Bispo: Vaticano é livre para trabalhar com qualquer um, a ONU não é o demônio.

Por Carol Glatz – Catholic News Service | Tradução: FratresInUnum.com – As Nações Unidas não são “o demônio”, portanto os representantes do papa são livres para colaborar com o  corpo internacional, bem como com pessoas de qualquer posição política, disse o Bispo Marcelo Sanchez Sorondo, chanceler da Academia Pontifícia de Ciências.

A Igreja vai continuar a colaborar com as Nações Unidas em qualquer projeto conjunto que “não vá contra a doutrina da Igreja”, disse em uma coletiva de imprensa em 15 de julho.

A academia do Vaticano está patrocinando um simpósio de um dia em 22 de julho com a iniciativa global da ONU, a Rede de Soluções para o Desenvolvimento Sustentável, liderada pelo economista americano Jeffrey Sachs. A academia também está patrocinando uma oficina correlata com duração de um dia em 21 de julho, reunindo 60 prefeitos e representantes de grandes cidades de todo o mundo [ndr: dentre os quais, Fernando Haddad e Eduardo Paes…] para tomar passos concretos contra formas modernas de escravidão em suas comunidades. Muitos prefeitos também participarão o evento do dia seguinte no Vaticano com a esperança de somarem a sua voz e apoio às metas de desenvolvimento sustentável que serão apreciadas na ONU em setembro.

É o segundo encontro que a Academia Pontifícia organizou este ano com importantes líderes e consultores das Nações Unidas.

Enquanto alguns apresentaram objeções à cooperação do Vaticano com organizações e indivíduos que promovem controle populacional através de meios que claramente violam o magistério da Igreja, o Bispo Sanchez disse que a Igreja trabalha com todos, para que possa unir forças em torno de preocupações em comum.

“O convite é aberto a todos. Se você quiser convidar outras pessoas, será para nós uma satisfação”, o Bispo respondeu a um jornalista que perguntou por que os 12 prefeitos italianos participando da conferência eram, na sua maioria, de partidos ou coalizões políticas de centro-esquerda.

“Todos os seus amigos da direita, ou mesmo se não são seus amigos, em todo caso, todos seriam bem-vindos; não temos nada contra”, ele disse ao jornalista.

Em resposta a uma questão sobre se o Vaticano estava se deixando tornar uma plataforma para a ONU promover a sua própria agenda, o Bispo Sanchez disse que a idéia do encontro e a sua organização vieram da Academia Pontifícia, com o apoio adicional da rede de desenvolvimento da ONU.

A ONU não é o demônio. Aliás, bem pelo contrário,” declarou.

O Beato Papa Paulo VI, o primeiro papa a visitar as Nações Unidas, disse à Assembléia Geral em 1965 que a organização mundial representava o caminho obrigatório da civilização moderna e da paz mundial, o Bispo Sanchez afirmou. Papas sucessivos mostraram o mesmo tipo de apoio, inclusive com suas visitas à ONU, ele disse.

“Portanto, eu não vejo como poderia haver qualquer problema” em colaborar com a ONU, especialmente porque a Academia já trabalhou com muitas outras organizações e líderes mundiais, afirmou.

Ver o demônio nas Nações Unidas, o que alguns da direita tendem a fazer, não é a posição da Santa Sé”, disse.

Tags:

27 Comentários to “Bispo: Vaticano é livre para trabalhar com qualquer um, a ONU não é o demônio.”

  1. Similis simili gaudet,(traduçao livre) Lé com Lé, Cré com Cré

  2. De fato, a ONU não é o demônio. É só uma serva fiel dele.

  3. “Ver o Demónio nas Nações Unidas, o que alguns da direita tendem a fazer, não é a posição da Santa Sé” eis o problema da Santa Sé já não sabe discernir o bom do mau.O diabo já se ri destes falsos ingénuos que tentam entregar a Igreja de Cristo a Satanás, a troco de notoriedade e poder temporal, com suas acções levam muitas almas para o inferno, são lobos vestidos de cordeiros.
    O Vaticano promove como conselheiros científicos da academia de ciências do Vaticano, ateístas e pro-controlo populacional *. Comem e bebem com o Diabo e já não o reconhecem, dilaceram as ovelhas que têm à guarda e ainda se riem de Deus.“…ai da terra e do mar, pois o diabo desceu até vós, cheio de grande cólera, sabendo que pouco tempo lhe resta” (Ap 12.12).” Estamos a viver estes tempos, o Diabo está entre nós com um poder sobre os elementos da Igreja como nunca teve.
    *http://www.churchmilitant.com/news/article/breaking-schellnhuber-appointed-to-pontifical-academy-of-sciences

