Prefeito da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos: Nenhum Papa pode alterar a lei divina relativa à Comunhão.

Por LifeSiteNews | Tradução: Teresa Maria Freixinho – FratresInUnum.com: ROMA, 19 de novembro de 2015 – Logo após uma declaração do Papa Francisco que parece insinuar abertura para que cristãos não católicos recebam a Sagrada Comunhão, o cardeal que chefia o dicastério responsável pelos sacramentos disse que há pré-condições para a recepção da Sagrada Comunhão e quando essas condições não são atendidas e a situação é publicamente conhecida, os ministros do sacramento “não têm o direito de administrar a comunhão.”

sarah1

O Cardeal Robert Sarah, prefeito da Congregação para o Culto Divino e a Disciplina dos Sacramentos, acrescentou, falando dos sacerdotes: “Se eles o fizerem, o pecado deles será mais grave perante o Senhor. Inegavelmente, isso seria uma cumplicidade premeditada e uma profanação do Santíssimo Corpo e Sangue de Jesus.”

As declarações do Cardeal  Sarah poderão ser lidas no próximo artigo da revista católica francesa L’Homme Nouveau. O vaticanista Sandro Magister publicou antecipadamente um trecho.

“A Igreja inteira sempre ensinou de maneira constante que não se pode receber a Comunhão com o conhecimento de estar em pecado mortal, um princípio relembrado como definitivo por João Paulo II em sua encíclica ‘Ecclesia de Eucharistia,’ de 2003” disse o prefeito.  “Nem mesmo um papa pode ser dispensado dessa lei divina.”

Com a confusão crescente mesmo entre o clero a respeito da própria posição do Papa Francisco com relação à Comunhão para as pessoas em pecado grave, como, por exemplo, casais divorciados que se casaram novamente, pares homossexuais e outros casos semelhantes, as declarações do Cardeal Sarah chegam em um momento crítico.

Com relação à “comunhão para todos, sem discriminação,” o Cardeal Sarah diz que as pessoas em pecado grave que estão impenitentes (salvo em caso de ignorância total) “permaneceriam em estado de pecado mortal e cometeriam outro pecado grave se recebessem a comunhão.”

sarah2

Mesmo no caso mais difícil de uma esposa que tenha sofrido abuso e abandonado seu primeiro matrimônio e casado novamente sem nulidade [do primeiro], o Cardeal Sarah observa que não pode haver Comunhão, salvo se ela decidir viver sem relações sexuais com o seu novo parceiro.

Entretanto, as declarações mais fortes do cardeal são o seu lamento quanto à confusão a respeito da Sagrada Comunhão entre o clero.  “Sinto-me ferido em meu coração como bispo que testemunha tanta incompreensão da doutrina definitiva da Igreja por parte de meus irmãos sacerdotes,” ele disse.  “Não posso me permitir imaginar como causa de tanta confusão nada mais que a formação insuficiente dos meus confrades.”

Ao relembrar seu cargo como “responsável pela disciplina dos sacramentos em toda a Igreja Latina”, o Cardeal Sarah disse estar “obrigado em consciência” a esclarecer a doutrina da Igreja referente à sexualidade – a fonte de tanta confusão atual.

A Igreja, disse, “estigmatiza as deformações introduzidas no amor humano: homossexualidade, poligamia, chauvinismo, amor livre, divórcio, contracepção, etc.”

“De qualquer maneira, ela nunca condena pessoas. Mas ela não as deixa em seu pecado. Como seu Mestre, ela tem a coragem e a caridade de dizer-lhes: vá e não peques mais.”

“A Igreja não somente  acolhe com misericórdia, respeito e delicadeza. Ela convida com firmeza à conversão. Como seu fiel, promovo a misericórdia para os pecadores – que somos todos nós – mas também a firmeza para com os pecados incompatíveis com o amor de Deus que é professado com a comunhão sacramental.

Tags:

6 Comentários to “Prefeito da Congregação para o Culto Divino e Disciplina dos Sacramentos: Nenhum Papa pode alterar a lei divina relativa à Comunhão.”

  1. Que vergonha, Emin. Cardeal Sarah: o Revmo está se dirigindo a sacerdotes ordenados ou a catequizandos? Pelo modo com que se expressa, coberto de toda razão, recordando como prelado certos pontos inquestionáveis da fé católica, dando a entender que se refere aos segundos, possuidores apenas de rudimentos da doutrina da Igreja!
    Ou então, seriam conspiradores, elementos estranhos infiltrados na Igreja com outras intenções, assunto à parte!
    Disse S Atanasio:
    “Não devemos perder de vista a Tradição, a Doutrina e a Fé da Igreja Católica, tal como o Senhor ensinou, tal como os Apóstolos pregaram e os Santos Padres transmitiram. De fato, a Tradição constitui o alicerce da Igreja, e todo aquele que dela se afasta deixa de ser Cristão e não merece mais usar este nome. Mesmo que os católicos fiéis à Tradição estejam reduzidos a um punhado, são eles que são a verdadeira Igreja de Jesus Cristo”.
    Aliás, o episcopado africano tem dado mostras de total vitalidade, uníssono, sem acanhamento, melhor, respeito humano algum de interpelar certos prelados heterodoxos saídos das tumbas, e quem se aliar a eles, de forma irrestrita!
    Que distancia dos prelados africanos dos da América Latina, onde a contaminação pela esquerdista TL de forma geral é notoria – no recente Sínodo sei apenas de uma exceção, D Krzysztof da Bolivia, de origem polonesa – que contestou certas ideias heterodoxas à la D Schneider, Burke et alii – enquanto por aqui muitos mais afeitos e submissos às ideologias que infestam nosso continente e deixando as ovelhas às feras!
    “Vi debaixo do sol a impiedade no lugar estabelecido para a julgamento, e a iniquidade no lugar da justiça” Ecle 3,16.

