Dom Hélder, beato?

Carta do Cardeal Amato confirma recebimento do pedido de beatificação de Dom Hélder Câmara; após posicionamento dos dicastérios, Vaticano vai definir seu parecer.

Por Canção Nova: Menos de um ano depois do pedido de abertura do processo de beatificação do ex-arcebispo de Olinda e Recife, Dom Helder Camara, a Cúria Romana enviou carta à arquidiocese afirmando ter recebido a solicitação. Segundo correspondência expedida pelo prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, Cardeal Angelo Amato S.D.B., ele aguarda o posicionamento de diferentes dicastérios (departamentos do governo da Igreja Católica que compõem a Cúria Romana) para poder emitir o seu parecer.

Helder

A carta, datada de 16 de fevereiro deste ano, foi divulgada na última sexta-feira, 27, pela arquidiocese. Caso o Nihil Obstat (Nada Consta) seja emitido pelo Vaticano, a Igreja Particular de Olinda e Recife terá autorização para iniciar o processo na diocese. Com o aval do Vaticano, Dom Helder poderá então ser nomeado Servo de Deus.

A etapa seguinte consiste em reconhecer suas “virtudes heroicas”. Para isso, uma comissão jurídica se reunirá para estudar os textos publicados em vida e analisar os testemunhos de pessoas que conheceram o Dom da Paz.

* * *

A fama de santidade de Dom Hélder Câmara foi o fator que motivou a arquidiocese a fazer o pedido de abertura do processo de beatificação ao Vaticano. O arcebispo local destacou que Dom Hélder foi um homem de muita oração e ação, um profeta corajoso que enfrentou muitas dificuldades, sobretudo com a repressão militar.

“Uma pessoa muito humana, muito disponível aos pobres de uma maneira especial. Tudo isso contribui para que nós tenhamos o interesse de encaminhar esse processo”, declarou.

Dom Fernando acrescentou ainda que Dom Hélder foi uma pessoa de grande influência na vida do Brasil. Um exemplo foi sua contribuição para a criação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, a CNBB. Além disso, em âmbito internacional, Dom Hélder contribuiu, mesmo que indiretamente, para o andamento do Concílio Vaticano II.

“Tudo isso contribuiu para que ele se projetasse internacionalmente, de modo que é um homem reconhecido como uma grande liderança do país, uma grande personalidade do século XX, como é identificado por muitos”.

* * *

Abaixo, uma pitada da santidade de Dom Helder:

66 Comentários to “Dom Hélder, beato?”

  1. Nessas horas São João Maria Vianney e o Venerável Padre Rodolfo Komorek, entre tantos outros santos sacerdotes devem se perguntar como chegamos a esse ponto?

  2. A negativa é a única resposta que o Vaticano poderá dar. O “Sim” ou o “Não” da Igreja revelarão em que nível de crise ela está submersa. Rezemos a Deus para que não haja qualquer relutância em se negar esse pedido, caso contrário será uma tragédia.

  3. Se este Senhor vim a ser beatificado (e depois, canomizado) podem abrir processo pra qualquer um, até aguardar o Boff ir dessa pra melhor (!!?). Quero ver o que a neoconzada vai dizer pra justficar tudo isso.

  4. É do “arco-da-velha”! Beato o “arcebispo vermelho” (ele nunca fez questão de protestar contra essa alcunha) como foi alcunhado nas décadas de 70, como pode ser isso meu Deus!!!
    Aproveitem o “embalo”e canonizem o Karl Marx, Pol Pot, Lenin, Stalin, Mao, inspiradores desse infeliz arcebispo.
    Agora é preciso excomungar os que lutaram contra o comunismo, com todo rigor de que F 1 sabe usar quando se quer. Vide caso Franciscanos da Imaculada.

  5. Comunista é automaticamente excomungado!!!
    E, quem elogia a democracia de Cuba deveria só ser escarnecido e ridicularizado já que a opinião aqui no Brasil ainda é livre.

  6. Mais um para a imensa ladainha de santos da KGB.

  7. Eu to é querendo ver Paulo VI canonizado ainda sob Francisco! Aí teremos todos os Papa pós-cv2 canonizados, com exceção do breve pontificado de João Paulo I.

    Depois de falecer, creio que Bento XVI também será atingido pelo “raio canonizador”. Rsrsrs!!

    • José Roberto, por caridade, nos poupe dessas piadinhas ridículas. Bento XVI se vier a ser santo será muito mais que merecido.

  8. Meu Deus! Depois dessa, é que a gente vê, que nessa igreja conciliar, tá tudo dominado.

  9. A canonização ou mesmo beatificação deste homem é um ato que afronta a Fé Católica e nós devemos simplesmente rejeitar e jamais aceitar como legítimo.

  10. BEATITUDE SUSPEITA

    O site da “Arquidiocese de Olinda e Recife” diz que o Vaticano lhe envia carta afirmando ter recebido o pedido de abertura do processo de beatificação de dom Helder Camara”.

    Mais um beato para enfeitar nosso hagiógrafo ou um beato a enfeá-lo?

    Leio em Gustavo Corção (O Século do Nada, pág 44/45):

    “Recrudesce em toda a América Latina a onda de assaltos e sequestros. Praticam-se friamente crimes espantosos. No aniversário de morte de Guevara ê decidida nos “tribunais” revolucionários a condenação à morte de um norte-americano qualquer.
    Ê “justiçado” o oficial Chandler, quando saía de casa com seu filho de onze anos.
    Entusiasmado com esses feitos praticados por jovens, o arcebispo de Olinda e Recife sai voando e em Paris dá à revista I/Exprèss uma entrevista que fica registrada para vergonha do planeta Terra: ele aplaude os sequestradores assassinos. Pede bis. Escreve em livro que devemos abrir aos jovens “crédito de ilimitada confiança”. E nós nos perdemos em monótonas indagações: como se explica? O que aconteceu com o Concílio? com o Papa? com os bispos? com as freiras que vendem prédios, imagens, objetos sagrados para saírem por aí a multiplicarconferências sobre o sexo? O que aconteceu com a Igreja?”

