Um ano com Francisco. Um ano de sobressaltos.

Por Pe. Cristóvão

“Quando Pedro foi a Antioquia,
eu o enfrentei em público,
porque ele estava claramente errado”

(Gal. II,11)

Fratres in Unum.com – Assim como um náufrago, como sobrevivente a uma catástrofe naval, me sinto após um ano com Francisco. A cada manhã, um desassossego pelo que poderá vir. Uma entrevista?, uma declaração ambígua?, um “pito” homilético?, uma rotulação?… E tudo, tudo!, entre os aplausos histéricos da mídia anticatólica! Nunca um papa foi tão amado pelos inimigos de Cristo!!!

Papa Humes 2

De fato, a revolução chegou ao papado, e a instabilidade se tornou o protocolo no vértice da Igreja.

Pseudo-profetas

Sempre desconfiei de quem “chuta”, acerta e, por fim, se autodenomina profeta. Contudo, certos “chutes” são demasiadamente certeiros; tão certeiros que deixam de parecer “chutes”.

Poucos se deram conta, mas, quatro dias – quatro! – após a renúncia de Bento XVI, um político italiano, Mario Staderini, secretário do Partido Radical (que se define anti-proibicionista e, por isso, trabalhou na legalização do divórcio, aborto etc.), fez a seguinte declaração numa entrevista na Radio Radicale:

“Pergunta. Esta foi também a semana da abdicação do papa. Você, que tem uma atenção menos teológica em relação às coisas do Papa, o que pensa daquilo que aconteceu no Vaticano?

Vou lhe surpreender. Creio que existam duas estradas que temos adiante: ver esta abdicação como algo de valor dessacralizante da figura do papa ou, como diz Giuliano Ferrara, como algo que levará a fortalecer e animar o magistério de Ratzinger e também o anterior. Penso uma coisa: o verdadeiro desafio para o próximo Papa será o de libertar a Igreja do poder temporal, daquele imenso poder econômico e político que deriva de ser ela a maior proprietária imobiliária do mundo e de ter alguns impérios financeiros e econômicos. Daquele poder que determinou as lutas pelo controle, um poder que está em grau de condicionar os Estados, de corromper os Estados, mas sobretudo à própria Igreja. Por isso, creio que o próximo papa deva se chamar Francisco I, como São Francisco, o pobrezinho de Assis, que se libertou de todas as suas posses para viver melhor segundo o Evangelho, ao invés de viver segundo a Igreja de Roma. Francisco I teria este significado e creio que seja o auspício máximo que se possa fazer neste momento. Haverá também um motivo pelo qual há 800 anos após a morte de São Francisco nenhum papa tenha decidido chamar-se Francisco, e o entendo também porque seria difícil andar por aí com o nome do símbolo da pobreza enquanto se continua a ser o maior proprietário de coisas. Creio que este, então, será o desafio do próximo Papa, e este não é tampouco algo irrealizável. Por exemplo, se poderia converter todo o patrimônio do Vaticano em um grande fundo para benefícios universais, a ser confiado eventualmente à ONU em forma de depósito, no sentido de que, se a ONU se comportasse mal, seria retomado, segundo as regras do direito internacional; um grande fundo que tenha como objetivo garantir o direito humano a viver sem a miséria, e creio que ninguém melhor que a Igreja poderia dar início a isso, com a condição, porém, de se separar daquela que foi nestes anos a verdadeira causa que destruiu a própria possibilidade de se ocupar da religiosidade, antes que simplesmente continuar a falar de moral e sobre a vida das pessoas. Creio que seja este um desafio importante que poderia, depois, ter reflexos positivos sobre os Estados. Façamos um exemplo: todos sabem o que penso do “oito por mil” (quota dos impostos que o Estado redistribui, à escolha do contribuinte, às instituições religiosas, ndt), mas, de Francisco I, eu esperaria que dissesse ao Estado Italiano que este dinheiro alimente diretamente este fundo. Antes, melhor ainda: a garantia será que, se o Estado continuar dando-o à Igreja Católica, esta se ocupará de depositá-lo neste fundo. Então, bem-vindo, eu espero Francisco I”.

Quatro dias depois da renúncia de Bento XVI. Vinte e cinco dias antes da eleição de Francisco. Estranho. Mais estranho ainda é que estas palavras tenham sido retiradas do site da Radio Radicale, e possam apenas ser visualizadas em cache.

Também foi estranha a “profecia” de Leonardo Boff, que, em sua conta do twitter, chegou a anunciar o nome de Francisco, embora errando sobre quem seria o eleito. Ele também “adiantou” vários passos do programa de seu pontificado. Não erra nunca este Boff!… Profeta? Chutador de sorte? Insider information? Como diriam os italianos, chi lo sa?

Entusiasmo das massas

Entretanto, não deixa de causar estranhamento o entusiasmo apaixonado infundido com todo zelo “apostólico” pela mídia que, convenhamos!, é tudo, menos uma devota amante do Romano Pontífice.

O fenômeno quase hipnótico causado pelo compulsivo noticiamento de todos os atos de Francisco, mesmo dos mais repetidos e banais, gerou um autêntico fenômeno midiático que, contrariamente a uma autêntica convicção de fé, cria apenas a admiração por um personagem artificialmente forjado, por uma figura mitificada enquanto viva, por alguém cuja imagem é cuidadosamente apresentada ao culto do povo, em suma, por um papa-star, com direito inclusive a uma revista de fofocas, tipo “Contigo”, totalmente dedicada a ele. Mas… em troca de que?…

Fiéis rezam na Catedral de Buenos Aires após o anúncio da eleição do Papa Francisco.

Fiéis rezam na Catedral de Buenos Aires após o anúncio da eleição do Papa Francisco.

A propósito, notemos, isto se deu desde o primeiro instante, sem o mínimo resvalo. De repente, os repórteres se transformaram em evangelistas; e a Igreja, de repente, deixa todos os seus supostos escândalos de lado, e todos começam a viver em função de… um homem.

Papa versus Francisco

Sim!, não me engano quando digo que a Igreja está vivendo em função de um homem, pois, enquanto Francisco ostenta sua humildade, e o faz com uma autoproclamação narcísica retumbante, vai insuflando sua pessoa, enquanto demole o papado católico. Francisco, sim; o Papa, não.

Houve até um bispo, presidente da Conferência Episcopal Polonesa, que não aguentou o baque, e disse mesmo: “Com o Papa, se combate hoje, na Polônia, contra os bispos: Papa Francisco bom, bispos maus; Papa Francisco, sim; bispos e Igreja na Polônia, não”. É o resumo da ópera. Alguém, que deveria se sacrificar no pontificado, ocultando o seu “eu” para que nele resplandecesse o Sucessor de Pedro, o Vigário de Cristo, imola o sumo pontificado em homenagem a si mesmo.

“Darás a vida por mim?
Ainda hoje, me negarás três vezes”

A vaidade nada franciscana de Francisco transparece em todo o seu cuidado por não parecer incômodo e amigo do crucificado, do rejeitado pelo mundo. Não! Francisco não quer a cruz, quer a glória!