  2. Será que já estamos vivendo a Profecia de Santo Ângelo, para o fim dos tempos?!?
    “Quando a Igreja, despojada de seu esplendor jazer como uma viúva: quando a Cadeira do Pontífice Romano seja posta em contradição, quando se levantarem os hipócritas com cor e pretexto de santidade e religião, defraudarem os povos, e a Igreja estiver cheia de seitas, nas quais reinarão a soberba, ambição, luxúria, com todo o esquadrão de seus filhos: quando os príncipes divididos guerrearem e um Bispo estiver contra outro, e as mulheres se tornarem ministras em lugar dos sacerdotes e quase seja tirada toda a paz do mundo, e da discórdia nasça a morte: quando os hereges prevalecerem, e a Fé estiver quase extinta e os seus pregadores se derem a vaidades e loucuras; então meu Eterno Pai mandará o seu furor e permitirá que os filhos da ingratidão sejam atormentados pelos inimigos do meu Nome. Todas estas calamidades lhes sobrevirão por seus pecados”.

  3. Lembro-me de ter lido há um ano mais ou menos a notícia de que em algumas regiões (Nova Zelândia e Austrália) está comum a prática de aos domingos padres católicos e pastores protestantes trocarem de púlpito e fazerem uma paródia litúrgica de missa, ceia ou culto (não sei que nome dar). Há muitos anos, ainda na época infeliz de João Paulo II houve uma mega concelebração na Alemanha, com a presença de cardeais, bispos, padres, pastores, diáconos e diaconizas. O único bispo a protestar publicamente contra o sacrilégio, heresia e profanação foi o falecido bispo de Fulda, Mons Düba. Roma não abriu o bico.
    O fato é que a “intercomunhão” está sendo praticada e encorajada em várias partes.
    É uma consequência do subjetivismo de Francisco I, quer dizer, diante do mistério de Cristo, que atrai e cativa diferentes homens de diversos tempos e culturas, cada um tem a sua interpretação. Cada um receba a Eucaristia como achar que lhe faz bem. Presença real, presença espiritual, transubstanciação, transfinalização, empanação, Na mesma cerimônia, comungue como entender.
    É um horror,mas é a realidade. E só Nosso Senhor para pôr fim a este caos.

  4. Tô sentindo cheiro de visita apostólica. Cardeal Sarah está falando demais…

  5. Caríssimo Cardeal, cuidado…

    A KGM BERGOGLIANA liderada por ele pode fazer algo contra sua função… Nesses casos, e somente nesses, Bergóglio usa com toda força as suas prerrogativas de Papa, ainda que injustamente…Ele não dorme…

    Depois, Bergóglio, cinicamente, diz que não sabia que tinham agido assim.

    No caso do finado D.Rogelio, o Núncio pediu que o mesmo fosse a Roma que o Papa queria falar com ele, e aproveitou para demiti-lo, ou melhor, expulsá-lo da Diocese, na ausência dele, sem direito a defesa, logo uma demissão nula, pois D. Rogelio não foi avisado nem assinou nada.

    Tempos depois, na morte de D. Rogelio, expulso, junto com sua mãe de noventa e poucos anos, numa cadeira de rodas da Casa Episcopal pela polícia a mando do infeliz e tirano Núncio, Bergóglio disse que não sabia que tinham agido assim…

    Vá enganar outro, Papa misericordioso… Vá enganar outro com suas Bergogliadas falsas…

    E para completar a CACHORRADA MALDITA, digna desses anos pós 2013 que estamos infelizmente vivendo, talvez por causa de nossos pecados, no funeral de D. Rogelio, o Núncio estava presente, CINICAMENTE, como se nada tivesse acontecido…

    Pena que nessas horas as pessoas não são como os malditos “liberteiros” da maldita tl, que teriam feito o maior banzé com bandeiras, com gritos e cartazes e o expulsado da Catedral, mas, graças a Deus, os CATÓLICOS ROMANOS, não se rebaixam aos modos brutos dessa trupe que pertence à outra igreja, a chamada, “católica da América latina”…

    Só em falar dá asco…..CRUZ CREDO!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    Cuidado, GRANDE CARDEAL SARAH!

  6. Obrigado, Cardeal Sarah. V. Exa. Revma. está ensinando ao povo aquilo que Sua Santidade “quem sou eu para julgar” deveria, mas não ensina.