  4. Jesus disse que as portas do inferno não prevaleceram sobre a igreja.

    Rezemos por nós mesmo e pelo nosso clero.

  5. Quem der uma olhada no Curriculum acadêmico do senhor Sanchez verá que desinformado ele não é.

    https://it.wikipedia.org/wiki/Marcelo_S%C3%A1nchez_Sorondo

    Aliás, esse foi precisamente o problema dos peritos do assim chamado Concílio Vaticano Dois. Quem leu Congar, De Lubac, von Balthasar sabe que todos eram homens de alta erudição, embora péssimos doutrinalmente. Foram justamente as Ordens outrora mais intelectuais – os Dominicanos e os Jesuítas – que, no pós “Concílio”, mais descambaram para o esquerdismo e a apostasia ampla, geral e irrestrita.

    O problema dessa gente não é, em boa parte dos casos, desconhecer a verdade; é desprezá-la e negá-la por conta de seu “projeto de Igreja”. De resto, alguém se lembra daquela fábula do Esopo, em que um sujeito tomou uma serpente que estava com frio e pôs sobre o peito para aquecê-la…? Quando a serpente melhorou, picou o benfeitor. A verdadeira Igreja do verdadeiro Deus nunca fez trato algum com o inimigo e jamais o fará.

  6. Isto não é ingenuidade, é safadeza.

  7. a ONU nao é o demônio: é bem ao contrário: o demônio é a ONU….

  8. … “A ONU não é o demônio. Aliás, bem pelo contrário,” declarou…
    Cãocordo!
    A ONU foi um exemplo maravilhoso de apoio à Igreja, então no tempo do emérito Bento XVI apenas queriam leva-lo e a Igreja para serem julgados e condenados por ela, mas nessa hora a ONU se omitiu, lembram?
    Dr. Aborto ou Jeffrey Sachs? Magistral promotor do evento!
    Ah, Fernando Haddad, Eduardo Paes como convidados – estarão em ótima companhia – lamentando-se que deixassem de fora o Gal Pedro Stédile, comandante das milícias vermelhas no Brasil, L Boff, e até mesmo o Pe Luís Espinal se estivesse vivo – o obreiro da cruz martelo e foice que não ofendeu a Jesus e nem ao papa Francisco na visão do Vaticano!
    Ah, ia me esquecendo: Fidel e/ou Raúl Castro que lutam há mais de 50 anos para acabarem com os regimes escravagistas, ficarão de fora, libertários como são? Detalhe: não comentem com os médicos cubanos aqui!
    Antecipadamente, D Sanchez Strondo, oops, Sorondo,
    A mídia globalista afetuosamente agradece pela campanha em prol dos direitos dos manos!

  9. Duvido que o ilustre senhor acredite que exista o Demônio.

  10. Como diz madre Neves de garabandal haveria alguns acontecimento ,depois lendo comentario do padre Amorth, e observando algumas profecias da internet após o sinodo da familia ou melhor após outubro a tendencia é piorar para igreja.

  11. Insisto. Francisco tem razão. A Igreja Católica cada vez mais se torna uma ONG voltada à procura das soluções seculares, e cada vez mais se distancia da sua real razão de ser, ou seja, a ação espiritual.

    • Perfeito. Quando falou de a Igreja transformar-se em uma ONG, Bergoglio estava apenas anunciando o plano que as Lojas lhe haviam encomendado (e pago).

      – Mas é o Papa a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a a . …..! Estrebucham e se contorcem languidamente as carreiristas conservadoras.

