Franciscanos da Imaculada : “Cuidado!” com os desertores.

Entre os bispos que participavam da sessão plenária da Conferência Episcopal italiana, circulava o padre Fidenzio Volpi, o Comissário do Vaticano para a Congregação dos Frades Franciscanos da Imaculada, e advertia então aos Bispos para que não acolhessem em suas dioceses os frades que queriam deixar a Congregação dos Franciscanos da Imaculada.

Por Marco Tosatti – La Stampa | Tradução: Gercione Lima – Fratres in Unum.com: Fomos informados, à parte dos trabalhos da assembleia dos bispos italianos em Assis, sobre um fato marginal, mas indicativo de uma atmosfera não exatamente idílica. O fato é o seguinte: entre os bispos que participavam da sessão plenária da Igreja italiana, circulava o padre Fidenzio Volpi, o Comissário do Vaticano para a Congregação dos Frades Franciscanos da Imaculada.

A razão para a presença do Comissário não foi por acaso. De acordo com o que foi relatado por fontes confiáveis, dignas da maior fé, o Comissário se aproximava ora de um bispo e ora de outro, a fim de dissuadi-los, por assim dizer, de acolher em suas dioceses aqueles frades da Imaculada que já não se reconhecem mais na nova gestão da Ordem, administrada pelo Comissário e, sobretudo, pelo Secretário e porta-voz, o padre Alfonso de Bruno.

Como já tinha sido observado neste espaço, que entre outras coisas, o comissariamento dos Franciscanos da Imaculada se destaca tanto pela imprecisão das razões – na verdade nunca disseram claramente por quais motivos concretos a Congregação para os Religiosos tomou tal medida, salvo uma acusação de cunho “cripto-lefebvrista” – tanto pelo grau de conflito interno que a teria provocado e a severidade da reação, da qual este último episódio é uma confirmação adicional.

Como um leigo, eu me pergunto por que um religioso que não se sente mais como membro de uma congregação deve ser quase obrigado a permanecer nela, ao invés de levar a sua contribuição como sacerdote a uma diocese, principalmente num momento em que as vocações não abundam. Brincando, poderíamos dizer que eles se tornaram como refugiados também… E por que o Comissário Pontifício viaja para Assis, só pra advertir: “Tenha cuidado…” a este ou aquele bispo… O que se pode dizer?

Parece que não é um clima muito agradável, o que se respira atualmente na Igreja.

3 Comentários to “Franciscanos da Imaculada : “Cuidado!” com os desertores.”

  1. Essa é a pergunta que me faço todos os dias: não há um homem de Deus que venha à publico e levante sua voz contra essa tirania?

  2. Pois é, o estado de necessidade de Dom Marcel Lefebvre já virou um verdadeiro estado de urgência!

  3. com tantos problemas que existem no seio da igreja, o maior são os franciscanos da immaculata ?, está tudo doido, esse senhor volpi não tem mais nada que fazer, algo de útil.