Um terremoto pastoral no Sínodo.

A Santa Sé divulgou hoje a “Relatio post disceptationem”, o texto feito pelo relator geral do Sínodo, Cardeal Péter Erdő.

Por John Travis | Tradução: Fratres in Unum.com – Em termos pastorais, o documento publicado hoje pelo Sínodo dos Bispos representa um terremoto, o “grande”, após meses de tremores menores.

relatio post disceptationem lido em voz alta na aula do sínodo, embora defendendo a doutrina fundamental, pede à Igreja que parta dos valores positivos em uniões que ela sempre considerou “irregular”, inclusive a de casais que coabitam, segundas uniões realizadas sem nulidades e mesmo uniões homossexuais.

Sobre os homossexuais, o relatório chegou até a questionar se a Igreja poderia aceitar e valorizar sua orientação sexual sem comprometer a doutrina Católica.

(Ver a atualização abaixo — pedidos de esclarecimento já estão surgindo por parte dos participantes do Sínodo) 

Enquanto defende os ensinamentos tradicionais que rejeitam o divórcio e o casamento gay, o sínodo afirmou que a Igreja moderna deve se focar em “elementos positivos” em tais relacionamentos, e não em suas falhas, e abrir um paciente e misericordioso diálogo com as pessoas envolvidas. O objetivo final, é dito, é usar essas “sementes” de bondade para trazer as pessoas mais plenamente para a Igreja.

O relatório resume o desafio pastoral para a Igreja da seguinte forma:

“É necessário aceitas as pessoas em seu ser concreto, saber como apoiar sua busca, encorajar o desejo por Deus e a vontade de se sentirem plenamente parte da Igreja, também da parte daqueles que experimentaram o fracasso e se encontram nas mais diversas situações. Isso requer que a doutrina da fé, o seu conteúdo básico, deve ser gradualmente melhor conhecido, proposto lado a lado com a misericórdia”.

O documento claramente reflete o desejo do Papa Francisco de adotar uma abordagem pastoral mais misericordiosa sobre o matrimônio e assuntos familiares. O documento está sujeito a revisão pelos bispos nesta semana, e sua versão final será usada como parte da uma reflexão de toda a Igreja a caminho para a segunda sessão do sínodo em outubro de 2015.

O relatório enfatizou que “o princípio da gradualidade” — a idéia que os católicos caminham em direção à plena adesão aos ensinamentos da Igreja em passos, e que a Igreja precisa acompanhá-los com paciência e compreensão. E enfatizou a abertura do Concílio Vaticano II, que levou a Igreja a reconhecer elementos positivos mesmo em “formas imperfeitas” encontradas fora do matrimônio sacramental.

O documento afirmou uma que “nova dimensão da pastoral familiar atual consiste em aceitar a realidade do casamento civil e também da coabitação”. Onde tais uniões demonstram estabilidade, profunda afeição e responsabilidade parental, elas devem ser consideradas um ponto de partida para um diálogo que poderia eventualmente levar ao sacramento do matrimônio”.

Ele citou situações de casais que escolheram viver juntos sem se casar por razões econômicas ou culturais, ou aquelas na África que entram em casamentos tradicionais em “estágios”, e que em resposta a Igreja deve manter suas “portas sempre bem abertas”.

“Em tais uniões, é possível alcançar valores familiares autênticos ou, ao menos, desejá-los. O acompanhamento pastoral deve sempre começar desses aspectos positivos”, diz o documento.

Ao lidar com famílias rompidas, casais que se separaram ou divorciaram, o relatório afirma que a Igreja deve evitar uma abordagem “tudo ou nada” e, ao invés, empenhar-se em um diálogo paciente com tais famílias, em espírito de respeito e amor.

Quanto à questão da Comunhão para Católicos que se divorciaram e se casaram novamente sem uma declaração de nulidade relativa à união anterior, o documento deixou a questão em aberto para posterior estudo e reflexão teológica pela Igreja como um todo, especialmente sobre a ligação entre o sacramento do matrimônio e a Eucaristia. Ele observou que alguns participantes do sínodo são contrários à admissão de Católicos divorciados [“recasados”] aos sacramentos, embora outros vislumbrassem uma possibilidade quanto à Comunhão, talvez após um “caminho penitencial” realizado sob o direcionamento da Igreja.

A respeito dos Católicos divorciados e recasados, afirmou, a Igreja deve evitar uma linguagem discriminatória. Para a Igreja, alcançar os Católicos divorciados não representa um “enfraquecimento de sua fé” ou um enfraquecimento da indissolubilidade do casamento, mas, antes, um exercício de caridade.

O relatório também citou os muitos chamados no Sínodo para um aceleramento e uma dinamização dos procedimentos de nulidade, inclusive a possibilidade de uma decisão “administrativa” de nulidade feita pelos bispos locais, sem a necessidade de um processo em tribunal. O Papa já nomeou uma comissão para estudar tais possibilidade.

No capítulo intitulado “Acolhendo homossexuais”, o relatório claramente rejeito o casamento gay, mas afirmou:

“Os homossexuais têm dons e qualidade a oferecer à comunidade Cristã. Somos capazes de acolher essas pessoas, garantindo-lhes um espaço fraternal em nossas comunidades? Frequentemente, eles desejam encontrar uma Igreja que lhes ofereça um lar acolhedor. Nossas comunidades são capazes de o fornecer, aceitando e valorizando sua orientação sexual, sem comprometer a doutrina Católica sobre a família e o matrimônio?”

“Sem negar os problemas morais relativos às uniões homossexuais, é necessário observar que há casos em que uma ajuda mútua, ao ponto do sacrifício, constitui um precioso apoio na vida dos companheiros”, diz.

Naturalmente, o sínodo moldou sua “abertura” a uniões irregulares no contexto da evangelização — levar as pessoas ao Evangelho — e, em nenhum ponto do texto, há qualquer sugestão de que os ensinamentos básicos da Igreja estão abertos ao debate.

A primeira parte do relatório apresenta, de fato, um diagnóstico severo dos males que afetam a família moderna, citando, em particular, os perigos de um “individualismo exasperado” que parece substituir a coesão familiar. Outras famílias batalham contra problemas econômicos, violência e agitações sociais.

Falando sobre esses problemas e fracassos, o documento afirma que a Igreja precisa iniciar um processo de “conversão”, não meramente anunciando um conjunto de regras, mas transmitindo valores, reconhecendo as oportunidades para evangelizar e também os limites culturais.

Na questão do controle de natalidade, o relatório do sínodo tem pouco de novo a dizer. A abertura à vida é uma parte essencial do amor matrimonial, diz, e é sugerida uma leitura aprofundada da Humanae Vitae, a encíclica de 1968 que condenou a contracepção, bem como promoveu de um planejamento familiar com métodos naturais de regulação de natalidade.

Aqui, como em outros pontos, o texto afirma que a Igreja precisa usar uma “linguagem realista” que começa por ouvir as pessoas e que pode levá-las a reconhecer a “beleza e a verdade de uma abertura incondicional à vida”. Ele acrescenta, no entanto, que a Igreja também precisa “respeitar a dignidade da pessoa na avaliação moral dos métodos de controle de natalidade”.

O relatório diz que, ao cuidar de “famílias feridas”, soou no sínodo a necessidade de “escolhas pastorais corajosas” e novos caminhos pastorais que começam com a situação do casais e famílias sofredoras, reconhecendo que, frequentemente, sua situação é mais suportada do que livremente escolhida.

Ele pediu por uma melhora na preparação matrimonial para os Católicos, afirmando que os cursos devem envolver mais a comunidade como um todo. A Igreja também precisa formular um acompanhamento pastoral para casais nos primeiros anos de vida matrimonial, usando casais experientes como um recurso.

Fez um convite participar às comunidades Católicas locais por todo o mundo para que continuem a discussão do sínodo e ofereceram seu ponto de vida, a fim de que a sessão seguinte do sínodo que ocorrerá em Roma, de 4 a 25 de outubro de 2015.

ATUALIZAÇÃO: O relatório já causou algumas reações. Após a sua apresentação na aula do sínodo, 41 bispos falaram sobre seu conteúdo, e vários pediram esclarecimentos sobre pontos específicos:

— Alguns perguntaram se, no capítulo sobre o homossexualismo, não deveria haver uma referência ao ensinamento de que “algumas uniões são desordenadas”, uma referência à frase que a Igreja utilizou para descrever as relações homossexuais. A informação veio do Cardeal Peter Erdo, autor primeiro do relatório, que falou aos jornalistas na conferência de imprensa do Vaticano.

— Fontes afirmam que outros bispos questionaram a analogia que o relatório fez entre o princípio de encontrar “elementos de santificação e verdade fora” da estrutura visível da Igreja, expresso na Lumen Gentium, do Vaticano II, e a idéia mais ampla de que elementos positivos podem ser encontrados não só no matrimônio sacramental, mas também em uniões irregulares.

— Ao menos um bispo perguntou sobre o que ocorreu com o conceito de pecado. A palavra “pecado” aparece raramente no relatório de 5 mil palavras.

Na conferência de imprensa, o Cardeal Luis Antonio Tagle, das Filipinas, enfatizou que este texto não era a versão final e, sorrindo, disse: “Então, o drama continua”.

Anúncios

80 Comentários to “Um terremoto pastoral no Sínodo.”

  1. É uma catástrofe talvez sem precedentes.

    Infelizmente, a defesa deste pontificado requer doses cada vez mais cavalares de cegueira. Mesmo os mais polainas estão começando a se dar conta de que algo de muito errado está acontecendo não apenas sob a batuta do Papa, mas inclusive por iniciativa dele.

    A Barca de Pedro passa por sua maior tempestade ao menos desde a Reforma Protestante e somente uma intervenção divina para evitar que ela afunde.

    Kyrie Eleison!

  2. Depois de retirarem do DSM a prática homossexual como resultado de distúrbio psíquico e de orientarem os conselhos de psicologia a não mais curarem de homossexualismo, porque tudo seria “natural”, porque, então, insistem em educar até com vídeos e desde o fundamental nas escolas nossos alunos ao aprendizado desta mesma prática do homossexualismo? Se sempre foi “natural”, não precisa de aprendizado! A boa ciência e sã medicina antes do império atual do narcisismo no mundo diziam que a prática do homossexualismo era um desvio e vinha por aprendizado. Até provavam que os animais a praticavam como fruto de algum estresse, ou por redução do território em incompatibilidade com o número de indivíduos, ou por castração como ocorre com os bois, ou por confinamento forçado pelo homem ou por espécies dominantes como os chimpanzés em relação aos bonobos. E não consideravam prática a mera simulação que seria cumprimento social, como ocorre com os golfinhos e com os cães. Se não é aprendizado ou “licença dos costumes” como Se queixou Jesus a Santa Margarida Maria de Alacoque, por que querem ensinar nas escolas? Para se respeitar todas as pessoas, ainda que pecadoras, temos as ordens de Nosso Senhor e precisávamos aprender ou ver o seu pecado para respeitar algum pecador? E, mesmo assim, não devemos continuar com total repulsa pelo pecado? Por todo pecado, não só o dele? De outro lado, sabemos do plano, escrito até em pedra, de reduzir a população mundial dos seus sete bilhões para apenas meio bilhão de habitantes e, se é teoria, porque foi escrito em pedra?

    • vamos deixar a bíblia com os ensinamentos de valor que seguimos até agora? vão modifica-lá?
      bom comentário fez o Alexandre: A Barca de Pedro passa por sua maior tempestade ao menos desde a Reforma Protestante e somente uma intervenção divina para evitar que ela afunde.

    • Leonardo. Disseste o que eu sempre venho dizendo… qdo estudava na universidade e aprendia distúrbios psiquiátricos, a orientação dada aos profissionais era outra. Para mim, ainda hoje, é a mesma coisa. Mas, por estar em total desacordo com todas as posições do CFP, preferi me descadastrar e não querer mais atuar na área. Prefiro seguir o bom-senso, as leis de Deus.. estas que, atualmente, estão se adaptando aos erros do mundo… e deveria ser ao contrário… o mundo, como SEMPRE, deve procurar seguir as leis de Deus. Por que será que as pessoas estão cegas? E surdas? Basta ler a Bíblia… ali tem todas as respostas. Maranata!

  3. Agora eu entendo porque a ordem dos Jesuítas foi expulsa da Igreja Católica por séculos. Infelizmente, foi um erro crasso a escolha de Bergoglio, que parece querer uma “nova igreja, que de Católica terá muito pouco.

  4. Infelizmente, até agora a minha expectativa está se confirmando: um documento ambíguo, conservadores fazendo questionamentos pontuais e modernistas tergiversando para justificar as “bombas-relógio”.

    Rezemos ainda mais pelo Clero!

  5. Um não decidido ao nazismo! Não pode haver conciliação entre ele e a Igreja!Teremos, isto sim, que acolher fraternalmente os nazistas que queiram, ou possam vir a querer, uma aproximação com Deus, mesmo que ainda não o saibam, pois quem somos nós para julgar?É preciso, com honestidade e caridade cristã, reconhecer que Adolf Hitler existiu concretamente, foi e é uma pessoa, criatura de deus, portanto um bem em si, e enfatizar isto, como via de aproximação e inclusão, para aqueles que, por razões históricas, familiares e outras, só conseguem ver o bem no modo concreto como ele se manifestou, nazisticamente, na história concreta, realmente existente.Isto pode exigir, com todas as cautelas que a fé inabalável nas Verdades Eternas exige, que se aceite, em lugares e momentos concretos, colocar a suástica sobre o Altar( pois a suástica em si é um bem, e de manifestação histórica milenar, em várias culturas), incluir nas leituras litúrgicas textos que reproduzam frases do ” Mein Kampf” de Adolf Hitler que formulem, de modo explícito ou implícito, compaixão para com os pobres e os que sofrem, e intenções, mesmo equivocadas, de busca de um mundo melhor.A cultura nazista tem que ser olhada também pelo prisma dos valores positivos que ressalta, como aquele do trabalho e dos valores sociais, assim como da fruição dos fatores depositados, pela vontade divina, na carga genética, gerando as diferenças raciais, que devem ser todas acolhidas em suas manifestações da diversidade, produzindo no histórico concreto variações raciais que expressam, de modo diferente, complementar e harmônico, valores, todos eles legítimos, de maior capacidade para o mando e regência social, em algumas delas, para a obediência e submissão, em outras delas, vocacionadas para uma particular expressão da submissão á vontade soberana de Deus, destinadas outras a ressaltar o especial valor das expressões fortes de energia, reclassificando, inclusive na escolha de novos termos, aquelas expressões antes utilizadas para a exclusão, e designadas, pejorativamente, de violência, intolerância e desumanidade, para que se evitem, por exemplo, intolerâncias que possam dificultar experiências com seres humanos em condição de inferioridade, experiências estas que, mesmo eventualmente dolorosas, contribuirão indiscutivelmente para o progresso do estudo dos limites da natureza humana tal como Deus a quis,permitindo que se expresse, no mais alto grau possível,a semelhança entre o homem e Deus, permitindo, no quanto possível, o atingimento do Super Homem antevisto profeticamente por Nietzsche, Goebbels, Himmel , Adolf Hitler e outras expressões da multiforme Misericórdia de Deus.
    Este esboço de texto inclusivo, favorável a uma compreensão mais ampla entre os homens, destinado à Paz e à superação de conflitos menores que perturbam a Paz das nossas cidades e de nossos cemitérios, está aberto a sugestões de todo aquele que se sinta vocacionado à marcha inexorável para o bem e a unidade monolítica querida Por Jesus, o Cristo único e Salvador, assim como seus Apóstolos e profetas, mesmo que suscitados, pelos misteriosos desígnios de sua Vontade, fora dos quadros formais da Igreja Católica Apostólica Romana, como Judas Iscariotes, Benito Mussolini, Stalin, Trotski, Gramsci, Dr. Mengele, Gengis Khan, Nero, Luiz Inácio Lula da Silva, Delúbio Soares, José Dirceu, Bush, Obama,Maquiavel, Conde Vlad o Empalador, Golda Meir, Netanyahu, Rasputin , Mussum, Tiririca , Paulo Maluf, Dilma, e tantos outros filhos de Deus e remidos pelo seu Precioso Sangue. Oremos piedosamente por este mundo de Paz, Inclusão e Aceitação, repitamos com contrição nossos Mantras e Encantamentos, para que uma Nova Era de Luz Cósmica se instaure sobre a face da terra. Que Isis nos cubra com o seu manto, a partir dos esforços heroicos daqueles servidores de Ala que tanto lutam, em terras do Iraque, da Síria e da Turquia, hoje ainda em mãos dos infiéis, expurgando o Mal e possibilitando a existência formal, na multifacética expressão da vontade popular, digo, Divina, do Califado Islâmico, uma das formas de dizer “Reino de Deus”. Axé!

    • Ironicamente bem escrito!

    • Muito bom ! Sua ironia fina demonstra o relativismo bergoliano que vai destruir a Igreja como a concebíamos antes dessa fatídica escolha do presente Papa. Que Deus nos ajude ! E que Bergolio se arrependa !

  6. É inacreditável.

    Quando diziam que o Vaticano II não tinha sido aplicado em sua totalidade, era isso que queriam dizer?

  7. Se formos partir desse prisma Temos que pastorear também o coitadinho do capeta tão descriminado, temos que ver o que ele tem ou tinha de bom, por exemplo é era um anjo de luz, isso era bom!!!!!! Eu acho que vou para o meio da selva onde eu não preciso ler tanta asneira!

  8. Esta situação só confirma as palavras de Rogelio Livieres ” dentro da Igreja e de suas esferas mais altas “sopram ventos novos que não pertencem ao Espírito Santo”.”* Não foi por acaso que foi afastado, foi apenas porque fazia frente a esta corja de maçons e comunistas que poluem a igreja de Cristo neste momento grave da sua história. Na verdade, ventos que não vêm do Espírito Santo só podem vir de Satanás e das mentes pérfidas, de gente sem fé, que estão mais preocupados com as suas pessoas e ambições pessoais do que fazer a vontade de Deus.
    *http://noticias.portalbraganca.com.br/internacional/internacional-bispo-paraguaio-afastado-pelo-papa-francisco-diz-que-dentro-da-igreja-e-de-suas-esferas-mais-altas-sopram-ventos-novos-que-nao-pertencem-ao-espirito-santo.php

  9. Este relatório segue a matriz dos documentos do Vaticano II. Isto é, de uma lado afirma a doutrina da Igreja, mas, ao mesmo tempo, no outro lado deixa uma abertura para pastoralmente permitir o contrário da doutrina. Em nome da Pastoral a Teologia é subjugada. Quer dizer, a verdade para a ser a circunstância do momento e do tempo. É a apostasia de que falou Monsenhor Lefebvre.

  10. Que tristeza…
    Será que os bispos não conhecem a Palavra de Deus? A clareza de São Paulo sobre esses temas não deixa dúvida de interpretação: “os que cometem tais atos não herdarão o Reino dos Céus”!
    Cristo nos advertiu a que nossa palavra fosse sim, sim; não, não. E o que fosse além disso proviria do Maligno.
    Ora, a Igreja sempre foi perseguida justamente por se opor a tais atos, mas isso não impedia de levar nações inteiras à verdadeira Fé. E confiantes na graça de Deus, os homens se convertiam.
    Hoje o clero não busca a conversão dos povos. Com isso, a Igreja falha em sua missão.

  11. “Na conferência de imprensa, o Cardeal Luis Antonio Tagle, das Filipinas, enfatizou que este texto não era a versão final e, sorrindo, disse: “Então, o drama continua”.”

    Drama ou terror?

    E tu sorris, cardeal?

  12. E alguém tem alguma dúvida de que foram os sodomitas de batina que forçaram a renúncia de Bento XVI e agora ditam as normas dentro da Igreja?
    Esses apóstatas podem perverter a doutrina o máximo que quiserem, mas não conseguirão trazer ninguém pra uma igreja que perdeu toda noção de respeito e ainda afastarão os poucos que ainda restam fiéis.
    Tempos duros de perseguição estão próximos para os que ousarem resistir contra a enxurrada de lama que desce de Roma. Quando pois virdes a abominação da desolação de que falou o profeta Daniel estar no lugar santo, quem lê entenda. Fujam!!
    Esse Sínodo foi uma farsa, um jogo de cartas marcadas. Pra assegurar que a homoheresia seja aprovada, diante da resistência de alguns gatos pingados, Bergoglio enfiou mais 6 do partido da demolição pra assegurar que o que ele quer seja aprovado:

    http://www.lastampa.it/2014/10/13/blogs/san-pietro-e-dintorni/sinodo-quanto-libero-zdibS9pLuDOU7X9Kui4RWJ/pagina.html

    Roma se tornou sim a sede do Anticristo como foi predito em La Salette.

  13. O documento é completamente herético e absurdo. Fala em “aceitar a valorizar a orientação sexual” dos homossexuais “sem comprometer a doutrina católica” (?!!). Que triste capítulo da história da Igreja Católica…

  14. Alguém pode explicar-me o que é cisma e heresia ??????

  15. Estamos em pleno desabrochar dos eufemismos e de adocicamento de muitos termos, passando por verdadeiras conversões, tais como: pecado, por ex., teria se transmutado para “desvio comportamental”, não mais sujeito a rigorosas penalidades, afinal, todos erramos e somos muito fracos, portanto merecedores de complacência.
    Criticar a homossexualidade, por ex., é injusto, é algo “normal”, apesar de os animais irracionais nunca o praticarem, ou se preferir, nunca o “politicamente correto” foi tão entronizado como a nova bíblia, portanto, seus mandamentos devem ser integralmente cumpridos, sendo fácil entendê-los bastando sinalizar ao inverso dos Mandamentos da Leis de Deus.
    Tem me parecido que as bases – sólidas, ao menos enquanto durem – da DITADURA DO RELATIVISMO e grande parte de construção do edifício estão em fase adiantada, nos acabamentos finais, e os operarios altamente qualificados da equipe da régua e compasso à mão estão em frenética atividade!

    • “Os animais irracionais nunca o praticaram”? Falta um pouco de informação científica pra você, meu caro Paulo. Quase todas as espécies tem casos de homossexualismo relatados.

  16. É chocante! Revoltante! É muito triste! Os valores eternos da Santa Igreja estão desmoronando. Cadê o pecado? O Inferno ficou vazio, sem sentido? Que marmota de misericórdia é esta? Encontrar valores positivos em práticas homossexuais? Aceitar amasiamentos, pois nestes também encontram-se bons valores? Engraçado que a gente fica escandalizado, mas o papa Francisco proclamou dos telhados meses atrás: EU VOU MUDAR A IGREJA! Francisco já tinha dito que o Vaticano II tinha sido posto em prática somente pela metade e que ELE IRIA dar continuidade a outra metade.
    E Deus já muito antes disse: Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo!(Isa 5,20)

  17. Isso é liberalismo e a maçonaria dentro da igreja. Dom Lefebvre estava certo. Estranho. Que seja o verdadeiro Deus a conduzir a Igreja nestes tempos.

  18. Calma, gente. Este é apenas um instrumento de trabalho, que reflete o que bispos disseram na aula sinodal na primeira semana. Agora, na segunda semana, tudo isto será novamente analisado e aprofundado nos pequenos grupos. Ano que vem haverá a sessão ordinária do Sínodo, que analisará todas as questões novamente. Deverão ocorrer votações, mas no fim todo o material irá ao Papa, para um eventual documento (Exortação Apostólica?). Acreditamos ou não que o Papa é infalível em questões de fé e moral? O perigo deste instrumento de trabalho é que vai aparecer na mídia já como um documento oficial da Igreja. Enfim, a Igreja – e o próprio documento de trabalho o reconhece – não muda a sua doutrina. Pode haver uma certa mudança apenas na pastoral… Ora, tanta coisa que a Igreja diz, não é seguida na prática pelos bispos e padres na sua vida pastoral. Se houver uma excessiva abertura de um documento (não infalível) do magistério, tal abertura poderá não ser seguida pelos bons bispos e padres.
    Enfim, façamos as três coisas fundamentais no momento presente: rezar, rezar, rezar. Pelo Papa, pelo Sínodo, pelos Bispos… e também por nós, a fim de que o Espírito Santo ajude a todos.

  19. A depender dos progressistas, em 2015 eles “não irão
    mudar a doutrina”, mas inserir uma prática “pastoral” nova que,
    como “medida extraordinária”, permitirá que
    “alguns” recasados comunguem (preenchidos certos requisitos)
    e que alguns “companheiros” homossexuais sejam
    “inseridos na comunidade”
    (o que significa dizer que eles “fariam leituras” nas Missas,
    participariam de “pastorais e movimentos” etc).

    Como toda exceção vira regra com o CVII** (vide o vernáculo e os MECs
    na Missa, a comunhão na mão, as músicas profanas…) assim também
    será com relação a essas novas práticas lupinas (a que chamam pastorais).
    **Para não dizer que toda regra vira exceção com o CVII,
    e que tudo que é extraordinário se torna ordinário,
    podemos dizer que isso não valeu apenas para a Missa Tridentina
    (Por que será…)

    Assim, depois que (mais) essa abominação estivesse consolidada,
    e que todo recasado estiver comungando e que toda sorte
    de desordem estiver instaurada nas comunidades
    (se o mundo já não tiver entrado em colapso)
    eles procurariam “elementos de bondade” também em relações
    pedófilas, em relações bestiais
    (homens com macacos, éguas, qualquer coisa)
    e, obviamente, em relações poligâmicas
    (afinal, se os mulçumanos, que tb têm “elementos da bondade”,
    podem, porque os católicos não poderiam?)

    Enfim, a brecha aberta pelo CVII serve para validar qualquer coisa, ainda
    que contrária à Sagradas Escrituras, à Tradição
    e ao Magistério de 05 anos atrás
    (a “meia-vida” do “magistério vivo” dos progressistas é bem curta…).
    Isso sempre com aquele mesmo discursinho fraco e previsível,
    mas que acaba sendo colocado “goela abaixo” pelos progressistas
    e com gritos de “urra” dos mass media.

  20. O texto é ambíguo. Claramente foi feito de uma maneira a depender da livre interpretação de qualquer padre. Não adianta virem com malabarismos, pois o que ele diz é contrário do que São Papa João Paulo II defendia num tema tão caro a este último, que era a defesa da família. O que mais mudarão na doutrina?
    O que o Papa Emérito pensaria desse descalabro?

  21. Sera que é este sinodo que anteciparia o sinal do aviso da aparição de garabandal

  22. ““Os homossexuais têm dons e qualidade a oferecer à comunidade Cristã”

    Se os protestantes tiraram algumas partes da Bíblia porque não convinham com a sua heresia, creio que que os nosso clero está defenestrando a por completo.

  23. Quem conhece as aparições de Nossa Senhora do Bom Sucesso não se espanta com isso, foi tudo predito, só to aguardando a hora de Maria Ssma. chegar e da vingança do Pai se manifestar diante dessa grande apostasia.

  24. Já tinha lido a profecia de São Francisco de Assis e acho que parece muito com o que fizeram aos Franciscanos da Imaculada.
    São Paulo já nos alertou em sua carta aos Gálatas 1:8:
    “Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.”
    E já nos avisava o Santo Padre São Pio X:
    “Estão pois muito equivocados aqueles que crêem e esperam para a Igreja um estado permanente de perfeita paz, de prosperidade universal, e um reconhecimento prático e unânime de seu poder, sem contradição alguma; mas o erro pior e mais grave é o daqueles que se enganam pensando que eles conseguirão essa paz efêmera dissimulando os direitos e interesses da Igreja, sacrificando-os aos interesses privados, diminuindo-os injustamente, agradando o mundo ‘onde domina inteiramente o demônio ‘, sob o pretexto de simpatizar com os fautores da novidade e atraí-los para a Igreja, como se fosse possível a harmonia entre a luz e as trevas, entre Cristo e o Demônio. São estes, sonhos de enfermos, alucinações que sempre ocorreram e ocorrerão enquanto houver soldados covardes, que deponham suas armas na simples presença do inimigo, ou traidores, que pretendam a todo custo fazer as pazes com os adversários, ou seja, com o inimigo irreconciliável de Deus e dos homens”. (São Pio X, Encíclica Rerum Communium).

    Iesus, Dominum Nostro, miserere nobis.
    Mater Dei orai pro nobis.
    Viva Cristo Rei !!!

  25. O texto é ambíguo. Claramente foi feito de uma maneira a depender da livre interpretação de qualquer padre. Não adianta virem com malabarismos, pois o que ele diz é contrário do que São Papa João Paulo II defendia num tema tão caro a este último, que era a defesa da família. O que mais mudarão na doutrina?
    O que o Papa Emérito pensaria desse descalabro? (2)

  26. Prezada Gercione,
    (Prezados Fratres),

    Assim como você, procuro ser um bom católico. Amo a Tradição estou perplexo com tudo que está acontecendo especialmente de modo acelerado nos últimos meses.

    Foi um completo choque para mim, assim que Franciso foi eleito Papa, ver a imagem do então Cardeal Bergoglio ajoelhado perante um pastor protestante recebendo uma “imposição de mãos”.

    Faço aqui uma pergunta baseada em seu comentário (13/10/2014, 1:14pm). Você entende que Bergoglio é (pelo menos um sério candidato a) o Anticristo?

    Agradeço desde já por sua resposta. Peço perdão a Deus se estiver sendo imprudente.

    Salve Maria.

    PS: Se algum dos eruditos e piedosos fratres puder responder, ficarem também grato.

    • Não acredito nisto, mas ele está parecendo o Falso Profeta abrindo caminho para o Anticristo.
      Esta imagem que você viu pode servir como exemplo do que ele anda fazendo relativizando o catolicismo, tentando uma espécie de “unificação” das religiões.

  27. Fratres,

    Salve Maria!

    É no mínimo curioso que precisamente hoje estejamos no 97º aniversário do Milagre do Sol, ocorrido, portanto, em 13 de outubro de 1917 em Fátima Portugal, após fortes tempestades.

    Dentre outros, o sol simboliza a Igreja que, caindo em direção a Terra, prefigura a Igreja de Cristo traindo sua Fé e abraçando o Humanismo – leia-se: Concílio Vaticano II. (“A apostasia atingirá o cume da Igreja”).

    O Papa Paulo VI, que encerrou o Concílio, declarou na ONU que aquele instituição maçônica era o caminho OBRIGATÓRIO para a Civilização. (Pensava eu ingenuamente que o caminho obrigatório era Jesus Cristo).

    No 97º aniversário do Milagre do Sol, estamos presenciando o Sol da Igreja caindo em direção ao Humanismo.

    Bento XVI (que conhece a íntegra do 3º Segredo) em maio de 2010, em viagem a Fátima, disse no avião: “possam os sete anos que nos separam do centenário das aparições nos aproximar do tão esperado triunfo do Imaculado Coração de Maria” (cito de memória).

    Concluo pedindo a Deus que, possam esses três anos que nos separam do centenário das aparições, conter a (milagrosa) volta do sol da Igreja ao cume. Após essas severas tempestades.

    Salve Maria.

  28. Por que toda vez que leio ou ouço a palavra “pastoral”, me sinto mal?

  29. Aceitar e Valorizar? É isso mesmo? ACEITAR E VALORIZAR O PECADO? Não há mais argumento possível quando o outro lado perdeu a razão.

  30. Assim como Nosso Senhor morreu e depois ressuscitou, assim a Santa Igreja passará por isso também.
    O Corpo Místico de Cristo descerá ao túmulo e se levantará glorioso para reinar entre os homens de boa vontade. O que precisamos fazer é resistir interiormente e rezar, rezar muito, pois virão as perseguições como muitos já tenham dito aqui através também das profecias e aparições de Nossa Senhora no orbe terrestre.
    Oh Virgem Santíssima cobri-nos com Vosso Manto Sagrado.

    “Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
    Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais.
    Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes.
    Estai, pois, firmes, tendo cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça;
    E calçados os pés na preparação do evangelho da paz;
    Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno.
    Tomai também o capacete da salvação, e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus;

    Efésios 6:11-17

  31. Nada melhor que uma relida da Pacendi para sabermos com quem estamo lidando.

    Aludimos, Veneráveis Irmãos, a muitos membros do laicato católico e também, coisa ainda mais para lastimar, a não poucos do clero que, fingindo amor à Igreja e sem nenhum sólido conhecimento de filosofia e teologia, mas, embebidos antes das teorias envenenadas dos inimigos da Igreja, blasonam, postergando todo o comedimento, de reformadores da mesma Igreja; e cerrando ousadamente fileiras se atiram sobre tudo o que há de mais santo na obra de Cristo, sem pouparem sequer a mesma pessoa do divino Redentor que, com audácia sacrílega, rebaixam à craveira de um puro e simples homem.

    Pasmem, embora homens de tal casta, que Nós os ponhamos no número dos inimigos da Igreja; não poderá porém, pasmar com razão quem quer que, postas de lado as intenções de que só Deus é juiz, se aplique a examinar as doutrinas e o modo de falar e de agir de que lançam eles mão. Não se afastará, portanto, da verdade quem os tiver como os mais perigosos inimigos da Igreja. Estes, em verdade, como dissemos, não já fora, mas dentro da Igreja, tramam seus perniciosos conselhos; e por isto, é por assim dizer nas próprias veias e entranhas dela que se acha o perigo, tanto mais ruinoso quanto mais intimamente eles a conhecem. Além de que, não sobre as ramagens e os brotos, mas sobre as mesmas raízes que são a Fé e suas fibras mais vitais, é que meneiam eles o machado.

    Batida pois esta raiz da imortalidade, continuam a derramar o vírus por toda a árvore, de sorte que coisa alguma poupam da verdade católica, nenhuma verdade há que não intentem contaminar. E ainda vão mais longe; pois pondo em obra o sem número de seus maléficos ardis, não há quem os vença em manhas e astúcias: porquanto, fazem promiscuamente o papel ora de racionalistas, ora de católicos, e isto com tal dissimulação que arrastam sem dificuldade ao erro qualquer incauto; e sendo ousados como os que mais o são, não há conseqüências de que se amedrontem e que não aceitem com obstinação e sem escrúpulos. Acrescente-se-lhes ainda, coisa aptíssima para enganar o ânimo alheio, uma operosidade incansável, uma assídua e vigorosa aplicação a todo o ramo de estudos e, o mais das vezes, a fama de uma vida austera. Finalmente, e é isto o que faz desvanecer toda esperança de cura, pelas suas mesmas doutrinas são formadas numa escola de desprezo a toda autoridade e a todo freio; e, confiados em uma consciência falsa, persuadem-se de que é amor de verdade o que não passa de soberba e obstinação. Na verdade, por algum tempo esperamos reconduzi-los a melhores sentimentos e, para este fim, a princípio os tratamos com brandura, em seguida com severidade e, finalmente, bem a contragosto, servimo-nos de penas públicas.

    Mas vós bem sabeis, Veneráveis Irmãos, como tudo foi debalde; pareceram por momento curvar a fronte, para depois reerguê-la com maior altivez. Poderíamos talvez ainda deixar isto desapercebido se tratasse somente deles; trata-se porém das garantias do nome católico.

    Há, pois, mister quebrar o silêncio, que ora seria culpável, para tornar bem conhecidas à Igreja esses homens tão mal disfarçados.

    E visto que os modernistas (tal é o nome com que vulgarmente e com razão são chamados) com astuciosíssimo engano costumam apresentar suas doutrinas não coordenadas e juntas como um todo, mas dispersas e como separadas umas das outras, afim de serem tidos por duvidosos e incertos, ao passo que de fato estão firmes e constantes, convém, Veneráveis Irmãos, primeiro exibirmos aqui as mesmas doutrinas em um só quadro, e mostrar-lhes o nexo com que formam entre si um só corpo, para depois indagarmos as causas dos erros e prescrevermos os remédios para debelar-lhes os efeitos perniciosos.

    http://www.vatican.va/holy_father/pius_x/encyclicals/documents/hf_p-x_enc_19070908_pascendi-dominici-gregis_po.html

  32. Ora gente, o demônio também tem qualidades para oferecer à comunidade cristã! A esperteza, a sagacidade, a sutileza, sem dúvida são coisas muito boas! Apesar dele, por sua conduta, ser incompatível com a Perfeição e a Pureza do Criador, não é por isso que a Igreja deve discriminá-lo, pobre coitadinho!

  33. Lamartine,

    Não seja injusto. Na sua lista faltaram FHC, SERRA E AÉCIO. Quanto ao MALUF vcs idolatravam em Sampa.

  34. É a Igreja do jeito que Francisco quer: pegar as ovelhas desgarradas, não para transmitir a elas o perfume da doutrina de Cristo, e sim para captar o fedor delas e transmiti-lo para as ovelhas do redil. Será que ele é ingênuo a ponto de achar que essa postura dele irá converter algum casal gay? E pelo contrário, quantos que praticam os mandamentos se afastarão de Deus por conta desse relativismo moral? Eu gostava desse papa, mas a cada dia que passa vejo que ele é apenas alguém profundamente preocupado em agradar ao mundo. Com isso, atrai para si a simpatia daqueles a quem defende, mas somente para si, e não para a Igreja como um todo. O que me consola é que ‘Céus e terra passarão, mas as minhas palavras jamais”. Um dia, apesar dos estragos, esse pontificado também passará.

  35. “Roma perderá a Fé, e tornar-se-á sede do AntiCristo” (Nossa Senhora de La Salette)
    “Por fim, Meu Imaculado Coração triunfará” (Nossa Senhora de Fátima).

  36. Quero dar os “parabéns” à igreja de Bergoglio que, cansada de ouvir as verdades inspiradas e divinamente reveladas pelo Espírito Santo, resolveu passar a aprender com o espírito deste mundo, quer dizer, com satanás, príncipe do mundo.
    É inadmissível que a Igreja queira ouvir o que o mundo diz quando, claramente, entre a Igreja e o mundo há uma inimizadade desde o princípio.
    Farto de tudo isto!

  37. E a história da “gradualidade”? Gradualmente aceitaremos tudo, é isso mesmo que eu entendi? Lembrei-me do itinerário do mal: primeiro causa horror, depois se acostuma, depois se abraça… É o que eles querem: que o pobre povo que ainda guarda alguma fé, hoje horrorizado com a postura dos bispos, amanhã se acostume, e depois abrace o pecado! O inimigo é mesmo muito astuto…

  38. Parece que a sólida reflexão de João Paulo II sobre a família foi para o espaço…

  39. Não há desculpas. Para mim o que torna tudo mais evidente é esse trecho:

    “Nossas comunidades são capazes de o fornecer, aceitando e valorizando sua orientação sexual, sem comprometer a doutrina Católica sobre a família e o matrimônio?”

    Um permissivo bem-intencionado (como essas autoridades progressistas querem fazer parecer que são) falaria em valorizar a pessoa apesar da orientação. No entanto esse texto fala em “valorizar a orientação sexual”. Como se valoriza a prática que se condena? Isso aí é uma abertura para futuramente negar que tal ato é pecaminoso.

  40. varias aparições da santa virgem alertaram para o que se está a passar. Seremos nós capazes de reagir? temos que discutir vaticano II, e têm que ser os leigos a fazê-lo.
    Este documento ( o dito relatório), é uma desgraça.

  41. Sempre fui, na minha vasta ignorância, adepto da tese que a renúncia de um Sumo Pontífice é nula; o governo deste jesuíta só reforça minha opinião. Bergoglio não é Papa, Ratzinger, ou melhor, Bento XVI é. Pelas palavras de Bento XVI em Fátima, conclui-se que ele tem Fé na mensagem de Nossa Senhora de Fátima e sabe que logo ela irá de cumprir; a invasão da Criméia pela Rússia é o primeiro sinal de que coisas ruins irão acontecer, entre elas, o assassinato do Papa. Bento XVI deve ter renunciado por isso, não sei se por medo, ou talvez para retornar à Cátedra de Pedro, porque sabe que o Colégio Cardinalício está podre. Ele não renunciou por questões de saúde; João Paulo II, estava muito pior e foi até o fim. Não é preciso dizer que Bento XVI sabe o conteúdo total da Mensagem de Fátima, revelada fraudulentamente, somente em parte, por pressão da banda podre-maçônica das antigas Serpentes (Villot, Casaroli e Sodano) a ocuparem a Secretaria de Estado da Santa Sé, a mais poderosa da Cúria (um órgão político acima até mesmo do “Santo Ofício”). 2017 está aí, e as “contas serão acertadas”. Rezemos para abrandar a punição que nos reserva.

  42. Uma coisa é a mudança de uma atitude pastoral, outra totalmente diferente é alargar a porta, ou mesmo aboli-la. Se a Igreja não precisa de uma porta, por que não transformá-la logo numa tenda rave onde todos possam entrar e sair por todos os lados da maneira que bem entenderem? Se não há mais porta na Igreja por que diabos Jesus deu a Pedro um molho de chaves?

  43. Mas que coisa. É uma tempestade! É sim. Mas NSJC garantiu que o barco não afunda. Não se apavorem com as tempestades pois Ele está no comando. Esse sinodo nada representará daqui a uns anos, pensem 20, 30 anos 70 ou 80 anos na frente.
    E mais, sobrevivemos aos Bórgias, portanto a tempestade de Bergoglio nem é tão tempestuosa. Daqui a 150 anos provavelmente Francisco será apenas um papa fraco que veio depois de dois Monstros São João Paulo II e Bento XVI é um declínio quase natural.
    Logo vem Jesus acalmando as águas e dizendo pra vc que se desesperou e caiu da barca e está quase se afogando, levanta e vem comigo.
    Eu e você é que não podemos perder nossa fé.
    Tá achando isso ruim? ( eu tb) Mas NSJC suportou coisa muito pior.

  44. Eu gostaria de perguntar ao Papa Francisco como é que nós devemos interpretar a parte do Catecismo da Igreja Católica (CVII) que diz que a pratica Homossexual é uma depravação grave, ja que eles estão propondo um olhar positivo para as relações homoeróticas, eu gostaria de saber qual o lado positivo daquilo que a Igreja chama de Sodomia? Existe um lado positivo no pecado? Lúcifer estava certo com a sua teoria do bem e do mal? É mais ou menos isso ou eu estou enganado?

  45. Sinal do Tempos. Final dos Tempos. O mundo caminha para uma “Nova” Sodoma e Gomorra”. E já sabemos o Epílogo da historia da Salvação.

  46. Nós não podemos escandalizar com os procedimentos desta Roma pagã. Disse Nossa Senhora de Salete. “Roma será a sede do anti-cristo”. Ou seja: A Cidade Eterna, será tomada pelos inimigos de Nosso Senhor. Como o Divino Mestre esteve no Calvário. Um dia; não sabemos quando, Deus nos enviará um Papa que irá restaurar a ordem e a moral de sempre. O Papa atual, já se declina para os últimos anos de vida. O que ele responderá diante do tribunal de Deus, na hora da morte?
    Joelson Ribeiro Ramos.

  47. Acabam de noticiar na mídia mundana (Jornal Nacional) que “a Igreja católica está mudando sua posição com relação aos homossexuais, a maior mudança do tipo depois de séculos”…

    Creio que é chegada a hora do cumprimento de diversas profecias…

    Senhor, tende piedade!!

  48. Eu queria entender uma coisa: vcs estão colocando nesse meio das críticas os homossexuais que vivem a castidade e temem a Deus? Não é deles que o documento se refere? Entendi tudo errado? O documento está falando daqueles que vivem em pecado?

  49. O catecismo – mesmo o novo – é explícito em dizer que segundas uniões e uniões gays são intrinsecamente desordenadas. Agora o sínodo pretende que vejamos elementos positivos onde só há pecado mortal. Como? Mesmo assim, neuroticamente, insiste em que devamos nos abrir a aceitação e valorização da orientação gay sem por de lado a doutrina da Igreja? Como aceitar isso sem por de lado em algum grau? A lógica do Sínodo é a mesma do CV II: afirmar e negar ao mesmo tempo para enganar os católicos que passar a achar que tudo continua igual e que não houve mudança, agradar ao mundo com a nova linguagem aberta e imprecisa, e enfim misturar a verdade e o erro. A apostasia segue seu curso.

  50. Terrível!

  51. Elementos positivos em uniões homossexuais? Um pecado que brada aos céus, Senhor misericórdia, eu não li isto.

  52. Não gosto dos termos “modernismo” e “progressismo” para descrever exatamente o que acontece na Igreja.
    Ora, sou católico, tradicional, conservador, mas também sou ‘progressista’, ou seja, aprovo o progresso, aquilo que avança, melhora, desenvolve a vida das pessoas. E o uso do termo “moderno” também não significa ‘exclusivamente’ que se refere a algo que seja ruim a priori. Não, têm coisas novas, recentes, que são benéficas ou podem vir a ser benéficas.

    O conservador quer conservar os princípios, os valores, as coisas, já experimentados na história de milênios da humanidade ou de uma cultura, que se mostraram corretos, justos, bns Mas, deve querer mudar, desenvolver, aquelas coisas opostas e que possam ser modificadas e estejam conforme com às leis divinas. Assim que vejo e me identifico.

    Acho que não devemos permitir que os termos “progresso” ou “modernidade” sejam sequestrados pelos esquerdistas ou pelos ideários da esquerda.
    Por isso prefiro me referir aos esquerdistas e aos esquerdistas da Igreja como liberais, heterodoxos, maçons, mesmo o próprio termo esquerdista ou mesmo apóstatas.

    Entendo o uso dessas palavras por terem se tornado corriqueiras e comuns no uso, mas “progresso” e “modernidade” não são monopólios das pessoas “descoladas”, aquelas chamadas “progressistas e modernistas”.

    Prezados, um livro bom sobre o que se passou ou está se passando na Igreja é o livro de Dom Marcel Lefebvre:
    “Do Liberalismo à Apostasia” da editora Permanência.

    Também uma entrevista muito esclarecedora de João Pereira Coutinho sobre conservadorismo: https://www.youtube.com/watch?v=5kYxqQ3GMhs

  53. “Sem negar os problemas morais relativos às uniões homossexuais, é necessário observar que há casos em que uma ajuda mútua, ao ponto do sacrifício, constitui um precioso apoio na vida dos companheiros”…

    Não foi à toa que um dos peritos de vanguarda do Vaticano II disse que seria bom haver nos textos do Concílio frases ambíguas, que depois os pósteros tirariam as conseqüências das mesmas. Há verdadeiras bombas relógios, prontas a serem detonadas nos textos conciliares, como afirmou D. Fallay na entrevista que deu após sua visita ao ex Santo Oficio, detonado por Paulo VI e companhia.

    Francisco e sua trupe vão ter que rasgar o CIC que fala das relações homossexuais como “intrinsecamente desordenadas”…

    O que esse papa está fazendo é horroroso, é escandaloso… Ele é um digno representante dos trocentos espíritos de cão do Concílio que levaram a Igreja a emboscada em que ela se encontra hoje. Ele está fazendo E X A T A M E N T E o contrário dos seus dois antecessores imediatos. O então teólogo Ratzinger falou em uma entrevista a respeito da Gaudium et spes :

    “Quando se procura fazer um diagnóstico global do texto, pode-se afirmar que ele constitui (em conjunto com os textos sobre a liberdade religiosa e sobre as religiões do mundo) uma revisão do Sílabo de Pio IX, uma espécie de antissílabo… na medida em que representa uma tentativa de reconciliação oficial da Igreja com o mundo, tal como ele evoluiu a partir de 1789”.

    Não foi a toa que o agora “Papa emérito” (expressão mais estranha…) Bento XVI quis, tentou frear, ou melhor, mostrar a catástrofe que são os “espíritos” do Concílio, mas… foi sabotado por sua própria Cúria.Com certeza, quando Bento XVI se lembra dos inícios do Concílio, em que ele também defendia as teses de Rahner, de Kung, de Congar, etc… deve sentir um enorme remorso…

    “Aceitar a orientação homossexual”????? Quer dizer então que é tudo uma questão de orientação… Meu Deus… Pensar que uma frase dessas foi dita por um cardeal, na presença de um Papa e de mais outros Bispos no encerramento de um Sínodo sobre a família, é para chorar e pedir sim, com toda força de nossas orações, que esse papado seja BREEEEEEEVE… Não precisamos desejar a morte de Francisco, isso nunca, mas que ele se torne Papa emérito, afinal, papado emérito pode ser também mais um dos espíritos do Concílio…

    Nossa segurança está em que “AS PORTAS DO INFERNO NÃO PREVALECERÃO”…

    Na pastoral da Igreja de Francisco vale tudo, amancebamento gay, adultério, fornicação, todos devem ser acolhidos, valorizados e incentivados na sua “escolha”…

    Se já temos um número alto de feminários, especialmente entre os religiosos, imaginem agora depois desse Sínodo… Se já temos muitos padres e Bispos que além de dar incentivam os divorciados “recasados” a comungarem, imaginem agora..

    “Enfim, a brecha aberta pelo CVII serve para validar qualquer coisa, ainda que contrárias às Sagradas Escrituras, à Tradição e ao Magistério de 05 anos atrás”…

    Mãe Aparecida, rogai pela Igreja!

  54. Escrevi um comentário longuíssimo e resolvi apagá-lo para evitar escândalo.
    Nosso Senhor veio ao mundo, se rebaixou à nossa condição humana e bebeu o cálice amarguíssimo da Paixão por amor aos homens. Para salvar os homens não vacilou em um só momento. Fez-se carne, e fez tudo o que um homem faz, sofreu tudo o que um homem pode sofrer.
    E salvaria todas as almas do mundo, se todos os homens quisessem ser salvos. Mas para os empedernidos no pecado seria impossível salvar. Não por falta de suas Graças, não por negligência… Mas porque ao criar o homem, Deus deu a Ele livre arbítrio para se aproximar ou se afastar dEle por vontade própria, e Deus não viola a liberdade humana.
    Por isso a Igreja precisa pregar o Evangelho. Precisa fazer com que os homens escutem a Boa Nova e reajam espontaneamente, pedindo o Batismo e renegando o pecado.
    Se não houver guerra declarada ao pecado, se não houver alarmismo, se não houver quem sacuda os homens para as realidades sobrenaturais, e os aterrorize com o fogo do Inferno, caso optem por não se emendarem, então nunca haverá verdadeira Misericórdia, porque somos tendentes ao mal, e palavras doces e coniventes só nos encorajam a permanecer no lodo. O temor de Deus é o Princípio da Sabedoria, e parar de ofendê-Lo com o pecado – ainda que seja por temor, e não por amor – é melhor do que desprezar o Seu Sangue.
    Façamos o seguinte: estudemos o que sempre foi ensinado pela Igreja de todos os tempos e trilhemos por esta vereda segura. Se o que está sendo proposto for diverso do que sempre foi ensinado, lamentemos, mas que em nosso coração seja anátema. Não podemos, papa Francisco, não podemos. Conhecemos a Fé, temos consciência, não podemos matar nossa consciência a pretexto de obediência cega, ainda mais quando estamos persuadidos que vossos ensinamentos destroçam o que sempre foi crido e praticado por todos. Perdão, mas o senhor não é Deus, não é Vice-Deus, e não está no trono máximo dos homens para inventar, mas para confirmar o que sempre foi de Fé, para clarear até mesmo fatos obscuros dentro do contexto da Tradição, mas nunca para contrapor o que sempre foi feito na Igreja com modismos contemporâneos, frutos do capricho dos homens.
    Se o senhor segue sua consciência e nós seguimos a nossa, não podemos obedecê-lo, porque no dia do Juízo o senhor quiçá pode ser justificado por ter tido uma reta consciência e praticar o que achava ser o certo diante de Deus, e nós seríamos sepultados nas trevas por termos deixado matado nossa consciência para obedecê-lo de maneira voluntariamente cega. Seríamos punidos por não crer em sua palavra, e mesmo assim por ignorar o alarme de nossa consciência sob pretexto de “todos sermos um”.
    Não vejo, humanamente falando, não vejo como continuar em comunhão visível com a igreja conciliar que acata os princípios que Bergoglio agora apenas desenvolve. Não é apenas a questão do liberalismo moral deste sínodo: para chegarmos a este sínodo, questionamos a origem destas neo-doutrinas em suas bases: tudo oficialmente começou após a escrita dos textos do Vaticano II que foram escritos de maneira ambígua exatamente para que o sentido herético tivesse cidadania, camuflado entre palavras de duplo sentido. Somos católicos e nos esforçamos para fazer e acreditar nas mesmas coisas que os católicos sempre fizeram e acreditaram em todos os tempos. O que veio a partir do Concílio Vaticano foi uma série de inovações que nunca foram acreditadas e nem praticadas. Portanto, oramos para que todos os que aderiram visivelmente ao Concílio sem restrições abjure das novidades e convertam-se ao catolicismo de maneira total e sem NENHUMA MISTURA. Nenhuma semi-heresia, as novidades devem ser repudiadas em bloco e em sua totalidade, sem que se salve coisa alguma. Nada de meias verdades, nada de verdades comprometidas, cidadania para a Fé como a mesma sempre foi pregada, sem equívocos, sem amarras, sem grilhões, sem comprometimentos.

  55. Humm! Vejam bem, se agora já vou poder me separar de minha espôsa sem grandes complicações, também poderei me tornar um gay , contribuindo assim com meus dons e qualidades e sendo valorizado no seio da Igreja, que finalmente aceita minha opção sexual pela sodomia. Espero também que a Igreja se modernize ainda mais entendendo que eu tenho o direito de “cativar” um heterossexual para a minha “opção” independente da idade que ele tiver.
    Meu Paizinho do Céu, a que ponto chegamos !!!! Valha-nos Deus.

  56. Eles não temem a Nosso Senhor não? Se não temem pelo amor que temam pelo medo , de saber que pode passar a eternidade no inferno por não defenderem a doutri a da Igreja! Este pontificado é uma desgraça!

  57. Tão trágico quanto o Arianismo! Deus nos castiga de forma severa com esse papado……

  58. Dies irae, dies illa
    solvet saeclum in favilla,
    teste David cum Sybilla.
    Quantus tremor est futurus,
    quando judex est venturus,
    cuncta stricte discussurus.

    Dia da ira, aquele dia
    que destruirá o mundo pelo fogo
    como afirmam Davi e a Sibila
    Quanto terror haverá
    quando vier o Juiz
    para julgar a todos severamente!

  59. Será que não sabem que a origem de todo o mal é o pecado?

  60. caros irmãos tem algum email ou telefone do vaticano onde podemos expressar nossa indignação contra este texto ridículo. Enquanto cristãos sofrem martírio diariamente, milhões de crianças são abortadas, milhoes de jovens estão sem pastor e caindo no pecado, esses representantes da sinagoga de satanás estão dizendo que há algo de bom em sodomizar o aparelho excretor na sua via final do tubo digestivo.

  61. O resultado prático dessas “reflexões” vai ser um desastre, e qualquer um vê ainda que muitos finjam não ver nem a solução e nem a causa do imbróglio: só os efeitos colaterais do Vaticano II dobrados, por conta de mais doses do mesmo veneno que vem matando a Igreja em tantos lugares e há tanto tempo quanto o referido concílio abrange, com o consentimento do papa. Tudo é lamentável!

  62. “Os homossexuais têm dons e qualidade a oferecer à comunidade Cristã. Somos capazes de acolher essas pessoas, garantindo-lhes um espaço fraternal em nossas comunidades? Frequentemente, eles desejam encontrar uma Igreja que lhes ofereça um lar acolhedor. Nossas comunidades são capazes de o fornecer, aceitando e valorizando sua orientação sexual, sem comprometer a doutrina Católica sobre a família e o matrimônio?”.
    O Fratres me permite fazer uma propaganda aqui?
    A frase: “…eles desejam encontra uma igreja que lhes ofereça um lar acolhedor.
    Sugiro: igrejacatolicacontemporanea.com.br.
    Eles têm bíblia e dvd sem preconceitos que não condenam a homoafetividade!
    Farto material de estudos em livros com um conteúdo libertador. Milhares de pessoas em nosso país já estudaram e provaram que podem viver a fé em Jesus independente de orientação sexual. Adquira o seu:
    obras que são na atualidade dos livros sobre a bíblia e a homossexualidade mais apreciados do país, desprovidos de discriminação gay, além de dvd de muitas horas de estudos inclusivos gravados resultantes de quase uma década de ministrações do pastor Marcos Gladstone em igrejas, universidades e ONGs no Brasil e no exterior.

  63. Errata: igrejacontemporanea.com.br

  64. 2359 As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes de autodomínio, educadoras da liberdade interior, às vezes pelo apoio de uma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem se aproximar, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.

    Desnecessário o sínodo abordar o assunto pois o mesmo está claro em nosso catecismo. É jogar pérolas aos porcos.

  65. Já começa errado: não existem “pessoas homossexuais”…existem pessoas com essa tendência, algumas escolhem agir segundo essas tendências e outros não.

    “Monsenhor Livio Melina, presidente do Pontifício Instituto João Paulo II para Estudos sobre Matrimônio e Família, escreve: “[…] As pessoas com inclinações homossexuais são homens e mulheres e, portanto, […] seria oportuno superar o termo “homossexual” e substituí-lo por “pessoa com inclinações homossexuais”, pois enquanto uma inclinação não assume significados relevantes essa não pode definir exaustivamente o sujeito”. É a velha distinção aristotélica entre “substância” e “acidente”. Mas tudo isso, nesse Sínodo parece não ter o direito de cidadania, e assim se fala tranquilamente em “filho gay” (nem mesmo “homossexual”, apenas “gay” como se todas as pessoas com tendências homossexuais fossem ativistas ou homossexuais ativos), como se a homossexualidade fosse substância (e não, como ensina o Magistério, acidente)”.

    Pelo que eu li e entendi ao traduzir um artigo em italiano, até certas traduções do Catecismo estão gravemente adulteradas, porque no original em latim não se usa o termo “pessoas homossexuais”:

    “Este é o motivo pelo qual o Magistério não fala de “homossexual” ou “gay”, mas de “pessoas com tendências homossexuais”, fazendo uma clara distinção entre pessoa e tendências. É uma distinção importante, explicada pelos documentos, nos quais lemos (Homosexualitatis problema, § 16): “A Igreja oferece aquele contexto no qual hoje se sente uma extrema urgência em cuidar da pessoa humana, exatamente quando ela se recusa a considerar a pessoa puramente como um “heterossexual” ou “homossexual” e enfatiza que todos têm a mesma identidade fundamental: ser criatura e, pela graça”, um filho de Deus, herdeiro da vida eterna”.
    http://www.lanuovabq.it/it/articoli-quanti-equivoci-sullaccoglienzaai-gay-10577.htm

  66. Essa gente, digo, certos bispos e mesmo o papa, não tem tido qualquer consideração pelas pessoas q estão a escandalizar com seu desvario doutrinal. Pensem numa velhinha do interior de Minas ou da Ucrânia lendo essas enormidades q são “discutidas” em Roma, ou q confusão estão a causar na cabeça dos gays q querem seguir a orientação tradicional da Igreja, nossa Mãe. Seria melhor q saíssem por aí procurando sua mó, sua pedra de moinho; resta saber se ainda há tantos moinhos no mundo…

  67. Atenção bispos e cardeais, não se brinca com as coisas de Deus !!!

  68. É a nova versão modernista da parábola do filho pródigo.Não há fome, não há arrependimento ,não há consciência do mal, nem do pecado.A humildade passou longe.Os católicos fiéis a doutrina serão tratados como o irmão mais velho que se indignou mas não haverá conciliação do pai para eles mas sim dedo em riste e condenação .È o vaticano segundo querendo ser mais justo que o próprio Deus.a Igreja Católica é a prefiguração do casamento entre Deus e as almas, é um grêmio de pessoas que estão dispostas a mudar suas vidas a carregar suas cruzes e seguir o crucificado Nosso Senhor Jesus Cristo.

  69. Olha!!…sinceramente, nunca imaginei que um dia sentiria o que sinto a partir do ultimo conclave, medo deste pontificado!!!