Vaticano: O assassinato cruel do casal cristão é uma barbárie que humilha a humanidade.

ROMA, 07 Nov. 14 / 01:20 pm (ACI/EWTN Noticias).- A Santa Sé se pronunciou sobre o trágico caso dos dois jovens casados, cristãos, pais de 4 filhos, queimados vivos no Paquistão por uma multidão muçulmana. O casal foi injustamente acusado de blasfêmia por um muçulmano.

Sobre este acontecimento, o Presidente do Pontifício Conselho para o Diálogo Inter-religioso, o Cardeal Jean-Louis Tauran, falou com a Rádio Vaticano: “estou perplexo, ficamos sem palavras, obviamente, perante um ato de tamanha barbárie. Aquilo que é ainda mais grave é que foi invocada a religião, em modo específico”.

“Uma religião não pode justificar crimes desse gênero. Existe essa lei da blasfêmia, que representa um problema: a comunidade internacional, não deveria intervir?”

O Cardeal disse que “de um lado, certamente estão as convicções religiosas que devem ser respeitadas, mas é necessário, também, manter um mínimo de humanidade, de solidariedade. Acredito, então, que o diálogo se imponha: infelizmente, não se diz nunca o bastante sobre isso. Mais delicada é a situação, mais se impõe o diálogo”. “Eu me pergunto: podemos ficar assim, passivos frente a crimes declarados legítimos pela religião? Desde o ano em que foi introduzida a lei da blasfêmia, foram registradas cerca de 60 execuções”.

O Cardeal Tauran disse logo que “não envolvem somente os cristãos: inclusive outras minorias foram atingidas, como advogados, opositores ao regime que foram mortos de maneira bárbara. Estamos perante a um grande problema…”.

Pensando que “muitos cristãos se encontram, atualmente, nos braços da morte do Paquistão: pensamos, obviamente, também em Asia Bibi, mas existem tantos outros casos. Hoje seria realmente necessária uma ação para solicitar a reforma dessa lei…”.
“Sim, mas no ponto em que nos encontramos agora, não se pode intervir nos assuntos internos de um Estado, mas, ao menos, é preciso ajudar os responsáveis da política a encontrarem soluções dignas do homem e da civilização”.

A Comissão de Justiça e Paz do Paquistão reagiu a este drama, denunciando a falta de vontade por parte da política e afirmando que tudo isso rende as minorias ainda mais vulneráveis: “Penso que, efetivamente, a Igreja local seja muito corajosa. É necessário apoiá-la e, sobretudo, denunciar, denunciar rigorosamente que não há nenhuma justificativa pra esse tipo de coisa. Na realidade, a humanidade inteira acaba sendo humilhada…”.

Sobre uma possível reação dos líderes muçulmanos locais, o Cardeal disse: “Espero, sim! Isso é o que desejamos desde agosto… Por isso, é preciso reconhecer que as primeiras vítimas são os muçulmanos, porque esses crimes dão ao islamismo uma imagem terrível, muito negativa. Então, teriam todo o interesse de denunciar, e também de maneira contundente…”.

“Acredito que tenhamos chegado ao que São Paulo define “o mistério da iniquidade”, isto é, o mal ao estado puro. Nem os animais se comportam desse modo!”.

Para concluir, o Cardeal afirmou que “a gente se encontra realmente numa época de precariedade total, onde tudo pode acontecer, a pessoa humana não é respeitada, a vida não conta mais”.

Tags:

13 Comentários to “Vaticano: O assassinato cruel do casal cristão é uma barbárie que humilha a humanidade.”

  1. ‘ Que crueldade”

  2. A verdade sobre Maomé. Neste documento, em 3 partes, veremos que Maomé foi um:

    Senhor da guerra e terrorista, Ladrão, Assassino, Mandante de assassinatos, Pervertido sexual, Pedófilo, Mercador de escravos e pirata.

    Veremos também que Maomé forjou uma ideologia, o islamismo, que, (se seguida em sua totalidade), leva seus seguidores a se (comportarem como ele).

    Podem discordar que eram normas de condutas daquela época, e mesmo que fosse… Ao fazer tudo que fez, Maomé definiu o padrão de comportamento pois ele é o exemplo a ser seguido, a virtude islâmica é imitar Maomé. muito diferente de Cristo (1 Co 11:1)
    Então estamos condenados a ter como norma de conduta ideal a de um terrorista árabe do século sétimo. O que mais seria senão o próprio anticristo? (1 Jo 2:18 e 22):

    Maomé ordena os fiéis para serem duros contra os não-muçulmanos:
    Alá (ou seja Maomé) ordena os muçulmanos a lutarem contra os kuffar (non-muçulmanos) para sempre, até o fim dos tempos!

    Mate-os! [Alcorão 9:5]
    Lute contra eles! [Alcorão 2:193; 8:39]
    Mate-os violentamente [Alcorão 9:5]
    Assasine-os [Alcorão 9:123]
    Estupre-os! [Alcorão 33:5; 33:50] Venda-os em escravidão! [Alcorão 9:5; 47:4]

    Informe-se!