    Ou ainda, artigo de Julio Fleischman sobre a tal entrevista:

    “Quando nos lembramos que quem assim fala é um Arcebispo que nunca foi punido como devia por Roma; que essas palavras constam de uma publicação francesa muito conhecida e portanto não podem ser postas em dúvida; que o criminoso que ousa dizê-las não tem uma palavra de piedade pelas vítimas inocentes dos “jovens” que ele “ama” os quais lançam bombas em supermercados, escolas e hospitais e seqüestram personalidades que ameaçam de morte e muitas vezes matam, como mataram Dan Mitrione, Pedro Aramburu, Carlo Sacheri, Capitão Chandler e tantos outros, sem falar nos soldados e policiais mortos no cumprimento do dever; que suas alegadas “torturas” se realmente ocorressem, como ele diz, teriam por objetivo não roubar dinheiro de bancos ou adquirir armas para impor o terror comunista a uma sociedade estuprada mas obter informações para prender outros criminosos como esses que ele apóia e cujo fim também ele persegue como diz; quando nos lembramos disso tudo, é difícil manter o equilíbrio. Este homem que ousa falar assim e o Papa que o sustenta, Deus não permitirá que deixem de responder pelo que fizeram e fazem.” (“in” Revista Permanência).

    De minha parte, ponho em sérias dúvidas a qualidade do processo de beatificação. Não, obviamente no que concerne ao resultado prático – beatifica-se o cearense, processo formalmente perfeito – a Igreja tem mais um beato para que alguma beata devota talvez acenda alguma vela.

    Penso no aspecto material, de âmago, de fé. Considerando como considero, que Deus não pode ser socialista e que a Igreja também não poderia ser – pelo menos a anterior ao Concílio Vaticano II – ouso dizer, com Fleischmann, que um dia Deus haverá de pedir contas disso tudo.

    A quem fez, a quem aplaudiu.

  11. A Igreja pós-conciliar não é séria.
    Com a Divinus Perfectionis Magister de 1983 foi abolido o Advogado do Diabo (Advocatus Diaboli) deixando apenas o Promotor da Fé (Promotor Fidei) – Postulador; além do tempo requerido de 50 para apenas 5 anos após a morte do “candidato”.
    É por este motivo que temos numerosos novos santos e beatos. Ressalta-se a qualidade e esquece-se dos erros, das contra-indicações.
    Que Deus perdoe a minha franqueza, mas dessa fornada de novos santos, alguns “não ponho a mão no fogo”. O que dizer das canonizações relâmpago de JP II e João XXIII? Paulo VI beato?!
    Por outro lado, não podemos esquecer de grandes “novos” santos como Pe Pio e Madre Faustina.
    Que eles roguem por nós nesta crise da Igreja, que talvez termine somente na parusia.

    PS.: Sim, sob o pontificado de Francisco esperem D. Helder Câmara e D. Luciano Mendes de Almeida como beatos.

  12. Preparem-se para a canonização de Lutero também, já já teremos várias frentes de forma mais clara tentando criar uma outra imagem do herege, com infelizmente o aval de roma. Enquanto os fieis católicos ficam parados, só vendo o que acontece.

  13. Mas eu acho que estão todos em muito boa companhia: o monge Marcelo, São Jô Soares, o beato Hélder e seu teólogo preferido Boff, e mesmo o Papa Francisco, que já alvitrou terem os animais sentimentos muito próximos a uma ” alma “.
    Somente faz falta um renovado Syllabus, para escandalizar com seus anátemas todos estes novos hereges dos séculos XX e XXI.

  14. Não temos mais um processo, ou seja, uma relação triangular entre o Juiz, o Advogado postulante e o Promotor da Fé, popularmente conhecido como Advogado do Diabo, visando alcançar certezas sobre a beatitude e/ ou a santidade do candidato. Não há mais contraditório ou ampla defesa desse “novo procedimento” oficializado no pontificado de S.S. João Paulo II. Não se busca comprovar a ortodoxia, as virtudes heroicas, ou mesmo a presença – e autenticidade – de milagres havidos pela intercessão do candidato a beato/santo. O procedimento agora é acadêmico e se desenrola a partir de “teses”.

    A segurança se foi com o câmbio da doutrina, já que, para a teologia vitoriosa e reinante, a fé é um sentimento e não mais uma certeza racional que brota da autoridade de um Deus revelante que falou aos homens. Não há mais zelo em se promover a fé íntegra e sem mácula capaz de salvar almas. Sim porque um beato ou santo são sinais, exemplos de santidade que a Igreja sinaliza como modelos a seguir.

    Assim, exceto nos casos deveras escandalosos e evidentemente constrangedores, atualmente, é difícil apontar “quem” não poderia ser santo.

    Santo súbito, como dizem alguns. E creio, dito acertadamente.

  15. Helder Câmara se especializou em contrariar todas as máximas do Evangelho que se referem à renúncia de si mesmo e de toda a sede de dominação e poder. Helder foi um dos tipos mais sequiosos de poder que andaram nesse triste e miserável País. Somente um maquilagem muito bem feita (dessas que se fazem pra melhorar a cara do cadáver) conseguiria esconder um pouco dessa tara incontrolável do humúnculo-prelado. Ele é uma vergonha para o clero brasileiro e somente gente muito desonesta e/ou imbecil poderá secundar mais essa fraude.

    Que Deus tenha se apiedado da alma daquele infeliz anão-moral (que foi fascista e morreu comunista, sempre à cata de um holofote) e dê um jeito nos oportunistas exumadores dessa impostura nacional!

    Quem tiver coragem, que leia uma biografia héldica e veja também (com muito cuidado!) um dos videos em que Sua Excelência Exibidíssíma e Histrioníssima dá vasão ao seu remelexo e apoquentação tropical. Padre Pinto fica a dever no quesito vulgaridade histriônica, culto ao ego inflado e vontade mórbida de aparecer.

