Caro Papa, mas por que o senhor homenageia os tiranos e humilha os perseguidos?

Por Antonio Socci, 22 de Setembro de 2015 | Tradução: Gercione Lima –  FratresInUnum.comOs irmãos Castro — uma dinastia comunista – mantêm sob o calcanhar o povo cubano há quase sessenta anos e sem nenhum escrúpulo para que esse regime sobrevivesse, mesmo depois do naufrágio da URSS.

E, de fato, nesses últimos dias eles o demonstraram bem. Com o tácito consentimento do Vaticano de Bergoglio, transformaram a missa do papa argentino desse último domingo em uma manifestação do Partido Comunista Cubano.

Não só pelo pôster gigante de Che Guevara que colocaram sobre o altar (não ousaram fazê-lo com Bento XVI e nem com João Paulo II, que os fez colocar um grande ícone de Cristo) como também pelo fato de que houve uma verdadeira convocação oficial dos membros e militantes do partido para a missa na Praça da Revolução em Havana, como se fosse um dos comícios de Castro.

Assim escreve Alver Metalli, jornalista bergogliano e amigo pessoal do bispo de Roma: “O Partido Comunista de Cuba convocou seus membros para assistir à missa papal na Praça da Revolução em Havana, a missa de Holguín, a missa no Santuário da Virgem de la Caridad del Cobre e a Missa em Santiago de Cuba antes da despedida de Francisco da ilha”.

Certamente não foi assim que ocorreu com João Paulo II em 1998 e nem com Bento XVI em 2012.

No entanto, “desta vez”, escreve Metalli “o convite foi explícito e imperativo”, para que “os comunistas leais à linha do partido … manifestassem com calor a sua aprovação.”

A única que foi capaz de se eximir – graças a seu sobrenome – foi mesmo a filha de Che Guevara, vetero-comunista pura e dura, que não se comoveu nem um pouco com o fato do retrato do pai ter sido colocado no lugar de Jesus Cristo.

Aleida Guevara, militante comunista ultra-ortodoxa, declarou à agência France Press: “O PCC pede aos militantes para irem à missa, para ir receber o Papa Francisco quase como se fosse um dever do Partido. Algo com o qual eu não concordo de modo algum”.

Mas se os camaradas dirigentes tomaram a decisão de “arrebanhar” os militantes para a missa como se fosse para um comício, isso se deu por uma razão bem clara: eles sabiam que da parte do Papa Bergoglio nada tinham a temer.

 

PAPAS CATÓLICOS 

No entanto, não foi assim com João Paulo II, que de fato em Havana, no dia 25 de janeiro de 1998, trovejou: “Alguns desses sistemas tiveram a pretensão de reduzir a religião à esfera meramente privada, despojando-a de qualquer influência ou importância social. Neste sentido, vale lembrar que um Estado moderno não pode fazer do ateísmo ou da religião um dos seus sistemas políticos”(princípio que se aplica tanto aos estados comunistas, como para os islâmicos).

Também com Bento XVI, em 2012, o Partido Comunista Cubano sabia que tinha o que temer. De fato, já em sua chegada disse, “quando Deus é expulso, o mundo se torna um lugar inóspito para os seres humanos”.

E sua homilia na Praça da Revolução foi inspirada na primeira leitura, onde “os três jovens, perseguidos pelo governante da Babilônia, preferiram enfrentar a morte na fornalha, do que trair a sua consciência e sua fé … na convicção de que o Senhor do Cosmos e da história não iria abandoná-los à morte e ao nada. Na verdade, Deus nunca abandona os seus filhos”.

Depois, comentando o Evangelho, ele lembrou que “a verdade nos liberta” e concluiu: “não hesitem em seguir Jesus Cristo.”

Mas estes eram os papas “do Deus Católico”. Em vez disso, Bergoglio, o Papa de um Deus que – segundo diz ele – “não é católico”, poderia ter, de acordo com Castro, uma platéia de militantes do partido. De fato, ele não disse absolutamente nada que fosse inconveniente para a ditadura cubana.

