Papa Francisco entrega Medjugorje aos carismáticos?

O Papa teria escutado com muito interesse e em seguida, respondeu: “Para mim aquela gestão que existe em Medjugorje não me agrada em nada: muita boataria e eu não estou interessado”. Até aqui a parte “destruens”. Mas logo em seguida vem a parte “costruens”, que também é a mais arriscada: “Mas se vocês me assegurarem que levarão a sério o compromisso de irem lá, fazer missa, confissões e tantas obras boas, então eu aprovo”.

“Peguem Medjugorje para vocês…”. A oferta do Papa 

Por Antonio Margheriti Mastino – Papalepapale.com | Tradução: Gercione Lima – Fratres in Unum.com – Agitação e excitação misturada com preocupação no mundo dos Carismáticos da Renovação Carismática por causa do maná que caiu sobre suas cabeças na Casa Santa Marta. Segundo o que sussurram várias testemunhas, ou seja, os próprios carismáticos, Papa Francisco teria lhes proposto o negócio do século: “terceirizar” Medjugorje. Ficaria assim a gestão da espiritualidade medjugoriana, independente da veracidade ou não das aparições, em cujo mérito o Santo Padre não parece querer entrar. Além do mais, o Papa vincularia o reconhecimento ou não de Medjugorje ao compromisso dos carismáticos de assumir o comando de sua gestão, pastoral e espiritual [hoje, o local de visitação é uma paróquia comum, administrada pelos franciscanos]. Ou seja, transformar Medugorje num centro propulsor de uma espécie de Pentecostalismo Católico.

medjugorje1No entanto, apenas em novembro do ano passado, o prefeito do ex-Santo Ofício, o cardeal Gerhard Muller, já havia desencorajado o episcopado Americano de permitir que o vidente de Medjugorje, Ivan Dragicevic, realizasse conferências, reuniões ou “aparições” no interior de suas igrejas e catedrais. Uma semana depois, o mesmo Papa Francisco caiu com força sobre esses fenômenos. Ele não citou nominalmente a aldeia da Herzegovina, onde por 30 anos dizem que Nossa Senhora aparece, mas sua referência a “videntes” e “mensagens” é mais do que eloquente: “A curiosidade leva-nos a querer sentir que o Senhor está aqui, ou está lá; ou nos faz dizer: ‘Mas eu conheço um vidente, uma vidente, que recebe cartas de Nossa Senhora, mensagens de Nossa Senhora’. Mas, olha, a Virgem Maria é a Mãe! E Ela nos ama a todos. Ela não é um gerente dos Correios para ficar enviando mensagens todos os dias”. Estas novidades nos afastam do Evangelho”.  Bastou essas palavras pra que fosse semeado o pânico entre os medjugorianos: eles temiam um parecer negativo do novo Pontífice.

Para tirar deles um suspiro de alívio, finalmente veio essa que não é ainda uma notícia oficial, mas uma voz quase sussurrada e comentada nos jornais mais seguidos pelos fãs das aparições da Bósnia, como o [site] Medjugorje Today, o qual, em 18 de janeiro de 2014, anunciou que a comissão de investigação sobre Medjugorje, presidida pelo Cardeal Ruini, havia terminado o seu trabalho. Já no dia 20 de janeiro, noticiava que o cardeal de Sarajevo, Vinko Puljic, estava certo de que, até o final do ano, Francisco iria falar sobre o caso. No dia 25 de janeiro, dizia que o Papa havia recebido tanto Ruini como o prefeito Muller, e esperava da Congregação da Doutrina da Fé um parecer. Por volta do dia 25 de junho, o Papa teria se manifestado privadamente “em favor” e, em 18 de julho, finalmente, o tiro no escuro: a negação… que é sempre uma notícia dada duas vezes.