  16. Helder Câmara se especializou em contrariar todas as máximas do Evangelho que se referem à renúncia de si mesmo e de toda a sede de dominação e poder. Helder foi um dos tipos mais sequiosos de poder que andaram nesse triste e miserável País. Somente um maquilagem muito bem feita (dessas que se fazem pra melhorar a cara do cadáver) conseguiria esconder um pouco dessa tara incontrolável do humúnculo-prelado. Ele é uma vergonha para o clero brasileiro e somente gente muito desonesta e/ou imbecil poderá secundar mais essa fraude.

    Que Deus tenha se apiedado da alma daquele infeliz anão-moral (que foi fascista e morreu comunista, sempre à cata de um holofote) e dê um jeito nos oportunistas exumadores dessa impostura nacional!

    Quem tiver coragem, que leia uma biografia héldica e veja também (com muito cuidado!) um dos videos em que Sua Excelência Exibidíssíma e Histrioníssima dá vasão ao seu remelexo e apoquentação tropical. Padre Pinto fica a dever no quesito vulgaridade histriônica, culto ao ego inflado e vontade mórbida de aparecer.

  17. Este bispo vermelho, que, segundo uns, só olhava o céu para ver ser iria chover, que aprovou o assassinato do oficial norte-americano Chandler e tantos outros pelos militantes comunistas, este indivíduo sombrio e desprovido de autêntico amor cristão, a este ser desprezível que infelizmente foi príncipe da Igreja (rezemos para que tenha tido tempo de se arrepender de todos os seus mal feitos), a este querem beatificar! Como já foi dito, a beatificação deste sujeito (e sua provável canonização) vai demonstrar às claras o nível em que se encontra a crise de fé, de doutrina e litúrgica da Igreja Militante… Rezemos!

  18. Senhores, existe a possibilidade de enviarmos uma carta à Congregação para a Causa dos Santos, relembrando os motivos para o indeferimento do processo de beatificação ou este documento não seria sequer lido nos Dicastérios?

    • É lido, sim (ou deveria ser). De qualquer modo, ainda que não seja registrado nas atas do processo, sê-lo-á no Livro da Vida, de onde será lido a todos, os bem-aventurados e os réprobos, no Juízo Universal.

  19. Tal igreja / tal santo…

  20. Helder Câmara se especializou em contrariar todas as máximas do Evangelho que se referem à renúncia de si mesmo e de toda a sede de dominação e poder. Helder foi um dos tipos mais sequiosos de poder que andaram em nosso (hoje) triste País. Ele é uma vergonha para o clero brasileiro. Que Deus tenha se apiedado da alma desse infeliz (que foi fascista e morreu comunista, sempre à cata de um holofote) e impeça mais esse grave equívoco por parte de gente desprovida de todo o senso de oportunidade e lucidez.

  21. Eu já esperava isso. Coincidêntemente eu estava em Recife no dia em que a cúria estava em polvorosa com o preparo e o envio para Roma desse pedido de abertura do processo e na hora comentei com pessoas próximas: “O dia é histórico!”. E amigos, é daí para pior, se Deus não intervir.

    O Leandro bem escreveu acima: o “sim” ou o “não” do Vaticano deixará claríssimo o abismo em que eles se encontram. Pelos frutos de conhece uma árvore, e os frutos de Dom “heldis” na Arquidiocese de Olinda e Recife, quem é de lá sabe. Os frutos maravilhosos foram para a Nova Ordem Mundial, para a ONU, para a CNBB, para o Socialismo, para as CEB´s, para a teologia progressista, etc. Dom Helder cumpriu bem o seu papel, parabéns à ele: se infiltrar na Igreja e plantar o joio da mentalidade revolucionária com os ares mais piedosos possíveis.

    Até o suspeito Paulo VI dizia: ” A Igreja está golpeando a si mesma”.

  22. Fiquem todos muito tranquilos – the Usual Cleaners já estão tratando da coisa – teremos uma linda biografia deste santo homem quenemeratãocomunistaassimfoisequestradopelaesquerda….

  23. Dom Vital, ora pro nobis! …

  24. Tenho fé na Santa Igreja. tendo fé nessa santa e infalível doutrina acalma o coração e engrandece a alma, fiquemos pois todos tranquilos o Espírito Santo guia o Santo Padre em matéria de fé. Sendo assim que seja feita a vontade de Deus e não a nossa ,vivemos em um mundo de crises inclusive de fé que veio a infiltrar no homem pós moderno .Mas não podemos perder a fé na Igreja .Eu acredito e tenho fé que esse bispo não será canonizado e nem tão pouco beato em virtude de suas ideias liberais e nada católicas, mas que seja feita a vontade de Deus .

  25. Só consigo pensar na causa de beatificação do Venerável Pe. Rodolfo Komórek…

  26. “Dom Helder só olha pro céu pra saber se leva o guarda-chuva.” – Nelson Rodrigues

  27. Dizia Nelson Rodrigues a respeito de D. Hélder Camara: “só olha pro céu pra saber se leva ou não o guarda-chuva”.

  28. Para se beatificar o arcebispo vermelho, o Vaticano o dispensou de qualquer ato de virtude? Se for assim, é sinal de que o Vaticano resolveu avacalhar com os processos de beatificação e de canonização!

  29. Não entendi. Para ser canonizado não precisa ser católico? Agora qualquer um pode ser? Até comunista?

  30. Quanto a este fato da prostituta, vindo desse senhor que o conta, nem se me fosse narrada a Magnífica Doutrina da Realeza de Nosso Senhor eu acreditaria.

  31. E o processo de D. Vital como esta ?????

    Esta na cesta de lixo ??

  32. Foi o que Frei Betto me disse quando estudei grego nos dominicanos, em 1997: “ELES CHEGARIAM LÁ!” Havia um “plano ousado” em execução. Muitas nomeações (à esquerda) foram feitas durante o longo período de doença do papa João Paulo II), daqueles que “inviabilizaram” o pontificado de Bento XVI. Frei Betto não tinha dúvidas de que o “segmento deles”, com paciência, ástúcia e cálculo, chegaria, por dentro, ocupando altos escalões, para, de cima para baixo, fazer “a revolução”. Disso ele não tinha dúvidas. Chegariam lá, “de qualquer jeito”, me afirmou Frei Betto, seguro do “plano ousado” em execução.

