Padre Sinodal: certas propostas foram “concebidas artificialmente para destruir a família”.

“Esses são exatamente os assuntos promovidos por diversas organizações internacionais”

Por Ryan Fitzgerald  – ChurchMilitant.com, Cidade do Vaticano, 22 de outubro de 2015 | Tradução: Teresa Maria Freixinho – FratresinUnum.com:  É triste ver o Sínodo sobre a Família concentrar-se tanto em assuntos que foram “concebidos artificialmente para destruir a família” – disse Dom Krzysztof Białasik ontem, no site oficial da Conferência dos Bispos Poloneses.

“Na minha opinião, é triste perceber que tenhamos consumido tanto tempo em questões que o Sínodo não deveria ter abordado, porque essas questões são de natureza diferente”, observou. “Surpreendi-me com a existência de um grupo particular de cardeais que nem sempre falam de maneira apropriada sobre questões da família, interpondo temas que deveriam ser considerados em outra oportunidade.”

Em outras palavras, Dom Białasik ficou surpreso ao ver propostas contrárias à família — “especialmente a Comunhão aos divorciados e o homossexualismo” — exercendo tanta influência sobre um determinado grupo de Padres Sinodais, que, supostamente, deveriam estar promovendo o conceito verdadeiro e tradicional de família.

Ele prosseguiu observando, “Esses são exatamente os assuntos promovidos pelas diversas organizações internacionais, primeiramente, dos EUA e da Europa Ocidental.”

“Porém,” acrescentou, “é surpreendente que eles também exerçam influência sobre determinados bispos.”

Dom Białasik está curioso ao perceber que pessoas ou organizações particulares estejam exercendo um efeito tão sinistro sobre a Santa Madre Igreja.

“Não sei o que está por trás disso tudo; porém, se existe um grupo de cardeais e bispos, e existe, isso significa que alguma coisa está por trás,” ele insistiu. “A possibilidade de existirem pessoas assim dentre os bispos é o que me causa mais dor.”

Há evidências de que dois grupos ocidentais pró-LGBT, Fastenopfer e a Fundação Arcus, têm tentado — com muito dinheiro — promover decisões pró-LGBT no Sínodo, porém, não há ligação definitiva com qualquer prelado individualmente.

Dom Białasik, um bispo boliviano de ascendência polonesa, proferiu esses comentários não muito tempo depois de contar em uma entrevista à Rádio Vaticana que ele nutria esperanças de que o Sínodo sobre a família confrontasse questões candentes, como, por exemplo, o “holocausto” do aborto e a ideologia de gênero, ambos os quais ele considera como parte da crescente “cultura da morte”.

Anúncios

9 Comentários to “Padre Sinodal: certas propostas foram “concebidas artificialmente para destruir a família”.”

  1. Existindo dentro do Sínodo alguns proponentes de aberrações à doutrina católica, questionamento de D Kryzsztof, deduz-se que se encontrem dentro dele agentes travestidos de altos hierárquicos a serviço de interesses escusos, infiltrados a serviço de ideologias, sendo os mais prováveis os componentes da maçonaria eclesiástica, como os comunistas.
    Esse tipo de infiltração é bastante conhecido por farta documentação, como Pe Malachi Martin e por meio de ex agentes arrependidos da macabra missão que executavam: colocar inimigos da Igreja em seu interior para tentarem a implodir.
    Uma das estratégias tem sido no presente de criarem uma igreja pseudo católica à margem da real com sua doutrina e ensinamentos reelaborados sob modelos niilistas de engenharia social, nos princípios alienantes, massificadores dos povos, escravizantes, além de meramente calcados em conceitos modernistas.
    O tipo de ação que deveria movimentar o Sínodo deveria focar de como promover a família para se comportar face às investidas das ideologias que a assediam, não o que se vê: a partir de seu interior diversos querendo impor o relativismo!
    O grande problema é não saber exatamente quais são verdadeiros e nomeados inimigos da Igreja, embora pelas propostas de cada um dê uma dica de que lado estão – esses estão devidamente acobertados pelas sombras – configurariam-se sendo os verdadeiros desafetos e seriam os asseclas de Satã!
    *“Saiba ainda que a Justiça Divina costuma descarregar castigos terríveis sobre nações inteiras, não tanto pelos pecados do povo quanto pelos dos Sacerdotes e religiosos, porque estes últimos são chamados, pela perfeição de seu estado, a ser o sal da Terra, os mestres da verdade e os pára-raios da Ira Divina” (II, 186).
    * N Senhora do bom Sucesso.

  2. Dá um alento, quando vemos que existem Príncipes da Igreja, defendendo os verdadeiros Dogmas de Cristo!

  3. Sendo de ascendência polaca, penso que a maior preocupação deveria ser a Consagração da Rússia ao Imaculado Coração de Maria, como pedido por Nossa Senhora em Fátima. Devemos destruir a causa (o comunismo) e não as consequências (aborto, ideologia de gênero, etc.).

