Os jesuítas protegidos por Nossa Senhora de Fátima em Hiroshima.

Por Myra Adams – Junto ao meu pai, minha autoridade sobre todas as coisas católicas, está meu sogro, um “funcionário público” já aposentado. Ele possui um conhecimento enciclopédico de física, história, política e religião com um interesse especial posto nos milagres bíblicos e nas manifestações sobrenaturais em geral.

Santa Missa na Catedral devastada de Hiroshima.

Santa Missa na Catedral devastada de Hiroshima.

Recentemente, meu marido e eu assistimos a um documentário interessante sobre a produção da bomba atômica, conhecido como “Projeto Manhattan”. Ambos concordamos que meu sogro também deveria desfrutar do programa e da próxima vez que ele viesse à nossa casa iríamos reproduzi-lo para ele.

Então chegou o dia!

Depois que ele assistiu, perguntei ao meu sogro, se ele tinha gostado do documentário. Ele disse que sim, mas que já conhecia muito da história. (É claro!)

Expressou desapontamento pelo fato de o documentário não mencionar o acontecido com um grupo de padres jesuítas que sobreviveram à explosão da bomba de Hiroshima, no marco zero, sem quaisquer lesões graves.

Eu disse a ele que esse “descuido” não era surpreendente, pois era, afinal, um documentário do “History Channel”. Mas eu ainda duvidava da veracidade deste acontecimento milagroso de Hiroshima.

Como meu sogro afirmou que para ele foi sem dúvida um autêntico milagre, acessei o Google e digitei “padres jesuítas sobreviveram Hiroshima”. Para minha surpresa, imediatamente apareceram inúmeros links para esta história, surpreendentemente veraz, entretanto agora quase perdida nas “poeiras do tempo”.

Aqui estão os fatos básicos desse acontecimento histórico.

Em Hiroshima, um grupo de oito padres jesuítas viviam em um presbitério, perto da igreja paroquial a menos de um quilômetro de distância de onde a primeira bomba atômica caiu e espalhou devastação e morte ao redor. Essa explosão matou instantaneamente 80.000 pessoas, chegando depois a um total aproximado de 140.000 pessoas. Mais de dois terços dos edifícios foram destruidos.

O edifício dos oito padres situava-se em cheio na área da destruição, que atingiu quilômetros de distância, mas nem as cinzas os atingiram. Apenas algumas partes do edifício sofreram danos. Muitas outras partes permaneceram de pé. Eles sairam ”praticamente ilesos dos efeitos da bomba”. Nenhum deles sofreu efeitos da radiação ou lesões graves com a explosão da bomba.

É verdade que um pequeno número de outras pessoas que se encontravam na área da explosão sobreviveram. Mas todos seriamente atingidos e a maioria, pelo menos, faleceu logo depois de doenças decorrentes da irradiação.

O que é verdadeiramente milagroso, ainda mais, é que os efeitos da irradiação não afetou nenhum dos jesuítas, nem naquele momento ou décadas mais tarde.

Por que esses oito sacerdotes foram poupados, estando numa área de morte e destruição total?

Em 1976 os oito padres jesuítas ainda viviam. Um deles, um alemão chamado Padre Hubert Schiffer, deu, em nome de todos, esta resposta:“Nós sobrevivemos porque estávamos vivendo a mensagem de Fátima: rezávamos o Rosário diariamente, naquela casa”.

Qual é a mensagem de Fátima? Pergunta-se então.

A resposta encontrei num artigo do Catholic Herald, de 2010, que dá muitos detalhes sobre este assunto.

A essência da conversão pedida por Nossa Senhora em Fátima está nas preocupações com os pecados da humanidade e a solicitação de  retorno a Deus, que envolve a reparação pelos próprios pecados e pelos pecados dos outros, bem como o oferecimento dos próprios sofrimentos e provações diárias.

Não é o caso de aprofundarmos em aspectos muito complicados da Teologia e nem nos pormenores do artigo do Catholic Herald à procura de explicações teológicas do porque os oito padres sobreviveram milagrosamente e ainda viveram até idade avançada. Entretanto, aqui está uma versão, resumidamente.

