Francisco diz que a “Reforma da Reforma” está “equivocada”. Seminaristas “tradicionalistas” criticados, Papa diz que o “desequilíbrio” deles se manifesta na celebração da liturgia.

Por Rorate-Caeli | Tradução: Fratres in Unum.com – Grande parte da atenção da mídia ao encontro anual do Papa Francisco com o clero de Roma (realizado ontem, 19 de fevereiro) se concentrou em suas observações sobre os padres casados. De igual e possivelmente mais importância imediata foram suas observações sobre a liturgia, que acabam de ser publicadas pela agência de notícias ZENIT.

O Papa não poderia ter sido mais claro em sua visão da “Reforma da Reforma”. Ele fala da necessidade de uma ars celebrandi mais respeitosa, mas qualquer um que tenha realmente acompanhado os debates litúrgicos dos últimos 20 anos saberá que isso não é a mesma coisa que a “Reforma da Reforma”. Esperamos, sinceramente, que os “costumeiramente suspeitos” na blogosfera e nas redes sociais não ignorem essa conversa completamente nem tentem minimizar esse assunto criando explicações complexas de como o Papa “realmente queria dizer” algo diferente, ou que tudo isso não passa de boataria, uma invenção, ou seja lá o que for. Qualquer coisa que lhes permita manter as cabeças na areia!

O Papa critica a “Reforma da Reforma” de maneira notável e abertamente, mas ele não diz nada negativo a respeito do próprio Summorum Pontificum em si, muito pelo contrário. Todavia, a sua aparente condenação e palavras desdenhosas sobre os seminaristas diocesanos “tradicionalistas” não podem e não devem ser minimizadas como simplesmente fazendo referência ao comportamento imoral de alguns deles – comportamento que também pode ser encontrado, empiricamente com muito mais frequência, entre seminaristas não tradicionalistas. Ao designar especificamente as “liturgias” (Reforma da Reforma”?) celebradas pelos seminaristas “tradicionalistas”, uma vez ordenados, como a manifestação de seus “desequilíbrios” “morais e psicológicos”, fica claro que o alvo do Papa são os pontos de vista semelhantes aos tradicionais a respeito da sagrada liturgia de muitos jovens padres e seminaristas. Ao mencionar que a Congregação dos Bispos está conduzindo intervenções a este respeito, a mensagem enviada é clara e em bom tom: bispos, aceitem seminaristas com tendências “tradicionalistas” por sua conta e risco. Ao declarar abertamente que os problemas morais e psicológicos “acontecem com frequência” em “ambientes” tradicionalistas, aparentemente desprovido de misericórdia, doravante uma grande tarja poderá ser utilizada para denegrir esses jovens.

Reproduzimos abaixo a passagem relevante do relatório da Zenit, com os nossos destaques:

No entanto, alguns trechos do discurso do Papa foram liberados graças em parte a vários padres que falaram com a imprensa após a reunião. Alguns até mesmo conseguiram gravar as palavras do Papa. Além de várias frases relatadas por algumas agências de notícias italianas nesta manhã, o Pontífice de 78 anos abordou o tema, por exemplo, do “rito tradicional” com o qual Bento XVI concedeu a celebração da Missa. Através do Motu Propio Summorum Pontificum, publicado em 2007, o atual Papa Emérito permitiu a possibilidade de celebrar a Missa segundo os livros litúrgicos editados por João XXIII, em 1962, não obstante a forma “ordinária” de celebração na Igreja Católica continuar sempre aquela estabelecida por Paulo VI em 1970.

O Papa Francisco explicou que esse gesto por parte de seu antecessor, “um homem de comunhão”, foi concebido para oferecer “uma mão corajosa aos lefebvrianos e tradicionalistas”, bem como àqueles que desejavam celebrar a Missa de acordo com os ritos antigos. A chamada Missa “tridentina” – disse o Papa – é uma “forma extraordinária do Rito Romano”, aprovado após o Concílio Vaticano II. Assim, ele não é considerado um rito distinto, mas sim uma “forma diferente do mesmo rito”. (sic)

Entretanto, o Papa observou que há padres e bispos que falam de uma “reforma da reforma.” Alguns deles são “santos” e falam “de boa fé.” Mas isso “é um equívoco”, disse o Santo Padre. Então, ele mencionou o caso de alguns bispos que aceitaram seminaristas “tradicionalistas” que foram expulsos de outras dioceses, sem averiguar informações sobre eles, porque “eles se apresentavam muito bem, eram muito devotos.” Então, eles foram ordenados; porém, mais tarde ficou comprovado que eles tinham “problemas psicológicos e morais”. 

