Breve documentário da EWTN sobre a peregrinação das Irmãs Dominicanas de Fanjeaux a Roma. Mons. Arrieta: “Eles têm o coração em Roma”.

Neste mês de fevereiro, um grupo de duzentas meninas acompanhadas de freiras e alguns padres fizeram uma peregrinação singular à Basílica de São Pedro, em Roma.

As freiras são as Dominicanas de Fanjeaux, dedicadas à educação de meninas. Elas celebraram uma ocasião muito especial com crianças de suas escolas dos EUA, França e Alemanha. Trata-se do 40º aniversário da congregação.

Trata-se é um momento único na história da comunidade. As irmãs são uma congregação amiga da Fraternidade de São Pio X.

Palavras da Irmã Julia Maria: “Roma é a expressão externa da Igreja espiritual, que se materializa aqui, por assim dizer, que se torna tangível ao redor do Papa e das relíquias de São Pedro.”

Assim comentou Monsenhor Juan Ignacio Arrieta, secretário do Pontifício Conselho para os Textos Legislativos: “Imediatamente após o Concílio, as relações com Roma começaram a esfriar e houve um mal entendido de ambas as partes, o que congelou a situação. Podemos dizer que o problema com a Fraternidade é somente um problema de confiança, porque eles são pessoas que rezam, que creem nas mesmas coisas que cremos. A Fraternidade tem vivido um processo de estagnação, de separação das estruturas romanas, mas eles têm o coração em Roma. Posso lhes assegurar isso, porque os conheço bem.”

Tags: ,

9 Comentários to “Breve documentário da EWTN sobre a peregrinação das Irmãs Dominicanas de Fanjeaux a Roma. Mons. Arrieta: “Eles têm o coração em Roma”.”

  1. The Congregation of the Fanjeaux Dominicans of the Holy Name of Jesus organized from February 9-14 a pilgrimage of thanksgiving in Rome on the occasion of 40 years since its foundation in Fanjeaux (France).

    The congregation exists for the education of young girls by providing them with quality Christian teaching. The congregation is made up of 200 religious working today in 8 secondary schools and 6 primary schools in France, Germany and the United States. In this pilgrimage, the sisters accompanied their students who numbered 950, as well as a 100 teachers and parents.

    It is through its commitment to the Tridentine Mass and Tradition of the Church that the congregation has experienced such a thorough development in the last 4 decades. So she wants to give thanks to the Eternal City, to Divine Providence for all His benefits.

    The congregation thanked the Roman authorities for allowing entry into the basilicas, but regrets that, despite repeated requests to the Pontifical Commission Ecclesia Dei, a church in Rome could not be made available for pilgrims’ celebration of the Mass. The sisters and children all pray that the Church will find with its 2,000-year old Tradition, its missionary outreach throughout the world.
    http://sspx.org/en/news-events/news/we-thank-eternal-city-we-thank-providence-6815

    TRADUZINDO: A Congregação das Dominicanas do Santo Nome de Jesus organizou entre 9 e 14 de fevereiro uma peregrinação de Ação de Graças a Roma por ocasião da comemoração dos 40 anos de existência de sua fundação em Fanjeaux ( França)
    A Congregação existe para a educação de meninas, providenciando boa qualidade de ensino cristão. A Congregação é formada por 200 religiosas ativas em 8 escolas de ensino secundário e 6 escolas primárias na França, Alemanha e Estados Unidos. Nessa peregrinação, as irmãs acompanharam suas alunas que somavam um total de 950 crianças, além de 100 professoras e pais.
    É através de seu compromisso com a Missa Tridentina e a Tradição da Igreja que a Congregação vive seu desenvolvimento nessas últimas quatro décadas. Assim elas querem dar graças à Cidade Eterna e à Divina Providência por todos os Seus benefícios.
    A Congregação agradeceu às autoridades Romanas por terem permitido sua entrada nas basílicas, mas lamenta o fato de que, apesar das repetidas solicitações à Pontifícia Comissão Ecclesia Dei, em nenhuma igreja de Roma foi permitido que os peregrinos celebrassem a Missa. As irmãs e todas as crianças rezam para que a Igreja se reencontre com sua Tradição de 2000 anos e que seu esforço missionário se espalhe por todo o mundo.

  2. É visível, é emocionante a “qualidade” dessas freiras e de seus alunos. Meu Deus, isso sim é Católico.

  3. “em nenhuma igreja de Roma foi permitido que os peregrinos celebrassem a Missa. ”

    Não sou da FSSPX nem ligado a nenhum movimento “tradicional”, sou simplesmente CATÓLICO APOSTÓLICO ROMANO”, mas, depois de assistir ao vídeo e ler uma proibição trágica como essa, só podemos dizer:

    ISSO DÓI NO FUNDO DE NOSSA ALMA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    NINGUÉM CONSEGUIRÁ APAGAR O MOVIMENTO INICIADO PELO PAPA BENTO!!!!

    200 Religiosas, (ao contrário do que estamos acostumados a ver por aqui, algumas gatas pingadas, nem religiosas nem leigas, vestidas como umas etês em escolas “católicas”, senão como madames, no meio das outras) ensinando a sã moral, os bons costumes, a fé eucarística, formando homens e mulheres na mais pura DOUTRINA e piedade CATÓLICA não podem celebrar a S. Missa celebrada há mais de 500 anos na Igreja…

    ABSURDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  4. Estranhei a informação trazida pela Sra. Gercione, pois li em outros sites que houve a celebração da Santa Missa de São Pio V na Basílica de São João de Latrão: https://sarmaticusblog.wordpress.com/tag/st-john-lateran-basilica/

  5. Ao ver o vídeo surgiu-me uma palavra: Esperança

  6. Pedro Rocha, se você leu direito no próprio site que você indicou, está escrito de forma bem clara:

    “https://sarmaticusblog.wordpress.com/tag/st-john-lateran-basilica/
    According to Forum Catholique, despite repeated requests to the Pontifical Commission of Ecclesia Dei by the pilgrims, no church was made available to celebrate the Holy Mass in the traditional rite in the city of Rome. It’s a de facto ban that has allegedly, according to the French side, to do with the fact that the Holy Masses by priests of the SSPX had to be celebrated to ensure the pastoral care of the Dominican Sisters for 40 years. Father Pfluger had to celebrate the Holy Mass in the church reach Rome in a rented hall.

    Ou seja, confirma o que o próprio site da SSPX publicou: nenhuma igreja em Roma foi disponibilizada e Padre Pfluger teve que celebrar a Santa Missa num salão alugado.

  7. Marcelo,

    desculpe uma correção que eu acho importante. Sem querer “partidarizar” para a FSSPX mas simplesmente fazendo a leitura correta, principalmente baseado no que se iniciou no passado e na essencia da noticia veiculada:

    Voce afirma que ninguem irá pagar o que Bento XVI começou, o movimento que ele iniciou.

    Na verdade, ele apenas deu impulso a um movimento que já existia havia muito tempo e que fora iniciado por Dom Lefebvre. Este movimento jamais será apagado pois é o movimento alimentado pela verdade. Roma precisa voltar a ser católica para permitir missas católicas de gente católica.

  8. O mal das “leituras dinâmicas”…

    Agradeço a Gercione pela correção.