1)  6 de agosto − dia em que a bomba caiu sobre Hiroshima −, é também o dia em que a Igreja Católica celebra anualmente a Festa da Transfiguração. O Novo Testamento conta que Jesus subiu a um monte alto e foi “transfigurado” diante de seus apóstolos São Pedro, São Tiago e São João. No Evangelho de São Mateus (17:02) lê-se: “seu rosto resplandecia como o sol, e suas vestes tornaram-se brancas como a luz”.

(Observação: semelhante ao que os moradores de Hiroshima teriam visto segundos após a bomba ser lançada.)

 2) Agora, vejamos o milagre de Fátima, em Portugal, em1917,  conhecido como o “Milagre do sol”. A Virgem Maria apareceu a três crianças em seis ocasiões diferentes e deu-lhes mensagens proféticas. Para, em seguida, confirmar que suas mensagens eram de Deus, na frente de 70.000 pessoas o sol pareceu girar no céu, alterar cores e começar a cair sobre a terra, mas depois estabilizou. (Segunda observação:  a explosão da bomba atômica foi tão brilhante como o sol e que “caiu por terra”!)

3 ) Finalmente, há os oito sacerdotes, que por sua própria iniciativa disseram que “sobreviveram porque estávamos vivendo a mensagem de Fátima”.

Estes padres rezavam o terço diariamente em nome de Jesus e Maria e, enquanto a explosão feita pelo homem − de alguma forma prefigurada na “luz branca e brilhante do sol” −, devastou o mundo ao seu redor no aniversário desse dia de festa, eles foram protegidos por Deus da terrível “explosão branca”, a menos de um quilômetro de distância.

Agora, não é necessário ser católico para reconhecer que algo poderoso e de natureza milagrosa impediu os oito padres e a construção em que se encontravam de ser reduzida a cinzas e os protegeu dos efeitos da radiação mortal.

A boa notícia, eu acredito, é que este “poder extraordinário” ainda está à nossa disposição hoje em dia.

Para terminar aqui vai um relato de testemunha ocular de um dos sacerdotes como consta em um documento histórico sobre Hiroshima, produzido pela Yale Law School.

“Para mim, a verdadeira moral desta história é a de nunca duvidar do meu sogro, que está com quase 90 anos de idade e com plena saúde física e mental, e reza o Rosário diariamente. Tal qual os sacerdotes sobreviveram milagrosamente em Hiroshima, também ele experimentou o que ele acredita ser os milagres divinos que pouparam sua própria vida, várias vezes, enquanto estava servindo seu país em zonas de guerra e outras circunstâncias perigosas, em todo o mundo”.

Anúncios
Tags:

10 Comentários to “Os jesuítas protegidos por Nossa Senhora de Fátima em Hiroshima.”

  1. Que a Sempre Virgem Maria nos guarde sempre, e rezemos o Santo Rosário.

    Viva Cristo Rei!!!
    Viva Nossa Senhora de Fátima !!!

  2. Portentoso milagre!
    Já estamos vivendo a Terceira Guerra Mundial, mas fragmentada (disse o papa Francisco).
    O rosário é a oração predileta dos papas e dos santos.
    Por quê não rezá-la?

  3. O que, entre tantos outros aspectos em que poderíamos destacar de Deus como um preciso matemático que tudo dispôs com “peso, medida e quantidade” (Sb XI, 21), sem entrar em detalhes exegéticos, novamente temos aqui o significativo número “oito” (08). O mesmo dos salvos na Arca (Gen VI), citados – numericamente – por São Pedro em sua encíclica (1 Pe III, 20); o paralítico Enéias curado por São Pedro depois de oito anos entrevado (At IX, 33); a ordem a Abraão de circuncidar aos oito dias de nascimento os a partir de então, eleitos de Deus (Gen XVII,12; At. VII,8), alusão ao oitavo dia de culto e da perfeição da criação; os inúmeros personagens que viveram oitocentos anos, com suas respetcivas frações (Gen. V); os oito parentes de Abraão (Gen XXII, 23); ainda, a lista de “oito” categorias de gente enumeradas em Apocalipse que “… diziam às montanhas e aos rochedos: Caí sobre nós e escondei-nos da face daquele que está sentado no trono e da ira do Cordeiro, porque chegou o Grande Dia da sua ira, e quem poderá subsistir?” (Ap VI, 17s), sem mencionar tantas outras listas que de comum possuem este mesmo número que hora surge novamente nessa matéria, pois que também a bomba que proporcionou o milagre caiu em um dia 06 de um mês “08”.