    Primeira parte: http://infielatento.blogspot.com.br/2010/08/blog-post.html ;

    Segunda parte: http://infielatento.blogspot.com.br/2010/11/verdade-sobre-maome-conquistador-e.html

    Terceira parte, o Maomé pedófilo e pervertido sexual.

    (Pergunta): seria o Alcorão uma revelação divina ou uma escritura para justificar cada ação?

    http://www.answering-islam.org/portugues.html
    http://www.thereligionofpeace.com/
    http://www.faithfreedom.org/index.htm
    http://www.jihadwatch.org

    Mais do que uma religião, o Islã é uma doutrina ideológica completa, que rege os aspectos da vida de muçulmanos e não-muçulmanos. É a única “religião” com uma teologia com regras para a conquista e subjugação dos não-muçulmanos, consolidadas na Lei Islâmica, a Sharia. O objetivo do Islã é (implementar a Sharia em todo o mundo).

    Muito diferente do Misericordioso e Justo Jesus Cristo, que devemos imitá-los: Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos muito amados. (1 Co 11:1)
    Progredi na caridade, segundo o exemplo de Cristo, que nos amou e por nós se entregou a Deus como oferenda e sacrifício de agradável odor. (Efésios 5:1-2)

  3. A Igreja teima em querer dialogar com o demônio. Já não há provas de que o inimigo não quer dialogar??

    Mas a diplomacia é importante e necessária? Decerto que sim. Mas parece que a impressão é “diálogo a todo custo”, mesmo diante dessas barbaridades.

  4. Já que o Cardeal Tauran citou a questão de evidente ação do “mistério da iniquidade” nesse crime hediondo, identificamo-lo como o reinado de Satanás sobre o mundo, tem ocorrido de forma invisível mas transparece cada vez mais em obras, não por todos distinguidas como dele, pois trata-se de um domínio espiritual que anuvias as mentes e as induz à adoção ou à criação de movimentos ideológicos e filosofias antagônicos à verdadeira fé cristã, ao contrario, geram o caos total, deixando a todos perplexos, sem distinguir o de onde e o porquê, salvo alguns poucos.
    As Escrituras nos alertam que, no futuro, resultando da apostasia cristã, Satanás irá tentar converter esse domínio espiritual e invisível em um reino político, visível e permanente, dominando o mundo inteiro e, para tal, tem de condicionar o mundo a aceitar um governante político supremo que terá poderes únicos e fará grandes prodígios e seduzirá imensas multidões.
    O Islã está à espera do seu “Salvador”, o Mahdi, junto com os comunistas que avançam globalmente já seriam os mais evidentes sinais desse futurio reinado – apesar de temporário – aquele uma religião pagã e esse um regime ideológico fortemente anti cristão, ambos aliados e satanistas.
    .

  5. E Francisco I? Nada a pronunciar como Papa e chefe de Estado? Silêncio, mutismo, isso seria a atitude de um Papa zeloso com o seu rebanho? Manda um não sei-o-quê falar e fica numa boa? Francamente… não entendo, aliás, ninguém entende.
    Veja o pronunciamento foi feito quase “um ano depois” do terrível evento. Certamente porque não era de muita importância para Santa Sé. O importante é o diálogo, o ecumenismo, a reunião com a corja anticatólicas.

  6. O cara que falou parece ser um chefe de algum departamento da ONU, pois não fala em pecado, ofensa a Deus nada!!! Para um chefe religioso “foi um crime que humilha a humanidade”. O cardeal, não foi um pecado, uma perseguição religiosa, nada?!!!

  7. Se Nosso Senhor realmente é a única verdade, o único caminho e a única e necessária vida, os caminhos que lhe são opostos só podem ser o erro, o engano e a morte. O Islã surgiu na era Cristã, a verdade já tinha sido revelada e Maomé sabia de Cristo e da Igreja.

    Muito interessante essa teoria do Paulo acima, de que no futuro pode haver a convergência de duas forças aparentemente antagônicas mas unidas em um único ideal: varrer da face da terra o Cristianismo. A saber, o Islãmismo e o Comunismo.

  8. “Maomé foi um discípulo do demônio, e seus seguidores estão em um estado de perdição” (São Jorge de San Saba)
    ***
    “Quem quer que não abrace a religião católica será danado, como foi seu falso profeta Maomé.” (São Pedro Mavimenus)
    ***
    Papa Calixto III: “Eu juro… exaltar a verdadeira Fé, e extirpar a diabólica seita do reprovado e infiel Maomé [Islã] do Ocidente.”

