Foto da semana.

Abortado espontaneamente na 19ª semana de gestação, a vida do bebê Walter está mudando o debate sobre o aborto

Por Live Action News, 3 de março de 2015 | Tradução: Teresa Maria Freixinho – Fratres in Unum.com: “Um amontoado de células”; “Tecido”; “Apenas um feto”. Estas são expressões comuns que as pessoas favoráveis ao aborto utilizam para descrever o nascituro, a fim de diminuir a humanidade dessas novas vidas. Porém, aquilo que as pessoas falam para rotular os nascituros não é o que os define, e isso está comprovado pela vida de uma criança pequena. No verão de 2013, Walter Joshua Fretz nasceu com apenas 19 semanas de gestação. Ele viveu somente durante alguns momentos, mas sua vida tem tido um impacto duradouro.

Fotografia: Bebê Walter aconchegado à sua mãe.

Fotografia: Bebê Walter aconchegado à sua mãe.

Os pais de Walter, Lexi e Joshua Fretz, pais de duas meninas (que acolheram sua terceira filha, Mia, em setembro passado), aguardavam ansiosamente a chegada do seu novo bebê, quando, de acordo com o blog de Lexi, ela começou a ter sangramento. Isso não era algo incomum para ela durante a gestação, mas, quando o sangramento ficou rosado ela ficou mais preocupada e telefonou para sua parteira, que a aconselhou a ir para uma Unidade de Emergência.

Na sala de emergência, várias gestantes que chegaram depois dela foram levadas imediatamente para a maternidade. Porém, uma vez que Lexi ainda não completara 20 semanas – ela estava com 19 semanas e 6 dias – as regras do hospital determinavam que ela permanecesse na Sala de Emergência. Cerca de uma hora mais tarde, Lexi conseguiu ouvir as batidas do coração de seu bebê e sentiu-se aliviada, mas, enquanto aguardava um ultrassom, Lexi começou a sentir as típicas dores de parto. Quase cinco horas depois de ter chegado ao hospital, Lexi deu à luz seu filho, Walter Josué Fretz. Ela escreve:

Eu estava chorando copiosamente naquele momento, mas ele era perfeito. Ele estava completamente formado e tudo estava no lugar; eu podia ver o seu coração batendo em seu pequenino peito. Joshua e eu o seguramos e choramos por ele e olhamos para o nosso filho perfeito e pequenino.

Bebê Walter

Bebê Walter

A próxima decisão de Joshua parecia sem importância e natural, mas acabaria se tornando um divisor de águas e até mesmo um salva-vidas para muitas pessoas. Ele foi para o carro pegar a câmera de Lexi para tirar fotos de seu filho. A princípio, isso não era o que Lexi queria, mas as fotos de Walter logo se espalharam por toda a Internet. As fotos alcançaram mães enlutadas, ajudando-as a superar a perda de seus próprios bebês, e elas foram usadas para ajudar mulheres a optarem pela vida de seus filhos nascituros. Lexi recebeu muitas mensagens positivas e compartilhou algumas, incluindo as seguintes:

Acabo de ver as fotos de Walter… Estou grávida e estive em um lugar muito ruim esta semana. Fiz minha primeira ultra na semana passada e ele também é um menino. Mas esta semana comecei a rezar para sofrer um aborto espontâneo ou decidir interromper a gravidez, porque o pai do bebê esquivou-se de toda a responsabilidade. Pedi a Deus que me enviasse um sinal hoje de que ficaremos bem, ou então seguirei adiante e farei um aborto amanhã. Algumas horas mais tarde vi o link no Facebook. Ele me pôs a chorar. Porém, o mais importante é que isso me fez saber, sem sombra de dúvida, que não posso fazer isso com o bebê.

* * *

Walter e seu pai.

Walter e seu pai.

Eu costumava acreditar que havia razões que justificassem alguns abortos. [ …] E agora, vendo Walter deitado sobre o seu peito, sinto vergonha de minhas opiniões anteriores e desgosto por todas as mulheres que decidem abortar sem entender o valor da vida que trazem dentro de si.