Pelo contrário, ao longo de sua homilia, ecoou temas da retórica comunista como fraternidade e servir os excluídos.

APLAUSOS DO REGIME

Não houve uma só palavra que poderia incomodar o regime. Os jornais italianos até tentaram fazer referência a uma piada dita durante a  homilia como uma crítica vaga, mas que não passou de um mal-entendido retumbante.

Vejamos: segundo o Corriere della Sera, o papa em sua homilia “, adverte contra as ideologias”. A manchete de La Repubblica diz : “servir o povo e não às ideologias”. Na primeira página de La Stampa, se lia: “Nós servimos o povo e não  as ideologias”. E no IL Giornale se dizia ainda pior: ” As ideologias não servem.” E em Il Fatto: “Digamos basta às ideologias”.

Se naquela homilia Bergoglio tivesse dito estas coisas, ainda assim teria manifestado um conceito perfeitamente aceitável para um marxista, já que foi o próprio Marx que propôs destruir o conceito de “ideologia” por considerá-la “falsa consciência” e por sustentar – em sua obra “A ideologia Alemã “- que não se parte de idéias, mas de homens vivos. “Se parte de homens realmente vivos e atuantes e com base no processo real de suas vidas “. Ele defendia que, por isso mesmo a

“moral, a religião e a metafísica” são formas ideológicas.

Por outro lado, Bergoglio não disse o que os jornais lhe atribuem. O que ele fez foi uma exaltação do ativismo solidário que para qualquer militante do Partido Comunista Cubano soou apenas como uma confirmação, e não como uma contestação.

Na verdade, ele convidou-os a por “ao centro a questão do irmão: o serviço olha sempre o rosto do irmão (…) e visa a promoção do irmão. Por esta razão, o serviço nunca é ideológico, já que busca servir não à idéias, mas a pessoas “.

Para o Partido tal conceito é muito bom: é quase uma canonização da militância socialista. Como se vê, não há nenhum ataque ao regime e ao marxismo.

Teria sido diferente se Bergoglio tivesse falado de “servir a Deus”, mas nem sequer mencionou isso. Nem tampouco advertiu contra  “servir o partido.” Nada disso. De Bergoglio não se ouviu sequer menção em defesa dos direitos humanos (também atropelados durante a visita papal com vários aprisionamentos). Não se viu também o Bergoglio indignado do discurso de Lampedusa, nem o Bergoglio que durante meses trovejou contra o capitalismo como “a economia que mata.”

Aparentemente, o comunismo não mata. Sobre o Comunismo cubano (e outros), ou sobre seus desastres econômicos e humanos nenhuma denúncia. Absolutamente nada. Mas será que temos mesmo a certeza de que o comunismo não mata?

Talvez o comunismo faz tudo isso sem que Bergoglio o saiba. O papa argentino seria o único em todo o planeta que não foi informado sobre nada disso.

HOMENAGEM AOS PERSEGUIDORES

Mesmo o magistério dos gestos confirma aquele das palavras. Tomemos por exemplo o encontro de Fidel Castro com João Paulo II, que obteve preventivamente a libertação de centenas de prisioneiros. Castro recebeu o pontífice aos pés da escada do avião, onde o tirano teve que renunciar às divisas militares e vestir-se apenas de terno e gravata para a ocasião.

Bento XVI, que visitou Cuba em 2012  também foi com uma lista dos perseguidos a serem libertados e recebeu Castro na Nunciatura Apostólica em Havana como um sinal de respeito para com os fiéis oprimidos por meio século e para que não desse a impressão de que o Vigário de Cristo estava prestando uma homenagem ao tirano.

Bergoglio por sua vez, se dirigiu à residência de Fidel e ali o encontrou: o Papa foi recebido por Castro, não o contrário. Uma homenagem ao ditador.

E HUMILHA OS PERSEGUIDOS

Com os jóvens, logo em seguida, Bergoglio foi verdadeiramente constrangedor. Ele mencionou Jesus Cristo só ao final de um longo discurso, e mesmo assim marginalmente, depois de toneladas de retórica vazia sobre sonhos e sonhar, sobre a “fofoca” e contra “o deus do dinheiro”.