Esse não é o costume, mas “muitas vezes isso acontece” nesses ambientes, destacou o Papa, e ordenar esse tipo de seminaristas é como “hipotecar a Igreja.” O problema subjacente é que alguns bispos às vezes ficam sobrecarregados com “a necessidade de novos sacerdotes na diocese.” Portanto, não é feito um discernimento suficiente entre os candidatos, entre os quais alguns podem esconder certos “desequilíbrios” que então se manifestam nas liturgias. Na verdade, a Congregação dos Bispos – continuou o pontífice – teve que intervir com três bispos em três desses casos, embora eles não tenham ocorrido na Itália.

Durante o inicio de seu discurso, Francisco falou sobre homilética e a ars celebrandi, encorajando os padres a não cair na tentação de querer ser uma “estrela” no púlpito, talvez até mesmo falando de uma “maneira sofisticada” ou “com excesso de gestos.”

Todavia, os padres também não deveriam ser “chatos” ao ponto das pessoas “darem uma saidinha para fumar um cigarro lá fora” durante a homilia.

(Fonte: Pope Holds Two Hour Meeting with Roman Clergy)

31 Comentários to “Francisco diz que a “Reforma da Reforma” está “equivocada”. Seminaristas “tradicionalistas” criticados, Papa diz que o “desequilíbrio” deles se manifesta na celebração da liturgia.”

  1. Pronto. Palavras mais claras, impossível.
    Vamos ver o que os neocon vão falar agora.

    (Eu aposto R$20,00 que será “Interpretaram mal” e R$10,00 que “Ninguém pode provar que o papa disse essas palavras)

  2. Além de Ciudad del Este, qual serão as outras duas dioceses que sofreram censura, quer dizer, “visitação apostólica” ?

  3. E mais uma vez os omissos super obedientes dirão que deturparam as palavras do Papa que não sabe escolh-las ou quis realmente falar isso. Deus tenha piedade da Sua Igreja.

  4. “Não tenham medo, pequeno rebanho, pois foi do agrado do Pai dar-lhes o Reino”. (Lucas 12:32)

    Permaneçam firmes Católicos! Não se abatam com essas palavras! Isso deve nos encorajar, e não desestimular!

  5. Calma gente, já, já, o Jorge Ferraz vai fazer um post explicando direitinho tudo o que nós não entendemos na fala do Papa.

  6. Tradicionalistas, restauracionistas, intelectualistas, caras de vinagre, rigoristas, autoritários, coelhos, e, agora, desequilibrados. É a misericórdia na expressão vocabular do Papa.

  7. Falar dos desiquilíbrios psicológicos daqueles que se professam tradicionalistas não é de forma alguma falar contra a Liturgia Tridentina. As patologias psicológicas existem em todos os lados, embora entre os tradicionalistas esses excessos sejam cuidadosamente mantidos em segredo por causa da mentalidade onde mais pesa o condenar que o perdoar. Essa mentalidade “desprovida de misericórdia” traz junto consigo a inibição que fecha a pessoa em si mesma e esconda com o maior cuidado seus defeitos e misérias. Essa inibição é fortíssima nos meios tradicionalistas. Só para dar um exemplo: essa inibição é tão forte que defender o Papa Francisco numa roda de amigos é causa de grandes inimizades. Se não se pode manisfestar o que nem é pecado, quanto mais o que é pecado??? Em La Salette Nossa Senhora reclamou duramente dessa mentalidade inibidora e desprovida de misericórdia que transforma alguns em “cloacas de impurezas”. Onde não se pode gozar plenamente de liberdade psicológica, onde se deve sempre pisar em ovos para não escandalizar os outros, onde tudo é censurável, onde não existe indulgência nem compreensão, então aí temos uma fábrica de “gente non sancta”.