* * *

Sempre pensei que coubesse à mulher a escolha de abortar uma gestação! Novamente falta de entendimento, pensando, ou melhor, eu estava sendo levada a crer que nessa fase a mulher estaria abortando um feto (uma massa de células!). Como eu estava equivocada!!! Estou contente por você ter decidido compartilhar a sua história e pelas belas fotos de um momento triste em sua vida, porque você me educou!

* * *

Estou grávida de 8 semanas e há 3 semanas estou sentindo agonia total quanto ao que fazer em relação a manter ou abortar o bebê (este não é o melhor momento para ter filhos), mas você colocou a minha vida em perspectiva, posso amar esse bebê e “sobreviver”, assim, agora, isso é o que basta pra mim, estou mantendo este bebê que trago dentro de mim e vou valorizá-lo para a eternidade.

Bebê Walter e suas irmãs mais velhas.

Bebê Walter e suas irmãs mais velhas.

Essas fotos de Walter revelam a humanidade da criança nascitura. Elas provam sem sombra de dúvida que se trata de uma pessoa, e não de uma bolha ou um aglomerado de tecido. E suscita a pergunta: Por que então é legalmente permitido terminar a vida de um ser humano nascituro?

“O fato de não podermos enxergar a criança dentro da barriga da mãe não significa que ela seja uma bolha de células,” escreve Lexi. “Walter estava perfeitamente formado e era muito ativo no útero. Se ele tivesse apenas algumas semanas a mais, ele teria tido uma chance de lutar pela vida. [ …] Em meio a toda nossa dor, sinto-me feliz por que algo de bom pode resultar dessa experiência. Rezo para que o Senhor continue usando as fotos de Walter para impactar a muitos.”

Todas as fotos são cortesia de: F2 Fotografia de Lexi

* * *

Nota do Fratres: de nossa parte, desejamos que o pequeno Walter tenha recebido o Santo Batismo e ingressado no Reino Daquele que outrora disse: “Vinde a mim os pequeninos”.

Tags:

10 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Oh!!!..tomara que tenham lembrado de o batizar!!!
    Essa ,deveria ter sido uma providencia urgentissima,antes das fotos…!
    Sangue de CRISTO cubri esse bebê!!! Amém.

    • É improvável que o tenham batizado, Mariana. Tudo indica que a família era protestante. Em geral, com poucas exceções, os protestantes não batizam crianças, portanto a questão do batismo nem mesmo estava dentro do horizonte de preocupação deles, não por culpa deles, mas sim pela formação de fé protestante que receberam (isto é, de que o batismo somente deve ocorrer em idade de consciência). Nestes casos, confiemos na misericórdia de Deus para lidar com estas criancinhas.

  2. “A defesa do direito à vida é o limite da Democracia” (Sto João Paulo II)

    Amigos, paz e bem!
    Veja que interessante:
    O coração do bebê começa a bater a partir do 20º dia e irá bater até a nossa morte, mesmo depois da declarada morte cerebral.

    E o Partido dos Trabalhadores-PT, que governa o Brasil é favorável à cultura da Morte (aborto…). Inclusive expulsou 2 deputados federais de suas fileiras (um do Acre e outro da Bahia) por defender a vida em plenitunitude, a exemplo de Jesus, o Filho de Deus (João 10,10).

    Vida sim, aborto jamais!

    PS.: Quem defende (PT) ou pratica esse crime HEDIONDO, está excomungado DE OFÍCIO da Igreja Católica.

  3. Hoje, 08/032015. dia no qual o mundo politicamente correto comemora o abjeto e asqueirôso “dia da mulher”, eu – Jairo – exalto à Santíssima Mãe De Deus, Nossa Senhora e Sempre Virgem Maria.

    Ela, também conhecida como Platytera (“Aquela cujo ventre é maior que o Universo”), pois concebeu ao Rei dos Reis, ao Santo Salvador, ao Filho de Deus, NÃO renegou àquela Santíssima Maternidade não planejada, não pensada, não contabilizada.

    Pelo seu exemplo, sejam amados e recebidos todos os nascituros e possa eles recebem a glória do Batismo, da Sagrada Eucaristia e do Santo Crisma… Para assim serem testemunhas do Cristo Filho de Deus e filho de Maria Santísima.

