Um texto previamente elaborado.

Por Rorate-Caeli | Tradução Teresa Maria Freixinho – Fratres in Unum.com: Um documento de 6.000 palavras, disponibilizado no original italiano, bem como em traduções excelentes ao inglês, francês, alemão e espanhol imediatamente na segunda-feira pela manhã “resumindo” os pontos de vista da primeira semana do Sínodo que havia terminado na sexta à noite, com detalhes publicados no sábado de manhã? Então, em um dia inteiro, domingo (ou em 2 dias, 48 horas, se todas as horas do sábado estiverem incluídas, sem tempo para refeições ou para dormir), o relator e seus secretários reuniram os pontos de vista de todos os Padres, identificaram e separaram as partes que contavam com apoio mais generalizado e, assim, representavam uma opinião verdadeiramente sinodal, e traduziram esse relatório de 6.000 palavras? Será que de repente o Vaticano se tornou a burocracia mais eficiente na história do universo?

Ou será que simplesmente estava tudo preparado e traduzido de antemão, para “armar uma situação” que não pudesse ser revertida e fazer pressão sobre os Padres Sinodais durante esta segunda semana? 

É claro que foi a segunda opinião: e isso tudo fazia parte do plano de manipulação do Cardeal Pianista (que também poderia ser chamado de O Cardeal Mais Influente do Conclave de 2013), que ele havia revelado sem querer em um jantar sofisticado há algumas semanas*.

A intenção era colocar todos os participantes do Sínodo contra a parede para que enxergassem um fato consumado. O documento de enganação foi um golpe (um golpe político-religioso assombroso em sua audácia):

“Agora estamos trabalhando a partir de uma posição que é praticamente irremediável,” disse o Cardeal Wilfrid Fox Napier. da África do Sul. “A mensagem transmitida foi de que o sínodo está dizendo, que isso é o que a Igreja Católica está dizendo,” ele disse. “Seja lá o que dissermos daqui em diante, irá parecer que estamos fazendo contenção de danos.”

Eles são tão audaciosos que um secretário do Sínodo introduziu furtivamente no texto as suas próprias opiniões sobre o homossexualismo e os casais homossexuais, e agora toda a população do mundo foi informada pelos principais meios de comunicação que essa é a nova posição da Igreja, depois de 2.000 anos de doutrina apostólica inalterada…

A maioria conservadora e wojtyliana que todos os Padres Sinodais podem ver claramente em ação, e cujo número não foi de modo algum representado no documento manipulado preparado de antemão, deve ser extremamente cuidadosa ao proteger a Fé Católica nos próximos votos, especialmente nas votações que levarão ao voto final em 18 de outubro sobre o relatório final.

19 Comentários to “Um texto previamente elaborado.”

  1. Esse Sinodo tem mais malandragem que boca de fumo, desculpem a expressão . Tem de tudo: cardeais traindo a Fé de sempre, um silêncio censurador sobre as declarações dos Padres Sinodais, um Papa que vê o circo pegar fogo e não faz nada ( parecendo ter um amor ao escândalo e um prazer mazoquista em ver os fieis se contorcendo em dúvidas em relação às novas orientações) e agora vem mais essa notícia.
    Disso tudo eu só concluo que uns vão sair mais santos, se fiéis, e até mesmo mártires, já outros, idólatras, capachos do mundo e de Satanás.

  2. Caso existam Bispos Católicos Apostólicos Romanos neste Sínodo, o que eles podem e devem fazer é uma denúncia total, completa, enérgica do conteúdo do texto demoníaco E DA TÉCNICA indecente de manipulação que foi e está sendo empregada.A oportunidade é única para que um conjunto de AUTORIZADAS autoridades da Igreja, convocadas pelo Chefe,fale bem claramente sobre o Depósito Incorruptível que lhes foi deixado nas mãos, para que o proclamem e defendam.Caso não façam assim, são cúmplices da Segunda Revolução de Lúcifer, e padecentes duma alienação mental que não consigo compreender, pois não me entra na cabeça que Bispos ordenados sacramentalmente sejam tão impenitentes e obstinados na destruição de todo um corpo doutrinário que vem sendo explicitado, COERENTEMENTE, por dois milênios. Só não digo que também seria uma demonstração empírica de que não existe Espírito Santo, ou, pelo menos, de que não existe assistência especial dEle, porque a hipótese de que Ele tenha a intenção de permitir que o Mal se explicite plenamente antes de destruí-lo é uma hipótese que se pode fazer.

