Massacre dos Cristãos em curso (incluindo mulheres e crianças).

Alguém no Vaticano precisa ter vergonha diante de Deus e dos homens. 

Por Antonio Socci | Tradução: Gercione Lima – Fratres in Unum.com – O drama em curso dos cristãos perseguidos é visto pelos laicos (até mesmo por governos anti-clericais como a França) com mais sensibilidade do que pelo mundo Católico e eclesiástico, onde se tratam as vítimas com pouca sensibilidade e até com um certo mal estar, enquanto se usa de uma reticente cautela, ou seja, luvas brancas com os algozes.

Duzentos mil cristãos (mas também outras minorias) estão em fuga, expulsos por militantes islâmicos que estão crucificando, decapitando e apedrejando quem eles consideram como inimigos. Nesse momento chegam até a mim notícias oficiosas de atrocidades indescritíveis contra mulheres e crianças (esperamos que não sejam verdade).

Considerando este martírio dos cristãos que são marcados como “Nazarenos” sem direitos, caçados, assassinados, com as igrejas queimadas e a destruição de tudo o que é cristão, a voz do Vaticano e do Papa — normalmente muito vigoroso e intervencionista — foi apenas um leve gemido.

Nem mesmo pode ser comparada com o seu estrondoso “Vergonha! Vergonha! Vergonha!” repetido cinco ou seis vezes pelos imigrantes em Lampedusa [nota do Fratres: podemos lembrar também da fortíssima condenação à máfia, recordando até a demodé “excomunhão”]. No entanto, os italianos não tinham absolutamente nada do que se envergonhar, já que haviam corrido pra salvar aqueles pobres coitados cujo barco havia se incendiado e naufragado enquanto eles estavam no mar.

UMA NOTA (fora de sintonia)

Giuliano Ferrara [fundador e diretor do jornal Il Foglio] tem razão. Diante do horror que está se desenrolando na planície de Nínive, o Vaticano deu à luz, na quinta-feira (mais do que atrasado), uma  simples “nota” através do padre Federico Lombardi, onde, em nome do Papa, se pede à “comunidade internacional” que ponha um fim ao “drama humanitário em curso” no Iraque, ou seja, uma espécie de “salário mínimo” cujo único objetivo é tentar salvar a própria cara.

Mesmo porque o que está em curso é muito pior do que uma “tragédia humanitária” e nada é dito sobre o que deve ser feito. Além do mais — observa Ferrara — “nada naquela declaração fria faz menção sobre quem é responsável por estes” eventos angustiantes”. Nem uma palavra sobre o que obrigou as “comunidade atribuladas” a fugirem de suas próprias cidades.

Parece que aquela força com a qual João Paulo II falava na defesa dos cristãos perseguidos virou coisa do passado. E aquela clareza de de Bento XVI no grande discurso de Regensburg, — que era uma mão estendida ao Islamismo para que refletisse criticamente sobre si mesmo —  também é coisa remota.

A atitude do pontificado atual é de uma reticência desconcertante diante de criminosos sanguinários, com os quais  — dizem os bispos do lugar — não há possibilidade alguma de diálogo, porque com relação aos cristãos, esses já disseram: “não há outro diálogo senão a espada “.

Uma  relutância que já se tornou habitual no comportamento do Papa Bergoglio, que não disse uma única palavra em defesa da mãe cristã condenada à morte por sua fé no Paquistão ou no Sudão (penso em Asia Bibi ou Meriam), que se recusa até mesmo a convocar uma oração pública por eles, e quando se vê obrigado fala sempre genericamente de cristãos perseguidos e chega mesmo a afirmar, como fez na entrevista à “La Vanguardia” em 13 de Junho: “Os cristãos perseguidos são uma preocupação que me afetam muito como pastor. Sei tanto sobre as perseguições que não parece prudente contar aqui para não ofender ninguém”

A fim de não ofender quem? Os criminosos sanguinários que crucificam os “inimigos do Islã”? Não é chocante?

Há milhares de inocentes correndo iminente perigo de vida, perseguidos e dilacerados, fugindo de assassinos e Bergoglio se preocupa em “não ofender” os carrascos?

