Solenidade do Sacratíssimo Coração de Jesus – Jornada Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes.

Carta 123

Padre Pio a padre Agostinho

“Pietrelcina, 7 de abril de 1913

J.M.J.F

Meu caríssimo Padre,

Na sexta-feira de manhã [28/03/1913], enquanto eu ainda estava na cama, Jesus me apareceu. Estava todo ferido e desfigurado. Ele me mostrou uma grande multidão de sacerdotes religiosos e diocesanos, entre os quais várias autoridades eclesiásticas; entre eles, alguns estavam celebrando, outros estavam se paramentando e outros ainda estavam tirando as vestes sagradas.

Saint_Padre_PioA visão de Jesus em agonia me dava muita pena, por isto quis lhe perguntar porque estava sofrendo tanto. Ele não me deu resposta alguma. Porém o seu olhar se voltou para aqueles sacerdotes; mas pouco depois, quase que aterrorizado e como se estivesse cansado de olhar, desviou os olhos e então os levantou para mim e, para o meu grande horror, observei duas lágrimas que lhe cavavam as faces. Afastou-se daquela turba de sacerdotes com uma grande expressão de desgosto no rosto, gritando: “Açougueiros!” E voltando-se para mim, disse: “Meu filho, não pense que a minha agonia durou apenas três horas, não! Por causa das almas que por mim são mais favorecidas, estarei em agonia até o fim do mundo. Não convém dormir, meu filho, durante o tempo de minha agonia. A minha alma está à procura de um pingo de piedade humana, mas  infelizmente me deixam sozinho sob o peso da indiferença. A ingratidão e o sono dos meus ministros tornam a minha agonia mais difícil. Ah! Como correspondem mal ao meu amor! O que mais me aflige é que eles acrescentam ao seu indiferentismo o seu desprezo e a incredulidade. Quantas vezes estava pronto para fulminá-los, se não tivesse sido detido pelos anjos e pelas almas enamoradas por mim… Escreve ao teu diretor e conta o que viste e ouviste de mim nesta manhã. Dize-lhe que mostre tua carta ao padre provincial…” Jesus continuou, mas aquilo que ele disse não poderei jamais revelar às criaturas nesta mundo. Esta aparição me causou uma grande dor no corpo, mas ainda maior na alma, que durante o dia todo fiquei prostrado e teria até pensado que dela pudesse morrer, se o docíssimo Jesus já não me tivesse revelado… Infelizmente Jesus tem razão de se lamentar desta ingratidão! Quantos infelizes dos nossos irmãos correspondem ao amor de Jesus jogando-se de braços abertos na seita infame da maçonaria!

Rezemos por eles para que o Senhor ilumine as suas mentes e toque os seus corações. Encoraje o nosso padre provincial, pois ele receberá um copioso socorro dos favores celestiais da parte do Senhor. Nesta direção devem ir todos os seus esforços. A esta finalidade devem ser dirigidas as nossas orações, todos somos obrigados a isto. Na reorganização da província não faltarão ao provincial as dificuldades, os sofrimentos, os cansaços; cuide porém para não desanimar, o piedoso Jesus irá sustentá-lo neste empreendimento. A guerras dos cossacos [i. e. demônios], mas, com a ajuda de Deus, não terei medo deles.

Para evitar o suor, neste verão, eu precisaria de um hábito de tecido mais leve. Se o padre provincial puder providenciá-lo, eu agradeceria.

Saúde o padre provincial e agradeça-o por mim pelas intenções.

Frei Pio”

Padre Pio de Pietrelcina, Epistolario – corrispondenza con i direttori spirituali (1910-1922), pg. 350.

7 Comentários to “Solenidade do Sacratíssimo Coração de Jesus – Jornada Mundial de Oração pela Santificação dos Sacerdotes.”

