Efeito “Quem sou eu para julgar?” – Pais e alunos protestam contra Moral Católica em escolas… Católicas!

Pais e alunos de escolas Católicas de San Francisco protestam contra cláusulas de moralidade nos contratos de Professores.

Por CBS | Tradução: Fratres in Unum.com – SAN FRANCISCO (KPIX 5) – Pais e alunos de escolas controladas pela Arquidiocese Católica de San Francisco participaram de um protesto em frente à Catedral de Santa Maria, na Quarta-Feira de Cinzas, alegando que a Igreja deveria ficar fora dos quartos dos professores e retirar as cláusulas de moralidade propostas nos contratos com os professores.

Assista ao vídeo aqui.

Na Quarta-Feira de Cinzas, um dos dias mais sagrados no calendário católico, os alunos e pais esperavam que o Arcebispo Salvatore Cordileone mudasse de ideia sobre as cláusulas, uma vez que nesse dia a Igreja inicia um período de 40 dias de reflexão quaresmal.

Pais e alunos protestaram contra cláusulas de moralidade propostas para a Arquidiocese de San Francisco em frente à Catedral de Santa Maria, no dia 18 de fevereiro de 2015. (CBS)

Pais e alunos protestaram contra cláusulas de moralidade propostas para a Arquidiocese de San Francisco em frente à Catedral de Santa Maria, no dia 18 de fevereiro de 2015. (CBS) – Num dos cartaz se lê: “Quem sou eu para julgar?”

“Estamos aqui porque se Jesus estivesse vivo hoje em dia, ele estaria de pé bem perto de nós”, disse Mairead Ahlbach, uma aluna da escola do Sagrado Coração, à multidão.

O que está em discussão são os contratos de moralidade propostos pelo arcebispo aos professores, que incluem cláusulas como oposição ao homossexualismo e contraceptivos.

Do lado de fora da catedral, o padre John Piderit da Arquidiocese disse: “O arcebispo está reiterando a doutrina católica tradicional. E a reclamação feita por diversos políticos e alguns pais e professores é que essa atitude é discriminatória. Na realidade, a nossa abordagem é a mesma para rapazes e moças, para heterossexuais e gays.”

Mas as diferenças sobre a doutrina e sua aplicação são profundas.

“A única coisa que estamos fazendo nesta noite é pregar valores católicos,” disse Ahlbach.

Ao serem indagados sobre se a proposta do arcebispo se enquadra na doutrina católica, outra aluna que participava do protesto disse: “Sim, ela efetivamente se enquadra na doutrina católica, mas achamos que se ela for implementada talvez muitos de nossos professores saiam da escola.”

“Não queremos que os nossos professores saiam e talvez até mesmo abandonem a fé. Apenas achamos que a Igreja Católica deveria se tornar mais progressista, assim como a Igreja Anglicana,” disse a aluna.

* * *

Nota do Fratres: Além dos protestos de pais e alunos das escolas de San Francisco, Dom Cordileone enfrenta protestos da Fundação da Campanha de Direitos Humanos, o braço educacional da maior organização americana de direitos civis de gays, lésbicas, bissexuais e transexuais, que apela à Arquidiocese de San Francisco que retire a linguagem anti-LGBT de seu novo contrato com os professores.

“As novas ‘cláusulas morais’ propostas no contrato pelo Arcebispo Salvatore Cordileone contrastam de maneira gritante com a mensagem de inclusão promovida pelo Papa Francisco”, disse Lisbeth Melendez Rivera, diretora da Latina/o e Iniciativas Católicas para o Programa de Religião e Fé da Fundação HRC. “Ao impor algo que equivale a um teste de pureza anti-LGBT, o arcebispo está fechando a porta a profissionais dedicados, muitos dos quais são católicos fiéis – gays e heterossexuais -, cujos códigos morais não incluem discriminação.”

Por sua vez, em carta aos professores de ensino médio, o Arcebispo Cordileone falou que o documento não tem por objetivo demitir ninguém, mas como acontece com muitas questões polêmicas relacionadas à fé e moral, ele percebeu que era importante ajudar os professores a oferecer perspectivas a seus alunos que estejam lutando em áreas como moralidade sexual e disciplina religiosa.

28 Comentários to “Efeito “Quem sou eu para julgar?” – Pais e alunos protestam contra Moral Católica em escolas… Católicas!”

  1. Glória no mais alto do Céu, pela coragem desse bispo! O que me impressiona é a cara de pau dessas pessoas, se não gostam da moral Católica por que colocam os seus filhos para estudarem em colégios Católicos?

    • Porque são as melhores, como sempre, inclusive nos EUA. Suspeito que muitos pais desses alunos sequer sejam católicos e matricularam os filhos pela qualidade do ensino. Que o bispo tenha força e resista!

  2. “Estamos aqui porque se Jesus estivesse vivo hoje em dia, ele estaria de pé bem perto de nós”. Que é isso? O Senhor ressuscitou verdadeiramente, a apareceu a Pedro! Ele está mais vivo que a Srta. (?) Ahlbach.

  3. As igrejas cristãs tradicionais estão num caos, num verdadeiro caos, veja-se as anglicanas e as luteranas, o lobby gay e feminista domina por completo. Depois de tantas modernices, o arcebispo de Cantuária vem dizer que em 10 anos, só dez anos, a maioria das paróquias de Inglaterra irão desaparecer. Contudo continuam na adaptação à modernidade. São uns…

  4. “(…) Apenas achamos que a Igreja Católica deveria se tornar mais progressista, assim como a Igreja Anglicana.”

    Então vai pra lá, senhorita.

  5. O ensino anti-Católico nas ditas escolas e universidades Católicas, não é um fenômeno recente e nada tem a ver com as palavras infelizes do Santo Padre Papa Francisco. Faz parte da engenharia social marxista e da heresia do modernismo que tomou conta de tudo.

    Mas essa reportagem prova que as palavras de um Papa tem um peso absurdo e que deveria ser melhor ditas.

