Foto da semana.

Dom Bertrand em BSB

Brasília, 31 de maio de 2015: Missa Pontifical Solene com administração do Sacramento da Crisma por Sua Excelência Reverendíssima Dom José Aparecido Gonçalves de Almeida, bispo auxiliar de Brasília, na capela Nossa Senhora das Dores, do Instituto do Bom Pastor em Brasília, DF.

Na imagem, o senhor bispo, circundado pelos sacerdotes do IBP, padres Renato Coelho e Daniel Pinheiro, cumprimenta Sua Alteza Imperial e Real Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil.

Ecce quam bonum et quam jucundum habitare fratres in unum: que a civilidade, o respeito e a caridade cristã possam prevalecer sempre entre aqueles que, apesar das divergências, combatem o bom combate da maior glória de Deus e da salvação das almas.

Tags:

17 Comentários to “Foto da semana.”

  1. Bom exemplo para ser divulgado: D. Bertrand (IPCO/TFP), D. Aparecido (ligado à Opus Dei) e Padres Renato e Daniel do IBP (leia-se, aqui no Brasil, Montfort).

  2. Pobre Chenta: os padres do IBP podem até confraternizar com gente do IPCO!

    • Claro que podem, Alexandre. Eles até chamam o De Mattei para dar palestras no seminário onde estudam diversas vocações da Montfort.

  3. Será que o Zucchi autorizou o Pe. Renato sorrir para Dom Bertrand dessa forma?

  4. Um príncipe verdadeiramente católico e um bispo portando-se verdadeiramente como sucessor dos apóstolos. Coisa muito rara na Era pós-conciliar.

  5. “civilidade, o respeito e a caridade cristã” (artigo acima) por parte de pessoal da Montfort… utopia pura… Ainda mais com o pessoal da TFP/IPCO. Tirem isto da cabeça,
    Marcel não consegui ver o sorriso do tal Pe. Renato, indique-me, por favor.

  6. Missa, Bispo, Príncipe: tudo o que a Revolução e seus esgotos mais odeiam, e da Revolução é preciso o mais completo afastamento. Não há conversa.

    A mínima concessão é traição; aos traidores, Dante assinalou, na Comédia, o mais profundo de todos os infernos.

  7. Dom Bertrand de Orleans e Bragança, Príncipe Imperial do Brasil, é um exemplo de homem público, honesto, de caráter e católico praticante.

    Com a implantação maçônica da República no Brasil, como nossos líderes decaíram em honestidade, caráter e sobriedade. Cito como exemplo o governo LULA-DILMA.
    Dia 15 de novembro, data da proclamação da República no Brasil, é uma data fria, simbólica, triste e polêmica (devido ao golpe que aboliu a Monarquia no país).

    Como há santos na família imperial do Brasil: Princesa Isabel, que aboliu a escravidão no Brasil com a famosa Lei Áurea (Lei Imperial n.º 3.353). Veja que interessante: essa lei foi sancionada em 13 de maio de 1888. No dia 13 de maio comemoramos as Aparições de Fátima.

    • A maçonaria já existia no Brasil muito tempo antes da república. D Pedro I era iniciado maçom, e foi alçado a grão-mestre (e depois a suprimiu de fachada). D Pedro II pouco fez para combatê-la. Até levou um pito por parte de SS Papa Pio IX.

      Dom Bertrand é realmente um homem admirável, mas tem essas coisas aí…

    • Roger, Dom Bertrand considera que o golpe republicano foi um castigo de Deus por Dom Pedro I ter servido a maçonaria…

  8. Prezados amigos, salve Maria.

    Apesar das…”divergências?”.

    Abraços a todos,

    Sandro de Pontes

  9. Fala Alberto Zucchi! Diga lá… O bispo cometeu pecado mortal em sorrir para um “escravo”? E os sacerdotes do IBP? Devem ficar quanto tempo afastados da Ordem por ter “tolerado” a presença dos “zumbis”?

  10. Dom José Aparecido é um presente para a Arquidiocese de Brasília.

  11. Bela foto. Enquanto os que defendem a tradição continuarem brigando e arrumando intrigas, as riquezas da Igreja continuarão escondidas e (infelizmente) mal vistas. Não há nenhuma comunidade, instituto, associação ou movimento que não tenha suas imperfeições, mas não devemos lutar por eles e sim pela Igreja.

  12. Concordo com o Tam. Todos deveríamos fazer um exame de consciência sobre o porquê de estarmos dividindo a Tradição dessa forma.

  13. Higor Robetti,

    O Prof. Plínio Correa de Oliveira, pelo que sei, é quem disse que a República foi um castigo pela perseguição feita a D. Vital no Reinado de D. Pedro II. Assim aprendi de seus súditos mais próximos. Detalhe que a Princesa Isabel deu proteção a D. Vital.

    Roger,

    D. Bertrand publicamente segue o Prof. Plínio Correa de Oliveira cujo ensaio Revolução e Contra- Revolução trata a maçonaria como seita mestra na destruição da Civilização Cristã e o Concilio Vaticano II a maior castastrofe para Igreja Católica.

  14. Qual é o problema deste bispo sorrir assim para o príncipe? Para mim é uma questão de diplomacia. Esse tal de Zuchi que não sabe o que é pecado mortal. Já pensou se ele saísse sem falar com o príncipe?