A resposta da FSSPX-Itália ao bispo de Albano.

Por FSSPX – Itália | Tradução: Dominus Est – Em uma notificação do último dia 14 de outubro, Dom Marcello Semeraro, que administra a Diocese suburbicária de Albano, cogitou declarar que a Fraternidade Sacerdotal São Pio X não é “uma instituição da Igreja católica” e que os fiéis não devem frequentá-la para não “romper a comunhão com a Igreja”.

Partindo de seu ponto de vista, poderíamos perguntar muitas coisas a Dom Semeraro.

Poderíamos perguntar-lhe se ele sabe que a Fraternidade São Pio X foi erigida com a aprovação do bispo de Friburgo em 1970; que a Santa Sé lhe conferiu a carta laudatória em 1971; se ele sabe que a casa da Fraternidade em Albano em si, com seu Oratório semipúblico para administrar os sacramentos, foi erigida canonicamente com decreto de seu predecessor, Dom Raffaele Macario, em 22 de fevereiro de 1974 (prot. 140/74).

Poderíamos também perguntar-lhe como ele concilia sua proibição com as declarações oficiais da Santa Sé, que, como resposta da Comissão Ecclesia Dei de 18 de janeiro de 2003, dizia que é possível cumprir o preceito da Missa dominical “assistindo a uma Missa celebrada por um padre da Fraternidade São Pio X”: ou como ele acha que é possível “romper a comunhão com a Igreja” indo à Missa da Fraternidade São Pio X, quando a mesma Santa Sé não considera mais fora de comunhão nem mesmo os bispos da mesma Fraternidade; ou se ele acha que a pretendida irregularidade canônica equivale a uma ruptura da comunhão.

Poderíamos ainda perguntar-lhe por que ele, o bispo, pode organizar uma vigília ecumênica na catedral (18 de janeiro de 2014) para rezar com pessoas que, certamente, não estão “em comunhão com a Igreja católica”, como uma pastora evangélica e um bispo ortodoxo (ortodoxos cujos, em 2009, ele cedeu a igreja de São Francisco em Genzano, construída por nossos pais para o culto católico); enquanto seus fiéis não podem rezar com outros católicos na Missa da Fraternidade.

Poderíamos perguntar-lhe por que a abertura do espírito da Diocese é tão amplo para incluir o “Primeiro fórum dos cristãos homossexuais”, ocorrido na Casa dos Padres Somaschis, de 26 a 28 de março último, mas não quem permanece ligado à Tradição da Igreja católica.Não esperamos uma resposta sobre esses pontos que demonstram de modo claro as contradições de Dom Semeraro.

A Fraternidade apoia seu ministério junto a todos os fiéis exatamente sobre a necessidade de combater os erros contra a fé católica romana que são difundidos na Igreja pelos próprios bispos: do indiferentismo ecumênico, pelo qual se pode crer em todas as religiões, como se todas elas fossem caminhos de salvação, destruindo de fato o Primeiro Mandamento de Deus, até a adoção de uma liturgia que se distancia da expressão dos dogmas da Igreja romana para tornar-se semiprotestante e irreverente. Erros que são difundidos cada vez mais, como se viu no último Sínodo, onde, sob a aparência de misericórdia, se discutiu sobre a possibilidade de modificar o Sexto Mandamento e renunciar, de fato, à indissolubilidade do matrimônio cristão.

O estado de grave necessidade geral, devido à difusão capilar dos erros contra a fé da parte da hierarquia eclesiástica, fundamenta canonicamente o direito e o dever de todos os sacerdotes fiéis de ministrar os sacramentos e uma autêntica instrução católica a todos que os requererem.

A Fraternidade São Pio X, a exemplo de seu fundador, continuará a transmitir integralmente o depósito da fé e da moral católica romana, levantando-se abertamente contra todos os erros que desejam deformá-lo, sem medo de ameaças ou sanções canônicas injustas, visto que esse depósito, nem Dom Semeraro, nem nenhum outro membro da hierarquia eclesiástica poderá mais alterá-lo. Como diz São Pedro: “Mais vale obedecer a Deus que aos homens”.

Todas as pessoas que desejarem receber os sacramentos como a Igreja sempre os administrou, receber um catecismo autêntico para os seus filhos, uma formação para os adultos, uma direção espiritual e um conforto para os doentes serão sempre bem-vindas.

Distrito da Itália da Fraternidade São Pio X

Tags:

29 Comentários to “A resposta da FSSPX-Itália ao bispo de Albano.”

  1. Fico até com um pouco de vergonha pelo bispo de Albano. A FSSPX novamente mostrou como se faz e colocou o prelado em seu devido lugar.

    Que Dom Lefebvre, lá do céu, interceda pela Igreja que tanto amou nesta terra.

  2. Primeiro fórum dos cristãos homossexuais?

    Pode isso, Arnaldo?

  3. Obrigado Dom Marcel Lefebvre! Obrigado por colocar Deus acima de tudo!

  4. Pois é senhor bispo, se tivesse ficado quieto teria ficado sem essa.

  5. A igreja católica combatendo a Fraternidade São Pio X porque a Fraternidade defende a Igreja Católica!

  6. Queria pedir ao Fratres, se possível, para fazer um post explicando a história da Fraternidade São Pio X, sua relação com a Igreja, sua real situação hoje e o que implica ao fiél acompanhar uma missa celebrada por um sacerdote da fraternidade. O que, na prática, e na visão da Igreja, a Fraternidade é?

