Freud dizia,se não me engano, que em toda ideologização há uma agressão”. E eu diria que pra mim não pode haver maior agressão pra um Católico do que um Papa que cita como referencial o mestre do pior tipo de “ideologização”.

  3. Ah! Então criaram o instituto da santidade emérita. E agora, a Igreja é bicéfala? E nem sou paranóico como Freud.

  4. O semblante de Bento XVI me lembra o de Jesus no julgamento, diante de Caifás, Poncio Pilatos, Herodes. Na coroação de espinhos e na cena de ultrajes… Triste, silente, sofrido… salvando o mundo, carregando-o nas costas, enquanto sofria os sacrilégios, ouvia as besteiras e as heresias…

    • Teresa, para não ser injusto com Nosso Senhor, reze por Ratzinger – não sei se papa emérito ou vice-papa…papa aposentado – seja como for, por seu aspecto nesta foto, é de um senhor que precisa de oração.

      Talvez esteja passando pela noite escura da alma, mas a essa altura da luta, prescrever esse exercício não parece ser o melhor para ele.

      Tal como está o contexto da Igreja hoje, o melhor caminho seria a via da infância espiritual.

      Ele apresenta uma expressão de tristeza espiritual, doença grave da alma.

      Quanto ao corpo, nada de errado em tomar medicamentos, mesmo por conta de sua idade, para depressão.

      Mas um cristão não pode apresentar-se dessa forma em púbico: triste, depois de tudo que Cristo fez por ele.

      Claro, um semblante contrito é outra coisa. E uma alma cheia de regozijo interior também.

      Minhas notas:

      Tá me parecendo maus-tratos, sob certo aspecto.

  5. Perdão, eu fiz esse post no lugar errado. Corrijo-me:

    Vi agora no IHU. Já tem a entrevista do Papa em português. É terrível e assustadora, para dizer o mínimo. Do discurso do cardeal Kasper diz que foi profundo e belíssimo. Além de mostrar que o assunto em questão pode ser matéria de debate. Estupefaciente.

    Sobre as questões das uniões civis, o Papa repete que o matrimônio é entre um homem e uma mulher (UFA!!! ao menos isso), mas em compensação diz que não saberia elencar as diversas formas de união civil (mentira! qualquer católico, adulto não católico, adolescentes e pré-adolescentes saberiam), para logo em seguida dizer que é “preciso ver os diversos casos e avaliá-los na sua variedade”, escapando da pergunta e deixando (mais uma vez) de transmitir o magistério da Igreja que proíbe que se transforme em lei toda e qualquer união civil homossexual. Vai ver que é por essas e outras que Francisco é premiado por revistas gays.

    É assustador. Sem falar em todo o lenga lenga da promoção da mulher na Igreja. Fazer isso na Igreja é muito fácil. Não se tem com finalidade o defender a mulher, mas apenas perverter a Igreja. Quero ver ele defender as mulheres que vivem em nações islâmicas.

  6. Admiráveis palavras do Papa Francisco. Para quem não está interessado em ouvi-las, nunca vão passar de resto.

  7. Para um homem cristão, fiel à JESUS e à DOUTRINA CRISTÃ, um Sacerdote exemplar, um homem virtuoso, um Teologo excelente e sábio, um intelectual altamente inteligente, culto, como é SUA SANTIDADE o PAPA BENTO XVI, vê “certas cositas”….ler, ouvir, certas “cositas” na imprensa mundial….,saber de tanta bobageira à sua volta……….deve ser um imenso sofrimento psicologico, emocional, profissional…..uma verdadeira C R U Z , aguentar o que ele está aguentando, no silencio, na oração, na oblação humilde e silenciosa, discretamente, civilizada er educadamente,como um verdadeiro APOSTOLO, um Mártir,premiado com o MARTIRIO BRANCO….um legitimo amigo, discipulo do MESTRE JESUS DE NAZARÉ!!! Amém!

    Estranho………é se ele diante da situação atual,……estivesse rindo….gargalhando…….!!!!!! todo “alegrinho”……!!! Aí , sim,…..seria de se estranhar……!!!!

    Rezemos sim, por ele (como eu o faço, com amor e alegria, diariamente! graças à DEUS!), pois, ele está no CALVÁRIO! e, ele, deve ser uma oferta agradável a DEUS! Sim!
    Com certeza JESUs o ama muito!

    Ele não é um….”coitadinho” não! N U N CA !!!!

    É um homem que se santifica no dia-a-dia! além de ser um idoso,que merece carinho, respeito, e gratidão! Sua vida é plena só de bons exemplos!

    Que alemão maravilhoso! valente! corajoso! verdadeiramente humilde! um Principe do Reino Celeste!

    Que DEUS, NOSSA SENHORA, os SANTOS ANJOS ,os SANTOS todos do Céu o guardem, o abençôem, o protejam, o ajudem ! Amém! ALELUIAA!

    Sempre. Sempre. Sempre!!!!!!

    Obrigada, SANTO PADRE!!!

    Obrigada meu JESUS, meu DEUS por esse Teu servo!!!! Amém! ALELUIA!