  1. O que se pode comentar se Nosso Senhor já disse tão verdadeiramente: “Meu filho, não pense que a minha agonia durou apenas três horas, não! Por causa das almas que por mim são mais favorecidas, estarei em agonia até o fim do mundo. Não convém dormir, meu filho, durante o tempo de minha agonia. A minha alma está à procura de um pingo de piedade humana, mas infelizmente me deixam sozinho sob o peso da indiferença. A ingratidão e o sono dos meus ministros tornam a minha agonia mais difícil. Ah! Como correspondem mal ao meu amor! O que mais me aflige é que eles acrescentam ao seu indiferentismo o seu desprezo e a incredulidade. Quantas vezes estava pronto para fulminá-los, se não tivesse sido detido pelos anjos e pelas almas enamoradas por mim… Escreve ao teu diretor e conta o que viste e ouviste de mim nesta manhã. Dize-lhe que mostre tua carta ao padre provincial…”

  2. Esta verdade, confirma o que escrevi no livro “O Mistério da Impiedade e a Demolição da Igreja”. Mas infelizmente parece que ninguém me dá ouvidos. Foram poucas as pessoas que o adquiriram. Mostro toda esta realidade que reclama Nosso Senhor. Bom! A minha parte eu fiz. Já não sou omisso. Quem quiser conhecer esta realidade, basta fazer o pedido sebastiaogbraz@gmail.com com endereço completo.
    Salve Jesus e Maria!

  3. …”A minha alma está à procura de um pingo de piedade humana, mas infelizmente me deixam sozinho sob o peso da indiferença. A ingratidão e o sono dos meus ministros tornam a minha agonia mais difícil. Ah! Como correspondem mal ao meu amor”!
    Outro dia, estava na igreja antes da S Missa e observava como chegavam moças e senhoras super decotadas, roupas collants, curtas; dentro da Casa de Deus, um zum-zum-zum, além de varios abraços, beijos e sorrisos entre pessoas confraternizando-se, mais parecendo num salão de recepções.
    Entra o vigário para a celebração, aos sorrisos e tudo segue no ritmo normal anterior até ao inicio da celebração e ao final ainda defende a Reforma Política do PT-CNBB-TL. ´
    Já nem digo nas ruas, que mais se parecem um diluvio de imoralidades a cada momento; as mais jovens então, já bem alicerçadas no niilismo modernista, doutrinadas nas novelas que são as cafetinas mostrando e ensinando de como se procede no bordel.
    Enquanto isso, as jovens vestem-se de tal forma imodestas nas ruas a todo momento, competindo e passando para trás em ousadia as mulheres nas portas de boites; hoje em dia a partir das vestes não mais se distinguem umas das outras.
    Esse plano acima da degradação geral ético-moral foi urdido por 2 famosos maçons, Vindice e Nubius em 1824 para ser posto em prática depois uns cento e tantos anos de irredutível empenho, sempre martelando sem arrefecerem…
    Ei-lo aí bem sedimentado! O plano, ajudando cada vez mais a degradar a sociedade via inertes ministros e causarem o terrível sofrimento ao Coração de Jesus!

  4. Se naquela época já era assim com Missa Tridentina e tudo…

    A Barca de Pedro nunca navegou em mares calmos.

  5. Domingos. Foi o que pensei. A barca da Igreja já fazia água naquele tempo. É difícil essa conclusão, mas creio que o Concílio Vaticano II, a despeito de escancarar o erro, foi mais efeito do que causa, embora a aparente calmaria antes dele.

  6. Caro waatchman,penso da mesma forma.

    • Sei não…mas quando se deu a rebelião protestante os piratas abandonaram a Nau e a pilhagem foi a metade do mapa do Tesouro, a Sagrada Escritura, fragmentada por retirarem parte dela. Deixaram para trás a outra metade, a Sagrada Tradição. Pobres desgraçados. Mas veio a revolução francesa, a revolução moderna, duas guerras que provocaram outras revoluções, comunistas e liberais. Os estados laicos. No decurso de tudo, outros piratas invadiram a Nau. Se aliaram aos traidores que estavam por entre as frestas e se deu o motim: Concílio Vaticano II.
      Pois se entre a tripulação, de grumete à suboficial faz o que quer e o almirante parece deixar o comando de guerra para fazer paz com traidores e piratas, O Capitão-Mor não abandonou a Nau e nem vai.

      As Velas estão Içadas, o Vento somente Nelas.

      Deus não está fora da história. Sua Nau vence. Enquanto a artilharia inimiga atira de fora, entre muitas baixas, vamos descobrindo os ratos, traidores e piratas fardados de oficiais.