Cardeal George Pell golpeia encíclica sobre meio ambiente do Papa Francisco.

Por The Wanderer | Tradução: FratresInUnum.com –  O responsável pelas finanças do Vaticano, Cardeal George Pell, deu um passo incomum ao criticar a revolucionária encíclica sobre o meio ambiente do Papa Francisco, argumentando que a Igreja Católica “não tem competência particular em ciência”.

Cardeal George Pell

Cardeal George Pell

Após ser trazido, há cerca de 18 meses, ao Vaticano pelo Papa Francisco e incumbido de reformar as questões financeiras da cidade-estado, o cardeal australiano deu uma entrevista ao Financial Times, golpeando o histórico documento de seu chefe.

“Ela tem muitos, muitos elementos interessantes. Há partes dela que são belas”, afirmou. “Mas a Igreja não tem competência particular em ciência… a Igreja não recebeu mandato do Senhor de se pronunciar em matérias científicas. Nós cremos na autonomia da ciência”, Pell declarou ao Financial Times na quinta-feira (16 de julho).

Na carta papal, lançada no mês passado, Francisco instou a uma ação global sobre as mudanças climáticas e criticou os líderes globais por não abordar o assunto de modo urgente, como seria necessário. Enquanto o Papa recebeu o louvor de ativistas ambientais, outros argumentaram que ele não deveria se inserir no debate político e científico.

Até agora, Pell permanecera calado sobre o conteúdo da encíclica, apesar de gozar da reputação de “negacionista” das mudanças climáticas na Austrália. Em 2011, ele bateu de frente com o então chefe do Departamento de Meteorologia da Austrália, Greg Ayers, que afirmou que Pell estava “enganado” em suas opiniões sobre mudanças climáticas.

Apesar das críticas do cardeal à abordagem sobre o meio ambiente do Papa, Pell observou que a encíclica foi “muito bem recebida” e declarou que Francisco “lançou nossas obrigações para com as gerações futuras de nossas obrigações com o meio ambiente de maneira muito bela”.

Desde a publicação do documento, o Vaticano promoveu um encontro de alto nível sobre o meio ambiente, enquanto Francisco levou sua mensagem em sua viagem pela América Latina.

13 Comentários to “Cardeal George Pell golpeia encíclica sobre meio ambiente do Papa Francisco.”

  1. Como é que é? Então o Cardeal Pell diz que a Igreja não tem competência para o campo da Ciência?

    Deveria dizer que o mundo deveria voltar ao Teocentrismo medieval, largando o renascimento onde o homem tomou o lugar de Deus e, se não bastasse agora querem colocar a natureza, a “deusa” gaia no lugar do homem.

  2. Bravo, Mr Pell!

    De fato, esse besteirol de boa parte do clero que se presta a falar de tudo, menos de Cristo e da Igreja, decorre do crônico “complexo inutilidade” de que esses senhores padecem. Sentem-se inúteis, meio-homens, e buscam o seu lugarzinho ao sol no maravilhoso (!) mundo tecnológico, cibernético e mUderno. Essa tendência vem de longe. Sempre achei estranho que até mesmo uma figura grandiosa como Pio XII se preocupasse em escolher padroeiros celestes para TV, para o aparelho de Raio-X etc. Paulo VI, se não me engano, arrumou padroeiro até para a batedeira de cozinha. Bem que Bergoglio podia se dedicar ao turismo ecológico na Patagônia, levando a Dilma, o Evo Morales, o foicefixo e um cilício.

    • Meu Caro Santiago. Qual a sua contribuição para o mundo? Para sua cidade? Para seu bairro? O que você já fez? Atravessou um cego na rua? Você é um juiz poderoso que tem uma capacidade incrível de julgar condenar e colocar no inferno quem pensa diferente de você. Isso se chama de fundamentalismo. Mas você está bem acompanhado pelo estado islâmico, os Talibãs e os comunistas que você tanto combate. Você sabia que os comunistas também são fundamentalistas? Condenam todos que pensam diferentes. Você seria um bom parceiro para o Grande Torquemada da Santa Inquisição (como vocês dizem). NOSSA COMO VOCÊ É ÁCIDO CARO IRMÃO. Será que o Papa Francisco não faz nada de bom. Nada do que ele faz presta. Por favor entre você e ele, eu fico com ele. Não sei de nada do que você já fez de bom para a sociedade. Paz e saúde.