  6. À esse o papa não telefonará, e se duvidar, o Kasper ainda pede a cabeça dele!
    Oremos!

  7. Uma coisa é o que o Papa disse e quis dizer quando falou “Quem sou eu para julgar?!” – Outra coisa é a opinião interpretativa dessas palavras do Papa, que acredito, nenhum católico deveria interpretar pela pior parte, mas da melhor maneira possível, já que poucas palavras concentram, na verdade, muitíssimas palavras, e não se há de esperar que um Papa tenha a intenção de atentar contra a fé e a moral. Vale a opinião do Papa muito mais que a opinião interpretativa das pessoas. Se culparmos o Papa por interpretarem mau as palavras que ele diz, então seria coerente culparmos os Apóstolos e o próprio Jesus pelas más interpretações que fazem da palavra d’Ele e de seus santos Apóstolos. Alem do que é de fé que Jesus morreu na cruz também pelos homossexuais e que por todos eles se imola e se sacrifica ao Eterno Pai pela santificação deles, presente em todos os sacrários da terra. A moral católica, que obriga a não pecar contra a castidade, obriga igualmente a não discriminar a ninguém que tenha optado por viver uma vida sexual sem orientação no que ensina a Igreja. Também não podemos discriminar uma pessoa homossexual que queira viver o Evangelho: por que uma pessoa nessas condições pode ou não pode se converter??? uma pessoa assim deve ou não deve se converter??? se uma pessoa assim se converter devemos ou não devemos acolher???

    • Gerson, mesmo antes de ser Papa, Bergoglio já atentava contra a doutrina e moral católicas. Quando, infelizmente, ele se tornou Sumo Pontífice, piorou, pois o que ele diz tem uma repercussão muito maior. Não querer enxergar isso chega a ser patético. Você não tem acompanhado toda a trajetória do pontificado de Bergoglio? Um resumo: ele foi a uma mesquita e pediu para ser abençoado por um imã. No Sínodo da Família, apoiou todas as ideias pecaminosas, heréticas e depravadas do luciférico cardeal Kasper. Persegue todos os padres e religiosos fieis à doutrina da Igreja (Dom Rogélio Livieres, Franciscanos da Imaculada, o cardeal Burke, dentre outros). Odeia os paramentos da Igreja e pune quem os usa. É de esquerda, de tendência comunista, inclusive recebeu, no Vaticano, o MST e outras organizações comunistas. Já está de firme amizade com o herege, vingativo, insubordinado e imoral Leonardo Boff (dos maus Bofes…). Quer mais? No tocante aos homossexuais, o Catecismo da Igreja é claro. Você o conhece? No Catecismo Católico consta que se deve acolher os homossexuais com respeito, evitando-se discriminações. E eles são acolhidos, sim, em qualquer paróquia. Não são impedidos de entrar, de assistir à missa, de participar de irmandades, etc. Se são homossexuais castos (que não praticam sexo), podem comungar como qualquer heterossexual que também viva a castidade. LEMBRE-SE: a Igreja Católica pede, baseada nas Sagradas Escrituras, que tanto os heterossexuais solteiros quanto pessoas com inclinações homossexuais vivam a castidade, ou seja, por não serem casados não devem fornicar. Portanto, quando se diz a um gay para não praticar sexo não se está incorrendo em preconceito ou discriminação, afinal o mesmo também é exigido dos heterossexuais solteiros. Entendeu? Não? Leia o Catecismo e a Bíblia! Você é católico?

  8. Como gostaria que o arcebispo de São Francisco, Dom Salvatore Joseph Cordileone, fosse o arcebispo de Belo Horizonte-MG. Enquanto que um pastor (D. Salvatore) luta para preservar o seu rebanho dos ataques dos lobos (lobby gay….), no Brasil, mais precisamente, na capital dos mineiros (Belo Horizonte-MG), a apostasia vai de vento e popa:
    – Construção da nova catedral por Oscar Niemeyer (inclusive tem os dois símbolos marxistas: foice e o martelo);
    – o frei herege Cláudio Van Balen continua fazendo o maior estrago espiritual na paróquia de N.Sa. do Carmo,
    – a PUC é administrada pelo bispo auxiliar D. Mol (da TdL), e
    – no colégio Loyola há divulgação da doutrina homossexual (kit gay, agenda gay….) como será a seguir demonstrado:
    O meu caso foi totalmente diferente dos EUA, ou seja, o colégio jesuíta Loyola de Belo Horizonte-MG, cujo reitor é um sacerdote jesuíta da mesma ORDEM RELIGIOSA DO PAPA FRANCISCO (Companhia de Jesus-SJ,), PASMEM… nas aulas de “teologia” estava divulgando o kit gay em sala de aula (alunos do 2º ano do ensino médio).
    A agenda gay era passada para os adolescentes dessa forma:
    – através de filmes “não gosto de meninos” (disponível: http://youtu.be/ij9baks8i64);
    – Júri simulado: caso da cantora Cássia Eller (caso de adoção por casal homossexual).
    No meu caso concreto, tudo isso se passou, não em colégios públicos leigos, mas numa escola “tradicional” católica e administrada pela “Companhia de Jesus”. O nome do colégio é Loyola, de Belo Horizonte -MG.
    DOS FATOS:
    Meu filho tem 17 anos e encontrava-se matriculado no 2º ano do ensino médio do colégio Loyola, dos Jesuitas, de BH-MG. PASMEM… nas aulas obrigatórias de “Teologia” foi exibido filme com propaganda gay (“não gosto de meninos”). Outra atividade polêmica ocorrida nas aulas de “Teologia” foi:
    – Simulação de Júri sobre adoção gay (caso da cantora falecida o Cássia Eller), dentre outras. Qta obsessão na temática gay. Será que a Igreja no Brasil virou Gay??? Como o Lobby gay é forte, a nível mundial, conseguiu inclusive derrubar um santo papa: Bento XVI. O final da história todos nós conhecemos (Sodoma e Gomorra).
    Mas fixemos no vídeo “não gosto de meninos” (disponível: http://youtu.be/ij9baks8i64):
    Trata-se do vídeo contendo propaganda GAY exibido para alunos do 2º ano do Ensino Médio do colégio “católico e jesuíta” LOYOLA, de Belo Horizonte-MG. Lamentavelmente, meu filho estuda nesse colégio.
    Hoje, jamais colocaria meu filho num colégio católico, seja ele: jesuíta, marista, franciscano etc.
    Ao tomar conhecimento do conteúdo das aulas de teologia, solicitei a dispensa das aulas de teologia para o meu filho. O pedido foi negado.
    Então, enviei a seguinte carta para o reitor do colégio, Pe. Pe.Germano Cord Neto, SJ:

    “Senhor Diretor do Colégio Loyola,

    ASSUNTO: Kit gay em colégios católicos (caso do vídeo “Não gosto de meninos”, exibido nas aulas de teologia)

    Acuso o recebimento do seu e-mail. Lamento a decisão que indeferiu o justo pleito (pedido de dispensa de comparecer nas aulas de teologia do colégio do Loyola). A decisão de assistir as aulas caberá exclusivamente ao meu filho. Por mim, ele jamais assistiria alguma aula de teologia da grade proposta pelo Loyola. Levo ao seu conhecimento que, embora esteja viajando a trabalho, reservei um tempo para assistir o famigerado vídeo denominado “Não gosto dos Meninos”, disponível:http://youtu.be/ij9baks8i64
    Confesso que fiquei chocado com o que assistir. Sou parente do cardeal Dom Raymundo Damasceno (arcebispo de Aparecida do Norte-SP) e amigo do Pe. Álvaro Pimentel-SJ, desde os tempos universitários em Brasília-DF (UnB), e jamais poderia passar pela minha mente, que algum dia, passaria por esta situação, principalmente, tratando-se de um colégio “católico jesuíta”. Hoje, confesso, não colocaria o meu filho jamais nessa instituição dita “católica”. Estou decepcionado, frustrado com a postura imposta pela direção do colégio. Voltamos à ditadura, sessão de tortura psicológica para os alunos heterossexuais, bullying na aula de teologia, cristofobia… é assim que eu sinto!
    Embora minha formação seja em Direito e em Ciências Contábeis, deixo o meu comentário sobre esse vídeo (vide abaixo), para fins de conhecimento, reflexão e tomada de decisão…
    Procurei observar detalhadamente os depoimentos deste vídeo. Não há como negar que este vídeo é bem feito e planejado para atingir o fim a que se propõe: desmitificar a homossexualidade. É um vídeo convincente e facilmente manipula a opinião dos adolescentes, pois é narrativo, com complicação, clímax e desfecho. A abertura do filme já prende a atenção do adolescente, ao dizer: “você não tem que se preocupar em ser igual a ninguém, porque a ideia é,exatamente, que seja diferente”. É uma frase impactante porque a adolescência é o período da vida onde há a afirmação pessoal e todo adolescente quer ser diferente para sentir-se dono de sua própria vida. Em seguida, o filme apresenta a complicação narrativa, isto é, onde se desenvolve o conflito. E o faz com muita maestria, fazendo com que o expectador perceba o mundo dos depoentes, através de citações de coisas comum a todos, quando crianças (brincar de bonecas, no caso de meninas; jogar basquete, personagens de histórias em quadrinhos, super heróis, heróis de TV, no caso dos meninos) e quando adolescentes (amizades com pessoas do mesmo sexo e admiração pela beleza de seu próprio sexo). Os depoentes deixam transparecer que desde a infância já se diferenciavam comportamentalmente das crianças do mesmo sexo que o seu e que, na adolescência, sentiam atração homossexual. Essas citações estimulam uma comparação da vida de quem vê o filme com o dos relatantes do vídeo. E cria um clima ou de rejeição ou de identificação. Propositadamente, nesse momento, o filme entra no clímax narrativo: mostra-se o conflito vivido por cada um dos depoentes: primeiramente, o conflito interior (3:43 – “eu nunca vou dar este desgosto para meus pais”; 3:51 – “eu não quero”; 3:51 – “não! não! eu não sou. Eu não quero. Se eu não quiser com muita força não vai rolar”; 6:02 – “É uma fase. vai passar.”). Depois, o conflito com os pais (7:22 “viver a vida do modelo diferente do que teu pai implantou, enfim”; 7:41 – “medo da aceitação do meu pai especificamente”; 7:52 – “o maior medo que eu tinha era o meu pai, os amigos de meu pai”; 8:00 – “imaginava que teria grandiosíssimos problemas com a família. Talvez, deixassem de me amar”; 15:23 – “O problema estava com eles de não entender que eu não era como eles gostariam que eu fosse”). Em seguida, apresenta o desfecho. Mostra que a família os apoiou após eles contarem sobre sua atração pelo mesmo sexo (11:04 – “nada vai mudar. Que a relação que tem com você não vai mudar”; 11:26 – “Continuo sendo a filha que eles amam de paixão”; 11:41 – “ele falou que me amava”).
    E apresenta a homossexualidade como algo comum e fonte de felicidade ( 3:20 – “o natural da vida seria crescer, casar e ter filhos. só que não é bem assim que a coisa acontece”; 12:24 – “uma vida normal”; 13:43 – “um casal moderno, nada diferente”; 14:17 – é uma coisa natural”; 16:12 – “É uma característica. Só isso!”; 16:20 – “Valeu a pena!”). Sr. Diretor, este vídeo veicula uma ilusão de felicidade homossexual e torna-se falso por não mostrar totalmente a realidade da homossexualidade. Senão, vamos rasgar o Catecismo da Igreja Católica e doutrina cristã sobre o tema (Sodoma e Gomorra…).
    E o que eu considero como o mais grave deste filme é que estão querendo destruir a moral religiosa usando também valores cristãos. O final do filme mostrou bem isso com a frase: “…A gente devia se preocupar um pouco mais em fazer o bem para a humanidade, em estar feliz e ajudar o próximo do que tentar fazer esforço de coesão para que todo mundo siga preceitos religiosos ou sociais…”(17:11). Só por essa frase o vídeo já não poderia ter sido mostrado num colégio confessional Católico.
    Desejo, enfim, que o Espírito Santo ilumine os professores, os coordenadores e a direção dessa escola, para que eles, efetivamente, sejam discípulos missionários de Jesus.
    Renato e família”.
    PS.: Quem quiser protestar contra esse lixo cultural (ditadura gay) em ambientes católicos brasileiros, estejam à vontade:
    Pe.Germano Cord Neto, SJ –
    e-mail: germano.cord@loyola.g12.br
    Diretor Geral
    http://www.loyola.g12.br
    http://www.facebook.com/colegioloyolabh
    http://www.jesuitasbrasil.com
    (31) 2102-7048