    Mutatis mutandis, não adianta tomar remédio para dor de cabeça, quando esta dor de cabeça é causada por um câncer.

    • Na época da aparição, o erro da Rússia estava na Rússia. Hoje o erro da Rússia espalhou-se até no Vaticano. Consagrando a Rússia, ela converte-se, mas o comunismo continua impregnado em outros lugares não consagrados. Pelo menos é o que eu penso.

  4. Em relação à homossexualidade há um silêncio mórbido no Sínodo. Covardia? É a linguagem do politicamente correto? Cumplicidade? Ou o assunto ainda é um tabú?

    Nos relatios dos círculos menores muitos pediram que o assunto fosse retirado do documento.

    Olha o absurdo do Circulus Anglicus “D.”: “Alguns membros pensaram que esta questão deve ser removida do debate do Sínodo sobre a Família. Eles sentiram que o tema é importante o suficiente para ter uma reunião sinodal específica. Alguns sugeriram que deve ser utilizado na redação do documento o Catecismo da Igreja Católica No. 2357-2359. Outros viram nessa opção a possibilidade de se prejudicar a credibilidade da Igreja na Europa Ocidental e América do Norte”.

    grupo que talvez tenha trazido o tema mais à tona foi o Circulus Anglicus “A” do Cardeal George Pell que trata da importância de um acompanhamento pastoral que dê a devida atenção às pessoas com tendências homossexuais e em especial às suas famílias. “Pais e irmãos das famílias com mmebros com tendências homossexuais são chamados a amar e aceitar estes membros da sua família com compreensão e com um coração indiviso”. E ainda faz um apelo ao Sínodo: “Afirmar e propor novamente a totalidade do ensinamento da Igreja sobre o amor e a castidade. Nós incentivamos os pais e os membros da família (…) acompanhar um ao outro em resposta ao apelo do Evangelho a uma vida de castidade.

    Neste mesmo sentido, apesar de relatar a opção de alguns membros de se eliminar o tema da homossexualidade do documento, o Circulus Anglicus “C” destaca que embora optem “por um tratamento mais breve” o documento final deve incluir “num ponto apropriado uma declaração clara da doutrina da Igreja que uniões do mesmo sexo não são de forma alguma equiparada ao casamento”.

    Os outros grupos praticamente se omitiram ou alegaram pouco tempo, como o Circulus Gallicus “B”, cujo moderador é o Cardeal Robert Sarah: “Faltou-nos tempo para pensar sobre a situação dos homossexuais em nossas diversas discussões e nas diferentes dimensões do cuidado pastoral da Igreja para eles”.

  5. “Não sei o que está por trás disso tudo…”

    Não seja ingênuo. 1. Ou é a maçonaria. 2. Ou é dinheiro da maçonaria rolando para quem defender seus princípios. 3. Ou é a influência da maçonaria nos seminários que fez efeito. 4. Ou eu estou enganado pela desinformação.

  6. Tem coisas que realmente dão o que pensar:

    “Pais e irmãos das famílias com membros com tendências homossexuais são chamados a amar e aceitar estes membros da sua família com compreensão e com um coração indiviso”.