    • Desinibido GERSON: esse seu linguajar tão cheio de ternura e misericórdia, mostra quão equilibrado, sadio, sem segredo, aberto, indulgente, compreensivo, puro e (sobretudo) desenrustido vc deve ser…! Pelo jeito, vc segue tão bem o exemplo do Papa Francisco de não julgar ninguém e de só andar em companhia de “gente sancta”… !

  8. The usual Cleaners já já explicarão tudo! Relaxem!!

  9. Talvez este vídeo demonstre o que para o Papa Bergóglio signifique equilíbrio expresso em uma Missa:

    • Isto é uma depravação, uma manifestação de Satanás, com a plena anuência do padre que celebrou a missa. Eu teria me levantado imediatamente e saído da Igreja. Os católicos modernistas estão tão anestesiados, que já não têm discernimento e aplaudem pornografia dentro da Igreja. Caminham a passos largos para o inferno, juntamente com o líder máximo…

  10. Falou tudo o que queria dizer desde o início do seu pontificado.

  11. Se penitência é doença e oba-oba é saúde católica, então, prefiro ser confinado e considerado doente junto com São João da Cruz preso na torre… A Tradição é a Cruz que traz a vitória, mas nunca adiantada! Vamos receber o convite para a festa, primeiro, para depois ir com as vestes dos méritos alcançados.

  12. Talvez esse tipo de circo não é uma Liturgia desequilibrada, não é mesmo, “Papa” Francisco??? Esse tipo de Liturgia é o que qualifico como a mais esquisita e com certeza é a liturgia que Bergoglio aprova e não aquela Liturgia cheia de pompas como as do Vaticano!!! https://www.youtube.com/watch?v=3RJK0yULkCY#t=92

  13. Já isso aqui é muuuuuuito normal. Normalíssimo.

  14. Boas as palavras do Gérson. Também já vi de perto a mentalidade rigorista e legalista em ambientes tradicionais. São a minoria, mas são mais facilmente escondidos em virtude das aparências e dos termos técnicos da doutrina. E isso acontece de todo lado.

    Eu insisto que isso acontece porque somos “ovelhas sem pastor”. Daí ficam leigos discutindo com leigos e padres sem Bispos gritando no deserto e todos nós sem referências. O Papa e o Magistério, que são nossa referência, também não ajuda essa visão tradicionalista hoje. Haja vista o que eles dizem do próprio rito de São Pio V. Então, quem será por nós??

    Resistir na fé! Confiantes em Nossa Senhora.

  15. “de disciplina insensati et fatui et de senioribus qui judicantur ab adulescentibus et eris eruditus in omnibus et probabilis in conspectu omnium virorum”.

    [Não te envergonhes de corrigir o insensato e o tolo; não te envergonhes dos anciãos julgados pelos jovens. Assim te mostrarás verdadeiramente instruído, e serás aprovado por todos]. (Eclesiástico 42, 8)

    Temo que por “desequilíbrio psicológico” esse Papa
    esteja falando de homilias “tradicionalistas”,
    inspiradas em grandes Santos da Igreja…

    Aquele tipo de homilia que é
    escândalo para os neo-fariseus
    e loucura para os neo-pagãos.

  16. Isso é de se lamentar muito! Até os neocons são perseguidos por Francisco.

  17. Então meu pároco é desequilibrado!?

  18. Heitor, leia direito. Bergoglio não está falando de “mentalidade rigorista e legalista” em ambientes tradicionais. Não tragam suas picuinhas e dissabores com leigos mal orientados para a discussão.
    Ele disse claramente:

    “O problema subjacente é que alguns bispos às vezes ficam sobrecarregados com “a necessidade de novos sacerdotes na diocese.” Portanto, não é feito um discernimento suficiente entre os candidatos, entre os quais alguns podem esconder certos “desequilíbrios” que então se manifestam nas liturgias”.