Por isso, desfila entre as personalidades mais homenageadas. Nunca se viu um papa tão amado por comunistas, abortistas, ateus, gaysistas, ecologistas e até…, pasmem!, roqueiros satanistas. Francisco é uma unanimidade, como raramente se deu.

Infelizmente, nós, católicos, precisamos assistir o triste espetáculo de um papa que se desentende dos “valores inegociáveis”, para a alegria dos relativistas. Claro, elogia o predecessor! Mas, sabem quem construiu a expressão que Francisco diz não entender? Adivinhem. Nada mais, nada menos que… Bento XVI. Esta expressão foi cunhada por ele num discurso dirigido ao Parlamento Europeu, e se tornou uma categoria utilizada em muitos importantes debates de relevância pública. Mas, compreendamos, Francisco estava desinformado.

Desgraçadamente, Francisco se exime em falar dos temas mais espinhosos, cria expectativas de uma revolução doutrinal tocando o santo sacramento do matrimônio e a Santíssima Eucaristia, se comporta como alguém que está acima da doutrina, com aquela superioridade típica dos progressistas alla Kasper, que se consideram superiores à tradição da Igreja por estarem imantados por uma áurea sacra de modernidade, regra e medida de tudo o mais. Leviano, dá a impressão de que tudo é mutável, enquanto ele mesmo se impõe com sua autoridade, fazendo de seu próprio arbítrio o padrão para o resto.

“Apascenta o meu rebanho”

De fato, poucos papas foram tão autoritários como Francisco. Canonizações, faz por decreto, dispensando milagres e cerimônias. A humildade, usa diante das câmeras, mas, na prática, faz tudo aquilo que quer. Nomeia Mons. Ricca, ligado ao lobby gay; é publicamente alertado; mas, nomeado estava, nomeado ficou. Aliás, Francisco é infalível. Nenhum Papa é tão infalível quanto ele.

Deste rebanho, Francisco se sente o dono, não o vigário do dono. Por isso, trata com tanta ligeireza o que é grave, prega como um pároco, sem medir suas palavras, nem considerar o seu alcance. Na entrevista à Globo, disse que era um “inconsciente”. E, de fato, tem demonstrado que o é, mesmo!

Os pobres de Francisco

“Pobres”. Palavra que sempre aparece à boca de Francisco. Contudo, que pobres são esses? Os mendigos, moradores de rua, os pobres das praças da vida?… Não! Os pobres de Francisco são os pobres dos “intelectuais orgânicos”, das ONGs, da ONU.

Sobre estes pobres escreveram-se bibliotecas, distribuíram-se doutorados, gastaram-se milhões em conferências, enquanto eles estão cada dia mais pobres. Na boca de Francisco, “pobre” soa demagogia, populismo. Talvez por isso ele foi indicado para receber o Prêmio Nobel da Paz.

A caridade cristã nunca foi retórica, sempre foi prática e, por isso, pouco loquaz, porque muito ocupada em fazer, pois sabe-se que a perda de tempo equivale à perda de vidas.

A fé de Pedro

Diante de palavras tão severas, o leitor brasileiro, viciado em rotular pessoas por suas posturas, tentará colocar-me entre os inimigos do papa reinante. Se o fizer, errará. Meu sentimento, é o mesmo de Cristo:

“Simão, Simão, eis que satanás pediu insistentemente para vos peneirar como trigo; eu, porém, roguei por ti, a fim de que a tua fé não desfaleça. Quando, porém, te converteres, confirma teus irmãos” (Luc. XXII,31-32).

A palavra aqui traduzida por “desfaleça”, ekleipo, fala de omissão, falha, morte, cessação. Fala, portanto, de uma fé que se esvaiu…, porque a fé de Pedro pode definhar. E nós temos de estar preparados para esta eventualidade que, atualmente, não é apenas teórica.

Ao mesmo Pedro que disse Cristo: “bem-aventurado és tu, Simão, filho de Jonas, porque não foi carne ou sangue que te revelaram isso, e sim meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei minha Igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Math. XVI,17-18), versículos depois diz “afasta-te de mim, satanás! Tu me serves de pedra de tropeço, porque não pensas as coisas de Deus, mas as dos homens” (Math. XVI,23).

De pedra de fundamento para pedra de tropeço deu-se apenas um passo: de pensar segundo Deus para pensar segundo os homens. As portas do inferno nunca prevalecerão contra a Igreja, mas Pedro pode ser chamado de satanás, quando se afasta da confissão de fé, que se faz o fundamento da Igreja.

No fundo de tudo isso, permanece a oração de Cristo, cuja única intenção é clara: “para que a tua fé não caia”. É a fé que precisamos conservar, é ela que nos norteará na confusão e será o nosso porto seguro, pois “sem fé, é impossível agradar a Deus” (Heb. XI,6).

Portanto, compete-nos rezar pelo Papa, a fim de que esteja alicerçado na fé, não em suas opiniões pessoais, nem muito menos na simpatia mundana, e, quando sua fé desfalece, não hesitarmos em ter as mesmas atitudes de São Paulo: “quando Cefas veio a Antioquia, eu o enfrentei abertamente, porque ele se tornara digno de censura”.

Na senda dos Santos

Foi com esta piedade firme e sem anonimato que Deus conduziu a Igreja em tempos de crise. Nisso, resplandece Santa Catarina de Sena, cujo amor sublime ao Papa chegava à tão arroubados transbordamentos que lhe faziam chamá-lo de il dolce Cristo in terra, sem anestesiá-la para o dever de censurá-lo e exortá-lo para que cumprisse o seu dever.

Ninguém amava o Papa com tamanha devoção como ela, nem tampouco alguém o repreendia com tanta liberdade e energia, porque tais coisas não são contraditórias senão para quem cultiva o respeito humano como desculpa para a manutenção de seu próprio conforto.

Que os santos de todos os tempos, heróis da fé e da coragem, ensinem-nos a amar, a orar, a reparar… e a resistir, quando isso é necessário.

O dilúvio está forte. O mar, encapelado. A borrasca, terrível. Mas, mesmo em meio a seus destroços, a nau não será tragada. Agarrados às ruínas, creio firmemente que não soçobraremos.

Tags:

63 Comentários to “Um ano com Francisco. Um ano de sobressaltos.”

  1. Com a frase abaixo, só posso dizer uma coisa, Deus tenha misericórdia de vocês, julgam o Papa, acham que tudo que ele fala ou faz esta errado. ACORDEM Conservadores, não veem que vocês estão a serviço do demônio?

    “Fratres in Unum.com – Assim como um náufrago, como sobrevivente a uma catástrofe naval, me sinto após um ano com Francisco. A cada manhã, um desassossego pelo que poderá vir. Uma entrevista?, uma declaração ambígua?, um “pito” homilético?, uma rotulação?… E tudo, tudo!, entre os aplausos histéricos da mídia anticatólica! Nunca um papa foi tão amado pelos inimigos de Cristo!!!”

