Francisco em Prato: em vez de paramentos, roupas para os pobres.

Prato (Rádio Vaticano) – Um ‘pedido’ todo especial partiu do Papa Francisco à cidade italiana de Prato, conhecida como uma das capitais têxteis da Europa. Segundo a Agência AGI, o Santo Padre sugeriu que os empreendedores que queriam lhe oferecer tecidos para os paramentos, em ocasião da sua visita de 10 de novembro, na Toscana, dessem um novo rumo à gentileza dos presentes: metros de tecido para confeccionar roupas que abrigassem os pobres do frio ou camisetas para estudantes de países tropicais.

O bispo de Prato, Dom Franco Agostinelli, já anunciou que a ideia de Francisco foi acolhida com entusiasmo. Inclusive as 270 empresas chinesas associadas à CNA (Confederação Nacional do Artesanato e da Pequena e Média Empresa) aderiram à iniciativa e poderão contribuir não somente com tecidos, mas com roupas já confeccionadas.

A economia de Prato, com pouco mais de 190 mil habitantes, gira em torno da produção têxtil desde a época medieval. E é próprio na cidade industrial toscana que o Papa Francisco começará o seu encontro com a Igreja italiana, que estará reunida em Florença para o Convênio Eclesial Nacional.

O dia é 10 de novembro e, logo cedo da manhã, às 8h15 (horário italiano), o Pontífice encontrará os trabalhadores e empreendedores de Prato, na praça central. Está previsto um discurso do Santo Padre aos presentes. O bispo Agostinelli declarou que “toda a diocese está em festa pelo evento que vai marcar a nossa história: realmente Pedro visitará a nossa igreja e nos confirmará na fé”.

Logo depois, o Papa Francisco seguirá para Florença, onde encontrará os mais de 2 mil participantes do V Convênio Eclesial da Igreja italiana, entre bispos, sacerdotes, religiosos e leigos, com o pronunciamento de mais um discurso. Na agenda do Santo Padre em Florença, também consta encontro com os doentes e almoço com os pobres. Durante a tarde do mesmo dia, o Pontífice presidirá a Santa Missa no Estádio Municipal ‘Artemio Franchi’.

14 Comentários to “Francisco em Prato: em vez de paramentos, roupas para os pobres.”

  1. Atrás deste “singelo” pedido, existe uma vontade enorme de aparecer na mídia!
    Bastava ele pedir os tecidos, e reservadamente fazer a doação!
    Este papa!

  2. Sim, ele adora mostrar como é humilde, usando uma sotana roída de propósito. Isso não é humildade, obviamente, mas orgulho e desejo de glória. Mas consegue seu objetivo, já que encontra um meio que não conhece o que é a verdadeira humildade, nem entre os católicos. Quase todos os que conheço se sentem culpados pelo “luxo” da Igreja, e sempre estão falando que deveriam vender todas as obras de arte e tudo que seja de ouro para dar aos pobres, porque segundo eles isso é o que Jesus faria. Nunca se lembram quem era que propunha este tipo de coisa (Mt 26, 6-13).

  3. Em princípio, não parece grande novidade abrir mão de uma coisa em benefício de outra. Se o clero quer de paramentos, que use os que já tem. A julgar pela doutrina que ultimamente tem sido pregada, por exemplo, a promoção dos pretensos valores da sodomia e as canduras edificantes do concubinato adúltero, tanto faz a roupa que o clero use no meio da barafunda “litúrgica”. Assim pelo menos, o povo não será enganado pelas galas de belos paramentos usados por gente que escarnece do Evangelho e se julga acima de Jesus Cristo, dos Santos, do bom senso e do pudor.

    Agora, imagino que mesmo sem querer, Francisco se fez fiador do trabalho escravo feito na China, uma vez que “270 empresas chinesas associadas” irão tirar sangue de seus funcionários para continuar confeccionando roupa barata para o gordo Ocidente efeminado, molenga e balofo.

    Bergoglio tem péssimos assessores.

  4. Distribuir roupas para os pobres é algo muito louvável, sobretudo se for feito por caridade cristã. No entanto, dado o contexto, em que essa distribuição será feita, ela tem um significado a mais, que não simplesmente exercer a caridade cristã, mas o de voltar a atenção (ou o foco) da liturgia para a assistência social. Se isso, não significa um desprezo pela liturgia não é mal em si, pois pode significar uma atenção emergencial aos que padecem de pobreza. O problema é se esse tirar o foco da liturgia para colocá-lo sobre os pobres passa uma mensagem de pouco zelo ou interesse pela liturgia, como se essa merecesse menos atenção. Tanto a liturgia quanto a assistência aos pobres tem a sua importância, mas para valorizar uma não se deve desvalorizar outra.

  5. Completando o meu comentário anterior, essa notícia ao meu ver, mostra como o foco (ou a atenção) do pontificado do Papa Francisco está voltado para questões sociais, para o altruísmo e para questões humanitárias, enquanto que o pontificado de Bento XVI era um pontificado voltado para a liturgia e para a reforma do clero.