    Deus te salve, oh Maria Santíssima e Mãe de Deus, Sempre Imaculada Esposa do Espírito Santo.

  4. Nesse “Dia Internacional das Mulheres”, e diante deste post que nos ajuda a pensar na maldade das organizações que promovem o aborto pelo mundo, gostaria de recordar uma das mais certeiras frases do grande defensor da vida dos nascituros que foi o papa João Paulo II:
    “A invenção da máquina de lavar roupa fez mais pelas mulheres do que todas as feministas juntas até hoje”…

  5. “Não podemos insistir somente sobre questões ligadas ao aborto, ao casamento homossexual e uso dos métodos contraceptivos. Isto não é possível. Eu não falei muito dessas coisas e censuraram-me por isso. Mas quando se fala disto, é necessário falar num contexto. De resto, o parecer da Igreja é conhecido e eu sou filho da Igreja, mas não é necessário falar disso continuamente”.
    http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2013/09/1344856-papa-critica-obcessao-da-igreja-com-aborto-e-gays-leia-segunda-parte-da-integra-da-entrevista.shtml

    Então vamos mudar de assunto, Frates? ( ironic mode on)

  6. A vida do pequeno Walter não foi em vão. Aliás, pelos poucos testemunhos que o Fratres publicou, digo sem sombra de dúvida que a vida dele, em que pese pequena, provavelmente já foi mais útil a outras pessoas do que a minha jamais será.

    Que Deus o cubra com Sua misericórdia e que o acolha nas Moradas Eternas.

  7. Meus amados irmãos em Jesus Cristo, vendo e lendo essa maravilha de matéria os meus sentimentos humanitários me reportaram aos inesquecíveis momentos em que passei dentro dos hospitais de Porto Alegre, onde exerci, durante dez anos, o ofício de colaborar em tudo que eu podia, para amenizar o sofrimento de muitos doentes e o que mais tenho gravado na minha mente é a história de um bebezinho nascido prematuramente, antes de completar seis meses de gestação. Ele tinha, na ponta dos dedinhos, somente umas bolinhas onde, após quatro meses permanecendo na incubadora, ele já estava sendo preparado para a alta hospitalar e eu nunca esqueci o nome que seus pais lhe deram, ARNOLDO e para que eu tivesse a certeza de que ele estaria bem, um belo dia, quando eu já batalhava no BANCO DE SANGUE, naqueles tempos o sangue era vendido, chegou uma senhora para fazer transfusão de sangue na filha e foi nesse momento em que eu, a reconhecendo, lhe fiz a pergunta: a senhora é a mãe do Arnoldo, não é? Então ela abriu a bolsa e me mostrou uma linda foto dele. Ela lembrou de mim e me deu um abraço carinhoso. Isso é só um pouquinho da minha alegria em ter recebido de Deus o dom e a graça de ter passado muitos dias e noites da minha vida nas cabeceira dos leitos hospitalares, tentando confortar a quem estava, muitas das vezes, no estágio final de suas vidas terrestre!!! PAZ E BEM!!!

  8. Bendito seja Deus nos seus Santos e nos seus Anjos!

    Que essa criança interceda por nós no céu!

  9. Alexandre Semedo, quanta verdade em suas palavras!!

    “A vida do pequeno Walter não foi em vão. Aliás, pelos poucos testemunhos que o Fratres publicou, digo sem sombra de dúvida que a vida dele, em que pese pequena, provavelmente já foi mais útil a outras pessoas do que a minha jamais será”.

    Ontem eu conversava com uma amiga de Salvador pelo telefone que ficou “viciada” no Frates depois que eu a presenteei com um tablet pra acompanhar as notícias da Igreja pelo Frates.
    Ela me contava que mostrou a um vizinho dela esta reportagem e as fotos do pequeno e de repente ele começou a chorar de arrependimento porque foi o responsável pelos abortos de 3 de seus filhos.
    Então eu disse a ela pra orientá-lo a procurar o Bispo para se reconciliar com a Igreja, porque por esse crime está oficialmente excomungado da Igreja Católica. Rezemos para que essa reconciliação ocorra o mais rápido possível, porque Deus não quer a morte do pecador, mas que ele se converta e se salve.