Porque a CNBB serve para… (III)

… fazer recenseamentos com o propósito de identificar/neutralizar os bons padres não alinhados ao establishment? Afinal, perguntar não ofende!

Abaixo, imagens de pesquisa que circula entre padres das dioceses brasileiras.

q1

q2

q3

q4

Tags:

20 Comentários to “Porque a CNBB serve para… (III)”

  1. Que os bons padres não aceitem ser fichados pela CNKGB.

  2. Meu Deus! Que nojo!

  3. Que os bons padres católicos não respondam este lixo (ou respondam tudo ao contrário)! Os bons padres não podem se deixar enganar por estas perguntas capciosas! Olha a maldade do questionário… É óbvio que será usado para perseguir os bons e premiar os maus e para medir o nível de ideologização do clero brasileiro!

  4. É Fratres, a coisa é assim tanto em nível nacional como local. Em São Paulo, a Arquidiocese criou uma tal Medalha São Paulo Apóstolo para “pessoas ou instituições que se tenham destacado por sua contribuição na vida e na missão da Igreja”: http://arquisp.org.br/noticias/divulgados-os-contemplados-com-a-medalha-sao-paulo-apostolo
    Bem, os ganhadores não precisa nem dizer que são pessoas bem alinhadas… é só olhar os ganhadores das categorias 1, 3, 4 e 7. Os outros não conheço, mas devem também ser da mesma “linha pastoral” dos demais: http://arquisp.org.br/sites/default/files/arquivos/arquidiocese/arquivos/medalha-sao-paulo-apostolo-lista-contemplados-2015.pdf
    É vergonhoso a maior diocese do Brasil se rebaixar a um papel desses. Por que não premiam os padres que se destacaram pela liturgia bem celebrada ou os padres que propagam a sã doutrina?
    Tristes tempos…

    • Nome dos contemplados…
      Dra. Luiza Erundina (comunista)
      Coro Luther King (com nome do heresiarca pai)
      Padre Lancelotti (bem, não é de se estranhar que não ganharia alguém da própria diocese)

      Mas a comissão julgadora é pequena…mas parece falta de bom senso, a não ser que a votação seja viciada (o que eu não duvido).

      A.M.D.G.

  5. Talvez esse questionário seja ainda
    pior do que se imagina.

    Há um notório risco de cisma à vista (pós-Sínodo de outubro),
    e talvez a CNBB esteja querendo calcular, mais ou menos,
    quantos estarão ao lado deles.

    Assim, creio que a intenção não seja simplesmente
    procurar por “desalinhados”.
    Talvez se trate de uma verdadeira estratégia “pré-guerra”
    desses neo-fariseus.

  6. “Identidade afetivo-sexual”.

    Que falta de formalidade, de bom senso, de decoro! Que falta daquelas coisas que distinguem a Igreja católica de um botequim, e os humanos, dos animais bípedes (vg, os avestruzes), quadrúpedes (vg, os porcos) e rastejantes: “raça de víboras, quem vos ensinou a fugir da ira que está por vir?”

  7. É triste ler estas coisas. Vja não sinto mais vontade de assistir à Santa Missa. Sou catóilico de rito oriental (Igreja Melquita), resido em Osasco e a Igreja Católica oriental mais próxima fica em São Paulo..muitas não tenho ir assitir a Divina Liturgia em São Paulo, sendo assim assisto à Santa Missa em Osasco!! Triste e lamentável. Há um sacerdote (Padre José Eduardo doutor em teologia moral que possui vários vídeos na internet em que refuta a Ideologia de gênero), ele é um dos poucos que ainda celebra os dignos mistérios com dedicação. E os nosos bispos! Digo assistentes sociais nada fazem.

  8. Engraçado, não vi as perguntas: atende os fiéis no confessionário todos os dias?luta por uma maior sacralidade na liturgia? combate os abusos litúrgicos? obedece as normas, as regras? usa a batina?….interessante..

  9. Não entendi o propósito da pergunta n. 84.. qual o sentido de querer saber se o padre tem dúvida da sua sexualidade? No meu entendimento o sacerdote é alguém que além de receber a graça sacramental, estuda e muito e tem certa formação para aconselhar os outros, não? como seria capaz de duvidar se gosta de homem ou mulher?

    E depois, o que isso preocupa a CNBB em querer saber da afetividade dos padres? esse tipo de questionamento deveria ser feito nos seminários, antes da ordenação, concordam?

