Sínodo: como eu o manobro.

Por Marco Tosatti – La Stampa | Tradução: Fratres in Unum.com – O Sínodo sobre a Família abordará muitas coisas, mas a mídia provavelmente vai falar sobre uma só: da possibilidade de pessoas casadas na Igreja, divorciadas (sem o reconhecimento da nulidade do vínculo anterior) e recasadas receberem a comunhão.

Ocorre já um certo número de casos em que sacerdotes, mesmo entre os “conservadores”, examinam a situação pessoal e tomam para si a responsabilidade de dizer: comungue, mas de forma discreta. Isso desde os tempos de João Paulo II.

Mas de qualquer forma! O Cardeal Kasper, que já há vinte anos tinha sua própria idéia a esse respeito, não acolhida nos pontificados de João Paulo e Bento, viu na ascensão de Bergoglio a oportunidade de apresentá-la novamente. Apesar do fato de que de Manila a Berlim, de Nova York a África, a grande maioria de seus colegas tenha, mais uma vez, reafirmado a doutrina da Igreja, baseada, aliás, nas palavras de Jesus; um dos poucos casos em que a afirmação aparece nítida, clara e definitiva, não colocada em dúvida sequer pelos mutiladores profissionais de textos…

Em suma, as coisas para Kasper & Companhia não tinham ambiente para se inserir muito bem. Mas talvez houvesse uma maneira de ajudá-los. E tentar impedir que as vozes irritantes façam muito barulho.

O primeiro ponto consiste em pedir que as intervenções escritas sejam entregues com antecedência. Isso foi feito. Até 8 de setembro, quem queria intervir no Sínodo deveria enviar o seu pequeno discurso.

Segundo: ler atentamente todas as intervenções, e, em caso de que algumas delas serem particularmente picantes, dar a palavra a um orador que, antes da intervenção espinhosa, buscasse já responder, no todo ou em parte, aos problemas levantados pela própria intervenção.

Terceiro: se alguma intervenção parecer realmente problemática, dizer que, infelizmente, não há tempo para dar a palavra a todos, mas que o texto foi recebido e permanece nas atas, e com certeza isso será tido em conta na elaboração final.

E, com efeito, não é tanto o Sínodo que será importante, mas a síntese a ser preparada, e que trará a assinatura do Papa como “exortação pós-sinodal”. É muito provável que não será um texto claro e definitivo, mas baseado sobre uma interpretação “flutuante”. De modo que qualquer um ao lê-lo possa se aproveitar da parte que mais lhe convém.

Humilde observação de um pobre cronista: mas se alguém tem um plano tão elaborado e astuto, por que falar sobre ele diante de verdadeiros estranhos durante um suntuoso jantar?

Anúncios

8 Comentários to “Sínodo: como eu o manobro.”

  1. Não tem jeito, vai ter que ocorrer um cisma.

  2. Por que falar sobre ele diante de verdadeiros estranhos durante um suntuoso jantar? Simplesmente porque esse sínodo pode ser de fato comparado a um jantar em que os convidados judeus recusariam participar por não aceitarem comida não kosher.
    Então se diz no convite que será servido salada de tabule, sopa de lentilhas, bagels…etc e na hora de servir o prato principal lá vem aquele leitão assado de todo tamanho e com uma maçã na boca.
    O Sínodo sobre a Família abordará muitas coisas, mas a mídia provavelmente vai falar sobre uma só: da possibilidade de pessoas casadas na Igreja, divorciadas (sem o reconhecimento da nulidade do vínculo anterior) e recasadas receberem a comunhão porque esse é o prato principal. Esse é o motivo pelo qual está sendo convocado.
    “As outras coisas” ( que não precisariam de sínodo pra serem discutidas) servirão apenas como complementos assim como são as entradinhas ou antepastos num jantar.

    • Se isso acontecer (comunhão para “re-casados”… sic!) – e é o que me arrepia – então como param de pé os conceitos de:

      1. adultério como pecado mortal;
      2. de entregar à Divina Misericórida nossas misérias;
      3. da condição sine qua non da confissão do pecado mortal para se aproximar da Eucaristia?

      É gravíssimo isso. Ainda vai criar mais confusão num rebanho perdido e desamparado de seu pastor, de uma nau de seu leme.

      Sonho de São João Bosco?

      Eu fui um defensor de Francisco após sua eleição. Dizia: “Por enquanto ainda é Jorge, vai rapidamente se tornar Pedro”.

      Lamento ter dito isso.

  3. Só podemos esperar aquilo que já está combinado. Mais uma vez, e sempre, seguindo um plano bem definido, a a adulteração da Verdade. Eventos piores virão. Confiemos porém em Deus, que mantém tudo sob seu controle.

  4. São as mesmas manobras do período anterior ao Concílio Vaticano II. O que está ocorrendo, lembra muito o relato contido na célebre obra “O Reno se lança no Tibre”. O Cardeal Suenes afirmou que o Concílio Vaticano II foi o 1789 dentro da Igreja; este Sínodo será muito pior do que um 1917 (da Rússia), será o escancaramento das portas da Igreja para todo o tipo de aberração: desde a admissão de adúlteros na Sagrada Comunhão, até as duplas homossexuais, que eu me recuso a chamar de casamento.

  5. Jairo, ele não vai mudar a Doutrina porque seria dar um tiro no pé. Seria cair no anátema de São Paulo que diz que qualquer um que pregar um Evangelho diferente está excomungado.
    Mas eles estão achando outro jeitinho: dar sentença de anulação a casamentos válidos e consumados. Fazer com que o processo de anulação seja quase relâmpago. Lembram o que fizeram com os processos de canonização rápida, sem exigência de milagres, sem a presença do advogado do diabo?
    Pois é, estão querendo fazer o mesmo com o processo de “descanonização” de matrimônios. Esse pessoal acha que pode enganar a Deus. Quem viver verá:

  6. Apesar do que vemos…e do que lemos (os terríveis e gravíssimos erros teológicos.., as decisões ambíguas, as vingancinhas etc. ….etc e tal ), devemos confiar em NOSSO SENHOR JESUS CRISTO, que nos disse que,as ” portas do inferno não prevalecerão contra ela”(ela=a Sua Igreja,…a CATÓLICA! ).
    DEUS nos ama muito,e sempre cuidará de nós! Amém. ALELUIA!

  7. JAIRO EMS !
    Eu , desde “aquele” dia do anuncio..”Habemus papam!”…quando vi aquele eleito aproximando-se da janela vaticana,..todo sério,com a mão direita sobre o estômago…percebi logo muiiiiitas “cositas”: …….não me enganei! Estava certa na minha..”intuição ” femenina!…infelizmente!
    DEUS nos acuda! Amém.