    • Comentário mesquinho este seu, (pe) Samuel Santos. Se não concorda com o artigo, mostre o que discorda. Lançar julgamento de que conservadores “estão a serviço do demônio” também não podem ser aplicados a você?
      Estando os “conservadores” com a mesma intenção de São Paulo, estariam eles “estão a serviço do demônio”?
      Não precisa responder, apenas pense nisso.

    • Mas o que é isso Sr. Samuel ? Que contradição mais descabida é esta de vir aqui nos “demonizar” ? Afinal, a Neo Igreja , a Igreja Conciliar que o senhor tão apaixonadamente defende com unhas e dentes, ao ponto de repetidamente, de forma nada respeitável, vir aqui, com costumeira insultosa grosseria manifestar-se, não prega mais isso de “demônios” não… Queira, por favor, ser coerente com aquilo que o senhor defende. Mas, se a preocupação é saber a serviço de quem estão os préstimos desta ou daquela pessoa, seria muito oportuno incluir no âmbito desta análise, de que forma enquadrar a quem se esta servindo quando, justo num momento histórico decisivo, em que a Igreja mais do que nunca carecia de um posicionamento sólido, enfático e incisivo em relação a temas como contracepção, aborto e homossexualismo, aquela pessoa a quem cabe de direito esta postura e de quem se esperava esta definição, simplesmente declara que a Igreja está muito obcecada por estes temas e que é preciso deixá-los de lado e voltar-se a outros assuntos… Pois é… A quem será que se serve, quando, perante uma Igreja ainda combalida pelos escândalos de pedofilia… Face o declínio das vocações religiosas… Diante da agonia de tantas e tantas congregações à míngua de vocacionados, esta mesmo pessoa diz que a Igreja nunca esteve tão bem quanto hoje ? Seja razoável senhor Samuel, tudo isso é tão aberrante que, ao contrário do juízo de valores que o senhor nos imputa fazer, nem é necessário nenhum julgamento não. A absurdeza de todas estas questões fala suficientemente eloquente já por si mesma. Basta estar acordado para ver… Mas numa coisa, sr. Samuel, o senhor tem, de fato, toda razão: O demônio nunca esteve tão bem servido. Contudo, resta apenas saber se quem o está, verdadeiramente servindo, sejam mesmo aqueles que, nada mais fazem, do que tão somente se manter fiéis a tudo quilo que a SANTA IGREJA SEMPRE CREU E ENSINOU !

    • Ser católico é ser conservador, se você não é, então é outra coisa.

    • Ser Católico, é antes de tudo ser cristão. Ser Cristão é se imitador de Cristo.
      Cada um em oração apoiado pelo Espirito Santo, e cercado dos meios que nossa Mãe a Santa Igreja nos dá, como Sacramentos, Diretor Espiritual por exemplo, que vá a fundo em sua consciência, e veja se está sendo católico ou não. Não se trata de ser ou ser não conservador, de pertencer ou não a tal pastoral ou movimento eclesial.

      vamos recordar a primeira homilia do Santo Padre Francisco ele nos explica bem o que é ser um verdadeiro cristão.

      “Quando caminhamos sem a Cruz, quando edificamos sem a Cruz e quando confessamos Cristo sem Cruz, não somos discípulos do Senhor. Somos mundamos, somos bispos, cardeais, papa, MAS NÃO DISCÍPULOS DO SENHOR.” [Papa Francisco em sua 1ª missa]

  2. Em política não existem coincidências, as coincidências são fruto de um trabalho intencional com um fim muito bem determinado. Neste caso as coincidências são fruto do trabalho da maçonaria que domina a Igreja, os meios políticos e dos media, desde à muito. Francisco é o produto da maçonaria, todos os sinais são indicadores disso. São muito os avisos de Nossa Senhora acerca deste tempos em que vivemos, é pena que muito católicos estejam cegos para uma realidade tão dramática como a que estamos a viver. Pior do que o cego é aquele que não quer ver.
    Muito bom artigo parabéns.

  3. Só um adjetivo para este artigo: PERFEITO !!!!

  4. Que artigo maravilhoso! O autor conseguiu expressar magistralmente a preocupação de milhares de católicos, que amam a sua igreja e que estão muito preocupados com as atutudes daquele que, infelizmente, há um ano governa a barca de Pedro, pronto para arremessá-la no pior rochedo que encontrar!

  5. Finalmente, entre os membros da hierarquia, alguém disse o que precisava ser dito; Deus abençoe a Pe. Cristóvão, pela santa indignação e santa coragem, por Maria.

    Um grande abraço.

  6. Passamos por um período muito convulsionado sob todos os pontos: muitas nações caindo sob o dominio marxista gerando internamente muitas tensões entre pessoas e grupos, crises outras na sociedade, na religião, como na política o pior: com votos dos que depois serão escravos dos comunistas; afinal, nem depois de verem tantas tragedias mundo afora patrocinada por eles, emendam-se.
    Parece que somos mesmo de dura cerviz; o mal cresce por omissão dos que deveriam ser os bons, e o caos dissemina-se por sermos uns pifios cristãos.
    E nesse 1º ano de pontificado do papa Francisco o mais desafiante para nós é ele ser situado pela suspeita mídia globalista entre as personalidades mais homenageadas e merecedoras de credibilidade – jamais os antecessores mereceram dela tantos afagos!
    Uma é certa: a mídia profana tem objetivos definidos para tantos elogios a seu comportamento e essa de defesa dos pobres que tanto alardeiam na mídia não passaria da mesma que os comunistas, da TL, na dissimulada “opção preferencia pelos pobres”, mas sim pelos incautos-pobres que os ajudam nos seus projetos de poder, não de governo.
    Nunca se viu um papa tão amado por comunistas, abortistas, ateus, gayzistas, ecologistas, católicos de tradição e fachada, roqueiros satanistas, crendo que doravante ele, sob seus conceitos, colocará a Igreja no seus devido lugar..
    O papa Francisco é uma unanimidade, diferentemente dos rejeitados antecessores.
    Rezemos por ele para que se mantenha firme!

  7. Façamos orações pelo Papa. Peçamos ao Espírito Santo que o ilumine e a todos nós também. E invoquemos o auxílio de Nossa Senhora das angústias nesse tempo difícil que vivemos. É o que nos resta fazer.

  8. Caros amigos, paz e bem!

    Hoje, dia 13/03/2014, quando comemoramos um ano da eleição do novo papa, Sua Santidade Francisco, ao fazer uma leitura orante da Sagrada Escritura, para a minha surpresa saiu a seguinte passagem bíblica:

    “Este é o meu Filho muito amado, que muito me agrada. Escutem o que ele diz” (Mateus 17, 5).

    Saudações cristãs a todos!

    Das Minas Gerais,

    Renato e família.

  9. Samuel Santos: Fico triste quando leio um comentário como o seu. Não por voce ter discordado do artigo ou ter defendido o Papa. Mas por nitidamente não ter lido o artigo todo. Se o tivesse feito poderia ter discordado do autor ou defendido o Papa do mesmo jeito, mas com argumentos e não da forma superficial como o fez.