  33. Ei, como faz para eu ser beatificado? Pago minhas contas sempre no vencimento há 15 anos, sem nunca atrasar, nunca matei ninguém (só baratas, pernilongos e formigas) e não sonego impostos. Será que tenho chances? Ou preciso falar mal da FSSPX, da Missa Tridentina ou ficar de mal com tradicionalistas para merecer “a honra dos altares do CVII”?

    Afinal, se Dom Hélder Câmara pode eu também posso.

  34. FRATRES;
    Após ler o que o nosso FRATER Hermes Rodrigues, intrépido Cruzado da Vida e da Família escreveu, impossível não ficar mais estarrecido!
    Como sabemos, a cada dia essa igreja conciliar vem nos espantando e causando uma decepção após outra!
    Devemos nos dedicar à Oração e à Formação Católicas, a Fé Imortal, herdada dos Santos Apóstolos, testemunhada pelos Mártires e consolidada com a pregação e o testemunho dos Santos.
    Repúdio total a essas ridículas causas de canonização!
    Na verdade, essa gente que nem venera mais os santos, está a tripudiar de nossa Fé e da História do Brasil!
    Se, como disse Nosso Senhor, “pelos frutos conhecereis a árvore”, o fruto desse bispo vermelho é amargo, xoxo e desmilinguido, tal qual seu oportunista mentor!
    Depois dessa, fico sem palavras…
    Lamentável o estado dessa tal igreja conciliar!
    Com a palavra, os neo-con.

  35. Enquanto a igreja era voltada para Deus tínhamos santos como São Francisco ou Santa Joana D´Arc, e beatos como Charbel. Quando a Igreja voltou-se para os homens temos santos como João XXIII e beatos como Dom Helder. Por que isso escandaliza? O problema não são os santos e beatos recentes, mas o desvio de foco de Deus para o homem que o Concílio Vaticano II patrocinou. Tudo é “normal”. E outras virão.

  36. BEATO….?????….!!!!!!

    Cruzes! Ele era socialista! E…que “conselho” horrível ele deu para a prostituta! Coitadinha! Permanaceu no erro….
    Nossa!!!! Até que ponto , chegou nossa IGREJA CATOLICA!
    Será que ainda veremos a “beatificação” de ….KARL MARX?….LUTERO?…JUDAS ISCARIOTES?….

    Cruz credo! Vade retro Satana!

    JESUS é o SENHOR!!! e JESUS disse, que as portas do inferno não prevalecerao contra a Sua IGREJA! Amém!

    JESUS!……eu confio em Vós! MARIA MÂE DE DEUS!…..eu confio em Ti! Amém.

  37. “Pelos seus frutos os conhecereis. Colhem-se, porventura, uvas dos espinhos e figos dos abrolhos?” (São Mateus VII,16).

  38. Para o Santo Padre Paulo VI e Dom Paulo Evaristo Arns, Dom Hélder era “um MÍSTICO e um POETA, um grande homem para o Brasil” (no vídeo, em 02:05).

  39. Favor publicar o que digo: “Dom Helder Camara e Irma Dulce eram duas almas humanas belíssimas, tão humanas que só poderiam ser divinas. São santos sim, distante estão de serem julgadores”. Reitero o pedido que seja publicado o meu comentário. Pois a alma de Dom Helder Câmera não merece tais comentários maldosos. Tais comentários são passíveis até de judicialização por tipicação criminal. O acesso a informação contrária é algo pertinente, saudável e totalmente legal.

    • Concordo plenamente e assino embaixo. Os comentários anteriores são descabidos, preconceituosos. Não sei, como conseguem ser tão rancorosos, sem nenhuma caridade. Se julgam os que estão corretos, parecem que não amam a Igreja…vão dizer que amam e por isso criticam venenosamente…Como o sr Deuniro disse, espero que esse comentário seja publicado.

    • Alexandre Lopes Dias, só confirme para nós: o senhor é o padre casado a quem o leitor André deu a seguinte resposta: https://fratresinunum.com/2015/03/13/dois-anos-com-bergoglio-dois-anos-de-terror/#comment-104843 ?

      Espero que sua resposta seja divulgada aqui. Agradecemos a sua leitura assídua!

    • Ain que medo… vc vai me processar, vai?

    • …tão humanas que só poderiam ser divinas…

      R – Divindade vinculada ao grau de humanismo?
      Pessoas divinas? Mas divino não é só a Santíssima Trindade?

      Explica isso aí.

      …Tais comentários são passíveis até de judicialização por tipicação criminal…

      R – Reúna o sinédrio e processe o Fratres. Crucifica-o! Crucifica-o!

  40. Não sabiam que D Hélder já foi canonizado como santo nos altares dos esquerdistas? Se não, estão desinformados, desatualizados, pois se com um comunista depreciar a santidade de D Hélder principalmente na “opção preferencial pelos pobres”, tenha certeza: comprou seria dor de cabeça e confusão à vista!
    D Hélder sempre defendeu as ditaduras vermelhas, daquelas que se intitulam “democracias”, do modelo de Cuba, o mesmo do esquerdista PT-CNBB, cujos médicos(?) aquartelados no Brasil após o trabalho nos recordam gado estabulado no curral.
    No entanto, uma Nova Igreja unilateral que rola por aí, aquela que prioriza a misericórdia, acolhimento, fraternidade, nivela a Igreja de Jesus às outras religiões, sem exigir nenhum compromisso de conversão pessoal, essa oficialmente reconhece São Hélder!