Por que toda essa cautela quando se trata do fanatismo islâmico? Por que nem sequer se ousa a nomeá-los? E por que se pede à comunidade internacional para pôr fim à “tragédia humanitária” sem dizer como?

O inédito 

Além disso, Bergoglio não só não pediu a interferência humanitária, como também não lançou operações de socorro humanitário ou iniciativas de solidariedade a nível internacional, que envolvesse o vasto mundo católico. Tardia também foi a ativação da diplomacia.

No domingo passado [dia 3], durante o Angelus, não disse uma única palavra sobre a tragédia em andamento e se calou até mesmo sobre a iniciativa da Igreja italiana de convocar para o dia 15 de agosto um dia de orações pelos cristãos perseguidos.

Agora, orar pelos cristãos perseguidos também se tornou “ofensivo” para os muçulmanos?

Pelo menos a oração dos bispos italianos será uma oração cristã real e séria. Certamente que não acontecerá de revermos um imã muçulmano, como aquele convidado pelo Vaticano para a iniciativa de paz no dia 8 de junho com Abbas e Peres, que cantava um verso do Alcorão, onde Allah foi invocado dizendo: “dá-nos a vitória sobre os infiéis.”

Quase um hino à “guerra santa” islâmica nos jardins do Vaticano. Um incidente inédito.

Na oração organizada pelo Conferencia Episcopal Italiana isso não vai acontecer. Agora espera-se que, pelo menos, mais cedo ou mais tarde, o Papa se  junte à iniciativa dos bispos, talvez repetindo a oração na Praça de São Pedro do mesmo modo como fez pela paz na Síria, que, como recordamos, combinada com a diplomacia, algum bom resultado produziu.

Também seria auspicioso que se mobilizasse toda a Cristandade para iniciativas de ajuda e de solidariedade aos perseguidos.

Mas, parece realmente que esse não é o clima. Parece que retornamos ao mesmo clima sombrio dos anos 70, àquela subordinação ideológica dos cristãos, àquela escuridão que só foi dissolvida com a inauguração do grande pontificado de João Paulo II.

Antonio Socci

Publicado no  “Libero”, 10 de agosto de 2014

Tags: ,

24 Comentários to “Massacre dos Cristãos em curso (incluindo mulheres e crianças).”

  1. Relembrando:

    1-) o Papa Francisco chamou os muçulmanos de “fratelli” ou seja, irmãos.

    2-) o Papa Francisco foi a ilha de lampedusa dar apoio moral e exigir da união européia que recebesse os imigrantes islamicos – contrariando o direito natural de Santo Tomás de Aquino.

    Realmente até os laicistas pró ideologia maçonica da revolução francesa estão assustados.

    Único Remédio: seguir o Papa São Pio V. o Rosário, a Missa de Sempre e pegar em armas contra os inimigos da fé católica.

    Os cristãos tendo as cabeças ceifadas e a preocupação das “donas jojó”; “ai o papa é humilde, comeu no bandejão”.

    Deveria ter duas JMJ a dos tradicionais na Polônia para nós contemplarmos os castelos e belas igrejas e cidades medievais e uma JMJ dos católicos do CVII lá no Iraque para eles poderem praticar ecumenismo.

    • “Único Remédio: seguir o Papa São Pio V. o Rosário, a Missa de Sempre e pegar em armas contra os inimigos da fé católica.”

      Faço minhas as tuas palavras!!!! Precisamos de uma Cruzada urgente!!

      Mas com certeza se isso ocorrer, a mídia vendida de nossa país e até o Vaticano vão condenar!

      Que São Miguel Arcanjo os defenda! E nos defenda!

  2. Parabéns por traduzir e publicar um artigo do corajoso jornalista Antônio Socci. Ele enfrentou a fúria e a campanha de difamação do cardeal Tarcisio Bertone após ter publicado o livro “Il Quarto Segreto de Fátima”, no qual provou que o que está previsto no Terceiro Segredo de Fátima ainda não aconteceu e que o atentado ao Papa João Paulo II foi profetizado em La Salette. Em 2010, o Papa Bento XVI confirmaria que o Terceiro Segredo é um evento futuro e daria razão a Socci.

