Foto da semana.

16780247

Se receamos ir diretamente a Jesus Cristo, nosso Deus, por causa da sua grandeza infinita, ou da nossa miséria, ou ainda dos nossos pecados, imploremos ousadamente o auxílio e a intercessão de Maria, nossa mãe. Ela é boa e terna; nada tem de austero ou de repulsivo, nada de demasiado sublime e brilhante. Contemplando-a, vemos a nossa própria natureza.

Ela não é o Sol, que pela vivacidade dos seus raios poderia cegar-nos por causa da nossa fraqueza. Ela é bela e doce como a Lua (Ct 6, 9), que recebe a luz do Sol e a abranda a fim de adaptá-la à nossa pequenez. É tão caridosa que não repele nenhum dos que pedem a sua intercessão, por mais pecador que seja. Pois, como dizem os santos, desde que o mundo é mundo, nunca se ouviu dizer que alguém que tenha recorrido à Santíssima Virgem, com confiança e perseverança, tenha sido por Ela desamparado.

São Luis Maria Grignon de Monfort, Tratado da Verdadeira Devoção.

Na imagem, de 10 de agosto de 2014, o fenômeno conhecido como Superlua se apresenta ao fundo da Igreja Nossa Senhora da Penha, no Rio de Janeiro.

Tags:

9 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Que descrição maravilhosa de Nossa Senhora! Emocionou-me. Deus os abençoe!

  2. Para aqueles que, influenciados pelo jansenismo, na época, não ousavam se aproximar de Jesus Cristo, São Luiz Maria de Montfort, contra as regras de santidade daquela época, dá conselhos de confiança que aos ouvidos daqueles tempos poderiam soar como heresia ou como laxismo. Os conselhos de São Luiz G. Monfort não são em nada diferentes dos conselhos do Papa Francisco. Uma máxima de Francisco pode resumir muito bem essa doutrina de S. L. G. Monfort: “DEUS PERDOA SEMPRE!” É porque Deus infinitamente Santo e de Majestade infinita sempre perdoa, embora não admita a mínima mancha de pecado, que devemos ousadamente nos dirigir à Nossa Senhora. S. L. G. Montfort aconselha a irmos a Jesus sem nenhum temor, mas se por causa das misérias e dos pecados nos afastarmos d’Ele por medo, diz que ousadamente deve-se então recorrer a Nossa Senhora. Ousadamente significa fazer uma coisa que não é normal nem comum, muito menos algo que se fazia antes, senão algo novo: algo novo e extraordinário. A novidade de Mointfort é uma confiança inabalável na Bondade de Deus por meio da Bondade Maternal de Nossa Senhora. Nos aconselha a irmos sem medo à Ela, pois Ela “é boa e terna”, ou seja, por ser “boa” não recusará beneficiar mesmo aos que não merecem bem algum, mas só castigos. A boa Mãe não responde com castigos aos filhos transviados que a Ela recorrem com confiança. Ela não tem “nada de austero”, ou seja, não é rigorista como os jansenistas e a ninguém repele, porque n’Ela mais pesa o perdão que a condenação. Ela não é o sol, mas como a lua, Ela recebe a luz do Sol para adaptá-la a nossa pequenez, diz o Santo. Portanto, segundo S. L. G. de Montfort, Nossa Senhora adapta a infinita Santidade de Deus à nossa pequenez. Essa adaptação foi muito bem recebida pelo Papa Francisco, que inspirado pela Mãe terna e doce, proclamou ao mundo “envelhecido no pecado” que “Deus perdoa sempre!”, não para que permaneça no pecado, pois essa máxima é de esperança e não de desespero, mas para que o mundo saia do pecado. São Luiz Maria Grignon de Montfort, grande reformador da sua época, ora pro nobis et pro Pontifice nostro Franciscus.

  3. “Toda bela és, Maria, e a mácula original não há em ti”, o que faz de ti uma criatura toda diferente de nós pobres mortais, maculados pela nodoa do pecado original, do qual foste miraculosamente preservada, a primeira antecipadamente redimida em atenção aos méritos de Jesus Cristo, plasmada especialmente nas mãos de Deus para seres a Mãe de seu Filho Unigênito, de sua Igreja, a qual seu Filho a fez extensão de si mesmo!

  4. Mãe Maria sempre ampara e auxilia todos aqueles que procuram a sua Valiosa Proteção.

  5. Maria Assunta ao Céu…Ora pro nobis!

  6. De Santo Afonso de Ligório (Glórias de Maria):

    “Quando a Santíssima Virgem concebeu o Divino Verbo e deu à luz, obteve metade do reino de Deus, tornou-se a Rainha da Misericórdia e Jesus ficou sendo o Rei da justiça. O Eterno Pai deu ao Filho o ofício de julgar e punir, e a Mãe o ofício de socorrer e aliviar os miseráveis (…) Cristo, como juiz tem o ofício de punir; a Virgem, como padroeira tão somente tem o de compadecer-se. Quer isso dizer que achamos a salvação mais depressa junto à Mãe que junto ao Filho”.

    “Como em Jesus Cristo reconhecem e temem os homens a majestade divina, aprouve a Deus dar-nos outra advogada a quem recorrer com maior confiança e menor receio. E temo-la em Maria, fora de quem não acharemos outra nem mais poderosa para a Divina Majestade, nem mais misericordiosa para conosco”.

  7. Ave Maria Puríssima,sem pecado Concebida!Rogai por nós,Santa Mãe de Deus!

  8. Maria, tu és dócil e sua docilidade maternal nos ampara intercedendo à Deus por nós. Também é guerreira e mulher forte do Evangelho!!
    Maria, nos ampare sempre, não nos deixe a mercê desse mundo!!
    Santa Maria Rogai por nós!

  9. Maria é a Mulher vestida do Sol, isto é, do próprio Jesus, que reflete a Luz de nosso Deus, que nela si fez morada, recebendo d´Ela seu corpo de homem. Para o oferecer na cruz pela nossa redenção. Desta forma colabora diretamente com nosso Redentor, em sua missão. Ela traz a Luz que se esconde que se em sua humanidade, como a humilde Escrava do Senhor.
    Salve Maria!