    De minha parte eu achei meio pesados certos julgamentos. Não os feitos sobre as atitudes e palavras do Papa, sobre os efeitos disso na Igreja e na sociedade, mas os insinuados sobre suas intenções imbuídas de vaidade. Isso é foro íntimo e ninguem sabe, pode ser até inconsciente, como também pode ser. Eu teria receio de falar assim.
    No mais o artigo foi perfeito. Muito contundente e muito verdadeiro.

  10. Só faltou uma coisa nesse artigo: o pontilhado pra eu assinar embaixo.
    Faço todavia um adendo: São Francisco de Assis, por pura humildade não quis ser ordenado padre. Foi ordenado apenas como diácono, porque uma visão lhe tinha revelado que a alma do padre deve ser pura como a água, que lhe fôra mostrada num vaso de cristal.
    Se é que Ratzinger renunciou por “humildade”, igualmente “humilde” teria sido Bergoglio se tivesse recusado o Papado quando foi eleito já que “por humildade” despreza todas os símbolos do cargo.
    Infelizmente pra quem conheceu o verdadeiro Cardeal Bergoglio descrito por Antonio Caponnetto em sua obra La Iglesia traicionada, só dá pra acreditar nessa propagada “humildade” se ele tivesse morrido e nascido de novo.
    Eu oro todos os dias pelo Papa…seja lá quem ele for.

  11. Eu como sou, segundo meus desafetos, um “lefevrista”, acho que posso dar graças a Deus por este primeiro ano do pontificado de Francisco. Nossas fileiras engrossaram graças ao Santo Padre e aquela sua humildade fielmente descrita no artigo anterior.

    Bergoglio veio a calhar. Não sejamos tão caras de pau, ninguém aqui estava satisfeito com os últimos dias de Bento XVI (VatiLeaks, aprovação dos neocatecumenais, Assis II – O Retorno, lembram-se?) e, fosse eleito um ratzingeriano, um Burke, um Ranjith, um Scola, a situação ficaria amarrada. Desgraça pouca é besteira, reza o velho proverbio.

    Olhemos ao nosso redor, os sinais dos tempos estão aí, a Terceira Guerra Mundial com o cenário montado só aguardando o abrir do pano e o primeiro tiro. E o cenário é maior, os barris de pólvora estão bem distribuídos: a Síria no Oriente Médio, a Ucrânia no centro da Europa e a Venezuela na América do Sul.

    Além de “lefevrista”, sou também um “williamsoniano” (acabei de inventar o adjetivo), e o bispo nos disse o ano passado que o Papa Francisco se converteria diante de um grande castigo. Se dom Ricardo Williamson também chutou, chutou bem, pois o castigo já está suspenso sobre nossas cabeças.

    • Dar graças a Deus porque Bergoglio não é morno, isso também eu dou. Qualquer católico que estude a doutrina seriamente e desprovido de emocionalismos pode perceber o momento dramático em que vivemos. Mas ao menos neste pontificado está cristalino que o papa trabalha para o modernismo, então os católicos não terão tanta dificuldade quanto nos tempos de Bento XVI, quando as coisas eram muito misturadas e nebulosas.
      E para vocês que, levados talvez por um nobre sentimento de devoção ao papado, nos criticam e saem gritando “viva Francisco” movidos pela emoção, gostaria de dizer-lhes que não somos inimigos do papado e muito menos da Igreja, mas precisamos ser honestos e encarar os fatos. A Igreja e o papado não precisam de mentiras, nem de encobertamentos ou de bajuladores. Ninguém aqui é o juiz do papa, mas antes de Francisco, o DONO DA IGREJA nos ensinou a chamar o mal de mal e o bem de bem. Menos papolatria, por favor. Basta de enxergarem infalibilidade em qualquer movimento papal, basta de forçarem santidade onde não há. Assim como os protestantes que denegrem a imagem do papado, os católicos tietes, os que tratam o papa como se ele, depois de eleito ficasse isento de livre-arbítirio, e incapaz de pecar ou trair a Deus, terminam por prestar um desserviço à Igreja. Cristo deu ao papa a maior autoridade sobre a Terra, e o papa é infalível quando se expressa com o poder das chaves acerca de uma questão que a Igreja SEMPRE acreditou desde o início dos tempos em todos os lugares. O papa deve ser respeitado como vigário de Cristo na Terra e autoridade suprema. Mas o papa não está acima do Evangelho, o papa não pode mudar a Fé e o papa não é um deus! Aliás, a quem interessar possa, publiquei recentemente um artigo em meu blog recordando as prerrogativas papais desde o início dos séculos.

  12. “Estou muito contente com a minha renúncia, porque Deus preparou depois de mim um fenômeno”. (Bento XVI sobre papa Francisco)

    • De onde você tirou isso sr. Bernando???

    • De tão elogiado artigo, comentários e respostas, haveria muito a apontar mas, sem usar de “teologias rebuscadas”, citações bíblicas, escrita repensada, consequente ou não, lembraria apenas as famosas 3 peneiras:

      1. Será verdade tudo o que aí está, e como está?… E mesmo que seja ou fosse:

      2. Foi necessário um impacto tão negativo na imagem do Papa e de Bergoglio, a todo o que ler o artigo (mesmo sem meios para entender ou não se deixar perturbar), apenas por um feito “corajoso” com recurso a S. Paulo e Santa Catarina de Sena, resvalando em expressões qual pastor protestante inflamado? “Conservadores, relativistas”, etc. – resultam então ofensas, cada um se achando mais fiel e justo que outro. Será que “enfrentou” e enviou primeiro e directamente as opiniões publicadas ao próprio Papa?

      3. Finalmente: Nesses termos, terá sido por Caridade – a Francisco e restantes membros da Igreja Católica?… Mesmo com a acautelada ressalva: “Se o fizer, errará. Meu sentimento, é o mesmo de Cristo”…
      Infeliz e ironicamente, muitos dos chamados “inimigos da Igreja” nela estiveram e estão, dizendo-se da mesma e apontando o dedo (com “piedades” que até um cego vê) a quem fará o melhor que sabe e pode – como só Deus conhece, ou por Sua revelação. Veja-se, por ex., o incómodo de alguns com S. Pe. Pio de Pietrelcina e o sofrimento a que foi sentenciado.

      A propósito:

      http://www.bibliacatolica.com.br/blog/santa-se/papa-francisco-a-cruz-da-perseguicao-esta-sempre-presente-no-caminho-cristao/

      http://www.bibliacatolica.com.br/blog/igreja/o-papa-francisco-e-um-fenomeno-afirma-bento-xvi/

      Tenham uma Santa Quaresma.