  9. Hoje, mais conhecidos como ESTADOS UNIDOS DO ISLÃ-EUI – ex da América – principalmente depois da entrada do comunoislamita Obama ao poder, vem o país deteriorando-se sistematicamente em maior escala desde os anos 60, a partir dos movimentos hippies que objetivavam relativizar a sociedade, e o conseguiram!
    Aliás, teria sido nesse país no Ocidente em primeiro lugar de onde se passaram a serem celebrados publicamente os cultos satanistas, a começar do Halloween, um festival esoterista pagão de apologia aos desejos de Satã, inclusive com sacrifícios humanos.
    Isso não passa de um atestado de como alienaram-se à fé cristã parte dos católicos americanos a ponto de confrontarem a autoridade de um bispo vinculado à tradicional doutrina da Igreja em favor do relativismo, país em que o protestantismo foi sempre muito ativo.
    Note-se que diversas seitas americanas migraram para o Brasil, aqui colaborando na expansão do sectarismo religioso, o qual lá e aqui se expandiram e contaminaram até comunidades católicas que deveriam testemunhar a autêntica doutrina cristã, já teriam até mesmo se deixado infectarem por esse vírus, estariam se comportando semelhantes às seitas protestantes e reivindicando concessões laicistas, onde a adaptação da fé ao niilismo modernista é a práxis.

  10. “Quem não pode com o pote…..não pega na rodilha”!!! …..já diziam os Antigos em sua sabedoria popular.

    Se não gostam de nossa DOUTRINA CATOLICA…..porque ficam em nossa IGREJA?…!!!!…?….Hã?…

    Só para “esquentar” os bancos das Igrejas?…..Eu,…hein?…estranho….. para “fazer número”?….

    Se pensam tãaao diferente de JESUS de NAZARÈ…..NÃO “vestem a camisa” do CRISTIANISMO….então…..então……saiam!
    Vão para aonde possam satisfazer as suas”vontades adâmicas” livremente, desregradamente………. e felicidades! Bon voyage!

  11. Se não aceitam o moral Católica? Existem outros colégios: não Católicos!

  12. A porta da rua é a serventia da casa!
    Adeus, alunos e professores que não são católicos de verdade.

  13. Ontem, Segundo Domingo da Quaresma, a epístola lida durante a Missa foi I Tessalonicenses 4,1-7:

    1 Quanto ao mais, irmãos, já os instruímos acerca de como viver a fim de agradar a Deus e, de fato, assim vocês estão procedendo. Agora lhes pedimos e exortamos no Senhor Jesus que cresçam nisso cada vez mais.
    2 Pois vocês conhecem os mandamentos que lhes demos pela autoridade do Senhor Jesus.
    3 A vontade de Deus é a vossa santificação: que se abstenham da fornicação.
    4 Cada um saiba manter o próprio corpo de maneira santa e honrosa,
    5 não com a paixão de desejo desenfreado, como os pagãos que desconhecem a Deus.
    6 Neste assunto, ninguém prejudique a seu irmão e nem dele se aproveite. O Senhor castigará todas essas práticas, como já lhes dissemos e asseguramos.
    7 Porque Deus não nos chamou para a impureza, mas para a santidade.
    8 Portanto, aquele que rejeita estas coisas não está rejeitando o homem, mas a Deus, que lhes dá o seu Espírito Santo.

    Ao ver essa turba enfurecida contra um dos ungidos do Senhor, contra um sucessor dos Apóstolos que no meio do caos em que se encontra a Igreja, ainda tenta ser fiel ao seu mandato de preservar e transmitir com fidelidade a Sã Doutrina, como não pensar naquela passagem do salmo 2?

    Por que se enfurecem as nações e os povos tramam em vão?
    Os reis da terra tomam posição e os governantes conspiram unidos contra o Senhor e contra o seu ungido, e dizem:
    _“Façamos em pedaços as suas correntes, lancemos de nós as suas algemas!”

    Na verdade, o infame “quem sou eu pra julgar” foi apenas a cereja no bolo, foi a munição que os inimigos tanto de dentro como de fora da Igreja, precisavam pra fazer calar aqueles que ainda tentam ser fiéis à exortação paulina aos Tessalonicenses.
    São Paulo é claríssimo nessa epístola: ” já os instruímos acerca de como viver a fim de agradar a Deus e agora lhes pedimos e exortamos no Senhor Jesus que cresçam nisso cada vez mais, pois vocês conhecem os mandamentos que lhes demos pela autoridade do Senhor Jesus, vocês sabem que a vontade de Deus é a vossa santificação: que se abstenham de toda sorte de imoralidade sexual, que cada um preserve o corpo que é o templo do Espírito Santo de maneira honrosa, que não se entreguem à luxúria como fazem os pagãos que desconhecem a Deus e não são templos do Espírito Santo. E que ninguém engane o irmão ou dele se aproveite nessa matéria, porque como já dissemos e asseguramos: O Senhor castigará todas essas práticas”.