    Em tempo: Israel retornou, após quase dois mil anos, a ser Estado em 1948. Em 2018 será comemorado 70 anos desta data, que ocorrecu no ano 70 a.C.

    Como disse alguém, “Deus não joga dados”. Não, Ele nos fala como, quando e onde, só que à Sua maneira!

  4. O rosário é a oração mais poderosa que o poder de uma bomba atômica. Em breve, Satanás será preso com as singelas contas do rosário.

    Veja que interessante:
    No último livro escrito por Lúcia (vidente de Fátima) denominado: “APELOS DA MENSAGEM DE FÁTIMA” (Ir. Lúcia), ela explica o motivo de Nossa Senhora insistir na recitação dessa oração, ao invés de participar da missa ou outra prática cristã. Simplesmente, todos nós (sadios ou doentes, cegos, religiosos ou ateus, cadeirantes ou não…) podemos rezar essa oração seja nos lares, prisões, igrejas, clubes, praias, campos, sozinhos ou em comunidade… diferentemente da participação da Eucaristia.

    O santo padre o papa Bento XVI, na homilia em Fátima (13/05/2010), disse:
    – Maria escolheu (este lugar) para nos falar nos tempos modernos;
    – Iludir-se-ia quem pensasse que a missão profética de Fátima esteja concluída;
    – Possam os sete anos (2017) que nos separam do centenário das Aparições apressar o anunciado triunfo do Coração Imaculado de Maria para glória da Santíssima.

    Finalmente, quem quiser encomendar a obra “APELOS DA MENSAGEM DE FÁTIMA” (Ir. Lúcia), favor dirigir-se:
    Postulação de Francisco e Jacinta Marto (Secretariado dos pastorinhos)
    Rua de S. Pedro, 9
    Apartado 6
    2496-908 Fátima (Portugal) Tel ( 00351- 249539780)
    Site: http://www.pastorinhos.com/
    e-mail: secretariado@pastorinhos.com

    Boa leitura a todos!

  5. 1-) Se assim foi permitido pela Providencia que uma cidade católica fosse destruída devido a um castigo anunciado, o que dizer do castigo próximo em que nações inteiras desaparecerão?

    2-) A respeito da Mensagem de Fátima, da qual a verdadeira irmã Lúcia afirmou ao Pe. Fuentes que Nossa Senhora estava muito triste por ninguém fazer caso da Sua Mensagem, nem os bons nem os maus, o que não permitirá a Providencia para nos castigar pelo pecado imenso dos católicos que aceitam a falsificação do terceiro segredo de Fátima. ( http://escritosdesaomaximilianomariakolbe.blogspot.com.br/2015/05/a-falsa-irma-lucia-e-o-falso-terceiro.html )

  6. Muito bonita esta história!

  7. Interessante relato que o Frates nos oferece. Eu desconhecia esse evento milagroso por graças de Nossa Senhora de Fátima. Provavelmente devem existir outros que foram poucos divulgados, principalmente em solo europeu durante esse duro conflito.

  8. Incrível essa história.

  9. A propósito, recordo-me de que o Pe. Malachi Martin, SJ, em seu livro “Os jesuítas e a traição à Igreja Católica”, dedica algumas páginas a esse ocorrido e, em especial, ao fato de que um dos jesuítas sobreviventes foi precisamente o Pe. Pedro Arrupe, alguns anos depois eleito Superior Geral da Companhia de Jesus – e que foi quem destruiu esta, ao substituir as antigas Constituições por uma nova regra, inspirada pelo Vaticano II…
    (Entre os apóstolos, mesmo vivendo entre milagres, um Judas ainda consegue aparecer…)

  10. Mas e se a Missa na paróquia da pessoa for uma “zona”? e se o Padre não pronuncia as palavras da Consagração como deve? e se o Padre não acredita na Presença Real de Cristo na Eucaristia? Não são situações tão raras assim, Robson. Talvez uma pessoa que viva esta situação tenha o Rosário como o último refúgio.