Vaticano demite Dom Finn após anos de ataques por sua defesa à identidade católica.

Por Life Site News | Tradução: Teresa Maria Freixinho – Fratres in Unum.com: KANSAS CITY, MO, 21 de abril de 2015 – Após anos servindo de bode expiatório da mídia americana no escândalo de abusos sexuais por parte de padres católicos, além da crítica da esquerda por seu empenho para promover a doutrina e as tradições da Igreja, o chefe da Diocese de Kansas City – St. Joseph foi demitido de seu cargo pelo Vaticano.

Dom Robert Finn “tornou-se incapaz de ocupar seu cargo,” de acordo com o Vaticano, que anunciou, em 21 de abril, que o Papa Francisco havia aceitado a renúncia do bispo.

A saída de Dom Finn está “em conformidade com o cânon 401, parágrafo 2, do Código de Direito Canônico,” disse o Vaticano, que dá a entender que ele teria sido “seriamente admoestado a apresentar sua renúncia do cargo.”

“Tive a honra e a alegria de trabalhar aqui dentre tantas boas pessoas de fé,” disse Dom Finn em uma declaração no site da diocese. “Por favor, comecem a rezar por aquele que Deus chamar para ser o próximo bispo de Kansas City – St. Joseph.”

O Papa Francisco nomeou o Arcebispo Joseph Naumann, chefe da arquidiocese de Kansas City, no Kansas, como administrador apostólico temporariamente, até que o sucessor de Dom Finn seja nomeado.

O Arcebispo Naumann disse que “reza para que as próximas semanas e meses sejam um tempo de graça e cura para a Diocese.”

Dom Finn continuará sendo bispo, porém, não terá mais uma diocese. A declaração diocesana não disse o que ele irá fazer daqui em diante.

Um júri de acusação declarou Dom Finn culpado de contravenção penal em 2012 por deixar de informar à polícia a respeito de um padre, o padre Shawn Ratigan, depois que a diocese descobriu que ele tinha imagens de menores com conteúdo sexual em seu computador.

Bill Donohue, presidente da Liga Católica, defendeu Dom Finn durante essa provação. Em comunicado de imprensa hoje, Donohue apresentou os seguintes pontos de reflexão sobre o caso:

  • Em 2010, um técnico de computador encontrou fotos perturbadoras da região da  virilha de moças completamente vestidas no computador de Ratigan; havia uma foto de moça nua de natureza não sexual.
  • Embora não houvesse reclamante, uma policial e um promotor foram contatados por autoridades diocesanas. Ambos concordaram que a única foto de pessoa nua não constituía pornografia.
  • Depois que Ratigan tentou o suicídio, ele foi avaliado por um psiquiatra — a pedido de Dom Finn, Ratigan foi diagnosticado como depressivo, porém, não um pedófilo.
  • Dom Finn impôs restrições a Ratigan, e este as violou. Então, a diocese contatou as autoridades, embora ela não tivesse um mandato judicial para fazê-lo.
  • Dom Finn ordenou uma investigação independente, embora não houvesse reclamante.
  • Quando se descobriu que Ratigan estava usando computador novamente, um exame revelou centenas de fotos chocantes.
  • Então, o Vigário Geral, Monsenhor Robert Murphy, chamou a política (Dom Finn estava fora da cidade).
  • Ratigan foi preso uma semana mais tarde.

“Embora nenhuma criança jamais fora tocada ou tenha sofrido abuso por parte de Ratigan, é óbvio que ele não condiz com o sacerdócio,” disse Donohue. “Porém, Dom Finn não teve uma atitude cavalheiresca em relação a sua má conduta. Se ele tivesse, o problema de Ratigan teria sido ignorado completamente, além do fato de que ninguém jamais telefonou para o seu gabinete dizendo que Ratigan havia abusado de seu filho.”

“Rezamos por Dom Finn, e agradecemos a ele por ter limpado a bagunça que herdou. Isso tornará o trabalho de seu sucessor muito mais fácil,” acrescentou Donohue.