    • Prezado Julio Campos,

      a) Vc me chama de fundamentalista – que medA! – e me põe ao lado de criminosos islâmicos. Ora, o bom senso diz que devemos estar atentos ao juízo de pessoas prudentes: o seu juízo, portanto, não me interessa o mínimo.

      b) Não sou teômano, e, portanto, não coloco ninguém no inferno. É impossível achar uma linha em que tenha dito isso.

      c) Não pude deixar de notar o seu inteligente senso histórico ao lançar Torquemada, mais de 500 anos depois de morto, no fogo róseo da sua tolerância. Como vc se mostrou lúcido e coerente ao fazer tamanha justiça às circunstâncias do passado…!

      d) Vc, Julio, parece ser apenas mais um lacaio do relativismo moral e intelectual que grassa hoje em dia, preferindo, assim, espreguiçar-se na praia do “não-sei-o-que-vim-fazer-no-mundo” a ter que assumir alguma postura que demande o mínimo de coerência e sacrifício.

      e) “As aves de mesma plumagem se encontram”: alegro-me que vc prefira a companhia de Bergoglio à minha. Decerto, não poderíamos nunca ser amigos, pois, ao que tudo indica, não amamos (e detestamos) as mesmas coisas. Ao lado de Bergolglio, dentre outras ternuras, vc poderá contemplar de perto o foicefixo ofertado por Evo Morales.

      f) Por favor, não deixe de publicar aqui a sua gorda, exemplar e extensa lista de boas ações! Vc pode escaloná-las: mundo, cidade, bairro, rua (nessa ordem, por favor). De minha parte, e sem retórica alguma, digo que sou apenas um servo mau e inútil.

      Last but not least, não se esqueça de que vc não está obrigado a ler os meus comentários. Assim, o seu banho de sol à beira mar do farisaísmo trompeteante, ou na piscina do relativismo, será menos incômodo. Outro dia, aliás, vi água de coco em caixinha vendendo na mercado. Se vc fosse menos vaidoso das suas contribuições ao planeta, posto que as cobra dos outros, talvez ela servisse para alguma ressaca moral. Mas não creio.

  3. Como sempre a midia coloca um titulo para a noticia que é o contrario do que diz o texto. Esta declaração não é nem um peteleco quanto mais um golpe.Este Cardeal é homem do FI, elogia a enciclica e prega a autonomia da ciencia em relação à Doutrina Catolica. Não consigo entender o tal golpe na Enciclica…E o foicefixo? Onde estão os Cardeais Burk e Schneider? Tudo farinha do mesmo saco.

  4. Our fathers, in all things, looked for guidance in the teaching of the Gospel and the Church; our fathers walked in full daylight. They knew what they wanted, what they repulsed, what they loved, what they hated, and because of that, they were strong in action. As for us, we walk in the dark. We have nothing definite anymore, nothing firm in mind and we are no longer aware of the goal to reach. As a consequence, we are weak and hesitant. Draw from the pure and flowing sources of Christian faith. Do not be satisfied with these middle-of-the-road doctrines. Will this impoverished, debilitated Christianity ever produce again the vigorous characters and strongly ordered temperaments of former times? No.” [Nov. 7, 1859]

    TRADUZINDO:

    Os nossos antigos padres, em todas as coisas, buscavam por orientação na doutrina do Evangelho e da Igreja; nossos padres andavam em plena luz do dia. Eles sabiam o que queriam, o que lhes repugnva, o que amavam, o que odiavam, e, em virtude disso, eles eram fortes em ação.
    Quanto a nós, nós caminhamos no escuro. Não temos mais nada de concreto ou definitivo, nada mais firme em mente e já não estamos conscientes da meta a ser alcançada. Como conseqüência, somos fracos e vacilantes. É preciso buscar nas fontes puras e constantes da fé cristã. Não se contentem com essas doutrinas de beira de estrada. Será que esta pobre e debilitada cristandade será capaz de produzir novamente os mesmos vigorosos caráteres e os temperamentos fortes e ordenados dos tempos antigos? NÃO.” [Nov. 7, 1859].