  41. Dom Helder Camera foi ameçado, por diversas vezes, quando da ditadura, antes e depois do Governo de Marco Maciel (Pernambuco – plena ditadura), mas mantinha aos lados dos que defendiam a democracia, aos lados dos pobres, dos desvalidos, frequentando prostíbulos, ruelas sujas, sentando nos altares das favelas e palafitas. Com certeza muito mais digno, coerente e santo que muitos aqui. Dom Helder Câmera é exemplo, diferente de alguns aqui que dão contratestemunho.

    • Se mantinha ao lado dos que defendiam a democracia? Ele se alinhava aos comunistas. Estamos falando de duas pessoas distintas? Ou você se refere à “democracia cubana”, que é tão democrática que proíbe que os cubanos saiam do país e os fugitivos tem que sair em botes com a esperança de chegarem vivos aos EUA?

  42. Só falta pedirem a beatificação de Lutero depois dessa barbárie.

  43. Sr. Deunirio, o sr. ou é CEGO ou é um homem com conceitos e categorias mentais embaralhadas! Sem comentários!

  44. Lave a boca ao tentar comparar o Anjo Bom da Bahia, que sempre viu o Cristo em seu semelhante e que viveu o amor ao próximo e à Igreja da forma mais autêntica e FIEL possível! Não admito comparar Irmã Dulce, verdadeiramente uma santa, com este sacripanta vermelho e oportunista!

    • Concordo. Esses TLs não tem vergonha na cara.
      Irmã Dulce certamente é uma santa. Compará-la a um arcebispo comunista é semelhante a comparar São João Evangelista com Judas Iscariotes só porque ambos foram apóstolos.

  45. Terrível! Se esse bispo for canonizado não sei nem mais o que pensar!!!
    Puxa! É um escândalo atrás do outro….

  46. Esse senhor que chegou ao episcopado (Hélder), certa vez disse em uma entrevista que o Papa deveria vender o Vaticano para se livrar do “luxo” e alugar um pequeno apartamento no centro de Roma para viver. Só por isso já se vê o “amor” que esse senhor tinha pela Igreja que hoje quer canonizá-lo.

  47. DOM HELDER CÂMERA “IRMÃO DOS POBRES E MEU IRMÃO”

    Muita emoção sentiu dom Hélder no dia 8 de julho de 1980, na primeira visita do papa João Paulo II ao Brasil e ao Recife. Dele recebeu o título de “irmão dos pobres e meu irmão”, diante de uma multidão que lotou o estacionamento da Ilha Joana Bezerra para a missa campal celebrada pelo papa.
    Do encontro, dom Hélder guardou como lembrança uma fotografia que mantinha na sala de sua casa, nos fundos da Igreja das Fronteiras. Quando recebia repórteres para entrevistas, gostava de mostrar a foto na qual ele e o papa, segurando o solidéu, aparecem abraçados.
    “Em vez de me passar um pito, por eu não estar usando o solidéu, o Santo Padre tirou o seu da cabeça e segurou numa das mãos”, contava sorridente.
    Em 15 de agosto de 1981, importante momento: o cinqüentenário de sacerdócio. Do Vaticano, uma semana antes, o papa João Paulo II enviou mensagem elogiando dom Hélder. “Todos sabem e reconhecem como a benignidade de Deus o acumulou de dotes, talento e piedade. Ornando com esses dotes, desde a promissora juventude até hoje, tens conseguido cumprir numerosas missões de inestimável valor”, disse o papa.
    Quando completou 80 anos, em 1989, João Paulo II mandou telegrama desejando-lhe muitos anos de vida para continuar servindo principalmente aos irmãos pobres.
    Em 1991, em sua segunda visita ao País, o papa, ao desembarcar em Natal (RN), foi recebido por cardeais brasileiros, bispos do Rio Grande do Norte e por dom Hélder Câmara, vestido com sua tradicional batina bege e o inseparável crucifixo de madeira pendurado no pescoço. João Paulo II cumprimentou cardeais e bispos, reservando apenas a dom Hélder um afetuoso abraço.
    Em sua terceira visita ao Brasil, em outubro de 1997, João Paulo II teve encontro emocionante com dom Hélder. Ao chegar e sair da Catedral Metropolitana (RJ), o papa reservou alguns minutos para cumprimentar carinhosamente o arcebispo. “Irmão dos pobres e meu irmão”, repetiu a saudação feita pela primeira vez em 1980.

    Hoje temos dois santos. Todavia considero Dom Helder um santo maior, um profeta maior do terceiro mundo, um santo de verdade e um grande pastor, que cuidava dos mais pobres e dos invisíveis. Enfim, era um poeta que fazia o deserto florir.

    Ao sujeito que mencionou meu nome num quadro acima, digo-lhe que respeite meus cabelos brancos, não conhece minha história, nem lhe cabe julgar sem conhecer, muito menos me adjetivar, até porque se não fosse tão leviano, não apontariam os outros sem antes se olhar no espelho. Quanto ao seu leviano comportamento, faço minhas as palavras de Dom Helder Camera: “Ótimo que a tua mão ajude o vôo… Mas que ela jamais se atreva a tomar o lugar das asas…”.

  48. Sr. Deunírio,

    Eu respeito sua opinião. Afnal, se você prova que um Santo Católico ( São JP II) se derramou em elogios a um Bispo, que era Dom Helder, de fato fica estranho não elogiá-lo. Mas é preciso contextualizar os elogios, as circustâncias e o que se elogiava. De fato, Dom Helder tinha um trabalho muito intenso com os menos favorecidos e certamente, isso foi levando em conta no seu julgamento diante de Deus.Mas tenhamos claro que somente o próprio Deus sabe se ele fazia tudo isso por um desejo de “se aparecer” e por “propaganda”, ainda que muito bem feita.

    Eu pergunto a você: porque Dom Helder não condenou tão abertamente o pior, mais assassino, covarde e anti-Cristão movimento da história que foi o socialismo? Porque ele era tão próximo e amigo dos piores Modernistas na Igreja ( Frei betto, Boff e etc)? Porque a ala mais liberal da Igreja o tem como referência?Porque nos 20 anos em que ele esteve à frente da Arquidiocese de Olinda e Recife, o clero local se tornou um antro de pornografia e teologia da Libertação? A ONU pagã o elogia, etc. A biografia de Dom Helder é espantosa de exemplos assim.

