Papa, Cuba, prisões e silêncio.

Por Marco Tosatti – La Stampa | Tradução: Gercione Lima – FratresInUnum.com: “Eu não tive nenhuma notícia das prisões. Que isso tenha acontecido, eu não tenho nenhuma notícia”. As respostas que o Papa Francisco deu no avião que o levou aos Estados Unidos, após a prisão de dezenas de dissidentes que se mobilizaram para ir ao seu encontro, tocaram não poucos observadores.

Também porque, como o próprio Papa disse, aquelas pessoas não haviam se mobilizado por sua própria iniciativa. “Da Nunciatura foram feitos alguns telefonemas para algumas pessoas que estão nesse grupo de dissidentes, para dizer-lhes que no momento da minha chegada à Catedral, eu os teria saudado com prazer. Nenhum deles, no entanto, se identificou como um dissidente no momento da saudação, assim eu não sei se estavam ou não estavam lá, eu cumprimentei a todos aqueles que estavam lá”. Não estavam, porque a polícia os prendeu antes que pudessem chegar perto, e, aparentemente, ninguém informou o Papa. Embora a notícia tenha sido divulgada imediatamente (este blog falou do ocorrido quase ao vivo).

Se na comitiva do Papa e na sua Embaixada, pensaram que não era o caso advertí-lo sobre o que poderia ser interpretado como um insulto a um hóspede (afinal, no fundo tinha sido a Nunciatura a convidá-los) é provável que tenham entendido ou interpretado que afinal de contas não se tratava de algo do interesse do Pontífice. Que, aliás, em seus três dias de estadia em Cuba não fez referências explícitas ao problema dos dissidentes políticos.

O que posso dizer? Certamente, pessoas mais sábias que nós e que estão por dentro dos ambientes secretos nos explicarão que nesta fase delicada do relacionamento entre o regime comunista, Washington e a Igreja cubana era mais prudente não levantar a questão. Isso não elimina o fato de que todo o episódio deixa um gosto ruim, quando o comparamos com a imagem midiática de um Papa que se apresenta como o ícone dos mais fracos.

Tal prudência renderá frutos? Segundo o Washington Post, a adoção de uma estratégia semelhante à da Santa Sé por parte Obama tem sido até agora decepcionante: “As exportações dos EUA para Cuba, controladas por Havana, caíram esse ano enquanto só aumentaram as prisões dos opositores do regime e refugiados. Muitos cubanos estão tentando chegar aos Estados Unidos antes que Obama dificulte as regras de asilo para os cubanos, como uma medida para apaziguar o regime”. É claro, continua o colunista, que “os Castro não serão abalados por uma diplomacia discreta ou por alusões indiretas. Uma campanha de gestos e palavras diretas como as que o Papa Francisco tem em mente para os Estados Unidos, certamente, teriam um impacto. Afinal, é preciso mais coragem para desafiar uma ditadura do que uma democracia”.

Anúncios
Tags:

9 Comentários to “Papa, Cuba, prisões e silêncio.”

  1. Essa atitude do “grande Papa Francisco” não deve nos surpreender, como tampouco nos surpreende a vergonhosa complacência de Obama para com o regime ditatorial cubano!

  2. Como um Papa comunista pode clamar contra o comunismo no “paraíso” do marxismo caribenho?
    Ora, seria uma contradição…

  3. Nojo. Não posso mas nem ver.

  4. E o circo continua. A humildade de Bergoglio não lhe permite andar em carros grandes. Isto faz lembrar os sepulcros caiados de branco.

  5. O problema acima relatado de os dissidentes se manifestarem e se destacarem como tais numa concentração dessa, além de suas presenças serem indesejadas, comprometeriam a “ordem”, enquanto eles arriscam-se, depois sabendo a que se exporão e que “presente” os aguarda, pois as hienas comunistas são extremamente intolerantes e truculentas com os opositores, não sendo sem motivos de serem aliadas dos tais quais muçulmanos!
    Por outro lado, não teria havido de parte do Vaticano interesse de expô-los como vítimas da feroz repressão ditatorial comunista!
    Como todo governo falsario marxista, nenhum comunicado deles merece credibilidade alguma – como Dilma e seu PT – ainda mais numa visita sob holofotes do mundo inteiro; os deslocamentos do Papa Francisco foram meticulosamente calculados para nada transparecerem de negativo do “paraíso e da paz” comunistas, camuflando o real escravagismo cubano sob a capa da pseuda “democracia popular” – mendigos retirados da ruas – a democracia do “povo”, o qual são os chefões mafiosos membros burgueses e capitalistas do governo da ilha-prisão Cuba!
    Frutos trazidos dessa visita para a fé católica? Que saiba, nenhum!