Mas, acima de tudo, Bergoglio – ao falar aos jovens católicos que sofrem a opressão do regime – ao invés de confortá-los e elogiar aqueles que heroicamente testemunham sua fé sob a ditadura, fez o oposto: ele atacou os católicos que – segundo ele – se fecham “em uma  camarilha de palavras, de orações, “eu sou o bom, você é mau “e de prescrições morais”.

Ou seja, ele atacou os católicos de verdade, já perseguidos pelo regime. E depois os convidou à “cultura do encontro”, elogiando aqueles que colaboram com o “camarada comunista ” ou de outra religião “, trabalhando juntos para o bem comum”. Porque “a inimizade social, destrói”.

Na prática, um convite para que se rendam ao regime.

Anúncios

16 Responses to “Caro Papa, mas por que o senhor homenageia os tiranos e humilha os perseguidos?”

  1. E agora aqui estou eu, fazendo minha dolorosa penitência matinal, ouvindo ao vivo Bergoglio discursando nos jardins da Casa Branca. Louvando Matin Luther King, denunciando Aquecimento Global e incentivando os Bispos da América a apoiar as medidas do Governo pra acabar com toda a injusta discriminação ( implicitamente gay rights). Não mencionou o nome de Cristo uma única vez e apenas terminou dizendo “God Bless América”.
    Obama nunca esteve tão feliz em sua vida, enquanto nós Católicos temos que amargar essa “fraude” de Papa. Me sinto como algém que tem que olhar o ladrão dirigindo seu carro roubado sem poder fazer nada.

  2. “Numa conversa com os jornalistas, durante o voo entre Cuba e os Estados Unidos, Francisco respondeu abertamente à pergunta e até brincou com a questão.
    “Pensar que é comunista ou não… Eu estou certo que não disse uma coisa a mais do que aquilo que está na Doutrina Social da Igreja. Sou eu a seguir a Igreja. As coisas podem-se explicar-se e dar a impressão de ser um pouco de esquerda, mas seria uma explicação errada”, declarou o Papa.
    “A minha doutrina sobre tudo isto, sobre a encíclica ‘Laudato Si’, sobre o imperialismo económico e tudo isso, é a da Doutrina Social da Igreja. E, se for preciso recitar o credo, estou disposto a fazê-lo”, sublinhou Francisco”.

    http://rr.sapo.pt/noticia/34855/francisco_rejeita_ser_apelidado_de_papa_comunista

  3. Tive a infelicidade de acompanhar, mesmo contra a vontade, o encontro de Bergóglio com os jovens… Uma lástima… Uma falação oca, vazia e desconcertante para qualquer um que tenha o mínimo de bom senso, imagine para um Papa…

    Como sempre abandonou o que tinha preparado e caiu na tolice de inventar, de improvisar, de ser diferente, de causar frenesi nos bobos de plantão, sobre o que um jovem lhe tinha lido.
    Não deu outra… Ficou no “chove não molha” de “sonhar”, de “trabalhar junto”, “de não fofocar”, e, por incrível que pareça, no fim, pediu que rezassem por ele, e “aqueles que não acreditavam em nada, ao menos, lhe desejassem coisas boas”… DEUS DE MINHA ALMA!!!!!

    PIEDADE SENHOR, PIEDADE… UM PAPA NÃO CONVIDAR, NEM AO MENOS PROPOR AOS INCRÉDULOS E ATEUS A VERDADE ÚNICA DE NOSSO SENHOR, É UMA VERGONHA…UMA LÁSTIMA… UM ESCÂNDALO PIOR QUE OS DOS FAMIGERADOS ENCONTROS DE ASSIS E COMPANHIA…

    UM PAPA QUE, TACITAMENTE, INCENTIVA AO INDIFERENTISMO, AO SINCRETISMO, AO ATEÍSMO, só pode ser o cumprimento das palavras de Pio XII: “ESTOU OBCECADO PELAS CONFIDÊNCIAS DA VIRGEM À PEQUENA LÚCIA DE FÁTIMA. ESSA OBSTINAÇÃO DE NOSSA SENHORA DIANTE DO PERIGO QUE AMEAÇA A IGREJA, É UM AVISO DIVINO CONTRA O SUICÍDIO QUE REPRESENTARIA A ALTERAÇÃO DA FÉ, EM SUA LITURGIA, SUA TEOLOGIA E SUA ALMA”. (…)