  10. Qual seria o propósito deste questionário?

  11. Gostaria de fazer uma observação aparentemente fora do contexto. Há muito tempo percebo que o visual católico é ultrapassado. Seus livros, revistas, jornais, sites, enfim tudo tem cheiro de naftalina. É o caso da capa desse questionário. O layout é tipo década de 70. Vejo umas capas de catecismo com estilização totalmente ultrapassada de uvas, cruz, etc. Tudo é muito antigo e cafona, e o auge desse gosto duvidoso é o foicefixo. Os templos pararam na arquitetura da década de 60, com saudades da Pampulha, da década de 50, como é a igreja da Rua Tutóia, em São Paulo. Desconheço no Brasil um templo com estilo pós-moderno. Desde que o Concílio Vaticano II propôs a modernidade na igreja eu percebo, inclusive no visual, que a Igreja nunca fica verdadeiramente moderna, na moda do mundo. Até a ideologia ainda é da década de 70. Parece uma sina.

    A Igreja é atemporal. Portanto, ela tem que ter um padrão próprio que a identifique. Pela própria natureza não consegue acompanhar o mundo, até porque, por ser sagrada, não pertence ao mundo.

    Os modernistas esforçam-se. Disseram que queriam abrir as janelas para arejar. Mas o ritmo das mudanças do mundo atropela a modernidade católica , e ela sempre fica ultrapassada.

    Tem gente que acha que a discussão nos meios católicos sobre casamento gay é ultrapassada. E é mesmo, porque essa pretensão é o mundo que quer impingir. Mas se o novo sínodo aceitar essa modalidade de casamento aparentemente a igreja conciliar mostrou-se moderna, mas no fundo está atrasada, porque já outros deram o “placet”, como o Poder Judiciário.

    Que tal voltarmos para a verdadeira igreja, que era atemporal, e que tinha sua própria forma de ser não a obrigando a ficar sempre passos atrás da vanguarda?

    • Pois é. Na questão dos casais em segunda união, por exemplo, os casais já estão na quinta união, e eles discutem a segunda. Já se está caminhando pra poligamia e eles ainda falam em valores da família. Já se está na pílula do dia seguinte, na fabricação de bebês por encomenda, e eles ainda discutem os anticoncepcionais. Já se está na liberalidade sexual total, com mistura e alternância de parceiros de ambos os sexos, e eles ainda tentam resgatar valores entre os casais gays, porém estáveis.
      É isso que dá perder a própria identidade. Um certo tipo de igreja (com minúscula) se pôs a correr atrás do mundo. Mas o mundo é jovem e corre mais rápido, essa igreja tenta parecer jovem mas é velha e tá de bengala. Uma velha com cara e jeito de velha sapeca que não adquiriu nenhuma sabedoria, e nem merece respeito.
      Mas os que não querem seguir o mundo e procuram a Igreja (com maiúscula) de Cristo, e encontram essa, não a esposa de Cristo, mas apenas uma mundana bastante antiquada.

    • Gostaria de poder curtir mil vezes!! Nunca li tantas verdades num único texto. A verdadeira Igreja, esposa do Cordeiro , é sólida, e guarda com firmeza tudo que ela acredita. A verdadeira Igreja não coloca em dúvida seus posicionamentos. A verdadeira Igreja zela pela salvação das almas, não pela inserção do mundo em seu meio. Salve Maria Santíssima!

  12. Me deu ânsia de vômito!!!
    Meu Deus!!!

  13. Ricardo, quando não se tem o que fazer, a não ser se meter onde não deve, como a dona cnbb tem feito há tempos, é preciso inventar alguma coisa, nem que seja um questionário esdrúxulo e patético como este…

    Enquanto nos Seminários, em sua grande maioria, os seminaristas se dedicam a Marx, a Freud, a Genésio BOFADO, a Ione BUCHADA, a H. Kung, a “frei” Beto, etc…. Melhor parar por aqui….

    Na semana passada vi uma freiroca tucunzada, de brinco, de colar, de unha pintada, na Rede Vida, dizendo que “a vida religiosa moderna não comporta mais o tipo de paradigma da vida religiosa antiga, onde havia superiores e súditos, alguém para mandar e alguém para obedecer, mas sim um novo paradigma de participação, onde o poder é compartilhado, onde todos participam de tudo”….. Rsssssss…

    Só faltou a tonta completar… CASA DA MÃE JOANA… QUANDO MUITO DE SOLTEIRONAS FRUSTRADAS E FRUSTRANTES COMO ELA…

    E pode ter certeza que do tipo dessa boboca alegre tem várias que ajudam na de- formação nos “seminários”, no mínimo dar alguma aulinha; sem falar nas casas de DE- formação delas, onde no fim de algum “retiro” há um “momento de descontração” regado a um forrozinho e cerveja, como nos tais novinter e postulinter inventados pelo tentáculo da cnbb chamado crb…

    CRUZ CREDO 1000000 VEZES…..

