Um novo bispo para o Ordinariato Militar.

Steiner e Pedro Casaldáliga.

Steiner e Pedro Casaldáliga.

Por Fratres in Unum.com – É iminente a nomeação do novo Arcebispo para o Ordinariato Militar do Brasil. E o nome dele poderia ser Leonardo Ulrich Steiner, atual secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil e bispo-auxiliar de Brasília. A confirmar-se tal possibilidade, Steiner, ultra progressista que esteve perto da Arquidiocese de Porto Alegre — dizem que indiscrições da imprensa geraram uma reviravolta na nomeação –, sucederia a Dom Osvino José Both. Hoje, o Ordinariato Militar conta com um bispo auxiliar, Dom José Francisco Falcão de Barros, e vários sacerdotes considerados conservadores, formados no seminário da Legião de Cristo, na região metropolitana de São Paulo. Com Steiner, provavelmente, todos eles teriam que passar por um curso de reciclagem em São Felix do Araguaia…

15 Comentários to “Um novo bispo para o Ordinariato Militar.”

  1. Coitado de nossos soldados, muito provavelmente este bispo será um aliado do Jean Willis querendo retirar do código penal militar o crime de pederastia e ato libidinoso, como também vai querer que os soldados não usem uniforme, assim como os padres não usam mais a batina.

    Se contrariar o código de direito canônico desse prisão como o código penal militar então este bispo estaria no chilindró só pelo fato de não usar sua farda.

  2. Xiii…. só noticia ruim.

  3. RADAR TL apitando píiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii

  4. Vocês já erraram, quando disseram que ele seria nomeado para Porto Alegre, devem , claro que sem maldade, estar errados novamente.

  5. Um adendo: O Seminário Maria Mater Ecclesiae, que recebe os seminaristas do Ordinariato Militar do Brasil, não fica no interior paulista, senão na região metropolitana (Itapecerica da Serra-SP)

  6. Nem todos os presbíteros do Ordinariato Militar são formados no Maria Mater Ecclesiae. Há os presbíteros militares, que normalmente são padres jovens, vem das dioceses civis, sempre são brasileiros natos e precisam de autorização de seus bispos para fazer concurso para oficial capelão em uma das três Forças Armadas ou nas forças auxiliares onde houver o concurso. Os que passam no concurso vão para a escola de formação e depois do curso recebem patente de segundo-tenente e vão para algum grupamento para onde o comandante da força enviar. Mesmo assim, esses capelães militares permanecem incardinados na diocese de origem, sendo apenas cedidos para o Ordinariato. Quando passam para a reserva é que voltam para as dioceses de origem. E ainda levam os proventos de oficial da reserva, dentro da patente mais alta que alcançaram. Capelães militares chegam no máximo a coronel no Exército ou na Aeronáutica, ou a capitão de mar e guerra na Marinha.

  7. As escolas de formação dos capelães militares fazem apenas a adaptação do presbítero para a vida militar. Não se sobrepõem à formação do seminário que formou o presbítero, que já deverá ter feito o concurso sendo presbítero ordenado.

  8. E Dom Osvino não só tem a influência como foi ele mesmo quem fez o seu auxiliar (conservador). É grande amigo dos Legionários; está muito contente com a formação dos seus seminaristas; está sempre no Mater Ecclesiae, visitando, convivendo.. antes do Ordinariato, enquanto prelado de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, já comprara briga com o clero TL pela manutenção da formação em Itapecerica.. Acredito ser um juízo temerário

  9. Pobres militares…
    Depois das viúvas do jango-comunismo, agora têm que suportar um comuna-cãociliar…
    Isso é sabotagem!
    Agora, ainda que seja influente, o bispo militar não é mais influente que o Mons. Ilson Montanari…
    Essa igreja conciliar está cada vez mais indo pras cucuias…
    Alguém aqui se lembra da profecia de la Salette?

    • La Salette! Muito bem lembrado. Lí um excelente livro sobre essa aparição escrito por Luis Dufaur, “La Salette, aparição e profecias” e, creio, na pagina 53, fala que os sacerdotes “pela sua má vida, irreverência nas celebrações das santas Missas, ganância, tornaram-se cloacas de impureza”. Guardei mais ou menos a página, pois me impressionou muito a afirmação de Nossa Senhora em La Salette, pois vi nitidamente descrita a situação do clero de hoje. Aliás, fala na aparição, segundo o mesmo livro, que “isso aconteceria por volta do ano 2000”. Veja sucessões de escândalos, infelizmente, o mais notável a volta de um Bispo filmado praticando atos homossexuais – estava afastado por isso – em uma Crisma em Buenos Aires. O nome dele?! D. Maccaroni. Recebi essa triste notícia de um Pe. amigo meu escandalizado, com quanta razão, com o fato.
      Rezemos pedindo a intervenção de Deus para resolver essa maior crise dentro da Santa Igreja.

  10. Ou isto, ou pior. Como o blogue já cogitou, na ânsia de errar, dom Steiner pode substituir o cardeal Raimundo Damasceno em Aparecida. Aí será chapéu vermelho no bispo vermelho, communistarum cardinalem sanctae romanae ecclesiae…

  11. Por aqui já se soube que o novo Bispo do Ordinariato Militar será o atual Arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto.

    • Esse sim, iria bem. É conservadora e com ressalvas grossas contra progressistas-comunistas. Como não está bem alinhado com a tal igreja conciliar, é provável que não seja ele. É lamentável, mas hoje funciona assim: todo apoio para os de igreja liberal (compreensão, diálogo etc. e tal) e para os conservadores, ainda que pouco, a rédea curta e a rudeza da lei. Veja os Pes. que rezam a Missa no Rito Extraordinário por qual agruras passam.