Superior da “Opus Cordis Mariae” responde a bispo de Limeira.

BRASÍLIA, 01 DE AGOSTO DE 2015.

A V. EX.MA REV.MA, DOM VILSON DIAS DE OLIVEIRA, BISPO DIOCESANO DE LIMEIRA, SP.

Estando passando breves dias na casa de meus pais em Brasília, chegou a meu conhecimento um comunicado que vossa excelência teria feito a vosso clero e ao povo de vossa diocese prevenido-os contra nossa fraternidade, a OPUS CORDIS MARIAE, bem como desqualificando o reverendíssimo Pe. Rodrigo Maria. A bem da verdade e da justiça venho esclarecer a vossa excelência e quem se interessar o quanto se segue:

01- A Fraternidade OPUS CORDIS MARIAE é uma Associação Privada de Fiéis. Tendo nascido na Igreja, com a devida orientação e aprovação do bispo diocesano de Ciudad del Este;

02- Os Estatutos, modo de vida e orações foram aprovados formalmente em 25 de Março de 2015 pelo ordinário do Vicariato Apostólico de Mitú, Colômbia, onde a OPUS CORDIS MARIAE possui duas casas de missão nas quais residem os superiores Gerais das comunidades masculina e feminina;

03- A fundação da OPUS CORDIS MARIAE foi feita por um grupo de irmãos e irmãs com a orientação do bispo diocesano;

04- O rev. Pe. Rodrigo Maria não é fundador nem co-fundador da OPUS CORDIS MARIAE, não possui nenhum vínculo jurídico com a mesma e reside em uma diocese onde não está presente nenhuma casa e nenhum membro de nossa fraternidade;

05- NUNCA , POR NENHUM MOMENTO, estivemos separados da Santa Igreja ou em desobediência com a mesma;

06- Nossos irmãos sacerdotes foram ordenados na Colômbia e aí devidamente incardinados, possuindo pleno uso de ordens e em nada sendo impedidos;

07- NÃO somos ”tradicionalistas”, embora tenhamos grande apreço e zelo pela tradição, pois somos católicos. Celebramos a Santa Missa tanto na forma ordinária como na forma extraordinária do rito latino. Aceitamos o Concílio Vaticano II e estamos debaixo da autoridade de nosso bispo que possui perfeita comunhão com o Santo Padre o Papa;

08- EM NENHUM MOMENTO nossos irmãos celebraram ou tentaram celebrar na diocese de Limeira;

09- NENHUMA pessoa ou família residente em vossa diocese doou bens móveis ou imóveis à nossa Fraternidade e NUNCA tivemos a intenção ou pretensão de atuar ou nos estabelecer em vossa diocese;

Permita-nos manifestar a nossa estranheza e triste surpresa ao recebermos um comunicado de tal teor, vindo de uma autoridade tão eminente. Como foi demostrado o vosso comunicado não corresponde em nada à realidade dos fatos e poderá acabar sendo utilizado como um perigoso instrumento para caluniar e difamar, razão pela qual peço a vossa excelência que da mesma forma que tornou público esse comunicado equivocado a nosso respeito, envie também esse esclarecimento a tantos quantos receberam o primeiro.

Desejando que a normalidade se restabeleça da melhor forma e que possamos celebrar em verdade a Santíssima Eucaristia unidos na mesma fé católica, nos despedimos.

Nos corações de Jesus e Maria,

Ir. Bernardo do Coração Eucarístico de Jesus
Superior Geral da OPUS CORDIS MARIAE

* * *

A seguir, vídeos que apresentam a Opus Cordis Mariae:

8 Comentários to “Superior da “Opus Cordis Mariae” responde a bispo de Limeira.”

  1. Esse bispo é um problema: desde quando um fiel tem que pedir permissão para Evangelizar? Existe um estado de necessidade que obriga aos fieis e religiosos a não obedecer no erro!
    Almas tem que ser salvas! E a ordem de Cristo: “Ide e Evangelizai”, permenece!
    Não é qualquer um “bispo” que vai calar as “pedras”, e muito menos jovens que buscam obedecer ao Cisto, só a Ele dentro dos Dogmas Catolicos!
    Que o Reino de Maria venha até nós!

  2. Há muita generosidade e seriedade nessas novas comunidades. Elas são uma prego no chinelinho havaiana (ou no sapatinho de verniz) de muitas Ordens e Congregações antigas que estão às moscas e/ou tornaram-se, muitíssimas delas, covis de vagabundos, oportunistas e tarados. As novas comunidades restauram a beleza da vida religiosa. Falta-lhes, porém, muitas vezes, a devida orientação. Eliseu precisa do manto de Elias, isto é, precisa da tradição. Pois a tradição não se resume a um conjunto de normas a serem aprendidas apenas por boa vontade e investigação pessoal. A tradição, como o nome diz, é algo que é entregue. É preciso encontrar quem a tenha recebido e a entregue às novas gerações. É claro que satanás está muito empenhado em dificultar as coisas.

  3. Santiago,
    Admirável comentário.
    E acabei de integrar o “manto de Elias” no meu dicionário de termos da Tradição.
    Com humildade, determinação e profunda adesão à Verdade Eterna os pequenos de Deus vão caminhando.

  4. nossa, fiquei triste ao saber do ocorrido, era um dos poucos que ainda eram verdadeiros Sacerdotes de Cristo, pois a maioria esqueceu o que e ser um, levava a todos os cantos a divulgação da escravidão a nossa senhora, satanás não deixaria isso barato, logo iria persegui-lo. Rezemos por ele, Padre Rodrido Maria.

  5. É de espantar que até mesmo aqueles que aceitam o Vaticano II e que são apenas um pouquinho conservadores são perseguidos:

    07- NÃO somos ”tradicionalistas”, embora tenhamos grande apreço e zelo pela tradição, pois somos católicos. Celebramos a Santa Missa tanto na forma ordinária como na forma extraordinária do rito latino. Aceitamos o Concílio Vaticano II e estamos debaixo da autoridade de nosso bispo que possui perfeita comunhão com o Santo Padre o Papa;

    Salvai-nos, Senhor, porque perecemos.

  6. Como a Igreja e os pastores estão desorientados, MEU DEUS!

    Como é atual a passagem bíblica abaixo:
    “Ao ver as multidões, Jesus sentiu grande compaixão pelas pessoas, pois que estavam aflitas e desamparadas como ovelhas que não têm pastor” (Mateus 9, 36)

  7. Robson-DF tem toda a razão. Essa estória de “beijinhos e abraços” é uma praga muito difundida nos ambientes católicos. Entre religiosos é algo inaceitável. Há várias maneiras de demonstrar estima, e uma delas é a formalidade. É preciso também restaurar a beleza da formalidade. A formalidade nos faz lembrar que não somos quadrúpedes.