  14. Muito ao contrario, não estranhei em nada o questionário da direção da CNBB aos presbíteros, achando até que está dentro dos padrões que ele exerce na sociedade como uma ONG esquerdista ao lado das ideologias marxistas, além de estar tutelando seu amado PT!
    Para que se escandalizarem desnecessariamente com as perguntas, gente; não estão alinhadas com o que a CNBB professa desde sua fundação?
    Já que a CNBB exerce na sociedade um papel ideológico, sempre em defesa do socialismo, porque também não tentar conhecer melhor os sacerdotes alinhados com suas teses eco-humano-pobristas e verificar-lhes se sintonizam ou não com a recém fundada igreja da misericórdia, do acolhimento e da tolerância sem exigências de conversão?
    Quem sabe, a partir dele preparariam certas promoções ou quiçá, remoções, particularmente os alinhados com ideias de bispos “politicamente incorretos” do estilo do falecido – ou massacrado – D Rogelio Livieres e sacerdotes estilo Pe Paulo Ricardo e similares?
    Já que a coisa está assim, prestem bem atenção ao que anotarão no formulario pois poderiam até entrarem para a lista negra…

  15. Isso está cheirando – e cheirando mal – a instrumento de controle da Igreja pelo governo comunista do PT, nos moldes do que acontece na China e a sua famigerada “igreja patriótica”. Não é de estranhar a familiaridade com que delegados do governo chinês foram recebidos pelo comissário, digo, secretário geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, conforme este blog noticiou.

  16. Na verdade, este questionário busca traçar o perfil do presbítero brasileiro. Trata-se de obter alguns dados estatísticos para, talvez, ver quais são as maiores necessidades do clero brasileiro em vista da formação permanente (não só a nível intelectual, mas a nível pastoral e de formação humana) e também em vista da formação dos novos sacerdotes (verificando quais são as lacunas e os pontos mais críticos da atual formação sacerdotal).
    A verdade é que existem níveis diferentes de formação: seminários bons, seminários medianos e seminários problemáticos. Existem sacerdotes santos, bons padres, padres medianos e tipos problemáticos.Há, da parte dos bispos, uma preocupação crescente em relação à formação sacerdotal e com a formação permanente do clero. E este questionário é reflexo desta inquietação. Nada demais…

  17. Do site Fratres, recordemos o grande bispo Dom Luiz Bergonzini, um pastor de fato e verdade, e que não abria mão da ortodoxia católica, nas questões aqui abordadas de adesão às ideologias e/ou ao execrado aborto!
    “Dom Bergonzini ainda declarou ao G1: “vou mandar uma circular para os padres da diocese pedindo que eles façam o pedido na missa, para que os nossos fiéis não votem na candidata do PT e em nenhum outro candidato que defenda o aborto. Desde o Antigo Testamento, temos que é proibido matar. Uma pessoa que defende o aborto não pode ser eleita. Eu tenho obrigação de orientar meus fiéis pelo que está certo e o que está errado”, disse o bispo, a um ano de atingir 75 anos, a idade limite para apresentar sua renúncia ao Papa. É certo: a CNBB e o senhor Núncio Apostólico já estão providenciando um sucessor digno da herança dos infelizes antístites vermelhos idolatrados pela corja modernista da CNBB: Hélder Câmara, Casaldáliga, etc”.
    [Atualização: 23 de julho de 2010, às 11:06] Em entrevista ao portal Terra, Dom Luiz, questionado se a CNBB o procurara para tratar do caso, declarou: “Não ligaram e nem vão porque cada bispo é autônomo na sua diocese. A autoridade máxima aqui sou eu e meu superior é o Papa”. Sobre a candidata Marina Silva: “Marina sugeriu que houvesse plebiscito, mas que é isso? Decidir se é legal matar ou não? A criança não tem direito? São dois pesos e duas medidas? A pessoa não tem a coragem de seguir a sua consciência porque nem sempre o mais fácil é o mais certo.”
    [Atualização 2: 23 de julho de 2010, às 14:17] Em entrevista à Folha, ao ser lembrado de uma suposta recomendação da CNBB de neutralidade na campanha eleitoral, o senhor bispo declarou: “Em primeiro ligar, que recomendação é essa? A CNBB não tem autoridade nenhuma sobre os bispos. Eu segui a voz da minha consciência. Sou cristão de verdade e defendo o mandamento ‘não matarás’. Não tem esse negócio de ‘meio termo’”. Sobre possíveis represálias da CNBB ou do governo: “Sempre tem alguma coisa. Tenho recebido muitos e-mails. Não sei se são ameaças, mas contestando. Mas posso te dizer que muitos de apoio. As pessoas dizem: ‘finalmente alguém que usa calça comprida resolveu reagir’”.
    Não valeu a pena?