Neste último artigo do Medjugorje Today, de fato, o Provincial da Ordem Franciscana na região da Herzegovina, na qual se insere Medjugorje, Padre Miljenko Steko, admite ter se encontrado com o Papa no dia 25 de junho, no “refeitório” da Casa Santa Marta, onde teriam falado sobre o caso dos videntes. No entanto, ele nega que Francisco teria lhe informado que tomou alguma decisão sobre as aparições. Mas isso é o que é atribuído a ele pelo sacerdote americano Padre Kevin Devine, que há 10 anos celebra missa em Medjugorje. Em um vídeo do Youtube que mostra uma missa celebrada por padre Kevin Devine, no final da liturgia, ele afirma que foi precisamente o franciscano Padre Steko que lhe confidenciou: “Recentemente, o Provincial dos Franciscanos em Medjugorje estava em Roma para uma reunião dos Superiores das comunidades religiosas. Durante a sua estadia em Roma, junto a muitos outros, esteve em alguns momentos pessoalmente com o Papa Francisco”. Padre Kevin continua: “Papa Francisco estava lá, dando boas-vindas, e o Provincial, disse: ‘Eu sou o inspetor da área em que está localizada Medjugorje. E a resposta do Santo Padre foi: ‘Ore para que eu tenha tomado a decisão certa'” .

Seria só uma confusão derivada da mistura de idiomas dos protagonistas? Padre Steko fala servo-croata, Padre Devine inglês e Bergoglio espanhol, mas presumivelmente com padre Steko falava italiano. Levando em conta esta diatribe multilingual e clerical, não se sabe exatamente como o Papa se manifestou, nem o que os dois padres, Steko e Devine entenderam. O fato é que Steko, ao primeiro prenúncio de escândalo, negou.

“Esses rumores em Medjugorje” não agradam ao Papa 

O que teria acontecido realmente? Fazendo uma pesquisa, as informações recolhidas nos dão uma versão bastante diferente. E, se possível, ainda pior. As referências vem das testemunhas diretas do colóquio com o Papa, todas elas pessoas credenciadas no mundo medjugoriano e da Renovação no Espírito, carismáticos, membros de grupos de oração, de rosários diários, amantes da adoração eucarística, alguns frades. Enfim, pessoas de confiança do ponto de vista católico.

Um deles diz: “Fomos assistir a missa em Santa Marta, depois fomos capazes de passar algum tempo com o papa Francisco, com quem nos dirigimos para a sala de jantar, para conversar de modo informal, como velhos amigos. Nosso acompanhante, Frei Roberto, capuchinho e exorcista da Renovação Carismática, perguntou ao Santo Padre sobre o caso Medjugorje”.

O Papa teria escutado com muito interesse e em seguida respondeu: “Para mim aquela gestão que existe em Medjugorje não me agrada em nada: muita boataria e eu não estou interessado”. Até aqui a parte “destruens”. Mas logo em seguida vem a parte “costruens”, que também é a mais arriscada: “Mas se vocês me assegurarem que levarão a sério o compromisso de irem lá, fazer missa, confissões e tantas obras boas, então eu aprovo”.

Mas o que ele quis dizer com o “vocês”? Ele explica logo em seguida: “Se vocês fizerem tudo, ou seja, vocês da RCC, não por causa das aparições, porque isso não é o importante, mas por causa das pessoas que precisam ser geridas e bem orientadas, então se vocês se comprometerem a fazer isso, eu passo tudo pra vocês da RCC e encerramos o caso”. Parece até a transferência de um bem imóvel ou de uma propriedade.

Para eles uma e outra chave do reino? 

Mas o que o Papa quer dizer com esse “eu passo tudo pra vocês e encerro o caso”? E por que as testemunhas falam de promessa, “aprovação”? O Papa quer aprovar Medjugorje ou aprovar que a RCC tome conta da gestão espiritual, que aceite essa espécie de empreitada terceirizada sobre a paróquia medjugoriana?

O significado das palavras do Santo Padre é esta: se vocês carismáticos da RCC assumirem a gestão, se canalizarem as coisas para dentro da sua espiritualidade, independente da veracidade ou não das aparições de Medjugorje, eu autorizo como legítimo o culto e automaticamente como verdadeiro todo o resto. Em suma, o que pressiona o Papa não é o fenômeno sobrenatural em si, mas suas reverberações pastorais e por tabela leva água ao moinho de sua idéia a respeito da Igreja do futuro: mover o mundo católico para uma espécie de catolicidade pentecostal e para tal os carismáticos seriam o instrumento mais adequado, e Medjugorje um centro propulsor formidável.

Para Bergoglio, como sempre em sua vida, não é uma questão de aparições serem verdadeiras ou falsas, é toda uma questão de pessoas em quem ele confia ou não, de quem lhe é agradável ou não, de amizades. E tanto no momento como durante muitos anos, suas amizades giram em torno  de carismáticos e pentecostais. Isso vem desde seus tempos em Buenos Aires, e estes se assemelhariam mais à Igreja que ele tem em mente, a lhe agradaria entregar a eles uma e outra chave do Reino.