  6. Nesse exato momento Bergoglio está sendo ouvido com efusivos aplausos no Congresso Americano. Esperemos pra ouvir o que ele tem a dizer sobre a Lei que a câmara de deputados aprovou e Obama está se preparando para vetar. Mas esperem sentados.
    Trata-se da Born-Alive Abortion Survivors Protection Act, patrocinada pelo Deputado Trent Franks que passará a proteger os nascituros que sobreviverem ao procedimento de aborto.The Born Alive Abortion declara que qualquer criança que sobrevive a um procedimento de aborto deve receber o mesmo cuidado pré-natal de qualquer outra criança prematura.
    http://www.lifenews.com/2015/09/18/house-passes-bill-to-hold-planned-parenthood-criminally-liable-for-harvesting-aborted-babies-still-alive/
    Incrível não? Parece que entramos numa máquina do tempo e voltamos aos tempos de Santa Cecília! Santa Cecília depois de ter sido condenada à morte por decapitação sobreviveu à três golpes de espada. Naquele tempo a lei romana estabelecia que depois do terceiro golpe, se o condenado sobrevivesse não poderia mais ser executado e assim ela ficou por quase três dias agonizando até que pereceu pelos ferimentos.
    Nos Estados Unidos, atualmente acontece o mesmo com os bebês que sobrevivem a um procedimento de aborto. São deixados a morrer sem cuidado porque são considerados “fetos”.
    A câmara de Deputados votou 248 a 177 a favor da lei. 239 Republicanos votaram a favor e 177 Democratas votaram contra. E Obama? Está ameaçando vetar a lei.
    É pra esses homens que Bergoglio está discursando e até agora nenhuma palavra contra essa barbaridade. Está falando de extremismo religioso sem citar o Islã e dizendo que NENHUMA religião está imune ao mesmo extremismo. Sério? Tem comparação? Aliás, acabou de dizer que o Islã tem muita contribuição a dar ao mundo. Vindo de um “Pontífice” Católico é simplesmente ridículo!
    O que ele está dizendo é que o Congresso tem que lutar contra toda forma de FUNDAMENTALISMO e outras platitudes como lutar pelo bem comum, renovar o espírito de cooperação…etc.
    Novamente em nenhum momento citou aquele nome diante do qual todo joelho se dobrará no céu, na terra e no inferno: JESUS CRISTO.
    Mas citou Martin Luther King várias vezes e sua luta pelos “afro-americanos” e novamente aquele papo furado de “sonhos”, sonhar… que América continue sendo uma terra de sonhos, que o povo americano não tenha medo dos estrangeiros ( lei de imigração de porteiras abertas).
    Os Democratas que votaram pela morte dos bebês que sobreviveram ao aborto estão respirando aliviados e aplaudindo Bergoglio porque todas as leis que eles querem enfiar pela goela abaixo dos americanos: mais taxas para quem trabalha, mais impostos para os ricos, anistia pra imigrantes ilegais, recepção de milhões de refugiados islâmicos…etc, é o que o discurso desse Pontífice está promovendo.
    Em suma, parece um discurso escrito pelos oficiais do Partido Democrata.
    Ele começou a falar da proteção da vida ….mas peraí…é contra a pena de morte!!!!!!!! Está dizendo que os Bispos Americanos estão comprometidos a lutar pela abolição da pena de morte nos Estados Unidos!!!!!
    Isso que pra ele é uma vergonha…a pena de morte para criminosos.
    Com essa encerro meu dia…Deus tenha misericórdia de todos nós!

    • Falou contra a pena de morte , sabem , aquela reservada aos piores crápulas , graças a Deus o paredón está resguardado e fora de críticas….

  7. Planned Parenthood também a salvo de críticas….

  8. Alguém, neutro no assunto, pode perguntar? Será que tem algum fruto positivo nestas viagens do Papa. Ou estas viagens são feitas por outros motivos? Será que o Papa esqueceu das centenas de milhares de vítimas que Cuba toldou o seu solo com o sangue rubro de tantos homens de bem? Certamente o Sumo Pontífice, ele seja o único “peregrino em Jerusalém” que nunca ouviu a barbárie que foi feita nesta terra, que outrora era chamada; a “pérola das Américas”. Quantos bem ele poderia fazer em benefício do cristianismo. Muito embora todo mundo sabe. Que o dia que um papa defender com clareza a doutrina católica, os seus dias estão contados. Seria melhor para ele ir cozinhando em “banho maria”, para não comprometer o seu prestígio perante o mundo. Como fica o negócio da salvação eterna???
    Joelson Ribeiro Ramos.