    Eu pessoalmente NUNCA vi um padre celebrando uma missa tridentina escondendo certos “desequilíbrios” que então se manifestam nas liturgias”, mesmo porque na liturgia tradicional não existe onde e nem como “inovar”.
    O único “desequilíbrio” que eu vejo durante a Missa Tridentina é quando o Padre Mery, já bastante idoso e com artrose séria, sobe o altar. Se os acólitos não o ajudam, ele corre sério risco de “desequilibrar” e cair.
    No mais, quando Bergoglio fala de bispos que aceitaram seminaristas “tradicionalistas” que foram expulsos de outras dioceses, sem averiguar informações sobre eles, porque “eles se apresentavam muito bem, eram muito devotos, porém, mais tarde ficou comprovado que eles tinham “problemas psicológicos e morais”, não resta dúvida que ele está se referindo a Dom Livieres e o caso do Padre Urrutigoity.
    Se esse é o caso, ele deveria morder a língua ao invés de ficar jogando pedras em telhado alheio, pois mesmo sabendo que Monsenhor Ricca é um homem com sérios “problemas psicológicos e morais”, não só o promoveu como o defendeu com o famoso: “quem sou eu pra julgar”?
    Esse sim nunca foi o costume de nenhum Papa, mas “muitas vezes e com uma velocidade assustadora está acontecendo” sob o Pontificado desse Papa. Por outro lado, suas nomeações sim são como “hipotecar a Igreja”, entregando-a nas mãos de seus piores inimigos.
    Um fato pra mim está mais do que claro: Bergoglio não ama a Igreja que Cristo fundou e que os Apóstolos e Mártires preservaram ao preço de seu próprio sangue e portanto quer transformá-la em uma ao seu gosto pessoal.
    Mas ele não está sozinho nessa empreitada, pois os leigos que querem permanecer na Igreja com um verniz de “católico” e ao mesmo tempo continuar em sua lua-de-mel com o mundo, também precisam de alguém no vértice da Igreja que os confirme em seu caminho para a perdição dando-lhes a ilusão de que estão no caminho da salvação.

  19. Ahh se eu pudesse estar diante do papa quando disse tais coisas… apenas para lhe fazer uma simples pergunta:

    “santidade, e quanto a monsenhor Ricca?”

  20. Nossa!!!
    A cada dia que se passa nós recebemos um adjetivo a mais da boca do Santo Padre. É uma honra se taxado de desequilibrado, retrógrado, cismático, arcaico, medieval, e tutti quanti.

    Esse caridade pós-conciliar é uma graça inestimável. Aos hereges, elogios, as Católicos, desdém.

    Mas tudo vai passar, a Tradição se manterá, inabalavelmente, de pé. Como sempre aconteceu…

  21. Eu não sou um “suspeito na blogosfera”, mais também não sou um tradibitolado, existem sim tradicionalistas bitolados que ficam pegando no pé de todos aqueles que não estão de acordo com a sua visão rigorista da liturgia, o proprio Padre Paulo Ricardo falou sobre esses católicos bitolados, disse que precisam fazer terapia e tomar gardenal, veja o vídeo: http://youtu.be/4VpaDqxwCFo agora o Padre Paulo Ricardo também é um “suspeito” ou um avestruz “mantendo a cabeça na areia”? não bastam os hereges liberais agora vem os tradicionalistas com a sua hermeneutica da ruptura? Podem falar o que quiserem mais eu não vi nada contra a liturgia tradicional, vi sim contra tradicionalistas desiquilibrados, ou vocês acham que no meio tradicional todos são perfeitos?

  22. Por favor, Francisco… Por favor… Não solte palavras ao vento…

    Desde quando patologias morais são apanágio dos seminaristas “conservadores”?

    O sr. sabe muito bem que as casas de formação, êpa…DEFORMAÇÃO na linha da tl são verdadeiros galinheiros fedendo onde os “rapazes”, será rapazes…desmunhecam e requebram como verdadeiros efeminados inveterados na sodomia, e os deformadores, quando não fazem o mesmo, fazem vista grossa e os deixam chegar ao sacerdócio e até à formação…

    O grande Seminário do Ipiranga até D. Arns era um celeiro de padres, depois, este cardeal o deixou tornar-se num bordel de primeira classe, onde os mais “sérios” participavam da Missa de short ou bermuda…

    Um padre lá formado disse-me: “TENHO VERGONHA DE DIZER QUE FUI FORMADO NO IPIRANGA, E TAMBÉM DE IR LÁ, POIS OS CARREGADORES DE BANDEJAS TOMARAM CONTA DE TUDO E RIEM QUANDO LÁ CHEGO COM MINHA BATINA CINZA, UNS OUVEM SAMBA, OUTROS ROCKS, OUTROS GREGORIANO,ETC”…

