44 x 4 – Venceu a verdade.

Fratres in Unum entrevista Andreia Medrado, pró-vida engajada, que nos fala sobre a Ideologia de Gênero e a atuação da militância católica paulista que culminou, no último dia 25, com a eliminação dessa nefasta tese do Plano Municipal de Educação.

Primeiramente, obrigado por nos atender, professora Andreia. Poderia se apresentar brevemente a nossos leitores, falando também de sua trajetória no movimento pro-vida?

Andreia Medrado e o vereador de São Paulo Ricardo Nunes.

Andreia Medrado e o vereador de São Paulo Ricardo Nunes.

Sou católica e professora. Tenho estado mais ativamente ligada ao movimento pró-vida desde 2013, quando o PLC 03/2013 estava em tramitação. O Projeto, na prática, legalizaria o aborto até o nono mês. A partir de então fui apresentada aos estudos sobre o tema e pude ver que todas as ações relacionadas ao aborto, eutanásia, ideologia de gênero eram um pacote de estratégias para a completa instauração da cultura da morte no mundo.

Em que consiste a ideologia de gênero e como ela vem buscando se impor mundo afora, em particular no Brasil?

A ideologia de gênero consiste em uma quebra da realidade, por assim dizer. Tal ideologia promove um desprezo pela biologia do ser humano alegando que não se nasce homem ou mulher, mas que isso é construído social e culturalmente. Seu maior intento, no entanto, é a destruição total e sistemática da família. Uma vez que se extermina a identidade do ser humano e o papel do homem e da mulher, extingue-se, consequentemente, o conceito de família. Em outras palavras, a identidade de gênero é uma construção ideológica de que não há homem ou mulher mas que se é algo. É a “coisificação” do ser humano.

É uma ideologia que nasce apoiada na filosofia marxista de lutas de classes, onde a primeira opressão de uma classe por outra surge com a do sexofeminino pelo masculino. A partir dos anos 70, as feministas adotam esse discurso e passam a querer a extinção das barreiras sexuais (homens/mulheres – adultos/crianças). Só nos anos 90 que a ideóloga Judith Butler introduz o tema no âmbito político-filosófico. Ajudou a aparelhar a Organização das Nações Unidas com ongs feministas.

Quem são os grandes interessados na implantação dessa ideologia e por que tamanho empenho que, aliás, é pouquíssimo compartilhado pela sociedade civil?

Os grandes interessados na implantação dessa ideologia são as grandes fundações internacionais, especialmente a Fundação Ford, que foi a responsável principal pelo aparelhamento da ONU, durante as conferências internacionais de 94 e 95 (Cairo e Pequim). Numa estratégia de controle comportamental e governo hegemônico mundial, essas fundações gastam rios de dinheiro com reengenharia social. É uma tentativa de dominaras leis, o consenso e destruir o direito natural.

Não conformados com a eliminação da questão de gênero no Plano Nacional de Educação, seus promotores manobraram para ressuscitar essa ideologia nos planos estaduais e municipais. Como o Poder Legislativo de estados e municípios tem se posicionado?

O que temos percebido durante as visitas aos parlamentares é que muitos deles não sabiam sequer definir “gênero”, e julgavam como mais uma palavra que significasse alguma medida contra a discriminação ou mesmo um sinônimo para “sexo”. Quando explicamos, pautados em argumentos e principalmente nos próprios ideólogos de gênero, percebemos que, automaticamente, eles entendem e se posicionam contrários a tal ideologia.

Aqui em São Paulo, os vereadores entenderam bem o conceito de gênero, perceberam seu perigo e o quão nefasto e monstruoso ele é. E o resultado das votações em todo o Brasil confirma que isso não se deu só aqui; uma rápida busca nos municípios que já votaram seus Planos Municipais de Educação mostra que 98% deles rejeitaram a ideologia de gênero. Isto nos diz muito a respeito da postura de nossos parlamentares e nos diz, mais ainda, de que a Verdade é, de fato, a força que move o mundo. Bastou dizer a verdadeira intenção dessa macabra ideologia e os olhos se abriram.

Claro que tivemos alguns discordantes, mas vê-se bem a militância na causa. Três casos em específico nos chamaram à atenção: o vereador Toninho Vespoli (Psol), a vereadora Juliana Cardoso (PT) e o vereador Netinho de Paula (PCdoB). O vereador Netinho de Paula, que se diz um defensor e grande representante da periferia paulista, ignorou a voz dos diversos moradores da Zona Sul que se pronunciaram contra o gênero (moradores, inclusive, que o ajudaram a se eleger). A vereadora Juliana Cardoso e o vereador Toninho Vespoli passaram as duas votações alegando que eram católicos e católicos de uma “igreja inclusiva”, como a que é “promovida pelo Papa Francisco”. A vereadora chegou a mostrar um slide no qual o Sumo Pontífice aparecia segurando uma bandeira do orgulho lgbt (o que todos sabemos ser uma montagem). Juliana terminou seu discurso citando Zé Vicente, famoso compositor da teologia da libertação, deixando claro, portanto, a quem serve e de onde ela veio. No que depender dos católicos de verdade, esses vereadores jamais serão reeleitos.