    Pior cego é quem não quer ver, e mais, o Papa Bento disse em alto e bom som: “SE ENGANA QUEM PENSA QUE AS APARIÇÕES DE FÁTIMA ESTÃO ENCERRADAS”…

    Dessa “a Igreja nunca esteve tão bem”, libera-nos Domine!

    São Pio de Pietrelcina, rogai por nós, especialmente pelo Bispo de Roma…

  4. Alguém tem uma foto onde se possa ver esse tal “pôster gigante de Che Guevara que colocaram sobre o altar”?? A única coisa que vi em fotos e em vídeo até agora foi o painel em concreto com o rosto do dito assassino que fica ao longe, num prédio, na Praça da Revolução, painel que se podia ver na Missa de Bento XVI e que não tem a ver com a estrutura montada para a celebração.

    • Luis Augusto, do artigo de Fausto Carioti no “Libero” do dia 19:

      “Francesco è il terzo papa che sbarca sull’isola e anche i suoi due predecessori tennero messa in quella piazza destinata alle immense adunate. Ma la collocazione e l’iconografia furono davvero molto diverse. Il palco che il 28 marzo del 2012 ospitò la funzione di Ratzinger davanti a trecentomila cubani era stato innalzato nella parte diametralmente opposta della piazza, lontano centinaia di metri da Che Guevara, al quale i fedeli davano le spalle. Distantissimo dal rivoluzionario col grilletto facile anche Giovanni Paolo II il 25 gennaio del 1998: accanto a lui,
      anziché il “Che” con «Hasta la victoria siempre», campeggiava un’enorme tela dipinta raffigurante Cristo e la scritta «En ti confido», messa lì coprire la facciata della Biblioteca Nacional”

  5. “enquanto nós Católicos temos que amargar essa “fraude” de Papa. ( IIIIII ).

  6. Gercione, Gercione, cuidado com o que escreve porque poderá melindrar alguns que almejam a fusão do modernismo com o tradicionalismo como os zuquenianos. De outra feita, interessante o que trás o Iuri. Pelo que percebo é a primeira vez que Francisco rebate as críticas que ele é esquerdista. Até agora tem agido como ídolo mediático fugindo de controvérsias. Nesta entrevista tratou do assunto o que revela que a água está subindo, apesar de ter se escudado na doutrina social da Igreja.

  7. Papa Francisco: “Perguntam-me se eu sou católico? Se serve, posso recitar o Credo…”
    “Perguntam-me se eu sou católico? Se serve, posso recitar o Credo…”
    O Papa Francisco falou com os jornalistas durante a viagem de Santiago de Cuba a Washington, para responder às acusações de quem o chama de “comunista” ou, até mesmo de “antipapa”.
    .”Suas denúncias sobre a desigualdade do sistema econômico mundial provocaram reações de todo tipo: setores da sociedade estadunidense chegaram a se perguntar se o papa é católico”…
    Um amigo cardeal me contou que recebeu a visita de uma senhora, muito preocupada, muito católica, um pouco rígida, mas boa. E ela lhe perguntou se era verdade que na Bíblia se falava de um Anticristo. Depois lhe perguntou se falava de um antipapa. E quando ele lhe perguntou por que lhe fazia estas perguntas, ela respondeu: “Tenho certeza de que Francisco é um antipapa, porque não usa os sapatos vermelhos”. Em relação ao fato de ser comunista: tenho certeza de não ter dito nada além do que ensina a Doutrina Social da Igreja. Eu sigo a Igreja, e sobre isto creio não estar errado. Talvez algo tenha dado uma impressão um pouco mais “à esquerda”, mas seria um erro de interpretação. E se for preciso que recite o Credo, estou disposto a fazê-lo”…
    Na última viagem à América Latina, você criticou fortemente o sistema capitalista; em Cuba foi mais “soft” com o sistema comunista. Por quê?
    “Nos discursos em Cuba sempre fiz alusões à Doutrina Social da Igreja. As coisas que é preciso corrigir disse-as claramente, não de maneira “perfumada”. Em relação ao capitalismo selvagem, não disse mais do que escrevi na Evangelii Gaudium e na encíclica Laudato si’. Aqui em Cuba, a viagem era pastoral, minhas intervenções foram homilias. Foi uma linguagem mais pastoral, ao passo que na encíclica era preciso tratar de coisas mais técnicas”.
    Tirem suas conclusões!
    Mas que o papa Francisco está malhado na net como comunista por não poucos – como partidario dessa ideologia – é um fato comprovável!

