Foto da semana.

Última missa pública do Padre Michael Rodríguez, celebrada no dia 9 de novembro de 2014, em Shafter, onde atuou como Administrador Paroquial por 38 meses.

rodriguez

Em seu belíssimo sermão de despedida na igreja do Sagrado Coração, padre Rodríguez encorajou seus desolados fiéis a recordarem a oração de Jó: O Senhor deu, o senhor tirou; bendito seja o nome do Senhor!” (Jó 1, 21) e explicou como um católico deve reagir às aflições, sofrimentos e perseguições. As aflições são uma graça. (1) Elas nos fazem semelhantes a Cristo na medida em que partilhamos de Sua Cruz. (2) Podemos sofrer em expiação por nossos pecados e pelos pecados dos homens na Igreja. (3) Podemos ganhar mérito para o Céu se sofrermos com paciência, fé, caridade e confiança na Santa Vontade de Deus. A Santa Missa, a Igreja e a Virgem Maria servem todos como Porta Caeli (Porta do Céu). Deus nos deu essas coisas para que possamos alcançar o Céu. Esse é o nosso fim último!

O padre conta que em seus 18 anos de sacerdócio, este foi o seu 4º sofrimento. Os três primeiros foram: 1º) em 1999 – renúncia do cargo de Diretor de Vocações da diocese de El Paso; 2º) em 2000 – transferência Paróquia de Santo Tomás de Aquino, em El Paso; 3º) em 2011 – Transferência da Paróquia de San Juan Batista. Este 4º sofrimento é o mais triste, pois consiste em deixar a Missão de Shafter, ser privado de seu ministério público como sacerdote e ver a tristeza dos fiéis de Presídio/Shafter, que tanto amam a Santa Missa.

Crédito da foto: JMJ HF Productions

4 Comentários to “Foto da semana.”

  1. [Resposta a Francisco Cardoso]
    Pergunto-me, de início, se há algum católico que não seja pela Tradição da Igreja, uma vez que a vida da Igreja se resume nisto: “Tradição”, isto é, algo que não inventamos, mas é transmitido e entregue (“trádere”,entregar em latim). Os ditos tradicionalistas (e há uma verdadeira tradilândia!) são os únicos a terem coragem de enfrentar o Establishment imposto, goela abaixo, por uma maioria de néscios, tolos e desavisados ou simplesmente criminosos. Não percebo nenhum “medo” entre os tradicionalistas. São os únicos a terem coragem de não pensarem em si, em carreira e nas benesses e prebendas de que o clero pode usufruir. Penso especialmente nos vira-casacas q eram tietes de Papa Ratzinger e agora o renegam como fraco, míope ou ultrapassado. Sabe p q, Francisco? Por que sonham com a mitra, dia e noite, noite e dia. Alguns até diziam a Missa tradicional, e agora voltaram correndo pro atabaque, pro chinelinho e pro morcegão… Sonham com a mitra: pergunte se querem abandonar seus afetos mundanos, sua vida esquizoide, sua vida dupla, tripla e quádrupla, sua sauninha básica de segunda-feira e suas “peregrinações” à Europa, sempre “bem” (!) acompanhados pelo efebo-da-hora. Uma palhaçada, enfim, com q caminham rápido para o abismo, achando q se pode zombar de Deus e que, no fundo, tudo o q antes se disse e ensinou sobre “Céu, Juízo, Inferno e Paraíso” precisa ser “lido” à “luz” dos “novos tempos”, em que a “Igreja” deve superar essas categorias “órficas” e “platônicas” em q o Cristianismo se “inculturou” de início, devendo, agora, abrir alas para escola de samba.

    Não há medo algum, Francisco. Os católicos já sabem o placar desse perigoso jogo em que se aposta a própria salvação e a dos irmãos: os maiores defensores – para não dizer os únicos defensores – do Papado e das prerrogativas da Igreja Romana são os tradicionalistas: sabemos que as portas do Inferno não prevalecerão, e q todos os q se levantarem contra ela serão, a seu tempo, banidos pelo Senhor da Messe. Vc é seminarista, Francisco? Estude. Estude. Estude. E reze muito.

  2. Aff , vontade de chorar …rezarei muito por ele !!!!

  3. Santiago, a resposta à sua pergunta é o próprio Jesus que a dá:
    _”Aquele que põe a mão no arado e olha para trás, não está apto para o Reino de Deus.” (Lc 9,62)
    Jesus não prometeu vida fácil aos seus Apóstolos, muito pelo contrário! Disse claramente que os passarinhos tem ninhos e as raposas, suas tocas, mas o Filho do Homem não tem nem onde reclinar a cabeça.” (Lc 9,58).
    Mas como cabeça vazia é oficina do diabo, depois que esses homens perdem a fé o que resta é um espetáculo triste de se assistir. Sodomitas em paramentos então nem se fala! Eles se sentem a própria “drag queen” montada em brocados! Não reconhecem nos paramentos sacros o simbolismo da realeza de Nosso Senhor Jesus Cristo, mas sim a própria vaidade pessoal.
    No mesmo bonde vão os comunistas de chinelão, mas que não abrem mão dos palácios episcopais, das mitras diocesanas, dos carros do ano e dos “efebos-da-hora”.
    Todos eles colocaram a mão no arado e passaram cola superbond pra não desgrudar dele, enquanto os pescoços padecem de torcicolo de tanto olhar pra trás e lamentar a impossibilidade de cantar e assobiar aos mesmo tempo.

  4. Coloquei o Pe Michael em minhas orações diárias.

    Fiquem com Deus.