  12. O ódio devotado à Igreja Católica pela ONU é total por não se cansar de defender o aborto como se fosse um direito, além de acobertar a perseguição que sofre os cristãos no mundo; se sucedesse 1 milésimo do que os muçulmanos perpetram contra os cristãos, a ONU estaria chamando a Igreja de genocida, bem à la marxi Jean Wyllys.
    Sabemos que existem grupos sedizentes católicos que aprovam o aborto: a famosa organização Catholics for Choice (CFC), com braços dela aqui no Brasil, luta também para que o Vaticano saia da ONU pois veta qualquer programa que apoie o aborto, como um “direito” universal; pode-se assassinar, como fazem impiedosamente os partidos comunistas.
    O que se sabe é: quem defender a adoção do aborto, equivalente a adesão aos comunistas, máxime um bispo, mesmo sacerdote, o escãndalo dado aos cristãos incautos é infindo, agregando-se à ideologia marxista, que lhe renderá automaticamente exclusão da Igreja, sem necessitar de bula papal!
    Vae vobis, sicariis!

  13. Piada um negócio desse hein, um cego guiando cegos literalmente. Suspeito que um sujeito desses não deve mais nem acreditar em Deus, quanto mais no diabo! Aliás as tais Academias hj em dia só servem p/ arrancar a fé das pessoas, quem sabe a Academia Pontifícia já não é uma dessas?

  14. ONU = Republica Universal = Reino do Anticristo.

  15. Claro!! A ONU não é o demônio, ela diz que quer a paz mundial, olhem só que linda que ela é! Assim como a “teologia” da libertação também não é o demônio, ela quer o bem dos pobres!

    Essa é a lógica do senhor bispo: olhar as coisas pelo rótulo ao invés de ler a bula, como ensina o Pe. Paulo Ricardo. Ou ele é inocente demais ou perverso demais.

  16. A ONU, enquanto instituição, é neutra. É um organização fundada após duas guerras que quase aniquilaram diversos países, e, querendo ou não, está fundada em regras e preceitos que vieram ao mundo por meio de Nosso Senhor e que foram mais especificados por São Tomás de Aquino. Portanto, é preciso cautela antes de apedrejar a ONU enquanto instituição, e quem o faz está com uma visão um pouco truncada. Não há como negar que o Conselho de Segurança da ONU é indispensável no mundo atual, e igualmente o Tribunal Penal Internacional é algo fundamental para intimidar tentações de massacres e genocídios por parte de políticos por aí (embora na prática seja lento e quase ineficaz). Os pilantras que queriam acusar Bento XVI não encontraram nenhum respaldo dentro do TPI, e ficou notório que queriam apenas visibilidade midiática – caso, por um absurdo, Bento XVI chegasse a ser oficialmente acusado, jamais seria condenado pelo Tribunal, pois é gritante que ele nunca cometeu crime algum.
    O que há, isso sim, são setores da ONU, órgãos dentro da ONU, que estão ocupados por gente péssima, que promovem POLÍTICAS completamente anticatólicas, perversas,e que como tal devem ser ferrenhamente combatidas. Mas isso é como ocorre, por exemplo, aqui no Brasil, quando o Ministério da Educação tenta lançar cartilhas promíscuas nas escolas: combate-se essa política, combate-se o ministro que a comanda, mas não é por isso que a instituição ‘Poder Executivo’, ou ‘Presidência’, ou até mesmo ‘República’ – da qual o Ministério é um órgão – devam ser varridos do mapa. Mais inteligente seria se católicos visassem assumir cargos na ONU – como os protestantes fazem em cargos eletivos – ao invés de ficar considerando-a como obra do inferno. Mais uma vez relembrando: as REGRAS que fundamentam a ONU são neutras, o que pode ser prejudicial ou não são as POLÍTICAS ali adotadas. E para resolver isso, nada melhor que atuação igualmente política, de preferência lá dentro.

    • ONU – sede do anticristo. Do liberalismo. O demonio “ri” dos seus aceclas. Sejam os liberais de direita ou de esquerda. O demonio ousou pensar ser igual a Deus: ” Quem como Deus?” – disse São Miguel.

      Como mentiroso, o demonio engana: liberdade é o igualitarismo – seja ele de esquerda ou de direita. E dá nome a isso: “fraternos”. Mentira! Não passam de escravos dele.