“O assunto das aparições não é importante” 

Mas o que causa mais espanto, ainda mais se é um Papa a dizer, é que o fenômeno das “aparições não é importante”.  Quer dizer que para o Papa pouco importa se Nossa Senhora realmente aparece em Medjugorje ou se tudo não passa de uma farsa? Para quem conhece Bergoglio desde sempre, isso não é surpresa. Ele sempre pensou assim. No que diz respeito às manifestações do sobrenatural, ele sempre foi crítico, quando não cético, parte, de toda forma, de um preconceito negativo (que honestamente não deveríamos julgar). Só o pragmatismo é que consegue fazê-lo engolir tais fenômenos. E é ele mesmo que nos faz observar esse fato. Quando houve o milagre eucarístico em sua diocese, ele ordenou explicitamente que não se fizesse nenhuma publicidade do acontecido, aparentemente pra “manter o efeito surpresa” do fiel que por acaso fosse parar lá naquela igreja onde a hóstia feito carne estava exposta. Foi simplesmente feito assim.

Isso é ele mesmo que o admite no livro-entrevista com o seu amigo rabino Abraham Skorka: “Sinto uma desconfiança imediata diante dos casos de cura, até mesmo quando se trata de revelações ou visões; são tudo coisas que me colocam na defensiva. E falando a respeito de segredos e videntes: “Deus não é uma espécie de Correio Andreani [conhecido correio expresso argentino] que envia mensagens o tempo todo… é necessário que se deixe espaço para aqueles que são escolhidos por Deus como profetas, com as características de um verdadeiro profeta. Mas frequentemente, esses não são aqueles que chegam dizendo que têm uma cartinha do céu. Muitas vezes, em Buenos Aires, eu tenho que desacreditar muitos deles porque são casos de falsos profetas… “. Quanto àqueles excessivamente sensíveis às supostas manifestações do sobrenatural: “Às vezes as pessoas sentem coisas que seja por uma interpretação correta ou devido a um desequilíbrio psíquico, alguns confundem com uma profecia”. Em suma, esse Papa não é muito predisposto a fenômenos extraordinários.

Mas voltando à “negociação” em Santa Marta, as testemunhas do encontro, interpeladas por nós, se mostram claramente entusiasmadas. No entanto, seria uma tomada de posição bem anômala da parte de Francisco: o destempero, o local impróprio e as pessoas diretamente envolvidas, seria tudo imprudente se levarmos em conta os resultados da comissão de cinco anos presidida pelo Cardeal Ruini, que estudou a fundo o problema Medjugorje; um parecer de mérito cabe ao atual prefeito do ex-Santo Ofício, o cardeal Muller.

Quanto aos resultados da Comissão Ruini, pelo pouco que se sabe até agora, essa teria se limitado a reconhecer os frutos de Medjugorje, deliberadamente passando por cima do fenômeno das aparições em si, que, aliás, estão ainda em curso, de modo que um parecer final por parte da Igreja seria prematuro. De qualquer modo, se um suposto avanço “carismático” devesse ocorrer em Medjugorje, seria, no mínimo, por uma força imposta de cima.

As pessoas diretamente envolvidas no caso rebatem com um “bem, mas se o Papa diz,” então está certo. Acrescentando logo em seguida que o Santo Padre “garantiu” que com a comissão sobre Medjugorje não haveria nenhum problema. Como se dissessem: a comissão faz o que o Papa quer e pede. Aos outros cabe apenas pular no bonde.

 

Tags:

18 Comentários to “Papa Francisco entrega Medjugorje aos carismáticos?”

  1. Medjugorje e RC do C, tudo haver.

  2. Todas as Aparições Marianas sempre nos trouxeram Avisos Celestes para nosso Bem;pelo menos nota-se isso em Fátima,Lourdes,Rue de Bach,Garabandal,Guadaloupe, dentre outras.Considero estranho pessoas catolicas pensarem que seja impossível para Deus consentir em que uma Pessoa Ressuscitada,como ê o caso da Mãe de Deus,Maria Santíssima,vir à Terra,em Missão Especial,a serviço do próprio Deus!Realmente há muitas atitudes estranhas em nossa Igreja… Muitos sem o”Sal”, com pouca Fé…e outros “salgados” demais..A Unidade corre sérios riscos no Catolicismo,atual…Já foi esquecida a Oração de Jesus?…Evangelho de São João capítulo 17( 9-12 ) ?…!