    Aquele que foi o principal promotor de vossa infeliz subida ao papado, cardeal Humes, tentou moralizar um pouco a babel do Ipiranga, e melhorou um pouquinho… O cardeal Scherer fez muito mais ainda que seu antecessor, graças a Deus…

    Sempre houve pecados de todos os tipos na Igreja em geral, seja na hierarquia, seja no laicato, mas nunca tentaram mostrar “teologicamente”, “filosoficamente”, “biblicamente”, “moralmente”, que o pecado é virtude ou que o erro é verdade como os infelizes DORTORES embebidos da pestilenta e maldita“teologia” da maldição fizeram e têm feito, e o pior, serem elogiados por ninguém menos que o PAPA…

    O que os vossos mandantes fizeram com D. Rogelio Ricardo Livieres foi um ato covarde e sem nenhuma caridade que o Sr. tanto diz usar com as pessoas. A visita canônica, a chamada de D. Rogelio a Roma, tudo não passou de uma ENCENAÇÃO, pois V. Santidade e seus mandantes já estavam com tudo pronto, tudo para ser executado…

    VERGONHA!!!! QUE “CARIDADE”!!! Deus me defenda da “CARIDADE BERGOGLIANA”…

    Engraçado…

    Vossos assessores mais próximos não deixaram que D. Rogelio o encontrasse, o depuseram sem direito a defesa, com toda “CARIDADE BERGOGLIANA”, depois, o sucessor de D. Rogelio já foi recebido por V. Santidade, e para melhorar a situação, dizem que até um transexual já foi recebido pelo senhor no palacete Santa Marta, porque sejamos honestos, a casa Santa Marta está longe da simplicidade que V. Santidade tanto propaga, ao menos de boca…

    Não pense que a questão D. Rogelio está encerrada, como diz o povo, o povo, (palavra tão adorada aos canalhas hipócritas da libertação, tipo Boff, Gutierrez, Sobrino, etc..), “A JUSTIÇA DIVINA TARDA, MAS NÃO FALHA”.

    “São FRANCISCO, reconstrói, mais uma vez minha Igreja…”

  23. Num clima totalmente confuso. Os católicos de hoje, precisam tem fé de Abraão. Está sedimentado na doutrina de vinte séculos de cristianismo. Para ter “fôlego” para suportar tantas aberrações, vinda das autoridades de Roma. Nossa Senhora de Salete. Como Mãe, boníssima; antecipadamente, já tinha previsto: “Os padres serão cloacas de impureza”. Sublinhando assim. Que em breve, muitos sacerdotes irão embrenhar no campo da impureza; que até as pessoas de bom senso. Iriam perceber isto de uma maneira muito clara. Hoje, nós estamos vendo, isto na mídia, todos os dias. Pergunto eu? Como estes infelizes sacerdotes chegaram a este ponto? A resposta é muito simples: Encheram os seminários de jovens, desprovidos de carácter, de pureza, da verdadeira vocação. Aí floriu, os frutos tão amargos. Se os Papas atuais, estivessem disposto a restaurar os princípios católicos. Eles, teriam que incentivar os diretores de seminários, os professores, os confessores… Para ficar vigilantes no comportamentos destes jovens. Assim, que é feito nos seminários da Fraternidade São Pio X. Vejamos os frutos saudáveis que estes seminários estão produzindo. Como diz o velho ditado: “Quem planta vento; colhe tempestade.”
    Joelson Ribeiro Ramos.

  24. De nada adianta criticarmos se só fazemos isso em “sites”. Devemos ser mais corajosos e escrevermos ao Papa (se é que Francisco seja). Mas, é ele o pontífice em questão. Se estamos descontentes, temos que assinalar isso diretamente a quem tem que conhecer nossas reclamações.
    Estamos cometendo o mesmo erros dos bispos que se acovardam diante da crise.
    Escrevamos a Francisco. Escrevamos a Kasper. Façamos romaria. Façamos frente, ainda que com muito respeito. Não esperemos dos bispos e padres. Sejamos, nós leigos, a reclamar respeito, continuidade com a tradição, coerência com os documentos. Peçamos a renúncia de Bergolio.
    Ficar chorando pelos cantos e tanta omissão e pecado para os clérigos como para os leigos.
    Bergollio está vendo o caminho livre para seus devaneios. Se os clérigos nada fazem. Façamos nós.
    Paremos de reclamar. Façamos manifestações. Escrevamos ao Papa. Vamos para os jornais. Sejamos do jeito que N. S. Jesus Cristo nós quer: quentes, não mornos ou frios.

