“Papa não é celebridade, é Servo dos servos de Deus”, diz Francisco aos jornalistas.

Cidade do Vaticano (RV) – Na tradicional conversa a bordo com os jornalistas realizada ao final das viagens, o Papa disse que não é uma “estrela” mas que o Pontífice é o “Servo dos servos de Deus”. Francisco ainda declarou-se surpreendido pela “calorosa” acolhida recebida nos Estados Unidos. Falou ainda que o maior desafio para a Igreja nos EUA é estar próxima das pessoas e que “foi duro” com os bispos acerca dos abusos sexuais.

Santo Padre, nos Estados Unidos, o senhor virou uma “star”. É bom para a Igreja que o Papa seja uma celebridade?

“O Papa deve… Sabes qual era o título que os Papas usavam e que se deve usar? Servo dos servos de Deus. É um pouco diferente de uma celebridade. As estrelas são bonitas de se ver, eu gosto de vê-las quando o céu está limpo no verão… Mas o Papa deve ser – deve ser! – o Servo dos servos de Deus. Sim, na imprensa se usa isso, mas há uma outra verdade: quantas estrelas vimos que depois se apagam e caem. É uma coisa passageira. Ao invés, ser ‘Servo dos servos de Deus’, isso é bonito! Não passa! Não sei… Assim, penso eu”

“Divórcio católico”

Sobre o seu recente Motu Proprio que facilitou o processo de nulidade matrimonial, o Papa reiterou que o “divórcio católico” não existe. “Ou não foi matrimônio – e esta é a nulidade, não existiu – e se existiu é indissolúvel. Isto é claro”.

China

Ao recordar que já se havia manifestado sobre seu desejo de ver estabelecidas relações diplomáticas entre Santa Sé e China, o Papa disse que “existem contatos e diálogo”. “Para mim, ter um país amigo como a China, que tem tanta cultura e tanta possibilidade de fazer bem, seria uma alegria”.

Colômbia

Sobre o acordo de paz na Colômbia, o Papa disse sentir-se parte não por ter uma atuação direta e sim porque “sempre desejou isso”. “Falei duas vezes com o presidente Juan Manuel Santos sobre o problema, e a Santa Sé – não somente eu – a Santa Sé está aberta a ajudar como puder”.

Objeção de consciência

No contexto de uma resposta sobre “funcionários do governo” que se rejeitam realizar o trabalho segundo a lei, o Papa disse que a objeção de consciência é um direito humano. “Se a uma pessoa não é permitido exercer a objeção de consciência, essa é a negação de um direito”.

“Sucesso” da viagem

Ao ser questionado se se “sentia mais forte” após o sucesso da viagem, Francisco afirmou que deve continuar no caminho do serviço porque sente que ainda não faz tudo o que deve fazer. “Este é o sentido que eu tenho de poder”, respondeu. “Não sei se tive sucesso ou não. Mas tenho medo de mim mesmo, porque se eu tenho medo de mim mesmo, me sinto sempre – não sei – frágil, no sentido de não ter poder, o poder é também uma coisa passageira: hoje existe, amanhã não… Jesus definiu o poder: o verdadeiro poder é servir”.

“Mulheres” sacerdotisas

Questionado sobre se, um dia, a Igreja católica terá mulheres sacerdotisas, o Papa afirmou que “isso não se pode fazer”. Contudo, admitiu: “Estamos um pouco atrasados no desenvolvimento de uma teologia da mulher. Devemos seguir adiante com essa teologia. Isso sim, é verdadeiro”. (RB)

Anúncios
Tags:

16 Comentários to ““Papa não é celebridade, é Servo dos servos de Deus”, diz Francisco aos jornalistas.”

  1. E se fosse e papa Bento XVI no anti cristão governo de Barack Obama indo aos EUA, nessa situação de implantação via “Partido Democrata” – eu mando, você obedece – de uma serie de aberrações ético-morais contestadas pela Igreja católica?
    Imaginem as manchetes após sua visita acerca de seus discursos que abordariam aproximadamente nos termos: com esse papa não há de como haver conciliação, não existe alternativa: mantém-se ainda no medievalismo de sempre, nada de adaptar a Igreja aos novos tempos e atender aos anseios da sociedade atual (relativista, anti cristã, neo-pagã)!
    O único jornal informativo(?) cubano Granma seria aproximadamente nos mesmos termos dos americanos, já que ambos adotam o marxismo!
    Nessa visita do papa Francisco a Cuba e aos EUA, que redundou de proveitoso missionario para crescimento de uma fé mais sólida para a Igreja, salvação das almas e estabelecimento do Reino de Cristo na terra, poderiam me enumerar?

  2. “a Igreja católica terá mulheres sacerdotisas, o Papa afirmou que “isso não se pode fazer”.” O papa não sabe ou não quer dizer que a Igreja nunca terá sacerdotisas?
    Bergoglio coloca-se entre o diabo e Deus, para agradar a ambos. Se disser, não, desagrada a muitos progressistas, se disser sim vai directamente contra a doutrina católica. Respondendo “não sei” mantém-se no estrelado. Deixando a questão para um eventual progresso da teologia (muito característico dos modernistas) deixa a porta aberta e vai directamente contra a autoridade da Igreja Católica, isto é de Cristo.
    “Portanto, para que seja excluída qualquer dúvida em assunto da máxima importância, que pertence à própria constituição divina da Igreja, em virtude do meu ministério de confirmar os irmãos (cfr Lc 22,32), declaro que a Igreja não tem absolutamente a faculdade de conferir a ordenação sacerdotal às mulheres, e que esta sentença deve ser considerada como definitiva por todos os fiéis da Igreja.” Papa João Paulo II , Carta Apostólica Ordinatio Sacerdotalis.
    Bergoglio diz que não quer ser uma estrela mas “servo dos servos”, no entanto actua como uma estrela e não é servo de ninguém, apenas do modernismos diabólico.

    • Entendi sua colocação perfeitamente Luiz. O Papa deveria simplesmente responder , isso não pode ser feito e ponto final . Teologia atrasada!? isso sim , realmente pode nos deixar com a pulga atrás da orelha….Mas o que quis destacar mais é mesmo o fato de que vejo muitas criticas e somente criticas ao Papa, que as vezes chegamos a pensar..Será que o Papa Francisco so faz coisas erradas? Veja, é de meu feitio mesmo acreditar que ninguém somente erra e sim também acerta. É claro que em se tratando de Doutrina, ninguém pode errar, muito menos o Papa, claro. Eu espero sinceramente que todos os católicos estejam também voltados à Tradição, rezando e muito para que o Papa acerte . Todos nós estamos verdadeiramente assustados por tantos comentários e heresias sim explicitas que parecem varrer a Fé católica. Santo Deus. .

  3. Como leigo, tenho também acompanhado algumas das viagens bem com discursos do Papa, e não posso , usando de sinceridade , dizer que não me assusto com alguns argumentos. Não talvez pelo sentido que estão dando às palavras do Papa e sim por não sentir que o Papa pensa “aquilo ” que deveria com toda convicção.

    Por outro lado, o que tenho visto na imprensa, em todos os meios de mídia de internet principalmente, em várias páginas de esgoto que se intitulam como Tradicionalistas, mas que por vezes são protestantes, é uma imensa vontade de estar certo contra o Papa. Ou seja, existe no ar , pelo que tenho visto e lido uma vontade tão grande de ter um anti papa, um papa que seja do lado do diabo, etc e tal, que daqui a pouco até o Papa começa a crer nisso.

    Ora, vejo nestes comentários o amigo Luiz Fernandes, ao qual me dirijo com todo respeito como devemos nos portar em comunidade, certo exagero quando diz que o Papa teria deixado dúvidas na questão da mulher sacerdotisa. O Para responde , “isso não se pode fazer” . Oras, que margem de dúvidas ficaram que o Papa disse, não vai fazer? Isso me preocupa os exageros em certos entendimentos de suas palavras. Se O Papa acordar, chamar a mídia e der bom dia, pode entrar nas redes socais bem como nos principais jornais do mundo, para ler os mais execráveis comentários chamando-o de anti papa….