    Então não preciso da opinião pessoal de Bergoglio no tocante a essa matéria. São Paulo já emitiu o julgamento com a autoridade de Nosso Senhor Jesus Cristo. Bergoglio como Bispo e sucessor do Apóstolo tem o dever apenas de zelar e transmitir fielmente esse Depósito da Fé que os Apóstolos receberam do próprio Cristo. Se não o faz, Deus o julgará com mais severidade do que àqueles que ele está corrompendo. Porque a quem muito foi dado, muito mais será cobrado. Além do mais, como assegura o Apóstolo: “neste assunto, ninguém prejudique a seu irmão e nem dele se aproveite ou o enrede, porque o Senhor castigará todas essas práticas”.
    Quanto aos protestos que Dom Cordileone enfrenta por parte da Fundação da Campanha de Direitos Humanos, o braço educacional da maior organização americana de direitos civis de gays, lésbicas, bissexuais e transexuais, convém aqui ressaltar que o pederasta que é fundador dessa organização foi preso e acusado de assalto sexual contra um menor de idade e depois liberado mediante pagamento de fiança:
    http://www.truthrevolt.org/news/friend-obama-and-founder-largest-gay-rights-org-charged-pedophile
    http://koin.com/2014/11/20/new-arrest-made-in-terry-bean-investigation/

    Rezemos por Dom Cordileone. Que Deus preserve seu “coração de leão” pra que continue rugindo forte contra os inimigos da Fé.
    “…sereis arrastados diante dos tribunais e açoitados nas sinagogas e comparecereis diante dos governadores e reis por minha causa, para dar testemunho de mim diante deles. Mas primeiro é necessário que o Evangelho seja pregado a todas as nações Quando vos levarem para vos entregar, não premediteis no que haveis de dizer, mas dizei o que vos for inspirado naquela hora; porque não sois vós que falais, mas sim o Espírito Santo. O irmão, entregará à morte o irmão,e o pai, o filho; e os filhos irão insurgir-se contra os pais e lhes darão a morte. E sereis odiados de todos por causa de meu nome. Mas o que perseverar até o fim será salvo.” (Marcos 13, 9-13.)

  14. Carlos Magno Brito Almeida Santos , se o Papa está errando hoje, quem poderá garantir que não errou no passado? Se o magistério exercido hoje está errado, quem poderá afirmar que estava certo antes? Se a moral está errada hoje, quem poderá garantir que não esteve errada antes? Ao criticar e acusar o Papa vocês estão semeando a dúvida e o relativismo moral e doutrinário na Igreja. Assim vocês atentam contra o dogma da verdade imutável. O papa que erra atualmente é o mesmo que errou no passado, não tem como escapar dessas conclusões se for aceito que podemos julgar quem pode julgar a todos e por ninguém pode ser julgado, já que não existe na terra poder maior que o dele, segundo reza a tradição. Ou o Papa é ou não é infalível, é ou não é assistido pelo Espírito Santo!!! Jesus prometeu ou não prometeu estar com Pedro até o fim dos séculos??? Se for possível ao Papa errar ou cair em heresia, então temos aí a negação da divindade de Cristo e da Igreja, temos ai um naturalismo e um relativismo que atentam contra a própria constituição divina da Igreja.

    • A Santa Igreja sempre ensinou que um Papa pode errar, pode pecar, pode até mesmo favorecer a heresia, mas jamais irá propor o ensino do erro como verdade de fé, como um dogma. Que os Papas podem errar e pecar, nos atesta a história da Igreja. Que o Papa é Infalível, não podendo jamais ensinar o erro como verdade de fé definitiva, no-lo assegura o Próprio Cristo, ao conceder o poder das chaves ao pescador. Se o irmão confunde impecabilidade com infalibilidade, precisa estudar mais um pouco a história da Igreja, e o catecismo. Paz e Bem!

  15. Gerson, a sua ignorância ou má-fé já não causa mais revolta. Causa pena! É de dar dó o seu recurso à silogismos idiotas pra justificar sua papolatria.
    Se o Papa está errando hoje, quem poderá garantir que não errou no passado? Muitos Papas erraram no passado, mas nunca em relação à Doutrina da Fé. Até Pedro errou e feio naquela questão da circuncisão dos pagãos convertidos, mas rapidamente foi corrigido. Se o magistério exercido hoje está errado, quem poderá afirmar que estava certo antes? Você é cego ou não sabe ler? A infalibilidade que a Santa Igreja atribui (e que de fato compete) ao Papa não é absoluta, mas relativa, ou seja, restrita a temas de fé e de moral; não é pessoal ou inerente à pessoa, mas ao cargo do Pontífice; o que quer dizer que o Papa pode errar quando fala ou age como pessoa particular, só sendo preservado de falha nas ocasiões raras e extraordinárias em que intencione definir alguma proposição, empenhando explicitamente a sua autoridade de Chefe visível da Igreja.

    “Mas faço-vos saber, irmãos, que o evangelho que por mim foi anunciado não é segundo os homens;
    porque não o recebi de homem algum, nem me foi ensinado; mas o recebi por revelação de Jesus Cristo…Estou admirado de que tão depressa estejais desertando daquele que vos chamou na graça de Cristo, para outro evangelho, o qual não é outro; senão que há alguns que vos perturbam e querem perverter o evangelho de Cristo. Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos pregasse outro evangelho além do que já vos pregamos, seja anátema. Como antes temos dito, assim agora novamente o digo: Se alguém vos pregar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema”. (Gálatas 1:6-9)