    • É assim amigo, só quando o espelho quebra mesmo que o povo quer concertar. Quando vê as rachaduras e o povo falando delas ninguém tá nem aí. Mas quando o espelho quebra e a máscara cai, o povo se revolta. De tudo o que se falou eu só posso fazer uma coisa estudar a doutrina da Igreja e o catecismo que o Bento XVI avisou para que todos lessem para que não fossem “engados” no futuro, rezar e tampar meu ouvidos para os bobos que ainda insistem em tentar limpar a barra de Bergollio.

      A Cruz Sagrada seja minha luz
      Não seja o dragão meu guia
      Retira-te satanás
      Nunca me aconselhes coisas vãs
      É o mal que tu me ofereces
      Bebe tu mesmo teu veneno

      Deus no livre do demônio e suas estratégias de dividir a Igreja.

  8. No seu desespero, o demônio comete imprudências. E, assim, as reações a Bergoglio vão aumentando.
    Deus tira do pecado benefícios… Rezemos, rezemos, Nossa Senhora haverá de despertar novas e mais numerosas reações até o Seu Imaculado Coração triunfar!

  9. Se São Pio intolerante e estopim curto com os erros estivesse ainda entre nós, logo no seu dia, sucedendo uns fatos estranhos desses, hem?
    No entanto, do lado de lá vê a agonia da Igreja, cujos maiores inimigos estão mesmo é dentro dela, como varios países ex cristãos sob o ferrolho comunista, desafiando a Igreja, e com ajuda de seus Judas dentro dela, não são uma bofetada na Sagrada Face de Jesus?
    Não queremos que reine sobre nós, diz o povo, aqui relembrando as turbas enfurecidas contra Ele no Sinedrio!
    E o pior?
    Trata-se, salvos os poucos que não se conformam como o atual estado de paralisia da Igreja, interpelam os omissos do Alto Clero, parecendo tudo estar normal e apontam os dedos:
    “Todos os seus atalaias são cegos, nada sabem; todos são cães mudos, não podem ladrar; andam adormecidos, estão deitados, e gostam do sono.
    E estes cães são gulosos, não se podem fartar; e eles são pastores que nada compreendem; todos eles se tornam para o seu caminho, cada um para a sua ganância, cada um por sua parte.
    Isaías 56:10,11!
    Papa Francisco: “Perguntam-me se eu sou católico? Se serve, posso recitar o Credo…”
    Alguém recitar o Credo é garantia de ser católico?
    Tenho observado é que as esquerdas, seus desordeiros e a mídia globalista esfriaram de vez após a saída do papa Bento XVI que, com eles, vivia em confrontos, isso sim!

  10. Essa entrevista de Bergoglio aos jornalistas durante a viagem de Cuba a Washington, para responder às acusações de quem o chama de “comunista” ou, até mesmo de “antipapa” é outro escândalo. Como sempre, ele faz uso de retórica vazia e piadinhas sem graça para não endereçar seriamente um problema de consciência que pesa sobre a cabeça de milhões de Católicos: essa confusão diabólica que é a existência de dois Papas.
    O renomado “vaticanista” Victorio Messori declarou:

    “Existem atualmente em vigor, dois papas agindo em comunhão e em reconhecimento um do outro, tendo ainda sendo co-autores de uma encíclica conjunta, a Lumen Fidei, publicada em julho passado”.

