Prossegue a operação “Canonizando o Concílio” – II.

Cardeal André Vingt-Trois, arcebispo de Paris – «Que se abram as canonizações a todos os tipos de pessoas, e não por seu estado de vida»

Cardeal Vingt Trois

Cardeal Vingt Trois

Por Religión en Libertad | Tradução: Fratres in Unum.com – O cardeal André Vingt-Trois, arcebispo de Paris,  explicou ao diário francês La Croix o sentido das canonizações de São João XXIII e São Paulo II: “Uma atenção mais precisa ao período da história da Igreja que representam estas duas canonizações“.

“Ou seja”, ele continua, “com João XXIII a abertura do Concílio Vaticano II, e com João Pablo II toda a energia que ele despendeu durante seu pontificado para pôr em prática esse Concílio. De certo modo, é uma forma de reatualizar o Concilio Vaticano II. Para muitos que não haviam nascido ou que não se recordam dele, é uma boa ocasião de redescobrir o dinamismo missionário da Igreja”.

Com relação a uma possível próxima canonização de Paulo VI, o purpurado ex-presidente da conferência episcopal francesa precisa: “Seguramente há bons motivos para que Paulo VI seja canonizado, porém, não tenho certeza de que seja uma boa ideia pegar o costume de canonizar a todos os Papas”.

Por que? Porque “João Paulo II trabalhou com muita perseverança justamente para abrir as canonizações a todos os tipos de pessoas, que não fossem escolhidas em função de seu estado de vida”.

O cardeal Vingt-Trois acrescenta uma explicação do porquê desse “plus” de santidade dos Papas mais recentes: “A supressão dos Estados pontifícios em 1870 e o fato de que a dimensão do governo temporal do Papa tenha desaparecido reforçaram a implicação do Papa no governo espiritual da Igreja, e, por tanto, é bastante normal que suas qualidades de santidade e de vigor pastoral se sobressaiam com mais força”.

10 Comentários to “Prossegue a operação “Canonizando o Concílio” – II.”

  1. São André Vingt-Trois! Este deseja “abrir” tanto as possibilidades de canonizações que, quem sabe lá, queira até ser canonizado em vida! Dispensaram até a comprovação inequívoca de pelo menos dois milagres para uma canonização que, talvez, também dispensem os candidatos a “santo” até da santidade…

  2. «Que se abram as canonizações a todos os tipos de pessoas, e não por seu estado de vida». Ou seja, canonizem Lutero, “santo” responsavel por um novo prisma da fe crista.

  3. Como é mesmo o nome do CARDEAl francês,que “se enrolou” na morte do Papa JOAO PAULO I ?..
    Quem souber…….

    MARANATHA!

  4. Depois de ler tantas inverdades deste cardeal. É necessário que façamos uma retificação de suas palavras tão contraditórias a fé cristã. Para ser santo, tem que ser uma pessoa que viveu uma vida de modelo para todos nós. Sua vida deve ser pautada pelo bom exemplo até o fim da sua vida. Muito embora nem todos os santos começaram bem; mas todos terminaram bem. Santo Agostinho, Santa Taís, Santa Maria Madalena… No caso deste novo “santo” acima mencionado. Não costa que ele tenha se arrependido até o final da sua vida, nem retificado os erros que ele praticou publicamente no mundo todo. (Encontro de Assis, religiosidade de Lutero, beijando o alcorão…)Como fica a nossa fé? São Pio X condenou tudo isso que ele afirmou. Então temos que anular a canonização de São Pio X? Como pode haver duas verdades contraditórias ao mesmo tempo?
    Joelson Ribeiro Ramos.

  5. A “lógica” desse pessoal parece esquizofrenia…

    Então, os Papas anteriores não conseguiram ser bons pastores antes de 1870 !? Fora da realidade !

    Será que canonizarão Lutero em 2017 ? Será a coroação do Anticristo em Roma !

    Parece os padres de hoje: se não matou a mãe a pauladas nem roubou de mendigo cego, é santo ?