    Este é o critério pra se discernir se o magistério que está sendo exercido hoje está de acordo com a Doutrina transmitida pelos Apóstolos.
    Se a moral está errada hoje, quem poderá garantir que não esteve errada antes? O testemunho dos mártires é a resposta à sua pergunta. Eles preferiram morrer do que aceitar a moral pagã que agora nos querem enfiar goela abaixo. Ou você acha mesmo que sodomia, pansexualismo, infanticídio, poligamia, adultério, homicidio são novidades da cultura moderna? Eram a ordem do dia antes e no início da Cristandade e foi por fim à tudo isso que Jesus fundou a sua Igreja. Como a candeia no cume do monte pra iluminar os que jazem nas trevas e atrair a si uma multidão de almas.
    Ao criticar e acusar o Papa somos nós que estamos semeando a dúvida e o relativismo moral e doutrinário na Igreja? Ou é o próprio homem sentado na Cátedra de Pedro, o semeador da dúvida e do relativismo moral? Pois basta abrir os jornais e revistas pra constatar que é ele quem todos os dias pega o microfone da mídia mundana pra semear escândalo e confusão ao invés de confirmar na fé as ovelhas que lhes foram confiadas.
    Se você quer aplaudir esses desmandos, problema seu. Mas não venha aqui com seus silogismos idiotas tentando justificar o injustificável. Toda a água sanitária do mundo não daria pra lavar as sujeiras desse Pontificado…a começar pela eleição cheia de irregularidades canônicas.
    Antes de abrir a boca pra falar de “atentados ao dogma da verdade imutável”, primeiro vá estudar sobre as “verdades imutáveis”, porque o dogma da infalibilidade papal é apenas uma dessas verdades e você sequer sabe os critérios e limites dessa infalibilidade.
    O papa que erra atualmente semeando dúvidas nas questões doutrinárias com a desculpa de “cuidado pastoral” não é de forma alguma o que errou no passado em questões políticas ou de ordem moral. Esses que erraram no passado em questões morais ou políticas já foram julgados por Deus e pela História.
    A sua papolatria chega ao ponto de associar a infalibilidade papal à divindade de Cristo. Que blasfêmia! Se você estivesse vivendo nos tempos de Santo Atanásio com certeza preferiria negar a divindade de Cristo só pra demonstrar solidariedade ao Papa Libério. Que Deus tenha misericórdia da sua alma!

  16. O pior de tudo é que quando você vai conversar com um sujeito percebe que são pessoas completamente ignorantes mas que acham que conhecem o cristianismo simplesmente porque “estudaram em colégios católicos”.

  17. Gerson, faço minhas as palavras de Gercione Lima e de Evandro. O que eles lhe disseram, eu iria dizer-lhe. Não confunda infalibilidade com impecabilidade. Você já ouviu alguma vez a expressão “ex catedra” (quando o papa ensina como chefe da Igreja e continuador da missão apostólica)? Ora, as veleidades assumidas por Bergoglio fogem totalmente da missão apostólica da Igreja Católica. Logo, ele não está defendendo a sã doutrina. Espero, sinceramente, que você se renda às verdades eternas de Cristo, que a Igreja tem a obrigação de seguir e disseminar. São Marcos 16:15 proclama “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura.” Ad Calvarium per Rosarium.

  18. Gercione Lima, bem lembrado citar a passagem que traz o exemplo bíblico de uma suposta “resistência” exortativa de São Paulo face a São Pedro. Temos ai São Pedro, primeiro Papa da Igreja, constituído infalível pelo próprio Cristo in persona. Temos também São Paulo Apóstolo. Atualmente o Papa é o Sucessor de Pedro e os Bispos são Sucessores dos Apóstolos. Nos Atos dos Apóstolos vemos Paulo, pleno de Amor e Misericórdia, “corrigindo” Pedro, também pleno de Amor e Misericórdia. Os Atos dos Apóstolos registrou e eternizou um exemplo a ser seguido durante os séculos até o fim dos tempos. Mas há detalhes muito importantes a ser observados neste exemplo de correção fraterna no exato sentido da palavra. São Pedro ouviu São Paulo e acatou sua exortação, reconhecendo a Voz de Deus nas palavras de Paulo. Pedro concorda com Paulo, pela única razão de que Paulo estava certo; mas atualmente esse embate que se repete entre o Papa Francisco e alguns Bispos ou Cardeais não goza do mesmo consenso que houve entre Pedro e Paulo porque esses que divergem do Papa simplesmente estão errados, se tivessem certos, como estava certo Paulo, certamente Francisco, como Pedro, concordaria com eles. Portanto, se o Papa acata a exortação de alguém, está certa essa exortação, se não acata, é porque está errada.

    • Gerson, a sua situação é péssima, pois o seu coração já está inclinado para o erro. Você ousa dizer que todas as ações de Bergoglio estão corretas:” […] mas atualmente esse embate que se repete entre o Papa Francisco e alguns Bispos ou Cardeais não goza do mesmo consenso que houve entre Pedro e Paulo porque esses que divergem do Papa simplesmente estão errados […]”. Então, os excelentes e dignos cardeais e bispos estão errados ao discordarem das sandices do tal Bergoglio quando ele é favorável ao casamento homossexual, divórcio, comunhão a recasados, ecumenismo, submissão aos muçulmanos pedindo-lhes a bênção? E as perseguições, calúnias, difamações e defenestrações feitas por Bergoglio contra padres e religiosos defensores da sã doutrina? E os livros que defendem a verdadeira doutrina católica e que foram enviados a todos os padres sinodais e sumiram às vésperas do Sínodo da Família, não chegando aos destinatários? Foi por ordem de quem o “sumiço”? Veja a advertência contida em II Tessalonicenses 2:9-11: “A manifestação do ímpio será acompanhada, graças ao poder de Satanás, de toda a sorte de portentos, sinais e prodígios enganadores. Ele usará de todas as seduções do mal com aqueles que se perdem, por não terem cultivado o amor à verdade que os teria podido salvar. Por isso, Deus lhes enviará um poder que os enganará e os induzirá a acreditar no erro.” Infelizmente, Gerson, você está no erro. Procure amar a verdade.

  19. Misericórdia!!! Gerson me desculpe,mas você está totalmente cego: Fisicamente porque parece que não ler e espiritualmente….. cegado pelo príncipe desse mundo! Abra os olhos enquanto há tempo!