    Um Santo agiria assim? São esses os frutos de Santidade?

  49. E o Papa Paulo VI disse a Dom Hélder Câmara:

    “Qualquer ato seu, qualquer palavra sua tem ressonância mundial. É mais importante para as imprensas europeia e norte-americana saber o que você pensa do que conhecer o pensamento de qualquer cardeal, mesmo norte-americano. Digo isso não porque tenha o mais leve receio do seu pensamento ou da sua atuação. Graças a Deus, nos conhecemos há tanto tempo… Lembra-se de nosso primeiro encontro? Você cresceu por dentro, mas continua humilde como o quase-seminarista que encontrei em 1950… Seu sorriso e seu olhar não envelhecem. A criança continua viva dentro de você… Aproveite esta fama. Sem deixar de ser o pastor de Olinda e Recife – e graças a Deus você tem alma de pastor – lembre-se de que não há, na Igreja, muitos cuja voz seja ouvida como a sua”.

  50. Por esta lógica nefasta um traficante que doar um baseado para um viciado na sexta-feira da Paixão estará sendo cristão legítimo?

  51. muitos destes pobres se tornaram evangélicos.Dom Hélder despediu os pobres de mãos vazias.Nem só de pão vive o homem. sua caridade era para com os comunistas. sua paixão para guevara e fidel .Santo é exempo , herói da fé , não vejo em Dom Hélder amor mas oportunismo ,falácia, sepulcro caiado.Nunca ouvi Ele falando contra as elites nordestinas ,os coronéis.um ator!

  52. D HELDER FEZ MILAGRES!
    Comprovado: transformou a Arquidiocese de Olinda e Recife num antro comunista e, para desmanchar todo o seu poder taumaturgo, quem sofreu foi D José Cardoso, a ponto de que teria mandado tirar todas as as fotos no seminários, sacristias etc. para apagar-lhe a soturna memoria, sem contar a luta para recristianizar o clero, tão vermelho estava, mais se parecendo roxo!
    Exímio combatente da DITADURA MILITAR, mas assentia com a futura, muito pior, DITADURA COMUNISTA!

  53. Senhor Deunirio, portar cabelos brancos não nos dá chancela de sobriedade! O senhor ainda está em delírio, ainda está nos anos 70 e 80, em que a TL se infiltrou e empesteou a Igreja Católica no Brasil.

    Basta ver o vídeo acima para ver muito bem quem era seu “beato”, um relativista e oportunista que literalmente arrasou a Diocese de Recife e Olinda! Ele adorava os holofotes da mídia e seus seguidores, homens enlaçados pela caquética TL e embrigadas por um falso conceito de Igreja, querem alçá-lo aos altares (e aqui fica um questionamento aos neocatólicos: as beatificações e canonizações não estão sendo feitas a toque de caixa? Não é isto, no mínimo, inquietante?)

    Em suma, compare a vida deste cidadão (o bispo vermelho) com a de um santo verdadeiro: Padre Pio! Sem comentários!

    De “santos” e “beatos” como D. Hélder, livrai-nos, Senhor!

  54. Como católico meu voto de protesto a essa iniciativa pelas autoridades eclesiásticas brasileiras.

    Leia o artigo de Dr. Plinio Corrêa de Oliveira sobre ele:

    Título do artigo: O Arcebispo vermelho abre as portas da América e do mundo para o comunismo

