A propósito dos católicos coelhos criticados pelo papa.

Artigo primoroso de nossa querida amiga e colaboradora Patrícia Medina publicado pela Capela Santa Maria das Vitórias.

Fui abençoada com 6 filhos. Filhos que tive por 6 partos cesáreas. Meus partos cesáreas nunca foram por comodidade ou por medo da dor do parto natural. Pelo contrário. Sempre desejei dar à luz naturalmente, mas meu primeiro filho entrou em sofrimento fetal após 13 horas de trabalho de parto. Mecônio[i] e sangue fizeram com que o nascimento dele fosse uma emergência médica e a cesariana, inevitável para salvar a vida dele. Graças a Deus dei à luz num tempo onde a cirurgia cesariana foi uma opção. Apenas algumas décadas antes, estaríamos mortos, eu e meu filho. Apesar de um APGAR[ii] inicial bastante baixo, meu primogênito se recuperou e hoje é um rapaz inteligente, caseiro, bom filho.

Infelizmente, no Brasil, a prática médica do VBAC[iii] ainda é desencorajada. Nestas terras tupiniquins ainda reza o refrão: “Uma vez cesárea, sempre cesárea”. E assim, sem qualquer culpa da minha parte, tive 6 partos cesáreas. Apesar de não ter tido a dor natural do parto, ofereci a Deus o sofrimento do pós-parto, que pode ser bastante longo e doloroso.

Tive médicos bons e responsáveis. Médicos que me asseguraram que eu poderia continuar a ter filhos, apesar do número de cesáreas. Conheço mesmo mães que têm mais de uma dezena de filhos por esta via. Enfim, fui abençoada seis vezes. Sete, se contar uma gestação que não foi adiante.

Enfrento, diariamente, a curiosidade, o desrespeito, as gozações, os cochichos e os comentários de tanta gente que, só pelo fato de eu ter 6 filhos, acham que têm o direito adquirido de dar a sua opinião a respeito daquilo que é tão sagrado para mim! Tenho anedotas de sobra! Já fui parada na rua e perguntada se eu “não me importava com o meio ambiente”. Já riram de mim, dezenas de vezes, ao perguntar se eu não tinha televisão em casa (a propósito, não! Não temos! Graças a Deus!), se eu sabia o que causava a gravidez, se eu não tinha algum hobbie. E tudo isso, falado inconvenientemente, sem pudor, na frente dos meus filhos pequenos! Já ouvi que sou ignorante, que sou irresponsável, já tive que dar explicações financeiras a estranhos, nossa família é frequentemente olhada com desdém. Já tive um médico que sugeriu, discretamente, que eu abortasse minha terceira filha por ser “perigoso”. Perguntam sempre ao meu marido se os 6 filhos dele são “da mesma mulher”! Certa vez, quando estávamos debaixo de chuva com bebê de colo e precisando de um táxi, muitos taxistas passavam com seus carros vazios e nos faziam sinal com as mãos, gesticulando que éramos gente demais. Gente demais… Pode o céu ser povoado demais?

Enfim, sempre aguentamos as críticas, eventualmente intercaladas com algum elogio aqui e ali. Os elogios que exaltam a minha suposta coragem nunca foram o nosso apoio para o sacrifício de ter muitos filhos. A opinião das pessoas, sejam elogiosas ou desabonadoras, são irrelevantes. Nosso foco, meu e do meu marido, sempre foi Nosso Senhor. Sempre foi fazer a vontade de Deus. E fazer a vontade de Deus na finalidade própria do matrimônio: a procriação dos filhos. Apesar da sociedade anticristã. Apesar do custo. Apesar do mundo! E agora, temo dizer: apesar do Papa!

Nesses anos todos, e lá se vão 17 anos de casamento, nunca tinha escutado a pérola que o Bispo de Roma dirigiu às mães de famílias numerosas: coelhas! Sua Santidade foi, e digo isso com dor no coração, vulgar! Sim, vulgar! Jamais ousaria comparar uma senhora, esposa e mãe católica, a um animal irracional. E a um coelho! Pense na reação de pais de família se porventura fossem comparados a asnos, por trabalharem demais. Ou se pobres, moradores de rua, fossem chamados de ratos por viverem maltrapilhos. Ou se se comparassem pacientes em coma a bichos preguiça? Preciso continuar? A comparação é vulgar e denigre o alvo das críticas. É um desrespeito. É, pura e simplesmente, falta de caridade!

Além disso, o Papa, aquele que deveria nos confirmar na fé, aquele que deveria nos apoiar, nos defender, acabou de jogar as mães e pais de famílias numerosas aos leões! Meu marido acaba de me falar que amanhã, no trabalho, vão lhe questionar sobre as palavras do Papa. Evidentemente, os neoconservadores, aquele tipo de católico aparentemente esclarecidíssimo, obedientíssimo, fidelíssimo, porém covarde e cheio de respeito humano, vão defender as palavras de Sua Santidade com alguma ginástica mental afirmando que a mídia distorceu suas palavras, que tiraram de contexto o que ele disse, que ele disse “coelhas” no melhor sentido possível. Talvez digam que sim, são irresponsáveis as mulheres que tem muitos filhos. E se sentirão obedientíssimos, fidelíssimos, esclarecidíssimos!

No entanto, eu, meu marido, meus 6 filhos, não vamos defendê-lo. Vamos defender aquilo que a Igreja sempre ensinou. Jamais darei piruetas intelectuais para desculpar publicamente Pedro quando ele agredir aquilo que sempre foi verdadeiro e santo! Prefiro olhar pro céu a enfiar a minha cabeça num buraco!