    Outro famoso canonista Stefano Violi afirma:

    “Bento XVI despojou-se de todo o poder de governar e comandar inerente ao seu ofício, sem, no entanto, abandonar seu serviço à Igreja: este continua por meio do exercício da dimensão espiritual do munus pontifício que lhe foi confiado. Isso ele não teve a intenção de renunciar. Ele renunciou a seus deveres … mas não à concreta execução deles”.

    Outros católicos, como eu, simplesmente se recusam a reconhecer esta falsa dicotomia. Independente do que o papa Bento pode ter dito por suas palavras no ato de renúncia, o que eu sei é que nem mesmo um Papa tem o poder ou autoridade para mudar a constituição da Igreja estabelecida por Cristo. Não pode existir mais do que um Papa porque Cristo fundou essa Igreja sobre um Pedro e não dois: o ofício e a tarefa de exercer as funções desse ofício, só podem residir em uma única e mesma pessoa.

    Pra adicionar mais dano ao prejuízo, Bergoglio ainda fez o Quarto Voto como Jesuíta que o obriga à obediência incondicional ao Papa. Como ele cumprirá esse voto sendo Papa ou tendo um segundo Papa ao seu lado cujo Pontificado é a antítese do seu?
    Essas questões que afligem a verdadeira “Ecclesia Dei Afflicta,” ele responde com gracejos sobre uma hipotética mulher “muito preocupada, muito católica, um pouco rígida, mas boa” que teria sugerido que ele é um antipapa porque não usa os sapatos vermelhos”.
    Como sempre, pra fugir de questões sérias ele reduz quem questiona sua eligibilidade ao teatro do absurdo.
    Por que então ele não responde aos questionamentos sérios de Socci em seu livro “Non e Francesco”? Por que não esclarece sobre as irregularidades em seu processo de eleição? Por que não fala do dossiê sobre a Máfia Gay no Vaticano que lhe foi entregue depois da renúncia de Bento XVI? Por que recusa a agir como Papa em algumas situações e em outras usa o poder do Pontificado pra oprimir e neutralizar prelados que são contrários à sua agenda? Por que ao contrário de São Pio X ele quer transformar a Igreja de Cristo no movimento Sillonista condenado pelo Santo Pontífice em “Notre Charge Apostolique”?
    E ele falta com a verdade quando diz que segue a Igreja, enquanto joga pra escanteio sua Doutrina Universal e sua Tradição pra propor heresias sob a forma de “medidas pastorais”.
    Além do mais, de que adianta recitar o Credo como qualquer padre modernista recita…da boca pra fora, se na prática o negam item por item.
    Quando ele disse que não crê em um Deus Católico será que estava recitando o Credo Niceno? Será que quando ele se encontra com Judeus e Muçulmanos e reza com eles, tem coragem de confessar que crê em um só Senhor, Jesus Cristo, Filho Unigênito de Deus, nascido do Pai antes de todos os séculos: Luz da Luz, Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, gerado não criado, consubstancial ao Pai. Por Ele todas as coisas foram feitas.E, por nós, homens,e para a nossa salvação, desceu dos céus:e encarnou pelo Espírito Santo,no seio da Virgem Maria,e se fez homem?
    O que eu queria mesmo é vê-lo recitar o célebre juramento anti-modernista elaborado por São Pio X.
    Enquanto ele não responder à essas questões eu continuarei tratando-o apenas como o “Bispo vestido de Branco que parecia ser o Sumo Pontífice”.
    No mais, suas atitudes e discursos falam mais alto do que qualquer desculpa esfarrapada que ele dá pra ridicularizar quem lhe opõe. Hoje mesmo no jardim da Casa Branca quem esperava um comunista trovejando contra o Capitalismo Americano errou feio.
    Obama não poderia ter encontrado melhor aliado para suas políticas esquerdistas que estão destruindo o país. Parecia até uma aliança nos moldes: você me ajuda a destruir o USA que eu te ajudo a destruir a Igreja.
    Logo no início do discurso um empurrão de apoio à anistia para os imigrantes ilegais que invadiram o país: “Estou profundamente grato pelas boas-vindas em nome de todos os Americanos. Como o filho de uma família de imigrantes, estou feliz de ser um hóspede neste país, que foi em grande parte construído por essas famílias”.
    E continua: “Durante a minha visita terei a honra de me dirigir ao Congresso, onde eu espero, como um irmão deste país, oferecer palavras de encorajamento aos que foram chamados para guiar o futuro político da nação, na fidelidade aos princípios de seus fundadores”.
    Pelo que eu sei, os princípios dos fundadores da República Americana são todos da Maçonaria, portanto quem pensou que ele irá “oferecer palavras de encorajamento aos que foram chamados para guiar o futuro político da nação, na fidelidade aos princípios de Cristo” quebrou a cara!
    Mas ainda tem pior, alguém aí achou que iria rolar pelo menos um puxão de orelhas por causa da aprovação do casamento gay pela Suprema Corte Americana? Se ele recebe aos beijos a Kirchner depois dela ter empurrado casamento gay pela goela abaixo dos Argentinos, acham mesmo que iria falar alguma coisa contra a lei iníqua da Suprema Corte? Disse bem o contrário:
    “Sr. Presidente, juntamente com os seus demais compatriotas, os Católicos Americanos estão comprometidos com a construção de uma sociedade que é verdadeiramente tolerante e inclusiva, para salvaguardar os direitos dos indivíduos e das comunidades, e rejeitar todas as formas de discriminação injusta”.
    Ou seja, daqui pra frente os sodomitas estarão com a corda toda pra invadir as igrejas e ocupar postos na catequese, na liturgia, nas escolas e nas instituições católicas porque os Católicos americanos, seguindo as ordens de Bergoglio e o que ele tem em vista para o próximo Sínodo, estarão comprometidos com a construção de uma sociedade que é verdadeiramente tolerante e inclusiva, para salvaguardar os direitos dos indivíduos e das comunidades, e rejeitar todas as formas de discriminação injusta”.
    No tocante à família, disse: “Eu também viajarei à Filadélfia para o Oitavo Encontro Mundial das Famílias, para celebrar e apoiar as instituições do matrimônio e da família, neste momento crítico na história da nossa civilização”.
    E nós conhecemos bem o seu gesto concreto para celebrar e apoiar as instituições do matrimônio e da família, neste momento crítico na história da nossa civilização: lançou um decreto pra facilitar anulação de casamento até por deficiência de fé e independente da anuência de uma das partes!
    E pra fechar com chave de ouro, ele passa o tempo todo do discurso promovendo a mesma mentira comunista do Aquecimento Global enaltecida na Laudato Si ( que pelo que tudo indica teve o dedo podre do Boff em sua elaboração) e que foi criticada publicamente por seu “ministro das Finanças, Cardeal George Pell:

    “A Igreja não tem competência alguma especial em matéria de ciência. A Igreja não tem um mandato do Senhor para se pronunciar sobre questões científicas”.

    E tem gente que ainda pergunta se Bergoglio é um daqueles Bispos vermelhos das décadas passadas! Não meus caros! Verde é a cor nova do comunismo.

    • Gercione,

      “O bispo vestido de branco, que parecia ser o sumo pontífice”

      é da visão de S. Dom Bosco, que diz que seria assassinado e substituído, por aquele que deveria ser o que conduziria as colunas da SSma. Eucaristia e N.Sra?

      Seria isto?

      AMDG.,

  11. Para bom entendedor meia palavra basta. Quem sabe no sínodo que se aproxima a verdade ficará mais clara? Que Deus nos ajude!!!

  12. Esse Papa é a antítese de tudo o que a Santa Igreja Católica ensina neste mais de 2000 anos.
    Que pontificado desastroso, simplista, anencéfalo! Que para a Glória do Deus Crucificado e Ressuscitado acabe logo.
    E que Deus tenha misericórdia do Papa que virá, ao reparar tantos males perpetrados pelo atual Pontífice. Isso se o Colégio Cardinalício permitir que, desta vez, o ESPÍRITO SANTO realmente haja…

Trackbacks