  3. Não sejamos injustos – tivemos plantinhas da paz nos jardins do Vaticano e …3 twits…

  4. Minhas felicitações pela publicação dessa matéria, em especial do jornal “Il Foglio”.
    É espantoso o silencia do Francisco I. Um silencia que parece até cumplicidade, conluio, tudo semelhante aos silencia da imprensa, intelectuais, organismos internacionais, ONGs (estes preocupadíssimos com árvores e peixes) e governos particularmente o americano que só late a distância. É esquisitíssimo, esse mutismo papal. Consta que enviou um cardeal lá para dialogar. Espero que não seja para dissuadir os heroicos cristãos a virarem muçulmanos, como tentara fazer com os católicos ukranianos a quem quiseram forçar a aderir a IO. Aliás, essa iniciativa vem desde João XXIII até João Paulo II.
    Realmente é uma tragédia que corre sobre o espesso silencio da Santa Sé que desconcerta e nos leva a ter sérias dúvidas sobre o desejo do Pastor em socorrer os necessitados e leva nos a pensar sobre tudo que ele fala dos pobres e desvalidos.
    Quanto a ONU, aquele lixo sorvedouro de erário das nações, espera-se mesmo aquela atitude de Pilatos e de Judas Iscariotes juntas. Agora do Vaticano….!
    Sobre o Pontificado de João Paulo II, lembro-lhes que este também teve mãos estendidas incompreensíveis com o Islão. Não é inteiramente inocente e combativo com os inimigos da fé como parece. E Bento XVI é só refrescar um pouco a memória e lembrar do prestígio que foi dar aos perseguidores dos cristãos visitando a mesquita, etc. etc.

  5. Santa mãe de Deus , auxilia-nos nessa hora, abençoe o Santo Padre que sofre com todos esses acontecimentos para que defenda a fé da Igreja, derrame o Espírito Santo em abundância para que ele tem coragem e sabedoria para conduzir a barca de Pedro.

  6. Fico pensando pelo que passa na cabeça dos “progressistas”. Como para eles religião não salva ninguém, o que vale é ficar bem com a comunidade, e doutrina é só uma bobagem, devem se perguntar o motivo de esses cristãos não virarem logo muçulmanos e assunto resolvido. Esforço para salvar gente radical (há de se convir que é preciso muito radicalismo na própria fé para não abandoná-la nessa situação), eles até podem fazer um pouquinho, afinal, são humanistas, mas nada que ofenda os amigos muçulmanos.

  7. A Igreja católica tem o dever moral de romper qualquer diálogo com o Islam, visto que árvores que não dão frutos devem ser podadas.

    Nem o próprio Islam tem controle sobre suas ramificações! Fica a pergunta: para que a Igreja católica insistir no diálogo inter-religioso?

    O que a liderança islâmica tem feito em favor aos católicos? NADA!

    A Igreja tem que acabar com essa palhaçada de mensagens por ocasião do “ramadã”; por ocasião disso, daquilo… e isso vem desde o pontificado de JP II.

    Outra coisa, de que serviu Francisco chamar as lideranças da Palestina e Israel para plantar “árvore” no Vaticano?! NADA!

    Monsenhor Lefebvre tinha razão sim!

  8. LUCAS, RAGIONIRE JS, e ANTONIO JOSE!!!! Voces tem razão! Parabéns!
    O Papa Francisco fala, tem atitudes paradoxais…ele r e a l m e n t e precisa de muiiiitas Orações de Intercessão.Pela primeira vez desde que nasci, vejo um Papa chamar muçulmanos de”irmãos”, elogiá-los pelo RAMADÃ e por seu…ALCORÃO! Pela primeira vez, e espero não se repita …soube que um Cardeal( futuro PAPA) rezou no tumulo de muçulmano, em cerimonio oficiosa.. e, ja Ungido PAPA convidou muçulmanos para rezarem com ele, nos…..jardins do VATICANO!!!!! isso ,sem falar na Cerimonia do Lava-pés de 2013, aonde beijou pés muçulmanos……!!!!!!!!!. INCRÍVEL!!! …fora as famosas “entrevistas”, onde palavras espantosas podem ser lidas…!!!
    Estamos nos aproximando do FIM-dos-Tempos! Joelhos no chão…e muiiita ascese, orações, louvores e suplicas por nós mesmos, pelo Papa e…pela IGREJA CATOLICA! Amém!