    O que tenho visto é que mais parece que desejem um Papa mudo do que falastrão. Repito, atitudes como dizer que judeu é uma religião certa, pedir benção a protestante e mais uma porção de coisas heréticas , assusta a mim e muito. Sou católico e temo por qualquer tentativa de abolição de nossa Santa Igreja. Sou católico por convicção já e não por herança somente. Mas Pelo amor de Deus, também penso que devemos rezar pelo Papa e exercer um pouco de “ser cristão” em nossas palavras.

    Podemos defender a Tradição, e devemos, sem se tornar protestantes, ou não? Não é necessário ódio para pregar e defender a Igreja Verdadeira de Cristo com seus Dogmas Santos e infalíveis .

    Como leigo queria deixar uma reflexão no ar, e anseio sim opiniões. Será que o Papa Francisco não estaria dando uma de “joão sem braço” para atrair pessoas à Igreja e tentando com esse jeito de parecer que tudo está certo atrair e converter? Por favor, sem pedras ok?

    Uma coisa que ouvi de meu filho.. .. Será que o Papa , no próximo sínodo, onde vai reunir os bispos do mundo todo, caladinho não tem em ente consagrar a Russia? Afinal , oportunidades dessa não aparecem sempre, e pelo que consta a consagração já está tardia?

    Me despeço ,desejando a todos uma Fé inabalável , mesmo com tanta apostasia na Igreja e rezando pela Igreja e pelo Papa e por todos os fiéis católicos para que não vacilem na fé e sejam acometidos por distúrbios a ponto de apostatarem. Que Deus livre a todos disso.

    • Caro Delfim, à pergunta de uma possibilidade FUTURA de as mulheres se tornarem sacerdotisas o papa reponde com o presente, não respondendo à questão que estava em causa, isto é, o futuro. E continuando o raciocínio abre essa possibilidade para o futuro aflorando a teologia da mulher conotando-a como atrasada.
      Se o papa quisesse ser explicito e verdadeiro responderia à pergunta com um NÃO e isso bastava.

  4. Servus Servorum Dei é uma expressão em latim que significa Servo dos Servos de Deus e é um dos títulos oficiais do Romano Pontífice, geralmente utilizado para se referir a ele no início das bulas pontifícias.
    Se vocês pegam por exemplo, a bula Quo primum tempore de 1570, do Papa São Pio V, para a publicação do Missal Romano de 1956, logo abaixo do nome do papa, Pius Episcopus (Pio Bispo), está escrito o título Servus Servorum Dei.
    Esse título tem sua raiz bíblica no Evangelho segundo São Mateus, 20- 25 a 27:

    “Jesus, porém, os chamou e lhes disse: Sabeis que os chefes das nações as subjugam, e que os grandes as governam com autoridade. Não seja assim entre vós. Todo aquele que quiser tornar-se grande entre vós, se faça vosso servo. E o que quiser tornar-se entre vós o primeiro, se faça vosso escravo.
    Assim como o Filho do Homem veio, não para ser servido, mas para servir e dar sua vida em resgate por uma multidão”.