  13. Excelente Artigo.
    “Quem perseverar até o fim, será salvo!”
    Deus tende Piedade de nós!

  14. Excelente artigo. Como poucos. Corajoso. Verdadeiro, incisivo. Para ser impresso e guardado. Cabe aqui até mesmo uma frase do amoral Nelson Rodrigues: “Toda unanimidade é burra.” Ora, se todo mundo curte esse super-pop papa – e um papa, diríamos, “paraguaio” – menos os verdadeiros católicos, aqueles que claramente conhecem a doutrina, então é de se concluir, pela lógica, que há mesmo algo de muito PODRE no reino do Vaticano…

  15. Francisco é o pontífice mais adorado pelos inimigos da Igreja desde João XXIII, e Paulo VI. A cada dia que passa, humilha a igreja, e a rebaixa, fazendo o possível para agradar dos filhos do mal. Logo logo teremos a liberação do crime do aborto. E depois a união sodomita. Tudo está sendo feito devagar para que não percebamos. Mas esperem que logo o pior virá.

  16. Boa tarde aos amigos do Fratres.
    Leio todos os dias o Fratres e é através dele que consigo acompanhar o que acontece na Igreja, tanto do Brasil como nos outros países. E posso dizer que estou bem informado e feliz com o profissionalismo do site.
    Por isso não me surpreendi com este artigo. De maneira alguma. Fiquei surpreso, sim, com a coragem, a intrepidez do autor e de seus argumentos. São para pensar, sim, em todos eles. Posso não concordar com uma coisa ou outra, mas o texto me ajudou a pensar melhor sobre alguns detalhes desse início do Papado de Francisco, querido Papa.
    Não duvido de jeito nenhum que a Igreja ficará sem a assistência do Espírito Santo e de Maria Santíssima, a Bem Aventurada. Mas temo que alguns de seus membros a possam machucar pra valer com sua postura, pecados, atos, palavras e omissões. São e somos todos pecadores e precisamos muito, muito mesmo, da graça de Deus. Só a tua Graça me basta e mais nada, Senhor.
    Os temores do Padre Cristóvão também são os meus, como a excessiva exposição do Papa pela mídia e até que ponto nosso Sumo Pontífice se deixa levar por isso. É preocupante mesmo.
    Outra: a simpatia – não sei se a palavra é correta, pessoal! – de grupos manifestamente anti-Igreja Católica pelo Papa é algo, no mínimo, que incomoda. Os inimigos da Igreja não raramente se juntam para persegui-la. Agora vejo que são capazes também de se unir para elogiar, sugerir e esperar que Francisco faça ou aquilo. Batem palmas como se estivessem falando de um colega!
    Confesso que terei que ler este texto mais vezes para que as palavras alcancem mais fundo no meu coração.
    Parabéns, Padre Cristóvão pela coragem em escrever!
    Agora, um assunto fora do contexto, mais ou menos: o que vocês acham dessa, sei lá, norma em que o Sacrário pode ser colocado de lado na igreja? Já fui a duas paróquias e já fizeram isso. Você entra na igreja e procura o Santíssimo e ele não está mais no lugar de sempre. Foi para uma capelinha ao lado. O que vocês acham disso? Se não puderem responder, tudo bem!

    • Caro Durval. Para mim, tirar o sacrário do centro do templo torna-o “protestantizado”, isto é fruto do relativismo pós-CVII.

    • Isso se chama apostasia. Cristo deixa de ser o centro e a Missa se torna uma “refeição comunitária” entre amigos TL.

  17. Bernardo: Georg Ganswein já desmentiu essa informação. Segundo suas palavras essa entrevista é ‘falsa’ do início ao fim!

    • eu não sabia que era falsa, mas quando li a frase disse interiormente a mim mesma “é mentira, Bento não teria dito isso”

    • Georg Gänswein:
      “A vossa opinião é, naturalmente, uma observação subjectiva. Estou convencido que o Espírito Santo envia o Papa certo no tempo certo, e isto é verdade para João Paulo, para Bento e para Francisco.”

      “Certamente ele (Francisco) é especial, principalmente porque não deixa que o manipulem”;
      “Ele não tem duas caras.”
      “(…) no fundo, existe continuidade com o seu antecessor.”
      “O Papa Francisco não quer reformar a fé, mas os fiéis. Essa é a grande diferença.”
      “A substância da fé é a mesma para ele, seu antecessor e sucessor (…) dar respostas a partir da fé.”

  18. Penso que o autor acertou em algumas coisas, mas exagerou em muitas!!!
    Falar que o Papa faz tais coisas com objetivo de parecer humilde, é julgar foro íntimo. Aí só Deus pode fazê-lo.
    Agora, surpreende bastante ver a mídia amar tanto o Papa e ressaltar frases dele que dão margem para interpretações erradas.
    Acho que o Papa está sendo usado como marionete pelos globalistas, marxistas, libertistas, relativistas, etc… ganhando “respaldo religioso” para suas maquinações lograrem êxito.
    Ademais, querem colocar este Papa como contrário ao anterior, como se faz na política. Saí um governo da direita e entra da esquerda e a mídia começa suas comparações… Esquecem que na Igreja há sucessores com estilos e enfoques diferentes.
    Se porventura, este Papa for mesmo alguém “inventado” pela maçonaria ou coisa parecida, isto vai ficar mais claro daqui há uns 5 anos quando no máximo eclodir as revoluções dentro e fora da Igreja.
    Ainda em tempo, temos que lembrar que todas as profecias devem acontecer para que triunfe o Imaculado Coração de Maria.
    A Rússia espalhou e continua espalhando seus erros pelo mundo, o Santo Padre (também o atual) terá muito o que sofrer… várias nações serão martirizadas… e enfim o Papa consagrar-me-á a Rússia (o que deverá acontecer em 2017 diante da situação trágica que o mundo estará) que se converterá e haverá um certo tempo de paz e … por fim o Imaculado Coração triunfará.

