Foto da semana.

Caterina-dal-Papa

“Caterina Maria Sudrio era a mais nova de 10 filhos, nascida em Benevento, [Campania, Itália,] em 1º de junho de 2006.

Quando tinha apenas 4 anos, ela pediu ao Padre Pietro Luongo, FI, em tom de voz muito sério, para se confessar. Ela havia sido batizada pelo Padre Stefano Manelli, [fundador dos Franciscanos da Imaculada] e dele recebeu a Primeira Comunhão aos 5 anos e meio de idade, no Dia de Natal, em 2011, em uma Santa Missa celebrada no Rito  Tridentino [Rito Romano Tradicional ou Forma Extraordinária]. Toda noite, às 19h20mi, ela tinha que ir, custasse o que custasse, à Benção Eucarística no Santuário da Mãe do Bom Conselho. Conscientemente, ela oferecia a sua enfermidade pelo Padre Stefano Manelli e pelo instituto dos Franciscanos da Imaculada, Freis e Irmãs.

Ela sabia que não seria curada.

Seu filme favorito desde tenra idade era “Marcelino Pão e Vinho”.

Sua canção favorita: “Eu prefiro o Céu” [Preferisco il Paradiso], ouvida no filme sobre São Filipe Neri.

Ela nunca, repito nunca, reclamou sobre sua doença (pinealoblastoma). Quando indagada como estava passando, ela sempre respondia: “bem,” e com um sorriso.

Sempre repetia, desde o momento em que aprendeu a falar: “Jesus veio para trazer alegria”.

Posso dizer que o bom Deus a elevou para Si, e a levou no dia de Maria [sábado], na festa de Santa Ana e São Joaquim, 26 de julho de 2014, na idade de 8 anos.

Consummatum est!

O lema dela era: Quando não temos amor, crescemos com dificuldade!”

A carta acima foi escrita pela família da pequena Caterina; seus pais são da Terceira Ordem dos Franciscanos da Imaculada e três irmãs de Caterina são religiosas na obra, tão injustamente perseguida, do Padre Manelli. Caterina sofria de um raro tipo de tumor no cérebro e lutou contra a doença por dois anos.  Na foto, à direita, temos a linda Caterina no início de sua enfermidade, em setembro de 2012; à esquerda, em seu encontro com o Papa Francisco, em 23 de janeiro de 2014. Caterina, seu sacrifício, unido ao de Nosso Senhor, não foi em vão. Continue, do céu, rezando pelos Franciscanos da Imaculada e por todos nós.

Créditos: Chiesa e Post Concilio.

10 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Eis que Deus escondeu o segredo do seu Reino aos sábios e entendidos e o revelou aos pequeninos. Como não contemplar, nestas poucas palavras, a santidade de Deus reluzida na vida desta criança? A sua dor, seu sofrimento, fora suportados com fé, piedade, porque sabia que o paraíso seria sua recompensa. Como não se emocionar ante tal testemunho e santidade. Aqui podemos ter um agrande santa para os nosso tempo. Lá do céu, querida e mimosa florzinha, olhai por nós, pelos que sofrem sem fé e resignação, pelas crianças em seus leitos e pela Igreja que tanto amaste. Amém!

  2. Numa revelação particular á Santa Margarida Maria, Nosso Senhor ao pedir a ela que fosse uma das propagadoras da Devoção ao Seu Sagrado Coração, foi bem direto: “Não te prometo fazer feliz nesse mundo, mas no outro!”. Acredito que o exemplo, ou melhor, o testemunha desta serva de Deus, é a mais que suficiente para comprovar que nossa pátria não é essa terra. Por mais que o mundo, nos engane, e até mesmo as falsas religiões e até mesmo setores dentro da Santa Igreja pregue tantas asneiras; somos como dizem São Paulo, peregrinos, transeuntes, “turistas” nesta terra. A Igreja Militante está apenas no campo de batalha, a glória é a Igreja Triunfante, que não está presa a este mundo, a esta carne, a essa prosperidade que se prega aos quatro ventos. Os sofrimentos, os problemas, servem para não nos acomodarmos, não nos deixarmos seduzir pelas coisas terrenas. Os santos quando tratavam dos doentes, dos “excluídos”, dos pobrezinhos, não o faziam para este mundo, mas sim para a glória do Céu.
    Peçamos a Santíssima Virgem, que tenhamos a consciência de que nosso lugar é o Céu, a Bem-Aventurança Eterna. Para isso, utilizaremos desta terra, das alegrias e dos sofrimentos de meio e não fim.

  3. Rezai por mim, pequeno anjo.

  4. É um instituto como este, de que se serviu Deus para suscitar uma criança com tamanha devoção, o instituto dos Franciscanos da Imaculada, que aqueles indivíduos dominados pelo espírito do modernismo tão pertinazmente se esforçam por perseguir. Bem fariam eles, caso se dessem conta do grave delito que cometem e do terrível perigo a que sujeitam suas almas ao mover tal perseguição…

  5. Querida santa, pedi a Deus, proteção para as crianças do mundo todo! Que lindo testemunho de cristã você deixou para nos! Intercedei por nós todos! Amem.

  6. Enquanto uma santa criança, ainda antes dos sete anos (salvo engano, considerada a idade da razão), pede para confessar pecados, vemos hoje como o Sacramento da Penitência é tão pouco praticado (salvo honrosas e raras exceções). Não se trata de uma clara advertência de Deus?

  7. Rogai por nós, santinha Caterina.

  8. Que belo testemunho de vida! Saber que ainda existem almas puras como esta já serviu para alegrar o meu dia e me dar forças para continuar.
    Rogai por nós, santa Caterina!

  9. Que exemplo! Uma alma escolhida por Deus! Que ela seja intercessora das nossas crianças!

  10. Estou curioso para saber o que o ateu Richard Dawkins diria aos familiares desta santa criança para consola-los de sua dor. Que palavras os entusiastas do evolucionismo dariam aos pais para confortá-los de uma perda tão terrível?
    Imagino o ateu inglês, no auge de sua arrogância acadêmica, explicando aos pais que sua filha não passava de uma combinação randômica de moléculas e tecidos frutos de uma “seleção natural” que no final das contas falhou ao permitir que células cancerígenas se proliferassem em um filhote de “símio” evoluído, o que teria provocado ocasionalmente a degeneração deste “exemplar” da espécie humana.
    E ao ser indagado qual o sentido de tudo isto, ele diria: nenhum.