    Interessante é que quando os pais colocavam pra fora de casa aquela garota que engravidou ( e muitas ainda vão parar em abrigos em todas as partes do mundo) ou que perdeu a virgindade ( onde isso ainda é tabu) eu nunca vi a Igreja se reunir em Sínodo pra dizer: “Pais e irmãos das famílias com membros com tendências à libertinagem são chamados a amar e aceitar estes membros da sua família com compreensão e com um coração indiviso”.
    Minha mãe conta que quando uma tia minha “caiu na vida”, meu avô a colocou pra fora de casa. Era assim e pronto.
    Mas agora a tal “mudança de paradigma” escolheu como “causa de estimação” justamente o pecado que é uma abominação aos olhos de Deus. Já tem até cardeal dizendo que uma pessoa “já nasce abominável”. Chegam ao absurdo de pregar a contradição como outro atributo divino! Afinal, segundo Kasper, se Deus não for uma metamorfose ambulante, é só um ídolo autoritário que deveríamos descartar.
    Segundo essa mudança de “paradigma”, Deus teria criado uma “pessoa homossexual” e quando se deu por conta do engano, irado por ter cometido um erro foi lá no seu livro sagrado e resolveu condená-los todos à morte eterna! Que Deus justo hem? Cria uma pessoa assim e depois a condena ao inferno! Não é à toa que a maioria dos homossexuais se declaram ateus!
    Mas Dom Krzysztof Białasik não deveria se surpreender com o que fazem esses Bispos, padres e cardeais que vivem em pecado mortal, mas sim com o que deixam de fazer! Querendo se fazer sábios tornaram-se estúpidos e marionetes de Satanás.
    Achavam mesmo que o clero entregue ao vício da sodomia iria permanecer muito tempo na surdina? Antes ocultavam, agora se exibem orgulhosos e ainda querem fazer do seu vício temas de pregação até pra crianças!
    Subverteram e sequestraram um Sínodo que havia sido concebido por Bento XVI pra falar em defesa da Família e enxertaram nele propositalmente assuntos que foram “concebidos artificialmente para destruir a família”.
    O grande experimento da Teologia da Libertação na América Latina foi apenas um laboratório pra causas ainda mais perniciosas usando a Igreja como canal de distribuição. No giro de poucas décadas conseguiram converter um inteiro continente que tinha verdadeira urticária só de ouvir falar em comunismo em seus mais ardentes defensores e eleitores. Bastou substituir algumas palavrinhas feias por “justiça social” e todo mundo embarcou na onda se achando os paladinos da igualdade!
    Com a sodomia estão tentando a mesma coisa! Já tem até “Teologia Gay” distorcendo a Bíblia pra colocar Jesus como homossexual!
    Acho que não precisamos entrar em detalhes pra dizer o que vem a ser sodomia ou tribadismo, ou seja: simulações de atos sexuais pervertidos entre pessoas do mesmo sexo e que agora são chamados em documentos oficiais como “relacionamentos homoafetivos”. Com uma bela apresentação qualquer caramujo vira escargot!
    Não existem “pessoas homossexuais”. O que existe são pessoas com tendência a tudo que não presta, mas ela só se torna aquilo que faz quando dá o seu consentimento transformando tendência em ação.
    Portanto o homem só é ladrão quando rouba, só é adúltero quando adultera, só é mentiroso quando mente, só é bêbado quando bebe e só é sodomita quando pratica atos sexuais com pessoas do mesmo sexo. O resto é conversa pra boi dormir.
    Com isso não quero dizer que devemos tratar mal essas pessoas, a Igreja nunca ensinou isso! No dia a dia convivemos com todo o tipo de gente e devemos tratá-las com respeito independente de ser um ladrão, adúltero ou sodomita. O que eu não aceito e não respeito é esse tipo de gente ocupando posições nas fileiras do clero:

    “Na minha carta vos escrevi que não tivésseis familiaridade com os devassos.
    Porém, não me referia de um modo absoluto a todos os impudicos deste mundo, os avarentos, os ladrões ou os idólatras, pois neste caso deveríeis sair deste mundo.
    Mas eu simplesmente quis dizer-vos que não tenhais comunicação com aquele que, chamando-se irmão, é impuro, avarento, idólatra, difamador, beberrão, ladrão. Com tais indivíduos nem sequer deveis comer.
    Pois que tenho eu de julgar os que estão fora? Não são os de dentro que deveis julgar?
    Os de fora é Deus que os julgará… Tirai o perverso do vosso meio” ( I Coríntios 5).

  7. A primeira questão a ser pensada é a seguinte: Para quê precisamos de sínodo ? Para discutir o que é indiscutível ? Negociar o que é inegociável ? O fato de haver sido convocado um sínodo tão grande para discutir o que é claríssimo na Doutrina Católica já mostra quais as intenções por trás disso.Há bispos e cardeais defendendo abertamente o adultério, o homossexualismo e até mesmo a poligamia. Nós estamos vendo a destruição da Igreja por agentes do demônio abertamente! Mas sempre há os otimistas que neguem isso, e que tudo vai ficar bem. Não vai. Ainda que essas ideias pérfidas não sejam aprovadas no sínodo, só pelo fato de terem sido discutidas seriamente, já abre um grande espaço para a futura admissão de todas a abominações possíveis e imagináveis.

  8. Enquanto isso:

    “Lisboa, 23 out 2015 (Ecclesia) – O bispo nomeado para a Diocese de Setúbal, afirmou à Agência ECCLESIA que o cuidado pastoral da Igreja Católica na família não se resolve com “receitas imediatas” e que a comunhão dos recasados é “possível e desejável”.

    “Pensar tudo com realismo, aceitar as diferenças dentro da Igreja e procurar soluções é o verdadeiro caminho de sinodalidade. Problemas destes não se devem reduzir a receitas imediatas, mas há uma atenção nova de acolhimento da realidade familiar num mundo que está a mudar completamente”, disse o bispo nomeado para a Diocese de Setúbal (…)”.

    http://www.agencia.ecclesia.pt/noticias/nacional/sinodo-2015-receitas-imediatas-sao-insuficientes-para-resolver-problemas-da-pastoral-da-familia/

    São chocantes as declarações desse Bispo. Realmente, desoladoras. Como isso pode sair da boca dum sucessor dos apóstolos?! Deus me perdoe, mas soa-me um Judas a falar (e enganar)!!!