    Mas as perguntas que não querem calar são as mesmas de Antônio Socci. A quem Bergoglio serve quando convoca um Sínodo pra enfiar pela goela abaixo dos fiéis Católicos a aceitação do adultério e da sodomia sob pena de serem considerados “sem misericórdia”?
    A quem Bergoglio serve quando desrespeitando a vontade dos Bispos presentes no Sínodo insiste em manter o texto escandaloso que havia sido recusado? A quem Bergoglio serve quando persegue e afasta Bispos conservadores que se opõem à agenda sinistra de seu Pontificado e promove os mais radicais elementos a postos chaves dentro da Igreja? A quem Bergoglio serve quando mata Bispos como Dom Livieres através do peso de uma perseguição injusta e intermitente? A quem Bergoglio serve quando vai visitar Fidel Castro mas se recusa a receber em audiência privada os perseguidos pelo regime? A quem Bergoglio serve quando zomba do fato de Católicos oferecem-lhe um bouquê de rosários enquanto defende e mantêm como presente um crucifixo blasfemo com a foice e o martelo? A quem Bergoglio serve quando diante da carnificina dos cristãos no Oriente prefere defender muçulmanos? A quem Bergoglio serve quando se cala diante do escândalo das crianças mortas pelo aborto e prefere mostrar ultraje pela pena de morte para bandidos? A quem Bergoglio serve quando brada contra a pena de morte para bandidos irrecuperáveis no USA e se recusa a fazer o mesmo quando essa cai sobre cristãos inocentes como Asia Bibi? A quem Bergoglio serve quando se torna cabo eleitoral do Partido Democrata e bate palmas para um dos piores presidentes da história americana por causa de suas “iniciativas” pra combater a poluição do ar?
    Quer dizer que os piores inimigos da Igreja, os mais execráveis e abomináveis entre todos os seres que habitam esse planeta é que são agora os “SERVOS DE DEUS”? Porque é a esses que Bergoglio tem servido desde que se instalou no Pontificado Romano.
    Toda essa entrevista é um insulto à inteligência de qualquer Católico bem formado e mais um prêmio-consolação para os cleaners que estão ficando sem recursos pra defender esse Pontificado.
    “Para mim, ter um país amigo como a China, que tem tanta cultura e tanta possibilidade de fazer bem, seria uma alegria”. Como o “servo dos servos de Deus” pode falar em alegria em ser amigo do governo chinês que persegue os “servos de Deus” obrigando-os a matança das crianças devido à política do filho único, um regime que proibe a liberdade de culto e promove a derrubada da Cruz? A China como qualquer outro país tem ” tanta possibilidade de fazer bem”, só que não faz porque é um Estado comunista, totalitário e ateu.
    O objetivo dessa viagem era dar uma sacudida nesse Pontificado promovendo sua estrela máxima que andava com dificuldades pra decolar. Era preciso contar com a mídia mais poderosa e influente e para isso os temas escolhidos para os discursos foram selecionados a dedo. Promover a agenda Obama era a arma secreta pra se chegar a esse objetivo. Novamente conquistou o aplauso dos inimigos da Igreja e alijou os fiéis conservadores americanos que estão decepcionadíssimos com o maquiavelismo e a covardia do homem que ocupa a Cátedra de São Pedro.
    Bergoglio que fala um péssimo inglês, aliás não fala de jeito nenhum, lia um script bem definido escrito pela máfia eclesiástica. E essa estratégia, que passou despercebida para muitos iludidos, é a mesma que ele está usando contra a Igreja.
    Nós sabemos que Jesus Cristo é o legislador da Igreja. As leis divinas não podem ser abrogadas e ele perde o posto que ocupa no momento em que se declarar abertamente contra elas. Então ele se saiu com o estratagema do administrador infiel da Parábola, convocou um Sínodo visando que fossem dados passos para que, sem negar a doutrina, ou seja, a lei que Cristo deixou para a Igreja, fosse possível implementar “medidas pastorais”, que ignoram a própria doutrina sob um verniz de pseudo-misericórdia.
    Esse mesmo estratagema foi o que ele propôs aos legisladores americanos em seu discurso no Congresso Americano. Quando deputados e senadores se opõem a algumas leis que Obama e o Partido Democrata quer enfiar pela goela abaixo dos americanos é porque essas vão contra a Constituição Americana que o Presidente jurou defender e promover.
    Os representantes do povo são escolhidos nas urnas para manter o poder executivo sob controle e impedir que a democracia se transforme em uma tirania.
    Então Bergoglio vai lá e sutilmente propõe que eles troquem a Constituição pela “regra de ouro” da “misericórdia bergogliana”. Esqueçam a Constituição, “a vós, pede-se para proteger, com os instrumentos da lei, a imagem e semelhança moldadas por Deus em cada rosto humano”: cubanos, mexicanos ilegais que invadem suas fronteiras todos os dias, refugiados muçulmanos que vocês tem obrigação de acolher…etc.
    Outra pérola do discurso que é um tiro direto na Segunda Emenda da Constituição: o direito de portar armas. Sabemos bem que os Democratas se mobilizam a cada tragédia pra tentar impor leis coibindo a segunda emenda da Constituição e dessa vez acharam um aliado de peso falando ao Congresso:
    “Aqui devemos interrogar-nos: Por que motivo se vendem armas letais àqueles que têm em mente infligir sofrimentos inexprimíveis a indivíduos e sociedade? Infelizmente a resposta, como todos sabemos, é apenas esta: por dinheiro; dinheiro que está impregnado de sangue, e muitas vezes sangue inocente. Perante este silêncio vergonhoso e culpável, é nosso dever enfrentar o problema e deter o comércio de armas”.
    Acontece que os representantes do povo não foram eleitos para trapacear a Constituição e fazer do país uma sucursal da ONU. Deputados e senadores respondem diretamente à sua assembléia constituinte e não a um estrangeiro esquerdista como Bergoglio que não fala em nome de Cristo mas de seus próprios interesses políticos.

