“Filial Súplica” já conta com mais de 225 mil assinaturas.

Queira Deus agora que Francisco a ouça!

Por Manoel Gonzaga Castro* – Fratres in Unum.com: Talvez o biênio 2014-2015 esteja sendo tão dramático para a História da Igreja neste início de século XXI, quanto foram os anos de 1962 a 1965, quando se reuniu o Concílio Vaticano II. Mais uma vez, sob a alegação de uma necessária adaptação pastoral, acabou-se por se subverter a sã doutrina e isso resultou nos frequentes escândalos de ruptura progressista que presenciamos tão amiúde entre os católicos. Se nos anos conciliares estiveram em jogo a questão da liberdade religiosa, o ecumenismo e a colegialidade, agora, nos dois Sínodos, o de 2014 e o de 2015, dos Bispos sobre a Família, estão em perigo os aspectos mais básicos da moral sexual católica – e novamente sob alegações de necessidade pastoral.

Nesse sentido, causou escândalo aos católicos que desejam permanecer fiéis à doutrina de Nosso Senhor Jesus Cristo a publicação da Relatio Post disceptationem, documento que antecedeu o relatório final dos debates da assembleia sinodal. Na Relatio, com efeito, cogitou-se em admitir os divorciados recasados à comunhão e também se falou dos dotes e das qualidades que as pessoas homossexuais têm a oferecer à comunidade cristã.

Trata-se de uma questão realmente grave, a qual acarretará diversas consequências. Conforme pregou o padre  Daniel Pinheiro, do Instituto do Bom Pastor, de Brasília, em sermão de 19 de outubro de 2014:

A comunhão dos divorciados recasados seria a destruição completa da moral sexual católica. […] A comunhão aos divorciados recasados seria a autorização de uma relação extraconjugal, com o casamento anterior que ainda existe. Além disso, com essa comunhão aos divorciados recasados, se destroem três sacramentos: o sacramento de matrimônio, da comunhão e da confissão. É destruído o sacramento do matrimônio porque a comunhão dos divorciados recasados iria contra a indissolubilidade e a exclusividade do matrimônio. É destruído o sacramento da comunhão porque se admitiria à comunhão alguém que está objetivamente em estado de pecado mortal. É destruído o sacramento da confissão porque a pessoa não estaria obrigada a confessar um pecado mortal e corrigir-se dele para poder receber o perdão divino. E, com isso, se abrem as portas para tudo. Se é possível fazer isso com esse pecado mortal, por que não é possível com outros? A comunhão aos divorciados recasados nunca foi, não pode ser, nem nunca será condizente com a doutrina e a pastoral de Cristo sobre o matrimônio. Diga-se o mesmo com os chamados eufemisticamente novos modelos de família. Existe um só modelo de família: pai, mãe, e filhos. Não se pode servir a dois senhores, a Cristo e ao mundo. É preciso servir a Cristo.

Por causa dessa corrente progressista existente no sínodo, a briga entre os Padres sinodais foi e está sendo grande: do lado da tradição, temos um Burke, lamentavelmente excluído por Francisco do Sínodo de 2015, ao afastá-lo da Cúria Romana, mas que, nem por isso, deixa de bradar em alto e bom som; do lado dos inovadores, um Kasper; ao centro, aparentando estar desnorteado, um Odilo, o qual declarou, absurdamente e contra toda evidência, não haver cisões no Sínodo…

Em meio a essa confusão, o Santo Padre tem parecido tender para o lado dos inovadores. Com efeito, conforme repercutido por Fratres in Unum, declarou o Cardeal Dom Lorenzo Baldisseri – principal organizador da reunião sinodal no Vaticano – que Francisco aprovou a controversa Relatio post disceptationem antes de sua publicação.

Diante desses fatos dramáticos, e cientes da gravidade da questão, 225 mil católicos – deixando de lado suas diferenças e concentrados em sua causa comum – decidiram lutar em favor da moral tradicional por meio da assinatura da “Filial Súplica” ao Santíssimo Padre, para que ele “reafirme de modo categórico o ensinamento tradicional da Igreja segundo o qual os católicos divorciados e recasados civilmente não podem receber a Sagrada Comunhão e de que as uniões homossexuais são contrárias às leis divina e natural”.