Num dos comentários, ele ainda citou a cifra duvidosa de especialistas que afirmaria que o ideal é “3 por família”. Disse ainda que a Igreja dá muitos “meios lícitos para limitar a procriação”. Usou o exemplo de uma mãe que está grávida do 8º filho, tendo tido 7 cesáreas. Ela seria irresponsável. ”Ela quer deixar os 7 filhos órfãos?”, perguntou o Papa. O que ele sugere agora que o filho já está na barriga? Só eu vejo as implicações dessa fala perigosa do Bispo de Roma? Sua Santidade não sabe o que fez. Nos jogou aos leões da ONU, na NOM, da maçonaria. Aqueles, sabem?!, que nos rodeiam procurando nos devorar…

Mas tenho algo a dizer às tantas mães de famílias numerosas (muitas amigas minhas, companheiras da Capela, cujos abençoados bancos mal comportam tantas famílias com 3, 4, 5, 6, 7, 10 filhos!), às mães discriminadas por terem tido partos cesáreas múltiplos, às mães que têm filhos apesar da contestação da família, da sociedade e, lamentavelmente, de setores liberais da Igreja: “Corramos ao abraço da cruz! Tantas mulheres cristãs foram entregues aos leões. Não sejamos nós a fugir da cruz! Adiante! Povoemos esta terra com santos sacerdotes, pais e mães de família cristãs, e o céu com santos”. O céu é o prêmio, já dizia santa Teresinha.

E rezemos pelo Papa. Ele não sabe o que fez.

Em Cristo,

Patricia Medina

* * *

[i] Mecônio é um material fecal de cor esverdeada bastante escura, produzida pelo feto e normalmente é expelida nas primeiras 12 horas após o nascimento. Às vezes, o mecônio é expelido antes do parto, colorindo o líquido amniótico que normalmente é de cor clara. Esse fenômeno é anormal e pode indicar sofrimento fetal. Há um risco de que o bebê inale este líquido chamado líquido meconial, o que pode causar crise respiratória por obstrução e inflamação de suas vias aéreas. Esse risco é evitado desobstruindo-se por aspiração as vias aéreas do recém-nascido imediatamente após o nascimento.

[ii] A Escala ou Índice de Apgar é um teste desenvolvido pela Dra. Virginia Apgar, médica norte-americana, que consiste na avaliação de 5 sinais objetivos do recém-nascido no primeiro, no quinto e no décimo minuto após o nascimento, atribuindo-se a cada um dos sinais uma pontuação de 0 a 2, sendo utilizado para avaliar as condições dos recém-nascidos. Os sinais avaliados são:frequência cardíaca, respiração, tónus muscular, irritabilidade reflexa e cor da pele. O somatório da pontuação (no mínimo zero e no máximo dez) resultará no Índice de Apgar e o recém-nascido será classificado como sem asfixia (Apgar 8 a 10), com asfixia leve (Apgar 5 a 7), com asfixia moderada (Apgar 3 a 4) e com asfixia grave: Apgar 0 a 2.

[iii] Vaginal birth after Caesarean section (VBAC) – Parto Vaginal Após Cesariana

Tags: ,

50 Comentários to “A propósito dos católicos coelhos criticados pelo papa.”

  1. O querido amigo, Prof. Humberto Leal Vieira, que mora em Brasília, com sua família: 8 filhos, todos bem cuidados, exemplo de pai responsável, trabalhador, católico exemplar, membro da Pontificia Academia para a Vida. Um testemunho de vida! Parabéns também a Patrícia Medina e esposo! Que Deus os abençoe sempre!

  2. Simplesmente: F-A-N-T-Á-S-T-I-C-O!!

  3. Meus calorosos parabéns sra. Patricia Medina. Sou pai de 7 filhos, graças a Deus e eu e minha esposa também sofremos “brincadeiras” como lhe aconteceu mas não tão duras quanto as suas. Também fui mais feliz em encontrar quem me parabenizasse. Gaude Maria Virgo!
    Quanto ao agir do Papa é mais um sintoma da imensa crise atual da Igreja, no dizer de Bento XVI a mais grave desde a crise do arianismo.
    Não é momento de fechar os olhos e menos ainda de “piruetas intelectuais” para defender o indefensável. A senhora mostrou o que é ser verdadeiramente fiel à Igreja e ao Papado. E que se preocupa com a alma do Papa Francisco.
    Sobre questões como essa e outras tão polêmicas em breve colocarei um artigo no meu site olivereduc.com.
    Que Deus a abençõe e a todas as bravas mulheres que pautam sua vida pelo exemplo de Cristo.

  4. BRAVO!!

  5. Que você veja os bisnetos de seus filhos e a derrota dos inimigos da Cruz!

  6. Da. Patricia: com os olhos cheios de lagrimas devido a emoção de ver uma mãe ensinar a Doutrina Catolica a um Papa envio-lhe minhas calorosas felicitações Marianas. Não se preocupe com as discriminações. Haja como a Mulher forte do Evangelho, figura de Nossa Senhora.S. Paulo diz que não se importa com o juizo do mundo mas sim com o juizo de Deus. Porem, acredite Da. Patricia, o Papa sabe muito bem o que faz quando solta estas abominações: está preparando o terrivel Sinodo de outubro. No tempo do arianismo quem manteve a Fé foram os leigos; idem na Inglaterra no tempo de Henrique VIII. Vivemos uma epoca igual devido a prevaricação da Estrutura Eclesiastica. Continue firme na Fé, Da. Patricia. pois “Eu mesmo serei vossa recompensa imensamente grande”, disse Nosso Senhor Jesus Cristo.

  7. Corrigindo uma falha: sobre as brincadeiras quis dizer: …mas não tão duras quanto aquelas que a senhora sofreu.

  8. Vocês deveriam saber que a mídia distorce e sempre distorceu as palavras do Sumo Pontífice. Deveriam ir atrás de fontes confiáveis pra saber o que ele realmente disse. Deveriam buscar declarações do papa sobre famílias numerosas, onde ele as apoia. O Papa não é herege e tb não vai contra os princípios morais da Igreja.