  25. Não importa quem disse, mas o que foi dito! Infelizmente, tudo corrobora para que isso, ou quase isso fosse dito. Pior ainda, basta olharmos a nossa volta, com os meios de comunicação, não há de escondido que venha às claras. As denominações progressistas, tradicionalistas, realmente não podem coexistirem na Santa Igreja Católica. Ou se é, ou não se é Católico: seguidor de Cristo. Ser tradicional, era uma denominação pedagógica ante a Reforma do Concílio Vaticano II, pois não tem, como já dito, existir ao mesmo tempo: católico tradicional e católico progressista. Pois, isso seria incompatível com a própria física: uma coisa não pode ser e não ser ao mesmo tempo, numa mesma espécie. Temos algo híbrido, que é a “sensação” do mundo atual: as coisas, as pessoas, não terem uma forma concreta, uma forma definida. Serem constantes metamorfoses, mudanças, variando conforme a interpretação, a humos, o sentimento dos outros. Lembro de um jornalzinho da saudosa União Sacerdotal São João Batista Maria Vianney, cujo o título era: Heri et Hodie, que mais tarde passou a a tradução Ontem, hoje e sempre. Baseado nas palavras de São Paulo: Cristo, ontem, hoje e sempre. Ora, como pode então a Doutrina mudar? A Verdade ter uma outra interpretação? Ao contrário de um dos comentários acima, não estamos sem pastor, ou melhor sem o Verdadeiro e Único Pastor; Cristo. O que vivemos é um estado de apostasia, ainda que velada, mas é latente. O gênero humano está perdendo a noção de Deus, do sobrenatural, da vida eterna, da graça santificante, etc. A degradação, já não causa tanto horror, tanto espanto, até para os “homens” da Igreja, pois já depuseram as armas, fazendo as pazes com o mundo, o demônio e carne. O carnaval, o sexo desenfreado, a corrupção dos costumes, são aceitas sem restrição dentro das igrejas. Para que Igreja? se os homens são auto suficientes? Quando ouvi um bêbado, um sem temor a Deus dizer que o inferno era aqui mesmo; sentia medo, o que será dessa pobre alma? Hoje, quando os que deviam defender com a vida, e o exemplo os ensinamentos de Nosso Senhor, renegarem com palavras e obras, as Verdades eternas, bem. já não a mais nada que se esperar. Oxalá fosse frio, mas como sois morno, provocamos vômito. Que Deus tenha misericórdia de nós.

  26. Eu tenho uma pergunta que gostava de ver esclarecida. Onde é que o Papa diz “que o “desequilíbrio” deles se manifesta na celebração da liturgia”?

  27. Aqui esta um bom artigo para reflectir: https://extraecclesiamestlibertas.wordpress.com/tag/sexual-predators/

    Being “orthodox” has nothing to do with whether one is a sexual predator; you can be the biggest ultramontane imaginable, say the rosary everyday, do First Friday or First Saturday devotions, wear the Brown Scapular 24/7, say the divine office, and still be a rapist and a predator. Piety is no guarantee against perversity. Similarly, being “progressive” doesn’t nessesarily mean that one will stick up for abuse victims or be proactive in protecting children against predator priests, as the dubious actions of Archbishop Weakland demonstrates.

    • A FALSA piedade, a piedade neurótica e meramente exterior, mecânica e burra não é mesmo garantia de nada. A piedade, enquanto virtude ou dom do Espírito Santo, esta sim garante tudo.

      No entanto, ser “PROGRESSISTA” (que é apenas uma designação fake para heresias *muito* antigas) não nunca será garantia de nada que preste. Se um “progressista” acerca em alguma coisa, isso é mero acaso, per accidens, como alguém que vai ao mercado em encontra um amigo de infância sem ter marcado com ele.

  28. “Ser ortodoxo não tem nada a ver se uma pessoa é um predador sexual ou não. Você pode ser o maior ultramontano imaginável, rezar o rosário todos os dias, praticar as devoções das Primeiras Sextas e Sábados, usar o excapulário 24 horas a cada sete dias, rezar o Ofício Divino e ainda assim ser um estuprador ou predador. Piedade não é garantia contra a perversidade. Igualmente, ser “progressista” não necessáriamente significa que um compactua com o abuso das vítimas ou é ativo em protegert crianças contra padres predadores, como assim demonstra as atitudes duplas do Arcebispo Weakland”. demonstrates”.

