O mais terrível flagelo na Igreja.

Por Padre Élcio Murucci – FratresInUnum.com

jesus-flageladoO sacerdócio na Antiga Lei era apenas figura do sacerdócio deixado por Nosso Senhor Jesus na Sua Igreja. O que a Sagrada Escritura diz dos sacerdotes no Antigo Testamento, muitas vezes se aplica também aos do Novo Testamento e, às vezes, até com mais propriedade. É o caso de que tratamos no presente artigo: o castigo da existência de pastores maus, escandalosos e omissos.

Consideremos algumas passagens das Sagradas Escrituras: “Ouvi isto, ó sacerdotes, e tu, ó casa de Israel, ouve com atenção; escuta, ó casa real, porque sobre vós se vai exercer o juízo, pois, devendo ser sentinela, lhe tendes armado laços e sido para ele como uma rede estendida sobre o monte Tabor” (Oséias V, 1).

Oh! Sacerdote de Jesus Cristo, oh! Pastor de almas, que terrível juízo sofrereis um dia! Oh! Eclesiásticos que escandalizais! Então vós, que sois os protetores natos da inocência, armais-lhe laços? Estendeis as vossas abomináveis redes sobre o mesmo Tabor, sobre esse monte santificado por tantos e tão veneráveis mistérios.

“O meu povo tornou-se um rebanho perdido; os seus pastores enganaram-nos e fizeram-nos andar desgarrados pelos montes; dos montes passaram aos outeiros e esqueceram-se do lugar do seu repouso” (Jeremias L, 6).

Assim, o mais terrível flagelo que Deus podia empregar para punir uma paróquia, uma diocese, uma província, um país e até todo orbe, seria permitir que lhes fossem enviados pastores escandalosos. Eis o que Deus mesmo diz por um profeta: Como castigarei os pecadores obstinados? Que novo golpe lhes infligirá a minha justiça indignada? Eis o castigo: “Os seus pastores enganaram-nos…” (Jeremias citado acima).

Observemos que os Pastores na Igreja podem escandalizar também por omissão. Eis o que diz a Bíblia sobre eles: “As suas sentinelas estão todas cegas, todas se mostraram ignorantes; são cães mudos, que não podem ladrar, que vêem coisas vãs, que dormem, e que amam os sonhos. E estes cães tão sem-vergonha não podem saciar-se; os mesmos pastores não têm nenhuma inteligência; todos declinaram para o seu caminho, cada um para sua avareza, desde o mais alto até o mais baixo” (Isaías LVI, 10 e 11). E logo em seguida o profeta acrescenta: “O justo perece, e não há quem lhe dê atenção…” (Isaías LVII, 1).

Caríssimos, temos que rezar muito e fazer penitências pelos eclesiásticos desde “o mais alto até o mais baixo”.

Fala-se hoje em um “Deus das surpresas”. O próprio Deus, pela boca de São Paulo disse que “Jesus é sempre o mesmo, ontem, hoje e sempre”. Portanto, caríssimos, devemos rezar e fazer penitência para conseguirmos a graça da perseverança: seja nosso falar “Sim, sim; Não não”; e rejeitemos toda doutrina nova e estranha. Até as revelações particulares só são aprovadas pela Igreja se estiverem em consonância com a Revelação Pública que terminou com a morte do último Apóstolo. Não pode haver “surpresa” de novidades na doutrina. Como dizia São Vicente de Lérins: “Nove, non nova”, não podem haver doutrinas novas na Igreja, embora possam ser apresentadas de maneira nova.

Anúncios
Tags:

5 Comentários to “O mais terrível flagelo na Igreja.”

  1. Forçosamente tem de se relacionar a crise ético-moral-religiosa em cada vez mais se afundou o mundo – apostasia do Ocidente – disso gerando o alastramento de partidos comunistas em varios países, caso Brasil, A Latina, Central, do Norte-USA, até na filha primogênita da Igreja, a França e virulento ressurgimento dos muçulmanos – comparsas desses – com a decadência verificada nas fileiras do Clero e das Ordens religiosas, associando-se aos inimigos da fé católica.
    *”Saiba ainda que a Justiça Divina costuma descarregar castigos terríveis sobre nações inteiras, não tanto pelos pecados do povo quanto pelos dos Sacerdotes e religiosos, porque estes últimos são chamados, pela perfeição de seu estado, a ser o sal da Terra, os mestres da verdade e os para-raios da Ira Divina (II, 186).
    Sendo o Clero o sal da terra e a luz do mundo, como disse Nosso Senhor, se tal sal e luz perdem a função,, que resultado se obterá senão o aparecimento das trevas?
    Foi com bastante contundencia e insistencia que Nossa Senhora do Bom Sucesso revelou à Madre Mariana que MUITAS NAÇÕES SERÃO CASTIGADAS PELOS PECADOS DOS MAUS SACERDOTES E RELIGIOSOS!
    E Nossa Senhora faz à sua dileta filha esta declaração terrível:
    **”Tempos funestos sobrevirão, nos quais (…) aqueles que deveriam defender em justiça os direitos da Igreja, sem temor servil nem respeito humano, darão as mãos aos inimigos da Igreja para fazer o que estes quiserem” (II, 98)
    Vejamos o caso Brasil: qual oposição formal da Alta Hierarquia ao perverso comunismo de forma direcionada como foi D Bergonzini e no presente D Aldo Pagotto? Não existem varios até apoiando a TL e apoiando a Reforma Política (do PT), para impedir(?) desvios de verbas na política, caso da esquerdista direção da CNBB?
    Àquela época, a CNBB não interpelou D Bergonzini por causa de seu procedimento anti petista, devido sua restrição ao aborto, mesmo o caso de D José Sobrinho?
    Quando um partido comunista, caso PT, que sabe fazer ferrea oposição a adversarios não questiona a Alta Hierarquia católica – hão coisas muito erradas, inexplicáveis!
    “E sabereis que eu sou o Senhor, porque não andastes nos meus estatutos, nem cumpristes os meus juízos; antes fizestes conforme os juízos dos gentios que estão ao redor de vós. Ez 11,12.
    * ** N Senhora do B Sucesso.