  3. Subscrevo a postagem de Guilima. Clara, objetiva, sincera, verdadeira.

  4. Trata-se de uma acusação bastante séria e que exige provas mais concretas, embora o raciocínio lógico concorde com o que foi afirmado. Aguardemos mais/más(!) notícias.

  5. Isso lembra muito o livro do De Mattei, Vaticano uma historia nunca escrita” . A grande maioria nao queria revoluçoes,mas antes que se reafirmassem a fé dos catolicos e um documento ,tambem ja pré escrito,como no Sínodo. Tudo como dantes…

  6. Marco Tosatti escreveu:

    “Quando il relatore – un cardinale di Santa Romana Chiesa – disconosce più o meno espressamente la paternità di una relazione che porta la sua firma, c’è un problema.
    Quando lo stesso cardinale, in riferimento a un brano del testo certamente molto interessante e foriero di problemi, richiesto di spiegazioni, gira la risposta a un arcivescovo Segretario aggiunto (dal Papa) al Sinodo, perché è lui l’autore, c’è un problema”….
    http://www.lastampa.it/2014/10/15/blogs/san-pietro-e-dintorni/un-sinodo-un-po-taroccato-RFtvgaEmDdWtzEdC4RC1xK/pagina.html

    Traduzindo: “quando o relator- um cardeal da Santa Igreja Romana ( Peter Erdo)- desconhece mais ou menos expressamente a autoria de uma relação que traz a sua assinatura, há um problema. Quando o mesmo cardeal, em referência a um trecho do texto certamente muito interessante e repleto de problemas, ao ser pedido explicações, passa a resposta a um arcebispo Secretário adjunto ( do Papa) no Sínodo ( Bruno Forte), porque é ele o autor da mesma, há um problema”.

    Então tá decifrado o enigma. Bruno Forte, o arcebispo gayzista que meteu lá no relatório aquela bomba pró-gay é apenas o testa de ferro de Bergoglio. Ele está com essa corda toda porque tem costas largas no Vaticano. Um soldado raso como ele não teria a pachorra de passar a perna em Bispos e Cardeais do mundo inteiro sem temer as consequências, se não tivesse o respaldo do general. Esse sínodo é a maior arapuca bergogliana.
    Eu tenho uma esperança porque acredito no Deus do Impossível. A minha esperança é que um dia Pedro tomará coragem e confessará que foi forçado por esses picaretas a renunciar.
    E naquele dia que esses impostores forem desmascarados, cairão por terra todos os desmandos desse pontificado.
    Bento XVI renunciou, segundo suas palavras “pelo bem da Igreja”. Segundo tudo que já li foi pra evitar um Cisma. Talvez ele se esqueceu que o primeiro “cisma” na Igreja aconteceu justamente por causa da Eucaristia.
    Esse “cisma” se deu exatamente quando Jesus pronunciou na sinagoga de Cafarnaum o discurso do pão da vida. O Evangelho apresenta a reação dos discípulos àquele discurso. Antes de tudo, o evangelista João — que estava presente com os outros apóstolos — refere que «a partir de então muitos dos seus discípulos voltaram atrás e já não andavam com Ele».
    Lembrem-se que de acordo com o evangelista Lucas, o único que os cita, Jesus primeiramente designou e enviou 72 discípulos que depois do discurso do pão da vida, já não andavam com Ele, porque aquele era um ensino “muito duro”.
    No final Jesus ficou só com 12 e mesmo entre esses 12 um era o traidor.
    Se era pra perder Bergoglio, Kasper e toda essa corja de modernistas, era bem melhor que esse Cisma tivesse acontecido antes. A renúncia de Ratzinger abriu uma caixa de pandora e por algum tempo teremos que encarar esses demônios encarnados.
    Ao ver que muitos dos seus discípulos se iam embora, Jesus ainda dirigiu-se aos apóstolos que permaneceram dizendo: “Também vós quereis retirar-vos?” (Jo 6, 67). Faltou essa coragem e atitude da parte de Ratzinger…ele preferiu fugir por medo dos lobos.