      O demonio foi primeiro igualitarista, segue, foi o primeiro comunista. Fundador da maçonaria. O deus imparcial, acima do bem e do mal. O pobre derrotado – não tem nada, com pode dar alguma coisa? O injustiçado, segundo a maçonaria.

      O governo imparcial – neutro -; lava-mãos, outra lei do liberalismo, tem o escopo de derrotar, se fosse possível, a Igreja de Deus.

      A ONU quer ser como a Igreja? Quem como a Igreja Católica Apostolica e Romana.

      Existem lojas maçonicas no Vaticano? Sim. Faz parte do combate.

      Haverá ainda muita luta. Os sofrimentos morais de agora, vão às dores físicas ao seu tempo.

      Nossa Senhora vai pisar essa sede satânica. Com protestantes e todos os membros dela.

    • Geraldo, a única instituição supranacional justa é a Igreja, fundada por Jesus Cristo. O Papa é quem tem autoridade moral para julgar os líderes temporais das nações, dirimir conflitos e velar pela paz mundial. Foi assim na Idade Média, e essa ordem internacional foi destruída com a reforma, mas mesmo assim até bastante recentemente houve alguns poucos exemplos do Papa como instância superior para resolver conflitos entre países cristãos, como a delimitação de fronteiras no canal de Beagle entre Argentina e Chile no final dos anos 1970, que impediu uma iminente guerra entre ambas nações. Tentar substituí-la por uma instituição meramente mundana e humana não é uma solução aceitável para um cristão, ao contrário, é uma instituição que prepara para a vinda do Anticristo e seu governo mundial.

    • “A ONU, enquanto instituição, é neutra” não seria melhor dizer a ONU enquanto instituição pretende mostrar que é neutra? É como os sacanas, aldrabões e outros que mentem com todos os dentes para chegarem a um fim não se importando com os meios. Desde quando é que alguém que pretende roubar se confessa que é ladrão? O mesmo se aplica à ONU com a sua fachada de democracia e neutralidade não faz mais do atirar areia aos olhos de gente mais ou menos ingénua.”…está fundada em regras e preceitos que vieram ao mundo por meio de Nosso Senhor” será que é assim !! se estivesse fundada não actuaria com actua, não seria melhor dizer novamente diz-se fundada “..em regras e preceitos que vieram ao mundo por meio de Nosso Senhor”. Existe uma grande diferença entre o ser e o parecer, a ONU quer parecer é de bem, mas actua de forma contrária.
      Veja-se a perseguição dos Cristãos no médio oriente , onde está a neutralidade da ONU?Será que os direitos humanos não se aplicam aos Cristãos? A passividade a ONU, não pode ser vista como um incapacidade de actuar, mas sim como uma atitude consciente em contribuir para a eliminação do cristianismo da face da terra e implementar a chamada religião mundial.

  17. Pobre ‘sorondoz” Esperar o que? De onde vem? A mesma patota!

  18. Meu prezado Senhor Robson, congratulo-me com vossas palavras! São muito acertadas suas opiniões a respeito da ONU e desta ala da igreja.
    Mas, conforme aquilo que estes senhores plantam,também colherão! EXISTE JUSTIÇA NO OUTO MUNDO!

  19. Oh, Geraldo das 4,15!
    V tem altos e baixo acerca da ONU, pois a direção dela é quem manda e toma as decisões.
    Ao contrario de v., se existem grupos dentro da ONU pró Igreja são silenciados e prevalecem os impostores anti igreja católica, sem contestações!
    A ONU é a Regua e Compasso junto com seus aliados ateus/comunistas/muçulmanos/protestantes e nos recorda:
    “Levantaram-se os reis da terra alinharam-se em campanha e os magistrados se coligaram em comum acordo contra o Senhor e contra seu Ungido” At 4,26,