  3. Deus é Todo-Poderoso,para Ele nada é impossível! (Evangelho de São Lucas 1 (26-37). Não acreditar em Curas,Milagre Divinos mostra muiita coisa estranha numa Alma que “se proclama cristã”. Há exageros, é claro…mas,quem tem vida de oração ,quem cultiva a amizade e intimidade com Deus pela oração,pela Comunhão Eucarística,pela Caridade vivenciada no dia-a.-dia,e,principalmente se trata-se de pessoa Ungida,pelo Senhor,como deve ser o caso de um Papa..não há porque temer enganar-se,trocando trigo,por..joio! Não compreendo esse “medo/receio” do Bispo de Roma a respeito de Aparições Marianas, Curas e Milagres…Será que ele está como São Tomé esteve,antes de colocar os dedos nas Chagas Divinas de Nosso Senhor?…Hum…!

  4. Medjugorje é a continuação de Fátima. São os últimos apelos à humanidade para que se converta, voltando-se para Deus. Sinopse: Nossa Senhora Rainha da Paz vem aparecendo em Medjugorje, desde jun/81, ou seja, um mês após a tentativa de assassinato do papa João Paulo II (13/mai/81). Desde La Salette (Franca, 1846), passando por Fátima (Portugal, 1917) e Akita (Japão, 1973), e chegando até os dias de hoje em Medjugorje (Ex- Iugoslávia, 1981).
    As mensagens que Nossa Senhora transmite à humanidade, notadamente há aproximadamente 97 anos, são sempre as mesmas:
    – Orar com o coração: o rosário;
    – Penitência;
    – Eucaristia;
    – Leitura da Bíblia;
    – Conversão rápida.
    Da simples leitura desses pedidos, contata-se que provém de Deus. Senão, seremos obrigados a admitir que Satanás se converteu, o que seria uma TERATOLOGIA (conclusão absurda, que foge à lógica divina e contraria até bom senso religioso). Lamentavelmente, o Povo de Deus ainda não colocou em prática seus pedidos, não atendendo seus apelos de conversão, de mudança de vida.
    Em Fátima (1917), na cova da Iria, transmitiu ao mundo mensagens que foram concretizadas. Avisou previamente sobre a 2ª Guerra Mundial e esta aconteceu. Em 01/jan/01, em Mediugórie, Nossa Senhora Rainha da Paz nos alertou que Satanás estava livre de suas correntes e convidou-nos a consagrar ao Imaculado Coração de Maria e ao Sagrado Coração de Jesus para sermos protegidos por Deus. E o que ocorreu desde então: no mesmo ano (11/set/01) atentado nos EUA e agora, a renúncia do papa Bento XVI (fev/13).
    O teólogo mariano René Laurentin, que fez uma comparação muito interessante sobre as últimas aparições marianas no mundo moderno:
    Inicialmente, em Lourdes, a Virgem aparecia de manhã.
    Em Fátima aparecia às 12h (meio-dia) e,
    atualmente, em Medjugorje ela aparece no final da tarde.

    Moral da história: Ele afirma que Nossa Senhora agora está aparecendo à tarde porque nós não estamos no começo, nem no meio, mas no fim, ou seja, estamos próximo ao final dos tempos, visto que o dia termina às 18h. O momento é de vigilância e oração!

  5. Tanto para Francisco, como para RCC, o que vale sao os frutos, nao importando sua qualidade, e a Verdade menos ainda. Deveriam escolher como baluarte Maquiavel, ja que os fins justificam os meios.

    Enfim, colocar Medjugorje na mao dos carismaticos seria uma consequencia natural, ja que a maioria absoluta de devotos dessa “apariçao” eh do seu meio. Eh soh verem os “argumentos” utilizados para defendem esse embuste. Sempre dizem “eu sinto que eh verdadeiro, sinto paz…”; agora confrontar os fatos, ninguem quer!

    Muito me abala um Papa que em nome da pastoriedade, nao quer ser pastor!

  6. “O assunto das aparições não é importante” …o que o papa quer dizer com isso? Só valem os efeitos, mas as aparições não? Bem, nem aquele mais entusiasta dos frutos de Medjugorge pode simplesmente dar de ombros para as aparições… assim penso.