  7. Só a ideia de se promover o Sínodo para discutir este assunto já foi absurda da cabeça aos pés, agora vou aguardar o que o papa Francisco tem para nos dizer quanto ao assunto, não só do texto divulgado assim como o procedimento adotado durante o Sínodo. Mas é muito difícil acreditar que ele não está se omitindo propositalmente enquanto manipula as suas peças para alcançar o resultado desejado.
    E o pior de tudo é saber que ainda que ele se pronuncie, ainda sim teremos que lidar com aquele linguajar ensaboado dando mais margens para interpretações errôneas.

  8. Se acaso estivesse imiscuído numa união irregular, no homossexualismo ou correlatos, jamais teria coragem de me aproximar da S Comunhão por ter havido flexibilização de parte do Vaticano – para mim seria outra religião – e permaneceria acompanhando a Igreja de sempre, mas até certo ponto, pois eu teria me excluído, não ao contrario, com esse papo-furado de “acolhimento, misericórdia”, mais se parecendo complacência com o erro para relativizar e dividir o povo cristão.
    As situações do dia a dia, as nossas ações e tudo mais teriam de serem conferidas à luz no Catecismo Católico se prevalecer as liberalidades para com os “coitadinhos” dos em “uniões estáveis” e homossexuais.
    Se continuarem a pregar dessa foram – seria a meta – o relativismo a partir de dentro da igreja prevaleceria e seria como nas seitas: o pastor profere a homilia mas cada um a aceitará integral ou parcial, de acordo com seus pontos de vista, isso graças à cúpula hierárquica que assim o quereria!
    Se Mino Peccorelli estivesse entre nós, seu listão estaria bem maior, inclusive na CNBB, há vários serios candidatos ao posto, suspeitos e o suspeito Card Kasper puxaria a lista.
    Se no tempo do saudoso Bento XVI o colocassem numa revista mundana como FAIR PLAY, GLBT etc., aguardariam as duras repreensões; ao inverso, o papa Francisco não reage sentindo-se envergonhado ao incluírem-no como ídolo na mídia promiscua e alguns cardeais, como o grande Cardeal Leo Burke já se manifesta como explícito opositor!

  9. Diante disto tudo, diante deste ataque de do papa Bergoglio, Kasper etc. e seus capachos ao Sacramento do Matrimônio e da Eucaristia (certamente com aquelas palavras adocicadas, dúbias e propositalmente escorregadias, bem ao estilo CV II, que alegam não desobedecer a sã doutrina, mas que na prática demonstram exatamente o contrário), como devemos nós, católicos tradicionais reagir? Apenas orar? Apenas jejuar?

    Meu Deus, infelizmente preciso dizer isto: se for preciso um cisma para que a Igreja Católica se liberte deste câncer do neomodernismo e da falsa igreja que utliza de suas estruturas, então nada pode ser mais salutar! Que venha o cisma, pois já podemos perceber nesta triste realidade que algo de bom já aconteceu: já se revelaram as intenções contidas nos corações muitos em ofender a Nosso Senhor e aproxima-se a hora de Nossa Senhora agir para implantar o Reino do Triunfo de seu Imaculado Coração!

    Se for preciso que só reste um “pequeno rebanho”, que assim seja, mas que este rebanho não fique desamparado, pois, como já foi dito antes, Pedro, aquele que deveria estar apascentando o aprisco de Cristo, está negando Nosso Senhor de forma escandalosa (e olhem que o galo ainda não cantou…)

    Tenho uma irmã de fé que me disse que, para não se desgostar ainda mais com este pontificado, prefere não ter qualquer contato com as notícias deste “sínodo”, deste vergonhoso jogo de cartas marcadas em que os maus e traidores são exaltados, mas os bons são recriminados…

    Bem fez D. Lefebvre, que afirmou que uma excomunhão provinda da Igreja Conciliar lhe era motivo de orgulho, pois ele era fiel à Igreja Católica, a Verdadeira. Se ele estivesse vivo, veria com seus próprios olhos o quanto o tempo demonstrou que estava certo!