  2. Uma crítica off-topic.

    Pio XII, na Mediator Dei, recomenda que os crucifixos nas Igrejas tragam sempre o Cristo pregado e seus sofrimentos.
    Entretanto, imagens excessivamente realistas, ou com a pretensão de trazer algum realismo, não são boas. Antes de tudo, a imagem deve trazer à mente o amor e a confiança, e claro a ideia de sofrimento e dor. Mas jamais o horror. Mesmo porque, jamais algum artista chegará perto de expressar o verdadeiro sofrimento de Jesus Cristo, isso seria uma pretensão.
    Acho que a representação e o valor do Ecce Homo em nossa arte tem outro significado em nossa arte, que com toda a certeza, não nos causa uma repugnância natural, o contrário, nos atrai ainda mais.

    • Diferente de mim, achei oportuno o Jesus da imagem do Pe Elcio, pois existem uns crucifixos até dentro de igrejas por aí, tão “moderninhos” que parecem uma sombra do real Jesus, o da foto, relembrando o profeta Isaías, esse é o que nos faz lembrar com clareza o que Jesus foi submetido por nós de forma gratíssima, a seguir:
      “Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum”. Is 53:3

  3. ….quando ainda existem crucifixos..
    .Há paróquias onde não encontramos um sequer, nem sobre o altar durante a Missa -,apenas um desenho (bem mal feito) de um Jesus ressuscitado….

  4. São Paulo nos explica claramente o motivo dessa explosão de escândalos e perversão em meio ao clero:

    A ira de Deus se manifesta do alto do céu contra toda a impiedade e perversidade dos homens, que pela injustiça aprisionam a verdade[…]Porque, conhecendo a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças. Pelo contrário, extraviaram-se em seus vãos pensamentos, e se lhes obscureceu o coração insensato.
    Pretendendo-se sábios, tornaram-se estultos.
    Mudaram a majestade de Deus incorruptível em representações e figuras de homem corruptível, de aves, quadrúpedes e répteis.
    Por isso, Deus os entregou aos desejos dos seus corações, à imundície, de modo que desonraram entre si os próprios corpos.
    Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos. Amém!
    Por isso, Deus os entregou a paixões vergonhosas: as suas mulheres mudaram as relações naturais em relações contra a natureza.
    Do mesmo modo também os homens, deixando o uso natural da mulher, arderam em desejos uns para com os outros, cometendo homens com homens a torpeza, e recebendo em seus corpos a paga devida ao seu desvario.
    Como não se preocupassem em adquirir o conhecimento de Deus, Deus entregou-os aos sentimentos depravados, e daí o seu procedimento indigno.
    Romanos 1:21-28

    Ora, estamos assistindo de camarote desde o advento do Vaticano II, essa idolatria dos pastores pela criatura humana! Trocaram a verdade de Deus pela mentira, e adoraram e serviram à criatura em vez do Criador, que é bendito pelos séculos.
    E agora com se não bastasse, a ecologia, as aves, os quadrúpedes e répteis também viraram tema de encíclica enquanto os pecados contra Deus desapareceram!
    Eis aí então o flagelo: “por isso, Deus os entregou a paixões vergonhosas,Deus entregou-os aos sentimentos depravados, e daí o seu procedimento indigno”!
    Não há mais santidade de vida e de costumes, a moral se tornou relativa!
    Dom Galarreta fala disso com muita propriedade nesse vídeo de uma ordenação sacerdotal:

    “O sacerdote tem que ser espiritualmente e moralmente outro Cristo. Tem que ser uma representação viva, uma imagem viva de Nosso Senhor Jesus Cristo, uma presença viva de Nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto tem que ter um coração sacerdotal como Nosso Senhor Jesus Cristo. O Papa São Pio X, que sabia muito de doutrina, que sabia muito do modernismo, resume as obrigações do sacerdote, sobre as obrigações sacerdotais, aquelas da santidade de vida e de costumes. Se um sacerdote tem santidade de vida e de costumes, nada lhe falta, ele tudo tem, disse São Pio X, e se ele tem tudo o demais e lhe falta a santidade de vida e de costumes, não tem nada, tudo lhe falta”.
    E cita como exemplo o Santo Cura d’ars. Com muita sabecoria e sentido concreto, o Papa recorda que há somente uma coisa que pode unir o homem a Deus, que há uma só coisa que pode unir o sacerdote a Deus, que há uma só coisa que nos faz ministros dignos de Nosso Senhor Jesus Cristo e isso é a santidade de vida e de costumes”.