  7. Estão pensando em reconhecer como verdadeiras aparições duvidosas só por conta de seus frutos aparentemente bons?

    — Os que acreditam em Medjugorje rezam o terço todos os dias e se confessam; são, portanto, devotos e provam que Medjugorje é de Deus – com certeza é o que dizem os católicos pentecostais.

    Entretanto as seitas fazem os protestantes lerem a Bíblia todos os dias, e a Igreja Católica concede indulgência para quem lê as Sagradas Escrituras todos os dias, e as seitas são de Deus por isso? Os espíritas e os maçons dão esmola e fazem muitas obras de filantropia, e porventura a seita satânica dos espíritas e a anticristã dos maçons são de Deus, somente pelos seus frutos mais vistosos por fora? E vistos aos olhos de Deus, são bons frutos?

    Se reconhecerem as aparições de Medjugorje sem ser pela veracidade do que se fala delas mas só pelo que as pessoas querem, pela mesma lógica também não poderiam negar reconhecimento às seitas protestantes, nem ao espiritismo e nem à maçonaria.

  8. Acho muito estranho a atenção somente a questões pastorais, sem considerar se as aparições são verdadeiras ou não. Significa dizer que tanto faz que a Mãe de Deus esteja se dignando a aparecer e falar, e que também não há problemas em alguém mentir sobre isso. Acho que se ainda há dúvidas e não se quer condenar algo que possa ser verdadeiro, melhor calar.

  9. Realmente, para o papa Francisco o que importa são só os frutos. Se for uma manifestação demoníaca com aparentes frutos bons (como se isso fosse possível), tudo bem. Pouco importam as intenções subliminares de Satã.
    Fico pensando: daqui a alguns anos, não haverão mais os videntes, eles serão mitos, virarão santos e em torno deles surgirão lendas. E os frutos, as peregrinações, as curas (por efeito psicológico ou graça individualmente concedida) continuarão a acontecer. Pronto: ponto pra Igreja Católica. Será que é sempre assim que a Igreja age? Será que todas as aparições foram assim? Mentirinhas e fraudes, ações demoníacas ou perturbações psíquicas que a Igreja fica quietinha no início, dizendo que tá estudando, sem se comprometer, e quando não há mais jeito de aparecer um desmentido, ela assume o papel de representante da fé e se aproveita dos frutos?
    Pra saber se é fraude bastaria uma boa investigação semi-policial. Mas pra saber se é fenômeno sobre ou preternatural seria a Igreja a responsável, sem excusa. Cristo lhe deu poder de discernir os espíritos e expulsar os demônios, se não é capaz de fazer isso, ou não tem ou não usa o poder dado por Cristo. Esse estudo interminável já estava mesmo ficando ridículo. E agora vem o Papa e diz que as aparições não são importantes, não quer se incomodar com o assunto mas permite que a Igreja se “beneficie” de manifestações suspeitas. Isso é bem a cara dele.
    Já conheci muitos padres como ele. Não acreditam nem nos milagres de Jesus, admitem todas as teorias descrentes de nosso tempo, são compreensivos com todos os ateus e não cristãos. Não acham necessário converter ninguém (exceto os muito católicos) e acham que no fundo o demônio é só um espírito brincalhão e um tanto levado.
    Eu acreditava 50% em Medjugorje e esperava uma posição forte e corajosa da Igreja pra acreditar ou desacreditar 100%, mas pelo que vejo não virá. Agora só vejo dois caminhos:
    a)ignorar a opinião da Igreja (extensivamente a outros assuntos) e desacreditar até mesmo das aparições reconhecidas ou
    b)acreditar numa Igreja que um dia existiu mas está invisível e inativa no momento.

    • “Será que é sempre assim que a Igreja age? Será que todas as aparições foram assim? Mentirinhas e fraudes, ações demoníacas ou perturbações psíquicas que a Igreja fica quietinha no início, dizendo que tá estudando, sem se comprometer, e quando não há mais jeito de aparecer um desmentido, ela assume o papel de representante da fé e se aproveita dos frutos?”