    Vejo nesta triste constatação dos fatos a sombria e danosa ação do demônio, o qual busca perverter ao máximo o rebanho de Cristo com ensinamentos que não são provindos do Céu, mas do inferno. Lembrem-se da visão de Leão XIII, lembrem-se do que Nossa Senhora falo em La Salete… Lembrem-se da Visão de Fátima e de Nossa Senhora do Bom Sucesso!

    Quando eu me recordo que a História está repleta de santos que derramaram seu sangue por não concordarem que os Sacramentos do Matrimônio e da Eucaristia fossem desprezados e relativizados (São João Fischer, São Tomas Morus, dentre outros…)

    Todo este drama apenas confirma o caso ocorrido em abril de 2014, cujo link copio abaixo para refrescar a memória dos irmãos:

    https://fratresinunum.com/2014/04/23/telefonema-do-papa-reacende-debate-sobre-comunhao-para-divorciados-recasados/

    E digo mais, como o Cardeal Burke, acredito que a esperança é a última que morre e espero do papa um posicionamento firme confirmando de forma explícita aquilo que a Igreja Católica sempre e em todo lugar ensinou, caso contrário, espero estar enganado, veremos o papa como a eminência parda sobre este terrível momento da História da Igreja…

    Mas, apesar de tudo, apesar de todo este quadro estarrecedor, apesar de toda esta situação de proporções apocalípticas que desvelam o mistério da iniqüidade, também me recordo que nosso Senhor nos disse que “as portas do inferno não prevalecerão” e Nossa Senhora, Refúgio dos Pecadores, nos profetizou: “Por fim, o meu Imaculado Coração triunfará”!

  10. Gercione Lima
    partilho totalmente do seu raciocínio embora, já há algum tempo, tivesse a convicção de que a cabeça da serpente é Bergoglio, mas espero que perante a sua exposição, facilmente de se seguir, alguns cegos comessem a ver a situação terrível em que nos encontramos.
    Olhando para os diversos malabarismo executados nos bastidores e o à vontade com que manobram este sínodo podemos deduzir que existe uma quadrilha de ladrões no Vaticano já há algum tempo. Um sistema tão bem oleado não é criado de um dia para o outro, isto significa que esta quadrilha, um misto de maçons, comunistas e satanistas, já tomaram conta do Vaticano há algum tempo. Esta quadrilha foi responsável por retirar Bento XVI do seu lugar, através de manobras do tipo Bruno Forte ao alterarem as suas palavras, através da desobediência e de lhe passarem falsas informações, desta forma tornando a administração da Igreja quase impossível. Temos que compreender que um ambiente destes para uma pessoa da sua idade não é fácil, e que o seu pontificado ficaria marcado mais pelo pensar do inimigo do que pela sua vontade.
    Mas o seu afastamento comporta um mistério, que tem a haver com o facto de que Jesus Cristo não afastou Judas a pesar de saber que ele era um traidor, mas deixou que este consumasse o seu acto. Assim se Bento XVI começasse a acusar os bispos dificilmente conseguiria provar os seus atos, porque esta gente não faz nada às claras, e desta forma poderia ser injusto para muitos e o mais importante seria um escândalo para a Igreja, não se retirando dessa situação nada de frutífero. Bento XVI ao afastar-se vai permitir que o joio cresça e consuma o seu acto, para ser mais tarde queimado no fogo, assim vai ser a purificação da Igreja, já anunciada. Eu estou à espera que mais cedo ou mais tarde quando estivermos dentro da tribulação o Vigário de Cristo, Bento XVI, torne tudo claro e o trigo seja separado do joio. Da mesma forma como Cristo passou pela cruz tambem a sua Igreja tem que passar por esse momento e os carrascos da Igreja já estão ai, crucificando a Cristo uma segunda vez.