  6. Mais uma vez o Bispo de Roma vai aparacer, vai ser o neo “Francisco de Assis” do século XXI na mídia que adora bajulá-lo quando esse lê na cartilha mundana e ateísta dela…

    Com isso ele perde todo mérito da caridade que pretende fazer…

    É sabido que o Vaticano tem paramentos de sobra para ter que ganhar mais paramentos, porém, o próprio Bispo de Roma usou uma casula, e o conjunto que a acompanha, caríssima, no início de seu Bispado de Roma. Se ele é tão despojado assim, por que não usou os paramentos numerosos já existentes lá e que não são poucos…

    SANTA CONTRADIÇÃO….

    O Bispo de Roma anda longe da verdadeira humildade…

    Para nós, o necessário, para Deus e seu Culto O MELHOR e mais DIGNO…

  7. Não vi nada de altruísmo nisso. Apenas mais um passo para sair da sombra e aparecer ao sol e brilhar, coisa que esse Papa adora. Caridade não precisa de mídia, se precisa, não é caridade.

  8. É uma vergonha atrás da outra. Se ele realmente estivesse preocupado com o custo com paramentos, utilizaria os de seu antecessor, ao invés de ter encomendado aquelas casulas que mais parecem cortinas de tão feias. Bergoglio é uma provação ao bom católico, esta é a única explicação que a Providência pode nos dar. E não há nada mais presunçoso do que “ostentar” humildade. O humilíssimo Bergoglio tem um ego que não cabe em si próprio e uma queda por gestos midiáticos…

  9. Diz a Sagrada Escritura:
    “3. Tomando Maria uma libra de bálsamo de nardo puro, de grande preço, ungiu os pés de Jesus e enxugou-os com seus cabelos. A casa encheu-se do perfume do bálsamo.
    4. Mas Judas Iscariotes, um dos seus discípulos, aquele que o havia de trair, disse:
    5. Por que não se vendeu este bálsamo por trezentos denários e não se deu aos pobres?
    6. Dizia isso não porque ele se interessasse pelos pobres, mas porque era ladrão e, tendo a bolsa, furtava o que nela lançavam.
    7. Jesus disse: Deixai-a; ela guardou este perfume para o dia da minha sepultura.
    8. Pois sempre tereis convosco os pobres, mas a mim nem sempre me tereis” ((S. João 12:3-8).

    Qualquer semelhança é mera coincidência!

  10. E Judas ataca novamente!!! Pra que doar esses tecidos tão caros pra fazer paramentos para Cristo Sumo Sacerdote? “Dêem um novo rumo à gentileza desses presentes: metros de tecido para confeccionar roupas para os pobres do frio ou camisetas para estudantes de países tropicais”.
    Mas Jesus sabendo que esses impostores dizem isso não porque se interessam pelos pobres, mas o usam para fins escusos, já naquela época repreendeu:
    _Quanto aos pobres, vós sempre os tereis convosco, mas a mim vós nem sempre tereis.”
    E de fato a escassez de sacerdotes, as minguadas vocações e igrejas fechando as portas dia após dia, é um claro sinal do cumprimento dessa profecia. O povo além da pobreza material, agora sofre de uma ainda pior que é a pobreza espiritual, porque ferido o pastor, as ovelhas se dispersaram.
    Pobres sempre tereis convosco, mas Cristo? São bem poucos hoje em dia que ao menos sabem Quem é.

  11. Temos de combater pesadamente são os maiores inimigos dos pobres; os que simulam os defender: os comunistas e socialistas, uns refinados fariseus e hipócritas, isso sim!!

  12. “ao invés de ter encomendado aquelas CASULAS QUE MAIS PARECE CORTINAS DE TÃO FEIAS.” ( II )

    “O humilíssimo Bergoglio tem um ego que não cabe em si próprio e uma queda por gestos midiáticos,” (II).

  13. “O bispo de Prato, Dom Franco Agostinelli, já anunciou que a ideia de Francisco foi acolhida com entusiasmo. Inclusive as 270 empresas chinesas associadas à CNA (Confederação Nacional do Artesanato e da Pequena e Média Empresa) aderiram à iniciativa e poderão contribuir não somente com tecidos, mas com roupas já confeccionadas.”

    Interessante. Boa hora pros bispos de Roma e Prato dizerem quando haverá liberdade de atuação para os bispos chineses. Me refiro aos bispos católicos, não aos nomeados pela Associação Patriótica estatal.

  14. “3. Jesus se achava em Betânia, em casa de Simão, o leproso. Quando ele se pôs à mesa, entrou uma mulher trazendo um vaso de alabastro cheio de um perfume de nardo puro, de grande preço, e, quebrando o vaso, derramou-lho sobre a cabeça.
    4. Alguns, porém, ficaram indignados e disseram entre si: Por que este desperdício de bálsamo?
    5. Poder-se-ia tê-lo vendido por mais de trezentos denários, e os dar aos pobres. E irritavam-se contra ela.
    6. Mas Jesus disse-lhes: Deixai-a. Por que a molestais? Ela me fez uma boa obra.
    7. Vós sempre tendes convosco os pobres e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem; mas a mim não me tendes sempre. (São Marcos, 14)”

    Francisco certamente estivesse entre aqueles que ficariam indignados pelo desperdício de balsamo…

    “9. Em verdade vos digo: onde quer que for pregado em todo o mundo o Evangelho, será contado para sua memória o que ela fez. (São Marcos, 14)”