Entre esses 225 mil, estão eminentes personalidades da Igreja no Brasil, como Dom José Aparecido Gonçalves de Almeida, bispo auxiliar de Brasília, e Dom Fernando Guimarães, atualmente arcebispo do Ordinariato Militar do Brasil.

Por isso, felizmente, a “Filial Súplica” já é um sucesso. Fica o convite aos leitores, que ainda não o fizeram, para que a assinem e divulguem!

Queira Deus agora que ela seja ouvida pelo Santo Padre!

Parabéns a todos os bravos católicos que dela participaram.

* Fale com o autor: manoelgonzagacastro@gmail.com

8 comentários sobre ““Filial Súplica” já conta com mais de 225 mil assinaturas.

  1. Meu Deus de minha alma…
    Parece brincadeira…
    Os católicos tendo que suplicar ao Papa para que mantenha uma DOUTRINA IMUTÁVEL!!!!
    A que ponto chegamos…

    Só uma pergunta:

    Essa súplica chegará nas mãos dele? Todos sabemos e vemos que o Papa está cada vez mais cercado por prelados totalmente revolucionários e irresponsáveis, tipo o cardeal kapeta, que mesmo aposentado, continua infernizando com suas teses pagãs…

    Há alguns dias assisti na TV cultura uma entrevista de 3 ou 4 jornalistas com o sr. Genésio Boff ( ele é tão dissimulado e sem caráter que continua usando o nome religioso, afinal, precisa mamar mais na Igreja com suas elucubrações pagãs, esotéricas, ecodiabólicas, para seus adeptos do mesmo nype dele, que o veneram e o convidam a defecar pela boca pelo Brasil a fora ), o dissimulado detonou o Papa Bento e canonizou o atual, e o pior, afirmou em alto e bom som, que o Papa pediu-lhe que lhe enviasse um estudo dele sobre ecologia para usar na encíclica que estava escrevendo e ainda ironizou dizendo que o Papa só mandou que ele não enviasse pelas vias ordinárias, e sim por um amigo particular, “senão a Cúria Romana sentaria em cima e não deixaria que chegasse nas mãos do Papa”… Nesta hora foi uma risadaria só de deboche da Igreja, a começar pelo verme asqueroso do Genésio. Para não pecar mais não assisti até o fim…

    Um Papa que consulta o sr. Genésio Boff como fonte para escrever uma encíclica, me desculpem, mas não pode ser um Papa sério… CRUZ CREDO 3 VEZES!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Por isso, pergunto: Quem vai entregar essa Súplica ao Papa, e mais, se o Papa recebê-la não vai sentar em cima e fazer chacota dos “fariseus de plantão”, como já chamou certos prelados numa Missa no Palacete S. Marta?

    Mãe de Fátima, rogai por nós!

    Curtir

  2. O sr. Marcelo parece que leu meu pensamento. Desculpem-me as pessoas do “Filial Súplica”, mas o próprio fato de se haver convocado este sínodo(Que vai discutir o que? Uma doutrina infalível.) parece-me já um absurdo. E como consequência, uma súplica ao Vigário de Cristo para que reafirme essa infalibilidade também o é. Lembro-me de tê-la assinado, mas hoje sinto-me arrependido. Por que arrependido? Porque a graça do Espírito Santo, pelas mãos da Santíssima Virgem aumentaram minha fé, de modo que hoje percebo que a maioria (não todos, é claro) dos católicos estão divididos em dois grandes grupos: o dos apóstatas, que amam o CVII e a missa fabricada do Papa Paulo VI e o dos covardes, que tendo medo (como já tive), apesar de sentir o cheiro fétido da era pós-concílio, não combatem por Nosso Senhor Jesus Cristo devido ao terrorismo da “falta de comunhão com Roma”.
    Por tudo isso digo: rezemos pela conversão dos apóstatas e não sejamos covardes, porque ambos os grupos irão para o inferno; o primeiro porque perdeu a fé, necessária à salvação e o segundo porque são católicos mornos e assim sendo serão vomitados pela boca do Senhor!

    Auxílio dos cristãos, rogai por nós!