  20. “… mas atualmente esse embate que se repete entre o Papa Francisco e alguns Bispos ou Cardeais não goza do mesmo consenso que houve entre Pedro e Paulo porque esses que divergem do Papa simplesmente estão errados, se tivessem certos, como estava certo Paulo, certamente Francisco, como Pedro, concordaria com eles. Portanto, se o Papa acata a exortação de alguém, está certa essa exortação, se não acata, é porque está errada…”

    Mais um silogismo idiota. Deixa eu te dar um exemplo do que é um silogismo idiota:

    “Quando estamos bêbados, dormimos.”
    ”Quando dormimos, não cometemos pecados.”
    ”Quando não cometemos pecados, vamos para o Céu.”
    ”Então, os bêbados herdarão o Reino do Céu!”

    Então porque Bergoglio não acata as exortações de cardeais como Burke, Pell…etc, defendendo a indissolubilidade do matrimônio e a santidade da família, a ponto de permitir que seus lacaios dessem sumiço no livro “Permanecendo na verdade de Cristo. Matrimônio e comunhão na Igreja Católica”, e ainda ameacem aqueles que o publicam, os errados são os cardeais?
    Essa é a conclusão lógica do seu silogismo idiota? Se o Papa acata a exortação de alguém, está certa essa exortação, se não acata, é porque está errada…”
    Você precisa muito de oração. Peça ao Espírito Santo o dom da inteligência, mas peça com muita fé e persistência!

  21. Carlos Magno Brito Almeida Santos, Gercione Lima, o Papa Francisco não é, como vocês dizem, contra a indissolubilidade do matrimônio e a santidade da família, não defende a segunda união nem é a favor da comunhão e da confissão para divorciados, muito menos é a favor do casamento dos homossexuais. Essa afirmação é gravíssima nos termos da moral que vocês seguem. Nunca, jamais o Papa Francisco sequer deu a entender que apóia casamentos homo afetivos, isso é um grave lapso que carece de reparação. Também o Papa não defende a comunhão para divorciados, essa afirmação é um erro. Sempre foi debatido a possibilidade de uma permissão específica, para pessoas específicas, para casos específicos. Além do que a Igreja iluminada pelo Espírito Santo, tem a capacidade de conhecer com plena certeza se um casamento específico foi ou não foi nulo. Tomar a bênção de um líder muçulmano é um ato de profunda humildade, só um homem verdadeiramente cheio de Deus poderia submeter-se a isso. Quem se escandaliza por isso deveria escandalizar-se por Jesus Cristo submeter-se à um Ritual de purificação no rio Jordão, ao ser batizado por João Batista. Como pode purificar-se Aquele que não tem nenhum pecado???!!! A humildade de Francisco ao receber a bênção do líder muçulmano não difere em nada da humildade de Cristo ao ser batizado por João Batista.