Ontem, então, ocorreu a votação do Plano Municipal de Educação da cidade de São Paulo. Como transcorreu a votação e o embate entre os defensores da cultura da vida e os da cultura da morte? 

Por questões regimentais, alguns PLs (Projeto de Lei) requerem mais de uma votação para que haja o que eles chamam de tempo necessário para a discussão, o debate do tema. Foi o caso do PL 415/2015, o PME – Plano Municipal de Educação. Então, tivemos ontem a segunda e definitiva votação do Plano.

Pouco antes das 9h já chegavam famílias de toda a cidade. Vinham com camisetas brancas e bandeiras em favor da vida e da família. Logo chegaram também os militantes lgbt.

Até o momento da votação, as pessoas permaneceram diante do trio elétrico, enquanto se apresentavam bandas católicas, Padres, Vereadores e Deputados federais alertando o povo contra o perigo da ideologia de gênero e pela necessidade de combate à cultura da morte.

Às 15h, o presidente da Câmara Antônio Donato deu início à votação. O vereador Eliseu Gabriel havia proposto um substitutivo. Contudo, o executivo enviou seu próprio substitutivo que foi votado pelos vereadores. Alguns vereadores propuseram emendas, mas estas foram derrubadas em bloco e por 44 votos a 4, a família paulistana ficou livre da ideologia de gênero no Plano Municipal de Educação.

No fim, venceu a verdade.

Como você avalia a atuação dos membros da Igreja nessa batalha? Quem estava presente e quem deveria estar, mas se omitiu?

Militância católica em peso na votação do PME de São Paulo.

Militância católica em peso na votação do PME de São Paulo.

A Igreja volta a debelar o erro! É incrível como o clero se posicionou diante dessa ideologia alertando os fiéis, falando sobre o tema! Mais de dez bispos no Brasil inteiro se manifestaram contra a ideologia de gênero, e a partir daí, o trabalho foi o de formar as pessoas.

Tanto a Arquidiocese de São Paulo quanto a do Rio de Janeiro (entre algumas outras dioceses) têm-se mobilizado para a promoção de seminários sobre a ideologia de gênero. Esses seminários têm o propósito de formar pais, professores e catequistas sobre o tema que ainda parece um pouco confuso para algumas pessoas. E graças às dioceses e aos bispos que tão bem entenderam o perigo que correm nossas famílias, as pessoas têm buscado aprender sobre o assunto. Sem o apoio de nossos bispos, não teríamos conseguido nada disso.

Em cada votação que olharmos, veremos a presença da Igreja. Acredito que Cuiabá, Brasília e São Paulo são as que mais podemos notar isso, entretanto, basta ver o quanto os católicos principalmente têm falado sobre o assunto. Os Bispos e os Padres me lembraram Padre Antônio Vieira, nesses últimos meses: pregando a verdade e denunciando o erro! É revigorante ver isso, de novo! Relembro aqui o discurso de Dom José González Alonso, bispo diocesano de Cajazeiras, PB, que de maneira firme, denunciou a ideologia na Câmara dos vereadores em Cajazeiras.

Não me lembro já ter visto tantos movimentos da Igreja juntos como nessas votações: IPCO, Novas Comunidades, RCC, Carmelitas, Legionários, Verbo Encarnado, Aliança de Misericórdia, Opus Dei, Administração Apostólica, Padres Diocesanos, Apostolado da Oração. Foi, de fato, um novo sopro sobre a Igreja e as pessoas puderam perceber que há uma luta gigantesca a ser lutada, e só poderemos vencê-la se estivermos juntos!

Mas há algo que quero ressaltar: é importante que saibamos que os vereadores e deputados muitas vezes não saibam realmente do que se trata ou quais os perigos essas políticas ideológicas trazem. Eles só poderão nos ajudar se formos até eles. Muitas vezes, esses parlamentares só terão acesso à verdade através de nós. E para isso é preciso que estudemos, que busquemos a verdade acima de tudo. Que não tenhamos medo de perder o que temos em troca da verdade! A verdade, meus irmãos, é a força que move o mundo! Que isso não nos engrandeça, de modo algum, mas que aumente em nós a consciência de nossa responsabilidade em propagar uma cultura da vida. E só se instaura uma cultura da vida se exterminarmos, definitivamente, a cultura da morte vigente.

9 Comentários to “44 x 4 – Venceu a verdade.”

  1. Acaba de ganhar a medalha de leiga consciente de sua missão e socialmente engajada no âmbito da educação e da política em favor da vida. Amando a Deus e ao próximo. Bem formada, inteligente, um modelo.

  2. Por incrível que pareça, mas a militância católica leiga assumida, aliada de uns gatos pingados atuantes do clero – tâo poucos cujos nomes seriam quase nomeáveis, a se contarem nas redes – está conseguindo barrar planos maléficos comunistas de envergadura tal que só conferencias episcopais teriam força para mover o povo, pressionarem em contrario e obterem vitoria!
    Além de tudo, essa militância ainda encontra obstáculos da propria CNBB que lhe deveria ser compulsoriamente aliada – seria católica – ou seja, ela luta em 2 fronts diferentes: num, x os pagâos e noutra, x certos “religiosos” que seriam pagâos batizados ao lado do Dragâo Vermelho PT e de sua aliada TL – ou seja – dupla vitória!
    Lembra-nos de S Atanásio x os bispos arianos…
    Hoje x a CNBB e seus infiltrados bolivarianos…

  3. Ótima notícia! Deo Gratias.

  4. […]2. Vós compreendereis facilmente que Nos referimos a essa seita de homens que, debaixo de nomes diversos e quase bárbaros, se chamam socialistas, comunistas ou niilistas, e que, espalhados sobre toda a superfície da terra, e estreitamente ligados entre si por um pacto de iniquidade, já não procuram um abrigo nas trevas dos conciliábulos secretos, mas caminham ousadamente à luz do dia, e se esforçam por levar a cabo o desígnio, que têm formado de há muito, de destruir os alicerces da sociedade civil. É a eles, certamente, que se referem as sagradas letras quando dizem: “Eles mancham a carne, desprezam o poder e blasfemam da majestade” (Jud 8).
    3. Nada deixam intacto ou inteiro do que foi sabiamente estabelecido pelas leis divinas e humanas para a segurança e honra da vida. Enquanto censuram a obediência, devida às autoridades às quais o Apóstolo nos ensina que toda a alma deve ser sujeita e que receberam por empréstimo de Deus o direito de mandar, eles pregam a igualdade absoluta de todos os homens no que diz respeito aos direitos e deveres. A união natural do homem e da mulher, sagrada até entre as próprias nações bárbaras, eles a desonestam; e este laço, no qual se encerra principalmente a sociedade doméstica, enfraquecem-no e até o entregam ao mero capricho da sensualidade.
    […]E estes monstruosos erros, eles os proclamam nas suas reuniões, os advogam nos seus panfletos e os semeiam entre o povo por meio de uma nuvem de jornais.[…]
    Esta audácia de homens pérfidos, que ameaça com uma ruína cada vez mais grave a sociedade civil, e enche de inquietação e temor todos os espíritos, tira a sua origem e a sua causa dessas doutrinas envenenadas, que, em tempos anteriores, espalhadas como germe de corrupção entre os povos, têm produzido a seu tempo frutos deletérios.
    7. Efectivamente sabeis muito bem, Veneráveis Irmãos, que a guerra encarniçada que os Inovadores declararam, a partir do século XVI, contra a fé católica, e que tem aumentado de dia para dia cada vez mais, até à nossa época, tende a este fim, que, recusando toda a revelação e suprimindo toda a ordem sobrenatural, esteja aberto o campo às invenções, ou antes aos delírios da razão somente. Este erro, que da razão indevidamente tira o nome, lisonjeia e excita o orgulho do homem e tira o freio a todas as suas paixões: por isso invadiu naturalmente não só o espírito de muitos indivíduos, mas também, em grande escala, a sociedade civil.
    8. Daí veio que, por uma nova iniquidade, desconhecida até aos pagãos, os Estados se constituíram sem fazerem caso algum de Deus, nem da ordem por Ele estabelecida; a autoridade pública foi declarada corno não tirando de Deus nem o seu principio, nem a majestade, nem a força de mandar, mas que provinha da multidão, que, reputando-se livre de toda a sanção divina, julgou que devia submissão apenas às leis que ela mesma fizesse, consoante o seu capricho. Sendo combatidas e rejeitadas as verdades sobrenaturais da fé como contrárias à razão, o próprio Autor e Redentor do género humano é insensivelmente e pouco a pouco banido das Universidades, dos liceus, dos colégios e de todo o uso púbico da vida humana.
    9. Entregues ao olvido recompensas e castigos da vida futura e eterna, o desejo ardente da felicidade foi circunscrito aos limites do tempo presente. Estando por toda parte profusamente espalhadas estas doutrinas e introduzindo-se em todos os lugares esta extrema licenciosidade de pensamento e de acção, não é para admirar que os homens de ínfima condição, cansados da pobreza de suas casas ou pequenas oficinas, tenham inveja de se elevarem até aos palácios e à fortuna dos ricos: não é para admirar que já não haja tranquilidade na vida pública e particular, e que o género humano esteja já chegado quase à borda do abismo.
    CARTA ENCÍCLICA
    “QUOD APOSTOLICI MUNERIS”
    Sobre o socialismo e comunismo.
    LEÃO XIII, PAPA
    http://depositop.blogspot.ca/2011/02/enciclica-quod-apostolici-muneris-leao.html

    Portanto, “vitória de pirro” porque se não derrotar a doutrinação comunista e anti-cristã nas escolas, paróquias e centros de formação em geral, a tendência é que doutrinas mais funestas do que essa venham a se multiplicar. O socialismo é dialético, portanto essa mesma ideologia será oferecida novamente com novo nome e nova roupagem…e o povo aceitará porque “entregues ao esquecimento, as recompensas e castigos da vida futura e eterna, o desejo ardente pela felicidade foi circunscrito aos limites do tempo presente”.

  5. A Arquidiocese de São paulo quer dar uma medalha para Luiza Erundina, reconhecendo-a por seu trabalho como leiga (sic). mas quem é essa mulher? Uma abortista, socialista, anti-cristã e anti-católica e tudo o mais que não presta. Agora pergunto: por que não dar essa medalha para a leiga Andreia Medrado? Essa, sim, é uma católica conforme o Sagrado Coração de Jesus.

  6. Parabéns aos segmentos eclesiásticos envolvidos nesta vitória: isso só comprova o ditado de que não se pode “jogar fora a água do banho com a criança junto”. Felizmente, a realidade não é como muitos a querem pintar.

  7. Os homossexuais desejando ELES educar os filhos do heterossexuais, Os gays querem educar os filhos dos heterossexuais a serem como eles, contrariando a vontade dos pais. Podem desejar a morte porque com vida jamais terão como sonhar.

    A preparação e a informação já deveria estar na mente de cada católico, mas não está. Os católicos não sabem o que é ideologia de gênero por não saberem o que é religião. Não houve melhor explicação, do que a desinformação, para que tantos católicos fossem atraídos por seitas protestantes que ofereciam um deus subordinado, um deus “gênio da lâmpada” para atender seus pecados, mas também um deus explicado, pessimamente explicado, mas que na sua ignorância lhes parecia útil.

    O mal que se pretende inserir na sociedade agora, já estava sendo arquitetado antes do CVII, meus pais e meus avós tiveram contatos com padres pré concilio que não formavam e não serviam de modelo, além é claro de terem participação nas celebrações de forma totalmente alienada. A fé da pessoa simples acabou sendo suportada apenas na religiosidade popular e em muitas crendices, facilmente manipuláveis pelos maus.

    Todo o movimento anti Igreja gerado pelo poder e pelo dinheiro oriundo das inovações tecnológicas nas mãos de pessoas inescrupulosas, usou da vida cada vez mais artificial a que o homem foi submetido, para que afastado da natureza fosse também afastado de Deus, mas nenhum homem será inocente de ter abandonado a verdade.

    Os próximos passos desta guerra entre a verdade e a loucura, separará os covardes dos santos, o joio do trigo e esta guerra é muito desejável. Se eu não estiver entre os aptos, que eu tenha as consequências e que a cada um a sua cruz. Ao homem atual, sem honra, nada causa maior temor do que a própria morte, pela falta do Temor de Deus, matamos, roubamos, mentimos, somos capazes das maiores imundícies para manter a vida, que teremos que entregar logo mais a frente, pelas nossas fraquezas e desgraças precisamos pedir uma morte lenta e sofrida, mas quem dentre os “santos” atuais estão prontos para isto????

  8. Que bom, que de vez em quando, aparece uma mulher corajosa para defender os princípios morais de uma sociedade. Que bom, se nós tivéssemos um número maior de pessoas assim. Que pena! A quantidade tão pouca de pessoas ligadas a hierarquia da Santa Igreja que se manifestaram contra a esta lei iníqua, contra os Mandamentos da Lei de Deus e da Santa Igreja. Se Nós tivéssemos pastores, cheios de ardor, pela causa da Santa Igreja. Não teríamos chegado a tanto. O que deveria fazer os bispos da CNBB. Estar sempre prontos, vigilantes, para qualquer investida contra os princípios cristãos. Unirem com todas as forças, para impedir tamanha desgraça em nosso país. Agora, é chegada a hora que não podemos esperar de Roma o “grito” de alerta. É como Lúcia de Fátima, já nos advertiu. “Cada um de nós temos que empenhar guardar a doutrina da Santa Igreja.” Não devemos esperar de Roma.
    Joelson Ribeiro Ramos.