    Cardeal Pie de Poitiers

  5. Vou lhes apresentar um cardeal “Politicamante Incorreto”: o emin. Cardeal George Pell, conhecem?
    Não condescende com o modernismo e a doutrina de Jesus com ele prevalece sobre tudo o mais, dê o que der!
    Um sacerdote seu antagonista era de nome João Semeria que, antes e depois da Pascendi, condescendia com os mais renomados modernistas da época; sua obra deixava sintomas de afeição ao liberalismo à época e se esforçaria em levar à frente seus ideais relativistas.
    Conta-se que “ o papa Pio X censurou-o um dia por ter recebido tantos dons de Deus para fazer o bem, mas os empregava em escrever livros desconformes com os ensinamentos da Igreja. Semeria respondeu que tencionava pôr a religião ao alcance de todos. O Papa S Pio X então acrescentou: – “Alargais as portas para que entrem os que estão de fora, mas entretanto obrigais a sair os que estão dentro”.
    Não se amolda ao caso das prováveis concessões novidadeiras que alguns cardeais suspeitos almejam para angariarem “católicos”, como os amasiados e gays, confrontando o cardeal Pell?
    Ao inverso, o Cardeal Pell é na lista dos “politicamente incorretos” pois no recente Sínodo das Famílias muito atuou na defesa dos tradicionais principios da Igreja referentes ao indissolúvel sacramento do matrimonio!
    Outra aqui que caberia do mesmo S Pio X aos opositores do cardeal Pell:
    “Tomem severas medidas para combater a fome, a peste, a pobreza, as impurezas da atmosfera e contemple com complacência a contaminação dos espíritos”.!

  6. O problema de Laudato Si não é ter entrado em um debate político, ambiental, ou seja lá o que for. Caso necessário um papa não só tem esse direito, como tem obrigação de causar esse tal debate. O problema da encíclica é que ela não fez nenhum sentido. Segundo Francisco a Igreja está “obcecada” com o assassinato de bebês no útero e com a destruição da família tradicional, e então qual deveria o ser o novo foco dela? Ambientalismo é claro! Católicos vivem em uma sociedade cada vez mais anti-cristã e que induz cada vez mais as pessoas a perdição, dentro desse contexto deveríamos nos preocupar com os animaiszinhos? Vergonhoso. Bons tempos em que a Esposa de Cristo se preocupava em salvar almas, e não em promover agendas que não trazem benefício algum.

  7. Comecei a ler a encíclica com mais calma e ainda tenho dificuldades, mesmo ao ler o capítulo 2 sobre as Sagradas Escrituras, de vê – la como católica. E a utilização nesse capitulo da tese do herético Teilhard de Chardin, em meio a menção de outra fontes duvidosas, não ajuda nisso.

  8. “revolucionária encíclica”

    Vão vendo…

  9. Santiago R.,

    suas palavras foram bem colocadas, tanto no seu primeiro comentário quanto na sua réplica. Suas palavras aquecem a alma dos católicos que possuem a correta admiração por um Santo Elias, São Miguel e Santa Terezinha do Menino Jesus.

    Por favor, nunca se preocupe com os cegos (posso dizer isso com conhecimento de causa pois perdi uma visão e sei que a outra que também é débil um dia irá falhar). Dos cegos, deixe que a Divina Providencia cuide deles, porque se os que não são cegos tiverem que esperar pela caridade do clero de hoje irão passar fome, parar em um Gulag, ou pior, em uma loja maçônica, quanto mais aos cegos…

    Mas quando eu cego estiver, espero que a Inquisição esteja já restabelecida pelo Triunfo do Imaculado Coração de Maria e eu possa exercer minha vocação de carrasco, podendo exercer esta função mesmo que totalmente cego principalmente nos crimes de adultério, sodomia, heresia.

    • Caro Lucas,

      Sinto muito que vc tenha esses problemas de visão. Que Nossa Senhora Mãe de Deus conserve sua saúde em matéria tão delicada!

      Quanto ao combate, digo que é impossível a um católico furtar-se dele nessa hora, que é a hora das Trevas e do príncipe deste mundo. Embora sejam muitos os frontes, há uma causa central: a honra de Deus e da Igreja. E tudo isso se enfeixa e se resume na defesa intransigente do mistério da Encarnação e de todas as consequências que esta verdade inefável e maravilhosa comporta. Nosso Senhor Jesus Cristo não pode equiparado aos falsos profetas e falsos mestres que, por inspiração de lúcifer, iludiram a humanidade com seus falsos cultos e suas falsas religiões. Há uma só Religião verdadeira e um só culto com o qual o Altíssimo quer ser honrado. É contra a derrogação dessas verdades que lutamos, perseguindo o mínimo rastro, o mínimo ruído do inimigo, do debochado e do impostor. E que a gloriosa sempre Virgem Maria nos alcance a vitória prometida, ainda que nossos olhos não estejam mais abertos para este mundo. Amém.

  10. Pelo menos alguém sensato para relembrar o papel do papa perante o mundo.