    A propósito de afirmações extremamente graves, atribuídas pela imprensa a D. Helder Câmara, Arcebispo de Olinda e Recife – e não desmentidas – a TFP fez publicar em jornais de grande circulação das principais cidades do País o seguinte comunicado, subordinado ao título acima e datado de 1º do corrente:
    “A Sociedade Brasileira de Defesa da Tradição, Família e Propriedade esperou até agora que D. Helder Câmara, Arcebispo de Olinda e Recife, desmentisse as afirmações que a imprensa nacional lhe atribuiu como pronunciadas no domingo, dia 27, em Nova York, em discurso de encerramento da sexta Conferência Anual do Programa Católico de Cooperação Interamericana ( CICOP ).
    Até o presente, tal desmentido não veio. E, à vista dos antecedentes, é muito de duvidar que ele venha, pelo menos com a precisão e a franqueza indispensáveis.
    Dada a extrema gravidade das declarações do referido Prelado, a TFP julga cumprir um dever para com a Pátria, exprimindo desde logo seu inteiro desacordo com as sugestões desconcertantes a ele atribuídas.
    Comunismo, anticomunismo: questão secundária
    Entre outras coisas, asseverou D. Helder que “o primeiro problema da humanidade não é o choque entre o Oriente e o Ocidente, mas sim entre o Norte e o Sul – ou seja, entre o mundo desenvolvido e o mundo sub-desenvolvido”.
    Esta afirmação sibilina é de molde a adormecer a vigilância dos anticomunistas, ao mesmo tempo que relega para um nível secundário a grande controvérsia religiosa, filosófica e cultural entre o mundo cristão e o mundo ateu, para pôr em primeira plana o problema econômico do subdesenvolvimento. Inversão de valores inteiramente conforme à doutrina de Marx.
    Estados Unidos, potência anticomunista a neutralizar
    Acrescentou D. Helder que o norte-americano médio deveria convencer-se da insensatez de uma nova guerra mundial, e que “isso não será fácil, porque enormes interesses econômicos estão às vezes interessados em promover a guerra, ou com freqüência esses interesses controlam os meios de comunicação e seu enorme efeito na formação da opinião pública”. Esse longo fraseado importa em afirmar que o norte-americano médio, intoxicado com uma propaganda insincera, financiada por misteriosas potências econômicas, deveria recusar apoio a todos os esforços empreendidos pelos estadistas anticomunistas de seu país e pelo Pentágono para levar avante a defesa dos Estados Unidos e do mundo livre.
    Com efeito, no próprio momento em que a Rússia multiplica o número e seus navios de guerra no Mediterrâneo, e, com o tacão da bota posto sobre a infeliz Checoslováquia, ameaça a Europa, eis o conselho ultrapacifista que D. Helder oferece às Forças Armadas norte-americanas: “Quem sabe se um dia o Pentágono se disporá a dar um exemplo a todo o mundo, organizando uma estratégia global para liquidar o sofrimento”. E D. Helder acrescenta: “não digais que tal estratégia colocaria o mundo na mão dos comunistas”… Assim, o que D. Helder deseja é que as Forças Armadas dos Estados Unidos se transformem em um inocente e tolo Exército da Salvação. E garante tranqüilamente que, mesmo assim, soviéticos armados até os dentes não saltariam para a conquista do mundo indefeso! Seria impossível advogar mais claramente a causa do entreguismo em favor de Moscou.
    Advogando a causa da Mao Tsé-tung
    Sempre nesta orientação, D. Helder pede que a China comunista seja admitida nas nações Unidas. Isso constituiria uma imensa vitória diplomática para o regime de Pequim, e favoreceria largamente, por via de conseqüência, a expansão do prestígio comunista no Extremo Oriente, bem como ao longo de todas as fronteiras chinesas no coração da Ásia. Tanto mais quanto, em princípio, o ingresso da China comunista na ONU importaria na exclusão da China Nacionalista, cujo governo, sediado em Formosa, se reputa, a justo título, o representante legítimo do povo chinês naquele organismo internacional.
    Abalando a ONU em favor do comunismo
    Vão ainda mais longe as conseqüências da medida propugnada por D. Helder.
    Como a China ocupa um dos cinco lugares permanentes e com direito de veto no órgão supremo da ONU, isto é, no Conselho de Segurança, a admissão do governo de Pequim importaria forçosamente em que ao representante de Chang Cai-Chek nesse órgão se substituísse o de Mao Tsé-tung. Em outros termos, o Conselho de Segurança, entre cujos membros permanentes há atualmente só um voto comunista, o da Rússia, contra quatro do mundo ocidental, passaria a ter dois votos comunistas permanentes – Rússia e China – contra três ocidentais, a saber, os dos EUA, Inglaterra e França… da França de de Gaulle, tão dúbia e incerta.
    É isto o que deseja D. Helder.
    Em favor de Fidel Castro
    O regime cubano constitui a mais férrea ditadura da América, uma das mais férreas do mundo. Nega ele inteiramente, por exemplo, a propriedade privada, um dos princípios morais básicos da civilização cristã, promulgado em dois mandamentos da Lei de Deus, “Não furtarás” e “Não cobiçarás as coisas alheias”. Para quem não se conforma com essa bárbara eliminação de um dos mais importantes direitos naturais do homem, a receita de Fidel Castro é simples e drástica: o paredón, a agonia da reclusão nos cárceres de La Cabaña, etc.
    O regime comunista de Havana representa uma nódoa na América, e Fidel Castro, com sua coorte de carrascos e capangas a soldo de Moscou e Pequim, não é menos um intruso em seu país do que as tropas soviéticas o são na Checoslováquia.
    O anseio de todo verdadeiro americano, de todo bom brasileiro, deve consistir na retirada dos “quislings” de Cuba.
    Pareceria natural que D. Helder Câmara afinasse por estes sentimentos, e propusesse aos seus ouvintes a mais tímida e pacífica das medidas para a libertação da pérola das Antilhas: um plebiscito fiscalizado pela Organização dos Estados Americanos, para saber se realmente os cubanos querem a permanência do comunismo em sua pátria. Plebiscito este que, naturalmente, deveria ser precedido da volta dos exilados a Cuba, e do restabelecimento de todas as liberdades civis e políticas.
    Em vez disso, o que pede D. Helder? Uma série de medidas que importam na consolidação do regime castrista. Fingindo confundir a Cuba autêntica, martirizada e inconformada, com a Cuba de Fidel Castro, a qual não é senão uma mentira oficial, D. Helder pede “a reintegração de Cuba na comunidade latino-americana”. Argumentos? Simplesmente estes: 1º) “Nossa irmã Cuba deve ser reintegrada na nossa comunidade, com o devido respeito às suas opiniões políticas”… Pelo contexto é bem evidente que se trata das “opiniões políticas” dos comunistas cubanos. Por esta forma, D. Helder se sente irmão da Cuba marxista, e pede o respeito de todo o continente pela ideologia política desta, toda baseada no materialismo e no ateísmo. 2º) Conservando Cuba isolada, afirma D. Helder, estaremos contribuindo para manter a divisão no continente: assim, a união do continente, para D. Helder, não exige que seja expulso o comunismo, senão que, ao invés, se abram as portas a este. E por fim mais este argumento do labioso Prelado: “depois de tudo, não olvidemos que os cubanos são também filhos de Deus e não podemos condenar toda uma nação a viver em um gueto”. Em conseqüência, para D. Helder, quem combate Fidel Castro, em vez de estar libertando Cuba de uma masmorra, pelo contrário a circunscreve em um gueto. De tal maneira o Arcebispo de Olinda e Recife confunde o ditador comunista com Cuba, e quer reportar ao primeiro todos os benefícios do afeto fraterno que temos para com a segunda.
    Vista de conjunto: um entreguismo total
    De princípio ao fim, essas declarações contidas no discurso de D. Helder delineiam toda uma política de entrega do mundo, e mais particularmente da América, ao comunismo.
    Estamos assim diante desta realidade estarrecedora: um Bispo da Santa Igreja Católica Apostólica Romana empenha o prestígio que lhe vem da excelsa dignidade de sucessor dos Apóstolos ( e, colateralmente, de uma nababesca cobertura publicitária nacional e internacional, mais ampla do que jamais teve outro brasileiro, nem sequer Getúlio Vargas ), para tentar a demolição de bastiões dos mais preciosos da defesa militar e política do mundo livre contra o comunismo. Contra o comunismo, sim, que é o mais radical, o mais implacável, o mais cruel e o mais insidioso dos inimigos que jamais investiram contra a Igreja e a civilização cristã.
    A política internacional preconizada por D. Helder é inteiramente afim com a política nacional proposta pelo agitador belga Pe. Comblin ( hoje aprazivelmente reinstalado em Recife ), há pouco denunciado pela TFP em vitoriosa campanha contra a infiltração comunista em meios católicos.
    À vista dessa significativa afinidade, é impossível não recear que em Recife se esteja constituindo um dispositivo eclesiástico – amparado por importantes simpatias em outros lugares – no sentido de, explorando a Fé dos brasileiros, obter o apoio destes para uma política que importa na ruína do País e do mundo.
    Este fato, a TFP, como entidade cívica votada á defesa dos princípios básicos da ordem natural, o vê com uma tristeza profunda, nascida da veneração indizível que tem para com a Igreja Católica.
    Mas, em hora de tanto perigo, não é legítimo que fiquemos nesta tristeza. É necessário apelar para as figuras respeitáveis que, na Hierarquia Eclesiástica, representam o pensamento católico, para o Poder Público, ao qual incumbe a preservação da ordem natural, para a opinião nacional, enfim, tão insofismável e compactamente anticomunista, para que, de concerto, ponham paradeiro a um perigo cujo alcance seria pueril ignorar.
    Se alguém, contra toda a evidência, quisesse fechar os olhos a esse perigo, bastaria a aprovação publicamente dada por aquele que é um dos mais altos hierarcas temporais da terra – isto é, por U Thant, Secretário Geral da ONU ( entrevista à imprensa de 28 de janeiro ) – às presentes palavras de quem a opinião pública se vai habituando a qualificar de Arcebispo Vermelho do Nordeste.
    São Paulo, 1º de fevereiro de 1969
    Plinio Corrêa de Oliveira,
    Presidente do Conselho Nacional