    • Gercione, vc parece ser uma pessoa amarga e descaritativa. Ainda bem que Deus é justo e misericordioso porque a depender do seu crivo S. Pedro não teria as chaves do Céu. Elas seriam entregues a você. Sei que vcs n vão publicar. Que a Virgem de Guadalupe os proteja com ternura maternal. Eu acredito nas promessas de Jesus. Ele não abandona sua Igreja. Podem planejar, conspirar, confabular à vontade. Deus é o melhor estrategista.

    • Obrigada Gercione por refrescar a nossa memória

  5. Tem alguns irmãos que devem ter uma vida muito amargurada, só pode. Até mesmo quando o Papa se mostra fiel a doutrina e fala as verdades claramente, estes procuram algo para fazer um texto enorme puxando e criando críticas. Sinceramente, vão se converter, o catolicismo de vocês está longe de ser verdadeiro, estão mais para Lutero.

    Procurem se apegar aos pontos positivos, confiem na promessa de Jesus que estará conosco todos os dias até o fim dos tempos. Continuam de mimimi por causa do sínodo e do Papa, porém o mesmo não mudou e nem mudará uma vírgula da doutrina católica. Sua forma de pastoral as vezes é equívoca, mas melhorou muito ao longo do seu pontificado.

    Então caros críticos ferrenhos, rezem pelo Papa com o mesmo fervor que escrevem seus textos e (devem fazer isso também) o criticam em diversas conversas. Garanto que, com a força da oração de vocês, as coisas se tornam bem diferentes. Deus abençoe.

  6. Acho que compreendi o que você diz. Uma vez que diz se fazer necessário avançar numa teologia da mulher, podemos subentender que há algo a ser ainda descoberto e mudado o que pode intuir com o surgimento de “sacerdotisa”. Compreendi sua visão, e concordo. As vezes o muito falar traz maus entendidos e eu espero que seja somente isso, porém não se sabe ao certo o que quis dizer o Papa com esse “prosseguir com a teologia ” e “isso sim é verdade”. Muito verdade o sentido de seu raciocínio.

  7. Cara Juliana, eu percebo que de vez enquando aparecem por aqui algumas pessoas tão indignadas, mas tão ofendidas ao ler algo que os tira de sua zona de conforto que frequentemente recorrem à tática do ad hominem para rotular ou depreciar, não as opiniões, mas quem as emite. Isso geralmente ocorre quando alguém tem um argumento emocional para fazer com pouco ou nenhum argumento lógico onde se apoiar.

    Muitas vezes, uma mente controlada pelo emocional age como se fosse uma “inteligência emocional” que opera de forma independente da mente lógica, e xingamentos ou insultos são produtos desta mente emocional, que nada mais é senão uma explosão de emoções sob forma de forma de farpas ou sarcasmo barato.