  19. Pedro, ninguém aqui é “cara de pau” por demonstrar indignação com VatiLeaks, aprovação dos neocatecumenais, Assis II etc.
    Aliás, se é pra falar de vazamento de documentos privados, a SSPX teve seu próprio Vatileaks cujo autor sabemos muito bem quem é. Devagar com o andor porque seu santo é de barro!
    O próprio Bispo Williamson cinicamente fez um pedido de desculpas formal a Bento XVI no dia 28 de janeiro de 2009 por ter sido responsável pela “tremendous media storm stirred up by imprudent remarks of mine on Swedish television.” Ou seja, a tempestade que ele desencadeou sobre o Papa devido às sua imprudente entrevista à TV sueca”.
    Seu pedido era tão eloquente que chegava a citar o livro de Jonas sugerindo ao Papa : “Take me up and throw me into the sea; then the sea will quiet down for you; for I know it is because of me that this great tempest has come upon you.” ( Tomaii-me e lançai-me ao mar, e o mar se aquietará; porque eu sei que, por minha causa, vos sobreveio esta grande tempestade.)
    Ou seja, mesmo sabendo que o levantamento das excomunhões despertariam a ira dos progressistas mais radicais contra Bento XVI, Bispo Williamson ainda teve a cara de pau de colocar mais lenha na fogueira com suas declarações imprudentes.
    Pelo visto, não eram só esses modernistas radicais que queriam a renúncia de Bento XVI, pois eu tenho percebido que os “williamsonianos” ( adjetivo que vc mesmo acabou de inventar) de uns tempos pra cá não fazem crítica alguma ao Pontificado desastroso de Francisco, até dão graças a Deus por ele, afinal como você mesmo disse: desgraça pouca é besteira”. Língua afiada é só contra os Bispos e padres da SSPX!
    Eu só não entendo como você ainda se orgulha se ostentar o rótulo de Lefebvrista porque tudo que Monsenhor Lefebvre fez foi pra preservar o sacerdócio, os sacramentos e a doutrina para as gerações presentes e futuras.
    Toda a luta e sacrifício de Monsenhor Lefebvre foi obra da Providência para que a Tradição da Igreja fosse preservada em meio à tempestade que sacode a Barca de Pedro. Monsenhor Lefebvre nunca quis criar uma seita de fundo de quintal e muito menos ficava rezando por mais miséria em Roma pra que suas “fileiras engrossassem”. Ninguém sofreu tanto quanto ele por escândalos como o famigerado Encontro de Assis. Ninguém pediu tantos atos de reparação quanto ele.
    Esse tipo de pseudo “católico tradicional” que ao invés de juntar o rebanho, espalha, e ainda se regozija com as desgraças que se abatem sobre a Igreja pra que seu “clubinho” cresça, é um desserviço tanto à causa de Monsenhor Lefebvre quanto à restauração da Igreja.

    • Segundo seu parecer, não será falso afirmar que D. Williamson, o “cínico” e “cara-de-pau” certamente chamou os repórteres, e juntos arquitetaram um plano de derrubar… Bento XVI. E como você certamente não é leviana, poderá nos provar que o pedido de desculpas de D. Williamson foi cínico. Você já afirmou. Só precisa provar que não é uma afirmação gratuita. Certamente muitos aqui aproveitarão das fontes seguras que você se firma para chamá-lo de cínico, sem cair em temeridade, ou pior, calúnia.

      Não respondo pelos outros, mas desde o início, quando vi Bergoglio no poder, meu horror foi tamanho, que, à medida que o mesmo foi guiando as coisas para um modernismo explícito e radical, resolvi evitar comentar diretamente seus atos de governo, porque a indignação me faria certamente escrever coisas das quais me deixariam com a consciência pesada. Eu tinha pensamentos tão horríveis a respeito de Francisco, que muitos do Fratres podem perceber que, em várias ocasiões eu cheguei a afirmar que evito até mesmo ler certas notícias, a depender do enunciado, que se refiram a algum gesto demolidor de Francisco.
      A diferença de Bento para Francisco jamais foi de essência. Com Bento havia uma mistura de certo e errado que eram muitíssimo mais perigosa. O papa Francisco é tão abertamente liberal, que dispensa até mesmo certos alertas, já que seu liberalismo é explícito, exceto para os católicos realmente ignorantes ou os não-católicos.

      O linchamento moral que D. Williamson sofreu longamente, em virtude de sua ingenuidade (ou quiçá imprudência) em falar o que pensava de maneira explícita, sem considerar que usariam isso contra ele e contra a Igreja Católica (eu já assisti duas ou três vezes o documentário, não passa de panfletagem anti-católica mal-disfarçada) foi visível para todos e fartamente noticiado, inclusive aqui no Fratres. A proibição de entrar em território alemão, o advogado judeu, a punição dada a ele por D. Fellay, a perda de qualquer ministério sacerdotal, tudo isso foi muito bem reportado, mas segundo você, tudo não passou de uma estratégia maliciosa. Eu realmente gostaria que você provasse suas afirmações. Eu gostaria que você mostrasse como D. Williamson ACEITOU que depredassem a imagem da FSSPX, e em seguida da própria Igreja Católica, pagando o preço tendo seu rosto estampado em todos os meios de comunicação do ocidente, só pelo gostinho de enlamear Bento XVI e boicotar o tão esperado acordo! Por favor, demonstre com fatos, para que não pareça uma afirmação leviana…

  20. Tal como o Rev. Pe. Cristóvão muitos outros servos consagrados a Deus devem estar sofrendo de maneira semelhante. Porém, a maioria têm olhos mas não veem; têm ouvidos mas não ouvem (porque não querem). Assim, o resultado só poderia ser aquele que, tão bem, descreve Tadeu no comentário acima.

  21. Excelente artigo! Saudações ao Pe. Cristóvão.

  22. “A cada manhã, um desassossego pelo que poderá vir. ” É a chamada bergogliada do dia…

  23. O problema do Samuel Santos é igual aos de muitos paroquianos. POR MEDO, USAM O DISCURSO POLITICAMENTE CORRETO de não falar o que estão vendo, e atacam os demais por serem mais firmes e que não se omitem.

    • Viva O Papa Francisco e seu ministério frutuoso na Graça de Deus, que a Virgem Santíssima continue o acompanhando.

      Ele é nosso pastor e agradeço a Deus pelo pastor que ELe me deu.

      Aos criticos do Papa como o Sr. Osires costa, continuem firmes com o propósito de desqualificar o ministério do Papa Francisco, e de julga-lo e veram para onde este orgulho espiritual levará vocês.

      Eu como sou um misero pecador um paroquiano simplesmente, não sou nenhum doutor em teologia, como vocês todos, fico com as graças que Deus esta derramento na Igreja no momento atual através no Nosso Pastor.

      Obrigado Jesus pelo vida do Papa Francisco.

    • Osires, pode crer que o discurso politicamente correto agrada a muitos que se dizem “tradicionalistas”. O brasileiro, geralmente portador do câncer marxista, detesta a verdade sem tempero, nua e crua (isso quando é capaz de engolir alguma). Ai de mim se fosse direto e assertivo em minhas colocações aqui no Brasil – algo visto com serenidade em países como a Espanha ou a França.

  24. O Papa Francisco, coincidentemente, está alinhado com as determinações políticas da cúpula piramidal humanista e não parece encorajado a contrariá-las. Politicamente corretíssimo, não?

  25. Pe. Cristóvão, onde assino?

  26. Artigo interessante e muito profundo!!
    Uma vez um amigo estava revoltado porque namorava uma pessoa de segunda união e culpava a igreja por não poder casar-se com ela, então eu disse que igreja não pode nem deve se comparar a uma régua de “lesbus”. Ela na sua estrutura de fé dita regras e suas regras são baseadas nos ensinamentos de Jesus Cristo. Ela não foi feita para adaptar-se as tendências e modernismos humanos ou a própria “evolução” que a sociedade prega. Cristo nunca muda, Ele é o alfa e o ômega, Ele simplesmente é! Deus nos deu o dom da inteligência e por isso temos que discernir à respeito de todas as coisas que estão acontecendo, e se a Igreja se dobrar, ai sim será o Seu fim, mas não o fim de Jesus Cristo. A Igreja ao longo dos séculos errou muito porque é feita de homens, homens como nós, passíveis de errar, e isso não é muito diferente do Papa Francisco.
    Devemos odiar o seu pecado e não ele.
    Continuarei rezando por sua vocação para que se deixe iluminar pelo Espírito Santo e não pelas tendências do mundo.
    Peço que Deus tenha misericórdia de mim e de toda a humanidade pecadora.
    Paz e Bem a todos os Fratres!