    As informações que existem são um pouco fragmentadas e ainda não está claro para mim. Acredito que seria de grande utilidade.

    Desde já, obrigado.

    Um abraço.

    • Endosso o seu pedido o que será de grande utilidade e esclarecimento para todos e do ponto de vista informativo e formativo também acho um tanto fragmentado. Muito agradeceria ao Fratres se fosse concedido o seu pedido.

  7. Gregório, eu sugiro a você a “Carta Aberta aos Católicos Perplexos” de Dom Marcel Lefebvre. Considero esse documento o primeiro passo para o entendimento à obra deste Arcebispo.

    http://permanencia.org.br/drupal/node/1336

  8. Causou-me espanto o teor dessa resposta, já que Dom Fellay e vários outros membros da FSSPX estão usando um tom mais “conservador” e menos “tradicionalista”.

  9. FRATRES,
    Por favor, ajudem-me:
    Mas não é justamente com essa gente lá da Roma Apóstata que a neo FSSPX quer estar em plena comunhão?
    Mons. Lefebvre não aceitou negociar com eles, mas Mons. Fellay até elogiou Francisco…
    Hummm…

    • Mas Felipe,
      Ser sede-vacantista é bem mas fácil. Aí a gente sempre chama Roma de Apóstata e nem sofre por dizer.
      Quero ver no juízo, dizer isso sem sofrer uma lágrima. Aí no seu cantinho, tranquilo e com as benesses de uma boa vida, quero ver fazer um apostolado nas ruas para converter estes hereges.
      Ninguém te contesta, mas este miserável aqui sim.

      Deus tenha piedade.
      SM!

  10. Agora me lembrei daquela propaganda: “Tomou”?

  11. Muito boa resposta! Será que Dom. Semeraro vai agora choromingar no ombro de Sua Santidade? Aguardemos.

  12. A FSSPX deu uma contundente resposta ao tal Dom Semeraro. Quero ver ele ter a coragem de rechaçar as afirmações, legítimas, da Fraternidade. Dito de outra forma, todos os atos nefastos cometidos por Dom Semerraro elencados na resposta (inclusive, […] o bispo, pode organizar uma vigília ecumênica na catedral (18 de janeiro de 2014) para rezar com pessoas que, certamente, não estão “em comunhão com a Igreja católica” […] ) não podem ser negados, pois, de fato, foram praticados por ele. Que sirva de lição e que Dom Semeraro se converta!

  13. Hmmm…. Já sai outro decreto de excomunhão já já…

    Realmente a hierarquia católica de hoje não merece ser levada a sério. Bem feito para o Bispo, falastrão e irresponsável. Tomou a resposta que merecia.

  14. Um video interessante “The Society of St. Pius X is Not in Schism ”

  15. Se esta resposta da Fraternidade fosse um jogo de Street Fighter no final dela iria aparecer um “PERFECT!” na tela.

  16. Ainda assim utilizaram a frase de São Pedro de modo torcido, temerário e quiça anti-católico. Obedecer ao Magistério da Igreja é obedecer a Deus. É próprio Cristo quem diz “quem vos ouve, a Mim ouve” (São Lucas, X, 16). Como um católico pode tentar ir de encontro ao que reconhece como emanado do Magistério (a FSPX reconhece a autoridade e mesmo a jurisdição destes pretensos bispos) e simultaneamente dizer que agindo contra este mesmo Magistério que se “obedece a Deus”?

    A FSPX sempre enfrentará aporias como esta enquanto não reconhecer que a sé está vacante (coisa que o próprio Mons. Lefebvre não rechaçava de plano).

  17. A Santa Sé não está muito preocupada. Os bispos sobreviventes de Econe estão envelhecendo. Daqui a alguns anos, não terão mais quem ordene padres. A não ser que haja uma nova consecração episcopal sem licença, o que provavelmente tornaria definitiva a separação. Alguma saída?

    • E que tal a Santa Sé parar de querer abraçar quem nos corta a garganta ou quem não pretende abandonar o pecado e começar a abraçar quem mantém a fé???

  18. Fatality! SSPX win.

  19. Mais um motivo para Dom Erwin Krautler parar de reclamar da falta de padres em sua Prelazia de Xingu. Coloque meia dúzia de padres da Fraternidade lá. Se tiver coragem para isso, é verdade… e sua jurisdição, em pouco tempo, não só será espiritualmente pujante, mas dará lições de catolicismo a muitas outras (quase todas) dioceses do Brasil.

  20. Por favor, alguém podem e informar se a FSSPX existe no Brasil? Gostaria de saber se eles estão aqui, talvez lá eu encontre um exército de Padres prontos a defender a Igreja e não um monte de seminaristas ficando quieto e vendo o meteoro chegar e não fazer nada. Esse é o motivo pelo qual ainda tenho receio de ir para o seminário, achei que um autêntico defensor da tradição como Dom João Bosco com os salesianos seria bom, mas…

  21. Dar comunhao aos recasados, pode. Ir à missa da FSSPX, não.
    Pedro, tu me amas?

  22. Mmmm… Essa doeu!!