    • Tudo bem Hugo. Mas está na obrigação da Santa Sé, o Papa ser claro e desmentir as distorções. Por que não fazem. É igual aquela frase de “…quem sou eu para julgar….” O Papa tem ou não obrigação de desmentir?!
      Faça mil favor! Em todo caso, a expressão vulgar de chamar de “coelhos” – isso não é distorção, está gravado em vídeo, é o mínimo lamentável nos lábios de um Papa.
      Em todo caso, ele se coloca ao lado da ONU et caterva, planet parentood que defende controle drástico de natalidade, do regime comunista da China que aborta a força quando ve mulher com filho e grávida.
      Se ele tem declarações sobre “familias numerosas” ele é no mínimo contraditório.
      Aliás, parece que para Francisco 1 só há o pecado do capitalismo, da riqueza. Tudo o mais é permitido.
      Mil felicitações a Sra. Patrícia Medina pela excelente carta-lição para muita gente, inclusive a clérigos. Carta respeitosa, concisa, clara e que desmente mil mitos dos que são inimigos da vida e da natalidade.

  9. Obrigado Mons Lefebvre, por se opor publicamente a essa nova igreja e conseguir continuar a cristandade no meio desse mundo moderno! As famílias numerosas Católicas de hoje também devem agradecer a este Bispo.

  10. O Papa não jogou ninguem aos leões. Não leram o contexto geral e ficam criticando sem bases. Uma coisa é quem tem condições de criar outra é que não tem base nenhuma e nem apoio do estado.
    Cristãos de pouca fé.
    Da mesma forma que o Cristo foi crucificado pelo seus irmãos judeus quando veio pela primeira vez, desta vez seria crucificado pelos seus filhos Cristãos.
    Se somos católicos e Cristãos de fé, temos a obrigação de crer que esse Papa veio por inspiração divina. Eu creio.

    • “Alguns acham que — perdoe a expressão – para sermos bons católicos, temos que ser como coelhos. Não..” = inspiração divina!!! Não será inspiração coelheira!!

    • Jerry, você realmente acha que Cristo apoia a comunhão para recasados pela primeira, segunda, terceira,quarta, quinta… vez? Você, de fato, pensa que Cristo apoia a união homoafetiva? Bergoglio apoia tudo isso! Leia as notícias sobre o Sínodo da Família que ocorreu recentemente! Cristo apoia que o Sumo Pontífice peça a um dirigente muçulmano que o abençoe? Bergoglio fez isso! A freira ímpia Fernanda Barbieri, nomeada interventora das Irmãs da Imaculada por Bergoglio, quando com elas conversava (impunha), mandou que as irmãs tirassem “esta daqui”, referindo-se à imagem de Nossa Senhora. Cristo aprova isso? E mil outras atitudes blasfemas por parte de Bergoglio e os seus sequazes, dentre eles o tal cardeal Kasper, Bruno Forte e Leonardo dos Maus Boffes. Então, responda: este homem que aí está, chamado Bergoglio, que tem um linguajar torpe e vulgar, agressivo, odioso, vingativo, modos grosseiros, é realmente, digno de dirigir a Igreja Católica? Não estou caluniando tampouco inventando. A própria mídia maligna que o incensa e apoia, noticia, diariamente, todas essas ações medonhas dele.

    • Ninguém está dizendo que não crê! Apenas dizendo que é uma coisa lamentável que vai favorecer toda sorte de controle de natalidade sobretudos as ilícitas segundo a moral católica. Não vejo por onde o Francisco I está sendo crucificado. Ele está todo exaltado por essa mídia anticatólica e parece satisfeito. Quem está sendo jogados aos leões e sendo crucificadas são as mães que cumprem com o mandamento e tem muitos filhos. Dessas vc parece que não tem piedade. É lamentável essa sua atitude.

    • Apoio do Estado!?!?!?!?!? Ora, nos poupe, Jerry. Desde quando o estado apoiou alguém? O estado moderno, como o nome diz, é moderno. As família viveram centenas de anos sem a necessidade do estado moderno. A depender do estado moderno, estaríamos mortos!!!!!!!!!!!!

    • O fato de ter sido escolhido por inspiração divina não quer dizer que foi escolhido o melhor homem para sentar na cátedra de Pedro…

      Ou você também não crê nos castigos divinos?

  11. Sra. Medina

    Gratíssima pelo seu depoimento e desabafo. As suas palavras são cheias de sabedoria, vindas, estas sim, do Deus Altíssimo.

  12. EU conheci em Nova Friburgo uma família de 10 filhos. Era simplesmente um pedaço do céu na terra, nada se pode comparar. Sie também de outros casos em comunidades sérias como o Shallon que possui famílias numerosas. Hoje, minha esposa está grávida, e já vivo um verdadeiro milagre na minha vida pois as chances eram mínimas.

    Patricia Medina, o próprio Cristo será a sua recompensa no céu. E que você verá os seus bisnetos e a derrota dos inimigos da Igreja, seja aqui, ou seja na Glória dos Céus!

  13. Parabéns.
    Precisamos de mães católicas autênticas que ainda defendem a Fé Católica.
    E principalmente nesta área de maternidade…. pois existem muitas falsas maternidades…. espalhadas por aí, principalmente em redes sociais mostrando que ser super mãe, é trabalhar ganhando mais que o esposo, estar todo mês em resorts, é os filhos, ops ou um filho! embanhado de personagens do pé a cabeça, e estimados por todos, é estar desde os 4 meses num creche fria e sem afeto, na realidade elas mendigam por estimas dos homens. para serem chamadas de super mãe (imagem d mulher maravilha)
    MÂE é pelejar, Mãe é ensinar, Mãe é catequizar, Mãe é auxiliar, Mãe é assistenciar, Mãe é vigiar, Mãe é se sacrificar pela alma dos seus, Mãe é sofre injúrias por causa de Cristo e mesmo assim rezar pelos que vos perseguem, Mãe, este é o verdadeiro ofício para com sua família. Afinal, isso não é ser super Mãe.
    Isso é ser Mãe Santa e piedosa, Do que DEUS realmente coloca seus olhos e as consola com o prêmio e a coroa do martírio materno.