      Esse é um dos efeitos mais graves da falta de seriedade atual. Colocam nossa fé em risco com os atropelos. Impossível não pensar: se mente hoje, não terá mentido ontem? Se não age com seriedade hoje, como terá sido no passado? Será que o que nos veio do passado que cremos com certeza hoje terá sido tratado na época com a mesma falta de amor à verdade e pensando nos ganhos que vemos atualmente?
      É uma conclusão óbvia, que até os mais simples chegam, mesmo quando não conseguem expressar (podem não expressar, mas os frutos estão aí: descrença). Ocorre algo semelhante por causa dos entusiastas da ruptura e da modernidade dentro da Igreja, quando falam da “igreja do passado” axincalhando-a. Se o que você me dizia ontem era falso, por que eu deveria acreditar em você hoje ou amanhã?
      É preciso muita fé, oração e esforço para entender um pouo o que está acontecendo.

  10. Não é de hoje que Rádio Maria, Carismáticos e Medjugorje andam de mãos dadas no mesmo embrulho ou “embroglio”. O atual diretor da Radio Maria, Padre Livio Fanzaga,( aquele mesmo que demitiu Mario Palmaro e Professor De Mattei) há muito tempo “terceirizou Medjugorje” e fez uma dobradinha com os Carismáticos no sentido de dar mais publicidade ainda ao fenômeno.
    Desde sua primeira peregrinação ao local Padre Livio arrogou-se o direito exclusivo de transmitir e comentar sobre as supostas mensagens de Nossa Senhora em Medjugorje. No início as mensagens eram transmitidas e comentadas pelo fundador da Rádio Maria, Don Mario Galbiati. Em 1987, houve uma série de divergências sobre o futuro da Rádio Maria – Don Mario queria que a Rádio estivesse mais “dentro da Igreja oficial, enquanto outros, incluindo Padre Livio, a queriam mais” independente”, como uma propriedade privada. Don Mario acabou sendo afastado e até proibido de cuidar da rádio, como tinha feito até então com um grande apoio popular e a nível local. Finalmente o afastaram definitivamente em 1992 e de Don Galbiati o site da Rádio Maria não faz mais nenhuma menção, nem mesmo quando informam sobre as origens da emissora. ( fonte: http://www.lavocedellevoci.it/inchieste1.php?id=458)

    O fato é que Medjugorje se tornou uma fonte inesgotável de dinheiro e influência tanto para os encarregados de difundir o fenômeno como para os chamados videntes e esses ficam mais agitados do que siri na lata quando alguém ameaça sua galinha dos ovos de ouro!
    Jesus disse: “O reino dos Céus é semelhante a um tesouro escondido num campo. O homem que o encontrou tornou a escondê-lo e ficou tão contente que foi vender tudo quanto possuía e comprou aquele campo”.
    Pois bem, notem que nós caminhamos na fé e não na visão. Tudo o que nos foi revelado sobre as glórias do Céu nós cremos apenas pela fé. Mas houveram santos e pessoas escolhidas a dedo que tiveram a graça de pregustar essa glória ainda pela visão. São Paulo nos mesmo nos relata um desses casos:
    “Conheço um homem em Cristo que há catorze anos foi arrebatado até o terceiro céu. Se foi no corpo, não sei. Se fora do corpo, também não sei; Deus o sabe.
    E sei que esse homem – se no corpo ou se fora do corpo, não sei; Deus o sabe –
    foi arrebatado ao paraíso e lá ouviu palavras inefáveis, que não é permitido a um homem repetir. (2 Coríntios 12:2-4)
    Olhem então para os pastorinhos de Fátima. Dois foram levados em tenra idade e a vidente Lucia se retirou para uma vida enclausurada de orações e penitencias num convento. O mesmo se deu com Bernadete Soubirous em Lourdes, a quem a Virgem disse: “Não te prometo a felicidade neste mundo, mas no outro”.
    Enquanto o Santuário de Nossa Senhora de Lourdes se tornava um dos lugares mais visitados pelos peregrinos do mundo e a água da fonte era considerada milagrosa pelos devotos, Bernadete se recolhia no escondimento do Convento da Irmãs de Caridade de Nevers. Ali viveu uma vida de penitência e muita dor devido à doença.
    Rezava não para livrar-se do sofrimento, mas para ter paciência e forças para tudo suportar, pois queria purificar-se para poder rever Nossa Senhora. Bernadete morreu em 16 de abril de 1879. O papa Pio XI canonizou-a em 8 de dezembro de 1933, dia da Imaculada Conceição, designando sua festa para o dia de sua morte.
    Seu corpo se encontra milagrosamente incorrupto com as articulações flexíveis. Apenas uma ligeira camada de cera foi passada no rosto para evitar a formação de mofo.
    O Reino de Deus para esses verdadeiros mensageiros do Céu é realmente como o homem da parábola que ao encontrar o tesouro da visão do céu, perdem o interesse por todas as coisas efêmeras desse mundo que passa.
    Mas agora olhem para esses pseudo videntes: Ivan Dragicevic, um dos videntes de Medjugorje entrou para o Seminário e saiu pra se casar com uma Americana, ex-miss Massachussets em 1994, abriu agência de viagem para levar peregrinos a Medjugorje com direito a hospedagem na casa de outra “vidente” que também é proprietaria do albergue. Tudo isso documentado pelo site do Abade Impertinente:
    http://abateoimpertinente.wordpress.com/2009/09/11/inchiesta-esclusiva-«nessuno-dei-veggenti-di-medjugorje-si-e-mai-arricchito-grazie-alle-apparizioni-»-ecco-le-prove-del-contrario/