    Curtir

  3. Sou um tanto ignorante em relação ao que define a doutrina, mas uma coisa EU SEI: quando o assunto é fé, quem tem razão não tenta conseguir as coisas com mentiras, subterfúgios, desculpas, cortinas de fumaça, defendendo X quando na verdade está querendo por em prática Y. Esclarecendo, os revolucionários da Igreja, se creem ter razão, deveriam dizer porque eles estão certos nos pontos que querem mudar, colocar seus objetivos às vistas de todos, e exporem suas teses à inquisição dos outros membros. Quando não fazem isso deixam claro que não passam de mentirosos.

    Curtir

  4. Eu assisti uma entrevista recente do excomungado Genésio Boff no conexão Roberto davila e foi espantosa. Disse claramente que o Papa Francisco pediu a ele ajuda para blindá-lo e ajudá-lo a reformar a Igreja que ele tem muitos inimigos internos que não querem isso. Disse que o Papa Bento XVI sofreu ameaças de morte, etc.

    Jornalistas cretinos dão voz aos cretinos. Se esse homem não tivesse a igreja não seria nada, absolutamente nada.

    Curtir

  5. Chama a atenção a pouca adesão dos Bispos brasileiros. Somente 2 e nenhum titular de Sé importante, nenhum Arcebispo e nenhum Cardeal. Se isso representa o que pensa o Clero…..já era, fratres.

    Curtir

  6. Quem é sacerdote, pior ainda bispo e defende o comunismo, não merece respeito algum; trata-se de lobo em pele de ovelha; quer colocar a alma nas mãos de diabo dando impressão de livrá-lo dele; uma serpente traiçoeira!
    A Igreja está infiltrada de forma sistemática de maçons, comunistas e protestantes desde a década de 30, caso D Hélder e sucessores na direção da atual banda podre vermelha da CNBB e sua partner TL só apoiando esquerdistas, de forma velada, evidente ou nunca os atacando, traduzindo em apoio, já que deveriam fazer em contrario..
    Jesus tachou os sacerdotes de sepulcros caiados e os fariseus de filhos de Satanás, e não quis nem saber quem eram; e ainda foi esbofeteado por ter falado a verdade: Estás sabendo com quem falas?!
    Os últimos dez papas apenas até Bento XVI condenaram formalmente o comunismo em múltis documentos e até encíclicas – Divini Redemptoris etc., – como: “Os comunistas socialistas e niilistas são uma PESTE MORTAL que como a serpente se introduzem por entre as articulações mais íntimas dos membros da sociedade humana, e a coloca num perigo extremo”. Leão XIII – QAM
    “Um governo sem princípios ético-morais não passa de uma quadrilha de malfeitores” e em Erfurt, Alemanha: “Comunismo, nazismo e fascismo, chuvas ácidas; nazismo e fascismo, pestes negras e comunismo, peste vermelha” – Bento XVI.
    Ajuntar-se a uma sucia dessa, caso PT, que tem ódio ao Senhor Deus e à Igreja católica e a persegue oficialmente, quer destruí-la de toda as formas possíveis, satanistas, convicto e praticante abortista, assim como acabar com a família não geraria excomunhão automática, mesmo votar neles – sabendo dessas implicancias – se assim for não for, não existe mais excomunhão e pecado; vale tudo!
    A igreja em que pode tudo é a da direção da CNBB, como na última PJ da ideologia do PT, da sua secretaria vermelha Aline Ogliari, veja seu FACEBOOK, onde um grupo ao lado de 2 bispos entronizam a foto do carniceiro Che Guevara…
    Ou a do Cardeal Kasper e associados que querem dar a S Comunhão aos amasiados em adultério, dar status dentro da Igreja católica a gays e GLBT em sodomia para “corrigir” uma tal “discriminação” do “Politicamente Correto” das ideologias marxistas; no entanto, à verdade, essa suposta igreja kasperista não passa de uma sucursal da “Ditadura do Relativismo”.
    Pergunte aos Atanasios atuais, aos emin. Cardeais D Burke, D Pell, D De Paolis etc. se não refutam essas ideias modernistas…

    Curtir

Os comentários estão desativados.