  14. Patrícia Medina, que Deus Nosso Senhor abençoe sua família! E a de todos que enfrentamos sobretudo o comentário de outras mulheres, mal intencionadas ou apenas estúpidas. O repertório de agressões é imenso! Conheço uma mulher, já avó, que, abusando da amizade e da mansidão da minha mãe, ousa interpelá-la cada vez que minha irmã aparece grávida: “Sabe as índias? Elas não têm mais filhos do que os braços podem carregar”! Os liberais são engraçados. Eles apregoam a liberdade como um bem supremo e incontrastável, mas só até o ponto em que não firam os seus dogmas.

  15. O Papa disse exatamente o que apareceu escrito. Há gravações de video. Disse o que, como Papa
    e como cristão jamais poderia dizer. Reconhecer isto não significa ir contra a fé, contra a Igreja, seja lá o que for. Reconhecer isto significa dizer que este Papa precisa de uma séria correção fraterna, aquelas do Evangelho, que manda corrigir o irmão quando ele erra… Ele não lembra que não é mais um simples Arcebispo local, mas Pedro. Pedro também foi corrigido por suas atitudes ambíguas. Sua desenvoltura perante os jornalistas, está colocando a Igreja em uma situação de vergonha… Enfim, cada vez me sinto pior em relação a isto. E, sinceramente, não posso perder a confiança no Papa, mas está difícil mesmo…

  16. A propósito dos “católicos- coelhos” criticados pelo papa, gostaria de dizer, que o que eu acho mais curioso em toda essa controvérsia, é que se era pra falar de coelhos, por que não mencionar a epidemia de gravidezes e partos múltiplos das últimas décadas? Estatísticas e estudos mostram que só no USA o número de gravidezes de gêmeos dobrou entre 1980 e 2009. Isso pra não mencionar os casos de trigêmeos, quadrigêmeos, quíntuplos e sêxtuplos.
    http://www.cdc.gov/nchs/data/databriefs/db80.htm

    Esses casos sim, seriam uma comparação mais adequada visto que em apenas uma gestação, as coelhas parem uma ninhada de 6 até 11 filhotes de uma só vez.

    Se era pra falar de “responsabilidade e risco”, por que não mencionar que apenas entre os anos 1980 e 1990, estima-se que 865 mil crianças, frutos de gravidezes múltiplas nasceram nos Estados Unidos e que metade dessas crianças vieram com baixíssimo peso, e uma em cada 10 com um peso tão baixo peso que comprometia suas chances de sobrevivência?

    Se era pra falar de custos pra saúde pública, por que não mencionar o alto custo de tratamento de infertilidade e fertilização assistida, que em alguns países como o Canadá, em breve estarão à disposição de sodomitas e lésbicas às custas do bolso do contribuinte? Isso, pra não citar o alto custo de internação em unidade de terapia intensiva neonatal, como causa e os riscos de gestações de múltiplos.
    Três, quatro, cinco, seis, sete ou até oito bebezinhos de uma só vez! Que lindinhos!! Eles são alvo de elogios e não de chacota. Ganham até “reality show” onde os orgulhosos pais exibem a ninhada ao mundo em troca de $$$. O que ninguém fala é que por trás dos recém-nascidos múltiplos está uma gestação de alto rico, tanto para a mãe como para os fetos.

    Por que eu estou mencionando esse assunto? Por que ao contrário da Patrícia Medina, não fui abençoada com a bênção da fertilidade. Depois de quase 10 anos de casada tentando ter o primeiro filho, as alternativas que nos foram oferecidas iam todas contra a fé, a moral e a ética.

    Finalmente, nos foi oferecida como alternativa, o famoso tratamento de fertilização in vitro (FIV).
    Sim, exatamente aquele em que o médico pode implantar mais de um embrião já formado no útero da paciente, para aumentar as chances do procedimento resultar numa gestação múltipla.

    De acordo com as normas éticas do Conselho Federal de Medicina (CFM) do Brasil, é seguro implantar até dois embriões em mulheres de até 35 anos. Já naquelas com idade entre 36 e 39 anos, até três embriões, e quando a mulher passa dos 40 anos, a regulamentação permite que sejam implantados até quatro. Caso todos os embriões implantados se desenvolvam, sugere-se então um procedimento chamado eufemisticamente de “redução fetal”, que nada mais é que o aborto de alguns dos fetos.

    Pois bem, descartada essa possibilidade decidimos nos resignar a ser mais um casal sem filhos. Foi nessa época que decidimos também mudar do Brasil, já que não tínhamos muitas “amarras” nos prendendo ao país. Meu marido havia se aposentado pela Marinha do Brasil, eu estava desempregada depois de ter regressado da Itália, onde vivi por alguns anos e nosso pedido de imigração tinha sido aceito e processado.

    Dois anos depois, vivendo no Canadá, frequentando a Missa Tradicional e participando das Vésperas que sempre encerravam com as antífonas marianas, nasceu quase que por milagre nossa primeira filha, que em agradecimento à “Virgo Maris Stella” foi batizada com o nome Maristella. Ela foi tudo que Deus nos deu. Não tivemos mais filhos, simplesmente não vieram e vejo a falta que faz pra ela ter mais irmãos. Mas espero em Deus que ela se case cedo e tenha uma família numerosa.

    A minha conclusão é que novamente a família tradicional está no olho do furacão. O problema não é ter até 10 filhos! Contanto que eles sejam os frutos de uma ou duas gravidezes múltiplas onde são usados todos aqueles procedimentos e técnicas que ofendem à Deus e à moral, incluindo “barriga-de-aluguel”, tudo bem!

    O problema são aqueles “Católicos” pelagianos, restauracionistas que insistem em ter um filho atrás do outro. O problema é que eles estão se multiplicando e enchendo os bancos daquelas igrejas onde se reza a missa de “costas para o povo” e para o Vaticano II.

