Nota de Esclarecimento do Bispo de Campos sobre apoio a candidato do PT.

Após matéria de Fratres in Unum.com sobre seu apoio a candidato do Partido dos Trabalhadores, Dom Roberto Ferrería Paz emitiu a seguinte nota, que divulgamos na íntegra.

NOTA DE ESCLARECIMENTO 

     Diante de algumas dúvidas levantadas a respeito de um depoimento favorável ao candidato Marlos Costa, gostaria de fazer os seguintes esclarecimentos:

  1. O candidato a Deputado Federal Marlos Costa faz parte da Pastoral Católicos na Política, como muitos acompanha este espaço de articulação de fé e política, de formação espiritual e doutrinal, alimentada pela fé e o instrumental da Doutrina Social da Igreja.   Esta Pastoral está aberta por ser plural a católicos de todos os partidos e orientações cívicas, respeitando-se no entanto como já afirmamos a identidade eclesial e fidelidade ao Magistério.
  2. O reconhecimento ao candidato foi dado, como a todos(as) que o pediram, também de todos os partidos e orientações; resguardando a coerência e prática com os ensinamentos da Igreja.
  3. As eleições proporcionais visam a ter uma representatividade significativa de todos os setores sociais, a nossa Pastoral tenciona a impulsionar uma representação consciente do pensamento social cristão nos legislativos, face as ameaças contra a vida e a família.
  4. O depoimento dado se enquadra nesta busca de oferecer ao eleitor além de critérios gerais, indicações pessoais, que não constituem nada normativo, nenhuma imposição ou “chapa branca católica”, mas apenas uma proposta de discernimento.
  5. A questão partidária é relevante, no entanto é necessário convir que , quem constrói os partidos, são pessoas, e que a presença de cristãos e pessoas de boa vontade em todos os partidos legais, ajuda a transformar suas estruturas, programas e plataformas de governo, inspirando-as com a fé e a Doutrina social.    Enquanto as mudanças não acontecem nossa Pastoral defendeu e defende a aprovação da lei de objeção de consciência, e sua inserção nos estatutos partidários salvaguardando a liberdade do candidato cristão.

Era o que tínhamos a manifestar. Gostaria de convidar as pessoas que tenham incertezas ou busquem discernimento  para as reuniões da nossa Pastoral dos Católicos na Política do Regional Leste 1.

      Na caridade fraterna.

+Dom Roberto Francisco Ferreria Paz

Bispo Diocesano de Campos

 Campos dos Goytacazes, 20 de Setembro de 2014.

35 Comentários to “Nota de Esclarecimento do Bispo de Campos sobre apoio a candidato do PT.”

  1. Pelo que vi e alguém me corrija se estiver errado, o sr. Bispo não nega que é “simpatizante” da KGB do Putin.

  2. Já começa errado. Como assim, “Aberto a todos os católicos de todos os partidos”?? De todos, mesmo aqueles que são laicistas, com programas inspirados em vasto material ateísta??

    É da catolicidade aceitar a influência nas Pastorais de pessoas que seguem programas anticatólicos ou apoiar estes mesmo candidatos só por se dizerem católicos?? Os exemplos de vida, a reputação pública, os valores que defendem ou combatem não servem mais como parâmetros??

    Esse bispo deveria é tomar vergonha na cara!! Apoiando um partido de abortistas! Energúmeno!

  3. Não são os candidatos que fazem os partidos marxistas, mas estes que se impõem aos candidatos de forma maciça, dogmática e despótica. Vimos exemplos recentes de imposição doutrinária petista. Para afirmar o contrário precisa não conhecer nada de marxismo. É um dos frutos das heresias liberais que atualmente cegam a parte humana que se diz igreja, principalmente, o ecumenismo amplo, pelo qual se acredita que uma boa intenção em meio à ignorância, sem necessidade de nenhuma correção, acaba encontrando o rumo certo em direção à Verdade. É uma ingenuidade destruidora da prudência caridosa, pois, o primeiro papa, São Pedro, já dizia na sua Carta: “Deus corrige aqueles que Ele mais ama” e Sua correção se fez densamente presente e insistente na história do povo eleito para a Verdadeira Fé. E é tudo que os marxistas queriam para derrubar “o último bastião” contra eles, a Igreja, como já planejava e “profetizava” Stálin. Dá muito dó…