  22. Alguns dos comentários acima são excelentes.Sugiro não tentar discutir com o sr.Gerson.Ele parece, aqui de longe, sofrer do que se chama ‘ ignorância arrogante”.Diz enormes tolices.Sendo católico romano, aceitando o Credo, admito que cada pessoa, por limitação intelectual, ignorância, doença mental e outros fatores, possa ter ideias diferentes.Acho que qualquer católico deve estar sempre aberto a conhecer alguma formulação ou fato que possa ampliar sua representação mental do que seja a realidade, ou seja, deva estar aberto a aumentar o grau de verdade dos seus modelos mentais sobre a realidade.O católico é alguém que deseja tanto se aproximar, o mais possível para ele, da Verdade, que deixaria de ser católico se ficasse convencido de haver algum erro essencial nas proposições doutrinais ou pastorais católicas( falo destas ” pastorais” hipócritas e dissimuladas de hoje, porque uma verdadeira pastoral católica seria…católica!E jamais proporia, ” por misericórdia”, procedimentos que contrariassem a doutrina).Deveremos, sem atitude de fechamento mental, ouvir qualquer proposição, seja sandice ou não.
    E tentar em seguida, com profundidade, ver se os cátaros tinham razão, ou Calvino( com sua ideia de que todos já nascem, irremediavelmente, salvos ou condenados, predestinados portanto, alguns , ao sofrimento eterno, por puro arbítrio sádico de Deus), ou Tiririca.Examinar tudo, e escolher o que é bom( até onde suas limitações permitam, já que, não sendo Deus, nunca terá em sua mente o modelo perfeito, total, absoluto, da Realidade).Mas ficar discutindo com alguém preconceituoso, que não pensa e pensa que pensa, é mau, em muitos sentidos.Assunto correlato pode ser entendido com um exemplo específico: acredito que, cientificamente e filosoficamente, poderemos demonstrar, claramente, que a aceitação interna e a prática externa do homossexualismo é safadeza, doença mental( adquirida e curável) e mau gosto.Num mundo com quase todas as populações controladas por grupos ocultos internacionais( no google se pode ler sobre eles: Skull and Bones, Grupo de Bilderberg, sionismo, etc, etc.Iluminati parece-me mais fantasia que realidade, mas pode se incluir, querendo, como hipótese) a glamurização do homossexualismo, e o incentivo a ele, é principalmente um procedimento político/ideológico/financeiro, para controlar grande número de pessoas, juntamente com o incentivo ao aborto e à promiscuidade, tudo redundando na desestruturação da família, por ser obstáculo ao poder, ao controle e às vendas.
    Quando um homem instruido, Bergoglio, ocupando a posição que ocupa, diz a besteira que ele disse ( quem sou eu para julgar?), no contexto no qual disse, disse de propósito, é bem evidente, com a intenção clara de, POR LINGUAGEM IMPLÍCITA, NÃO VERBAL, incentivar o absurdo científico que se está implantando, muito marcado por antigas filosofias alienadas e heresias, o absurdo de que a vontade humana, ou o capricho humano, é algo praticamente onipotente, podendo fazer nascer úteros em homens( geneticamente XY, e só podendo existir em mulheres, XX ), gerando ” direitos”, , especialmene o ” direito” de soberania absoluta dos que falam, agem, têm dinheiro, conhecem tóxicos, facas, pinças, instrumentos para esquertejar,sobre a vida dos fracos e indefesos( bebês ainda nos ventres, principalmente, porém cada vez mais estendido para qualquer ” fraco”).Se uma mulher ‘ não está preparada” para um filho, tem o ” direito” divino de mata-lo; se um conflituado adolescente se transforma num psicótico parafrênico que quer parecer mulher, praticar coito anal, etc, isto lhe dá o “direito” de contaminar crianças e adolescentes, nas escolas, de suas sandices.E, entretanto, cada célula de um ” operado” masculino continua a ser, geneticamente, XY, ele continua um homem, em vários casos mutilado cirurgicamente e anormalizado com injeções de hormônios, além de contaminado crescentemente por microorganismos, e sofrendo de ” intestino gay”, endocardite bacteriana e outras sérias doenças físicas causadas pleas práticas homossexuais.QUALQUER escola deveria excluir tais doentes mentais, especialmente as católicas, estas pela razão adicional do aspecto de abominação pecaminosa, mas também pela incapacidade de um doente mental grave poder ser um bom professor, principalmente em certas matérias. Não que á escola católica está preocupada com os pecados individuais praticados num quarto ou tonel: é que quem praticar tais coisas, seja no prédio da escola seja em qualquer outro lugar, é um ser que tem continuiadade existencial com tudo quanto constitui sua linha existencial e, portanto, é um doente e um imoral lá no quarto dele e em qualquer outro lugar, de modo visível ou não. Um lembrete a alguns Fratres de boa vontade: leiam sobre o que é um silogismo e o que é um sofisma.O silogismo é uma forma correta, logicamente, de pensar e, seguidas as regras que são inerentes à estrutura e à dinâmica dos cérebros humanos, levam a conclusões válidas, comprováveis no mundo empírico. Sofisma é um silogismo formalmente defeituoso, onde um erro insanável de forma leva a uma conclusão falsa( os cães latem; no ceu, há uma constelação chamada O Grande Cão;logo, no céu existe uma constelação que late.O erro formal está no uso do TERMO cão em duas acepções bem distintas, numa das premissas significando um mamífero, noutra um agrupamento estrelar).O sr Gerson lida com grosseiros sofismas.
    Qualquer silogismo legítimo que ele conseguir fazer( conseguirá?) leva-lo-á, caso as premissas sejam verdadeiras e os termos tenham o mesmo significado nas duas, a conclusões verdadeiras.Verdadeiras no sentido lógico, formal. Num caso, por exemplo, de se dizer: os seres humanos tem três pernas;Epaminondas, ou Bergoglio, é ser humano; logo, E.ou B. tem três pernas está-se formalmente correto se se é um ET sem experiência empírica com seres humanos.Quando se toma um disco voador e se visita o Vaticano, ou qualquer outro lugar, constata-se que uma das premissas é falsa: não são três pernas.Aí o erro está na relação entre a proposição e a secção da realidade à qual ela se refere.Não é um erro formal, mas empírico.

  23. Lamartine Hollanda Junior, o sr. afirma que sou preconceituoso, mas as suas colocações sobre os homossexuais me parecem muito preconceituosas. O Papa é o Bom Pastor que deve dar a vida por suas ovelhas, segundo as determinações de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ora, entre as ovelhas do Papa podem haver e realmente existem também homossexuais, se entre todos os pecadores existentes no mundo, por quem rezamos a Deus pedindo a conversão, podemos contar também os homossexuais. São Paulo enumera algumas dessas ovelhas classificando umas de alcoólatras, outras de avarentas, outras promíscuas, invejosas, etc., enfim: todas as classes de pecadoras. Também há aquelas ovelhas que são “de outro aprisco”, e assim a palavra de Cristo inclui a humanidade inteira sob a paternidade espiritual do Papa. Ao dizer “Quem sou eu para julgar!” simplesmente repetiu a mesma atitude de Jesus Cristo perante a mulher pega em adultério: “O que estiver sem nenhum pecado seja o primeiro a atirar a pedra.” Todos se retiraram, não porque todos eram adúlteros, mas porque todos carregavam em si algum pecado. Assim como Cristo perdoando a mulher não teve a intenção de legitimar o pecado dela, também o Papa ao não atirar a pedra contra eles sequer teve a intenção de aprovar ou favorecer o homossexualismo. Assim como Cristo amou a mulher adúltera ativamente pecadora, também o Papa repete esse amor ou caridade pelos homossexuais. Assim como Cristo, por amor, superou os conceitos e sentimentos de horror e de abominação que o pecado causa nas pessoas de bem (abomino isso, abomino aquilo, etc.), também o Papa Francisco, a exemplo do próprio Cristo, vence e supera os sentimentos e os preconceitos que os pecados causam nas pessoas. O ato abominado superado por Cristo é também superado por Francisco. O amor de Cristo converteu aquela mulher, do mesmo modo como o amor do Papa, imagem do amor de Cristo, converte e pode converter miríades de homossexuais. Mas também essa Bondade de Cristo que devemos imitar não deve ser só específica, ou seja, apenas para os que querem a conversão, mas deve esse AMOR permanecer inalterado e imutável inclusive para com aqueles que não querem se converter, o que não significa, de forma alguma, assumir os erros de quem quer que seja. Portanto, não devemos descontextualizar as palavras do Papa, mas contextualizar as palavras dele no âmbito do Evangelho, já que ele é eco fiel do Coração Misericordioso de Nosso Senhor Jesus Cristo.

  24. Na verdade foram os funcionários que fizeram a passeata e não país e alunos. Essa reportagem está furada.
    Resido nos Estados Unidos e vi esta reportagem na EWTN.