41 bispos se opõem ao novo relatório do Vaticano.

Vaticano – Aumenta a oposição em Roma, enquanto gays comemoram, católicos tradicionais se afligem, bispos reclamam e ninguém parece ser capaz de explicar exatamente o que o documento lançado na segunda-feira significa para a Igreja Católica.

Por Austin Ruse | Tradução: Fratres in Unum.com – Ao final da noite de segunda-feira, pessoas experientes relacionadas aos padres sinodais estavam dizendo que os bispos se sentiam surpresos com o conteúdo do documento lançado na segunda-feira, o qual deveria informar as discussões em curso entre os mais de 180 bispos reunidos pelo resto desta semana no Vaticano. O documento parece inovar em relação ao ensinamento católico sobre a aceitação do homossexualismo, coabitação e comunhão para divorciados recasados.

Nada menos que 41 bispos se levantaram em protesto ao documento depois que ele lhes fora lido e enquanto o documento estava sendo apresentado à imprensa do Vaticano. O vaticanista Sandro Magister relatou o seguinte:

Sob disparos de cerca de 41 intervenções, os cardeais Pell [Prefeito da Secretaria para a Economia], Ouellet [Prefeito da Congregação para os Bispos], Filoni [Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos (Propaganda Fide)], Dolan [de Nova York], Vingt-Trois [de Paris], Burke [Prefeito da Assinatura Apostólica], Rylko [Presidente do Pontifício Conselho para os Leigos], Müller [Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé], Scola [de Milão], Caffarra [de Bolonha] dentre outros, soltaram o verbo, todos contra uma abertura a segundos matrimônios, conforme proposto pelo Cardeal Kasper, que também interveio.

Na segunda-feira à tarde, o site Lifesite News entrevistou o Cardeal Burke, que disse que o Sínodo havia sido “manipulado pelos organizadores do Secretariado Geral”, e ele pediu que o Papa Francisco interviesse. Burke disse:

Os fiéis e seus bons pastores estão olhando para o Vigário de Cristo em busca de confirmação na fé e de práticas católicas referentes ao matrimônio, que é a primeira célula da vida da Igreja.

O documento carece de alicerce sólido nas Sagradas Escrituras e no Magistério. Em um tema sobre o qual a Igreja tem um ensinamento muito rico e claro, dando a impressão de inventar um ensinamento totalmente novo sobre o matrimônio e a família, que um Padre Sinodal chamou de “revolucionário”. Ele invoca de maneira repetida e confusa princípios que não estão definidos, como, por exemplo, a lei da gradualidade.

Como restou óbvio das intervenções feitas pelos 41 bispos na segunda pela manhã, Burke não está só entre os bispos sinodais em seus receios e oposição ao documento. Embora não esteja ele mesmo presente no Sínodo, o Presidente da Conferência Episcopal Polonesa disse à Rádio Vaticana que o documento era inaceitável.

As passagens polêmicas enfureceram igualmente bispos e leigos. Sandro Magister aponta para o Arcebispo italiano Forte [como autor da passagem polêmica sobre os homossexuais], que estava entre os apresentadores do documento.

O documento agora está nas mãos de “pequenos círculos,” grupos de padres sinodais agrupados por idiomas. O trabalho deles será concluído nesta semana, e o documento final irá para o Sínodo maior agendado para o próximo mês de outubro.

Segue abaixo uma entrevista dada pelo Cardeal Burke a Raymond Arroyo:

Anúncios

12 Comentários to “41 bispos se opõem ao novo relatório do Vaticano.”

  1. Gostaria de saber de que lado estão os cardeais brasileiros. Sei que, para o mundo europeu, eles não são tão importantes, mas para nós, essa informação é fundamental.

  2. Alguém pode, por caridade, legendar a entrevista do cardeal?

  3. É, mas agora é tarde, o estrago já está feito. Em artigo o prof. De Mattei alertou para que o Papa Francisco tomasse cuidado com o que ele falava por causa da mídia que sempre dizia coisa diversa e provocava um grande dano a religião católica.

    Creio que a prudencia que não falta até aos pagãos ou aos islamitas, espiritas e protestantes, falta ao clero que faz um trabalho de bobo ou de judas iscariotes.

  4. Não olhem para o Burke. Olhem para o Bergoglio…é ele a eminência parda que move as marionetes nesse sínodo de cartas marcadas. É assim que ele se protege na Cátedra de Pedro evitando pronunciar dela suas heresias em caráter oficial: nomeia alguns de sua confiança que estão lá pra fazer o serviço sujo.
    Raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira vindoura?
    Acham que podem enganar a Deus! Então, será plenamente revelado o perverso, a quem o Senhor Jesus matará com o sopro de sua boca e destruirá pela gloriosa manifestação da sua vinda.

  5. De 180, só 41 se levantaram contra? Assustador!

  6. gostaria de legendar este video urgente com uma equipe, quem se apresenta para me ajudar? Paz e Bem!!

  7. Que bom, cardeal Scola de Milão também se manifestou, ele que era um “papável”, outros também, é pouco, mas é alguma coisa.

  8. Só em discutir, uma assunto que já foi definido pela Santa Igreja, à séculos. O erro já começa aí. Quanto mais, tentar enganar os católicos do mundo inteiro com este palavreado dúbio; cheio de meias verdades. Ainda bem, que tem cardeais, bispos… Que tem coragem de ir à público, para desmascarar este trama inspirado pelas autoridades eclesiásticas; as quais, deveriam defender os princípios morais que a Santa Igreja sempre defendeu.
    Joelson Ribeiro Ramos.

  9. Dom Walmor está participando deste sínodo?

  10. “Rezemos pelos inimigos da Ig.Estão escancarando as portas pra satanás entrar.”..

  11. To com medo gente….