    Não, isso não é ser bom Católico! Isso é fanatismo! É preciso que alguém diga a essas famílias que ser bom Católico não é ser como coelho! Eles são um perigo!! Lembram-se daquelas promessas que fizeram a Deus no dia do matrimônio? Esqueçam! Tenham os filhos que lhes forem convenientes, afinal dinheiro para o “danoninho” só dá pra uma ou duas bocas! Lembram-se das fraldas de pano que passavam se um irmãozinho para o outro? Eu fui criada com elas, mas hoje em dia, se faltar o dinheiro para as “Huggies and Pampers” o mundo vem abaixo!E a mensalidade da escola particular? Está pela hora da morte! Pois bem, como já dizia o Santo Cura D’Ars, sigam em frente com essa mentalidade porque na hora da morte essas desculpas não lhes servirão pra nada.

    Enfim, esse é meu recado para aqueles que acham que ser Católico tradicional é só por mantilla de renda na cabeça e participar de Missa Tridentina. Homens Católicos estejam preparados para sustentar uma família numerosa, para amar e sustentar uma esposa que ficará em casa cuidando da educação de seus filhos. E mulheres Católicas, estejam preparadas para parir e educar todos os filhos com que Deus lhe abençoar.

    E não tenham medo porque a Divina Providência nunca lhes falhará! Jesus disse: “não tenham medo”! Ele nunca disse: “não sejam como coelhos”! Aliás, nas poucas vezes que citou exemplo de “animais”, disse claramente:
    _ Olhai para as aves do céu, que não semeiam, nem ceifam, nem ajuntam em celeiros; e vosso Pai celestial as alimenta. Não valeis vós muito mais do que elas?

    No final das contas, Deus não nos pedirá contas dos deveres que não nos foram confiados ( como por exemplo ficar o dia todo enfurnado em igreja cuidando de tarefas que são exclusivas dos consagrados) mas sim das promessas que fizemos em nosso Batismo, Crisma e Casamento.

  17. Parabéns, FRATRES, por compartilhar esse belo artigo. O controle populacional faz parte da agenda da Nova Ordem Mundial. A maçonaria italiana estava certíssima ao comemorar ao renúncia de Bento XVI e a eleição de Francisco.

  18. Quem alega que a imprensa deturpou o discurso do Papa deve apresentar o teor verdadeiro.
    Do contrário quer tapar o sol com peneira.

  19. Quem tem por Pastor o Revmo. Padre João Batista de Almeida, só pode dar esse grande e surpreendente exemplo.
    Parabéns! E que Deus seja sempre Louvado!
    Salve Maria Purissima!

  20. na verdade a bíblia sempre apoiou o arranjo de se planejar a família a principalmente em ocasiões inoportunas JEREMIAS 16:1-4 ( antes da destruição de jerusalem) isto é bem antigo.. e o Sr PAPA
    descobriu isto tardiamente… pelo menos descobriu vai beneficiar todos daqui para frente.. os anteriores
    que paguem o preço.(planejar a família é questão pessoal)…..

  21. Sr.ª Patrícia Medina,
    Remeta sua carta a Roma. Testemunho corajoso diante uma autoridade, inconsequente e vacilante.
    Parabéns.

  22. Esse Papa está indo longe demais, e ainda por cima indo contra a Sagrada Escritura, pois Deus disse crescei-vos e multiplicais, e não crescei-vos e tenham um filho ou no máximo dois, oras ainda pode confiar nele?

  23. Estimada Sra. Patricia.
    Muito obrigado por seu depoimento, que Deus continue a abencoar sua familia. E interessante que pessoas como a sra. Medina nao sao convidadas a participar do ridiculo sinodo de outubro ( talves porque sejam apenas coelhos) . Que Deus tenha misericordia de sua santidade

  24. Lindas palavras! Que Deus abençoe essa família e a minha, para que seja como a da senhora que escreveu o texto!

  25. Realmente um texto que me deixou comovido.
    Não digo que o Papa seja mal. Mas digo que ele definitivamente não tem filtro. Ele precisa urgentemente de uma boa correção fraterna, e saber que ele é Papa e não um astro Pop pós moderno que opina sobre tudo e fala sobre tudo. E não digo apenas sobre este texto, mas sobre diversos outros pronunciamentos dúbios que ele tem feito.

    Pax Domini

  26. “Sua Santidade foi, e digo isso com dor no coração, vulgar! Sim, vulgar! Jamais ousaria comparar uma senhora, esposa e mãe católica, a um animal irracional.”

    Vulgar não, vulgaríssimo… Como tem sempre feito em suas entrevistas.

    Este Papa é uma catástrofe… Pensei que depois do pontificado Montiniano demoraria assistir tantas calamidades feitas em nome do Papa, ou melhor, pelo próprio Papa…

    Mas tudo isso não chega nem perto da maior e mais satânica catástrofe que assistimos na distribuição da sagrada comunhão na Missa final nas Filipinas superando em barbárie a outra ocorrida na tal jmj no RJ.

    MEU SENHOR E MEU DEUS… Até quando vós sereis tratado com tanta irreverência e banalidade…

    Com a SACRÍLEGA E PERVERSA distribuição da Sagrada comunhão na mão ainda tem gente que tem o descaramento e a falta de caráter de dizer que esse costume não diminui a Fé na presença real, por favor, sejamos honestos…não tapemos o sol com a peneira…não sejamos tolos e idiotas…

    Voltando a reclamação justa e séria dessa sra, será que seguindo a lógica de Bergóglio nós também não poderíamos compará-lo a um bobo alegre que solta palavras ao vento sem dar-se conta do ofício que ocupa, ou ainda, a um bêbado conversando tolices num boteco da esquina??? Onde está chegando a “primavera conciliar… DEUS NOS DEFENDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Que Nosso Senhor se compadeça de nós…

  27. PARABÉNS!!!!!Corajosa mulher e mãe!!!!
    Voce está certa.
    DEUS a abençoe muiito e a toda sua família!
    Você é verdadeiramente uma MULHER!
    Uma valente e digna GRANDE MULHER!!
    PARABÉNS!!!