  27. O artigo é perfeito. Destaco o seguinte trecho:

    Alguém, que deveria se sacrificar no pontificado, ocultando o seu “eu” para que nele resplandecesse o Sucessor de Pedro, o Vigário de Cristo, imola o sumo pontificado em homenagem a si mesmo.

    Há várias partes do artigo a serem destacadas e exemplos a serem mostrados para fortalecer ainda mais a veracidade do artigo.

    O caso dos FI é de um totalitarismo sem precedentes…

  28. Samuel, mesmo você sendo o primeiro a opinar no artigo, já apodou a todos de conservadores. E você? o que é? Aggiornato? Saiba que o Papa Bento XVI criticou os que chamam os católicos fiéis de conservadores, pejorativamente.

    Você chamaria, pejorativamente, Jesus de conservador quando Ele chamou São Pedro de satanás? E a São Paulo, quando disse: “Quando Cefas veio a Antioquia, eu o enfrentei abertamente, porque ele se tornara digno de censura”

    Mariah, dizem que o Papa Pio IX teve algumas atitudes que favoreceram os liberais ao que estes saíram nas ruas gritando. Viva o Papa Pio IX. São João Bosco ordenou aos seus alunos que jamais gritassem, viva o Papa Pio IX, mas sim, viva o Papa. Semelhantemente, diz-se que devemos estar em comunhão com o Papa. Sim. Devemos. Mas que Papa? com todos os Papas, desde Pedro. É por isso que não se deve esquecer dos ensinamentos dos Papas precedentes.

    Por fim quero lembrar-lhes que todos nós (conservadores) católicos fiéis, amamos o Papa, seja ele quem seja. Só ficamos tristes quando, ao nosso ver (talvez errado) alguma coisa dita não esteja em comunhão com o que os Papas precedentes disseram.

    E ainda, por fim, pra não dizer que não falei do artigo, que é esse o objetivo do sítio, o seu conteúdo é deveras preocupante. E veja, dito por um padre.

    Samuel, lembre-se, somos irmãos. Não se aborreça comigo. Não é esse o meu objetivo.

  29. Pessoal,

    Para conhecimento, reflexão e tomada de decisão…

    “Quinta-Feira, 13 de março 2014
    Nós já estamos vivendo o fim dos tempos
    A Igreja vai passar por tudo aquilo que Jesus passou. Estamos só no começo. Eles vão nos perseguir muito mais, como fizeram com Jesus. Não se assuste, pois o próprio Catecismo da Igreja Católica, quando fala do fim dos tempos, diz que o caminho da via-sacra vai acontecer com a Igreja.

    Também pode ser um escândalo para nós aceitar o que está no catecismo, porém, é verdade que deveremos passar por tudo aquilo que Jesus passou, o que não podemos nos esquecer é que Jesus também passou pela ressurreição. Diz o catecismo que assim como Jesus passou pela morte, a Igreja também vai passar. Não posso te dar outra notícia, mas assim como Ele ressuscitou, ela também ressuscitará. Prepare-se para isso!

    Nós já estamos vivendo o fim dos tempos! Já estamos vivendo o tempo do anticristo. O Senhor vai permitir que o anticristo se manifeste, mas será por pouco tempo, pois Deus vai destruí-lo com o sopro de Sua boca. A impressão clara que tenho é de que esta geração vai viver tudo isso. Vai ser nessa geração que tudo vai acontecer. Basta ver que os sinais estão aí.

    Seu irmão,
    Monsenhor Jonas Abib”
    Enviado via iPad

  30. O artigo é excelente!
    Lúcido! Justo e coerente. Òtimo observador o articulista. Concordo com ele.

    Graças à DEUS, já há muita gente “despertando”, e, vendo muiiita coisa,como é realmente… Amém!
    Oro todos os dias por SUA SANTIDADE O PAPA BENTO XVI, e pela IGREJA CATOLICA em geral! Amém!

    DEUS nos socorra!

  31. SAMUEL SANTOS!!!

    Ajoelhe-se diariamente diante do SACRARIO e,…..reze para o DIVINO ESPIRITO SANTO! Reze pedindo a JESUS iluminação de todos Catolicos……de todos os Batizados!

    Que caia toda tibieza, toda cegueira espiritual, pois estamos em plena BATALHA pelo REINO DE DEUS,….e,….há muiiiita gente boa……”dormindo”….”dormindo”…..e….”roncando”, que precisa…..acordar, para a realidade!

    Só não vê,….. quem não quer…..Tudo está tão claro!!!!!!…. bem à Luz do EVANGELHO!!!…….

    Espere …..e verás!!!!!……. mais “cositas muy interessantes”!!!! Adiós! Hasta luego! Amém!,

    • Vamos todos intensificar nossas orações.
      Que Deus nos abençõe e nos dê forças para perseverar até o fim.
      Fieis a Deus, Fieis a Santa Doutrina, Fieis a Santa Tradição.
      Fieis ao Papa.

    • Concordo Samuel, resta saber se Francisco tem o mesmo propósito. No caso dele, Papa Francisco, ser fiel à santa sé e a transmissão da doutrina imutável.

      Então, emendando o que disse, haverá sempre catolicismo autentico.

  32. Gercione Lima, muito aprecio suas intervenções aqui, mas por favor, entenda minhas ironias… Preciso aprender a me expressar sem elas.

    Sem mais,

  33. Resumo o meu comentário a de um padre que estava na praça S. Pedro no dia do anuncio da eleição do Papa João Paulo II. Ele disse: “Non importa, lui è il Papa.”.

  34. Perfeito! A realidade sendo exposta! Rezo espero que, antes do fim de seu pontificado, Francisco lague seu discurso demagogo e ambiguo e seja o pastor que todos os católicos, conscientes e perplexos, esperam!

  35. Nataly Ferreira ,
    Faço minhas as suas palavras !
    A Igreja , com Francisco , vive um ” DOMINGO DE RAMOS ” prolongado , mas, a hora do ” CALVÁRIO ” se aproxima rapidamente !
    E temos permanecer fiel como João permaneceu , até o fim .
    O Pe Cristóvão nos descortina um cenário assustadoramente real , porém a pergunta feitaa dois mil anos atrás é mais atual do que nunca :
    “Senhor , quem iremos nós ? ” (Jo 6,68a) Eu respondo :
    Continua na Igreja , pois só Nela há a VIDA ETERNA !
    Rezemos por Francisco !

  36. Que importa tudo isso? Qualquer coisa que dê errado para Francisco, basta pedir aposetadoria: ir para o Instituto das Santidades Emeritas.