  4. Ufa, que alívio! O cara pertence à pastoralzinha lá! Menos mal!

  5. Lixo de pastoral.

  6. Que me perdoe se eu estiver errado, Revmo bispo, mas creio que se deveria doutrinar as pessoas alertando de políticos e partidos comunistas e aliados, como PT, PSB, PC do B etc., – mas sem sugestionar ou mandar votar – porém, alertando os refratarios das responsabilidades pessoais para essa e para a outra vida como católicos, no entanto, comparsas dos perseguidores da Igreja e inimigos de Jesus Cristo-Igreja, os comunistas, incompativeis com a fé católica!
    “A questão partidária é relevante, no entanto é necessário convir que, quem constrói os partidos, são pessoas, e que a presença de cristãos e pessoas de boa vontade em todos os partidos legais, ajuda a transformar suas estruturas, programas e plataformas de governo, inspirando-as com a fé e a Doutrina social”
    Que isso, Revmo Bispo? Gente de “boa vontade” dentro do PT?
    Há dentro do PT e aliados até “católicos”, membros de um sistema político marxista, impondo como programa oficial de partido o aborto, pedofilia, ideologia do gênero, gayzismo, não veta a dissolução da família pelas novelas de bordel há 12 anos etc., e os membros do partido obstruirão sua política ateista e conformemo-nos com isso?
    Quem discordar internamente das resoluções e diretrizes do PT é posto na rua aos chutes, sem cerimonias!
    Se estivessem entre nós, agiram ao inverso D Luiz Bergonzini e D Manuel Pestana e confrontariam na dura quem apoiassem qualquer candidato ou partido comunista!

  7. Nao vai receber Visita Apostolica como nossa Diocese ?

  8. Quem criou o PT e responde por todas as vitórias eleitorais dos petistas são “bispos” do Brasil.
    A TL conseguiu tudo que quis.

  9. isso não é uma nota, é um panfleto partidário ao relativismo moral e religioso! Pode um socialista/abortista ser católico?

  10. Este bispo é bastante conhecido no Rio Grande do Sul, onde fez aquilo que mais repugna o Papa Francisco: carreirismo eclesiástico. Sedizente jornalista, e padre, ocupava espaços editoriais do principal diário gaúcho, nas datas de festa canônica, para destilar abobrinhas liberal-modernizantes, com pitadas de TL. Era assíduo, também, nos eventos ” ecumênicos ” no âmbito deste tal diálogo interreligioso. Apoiar candidatos do PT – e bem poderia ser do PC do B, PSOL, PSTU e outros grupelhos leninistas e trotskistas – não deve causar espanto, provindo de um ” filho ” do CVII e do modernismo auto-intitulado progressista das CEB’s e da CNB do B.

  11. Precisamos mesmo recordar ao senhor bispo que a doutrina católica proibe terminantemente o apoio a partidos marxistas? Se nós sabemos disso, será que um bispo não sabe? É por isso que vivo dizendo que se afastem do clero conciliar: a quase maioria do clero perdeu a fé católica, e quem conhece a fé católica e os segue arrisca seriamente a salvação da própria alma… Vocês percebem o absurdo da situação?

  12. Isso não é uma nota,é um panfleto socialista. O discurso de “aberto à todos” é o maior sonho dos liberais e “esquerdeopatas na Igreja, pois usarão o princípio Cristão de “não julgar” e “acolher o pecado”, para se infiltrar.

    Há um infantilismo nos padres e Bispos Brasileiros. Eles realmente pensam que nosso maior sonho é que eles “acolham à todos” e que seja esse o problema da Igreja atual.

  13. Nossa! É muita ingenuidade! Não é possível que seja só ingenuidade.
    Não seria mais fácil admitir que errou e pedir desculpas?