    Ok, acabei de refletir na malícia e falta de caráter desse impostor modernista. Primeiramente, vamos dar uma olhada no perfil do energúmeno que escreveu esse lixo:

    “Este é um blog escrito por L Mickens em que eu relato em forma de crônica, minha jornada de humanista secular a tradicionalista católico e de volta novamente ao humanismo. Este blog, esperamos, que seja também um lugar onde outros “católicos desconvertidos” poderão contar suas histórias e explicar as filosofias que os motivam atualmente. Eu fornecerei também comentários sobre religião, sobre assuntos atuais e notícias do tipo geral e postar outros exemplos de meu trabalho que têm aparecido em outros lugares”.
    https://extraecclesiamestlibertas.wordpress.com/about/

    A desonestidade começa com o seu achismo particular e nenhum exemplo pra corroborar seu pensamento distorcido. Onde está o predador ou estuprador em questão, que rezava o rosário todos os dias, praticava todas as devoções marianas possíveis, usava o escapulário, não falhava na reza do Ofício Divino e ainda assim estuprava criancinhas? Nome? Endereço? Ordem Religiosa a que pertencia?
    No livro de Randy Engel, “O Rito da Sodomia”, ela dá nome aos bois e relata todos os delitos que foram amplamente divulgados pela imprensa. Nessa obra que está disponivel na Amazon, ela denuncia com coragem o lobby gay dentro da Igreja e prova que são exatamente esses “progressistas” que abandonaram toda a piedade, toda a prática das virtudes é que se tornaram cloacas de impureza. Sem o freio da mortificação e o remédio da oração se entregaram aos seus mais baixos instintos.
    Além do mais, o que esse mentiroso fala, visa claramente desvirtuar as promessas de Nossa Senhora e as palavras de São Luis de Montfort no tocante à devoção do Santo Rosário. Todos os santos marianos são unânimes em afirmar que a reza do Rosário e a devoção a Nossa Senhora são armas implacáveis na luta contra os pecados de impureza. Desconfie e muito de qualquer um que ataca ou zomba da eficácia e poder espiritual das devoções marianas pra corroborar seu pensamento.
    um estratagema mais que batido dos desonestos é dizer pertencer a uma determinada categoria para ter legitimidade pra criticá-la. Assim da noite para o dia, com o número cada vez mais crescente de Católicos buscando refúgio na fé tradicional da Igreja, o que não falta são os famosos “recovering Catholic” ( o termo se refere a apóstatas católicos que acusam o Catolicismo de ter exercido uma má influência em suas vidas e ser a causa de todos os seus traumas e males) abrindo blogs e sites pra contar como eram infelizes quando eram “Católicos Tradicionais”!
    Aqui mesmo não faltam alguns que precisam de um fórum pra contar suas xorumelas, de como foram tratados mal por aquele “tradicionalista”, por aquele “rad-trad”, por aquele padre desequilibrado…etc. Já contaram tudo? Esvaziaram o peito? Estão mais leves agora?
    Como estão longe da Fé Tradicional! Se é que algum dia sequer se aproximaram dela! A leitura da II Carta aos Coríntios do primeiro Domingo da Quaresma nos dá uma idéia do que se espera daqueles que se dizem Católicos Tradicionais:

    “Não damos em nada qualquer motivo de escândalo, para que o nosso ministério não seja desacreditado. ao contrário, em tudo nos recomendamos como ministros de Deus, com muita paciência nas tribulações,
    nas necessidades e nas angústias…”

    Onde foi parar aquela oração que não cansam de repetir nas missas Novus Ordo? “Não olheis os nossos pecados, mas a fé que anima vossa Igreja; dai-lhe, segundo o vosso desejo, a paz e a unidade”. Me parece que ela só se aplica aos escândalos dos modernistas, mas quando se trata de Católico tradicional, o que não falta é modernista catando pelo em ovo e distribuindo rótulos sem parcimônia. E o que é pior: posando de “ex-católico tradicionalista”!