  28. Uma valorosa mãe e
    serva do Senhor nos mostra como devemos (com o devido respeito) nos posicionamos quanto ao erro dos superiores. Que Santa Brigida e Santa Rita de Cassia, duas santas mães lhe intecedá do Alto, além da Santíssima Virgem!

  29. Que Deus continue a abençoar abundantemente os casais cristãos que, fiéis ao Evangelho e às promessas matrimoniais, acolhem cada filho como um dom inestimável de Deus. Eu próprio agradeço a Deus por nascer em uma família numerosa. Meus pais não eram ricos, entretanto trabalhavam com amor para que nada nos faltasse e nós, irmãos e irmãs, aprendemos a partilhar tudo o que tínhamos, a dividir também as responsabilidades e os trabalhos. A maior alegria em minha família foi quando nasceu meu irmão mais novo, quando meus pais já estavam com mais de quarenta anos. Resultado: até hoje somos unidos, nunca houve entre nós nenhuma briga séria, apenas as divergências e diferenças cotidianas. No momento, moro distante de meus pais, mas todos os dias agradeço a Deus o carinho e o cuidado que meus irmãos e irmãs demonstram por eles, que já estão um pouco idosos e doentes. Estou dizendo isto para testemunhar que Deus abençoa sempre nossas famílias!

    Quanto ao Santo Padre, penso que devemos ser justos em nossa avaliação. Em minha opinião, ele foi realmente infeliz em sua linguagem e nos exemplos que escolheu; a prova disso é que tantas pessoas, com razão, sentiram-se ofendidas por suas palavras. Contudo, ele não tem nenhum pensamento contrário às famílias numerosas; aliás, ele afirma como ficou admirado e até emocionado com os pais filipinos que consideram seus filhos como um verdadeiro tesouro. Um pouco antes do Natal, Papa Francisco teve um encontro com as “Famílias Humanae Vitae”, isto é, um grupo de casais que, seguindo o magistério do Beato Paulo VI, procuram formar famílias numerosas. O Santo Padre teve palavras de apoio e de encorajamento para esses casais, além de afirmar que o Estado tem a grave responsabilidade de auxiliar estas famílias na educação de seus filhos.

    Além disso, hoje, em sua audiência geral, sabendo da repercussão negativa de suas palavras, Papa Francisco teve a humildade de explicar o que realmente pensa e afirmou: “As famílias sãs são essenciais à vida da sociedade; dá consolação e esperança ver tantas famílias numerosas que acolhem os filhos como verdadeiro dom de Deus; elas sabem que cada filho é uma bênção de Deus”. E o Papa prossegue afirmando que as famílias numerosas não são a causa da pobreza, etc. Portanto, é isto o que o Papa entende por “paternidade responsável”: acolher cada filho como um dom e uma bênção de Deus!

    Paz a todos e às nossas famílias, por intercessão da Virgem Maria!

  30. O Papa não julga o homossexual que busca a Deus, quem é ele para julgar? Mas a mãe de 7 filhos e grávida do oitavo que confia no mesmo Deus ele chama de irresponsável.

  31. O ataque é contra as famílias tradicionalistas (e também demais grupos que compartilham dessa visão acerca do número de filhos), isso está bem claro. Novamente é um ataque à visão de Igreja detestada pela ala dita progressista.
    Caso contrário, o que justifica um comentários desses? Um liberal comum, alguém com mentalidade moderna e “preocupado com a sociedade”, não precisa se preocupar com as famílias católicas que tem muitos filhos, pois apesar de terem muitos filhos, são pouco significativas em termos percentuais dentro do total da população. Não serão, portanto, as famílias católicas numerosas que causarão explosão populacional, desastre ambiental, nem elas que colocarão mendigos na rua (pois cuidam de seus filhos), e todas essas imagens depreciativas que se associa às famílias numerosas. Um liberal comum (e isso inclui a maioria dos batizados hoje em dia) olharia com estranheza para essas famílias, jamais aceitaria viver como elas (pois dá trabalho), deixaria isso para lá e iria viver sua vida a seu modo.
    Os miseráveis que tem muitos filhos (e são, cada vez mais, poucos casos) dificilmente o fazem por causa de fé, portanto, não há verdade nem sentido em associar atualmente os católicos a gente irresponsável. As famílias católicas que tem muitos filhos cuidam desses filhos.
    Bergoglio parece novamente estar a atacar um modo de viver a fé que ele parece desprezar. É triste, mas é isso.

  32. Puxa! Eu não sabia que fazia parte da família Coelho!
    Sr. Bispo de Roma, obrigado pelo elogio.

    Rudolpho Wagner Filho Coelho.

  33. Parabéns Patrícia Medina!!! Minha Mãe teve 12 ! Logo na primeira gestação foi contemplada com uma gravidez gemelar,nascia eu e meu irmão que morreu com 3 dias.A última tambem gemelar, os quais estão vivos e o menino hoje é maestro! Somos nordestino pobre,trabalhando na roça,comíamos o que plantávamos,porém NUNCA faltou nada.” Deus dá o frio conforme o cobertor”

  34. Por vezes pergunto-me onde estão os sacerdotes nestas alturas?Muitos leram este testemunho mas não foram capazes de dizer nem que seja uma palavra, o mesmo se aplica à noticia anterior. Mas no entanto perdem mais tempo a fazer piadas no facebook do que nas missas e orações. Tanto estudo para quê! não são capazes de ter uma opinião teológica! será que tanto lhes faz como lhes fez o que se está a passar com a Igreja!! será que acham normal papa chamar às mães de família de coelhos? ainda mais às famílias numerosas que se sacrificam mais do que as outras no seu dia a dia? Onde estão os sacerdotes não há uma palavra de apoio e elucidação, nem mesmo com um nome anónimo? Será que têm que ser os leigos a unirem-se e a manifestarem-se contra um linguarejar torpe e vulgar e a revoltarem-se contra esta cultura da morte, agora também veiculada pelo próprio papa ao estabelecer limites ao número de filhos que um católico deve ter? Nem Deus estabeleceu limites à natalidade com as suas leis eternas e perfeitas agora, vem ai agora Bergoglio estabelecer limites !!! Será que ele se acha como Deus!!!Ou acima de Deus!!!
    Será que os leigos têm que estudar teologia,para alem de trabalharem durante todo o dia para ganhar o ganha pão para a família, porque já não podem confiar nos sacerdotes, porque estes ficam calados, enquanto a lei de Deus e os fiéis são pisados e amachucados em nome de uma nova ordem mundial, pensada no fundo dos infernos e colocada em acção por homens pérfidos e maus!!!
    Os meus parabéns a Patricia Medina e família.