  14. Se entendio o que li:

    1) A pastoral está aberta a “todos os partidos” e ao mesmo tempo diz ter “fidelidade ao Magistério”, ou seja, a pastoral aceita todos os partidos e pessoas que não contradizem o Magistério da Igreja. Diante disso há de se perguntar porque aceitam petistas.
    2) Que coerência o partido do candidato tem com os ensinamentos da Igreja?
    3) As ameaças contra a vida e a família vem PRECISAMENTE do partido apoiado pelo bispo.
    4) Pedir voto não é “proposta de discernimento”.
    5) O pastor então pretende infiltrar católicos no PT? Ora, como fizeram os comunistas para se infiltrarem na Igreja? Fingiram ser católicos. A única maneira de se infiltrar em uma sociedade tão coesa é fingir ser um deles, o que já mostra que para um Cristão é impossível infiltrar-se em um lugar como o PT. A estratégia é mostrar logo as suas intenções e partir pra briga aberta.

    Honestamente senhore, com o tempo cansamos de atribuir inocência a estes prelados. Não há inocência por tanto tempo, hoje já atribuo conivência, quando não, o que é precisamente o caso, militância! Valha-nos ó Deus!!

  15. E há quem afirme que inexiste estado de necessidade em Campos que justifique a presença da FSSPX.
    O pior cego é aquele que não quer ver

  16. Um indigno ocupante da Cátedra que um dia pertenceu ao intrépido Dom Antônio de Castro Mayer…que tristeza…

  17. O ilustre bispo de Campos cada vez se enrola mais na sua teia anti-católica… Decadência na Igreja! Que “pastoral” é essa que em vez de aconselhar os seus membros a agirem na política de acordo com a doutrina Católica, ensina-os a agir de acordo com as normas de “são” Marx?!
    O Senhor bispo de Campos deveria ser proibido de emitir qualquer escrito, porque neles só fala contra a Igreja.
    Enquanto o mitrado de Campos apoia candidatos pertencentes a partidos comunistas, outros políticos católicos (muito perseguidos na Igreja e na política) do Estado do Rio são esquecidos, são tratados como inexistentes. Logo aqueles que mereciam verdadeiro apoio, que não se deixam corromper, nem pela esquerda política nem pela esquerda eclesiástica.
    “Dom Roberto, por que no te callas?”

  18. Eu sempre disse que não adianta espernear contra o PT. Se quiserem destruir o PT basta mirar artilharia pesada na CNBB. Sem a ajuda de impostores como esse Bispo de Campos servindo de cabo eleitoral para a petralhada, nenhum deles teria a menor chance de chegar ao poder. Foi a CNBB que usando o púlpito das igrejas como palco de comício fez a lavagem cerebral até nos mais simples pra votar no PT.

  19. Duas coisas: 1) Caso se funde um Partido Fascista Brasileiro, um católico ( soi disant…) inscrito nele pode fazer parte das ” pastorais” que proliferam por aí? Será aceito?Será acolhido? Dentro do PFB, tais “católicos infiltrados” poderão, eficazmente, ir agindo de modo a retirar dele tudo quanto tiver de anti cristão?
    2)Existem vários ” bispos” por aí dizendo besteiras como as acima referidas e ainda maiores.
    Existem órgãos no Vaticano oficialmente instituídos para a defesa da Fé, da sã liturgia, dos Bons Costumes.SE o Soberano do Vaticano não faz nada, em termos de Autoridade Apostólica, para coibir tais desvios, se os órgãos apropriados eclesiásticos não tomam medidas administrativas eficazes, isto não significará que a Hierarquia Católica Realmente Existente(HCRE) É favorável e promotora do relativismo, da homossexualização, do aborto provocado, da dessacralização do mundo?
    Esta generalizada e persistente ingenuidade dos discordantes perplexos, escandalizados e INERTES não será já um fenômeno psicopatológico?
    Teologicamente, em que momento e em que ponto ” isto que está aí” deixou de ser a Comunhão dos Santos, o Corpo Místico de Cristo?

  20. A fumaça de satanás entrou… Parou… Ficou… Contagiou! Todos hereges desrespeitando o magistério da igreja católica: http://www.vatican.va/holy_father/pius_xi/encyclicals/documents/hf_p-xi_enc_19370319_divini-redemptoris_po.html

  21. Se este argumento do Sr. Bispo fosse válido, veríamos parlamentares na tribuna dizendo-a: “sou do PT( PSOL, PC do B, PCO, PSTU), mas sou contra o casamento homossexual e contra o aborto e contra o divórcio, porque assim me ensina o Evangelho”. Isso não se dá por causa do estatuto partidário que expulsa quem assim o fizer e principalmente porque quem financia os partidos de esquerda tem ódio do Evangelho e tem ódio de Jesus Cristo. Entre Cristo e Belial, que acordo pode haver? Mania desse povo modernista de querer salvar o que a Palavra de Deus condenou.

  22. Vamos só por algumas poucas partes acerca do candidato Marlos Costa do PT:
    1 – “O candidato a Deputado Federal Marlos Costa faz parte da Pastoral Católicos na Política”
    Só de for dos marxistas sedizentes católicos, ou dos que infiltram a Igreja, quer como agente leigos ou religiosos, além do mais, os 10 últimos papas até Bento XVI têm severas condenações aos comunistas e a quem se associa a eles, como até a penas de excomunhão automáticas a associados e apoiadores, mesmo aos eleitores que se tornam comparsas de suas obras.
    2 – “O reconhecimento ao candidato foi dado, como a todos(as) que o pediram, também de todos os partidos e orientações”.
    Ou seja, avaliza a qualquer um, quer pessoa ou partido, basta pedir; o eleitor que saiba discernir!
    3 – “resguardando a coerência e prática com os ensinamentos da Igreja”.
    No acima ao citado n° 2, aonde foram parar a coerência com os ensinamentos da Igreja ao apresentar um candidato comunista, o qual dentro do partido não passa de um simples teleguiado?

  23. Francamente, sem palavras… como pode um bispo da Santa Igreja apoiar um candidato de esquerda? O fato de o candidato participar da Pastoral Católicos na Política nos mostra o quanto a Igreja está infiltrada de esquerdistas.
    O pior de tudo isto é o apoio de um bispo da Santa Igreja apoiar este absurdo. Bem se vê que, as palavras de Paulo VI se aplicam a este caso: “a fumaça de Satanás penetrou no recinto sagrado da Igreja…

  24. Esclarecimento que não esclarece nada…

  25. Dom Roberto por caridade não faça isso por mais ignorante que sou essa nota me dá náuseas , como pode um apostolo de nosso senhor causar tamanho escândalo entre o rebanho, o senhor como pastor deveria usar o seu múnus para orientar o senhor Marlos Costa a sair desse partido diabólico e indicar um partido menos pior e menos anti católico pra ele, ai sim o senhor estaria exercendo o ministério apostólico com toda honra, se o senhor realmente tiver fazendo essas reuniões que aceita candidato de todos os partidos o senhor esta sendo apostolo é ajudando a construir o reino do príncipe desse mundo, arrependa-se confesse que o nosso senhor lhe guiara nos retos caminhos, rezo pela vossa conversão Deus lhe proteja e lhe conceda o dom do discernimento.

  26. “Não se enganam: há muitos lobos vestidos de ovelhas”

    Como alguns bispos, sucessores dos apóstolos, insistem em seguir o traidor JUDAS ISCARIOTES.
    Pior. Na política com “P” MAIÚSCULO, não há lugar para eleitores no papel de Joaquim Silvério dos Reis, o traidor ao tempo de Tiradentes.
    Povo brasileiro: cristão não vota em PT, PCdoB, PSOL…
    Como a apostasia vem causando estragos na HIERARQUIA da Igreja nos dias atuais?!?
    Registro que tentei deixar o meu protesto contra o apoio do bispo de Campos ao candidato do PT, mas ele estava viajando para Niterói. Também tentei falar com sua secretária Sra. Marlene sem sucesso, nos seguintes telefones:
    (22) 2734-0750 ou 2722-7750 ou 98129-6181

  27. O que me preocupa é que na legislação vigente, o eleitor e o candidato eleito estão vinculados ao estatuto do partido, (no caso, o PT) e aos princípios doutrinários e programáticos do PT e às diretrizes estabelecidas pelos órgãos de direção partidários, na forma como define o estatuto. As deliberações dos Diretórios nacionais decidem tudo. Portanto deveríamos ter um partido católico, com estatuto elaborado com base na doutrina católica, com candidatos católicos e onde as deliberações dos diretores do partido no Diretório Nacional fossem em acordo com a doutrina católica. A Doutrina da Igreja Católica é clara quanto ao programa que o católico pode apoiar e como o candidato ao legislativo está comprometido com o partido e não com o eleitor, deduz-se que o católico não pode votar em outro católico se este candidato estiver representando o partido com programa não católico. O PT apoia o PNDH 3, portanto o aborto, afinado com a eutanásia, a união homoafetiva, entre outros. É um partido marxista, comunista e que apoia o governo tirano de Cuba. Como o STF é o Guardião da Constituição Federal cumpre ouvi-lo antes de decidir: “No sistema que acolhe – como se dá no Brasil desde a Constituição de 1934 – a representação proporcional para a eleição de deputados e vereadores, o eleitor exerce a sua liberdade de escolha apenas entre os candidatos registrados pelo partido político, sendo eles, portanto, seguidores necessários do programa partidário de sua opção. O destinatário do voto é o partido político viabilizador da candidatura por ele oferecida. O eleito vincula-se, necessariamente, a determinado partido político e tem em seu programa e ideário o norte de sua atuação, a ele se subordinando por força de lei (art. 24 da Lei 9.096/1995). Não pode, então, o eleito afastar-se do que suposto pelo mandante – o eleitor –, com base na legislação vigente que determina ser exclusivamente partidária a escolha por ele feita. Injurídico é o descompromisso do eleito com o partido – o que se estende ao eleitor – pela ruptura da equação político-jurídica estabelecida. A fidelidade partidária é corolário lógico-jurídico necessário do sistema constitucional vigente, sem necessidade de sua expressão literal. Sem ela não há atenção aos princípios obrigatórios que informam o ordenamento constitucional”.
    (MS 26.604, Rel. Min. Cármen Lúcia, julgamento em 4-10-2007, Plenário,DJE de 3-10-2008.) No mesmo sentido: MS 26.602, Rel. Min. Eros Grau, julgamento em 4-10-2007, Plenário, DJE de 17-10-2008; MS 26.603, Rel. Min. Celso de Mello, julgamento em 4-10-2007, Plenário, DJE de 19-12-2008.

    LEI Nº 9.096, DE 19 DE SETEMBRO DE 1995. (Dispõe sobre partidos políticos, regulamenta os arts. 17 e 14, § 3º, inciso V, da Constituição Federal). Art. 24. Na Casa Legislativa, o integrante da bancada de partido deve subordinar sua ação parlamentar aos princípios doutrinários e programáticos e às diretrizes estabelecidas pelos órgãos de direção partidários, na forma do estatuto.

    Portanto, não há como apoiar candidato do PT.

  28. Enviar e-mails ou e informar sobre eles para a mesma senhora citada acima, secretária de Sua Excelência Dom Roberto Bispo de Campos, a julgar pela minha experiência, é inútil e infrutífero. Enviei no ano passado alguns, sobre as atitudes do Pároco responsável por uma das Capelas daquela Diocese, e não obtive, até ontem, satisfação alguma. Uma pena, pois a situação é grave. Parentes e amigos que moram naquela região têm feito o mesmo, pela necessidade de correção e imposição de disciplina, todos sem resposta. Há algumas semanas Dom Roberto lá esteve, celebrando Santa Missa pela festa do nosso padroeiro, mas não procurou ninguém para conversar a respeito. Fico com ciúme, muito ciúme, por saber que ele têm tempo para um político do PT e suas pastorais, mas não têm para aquela gente correta, dedicada e honesta das paróquias do interior do Estado do Rio de Janeiro, a julgar pela minha experiência. Dom Roberto, caso me leia, e pelo visto o senhor lê o Fratres, e lhe seja surpresa que tantos lhe escrevem sem resposta, como garanto, tome posse imediatamente desta conta de email e resgate o diálogo com seus filhos. PAX.

  29. Esse bispo conseguiu algo que nem Nosso Senhor Jesus Cristo conseguiu, ser unanimidade.
    Ele desagradou a toda diocese, com exceção de meia dúzia que os cercam.
    O sr. Roberto Francisco, está cada vez mais, tornando-se “persona non grata” em nossa diocese.
    Gostaríamos de vê-lo bem longe da nossa cidade, se possível voltasse ele para a sua terra natal, Uruguai.
    Terra do “companheiro”, o maconheiro Mojica. Aliás segundo o sr. Francisco Roberto, local onde deve está
    cheio de minhocas, como ele que fala da ” mãe terra”.
    Garanto que eu não faço parte dessa espécie, pois sei que minhas duas mães Maria e a saudosa D. Ilda, já estão no céu na visão beatifica.

  30. Sejamos honesto, incluam nesta lista também, o partido que quer se perpetuar no poder em São Paulo… um tal PSDB.

    • O PSDB é programática e pragmaticamente vinculado ao pensamento de centro-esquerda e, tal qual rigorosamente todas as legendas do país, submete-se a um comando filomaçônico de muitos intuitos condenáveis, mas não se tem notícia de que imponha à totalidade de seus parlamentares, filiados ou militantes, adesão incondicional, voto ou engajamento ativo em qualquer agenda anticristã ostensiva. Ao contrário, aliás, garante — como a maioria dos partidos não-estritamente marxistas — diversos espaços paulatinamente conquistados por católicos que, sem outra opção institucional, nele ingressaram a fim de se contraporem aos marxistas.

  31. Um Bispo que apóia publicamente um candidato do PT e de qualquer outro partido esquerdista de orientação abortista, gayzista, comunista, materialista, e, portanto, inimigo declarado de Cristo, na verdade, está agindo, livre e conscientemente, como um autêntico partidário de Barrabás.
    Nada mais faz sangrar as chagas de Cristo do que a traição de seus próprios ministros.
    O mesmo acontece com todos os ministros de Cristo que, mesmo que não o façam publicamente, colaboram com o crescimento da iniquidade pela omissão, quando se calam e não orientam os fiéis para o correto discernimento, tanto em matéria de fé e moral, quanto para a rejeição de todo e qualquer candidato cujo partido segue uma agenda anticristã.
    Não é a toa que os bispos da CNB do B pregam que a Igreja não quer uma bancada católica. Isso é uma premissa totalmente falsa. A Igreja quer sim e deseja que haja uma bancada católica.
    Quem não quer isso é a CNB do B, pois já possui a sua própria bancada que é composta por candidatos esquerdistas, pouco importando quem seja o candidato.
    Nesse sentido, uma bancada católica seria uma verdadeira pedra de tropeço para o avanço das ações esquerdistas no CN. E isso a CNB do B não quer de jeito nenhum. Eis a verdadeira razão pela qual os verdadeiros candidatos católicos não recebem nenhum apoio, nem da CNB do B, nem dos bispos em geral.
    Ainda bem que essa instituição não faz parte da hierarquia da Igreja, portanto, as suas deliberações não vinculam. Pena que a maioria dos bispos fingem não saber disso e acabam colaborando em tudo com essa instituição que funciona muito mais como um braço do PT, via TL, do que como uma instituição religiosa.
    Que Nossa Senhora Aparecida faça suscitar bons e fiéis pastores na Igreja do Brasil!

  32. A HORA É GRAVE
    Caro leitor, estamos a poucos dias das eleições presidenciais. Não sei se todos se aperceberam da gravidade da situação em que nos encontramos. Um passo em falso do eleitor agora poderá ser fatal. Estamos à beira de uma tragédia anunciada. Há um processo de cubanização, de venezualização, do Brasil claramente em curso. O Estado brasileiro, a passos largos, tem se transformado em um estado ditatorial, com cerceamento das liberdades de pensamento e de crença. Se o eleitor desperdiçar seu voto em outubro, este processo tornar-se-á irreversível, pelo menos a curto e médio prazo. Custará sangue. Reclamará dores. Exigirá mártires.

    Certos sofrimentos parecem ser um castigo do céu. Se fôssemos mais dóceis à vontade de Deus, se estivéssemos mais unidos a Ele, ficaria mais claro o que é melhor para nós. Por isso, gostaria hoje de convidar o leitor, mais do que a votar bem, a um processo de conversão. Ao convidá-lo, tento estimular também a mim mesmo, pois dependo urgentemente de seguir pelo bom caminho, de voltar para casa.

    Nossa Senhora em todas as aparições recentes tem recomendado, tem exigido, a recitação do santo rosário, pelo menos a recitação do terço diariamente. Ora, se a Mãe de Deus nos pede tal coisa, como algo urgente, como algo imprescindível à salvação do mundo, será que temos o direito de ignorá-lo?

    Acabo de retornar de uma viagem à Espanha. Tive o privilégio de visitar Salamanca, Alba de Tormes, Toledo e Ávila, quatro cidades teresianas. A Espanha, país de tantos e tão grandes santos, tem hoje igrejas vazias. Pelo menos no microcosmo em que me encontrei, quase só vi idosos nas missas e, mesmo assim, em reduzido número. Parece haver ortodoxia no clero, mas falta-lhe vida, fogo, vigor, entusiasmo, paixão. Ali a fé parece ter se cansado, tornando-se quase exclusivamente um dever burocrático. Não se trata mais do amor apaixonado por uma Pessoa que continua no meio de nós.

    No Brasil, em muitas partes falta ortodoxia ao clero, fidelidade ao Papa e ao Magistério. Contudo, nossas missas são cheias e estão repletas de jovens. O catolicismo no Brasil ainda é uma força pulsante. Infelizmente, há também relações promíscuas de membros do clero, de setores da CNBB, com partidos de esquerda, o que revela uma crise de identidade, pois catolicismo e socialismo são duas coisas totalmente incompatíveis.

    Entretanto, não estamos sós. Deus está conosco. Nossa Senhora prometeu sua ajuda a quem rezar o rosário. Será que estamos pedindo? Será que estamos invocando o auxílio de Deus para as próximas eleições? Será que estamos convencidos de que pôr os joelhos no chão é indispensável nessa hora dramática? Pouco adianta o nosso inconformismo anão, a nossa histérica revolta de Facebook. O caso é grave. É gravíssimo. É preciso rezar e agir. Agir muito. Partir para o convencimento homem a homem. Um a um. Mas sobretudo rezar.

    Peçamos a Deus que não nos entregue a nós mesmos. Que não nos puna, que não nos entregue à nossa própria sorte, ao castigo que justamente merecemos. Por enquanto, ainda temos liberdade para falar algumas coisas, contudo, se o processo evidente de implantação do socialismo no Brasil continuar, haverá perseguições, prisões, mártires, choro e ranger de dentes.

    O Estado ideológico não admite o debate. Ele tenta tomar o lugar da nossa consciência, aniquilando a nossa própria ética e o nosso senso moral. O Estado ideológico parte para a imposição truculenta e para a criminalização das opiniões divergentes. Imiscui-se em assuntos eminentemente privados, penetrando na vida familiar e na privacidade dos indivíduos. Até quando fecharemos os olhos para o que se passa em Cuba, na Venezuela, no Equador, na Argentina? Até quando seremos omissos? Tentaremos gritar somente depois de nos cortarem as gargantas?

    Parece que não estamos percebendo que, em países vizinhos e alinhados ideologicamente ao partido que está no poder, os veículos de comunicação que manifestam discordância do governo são fechados, sendo a própria discordância criminalizada. Políticos de oposição são perseguidos e presos, pura e simplesmente por contestarem a “verdade oficial”. A incursão do Estado na vida privada dos indivíduos com a “Lei da Palmada”, com a tentativa de criminalização das opiniões discordantes do homossexualismo travestida de combate à homofobia deveria levar-nos a refletir mais detida e seriamente.

    A alternância no poder nas próximas eleições é crucial. É questão de vida ou morte. Muitos já concluíram que, se o partido que se encontra no poder for reeleito, a única solução poderá ser deixar o país e tentar a vida no estrangeiro. Nós temos a possiblidade ainda de reverter um nefasto processo que está em curso e adiantado. Ditaduras não se implantam do dia para a noite. Elas vão nascendo e mostrando as garras aos poucos, silenciosamente. Alimentam-se da nossa frouxidão. Se deixarmos passar esta oportunidade que a providência de Deus nos oferece – as próximas eleições –, poderá ficar tarde demais.

    Façamos tudo o que estiver ao nosso alcance. Servindo-nos dos meios ascéticos, especialmente da recitação contínua do terço, tentemos convencer homem a homem. Deus fará o resto.