  9. Lembro-me das ameaças horríveis feitas a Bento XVI por ocasião do mal-entendido na Universidade. Apoio Francisco em sua prudência para que o Vaticano não seja bombardeado por radicais terroristas.

    • Vinícius,o que é o Vaticano sem as pessoas?Elas podem ser assassinadas?Isso não é prudência,mas sim o pastor que abandona suas ovelhas.E onde estão os cristãos para defender o Vaticano?

  10. Olá, pessoal !! a Tribulação vivida por nossa Querida e Preciosíssima IGREJA CATOLICA APOSTOLICA ROMANA é grande. Oremos.

    No dia 15 de Agosto proximo (sexta-feira da semana vindoura), iniciar-se-á a QUARESMA DE SAO MIGUEL ARCANJO!!!
    Essa Quaresma terminará em 29 de SETEMBRO de 2014.
    Constam da QUARESMA várias orações e tarefas:

    – O Rosário de SAO MIGUEL;
    – a Consagração a SAO MIGUEL;
    – a Oração do Pequeno Exorcismo de SAO LEAO XIII;
    – a Ladainha de SAO MIGUEL;
    – uma Penitencia que possamos realizar com certo esforço, que nos mortifique;
    – vela benta acesa todos os dias ( pode-se comprar velas brancas, pequenas:40 velas.Acender uma por dia. )

    Ora-se, defronte a uma estampa ou imagem do Arcanjo, com a vela acesa, e faz-se o pedido das Graças a serem obtidas por Intecessão deste ARCANJO Chefe dos Exercitos Celestes de JESUS!!!
    Claro, que deve-se realizar a CONFISSAO SACRAMENTAL ,…A N T E S , de iniciar a QUARESMA, e participar da MISSA diáriamente.

    OBSVS: nas famosas Livrarias Catolicas podem encontrar os livros com as Orações ao ARCANJO MIGUEL.
    SUGESTAO: pode-se pedir pela IGREJA, pela Paz no mundo, por Proteção aos cristãos, pela conversão dos Governantes mundiais, pelas Almas do Purgatorio, por nossa Salvação pessoal e outras especies de pedidos pessoais. Amém.
    Deus nos abençôe ! SAO MIGUEL ARCANJO, rogai por nós! ALELUIA! Amém.

  11. As cruzadas foram feitas para combater essa barbárie! Os que podem combater estes loucos e não o fazem está pecando por omissão.

  12. VINICIUS! O Papa não está sendo prudente….mas, sim, está sendo … outra coisa…

    Eu , desculpe-me, discordo de você, embora respeite o seu ponto de vista.
    Para atacar qualquer cristão, qualquer prédio cristão, esses fanaticos não precisam de nada…Está na mente deturpada deles, está no sangue deles, desde o inicio do mundo… o autoritarismo, o despotismo, a intolerancia religiosa, a falta de caridade com o diferente deles, e…o ódio, estão gravados na pele deles. Eles não podem passar sem guerras…sua “religião “fanatica. incita a guerra aos diferentes deles, como sendo motivo de…” prêmio” espiritual para eles; eles n u n ca serão “ecumenicos”, como deseja o Bispo de Roma….
    O Papa deveria utilizar a força de seu prestigio internacional, junto às grandes Nações, a fim de que pressionem, os Governantes desses Países, para,… pelo menos, não matar os cristãos e deixar sair desses infernos, os que desejassem, como tambem promover o Acolhimento a esses nossos irmãos sofredores,em Verdade!
    Oremos pelo Papa e por nossos irmãos perseguidos injustamente! Esses cristãos perseguidos, sofrem coisas inimaginaveis para nós, que felizmente moramos num PAÍS, aonde se pode orar livremente! Amém! Graças à DEUS e à NOSSA SENHORA APARECIDA!
    Defender os pequenos, os injustiçados, como é mesmo o caso desses bem-aventurados, premiados com o Martirio Branco e ou com o Martirio de Sangue, é tarefa para cristãos, sim senhor! A todos nós, pequeninos e distantes desse problemão, a nós, cabe rezar,…rezar….rezar…..como já há mais de 20 nos avisa e pede NOSSA SENHORA, a RAINHA DA PAZ! Aleluia! Amém.