  35. Nós tivemos 11 filhos, perdemos 1, sendo, portanto, vivos,10 filhos; constituímos uma família numerosa e abençoada, pela bondade e graça de DEUS. Somos felizes e educamos nossos filhos na SANTA RELIGIÃO CATÓLICA, cuja Doutrina, moral e costumes é imutável. O nosso filho mais velho tem 21 anos e o caçula, 4.anos; são 6 meninos e 4 meninas. Sou professor, catequista e ministro leigo; minha Esposa trabalha em uma escola de educação infantil e pertencemos à Obra Missionária Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Peçamos as bênçãos de DEUS,sob pela intercessão e proteção da SANTÍSSIMA VIRGEM MARIA e de SÃO JOSÉ, sobre todos nós, sobre nossas famílias e sobre toda a SANTA IGREJA.

    Professor Carlos Roberto de Oliveira Costa e Gislene Aparecida de Oliveira Costa

  36. Lembro de meu pai que sofreu “censuras” de um colega de trabalho por ter 4 filhos! Diziam que ele não teria condições de cuidar bem de nós e que o máximo para isso era ter 2 filhos. E o detalhe é que essa conversa era lá pelos anos 1990, nada tão novo assim. O outro detalhe, este mais sórdido, é que um dos filhos do sujeito que o criticou hoje sofre de problemas mentais e possui saúde debilitada por conta de maus tratos durante a infância!

  37. Sra. Patrícia, em primeiro lugar, meus parabéns pela sua belíssima família! Família numerosa é sinal da benção de Deus!
    Penso que o Papa foi muito infeliz ao usar a palavra “coelhos”, ainda que ele tenha pedido desculpas antes de utilizar tal palavra, não é o termo mais apropriado para se referir a suas ovelhas. E como de costume, não foi objetivo nem claro em suas palavras.
    Agora, com relação ao seu texto, preciso dizer que também foi infeliz em alguns pontos, como por exemplo, quando fala sobre dos “neoconservadores”, dos “esclarecidíssimos”, “fidelíssimos”, dos que fazem “ginástica mental”, etc. Me desculpe, mas desde quando ser “fidelíssimo” à Igreja e à autoridade papal se tornou um pecado? Sou fiel mesmo, e daí? À parte o infeliz uso da palavra “coelhos”, no resto não há nenhuma novidade, tudo está em acordo com os ensinamentos da Igreja e de outros Papas.
    Eu cresci em família numerosa. Meus pais nasceram em família numerosa. Eu mesma estou a construir minha própria família numerosa (minha filha mais nova acaba de completar 3 meses). E me perdoe, mas não faço nenhuma “ginástica mental” para forçosamente concordar com o que disse o Santo Padre. Se você se sentiu ofendida com o que ele disse, deveria escrever diretamente a ele, e não ofender e humilhar a inteligência de outros católicos. Os que discordam do Papa, ou que se ofenderam, deveriam escrever diretamente para a Santa Sé, já pensou em qual seria a repercussão se milhares de cartas chegassem a ele do mundo todo? Enfim, sou mãe de muitos filhos, e não faço nenhuma “ginástica mental”, simplesmente concordo porque li o texto na íntegra e em seu contexto original, estudo sobre a fé católica, e não vejo porque de tanto estardalhaço e divisão entre os católicos.
    Repudio essas divisões estúpidas entre os católicos (neoconservadores, tradicionalistas, etc), afinal, onde está a caridade uns para com os outros? Acaso não somos todos irmãos em Cristo e filhos da mesma Igreja?
    Não sei do que tenho mais vergonha, se é do Papa chamar alguns católicos de “coelhos”, ou se é pessoas que se dizem católicas afirmarem que o Papa é comunista, que usou o termo “paternidade responsável” para deixar certas coisas “implícitas”, que ele tem idéias subversivas e que estes são os sinais do fim dos tempos (pois acredite, até essa loucura eu já ouvi). Tá cheio de tradicionalistas “esclarecidíssimos” que de repente viraram profetas, e acham que só porque leram alguns livros sabem de tudo.
    Respeito sua opinião, respeito a maneira como você se sentiu, mas acho que essa maneira seccionista de se referir aos outros (neoconservadores, intelectualíssimos…) não ajuda em nada, apenas causa divisão entre católicos e rebeldia ao Santo Padre. Se há que se corrigir o Papa em algo, então que tenhamos a mesma caridade cristã que teve Santa Catarina, doutora da Igreja!