  37. Que há demasiado entusiasmo entre os liberais com a eleição de um cardeal latino-americano cuja escolha do nome papal recaiu em Francisco é algo inegável. Mas a relação íntima e consequente entre Bergoglio e esse pessoal ainda me parece incerta. Bergoglio jamais elogiou a TdeL como fez João Paulo II na Carta do Papa João Paulo II aos Bispos da Conferência Episcopal dos Bispos do Brasil: “a teologia da libertação é não só oportuna, mas útil e necessária”. Certo que João Paulo II condenou Leonardo Boff, contudo, quando esteve em visita ao Brasil, um dos discursos lidos por João Paulo II foi escrito justamente por L. Boff. Quem me garantiu isso foi o Prior de um mosteiro beneditino de S. Paulo (Dom Robson). Se tal coisa acontecesse com Bergoglio, isso pareceria uma prova definitiva de seu “esquerdismo”, embora, para a maioria, não pareça o mesmo quando relacionado a João Paulo II. Antes de abdicar do trono papal, Bento XVI escolheu Dom Gerhard Ludwig Muller para chefiar a Congregação para Doutrina da Fé. Ora, Dom Gerhard Ludwig Muller é conhecido por ser simpático à TdeL… Por que, neste caso, as mesmas suspeitas de esquerdismo não recaíram sobre Ratzinger? Creio que seja muito cedo para determinar uma conclusão sobre o papado de Francisco. Anda dizendo tolices? Às vezes sim. Mas e os outros também não disseram e fizeram tolices?

  38. Acompanhando o raciocínio dos comentários que se apresentaram no post:
    Um herói (marxistoide) no Vaticano [https://fratresinunum.com/2014/03/11/um-heroi-marxistoide-no-vaticano/#comments] e ante o materia em comento:

    A tl nunca abandonou a Igreja, pelo contrario, apenas vem se esgueirando e trocando a pele feito lagartixa.

    Exemplo:

    Lembro-me quando Marta Suplicy(nome que parece está morto) queria implantar o programa de promoção de atividade sexual para as crianças nas escolas . Houve uma movimentação contrária no Congresso Nacional e frustrou suas pretensões. Que fez então o PT e seus amigos da tl?

    Ver a sequência:

    http://globotv.globo.com/rede-globo/dftv-1a-edicao/v/secretaria-de-saude-lanca-no-df-campanha-de-vacinacao-contra-o-hpv/2443703/

    http://www.ais.org.br/atualidades-da-igreja/item/633-papa-nomeia-frei-hans-como-consultor-do-pontif%C3%ADcio-conselho-para-os-leigos

    http://www.brazlandia.df.gov.br/noticias/item/3109-unidade-de-recupera%C3%A7%C3%A3o-fazenda-da-esperan%C3%A7a-%C3%A9-reinaugurada-em-brazl%C3%A2ndia.html

    http://globotv.globo.com/rede-globo/dftv-1a-edicao/v/vacinacao-contra-o-virus-hpv-nao-e-gratuita-para-todas-as-meninas/2510946/

    Por fim, programa de Marta Suplicy dá certo a pretexto de vacinação contra vírus hpv.
    Ela consegue acabar com a inocência e pureza das crianças com queria antes
    E os cães mudos do clero ficam nada fazem em troca de favores.

    Ajudar pessoas em necessidades materiais é muito apelativo…o apelo psicológico…meios emocionais… Segue-se daí que para a tl e seus amigos governantes vão expandindo sua ideologia usando o povo em geral.

    Já, para tornar a tática mais eficaz, outro recurso de manobra é usar o nome de Jesus, o companheiro(na linguagem deles).

    Penso, não se enganem, que o Papa Francisco é muito tl ou muito ateu; que dá no mesmo.

  39. Já vi muito modernista arrancando os cabelos por causa do artigo. O que os modernistas e iludidos não entendem é que devemos ser obedientes ao Papado mas nem por isso fechar os olhos para os erros doutrinários de quem lá está; mesmo porque temos uma centena de papas anteriores para termos como base. Não gritamos “viva Francisco”, mas sim VIVA O PAPA!

  40. SAMUEL!!!!!SAMUEL!!!…… irmão!
    Permita-me te dize, ainda, ….”.unas cositas muy buenas” …!!!!

    Olhe:…..rezar ao DIVINO ESPIRITO SANTO diariamente! por todos nós,os Batizados, ….. e pela IGREJA CATOLICA!!!!

    FIDELIDADE????….à JESUS! DOUTRINA? a CATOLICA!!!!!! a PALAVRA SAGRADA, a BIBLIA!

    Ensinamentos especiais?????….dos Santos Doutores Teologicos e …de SUAS S A N T I D A D E S, os PAPAS JOAO PAULO II (KAROL WOYTYLA), e BENTO XVI . ( JOSEPH ALOIS RATZINGER), e……só!!! Sómente! Veja, bem: só isso.

    O resto?….. CARIDADE silenciosa, ( sem ostentações…), discrição, Dízimo em dias, espórtulas, óbulos, e, ascese ( um pouquinho, NÂO faz mal!! jejunzinho básico às sextas-feiras…etc), ADORAÇÂO AO SSMO SACRAMENTO, ROSARIO MARIANO em dia, sorrisos, continencia, equilibrio, perdão aos ofensores, oração pelos não amigos, bom humor, leveza de Alma, Esperança, Fé ,………. e…..AMOR-ÁGAPE!

    É fácil, ser cristão???????….. CLARO, QUE NÂO!!!! NÂO É! Mas, com JESUS tudo de bom é possível! JESUS santifica! Glórias a DEUS!

    Lembre-se: nem tudo que “reluz”…….é ouro! Vigilancia. OBSERVAÇÃO.

    CUIDADO.ORAÇÃO.PRUDENCIA.
    Hasta luego! Buenos dias! Amém!

  41. O artigo foi traduzido para o italiano pelo site una vox:

    http://www.unavox.it/ArtDiversi/DIV768_Don-Cristovau_Un_anno_con_Francesco.html

    Também foi reproduzido pelo site concilio vaticano secondo.

  42. Bem como Nossa Senhora havia alertado em Lourdes, Fátima e Garabandal, viria o grande cisma na Igreja Católica. E basta vermos os comentários aqui listados para vermos claramente o Grande Cisma se instalando dentro da Igreja Católica. Assim como na Reforma e na Contra-Reforma vemos novamente a ala dos progressistas, dos que têm certeza que a Igreja precisa ser “reformada”, “mudada”, “adaptada aos novos tempos” e a ala dita “conservadora” que visa manter a Igreja em sua doutrina apostólica milenar. A diferença é que desta vez o Sumo Pontífice parece estar mais pendendo para as idéias reformistas de Lutero que para a tradição apostólica desde os tempos de Jesus Cristo….

    • Bem lembrrado Isabella,
      As mensagens de Garabandal são mais específicas ainda porque além de prever isso tudo ainda afirma que o Papa Francisco seria o Papa do Fim dos Tempos, inclusive revela a situação ocorrida no qual elas não sabiam descrever, como a existência de dois Papas.

%d blogueiros gostam disto: