Papa sob ataque por Motu Proprio; Cardeal Kasper reafirma sua proposta.

Por Edward Petin – National Catholic Register | Tradução: FratresInUnum.com – Acabam de sair artigos relatando que um dossiê de 7 páginas, obtido pelo jornal alemão Die Zeitestá circulando na cúria romana, no qual elevadas autoridades do Vaticano expressam descontentamento com a recente mudança na lei da Igreja sobre nulidades [matrimoniais] e com uma falta de consulta acerca do assunto.

Na terça-feira, o Papa fez uma vasta reforma para tornar o processo de declaração de nulidade mais simples, rápido e barato.

Segundo Die Zeit, os curiais juridicamente “dissecaram” o motu proprio (decreto) do Papa sobre a reforma do processo de nulidade, acusaram o Santo Padre de abandonar um importante dogma, e afirmaram que ele introduziu um “divórcio Católico” de facto.

Outras preocupações mencionadas no documento são de que, apesar da gravidade do tema, nenhum dicastério, inclusive, aparentemente, a Congregação para a Doutrina da Fé, bem como as conferências episcopais, foram consultadas sobre a decisão — uma alegação que o Register confirmou por várias fontes. O dossiê afirma que os canais legislativos de costumes foram “minados” assim como “nenhum dos passos previstos do procedimento legislativo foram seguidos”.

Críticos afirmam que isso se choca com o chamado do Papa por sinodalidade e colegialidade, e se parece com um “Führerprinzip” [ndt: “princípio do líder” que constituiria a primeira lei do partido nazista; a partir de então, Hitler seria chamado de Führer] eclesial, ordenando de cima para baixo, por decreto e sem qualquer consulta ou análise.

Pelo contrário, a comissão papal que rascunhou o motu proprio foi ordenada a manter silêncio durante todo o processo, provavelmente para evitar que as reformas fossem prejudicadas pela Congregação para a Doutrina da Fé (CDF) e outros na cúria. Mas a matéria também alega que a própria comissão não viu o rascunho final, e que um cardeal italiano, juntamente com outros dois purpurados, “furiosamente” tentaram evitar que o motu proprio fosse divulgado antes do sínodo, porém, sem sucesso.

O Register soube, por outras fontes, que essa decisão, bem como outras, estão efetivamente isolando a CDF e que o Papa está gradativamente tornando o trabalho da congregação supérfluo.

O artigo também dá voz à preocupação de que o motu proprio vai levar a uma enxurrada de nulidades e que, de agora em diante, casais poderão simplesmente deixar seu casamento católico sem qualquer dificuldade.

“Um número de monsenhores que têm oficialmente a incumbência de direcionar os assuntos da Igreja como um todo estão fora de si” e se sentiram obrigados a “falar”, segundo Die Zeit. Eles estão também preocupados com a linguagem “extremamente vaga” usada no motu proprio, especialmente as razões para um julgamento rápido, como a “falta de fé” ou outros motivos que não são claramente definidos.

Embora a necessidade de simplificar os processos de nulidade tenha obtidos dois terços do consenso no sínodo do ano passado, a matéria observa que os padres sinodais protestaram bastante contra a idéia de um processo rápido para determinar a nulidade de um casamento sob a supervisão do bispo local. Agora isso é uma lei da Igreja, mesmo antes do sínodo ter discutido a respeito.

Esperamos tratar sobre essas afirmações mais detalhadamente em um futuro próximo.

Neste ínterim, em uma nova entrevista, o Cardeal Walter Kasper voltou a lançar sua proposta de readmitir os católicos [recasados civilmente] à Sagrada Comunhão, afirmando estar “confiante” de que “um amplo consenso” pode ser encontrado.

Ele também disse, nessa entrevista concedida em 11 de setembro ao Vatican Insider, que é “necessário construir sabiamente” tal consenso sobre a proposta.

Os comentários do cardeal surgem poucos dias muitos sentirem que a reforma de Francisco nos processos de nulidade derrubou a proposta de Kasper, ao oferecer uma concessão a ambos os lados.

As observações de Kasper, todavia, mostram sua determinação de reafirmar sua proposta, que consiste em permitir divorciados civilmente recasados receberem a Sagrada Comunhão após um período penitencial. Ele também propõe que a readmissão pode ocorrer após “um juízo honesto da pessoa preocupada com sua própria situação pessoal” e ajuda de um confessor sacramental. O processo seria supervisionado pelo bispo local.

Amplamente apoiado pela hierarquia alemã, a proposta foi firmemente rejeitada por teólogos proeminantes e lideranças da Igreja como um grave abuso contra os sacramentos da Eucaristia, matrimônio e penitência. Ela também não obteve dois terços de maioria no último sínodo de outubro, embora o Papa insistiu em mantê-la na lista de proposições a serem discutidas no vindouro sínodo do próximo mês.

Os comentários do Cardeal Kasper aparecem enquanto crescem as tensões diante do Sínodo Ordinário sobre a Família em outubro. Ontem, foi divulgado que 50 teólogos preocupados apelaram ao Papa Francisco para defender os ensinamentos da Humanae Vitae (a encíclica do B. Paulo VI que proíbe a contracepção) e da Veritatis Splendor (encílica do Papa S. João Paulo II, de 1993, enfatizando o ensinamento moral da Igreja).

Os signatários, dentre os quais o padre jesuíta Kevin Flannery, professor de filosofia moral da Pontifícia Universidade Gregoriana, e o professor de filosofia Robert Spaemann, companheiro próximo do Papa Emérito Bento XVI, argumentam que um parágrafo específico do Instrumentum Laboris (documento de trabalho) do sínodo está gravemente equivocado, efetivamente esvaziando a Humanae Vitae de seu ensinamento central.

20 Comentários to “Papa sob ataque por Motu Proprio; Cardeal Kasper reafirma sua proposta.”

  1. Disse e repito: o Cisma já começou a muito tempo, nós é que não percebemos. A Santa Igreja, já se dividiu!

  2. O Vaticano realmente passou da hora de receber uma Visitação Apostólica… Vinda do ALTÍSSIMO !

  3. No momento em que vivemos, o cisma é a solução mais salutar para as almas… Os cismáticos serão aqueles que se mantiverem fiéis a Nosso Senhor! Roma está se tornando aquilo que Nossa Senhora disse em La Salete!

  4. Olá, Gabriel,

    Você está coberto de razão. O Cisma já começou, mas de modo subreptício e indolor.
    A Igreja está obscurecida pela fumaça de satanás. Ela conhecerá a hora de sua maior apostasia, o “homem iníquo” introduzirá no seu interior e sentará no próprio “Templo de Deus”.
    Somente um “pequeno resto” permanecerá fiel a Cristo, sendo por isso submetido às maiores provas e perseguições.

    Frates, não confio neste Müller…. cuidado com ele… ele foi contra tudo o que Bento XVI fez a favor de ‘Mediugórie” e “A Verdadeira Vida em Deus-AVVD” .

    Quem está contra o Papa (que sofrerá um atentado, em breve) está contra Igreja e, portanto, contra Jesus Cristo. Estes são os cismáticos. Não tem outra alternativa. Está tudo muito claro.

    O cálice da Justiça está cheio!

  5. Engraçado, a curia parece estar revoltada por Francisco não ter respeitado a colegialidade. Esta última heterodoxa a doutrina da Igreja.

    Gostaria de ver esta mesma revolta contra os ataques do CVII a Santa Tradição.

    Dom Marcel Lefebvre, rogai por nós!

    • Também achei muito estranho isso… O argumento para rechaçar o Motu foi – pasmem! – a Colegialidade. Estamos em tempos difíceis mesmo, pois já começa a Igreja a recorrer a erros para corrigir erros maiores ainda… De abismo em abismo. Graças a Deus a Igreja é obra sobrenatural, e as portas do Inferno não prevalecerão.

  6. As notícias do mundo no último dia do Sínodo.
    “Aquilo que se vais chamar a revolução de Outubro durante muito tempo, deu-se no Vaticano. O sínodo dos bispos convocado pelo extraordinário papa Francisco acaba de realizar a tão esperada revolução sexual dentro da Igreja Católica. Comunistas, maçons, modernistas, LGBT entre outros homens livres, rejubilam com esta nova atitude por parte do clero e pelo seu expoente máximo, o papa Francisco. Francisco ficará nos anais da história como aquele que soube interpretar os anseios de um povo que a igreja tem oprimido durante 2000 anos de ditadura religiosa.
    O sublime e humilde papa soube ouvir o espírito santo como ninguém, interpretar o Evangelho na sua forma verdadeira e retirar a verdade para o nosso tempo. As massas rejubilam nas ruas, as famílias(hetero e homo) choram de emoção por esta nova igreja. O papa recebe os dignitários de todos os países do mundo e das diversas religiões que o vêm felicitar pelo inicio desta nova e auspiciosa época da igreja e do mundo. Um novo tempo e um líder planetário nasce para esta nova humanidade, este homem nascido no fim do mundo, conhecido apenas por deus, é um dom para estes novos tempos. Um homem que não se esquece das outras religiões e as trata como amigas inicia um novo caminho para todas elas com o seu extraordinário exemplo.
    Enquanto isso, alguns prelados, padres, bispos e cardeais,continuam a olhar para trás e não são capazes de acompanhar esta nova e bela igreja. Estes gritam contra o papa, sem qualquer razão, são intransigentes não têm caridade nos seus corações, são incapazes de compreender o homem, querem voltar para o passado. Na sua humildade o papa, embora sendo um homem bom que não conhece os limites da suas caridade e bondade, excomunga todos aqueles que lutam contra deus sem hesitar…”

    • Interessante esse seu ponto de vista progressista.
      Vamos jogar fora 2000 anos de cristianismo para agradar os infiéis que não seguem a doutrina dos apóstolos de Cristo.
      As pessoas são inconsistentes, vivem em constante mudança. Hoje querem mudar a doutrina básica sobre a família, amanhã vão querer mudar o quê? Deus?

      Quem faz a vontade do mundo, é do mundo, nós fazemos a vontade de Deus. Antes agradar a Deus do que o mundo.

  7. O cardeal Kasper se revela como um verdadeiro Anticristo, usando o Papa como trampolim de sua apostasia. Faço também minha a prece do Eugênio. Dom Lefebvre, valente defensor da fé católica e zeloso pastor de almas, rogai por nós!

  8. O papa defensor da colegialidade usando de plena autoridade quando lhe é conveniente e da mesma forma o Kasper, liberal e modernista que só, dando uma de conservador quando lhe convém.

  9. Há muito se falava da ‘fumaça’ de satanás na Igreja. Hoje o que há é um incêndio avassalador. Creio que sejam necessárias muitas e permanentes orações no sentido de manter a unidade da Igreja. Atravessamos tempos maus… talvez por isso tenhamos dois Papas…

  10. FSSPX Cismática! Não está em plena comunhão com a Igreja!

    Opa, peraí…

  11. Com o motu proprio Francisco desprezou o princípio da colegialidade. Para apressar o passo revolucionário as consultas colegiadas, tão queridas dos revolucionários, foram desprezadas. Cisma propriamente não existe no seio da Igreja, mas surgimento de partidos que arrefecem suas ideias. Mas se aumentar a intensidade das divergências, que pode ser dar com vindouro Sínodo, então o cisma é bem provável. A questão do matrimônio é essencial, e rompimentos como o do cisma somente se dão em pontos fundamentais.

  12. É impressionante (e extremamente lamentável!) a sanha que esses senhores tem de escancará mais ainda a boca devorado do Inferno. É óbvio que muitos deles não possuem a fé católica, pois tais ensinamentos, vindos da boca do Próprio Deus quando estava aqui na Terra, não tem valor algum para eles. O importante é contentar o homem moderno a todo o momento. Deus tenha piedade de nós, nesse momento de cismá!

  13. “O Vaticano realmente passou da hora de receber uma Visitação Apostólica… Vinda do ALTÍSSIMO !”,
    diria, a Cátedra de Pedro passou da hora de receber uma visitação Apostólica do Altíssimo…

  14. Só sei dizer que a mídia globalista, após a saída do papa Bento XVI, cessou os ataques e 1001 ameaças à Igreja, como uma nuvem carregada de raios e trovões que passou; enquanto isso, as esquerdas estão sorridentes e os homôs Eltons Jonhs da vida como que ambas hostes redimidas: até que enfim apareceu um novo Vaticano os nos compreendem, nos dão vez e voz!!
    Defuntos ambulantes à la Kasper estavam dentro das tumbas insepultos e bastariam apenas a saída do papa Bento XVI para ressuscitarem das penumbras tenebrosas para começarem a agir como os zumbis e vampiros sanguessugas, adversarios da pouca fé cristã ainda existente no mundo!
    As chegadas e recepções dos muçulmanos invadindo a Europa de forma inicialmente pacífica e alguns entreguistas os recebendo, devem ser os prenúncios dos castigos que estão por vir pela apostasia à Jesus!
    Os bons prenuncios que temos para o Sínodo parece que teriam, como a fumaça ao vento, dissipado-se; mas rezemos pelo papa Francisco, ao menos para os frutos provindos dele não deteriorarem ainda mais a fé católica no mundo, já tão combalida, a começar pela ajuda de muitos hierárquicos omissos ou coniventes com os erros!!
    … Se não é que alguns desses não seriam infiltrados na Igreja, a serviço da maçonaria e do comunismo totalitarista – do anticristo…

  15. A se confirmarem as desastrosas previsões dos peritos oficiais, e até a constatação por parte do próprio papa, do risco que pode sofrer o dogma da indissolubilidade do matrimônio católico, os documentos do papa facilitando imprudente e nimiamente as declarações de nulidade, a tal ponto que se chegou a falar em “divórcio católico”, repito, se tudo isso se confirmar, será algo que, mais do que o divórcio civil, sumamente alentador para o afã diabólico do Comunismo em destruir a família, máxime a família cristã. “Casais poderão simplesmente deixar seu casamento católico sem nenhuma dificuldade”. Sabemos que são poucas no mundo todo as famílias verdadeiramente católicas. Há pouquíssimas outras santas Mônicas que, por amor a Deus e às palavras do Divino Mestre, sofrem um verdadeiro martírio para converter esposo, filho ou filhos, e talvez mais do que tudo isso conseguir abrandar as sogras. Com esta “misericordiosa facilidade bergoliana” tudo isto ou quase tudo poderia ir para as urtigas. Pior ainda: facilidade de mais adultérios e uma enxurrada de sacrilégios. Quando está em jogo a defesa do dogma católico, quando correm risco de serem pisoteadas as palavras de Nosso Senhor Jesus Cristo, realmente não podemos nos envergonhar do nosso Divino Mestre no meio desta geração adúltera e pecadora.

  16. Nunca é demais ratificar. Nos tempos atuais, todos nós que somos católicos fiéis a doutrina de sempre. Temos a certeza, que a Santa Igreja não nos enganou. Ela é o eco de Deus na terra. Sua doutrina é infalível, abrangendo todos os Dogmas da fé, da moral. O que Ela ensinou nos “cemitérios” subterrâneos continua válido, verdejantes nos dias atuais. Deus não pode entrar em contradição. Ele é infinitamente sábio, Nele tudo está presente: Passado, presente, futuro. Ele que é a Sabedoria Incriada, não pode errar. Hoje, vemos estes inimigos da Santa Igreja, tentarem impor uma nova moral, que já foi condenada por diversos documentos oficiais da Igreja. Ora, não podemos dar crédito a estes novos hereges que estão infiltrados no seio da Esposa de Cristo. Todos nós devemos combater com todas as garras, usando os meios que temos em mãos, para desmascarar todo trama que está sendo feito por estes adversários de Cristo. Um dia. Quando tivermos um papa inteiramente católico. Ele irá de condenar toda esta arbitrariedade que está sendo imposta. Como outrora, o papa Libério, foi condenado por seu sucessor, os seus erros sobre arianismo. Isto é por um “pouco de tempo”, A Santa Igreja como sempre, triunfará novamente esplendorosa, para iluminar com o Seus sol fulgurante; estes dias de nuvens negras, que pairam no horizonte.
    Joelson Ribeiro ramos.

  17. É o final dos tempos!
    Um dos poucos refúgios que nós, cristãos, ainda tínhamos, era nossa Santa Madre Igreja Católica Apostólica Romana, refúgio seguro com seus Dogmas Libertadores!
    Como digo desde o princípio deste apostolado, este papa “argentinho” está acabando com nossa Igreja!
    Já é um “Deus Nos Acuda”!!!!

  18. Dom Marcel Lefebvre, que saudade do senhor.