    E não é só eles não! Há pseudo-vidente no Brasil que fez do local das supostas aparições um verdadeiro comércio e vivem disso.
    Pra mim o fato de Bergoglio ignorar tudo que depõe contra esse fenômeno e dar “reconhecimento” só pra se livrar de um problema ou canalizá-lo em interesse próprio é outro escândalo desse Pontificado.
    Deus em sua infinita misericórdia e onisciência, tendo em vista a posição que ele ocupa hoje como Pontífice, se dignou a tornar-se visível em carne e sangue no milagre eucaristico em Buenos Aires. No entanto nem isso serviu para convertê-lo num defensor da Tradição da Igreja, da reverencia ao Sagrado e da piedade e devoção eucarística.
    Assim como os fariseus que pra não validar o milagre da Ressurreição saíram espalhando que o Corpo de Cristo havia sido roubado pelos discípulos, Bergoglio simplesmente ordenou que o milagre não fosse divulgado. É o mistério da iniquidade a todo vapor!

  11. excelente tradução! obrigado pela partilha!

  12. Pensei em tecer um comentário sobre o Papa, Medjugorje e os protestantes da “RC não C” mas as informações trazidas por esse texto (não o texto em si) são muito confusas. Melhor nos precavermos dos juízos temerários, ainda mais por envolverem o Papa.

    Quanto ao ceticismo do Santo Padre, ele está correto e devemos sempre ter cautela com os fatos supostamente sobrenaturais até a confirmação e ratificação pela Santa Madre Igreja.

  13. Considero espantoso como há na Igreja Catolica,grupos que detestam outros grupos também católicos,por questões de espiritua lidade ,Liturgia, Formação Espiritual… Deus sendo Amor e vivendo isso, na Unidade da Trindade Santa, com certeza, não deve alegrar-Se com essas atitudes,pois não deveria ser assim….Esse comportamento parece uma discreta”ameaça” à Unidade que Nosso Senhor Jesus Cristo nos determina no Evangelho de São João 17 (9-12 ). Muito perigosas essas “diferenças”…Estranhas.

  14. Concordo com voce Renato Assis! Parabéns!! Tens razão:estamos já vivendo o Fim-dos-Tempos!! Vigiemos. OREMOS.

  15. Essa tal de “Nossa Senhora” de Medjugorje deixa-se manipular pelos “videntes”, pois faz “aparições” na hora certa, ainda aprovou o amasiamento de um frade com uma freira e mais tretas.
    Todos os bispos da diocese de lá até hoje sempre refutaram ser sobrenaturais os fenômenos e o catolicismo de lá está quase a zero; somos mais autoridades que eles?
    Até o papa Francisco já disse que N Senhora não é de ficar dando recadinhos; confira as diferenças dos videntes de Quito, Lourdes e Fátima com os “videntes” atuais.
    Medjugorje/RCC auês pentecostalismo protestante até que se homogeinizam…
    Farinhas do mesmo saco!

  16. Se a Igreja, depois de 33 anos, nem condenou nem aprovou as aparições de Medjugorje, aguardemos os fatos. Há 10segredos a serem revelados por um sacerdote da paróquia, três dias antes que aconteçam, segundo consta, em breve, ou seja, nesta geração. quem viver verá. Se nada acontecer durante a vida dos videntes, ficará comprovada a sua falsidade. A Igreja não sairá da sua atual posição.