    • É verdade, se queremos ser fiéis a Jesus Cristo, devemos acolher TODO o Evangelho e não apenas parte dos ensinamentos do Senhor. E está no Evangelho, ou seja, é uma promessa de Jesus: “Tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei minha Igreja; as portas do inferno não prevalecerão contra ela”. Jesus também afirmou: “Pedro rezei por ti, para que não desfaleças na fé; e tu confirma teus irmãos”. Além disso, Jesus, na última ceia, rezou pela unidade dos cristãos, “para que sejam um, e o mundo creia, ó Pai, que me enviastes”. Portanto, não podemos apagar todas estas promessas do Senhor, para acusar o Papa de heresia e espalhar a divisão entre os católicos. Nestes dias todos de uma longa e belíssima viagem apostólica do Papa, nada se falou de todos os seus pronunciamentos, mas bastou uma palavra infeliz e inoportuna do Papa, no final da viagem, para o acusar e apedrejar sem a mínima caridade e respeito, como se ele fosse um homem ardiloso e até diabólico que deseja alinhar a Igreja com os interesses da “nova ordem mundial”, etc. Isto simplesmente não é verdade. Além disso, até o Catecismo da Igreja Católica fala de “paternidade responsável”. Será que uma Missa com a participação de seis milhões de fiéis não é também um sinal de que o Espírito Santo continua a conduzir a Igreja? Ou será que todas aquelas pessoas estavam enganadas e iludidas em sua fé, enquanto apenas um grupo reduzido de féis permanece na verdadeira Igreja Católica? Voltamos ao gnosticismo dos primeiros séculos da Igreja? Será que o Concílio Vaticano II, que teve à sua frente, sucessivamente, dois Papas (João XXIII e Paulo VI), que foi posteriormente confirmado por todos os Papas, inclusive por Bento XVI, e acolhido por praticamente a unanimidade do Episcopado, colocou a Igreja em um caminho irreversível de infidelidade ao Evangelho? Portanto, respeitando os sentimentos de cada um, penso que é hora de voltamos ao bom senso nas críticas que fazemos ao Papa. Se não nos agrada seu “estilo” ou se por vezes ele é infeliz em sua linguagem, rezemos por ele, como faríamos ao perceber as fraquezas e limitações de nossos pais.

  38. Sou o 2º filho de uma “ninhada” de 7.
    Mãe… Pai… Obrigado!

    Por motivos clínicos eu e minha esposa só podemos ter uma filha. Ainda hoje (com 44 anos) temos confiança em Deus que teremos mais… é lamentável vindo do Pontífice declarações que machucam não só quem possui a graça de ter tido vários filhos… como também àqueles casais que sofrem não podendo te-los…

  39. Fiz uma viagem neste último final de semana para o interior. Lá, conheci um casal e eles apresentaram a sua família (por foto), pois só havia um filho do casal que estava de férias e com toda a sua família nesta casa neste dia. Na foto, eu vi e emocionei com a família deste casal com 07 filhos. O sr. da casa, me mostrou cada um deles (todos já adultos) contando histórias todo orgulhoso. Em fim, uma linda família! Todos unidos. Eu o elogiei muito e fiquei muito feliz e pensativo, pois tenho dois filhos. Conclui: Uma familia grande é muito linda! Não há como descrever as benção recebidas de Deus. Me disseram que no último final do ano passaram todos juntos, filhos e netos, a casa ficou cheia e os netos fizeram uma “arruaça”. 07 filhos e não coelhos.

  40. O Santo Padre, conhecido por sua ânsia de holofotes e por mostrar-se um “católico moderno”, aberto ao mundo, a mim surpreendeu por falar alguma verdade sobre as fundações internacionais.
    Contudo, como quem sempre quer agradar a dois senhores e acaba por agradar o senhor errado, ignorou toda a luta de inúmeros casais já formados e outros que estão em vias de formar suas famílias. Ou ele, que se diz “pastor com cheiro de rebanho”, ignora que muitos jovens casais católicos precisam enfrentar os pais (de um ou ambos os cônjuges) e a família ampliada quando anunciam que pretendem seguir a vontade de Deus e não ter 1 ou 2 filhos? Ou, mais ainda, quando ousam dizer que não sabem exatamente quantos filhos terão, mas que serão muitos? “Pastoralmente”, mais uma vez, uma tragédia!

    • GML, isso quando a dificuldade e a incompreensão de um católico não são com seu próprio cônjuge que, ante uma fraqueza de fé, esperança e caridade, é covardemente convencido por pais, tios ou primos a não procriar como “coelhos” ou “mulher parideira”, segundo mesmo o sentido pejorativo que o mundo atribui a esses termos. Agora, vem o papa, com a autoridade que o mundo ainda lhe dá, e diz isso, dando, intencionalmente ou não, munição para os parentes e “amigos”, inimigos confessos ou práticos da Igreja?! E, ao invés de confirmar seu rebanho na fé — sem ambíguas, contraditórias ou diplomáticas palavras, relativiza essa mesma fé segundo os parâmetros numéricos de especialistas e ridiculariza seus poucas ovelhas que ainda tentam colocar em prática os ensinamentos de Nosso Senhor Jesus Cristo?! Quanta tristeza. Peço a caridade que rezem uma Ave Maria por minha família, e por tantas mais que passem por semelhante situação. E que continuemos rezando pelo papa, esperando que a Providência tenha lhe reservado vergonha e constrangimento suficientes a fazê-lo abandonar esse “magistério de avião” e suas aparentes convicções pessoais disseminadas nessas lamentáveis entrevistas.

  41. “Ai dos que habitam na terra e no mar; porque o diabo desceu a vós, e tem grande ira, sabendo que já tem pouco tempo” (Apocalipse 12:12)

    Parabéns, Sra. Patricia Medina, pela excelente “Nota de DESAGRAVO”!

    Continue sendo corajosa, a exemplo da mulher cananeia que questionou Jesus (Mateus 15, 26). E como Jesus exclamou:

    – “Ó mulher, grande é a tua fé! Seja feito a ti conforme queres”.

    Saudações cristãs!

    Das Minas Gerais,

    Renato e família.

    PS.: Não fique chateada com as COELHADAS do papa Francisco. Siga o seu coração. Estamos vivendo os tempos finais: APOSTASIA na cúpula da Igreja, bem como tempos de perseguição (implícita, inclusive). O próprio papa Bento XVI disse: “os ataques à Igreja vêm não só de fora, mas que os sofrimentos da Igreja vêm justamente do interior da Igreja, do pecado que existe na Igreja”. (sugiro leitura atenta da entrevista do papa Bento XVI em sua viagem a Portugal, no avião, em 11 de maio de 2010).
    Enfim, os dias são maus, mas “No fim, o coração Imaculado de Maria triunfará” (Fátima-1917).