  13. CORREÇAO DE ERRO DE DIGITAÇÃO: ….” como já há mais de 20 anos, nos avisa e pede NOSSA SENHORA, a RAINHA DA PAZ!”

  14. Não se enganem ao pensar que o Vaticano não faz nada. Certamente, eles possuem meios burocráticos e diplomáticos para lidar com essas situações de modo que não sabemos. E não temos que saber.

    Particularmente, sou a favor de uma nova cruzada, não imagino ainda que meios. Por hora, as armas espirituais são as nossas maiores. Essa quaresma de São Miguel Arcanjo é perfeita!

  15. Papa Francisco@Pontifex_pt • 20 h
    “Um apelo a todas as famílias:no momento da oração, lembrai-vos daqueles que são obrigados a abandonar as suas casas no Iraque. #prayforpeace”

    Papa Francisco@Pontifex_pt • 10 de ago
    “As notícias que chegam do Iraque nos causam dor. Senhor, ensinai-nos a viver em solidariedade com os irmãos que sofrem.”

    Papa Francisco@Pontifex_pt • 10 de ago
    As pessoas que foram privadas de suas casas no Iraque dependem de nós. Convido a todos a rezar e, quem puder, a oferecer uma ajuda concreta.

    minhas notas:

    As noticias que chegam do Iraque, Santidade, embora falsamente atenuadas, já são muitos graves. Outras fontes dizem que os católicos daquele país estão sofrendo todo tipo de atrocidades. Crianças são sequestradas e feitas escravas, se meninas, são estupradas. Outras pessoas, tomadas os seus bens e mortas cruelmente.

    Medida “concreta”(entre aspas, visto que os clericos-modernistas-ateus não consideram a oração – parte imprescindível à salvação, ensinada em qualquer catecismo realmente católico – um ato concreto.) do Papa: “Papa Francisco e o Jogo pela Paz, em Roma.” e “Ronaldinho Gaúcho foi convidado pelo Papa Francisco para participar da primeira partida inter-religiosa de futebol pela paz”.

    Santa Mãe de Deus, nos socorra.

  16. Onde estão os príncipes e reis católicos que, por muito menos, teriam já unido forças e conclamado, com eles próprios à frente, numerosas multidões de guerreiros defensores da fé e da cristandade ? Onde está aquele zeloso pontífice que além do mesmo empenho na mobilização de forças terrenas estaria também dando tudo de si na, igualmente necessária, mobilização pela batalha espiritual da oração, do sacrifício e da penitencia ? Onde estão todos eles ? Onde ? Onde ?

  17. Os apologistas islamitas afirmam que o wahabismo (essa vertente fundamentalista que inspira os neo-jihhadistas), o terrorismo suicida, o extermínio dos “infiéis” é, na verdade, uma má interpretação, praticamente uma “heresia” dentro do Islamismo. São, portanto, minoritários. Trago essa justificativa que se dá em toda e qualquer discussão quando o assunto é o Islã porque creio que é com base nela que os “ecumaníacos” justificam seus silêncios, suas simpatias e seus medos em ofenderem os muçulmanos “do bem”.
    Desnecessário dizer que se trata de uma desculpa muito fácil de ser refutada, pois a defesa da sharia, a pena capital por apostasia e os governos teocráticos que perseguem minorias não são particularidade dos wahabitas (quando muito os atentados suicidas o são), e os próprios escritos sagrados islâmicos tem larga margem de interpretação radical.
    Mas por um instante, a título de exercício do pensamento, deixemos de lado o que é óbvio e finjamos que a explicação deles é verdadeira, ou seja, que existe um Islã da paz e que os radicais são apenas herejes que corrompem a correta interpretação. Supondo que isso é verdade, QUAL ATITUDE as nações islâmicas, os conselhos religiosos, enfim, os “verdadeiros muçulmanos” estão tomando contra esses radicais? Alguém já soube de condenações oficiais? Alguém já os ouviu dizendo que esses que se anunciam como defensores da pureza do Islã são na verdade herejes? Faria sentido não apenas por caridade para com os perseguidos, mas porque – segundo a defesa deles – se trata de deturpação religiosa. Todo mundo sabe que as nações islâmicas não poupam esforços para fazerem cumprir suas regras, que também não poupam esforços para espalharem sua religião pelo mundo com o dinheiro do petróleo. Então, cadê os esforços para eliminarem os radicais? Respondo: não existe esse esforço.
    Diante disso não é muito difícil tecermos uma conclusão a respeito da “teoria” de que o radicalismo é uma exceção, um ponto fora da curva.