    A maioria das pessoas que se entrega a esse tipo de tática no fundo sabe que o rótulo que eles usam pra descrever o outro indivíduo do qual discordam não é 100% preciso e quando se trata de um desconhecido de internet aí é que é algo totalmente sem noção. Mas o rótulo funciona como uma válvula de escape para uma tensão interna, algo que descreve com precisão como a pessoa se sente em relação à outra pessoa e não o que ela realmente pensa ou sabe sobre a vida ou a personalidade de outra pessoa.
    Você diz que eu “pareço” ser uma pessoa amarga e descaritativa. Mas isso depende muito do seu conceito pessoal de doçura e caridade e é bem provável que eu não me enquadre mesmo nele.
    Além do mais, isso faz pouca ou nenhuma diferença porque a partir do momento em que você prefere evitar um debate inteligente em favor da sua explosão emocional, de forma indireta você deixa claro que não está imediatamente interessada na resolução dos conflitos que afligem sua alma diante das informações que a sua mente lógica é obrigada a processar.
    A essa altura creio que muitos que estão interessados num debate de idéias devem estar se perguntando: como é que a gente pode lidar com isso? Há duas vias. Primeiro, quando uma pessoa recorre a rótulos e sarcasmo barato, eles demonstraram claramente que abandonaram a lógica em favor do sentimentalismo ou das explosões emocionais. Então não há nada a ganhar com um confronto de palavras. No meio dessa crise que estamos vivendo, o melhor é orar por elas e seguir aquele conselho de São Paulo a Timóteo:

    “Rejeita as discussões tolas e absurdas, visto que geram contendas.
    Não convém a um servo do Senhor altercar; bem ao contrário, seja ele condescendente com todos, capaz de ensinar, paciente em suportar os males.
    É com brandura que deve corrigir os adversários, na esperança de que Deus lhes conceda o arrependimento e o conhecimento da verdade, e voltem a si, uma vez livres dos laços do demônio, que os mantém cativos e submetidos aos seus caprichos”.

    A segunda via é a da humildade. Quando você se ofende por um ataque pessoal é sinal de que aquela pessoa furou sua bola, mexeu com sua auto-estima, revelou que tem alguém na platéia que não lhe aplaude. Então não busque os aplausos ou a aprovação do mundo, mas sim de Deus que conhece os corações e sabe se você está a serviço da verdade ou busca a própria vanglória desse mundo que passa.
    Continuo pedindo as orações de todos vocês porque a misericórdia é doce mas a penitência é dura.

    • Creia-me, você não me ofende em absoluto.

    • Dona Gercione, não pare nunca.
      Vou rezar sim por você e sua família.
      Sei que o combate é feroz.

    • Bendito seja o [ridículo] insulto da Sra. Juliana, porque nos concedeu a dita de presenciar réplica tão profunda, instrutiva e brilhante da Sra. Gercione!!!! Isso foi uma verdadeira aula de tanta coisa… que a Sede da Sabedoria continue a lhe inspirar!

  8. Toda aquela gente que seguia Bergoglio estava mais interessada em regularizar a situação social nos EUA, e não na mudança de vida para o estado de santidade.

    Inffelizmente hoje as tais pastorais disso e daquilo estão infestadas por maçons que querem a Igreja mais como um clube de recreação.

    Por que Bergoglio escolheu a Filadélfia, capital mundial da maçonaria, para o encontro munidal das famílias?

    Objeção de consciência é liberdade de consciência?

    Essa é objeção, aparente alívio para os padres negarem sacramentos aos que estão em pecado público, pode ser também aos liberais maçons?

    Quanto aos direitos das mulheres dentro da igreja, a pergunta é objetivamente maçônica. Pois os maçons espalham a mentira no mundo que a mulher é tratada como objeto pela Igreja, quando ocorre o contrário.

    As respostas de um papa nestas circunstancias? Seriam as falácias? Não devam ser sabias e honestas?

  9. Um esclarecimento: o Papa é dito o servo dos servos não como se a estes servisse, mas como primeiro e mais eminente entre eles. Assim como hoje popularmente se diz “o jogo dos jogos” e etc.