  20. Amparo do Nascimento, eu disse ‘neutra’, não disse imparcial. As paixões humanas, por exemplo, são neutras – o uso delas é que determina se vão ser boas ou ruins (teologia tomista). Um fuzil encostado em uma parede é neutro. Diferente de ‘imparcial’, que supõe que esteja existindo um conflito e não se apoia nenhum dos lados. Da mesma forma, a ONU é neutra no sentido de que pode ser usada tanto para o bem quanto para o mal – mas não é intrinsecamente má. Que eu saiba, nenhum papa, nem mesmo ninguém com fama de santidade no último século acusou a ONU de ser eminentemente anticristã, ou mesmo tenha ligação intrínseca com o ‘anticristo’. E eu concordo SIM que a Igreja esteja acima de tudo, mas não vejo problema nenhum em existir uma organização que tente unir interesses do ponto de vista temporal – por exemplo, evitar guerras numa quebrada asiática. Acha por acaso, que na iminência de um conflito atômico entre Índia e Paquistão, eles iriam acatar a palavra de um papa? Não é muito mais fácil que exista uma organização civil com poder militar dissuasivo, e que o papa nem precise se preocupar com isso?

    • Um fuzil encostado na parede é neutro? Tanto quanto quem o pensou, projetou e construiu. E o encostou na parede para ameaçar.

      O moralismo é outra praga que não sabe que seja jusitIça e caridade. Se há uma Índia e um Pasquistão em conflito deve-se aos colaboradores da “pseudo paz do mundo”: oposição aos ensinos perenes da Sacra Doutrina, que Deus entregou a Igreja, para ensinar a todas as NAÇÕES.

      E a tal (O)nipresença da UN posiciona-se neutramente contra a Igreja. Vejamos: caso Igreja queira converter um parquitanês. Pior, se a Igreja se atrever a dizer que o hinduísmo – adoração a vários tipos de demonios – praticados por um indiano seja a causa de muitos males(efeitos ecológicos) no mundo e nele próprio.

      Compreendo bem o que o senhor está dizendo. Que ela pode ser um instrumento “neutro” e depende de quem o segura. Mas antes do neutro veio o instrumento. E o intrumento ONU – fuzil do demonio – é o resultado de uma civilização pecadora, que rejeita a Deus e Sua Igreja.

      Pois ela representa sim a neopagã e anticatolica modernidade. E tem, no seu escopo, um mal entríseco: a implatação do sincretismo absoluto(se fosse possível o mal ser absoluto).

      Mas tal como a lógica, alguém possa expressar o pensamento sem deixar dúvidas dele, e necessariamente possa está expressando a verdade? Não.

      O uso da lógica em suas mãos quer fazer-me crer que a filha de satã, ONU, não é má na sua essência. E não é mesmo. Essencialmente mal é o seu escopo.

      A Igreja é inimiga do demonio e de tudo mais que dele advenha. E deve combater o mal sempre.

      Neutralidade?!…o demonio, todo neutro, é mestre dos seus escravos.

  21. Preferência por Barrabás: o posicionamento da Igreja desde o Vaticano II. E ainda há falsos católicos que conscientemente defendem tudo isso como continuação da Santa Tradição Bimilenar. Mal sabe eles que são as piadas mais contadas no Inferno!

  22. A ONU pode não ser o demônio, mas é difícil que o próprio não se esteja a utilizar dela muito bem e há muitos anos. Só não vê quem não quer. Permito-me citar o magnífico livro Psicose Ambientalista, de autoria de Sua Alteza Imperial Dom Bertrand de Orleans e Bragança (página 89), que estou lendo atualmente, em paralelo com a Encíclica Laudato Sí:
    “Ao ser fundada a ONU, logo após a Segunda Guerra Mundial, ela aparecia
    como um organismo internacional para harmonizar as relações entre as nações
    e evitar novas guerras. Com o tempo, outras intenções foram se revelando.
    Um aparelho burocrático infiltrado pela esquerda passou a atuar com o
    objetivo de impor um governo mundial totalitário, e assim transformar
    a humanidade numa sociedade hostil e até persecutória à
    civilização cristã. A agenda ambientalista está sendo utilizada para
    o mesmo fim, em grande parte sob os auspícios da ONU. Ela começou
    anunciando a preservação da natureza para o bem da humanidade. Depois
    seguiu a marcha revolucionária até a sua explicitação na Eco-92, quando
    aparece o comunismo metamorfoseado, como a seguir se verá”.