  18. Houve tempos em que os papas, homens corajosos, cheios de virtudes e de fé, enviavam reis e seus exércitos para libertar Jerusalém, a cidade santa, do perigo muçulmano. Hoje em dia os Pífios Papas enviam “tweets”…. uma beleza… assim “ninguém” se machuca…. A partir do momento em que uma de nossas pífias santidades decretou que a fumaça de satanás havia se infiltrado pelas frestas da Igreja, com o processo de autodemolição da Igreja necessitando ser acelerado, cristãos massacrados por muçulmanos são o que se chama nos bons e velhos filmes policiais de “casualties” e, nos filmes de combate, de “efeito colateral”….

  19. Que o Espírito Santo posso iluminar os representantes do Clero para que não se omitam diante de tantas atrocidades!!

  20. Basta ver o que acontece, para termos certeza de que o Cristianismo verdadeiro ainda existe e nem o Vaticano II foi capaz de destruí-lo no meio do igreja conciliar.

    Disse Nosso Senhor Jesus Cristo:

    18. Se o mundo vos odeia, sabei que me odiou a mim antes que a vós.

    19. Se fôsseis do mundo, o mundo vos amaria como sendo seus. Como, porém, não sois do mundo, mas do mundo vos escolhi, por isso o mundo vos odeia.

    20. Lembrai-vos da palavra que vos disse: O servo não é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também vos hão de perseguir. Se guardaram a minha palavra, hão de guardar também a vossa. (São João 15, 18-20)

    A mídia chega a falar da minoria yazidi, que também é covardemente perseguida pelos muçulmanos, mas do êxodo e do massacre de milhares de cristãos, se cala ou fala tão politicamente correto como faz a suprema autoridade mundana da Igreja. Com isto, podemos ver também com nossos olhos mundanos que as Palavras de Jesus são de vida eterna: “Se o mundo vos odeia, sabei que me odiou a mim antes que a vós.”

    Rezemos por nossos irmãos.

  21. Mais do que os Cristãos perseguidos, quem precisa de oração é Francisco. Eu sou uma pobre alma, miserável, mesquinha, egoísta… Na verdade, todos nós somos em certa medida; ou fomos (no passado) ou poderemos ser no futuro.

    Mas o que esse Papa vem fazendo com suas ações e omissões vem ultrapassando todo limite do que alguém poderia dizer de mal sobre si mesmo, seja por um reconhecimento sincero de suas fraquezas ou até mesmo uma afetação de falsa humildade, querendo se destacar entre os demais por possuir mais defeitos e reconhecê-los.

    Será que a humildade de Francisco está em reconhecer seus defeitos? Pelo visto de cardeal a Papa não mudou muito coisa, só aumentou o poder. E nada mais para revelar uma pessoa do que lhe dar poder. A humildade ficou apenas para ser reconhecida por revistas de tendência homossexual e por progressistas de toda espécie.

    Eis Francisco com mais poder.

    Destruição da Igreja, omissões escandalosas, desqualificações dos predecessores (ao menos na questão pró-vida).

    Espero em breve poder retirar todas essas palavras. Eu preciso de conversão. Ele ainda mais, pois tem centenas de milhões de católicos cuja salvação ou condenação pode depender em parte de suas ações ou omissões.

    Oremus pro pontifice nostro Francisco
    Dominus conservet eum,
    et vivificet eum,
    et beatum faciat eum in terra,
    et non tradat eum
    in animam inimicorum eius.