  9. Padre Pio de Pietralcina já dizia que o peixe apodrece e começa a feder é da cabeça. E sendo o Papa, o cabeça visível da Igreja, quando ele está envenenado e corrompido pela ideologia do politicamente correto, esse veneno vai descendo pelas artérias e se espalha até pelos capilares. As escolas católicas são um exemplo desses capilares.
    Essa semana, enquanto eu estava no trabalho recebi uma mensagem de texto da minha filha que faz o High School numa escola “Católica” chamada Nossa Senhora de Loretto.
    Aqui vai uma cópia com a devida tradução:

    “Hey mom something hilarious happened this morning
    At school”

    T- Oi mãe, essa manhã me aconteceu algo hilário na escola

    Basically I think last week the teacher (world religions) gave us a student assessment sheet and there was this one part where it said “I respect all religions and cultures” so I highlighted “yes” an then wrote “except for Muslims”

    T- Basicamente, eu acho que na samana passada a professora de ( religiões no mundo) deu-nos um questionário e nele havia uma parte que dizia “Eu respeito todas as religiões e culturas”, aí eu marquei SIM e depois escrevi “exceto muçulmanos”.

    So today she called me out on that, said not to say it cause it’s “hate speech” an then sent me to a student councillor and I was just laughing so hard omg

    T- Pois bem, hoje ela me chamou a atenção a respeito disso e falou pra eu não dizer mais isso porque é “Discurso de Ódio” e me enviou para um Conselho de Estudantes e eu tive que rir alto.

    They thought I was being like bullied or some shit by a Muslim, but I explained to the student councillor that I just hate the religion in general

    T- Eles acharam que eu estava sendo alvo de bullying ou alguma merda relativa a album muçulmano mas eu expliquei à Conselheira que eu apenas odeio a religião em si.

    They wanted to know why and I explained my reasons and told them y research, it was hilarious
    There was this one point where she asked what if there was a Muslim classmate, and I just said 1. This is a CATHOLIC school,

    T- Eles queriam saber o porquê e eu expliquei minhas razões, disse a eles que fiz a minha pesquisa e foi hilário. Chegamos a um ponto em que uma das conselheiras me perguntou e se eu tivesse uma colega de classe que era muçulmana? Eu simplesmente respondi: Esta é uma Escola CATÓLICA.

    Então chegamos a esse ponto que nas Escolas dita Católicas, os alunos tem que achar que todas as outras religiões são boas, exceto a Católica que “aprovou escravidão, criou a Inquisição, foi conivente com o Holocausto, foi repreensiva no tocante ao sexo…etc”.
    Não tem outro jeito, quem for Católico tem que dar uma formação Católica rigorosa aos filhos em casa, alimentá-los com Sacramentos verdadeiros em uma Igreja Tradicional e não se preocupem porque eles saberão confrontar os inimigos de Deus lá fora. As escolas seculares ou Católicas devem ser vistas apenas como um lugar onde se recebe instrução e graduação, mas a formação e a educação tem que vir de casa.

  10. MAOMÉ SEGUNDO SÃO JOÃO BOSCO

    Assim São João Bosco descrevia a figura de Maomé e a sua falsa religião Islâmica:

    “O famoso impostor Maomé nasceu no seio de uma pobre família de Meca, de pai pagão e mãe hebréia. Vagando em busca de fortuna, tornou-se empregado de uma viúva hebréia, mercadora da cidade de Damasco que logo, logo se casou com ele. Como Maomé sofria de epilepsia, soube como servir-se de sua enfermidade para provar a religião por ele inventada, afirmando que suas frequentes quedas eram devidas aos ‘êxtases’, nos quais tinha diálogos com o Arcanjo Gabriel.
    A religião que ele pregava é uma mistura de paganismo, judaísmo e cristianismo. Admite um só Deus, não reconhece Jesus Cristo como Deus, mas somente como mais um entre tantos profetas. Ele ditou sua crença em língua árabe, compilando um livro ao qual deu o nome de Alcorão, ou seja ‘O Livro por Excelência’ e no qual se vangloria de ter realizado um milagre realmente ridículo. Ali ele narra que tendo caído um pedaço da lua em uma de suas mangas, ele soube como remendá-la. Eis porque os muçulmanos tomaram como insígnia a meia-lua ou crescente islâmico.

    Conhecido como sendo um homem pertubador, seus conterrâneos queriam assassiná-lo. Mas ao se dar por conta disso, Maomé empreendeu uma fuga para a cidade de Medina, acompanhado por outros aventureiros que ajudaram-no a tomar posse da cidade. A essa fuga de Maomé, seus seguidores deram o nome de Hegira, que quer dizer ‘perseguição’. De fato, a partir dali teve início a Era Muçulmana, correspondente ao ano 622 dC. O seu ‘Alcorão’ é cheio de contradições, absurdos e repetições. Como não sabia escrever, Maomé se serviu da ajuda de um hebreu e de um monge cristão, apóstata da Pérsia, chamado Sérgio. Logo, logo ele conquistou muitos seguidores, tornando-se em seguida chefe de um formidável exército que conseguiu com o poder da palavra e das armas, ditar a sua religião por quase todo o Oriente.”

    http://www.apologeticacatolica.com.br/agnusdei/div145.htm