  6. O conceito de santidade desse povo é o seguinte: não roubei, não matei…sou santo.
    Esse povo está seguindo a coerente lógica dos gnósticos revolucionários: “se servi eu tô aceitando”. Nesse caso, se serve ao CVII põe no altar que é santo. Os recentes papas canonizados, sem entrar no mérito da validade da canonização, viraram para o alto clero bodes expiatórios da nova igreja pós-CVII, síntese do catolicismo esclarecido e de suas perrogativas, enquanto que o povo crê que eles foram tudo aquilo que a hierarquia de ilumados conta terem sido. Prestam culto de dúlia a um bezerro de ouro inventado pelas mãos do clero, de seu modernismo e de sua propaganda do CVII.
    Libera nos Domine.

  7. Por que estão crucificando o Cardeal? Ele não está dizendo nada diferente do que Bergoglio disse em sua entrevista ao jornalista Andrea Tornielli do jornal La Stampa no dia 10 de dezembro de 2013.
    Quem quiser ler a entrevista na íntegra em português basta acessar o site da Unisinos:

    http://www.ihu.unisinos.br/noticias/526693-nunca-tenham-medo-da-ternura-entrevista-do-papa-francisco-ao-jornal-la-stampa

    Nessa entrevista, Papa Bergoglio responde ao ser perguntado sobre a unidade dos cristãos:

    “Eu conhecia um pároco em Hamburgo que acompanhava a causa de beatificação de um padre católico guilhotinado pelos nazistas porque ensinava o catecismo às crianças. Depois dele, nas filas dos condenados, havia um pastor luterano, morto pelo mesmo motivo. O sangue deles se misturou. Aquele pároco me contava que tinha ido ao encontro do bispo e lhe dissera: “Eu continuo acompanhando a causa, mas de todos os dois, e não só do católico”. Esse é o ecumenismo do sangue. Ele também existe hoje, basta ler os jornais. Aqueles que matam os cristãos não pedem para você a carteira de identidade para saber em qual Igreja você foi batizado. Devemos levar em consideração essa realidade”.

    O caso mencionado por Bergoglio, diz respeito ao caso do pastor Luterano Karl Friedrich Stellbrink. Stellbrink juntamente a mais três sacerdotes Católicos que foram degolados por denunciarem o regime nazista durante a II Guerra. Bento XVI então deu início ao processo de beatificação desses três sacerdotes em 2011, deixando de fora obviamente o pastor Stellbrink. Isso gerou um certo mau estar com os luteranos da Alemanha.
    Resta agora saber se Bergoglio retomará o processo incluindo também o pastor protestante como candidato a beato! Quem sabe teremos ainda nesse Pontificado o primeiro “santo ecumênico”? Quem viver verá. Eu não duvido de mais nada vindo dessa hierarquia ensandecida.

  8. Paulo VI será beatificado no dia 19 de outubro. Enquanto isso, Pio XII e a irmã Lúcia de Fátima encontram-se em banho maria.

  9. A igreja conciliar (que não é a igreja católica) ainda há de canonizar o próprio Satanás… Nunca duvidem, porque coisas totalmente impensáveis há 50 anos são pregadas e impostas com a maior naturalidade pelo próprio papa, seguido da hierarquia. Quantos achavam que a coisa não poderia piorar mais do que já estava? Pois piorou. Alguém quer pagar pra ver se a cota de escândalos já acabou? Eu não pagaria, nessa matéria, infelizmente o clero atual é campeão de criatividade.

  10. Sra. Marina;
    Uma vez mais, um comentário sem nenhum sentido.
    A Sra. que fala tanto em confissão, em perdão, em bondade, está um tanto curiosa… São Francisco de Salles chamava isso de “curiosidade mórbida!”
    Seja discreta!
    Estude mais, leia mais!
    E por falar nisso, por favor:
    Desculpe-me, mas sua pueril versão carismático-evangélica não é muito o perfil desse “nosso” Blog…
    Portanto, seja discreta, ou “vá maranathar noutro lugar!”