  55. Dom Helder beato? Quero ver como vão explicar que o Cardeal militou a favor do fascismo? Ou essa sua faceta será escondida debaixo do tapete?

  56. Enquanto o país iniciava seu mais controverso e sombrio período da história, naquele fatídico 31 de março de 1964, uma voz que vinha de Pernambuco, do alto escalão da igreja católica, se fez ouvir pelos quatro cantos do mundo: a do arcebispo de Olinda e Recife, Dom Helder Pessoa Câmara. Enquanto estudantes, trabalhadores e profissionais da imprensa, no Brasil, enfrentaram a ditadura militar com armas e sangue, o religioso, natural de Fortaleza, minúsculos no tamanho, mas enorme na sua alma, usou as palavras e a fé na juventude para confrontar o autoritarismo.

    “Se dou pão aos pobres, todos me chamam de santo. Se mostro por que os pobres não têm pão, me chamam de comunista e subversivo”, costumava dizer Dom Helder, que teve diversos pensamentos associados a movimentos partidários. Como um dos fundadores da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, ele ajudou a dar visibilidade, organização e estrutura à instituição, que teve importante papel de enfrentamento durante a ditadura militar brasileira.

    Sem dúvida que todo o agir de Dom Helder tinha por trás um valor maior, que era a promoção da dignidade humana, a valorização da vida. para tanto enfrentou grandes políticos, velhos coronéis da política nordestina. Num cenário político controverso, ele defendeu a cidadania. Tentaram calá-lo matando seu auxiliar – um jovem padre idealista e que não se enclausurava apenas na comodidade dos templos e clausuras da Igreja. No meio dos pobres morreu, defendendo-os.

    Com a restrição do espaço político brasileiro após a implantação do Ato Institucional nº 5, o AI-5, em 1968, Dom Helder, por incomodar muito os militares, é considerado pelos agentes do governo um ‘morto-vivo’. Os meios de comunicação não podiam falar sobre ele, nem publicar nada que mencionasse seu nome. O arcebispo estava proibido até de frequentar as universidades do país. Nesse momento, ele se volta para o exterior. “Como não podia circular pelo âmbito acadêmico no Brasil, entre os estudantes, de quem tanto gostava, tomou a sábia decisão de viajar pelo mundo, para discutir com jovens de grandes universidades, especialmente em Paris, Alemanha, Estados Unidos, Canadá e Itália”, diz Adenilson Souza.

    Para Dom Helder, os cidadãos menos favorecidos deviam se unir, formando o que chamava de “minorias abraâmicas”, com clara referência bíblica a Abraão, e que tem como preceito a ideia de que em qualquer conjunto de pessoas, ao menos duas são sedentas por justiça e paz. Ele apostava muito na juventude como engrenagem primordial da sociedade, e na força dos grupos abraâmicos, capazes de pensar soluções e enfrentar as arbitrariedades, com uma força parecida com a da bomba atômica.

    Sua forte atuação para divulgar a repressão política no Brasil lhe rendeu nada menos que quatro indicações ao prêmio Nobel da paz – nenhum outro brasileiro teve tantas indicações. Além disso, recebeu o prêmio Martin Luther King, nos Estados Unidos, e se tornou doutor honoris causa em 32 universidades nacionais e estrangeiras.

    Os que o criticam com tanta severidade, que bem fez ou faz ao mundo. Que trouxe de bom ao mundo. Aceitam o confronto de posicionamentos contrários? Respeitam os mais velhos, ou os tratam como lixo descartável quando pensam de forma contrária.

    Respeitem os que fizeram um bem ao mundo e tentem fazer pelo menos 1% do que ele fez – quem sabe não começando a ser menos sarcástico e tendo mais respeito aos que pensam diferente.

    Salve Dom Helder Câmera, nosso “Dom” já é santo.

  57. “Enquanto o país iniciava seu mais controverso e sombrio período da história naquele fatídico 31 de março de 1964…”

    O Sr. Delírio…ops…digo… Deunirio, calado, é um doutor da Igreja.
    Sua boca fechada me faz lembrar Santo Agostinho.

    Um satanista pensa diferente de mim, devo ter respeito por ele?