Desde que assumiu a liderança da diocese de Kansas City- St. Joseph, em 2005, o bispo tem sido alvo de virulência por empreender esforços para reconduzir a direção da diocese em união com a Igreja. Mudanças em equipes de trabalho e programas, juntamente com medidas para garantir que o jornal diocesano funcione de maneira fiel, atraíram a ira liberal e o ataque público desde o início.

Pouco tempo depois de sua chegada, um jornal local veiculou uma edição ridícula de oito páginas focada inteiramente em jogar os fiéis contra o bispo. Essa edição foi distribuída a inúmeras igrejas da diocese.

Dom Finn, um veemente defensor da vida durante todo o seu episcopado, foi completamente deturpado na campanha midiática que fizeram contra ele, dizem as freiras de uma comunidade religiosa da diocese.

 “Nosso bispo é um homem que inspira fé, santidade e um grande zelo pelas coisas de Deus,” disse Madre Cecilia, priora das Beneditinas de Maria, Rainha dos Apóstolos, à LifeSiteNews em novembro. “Fico muito triste em saber que tantas pessoas somente o conhecem pelo que ouvem de vozes estridentes da mídia e agências de notícias, que desde o início têm demonstrado preconceito contra ele.”

Ela também defendeu o trabalho do bispo de pastorear fielmente a diocese de Kansas City – St. Joseph, enfatizando que essas medidas fizeram com que ele se tornasse um alvo.

“Dez anos atrás, Dom Finn foi designado para uma diocese conhecida amplamente por ser um viveiro de heterodoxia e apostasia,” disse Madre Cecilia. “Ele fez mudanças necessárias e importantes assim que chegou, e os descontentes nunca esqueceram nem perdoaram.”

Durante o mandato de Finn, a diocese experimentou um crescimento explosivo de vocações ao sacerdócio e ao diaconato; ele abriu a causa para a canonização de uma religiosa e supervisionou a construção de duas novas igrejas.

A decisão do Vaticano de investigar Finn surpreendeu a muitos, uma vez que diversas autoridades eclesiásticas de alto escalão têm enfrentado fortes alegações de acobertamento de predadores sexuais, e ainda assim continuam em seus cargos.

Madre Cecilia contou à LifeSiteNews no outono passado que apesar da campanha contra ele, Dom Bishop Finn tem persistido em humildade e fidelidade à Igreja durante todo esse tempo.

“Nosso bispo tem suportado e sofrido muitas provações durante esses anos,” disse Madre Cecilia. “Continuo maravilhada e inspirada por sua humildade, caridade e resignação paciente em meio a tantos ataques incessantes.”

3 comentários sobre “Vaticano demite Dom Finn após anos de ataques por sua defesa à identidade católica.

  1. Assim como Dom Livieris, mais bispo é vitima da perseguição progressista que tem no Papa atual seu principal arquiteto. E ainda há aqueles, tolos, que acham que Francisco é a personificação da misericórdia e da humildade.

    Curtir

  2. Infelizmente é assim os bons são trucidados e os loucos são aplaudidos de pé, triste é a posição destes que se dizem católicos (modernistas),principalmente alguns do alto clero,mas á uma ressalva; para DEUS estes são tão estranhos quanto uma heresia não dita.
    Será que não teve dois ou três bispos para se unirem a Don Robert Finn ?
    Para fazerem reuniãozinha episcopal nestes retiros eles se unem,mas para salvar um amigo de oficío,não tem reunião?
    …vou terminando por aqui…à antes que eu me esqueça;tão matando cristãos no Oriente Médio,só pra lembrar tá.

    Curtir

  3. Interessante. Se Bergoglio tiver que destituir todos os Bispos considerados inaptos, a Igreja teria quantas mil sedes vacantes? Seria a de Roma a primeira?

    Curtir

Os comentários estão desativados.