  11. Com a Palavra

    Dom Cláudio Hummes: “Apenas sou amigo do Papa. E já basta”

    Há 3 meses

    Arcebispo emérito de São Paulo é um dos principais conselheiros do líder máximo da Igreja Católica

    […]

    “Existe a possibilidade de mudanças em questões como celibato, divórcio, homossexualidade e ordenação de mulheres?”

    […]

    “O que está agora em pauta é a questão da família, e aí entram temas como os casais de segunda união, essa problemática dos tipos de família e aquilo que as leis começam a chamar de família. E também como dar apoio às famílias para que elas possam viver o evangelho dentro de uma sociedade secularizada. Foi enviado um grande questionário, e aí está uma outra novidade dele, porque ele insistiu que esse questionário — que já foi respondido — também fosse entregue aos leigos. Em outubro, terá o sínodo extraordinário que vai tratar dessa questão. e, em outubro do ano que vem, o ordinário.”

    […]

    Fonte: acesso em 16/10/2014

  12. A Cabeça da Igreja, antes do Papa, é o próprio Príncipe da Paz, que atua na história do mundo e da Igreja. Se ele permitiu o que ocorreu nas última décadas, é porque sua infinita Sabedoria nos testa, assim como testou o povo judeu por 40 anos no deserto, antes de chegar à Terra Prometida. Mas, é preciso avisar que punição e castigo é “um prato que se come gelado”.

  13. Me diga com quem andas…Sua Santidade?

    Abaixo a lead da noticia sobre a foto:

    Dom Cláudio participou de lutas dos movimentos sociais | Foto: ClaudiomiroTeodoro/Folha Imagem

    Fonte: http://m.zerohora.com.br/noticia/4560378/dom-claudio-hummes-apenas-sou-amigo-do-papa-e-ja-basta

    Acesso em 16/10/2014

  14. Não esqueçam que Bergoglio é jesuíta. Provavelmente não colocará o seu pescoço para ser cortado (salvo o seu temperamento latino ou o grau de seu comprometimento). Esse Sínodo parece ser uma sondagem, um teste, feito para sentir as reações internas e da opinião pública. O jogo é colocar um tema bem ousado e aguardar a reação. Se a reação for forte (e não do Bruno Forte, que está mais para frágil) vão encontrar uma solução “palatável” para agradar as tendências. É a teoria do pêndulo, que pende para os extremos para finalizar no meio. É o jogo do um passo para trás para andar dois. Assim foi no Concílio Vaticano II. Francisco “jesuitamente” poderá no final moderar sua posição para não se comprometer deixando a culpa para aqueles que se prestaram a fazer o jogo radical.

  15. Para mim basta uma cosita muy interessante sob o estranho cardeal Hummes, sabe qual?
    Além de andar aos abraços com Lula, muitas fotos por aí, melhor seria com o Mula – visita-o como velho amigo – e o acompanha junto com seu séquito vermelho ao Vaticano, além de amigo que ele se diz do papa Francisco.
    Aliás, quando vi ele aparecer junto ao papa Francisco, senti calafrios, não me esqueço, pois essa figurinha me é manjada desde quando apoiava Lula nas greves agitadoras e desmentiu o grande D Eugenio Sales de que Lula não era católico, depois tentou se justificar, mas entregou a rapadura!
    Um cardeal afirmar que um inveterado comunista é católico – só se for reedição e da equipe bolivariana de D Damasceno defendendo o “católico praticante” o extinto Eduardo Campos – oh D Hummes, nem eu!
    Não tenho o menor respeito por vermelhos querendo se passarem por bispos católicos!

  16. Bento XVI não renunciou para evitar o cisma, pois o cisma já é um fato que todo mundo pode ver. Ele apenas cumpre o que está previsto nas profecias para deixar o mal adentrar os meandros da Santa Igreja Católica Apostólica Romana, e que se cumpram as profecias ditas em Ap. 17,10 e seguintes e ainda iI Tess, 2 (inteiro). É preciso que assim aconteça para que depois a Santa Igreja triunfe sobre o mal e ressurja com a vinda de Nosso Senhor em plena glória.
    Vem logo, Senhor Jesus, pois está difícil!!!